Home Marinha do Brasil RFA Wave Ruler: sem tripulação e sem dinheiro para operar

RFA Wave Ruler: sem tripulação e sem dinheiro para operar

23849
136

O site Save The Royal Navy divulgou em sua conta do Twitter NavyLookout fotos do navio-tanque RFA Wave Ruler após reforma no estaleiro Cammell Laird.

Segundo o site britânico, “o navio encontra-se atracado no Royal Seaforth Dock, Merseyside, em bom estado, mas infelizmente, parado devido à falta de mão-de-obra e dinheiro, com rumores de potencial venda para o Brasil.”

Em 1 de junho de 2018, o jornalista Roberto Lopes noticiou com exclusividade no Poder Naval que a Marinha Real Britânica comunicou à Marinha do Brasil (MB) que se prepara para disponibilizar, no próximo ano, um dos seus dois navios-tanque da classe ” Wave” (RFA Wave Knight e RFA Wave Ruler) – unidades relativamente novas (apenas 15 anos de uso), de 196,5 m de comprimento, 31.500 toneladas de deslocamento carregado, e ampla capacidade de apoiar diferentes tipos de operações navais.

De acordo com uma fonte do Poder Naval no Ministério da Defesa, esse é o procedimento normal dos ingleses: eles primeiro investigam se a Marinha da “nação amiga” mostra interesse na embarcação a ser desativada; em caso afirmativo, formalizam a oferta do navio.

O Ministério da Defesa britânico diz que “não tem planos de vender os navios da classe Wave a uma nação estrangeira e não houve tais discussões com o governo brasileiro”.

Mas o mesmo foi dito quando foi ventilada pela primeira vez a possibilidade de venda do HMS Ocean.

Os navios da classe “Wave” custaram pouco mais de 100 milhões de libras esterlinas cada um, mas o preço de transferência ainda não foi definido.

Atualmente, a Força de Superfície da Marinha do Brasil depende de apenas um navio-tanque, o Almirante Gastão Motta (G23), um navio de 135 m de comprimento, 19 m de largura e 10.320 toneladas de deslocamento (carregado), operado por 121 tripulantes.

A Marinha tem, há vários anos, interesse em uma moderna unidade de Apoio Logístico, com deslocamento na faixa das 24 mil toneladas. A possível oferta inglesa daria um grande reforço nessa área vital.

O Navio-Tanque ‘Marajó’ foi desativado em novembro de 2016

Os classe “Wave” carregam até 16.500 m3 de diesel (equivalentes a 15 mil toneladas), 3.000 m3 de combustível de aviação, óleo lubrificante e água e 500 m3 de carga seca. Pode levar também até 8 contêineres refrigerados de 20 pés.

Equipamentos de osmose reversa instalados a bordo garantem a produção de 100 m3 de água potável ao dia.

FOTOS: Frisia Bonn

Subscribe
Notify of
guest
136 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
FERNANDO
FERNANDO
2 anos atrás

Ops,
mais, uma grande oportunidade!!!
Vemmmmm
nenennnn
no colo do titiooooo
vemmmmmm
PS: Seria uma grande compra de oportunidade também, não tem nem como dizer não!

Pedro
Pedro
Reply to  FERNANDO
2 anos atrás

Concordo, será uma grande aquisição

marcus
marcus
Reply to  FERNANDO
2 anos atrás

Type 23 eles não ofereçem.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
2 anos atrás

Vem pra nós nenem!!!!!

Joao Moita Jr
2 anos atrás

Essa compra é pra ontem!!! Embrulha, que é pra levar.

Fellipe
Fellipe
Reply to  Joao Moita Jr
2 anos atrás

Nem precisa embrulhar, é para uso imediato !

joao
joao
2 anos atrás

aproveitando….

VEM NENEM VEM NENEM!! o que não falta por aqui .é tripulação… e cais.. kkk

Leonardo Araújo
Leonardo Araújo
2 anos atrás

Onde há fumaça há fogo.
Bons sinais além mar

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
2 anos atrás

Eles estão dizendo: Cdê você Brasil? kkkkkkkkkkk

Ozawa
Ozawa
2 anos atrás

Da RN
Para MB
Mensagem: Cifrada
Assunto: Pacto artístico-estratégico.

[Adele sem shows agendados na Inglaterra. Trancada no camarim. Ainda belíssima e com voz potente. Disponível para apresentação no Brasil. Confirmar interesse.]

