Home Apoio Logístico Navio de Apoio Oceânico Iguatemi inicia trânsito para Belém-PA

Navio de Apoio Oceânico Iguatemi inicia trânsito para Belém-PA

5543
16
NApOc Iguatemi (G151)
NApOc Iguatemi (G151)

O Navio de Apoio Oceânico (NApOc) “Iguatemi” suspendeu do Porto do Rio de Janeiro, no dia 16 de outubro, com destino à Belém-PA, onde deve chegar no dia 5 de novembro. O navio, recém-incorporado à Marinha do Brasil, será o mais moderno meio naval do Comando do Grupamento de Patrulha Naval do Norte, subordinado ao Comando do 4º Distrito Naval.

Com suas novas tecnologias embarcadas, o NApOc “Iguatemi” possibilitará uma maior flexibilidade no planejamento e cumprimento das missões atribuídas à Marinha, desempenhando tarefas como Apoio Logístico Móvel, Patrulha e Inspeção Naval, Busca e Salvamento e Minagem.

Por meio de um convênio com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), o navio receberá equipamentos especiais que permitirão a realização de levantamentos hidrográficos em prol do Centro de Hidrografia e Navegação do Norte, possibilitando o escoamento logístico do arco norte com maior segurança, contribuindo para o desenvolvimento econômico da região Norte.

Antes de chegar em Belém, onde o navio ficará aberto à visitação pública, no cais da escadinha, próximo à Estação das Docas, o NApOc “Iguatemi” ainda visitará as cidades de Salvador-BA e Fortaleza-CE.

FONTE: Marinha do Brasil

16
Deixe um comentário

avatar
8 Comment threads
8 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
14 Comment authors
Nunes-NetoNilsonRooseveltRenatoEduardo Câmara Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Phacsantos
Visitante
Phacsantos

De antemão, peço desculpa pela ignorância.

O que são essas linhas pretas na estrutura do navio?

EdcarlosPrudente
Visitante
EdcarlosPrudente

Sou tão ignorante quanto no que diz respeito a essas estruturas externas ao casto do navio, mas, talvez, possam ser um tipo de para choques.

Saudações!

Dalton
Visitante
Dalton

Boa comparação…é isso mesmo.

Phacsantos
Visitante
Phacsantos

grato

Eduardo Câmara
Visitante
Eduardo Câmara

Estas linhas pretas correspondem aos verdugos colocados no costado, tipo de proteção característica de embarcações de apoio marítimo, que foi o tipo original deste navio. Alternativamente, ao invés dos verdugos (que são meio-tubos soldados na parte plana do costado) em alguns navios de apoio agora-se a inserção de chapas mais espessa. A escolha é a critério do armador.

pm
Visitante
pm

Aqui diz “minagem”, mas a MB tem minas navais disponiveis em Belem pra isso?

Há uns 30 anos li que estava sendo desenvolvida uma mina de fundeio nacional (é o modelo mais simples de mina submarina). Deu algo disso?

Ronaldo de souza gonçalves
Visitante
Ronaldo de souza gonçalves

Talvez o Almiratado reveja sua posição na compra das batch 1 ( 3 unidades ofertadas que daria reforço e tanto aõs patrulhas da MB) claro que não se deve parar as construções de mais.Mas o calcanhar de aquiles da Marinha é a renovação das fragatas que estão com idade bem avançada.

M.Lobo
Visitante

Estes navios originalmente eram rebocadores, certo?
Eles também terão esta função na MB? Em caso afirmativo, a entrada em serviço destes fará com que sejam retirados de serviço alguns dos atuais rebocadores de alto-mar (3 classe Triunfo e 2 classe Alte. Guilhem)?

fjj171
Visitante
fjj171

Acho que não. Parecem rebocadores por conta daquela popa, mas – se me lembro corretamente – originalmente eles eram PSV’s (Plataform Supply Vessels).

Eduardo Câmara
Visitante
Eduardo Câmara

Originariamente eram navios que foram projetados e construídos para suprimento de plataformas, manuseio de âncoras e reboque. Talvez, não tenho certeza, eram também equipados para combate à incêndio externos.

Souto.
Visitante
Souto.

Amigo M. Lobo dos rebocadores antigos so ficaram dois o Alte. Guillobel. e o Tritão.

Renato
Visitante

Gostaria de saber se estes navios podem ser utilizado para resgate de submarinos com aquele kit norte americano. Se sim, considerando que os kit’s são aéreo-transportáveis, seria algo a ser considerado pela MB, ou não?

Roosevelt
Visitante
Roosevelt

Gostaria de entender também porque depois do Atlântico estão usando numeral tão alto nessas novas aquisições. G 151? Como assim? Não há sequencia?

Nilson
Visitante
Nilson

Concordo que o critério de numeração dos indicativos gera dúvidas. Pelo que entendi, nesse novo critério de numeração que começou com as Amazonas, cada novo tipo de navio e nova classe começa uma nova dezena. P-120 – Amazonas P-121 – Apa P-122 – Araguari A-140 – Atlântico G 150 – Mearim G151 – Iguatemi G 152 – Purus Mesmo assim continua a dúvida, onde estão os 130?? Foi também informado em outro momento que “a escolha do indicativo visual de costado (G 150, G 151, G 152), é uma homenagem ao sesquicentenário das diversas ações ocorridas na Guerra da Tríplice… Read more »

Nunes-Neto
Visitante
Nunes-Neto

Tirei algumas fotos do G151, como faço para postar?