Da MB
Para RN
Mensagem: Desesperada
Assunto: Pacto artístico-estratégico.

[Ja é.]

Andrew Martins
Reply to  Ozawa
2 anos atrás

kkkkkkkkkk Sensacional!!! Muito boa Ozawa!

Rafael_PP
Rafael_PP
Reply to  Ozawa
2 anos atrás

Garoto, tu tá numa fase inspirada!

Paulo B
Paulo B
Reply to  Ozawa
2 anos atrás

Maravilha de texto!

RF_dantas
Reply to  Ozawa
2 anos atrás

KKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Bueno
Bueno
Reply to  Ozawa
2 anos atrás

Ozawa Um gênio

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Ozawa
2 anos atrás

Esse é o Sensei OZawa san! Espetacular!
Incrivel, quando nao é um texto pesado e cheissimo de conteudo – agregando enorme qualidade aos dialogos do forum – ele nos presenteia com um espirituoso comentario! Obrigado!

Mauro Cambuquira
Reply to  Ozawa
2 anos atrás

Ozawa, você é leitura recomendada… Me divirto aprendendo com a sua nobre graça.

At,at.

M.

Vicari
Vicari
Reply to  Ozawa
1 ano atrás

Simplesmente um luxo…

Tomcat4.0
Tomcat4.0
2 anos atrás

Na boa ,o navio ta encostado após reforma e sem tripulação por falta de $$ ???
Já estou vendo se concretizar mais uma compra ,acertadíssima, de oportunidade viu pois qual a vantagem de se manter uma máquina desta parada por puro orgulho(no caso dos ingleses) não é !!!

Burgos
Burgos
2 anos atrás

Deus !!!
Por favor !!!
Salve e cuide da Rainha !!!
Kkkkkkkkkkkkkk
A MB não pode deixar uma oportunidade dessas “escorregar pelos dedos”.
Acredito que ano que vai sai o negócio pq esse ano a MB já “estorou” o orçamento dela.

Burgos
Burgos
Reply to  Burgos
2 anos atrás

Ano que vem *
Desculpe o erro de digitação !!!
Me empolguei !!!

TeoB
TeoB
2 anos atrás

Bem eu sei que não tem nada uma coisa com a outra, mas em minha grande ignorância, faço-me crer que na concorrência das tamandaré deverá dar BAE, eu antes até achava que os indianos poderiam vir como uma surpresa por causa de um preço incrível e uns acordos comerciais que proporiam juntos, mas uma vez que pode ser firmar uma parceria muito grande, tipo ´´ saldão da Coroa´´e pelo nosso histórico já de bons negócios com eles vai dar msm é navio inglês, e francamente olhando para algumas propostas…. é até ridículo fazer uma comparação: uma oferta casada de um… Read more »

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  TeoB
2 anos atrás

A Bae Systems já está fora do Short.

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Top Gun Sea
2 anos atrás

Op’s Short List

Cassiofrc
Reply to  Top Gun Sea
2 anos atrás

Por que?

Marujo
Marujo
2 anos atrás

Já que o assunto é reequipamento, onde está a MP que destinaria recursos do FMM a fundo perdido para a construção de embarcações militares? Evaporou? Estava bom demais para ser verdade.

india-mike
india-mike
2 anos atrás

Na verdade Tomcat parece ser mais por falta de tripulação do que de dindin. Mesma a RFA sendo uma entidade separada da RN, o custo dos QE em termos de tripulação parece estar realmente sendo muito alto — com o início das operações do QE já se estima que sua tripulação vai ter que ser superior ao inicialmente previsto em mais de 100 homens.

Que comecem as apostas: como vai se chamar o Wave Ruler na MB? To apostando em G180 Marajó 🙂

Ricardo
Ricardo
2 anos atrás

Juntado a fome com a vontade de comer.
Já tinha escutado um papo de “rádio corredor” entre oficiais, referindo-se a “vai ter pouca comissão porque a Marinha está comprando um Navio Tanque e precisa segurar as verbas.”
Como dizem: Toda ajuda é bem vinda! Que venha para as águas da baía!

Victor Filipe
Victor Filipe
2 anos atrás

Essa seria uma aquisição ainda melhor que a do HMS Ocean a classe Wave tem características impar para a nossa marinha e qualquer um com o MINIMO (sim minimo do minimo) de conhecimento veria essa possível aquisição com bons olhos

Rommelqe
Rommelqe
Reply to  Victor Filipe
2 anos atrás

Pois é Victor, era exatamente isso que eu ia comentar. Acho que o Wave sera uma aquisiçao ate mesmo superior ao Atlantico pois agrega um imprescindivel meio logistico à MB, potencializando toda a frota, inclusive dos subs!

Dod
Dod
2 anos atrás

Só vem !!!

Henrique de Freitas
Henrique de Freitas
2 anos atrás

É nosso ! Bora buscar.

Gustavo
Gustavo
2 anos atrás

da um sinal e já manda ir alguém lá no porto ficar na frente do navio dizendo que já comprou.

Obs: O Gastão Motta está parecendo aqueles navios que ficam 15 anos encostado esperando reforma ou que nunca foi finalizado… triste.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Gustavo
2 anos atrás

Gustavo, o NT Gastão Motta está operando normalmente com a Esquadra desde o ano passado, após período de manutenção extraordinária.

https://www.marinha.mil.br/noticias/nt-almirante-gastao-motta-volta-operar-com-os-navios-da-esquadra

O navio do 1º Esquadrão de Apoio que está parado em manutenção há tempos é o NDCC Mattoso Maia.

pm
pm
2 anos atrás

Seria uma boa compra. E permitiria a baixa do Gastão Motta que já passou da hora de ser aposentado.

Provavelmente tambem vai vir sem os Phalanx. Com a inevitavel reducao do numero de escoltas em operaçao, a MB deveria alocar recursos para instalar sistemas CIWS no Bahia, no Atlantico e nesse navio (se vier mesmo)

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  pm
2 anos atrás

pm,
Navios tanque podem durar bastante tempo, o NT Alte Gastão Motta foi incorporado no início dos anos 90, tem cerca de 25 anos de serviço e ainda deve ter uns 10 anos de vida pela frente.

A lacuna a cobrir agora é do outro NT que foi desativado há poucos anos, o velho Marajó, este sim desativado vários anos além do desejável, após cerca de 50 anos de serviço.

Paulo Guerreiro
Paulo Guerreiro
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
2 anos atrás

Fernando “Nunão” De Martini

Você sabe dizer se o NDCC Garcia D’Avila (G-29) esta ativo ou em manutenção tambem

Régis Athayde
Régis Athayde
2 anos atrás

Legal. Seria muito boa esta compra. E, como já falaram acima, uma possível aquisição de tal navio aumenta bastante as chances dos ingleses levarem o contrato das corvetas Tamandaré.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Régis Athayde
2 anos atrás

Eu sinceramente não vejo uma conexão direta entre a compra de navios usados ingleses e estes levarem o contrato da classe Tamandaré. Há muitas outras variáveis a serem consideradas para que a proposta britânica seja eventualmente a vencedora, e há concorrentes muito fortes.

Davi
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
2 anos atrás

Concordo contigo, mas como sabemos essa decisão é técnica e (mais ainda) política. Ter um grande parceiro estratégico como UK, nos dando prioridade nas aquisições de oportunidade, é muito relevante.

MK48
MK48
2 anos atrás

A MB tem que correr e comprar antes do Chile, nossos eternos “rivais”, que certamente já estão de olho no navio.

Otto Lima
Reply to  MK48
2 anos atrás

O Chile já tem o Almirante Montt (AO-52), ex-USNS Andrew J. Higgins (T-AO-190), navio-tanque da Classe Henry J. Kaiser, que tem as mesmas funções da Classe Wave, mas capacidade de transporte de cargas líquidas ligeiramente superior.

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
2 anos atrás

Não entendo alguns dos srs. A MB tem o Gastão motta,porque não compra o outro e tem dois navios de abastecimento em vez de um.O que pode dar alguma zebra é que a imprensa do Reino unido criticou a venda do aceam, é vão cair em cima da marinha de lá.Acho que deve ter uma venda casada com as construção das Tamandaré.

Douglas Schuindt
2 anos atrás

Realmente o Queen Elizabeth está sugando os recursos da RN. Imagino quando o Prince of Wales entrar em serviço também…

Mercenário
Mercenário
Reply to  Douglas Schuindt
2 anos atrás

Caro Douglas,

Vale lembrar que a RFA acabou de receber os quatro navios que compõem a classe “Tide”, embora nem todos ainda estejam em serviço.

https://en.m.wikipedia.org/wiki/Tide-class_tanker

fogoamigo
fogoamigo
2 anos atrás

No doubt!
God Save The Queen!

Humberto
Humberto
2 anos atrás

Não sei, será que o mesmo não é muito grande para as necessidades da MB? Por tonelagem é pouco inferior (apesar que 2 mil toneladas de forma alguma seja pouca coisa) do PA São Paulo ou a soma do Atlantico e Bahia. Vamos pular de um de 10 para outro de 30 mil toneladas, a MB raramente faz grandes operações longe da costa brasileira e quantidade de escoltas está diminuindo. O almirantado sabe onde o sapato aperta, mas será que existirá demanda para o mesmo? Não seria o caso de guardar os tostões para a compra de escoltas? Uma compra… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Humberto
2 anos atrás

Humberto,

O navio de apoio logístico especificado no Prosuper não era muito menor que este. Pensando nos futuros navios que substituirão as atuais fragatas e corvetas, na incorporação do Bahia e do Atlântico, além dos cenários em vista para as próximas décadas, a capacidade superior desse navio em relação aos NTs da Marinha dos últimos tempos (o atual, que ainda tem uns dez anos pela frente e o desativado) é bem-vinda e foi planejada.

Dê uma olhada em matérias de anos passados sobre o Prosuper.

Humberto
Humberto
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
2 anos atrás

Nunão, concordo com você que de 24 para 31 mil toneladas a diferença seja absorvível, mas o problema são as 5 fragatas (de 6 mil toneladas) e 5 patrulhas de pouco menos de duas mil toneladas, que deveriam vir para o Prosuper, e nada dos mesmos. Gosto de acreditar que o navio de apoio, foi pensado principalmente para auxiliar estes meios. Hoje o projeto são das 4 corvetas (que oxalá, serão entregues dentro de 4-7 anos) e talvez compras de oportunidades para complementar a frota, então em tese, o navio de apoio não poderia ser maior e sim menor que… Read more »

Antonio Palhares
Antonio Palhares
2 anos atrás

Este navio esta com excelente aparencia. Com cara de novo e a nossa Marinha precisa muito de um meio como este. Vai agregar muito.

filipe
filipe
2 anos atrás

Vamos aproveitar e ficar com uma Tralfagar , também ,

Caique Luã
Caique Luã
2 anos atrás

Só vem bebê… Tá rolando uma queima de estoque e o brasileiro como todo mundo sabe ama isso…

Parabellum
Parabellum
2 anos atrás

Alguém vai lá e coloca logo uma placa: “sold”.

Vovozao
Vovozao
2 anos atrás

Eles reformaram totalmente para entregar a MB, ou iram colocar na ativa, e, vender o outro??? Ontem li que nossos ‘irmao do norte’ iram descomissionar alguns “ticos” mais antigos que não vale apena, que o armamento e antigo, sistemas de armas etc, vejo caso sejam realmente descomissionados e vindo com todas as armas seria maravilhoso, logo após vinda secretário de defesa, seria uma ótima escolta MB

Roberto Silva
Reply to  Vovozao
2 anos atrás

Já sonhei muito com os Ticonderoga por aqui, hehehe

Roberto Silva
Reply to  Alexandre Galante
2 anos atrás

Prezado Galante, com certeza, ele absorveria toda a MB em menos de 2 tempos.

Matheus
Matheus
2 anos atrás

Off Topic:
Comandante do U.S.Marines Corp (corpo de fuzileiros navais dos EUA) visita o marinha do Brasil.
Ultimamente o vice presidente , o comandante da Marinha,e secretário de defesa nos visitaram TB.Espero que esses laços sejam bem aproveitados,por ambas as partes.

Roberto Silva
Reply to  Matheus
2 anos atrás

Devemos agradecer aos chineses, rs

Antonio Palhares
Antonio Palhares
Reply to  Roberto Silva
2 anos atrás

O Estados Unidos voltando a ficar atentos ao quintal.

Matheus
Matheus
2 anos atrás

Alguém aí sabe sobre os 26 ah-1w que o EB e a MB mostraram interesse. Assim como o obuseiros m198 os m577 e M88 e além do l119 espero que aceitemos essas doações pois irão nos ajudar muito e aumentar nossas capacidades.Espero que compremos TB esse navio tanque e quem sabe uns River batch 1

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Matheus
2 anos atrás

M88A1 RECOVERY VEHICLES = Service Authorized to Supply EDA, 6 un
M577A2, COMMAND POST CARRIER = Service Authorized to Supply EDA, 200un
M198, TOWED MEDUIM HOWITZER = Service Authorized to Supply EDA, 120un
C-23B+ Sherpa Cargo Transport Aircraft = EDA Accepted/LOA Implemented, 4un
Puxei o Excel lá no site do DSCA/Excesso de Artigos de Defesa onde não achei nada sobre os AH-1W.

Matheus
Matheus
Reply to  Tomcat4.0
2 anos atrás

Ok obrigado pelas informações

Renato
Renato
2 anos atrás

Esta questão de falta de grana da RN é para se discutir mesmo: para que compraram 4 novos navios da classe Tide se ainda possuiam estes 2 em boas condições?

Bardini
Bardini
Reply to  Renato
2 anos atrás

Pq eles planejam, projetam e constroem uma Marinha.
Não vivem de Navio de segunda mão, que não foi pensado para as necessidades e doutrina deles, não vivem de Navio que não vai ter custo x benefício para ser o mais eficiente possível, que vai ser usado depois que já se esgotaram os melhores anos de vida do material…
comment image

Roberto Silva
Reply to  Renato
2 anos atrás

Acrescente-se que esses 4 navios não geraram empregos na Inglaterra, somente na Coreia do Sul.

Problema de planejamento, de política, ou algo mais ao nosso estilo de governo…?

Mercenário
Mercenário
Reply to  Roberto Silva
2 anos atrás

Roberto Silva,

O projeto é da BMT Defence, empresa britânica. Os navios, depois de construídos na Coreia do Sul pelo DSME, são customizados no estaleiro A & P, no Reino Unido.

https://www.ap-group.co.uk/news/2018/fourth-and-final-tanker-arrives-at-a-p-falmouth

Mas realmente a construção no exterior gerou um grande debate a nível político lá.

Marcelo Machado Mattos Brandão
2 anos atrás

Vamos esperar a “black friday” no início de 2019 e parcelar no cartão…

Aerokicker
Aerokicker
2 anos atrás

Acabou de ser reformado, nem passou alguns anos como foi com o PHM Atlântico.

Que venha.

Bardini
Bardini
2 anos atrás

Navio muito mais importante e útil que o HMS Ocean…

Roberto Silva
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Tão importante que não deveria ser apenas um, podendo ser um alvo preferencial.

Claudio Luiz
Claudio Luiz
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Você é de uma teimosia impressionante…

pgusmao
pgusmao
2 anos atrás

Nossa, 15 anos de uso, tragam logo!! Tomara que essa compra dê certo.

GUPPY
GUPPY
2 anos atrás

Gostei da aposta (palpite) do comentarista india-mike quanto ao nome e indicativo visual: Marajó – G180.
Estou gostando muito da Inglaterra.

Carlos Campos
Carlos Campos
2 anos atrás

Deus salve a Inglaterra, vou com o povo, vem neném

Vovozao
Vovozao
2 anos atrás

GALANTE, informação que consta é que USN, iria descomissionar algumas ‘ticos’, devido alto custo das reformas e atualizações, além, do gasto com pessoal, já que eles contratam, enquanto MB são efetivos com custo fixo, ontem mesmo estavam agradecendo Brasil ter entrado para CFM, porém com problemas de escoltas, podem ser caras, porém fariam uma projeção tremenda para a MB. Caso não, que venham algumas Arleigh.

Renan
Renan
Reply to  Alexandre Galante
2 anos atrás

Impressionante o custo por ano.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Vovozao
2 anos atrás

Que venham alguns Arleigh Burke?

Mas esses são ainda mais improváveis e difíceis de se contar com uma desativação precoce, ou mesmo dentro do prazo. Deverão ter, isso sim, suas vidas esticadas na USN.

Não vejo qualquer sentido ou relação com fatos pensar em algo do tipo “se não vem Ticonderoga, que venha Arleigh Burke”…

Dalton
Dalton
Reply to  Vovozao
2 anos atrás

Informações mudam o tempo todo…no momento está se discutindo se os 2 primeiros
“Ticos” serão de fato descomissionados em 2020 com quase 35 anos de muito uso, ou
terão suas vidas esticadas para 40 anos…ainda mais que um dos dois o USS Mobile Bay
teve seu sistema AEGIS recentemente atualizado para o “Baseline 9”.

USS Montana
USS Montana
2 anos atrás

OPA!!! Ninguém tasca, nóis viu primeiro.
👀👀👀👀👀👀👀👀👀👀👀👀👀👀👀
Daqui a pouco vem duas ou três Iron Duke… Sonhar não custa nada, né?

Otto Lima
2 anos atrás

Roberto Lopes acertou em cheio quando falou da possibilidade de o então HMS Ocean (atual PHM Atlântico) ser vendido ao Brasil. Espero que ele acerte de novo e a MB adquira um dos Wave.

Luiz
Luiz
2 anos atrás

Que venham as Type 31….
rsrs

Fabio
Fabio
2 anos atrás

Acho que pode vir algum navio dos EUA para o Brasil,poder ser um navio
logistico ou um NDD?quanto escoltas vamos ter que esperar as tipo-23 darem baixa em 2023
mas pode ser antes quem sabe.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Fabio
2 anos atrás

NDD?
Com a entrada em serviço do NDM Bahia e do PHM Atlântico, compensando as baixas dos NDD Rio de Janeiro e Ceará, vejo como última das prioridades um NDD americano usado pra MB. Tem inúmeros tipos navios mais importantes, agora, na frente da fila.

Matheus
Matheus
Reply to  Fabio
2 anos atrás

Prefiro as fragatas alemães são mais novas e melhores(minha opinião) pena q só darão baixa em 2025

Matheus
Matheus
Reply to  Matheus
2 anos atrás

Ou Halifax canadenses e adeilades australianas

Satyricon
Satyricon
Reply to  Matheus
2 anos atrás

Se o assunto for sonho, KDX I, cuja mais velha das 3 está chegando a 20 anos por agora.
Perfeitas para a MB

Dalton
Dalton
Reply to  Fabio
2 anos atrás

NDDs da US Navy ? Os classe “Whidbey Island” não serão retirados de serviço tão cedo…
ainda continua em vigor a ideia que deverão servir por 40 anos ou pouco mais …então, deverão ser descomissionados a partir da segunda metade da próxima década…2027
sendo uma data já anunciada para o primeiro dar baixa.

Matheus
Matheus
2 anos atrás

Espero que depois de comprarmos ele , alguém (Alemanha , França , UK , EUA ou alguém do tipo ) nos ofereçam também um novo (compra de oportunidade) navio de socorro submarino ou um equipamento aerotransportado ou transportado por navio de socorro submarino para substituir novo velho k11 Felinto Perry.

Matheus
Matheus
Reply to  Matheus
2 anos atrás

Nosso

Matheus
Matheus
2 anos atrás

De preferência um veículo de resgate submarino. Aerotransportado e remotamente pilotado

Karl Bonfim
Karl Bonfim
2 anos atrás

God save the queen!
Que seus navios que estão sobrando, nos cuidamos!

Roberto Medeiros
Roberto Medeiros
2 anos atrás

DE: MB
PARA: RN
FAVOR EMBRULHAR E ENTREGAR NO AMRJ PT RJ PT BRASIL PT

AVISO DOS EDITORES: NÃO ESCREVA EM MAIÚSCULAS. LEIA AS REGRAS DO BLOG.

WILSON JOSÉ
2 anos atrás

É no Débito ou no crédito?

Alfredo RCS
Alfredo RCS
Reply to  WILSON JOSÉ
2 anos atrás

É no Cir…o…card.

lol

Marujo
Marujo
Reply to  WILSON JOSÉ
2 anos atrás

Tanto faz, desde que venha.

horatio nelson
horatio nelson
2 anos atrás

que chegue com saúde certamente irá fazer parte da mb…como sempre primeiro a royal navy nega depois a mb nega ai 1 ano depois está operacional em aguas nacionais como foi o caso do siroco(frança) e ocean…devemos muito a agradecer a sua majestade real e a todo o almirantado por estarem dispostos a essa grande parceria estrategica q remonta ao seculo 17 viva aos nossos irmãos britânicos e q possamos no futuro ter um atlântico sul partilhado somente entre ingleses e brasileiros.

Nilson
Nilson
2 anos atrás

“Roberto Silva 29 de agosto de 2018 at 13:40
Acrescente-se que esses 4 navios não geraram empregos na Inglaterra, somente na Coreia do Sul.
Problema de planejamento, de política, ou algo mais ao nosso estilo de governo…?”
Os 4 classe Tide foram construídos na Coreia do Sul e terminados (sistemas) no Reino Unido.
Pelo que li, na política de construção naval deles, apenas os navios essencialmente de guerra (destróieres, fragatas, porta-aviões, submarinos e similares) são de construção obrigatória no Reino Unido, para preservar a capacidade estratégica. As demais classes são construídas onde o preço for melhor.