Home Indústria de Defesa China constrói fragatas Type 054A para o Paquistão

China constrói fragatas Type 054A para o Paquistão

6964
44
A fragata Type 054A “Liu Zhou” visitando o Brasil em 2013

A China iniciou recentemente a construção de uma versão para exportação de um de seus navios de guerra avançados e a entregará ao Paquistão quatro unidades como parte de um importante acordo armamentista, segundo a China State Shipbuilding Corp., uma grande empreiteira de defesa estatal.

O navio é uma versão da mais avançada fragata de mísseis guiados da Marinha Chinesa, a Type 054A.

No final de dezembro, o navio estava em construção no estaleiro Hudong-Zhonghua, em Xangai, notando que será equipado com modernos sistemas de detecção e armas e será capaz de operações antiaéreas, antissubmarino e de defesa aérea.

Segundo a Marinha Paquistanesa, a classe do navio é do Type 054AP, o que significa que se baseia na Type 054A da Marinha do Exército de Libertação Popular da China.

Uma vez construído, o navio de guerra será uma das maiores e tecnologicamente avançadas plataformas da Marinha do Paquistão e fortalecerá a capacidade do país de responder aos desafios futuros, manter a paz e a estabilidade e o equilíbrio de poder na região do Oceano Índico. Ele também apoiará a iniciativa da Marinha Paquistanesa de garantir rotas marítimas para o transporte marítimo internacional, patrulhando as águas distantes.

A Type 054A é a melhor fragata em serviço com a PLA Navy. Fontes militares disseram que o navio tem um deslocamento total de cerca de 4.000 toneladas e está equipado com radares e mísseis avançados. Cerca de 30 fragatas Type 054A estão em serviço com a PLA Navy.

Type 054A vista pela popa
Helicóptero Harbin Zhi-9 (Z-9C,) versão naval do AS 365N Dauphin II fabricado sob licença – Foto: Alexandre Galante
Dois lançadores quádruplos de mísseis antinavio C-803
A Type 054A tem dois CIWS Type 730 de 30 mm, um em cada bordo – Foto: Alexandre Galante
Lançadores VLS, canhão e lançadores de foguetes antissubmarino na proa

Cao Weidong, pesquisador sênior do Instituto de Pesquisa de Estudos Militares do PLA, disse que no passado, a Marinha Paquistanesa pediria a seus empreiteiros chineses que usassem radares ocidentais ou armas em navios construídos na China porque acreditavam que as tecnologias navais ocidentais eram melhores do que as chinesas.

“Mas parece que todas as armas e radares no novo navio serão produtos chineses, o que reflete nosso progresso na indústria e a confiança da Marinha Paquistanesa em nossa tecnologia e capacidade”, disse ele.

Cao disse que há muitas nações vendendo fragatas no mercado, então o Paquistão deve ter feito comparações completas em termos de capacidade de combate e custos.

“Acredito que a razão pela qual eles escolheram nosso tipo é que o nosso é um dos poucos que podem realizar todas as tarefas de defesa aérea, antinavio e antissubmarino”, disse ele, esperando que o serviço da fragata chinesa vai impulsionar a capacidade de defesa do Paquistão.

Um insider no setor de construção naval da China com conhecimento do programa Type 054AP disse ao China Daily sob condição de anonimato que o navio é o maior e mais poderoso navio de combate que a China já exportou.

“Baseado em imagens que circulam na internet, o navio terá células de lançamento verticais que podem disparar mísseis de defesa aérea HQ-16 da China e outros tipos de mísseis. Células de lançamento verticais trarão flexibilidade ao usuário em termos de portfólio de armas. É uma capacidade de combate mais forte”, disse ele, acrescentando que a Type 054AP é a melhor fragata que o Paquistão pode acessar no mercado internacional.

“As Type 054AP duplicarão o poder de combate da frota de superfície da Marinha Paquistanesa”, disse ele.

As Type054AP serão equipadas com o radar phased array SR2410C

A Type 054AP também é conhecida como Type 054B

FONTE: China Daily

SAIBA MAIS:

44
Deixe um comentário

avatar
11 Comment threads
33 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
27 Comment authors
Raul Marcos figueira vilelaFlankerLuiz Floriano AlvesLuis Henrique Lopes de Almeidacipinha Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Mauricio_Silva
Visitante
Mauricio_Silva

Olá.
Belonave de respeito. Será que o modelo de exportação terá uma eficiência/eficácia semelhante ao empregado pela Marinha Chinesa?
SDS.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Realmente um navio muito interessante, parece ser de ótimo custo x benefício, quanto a questão da capacidade, acho que podem vir até a ser melhor do que as inicialmente incorporadas pela marinha chinesa, desde que desembolse o suficiente para equipa-las com o que a indústria bélica chinesa tem de melhor.

Mauricio_Silva
Visitante
Mauricio_Silva

Olá.
Creio que os chineses não vão “liberar” para exportação suas tecnologias mais recentes e sensíveis. O que não impede que se tenha um vaso de guerra muito eficiente. Sem dúvida que a tecnologia avança e o que é hoje um conhecimento “sensível”, dentro de algum tempo pode estar disponível sem maiores restrições.
Claro, quanto mais o comprador estiver disposto a “investir”, melhor será o produto final.
SDS.

Mikhail Bakunin
Visitante
Mikhail Bakunin

Onde você viu o valor pago para dizer que é ótimo custo X benefício?

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Olá Mikhail, digo que é um ótimo custo x benefício, pois esse projeto (Type 054) é um dos meus favoritos e sei que comparado aos seus “pares” ocidentais leva bastante vantagem, tanto por já ter muitas unidades construidas quanto por ter um sistema de propulsão simples baseado em motores diesel, sem contar que a mão de obra da China é mais barata do que a do ocidente (está começando a ficar mais parelho). É um navio de tamanho adequado e bem armado (com armas chinesas que são mais baratas, se são tão eficientes quanto as ocidentais não posso dizer), me… Read more »

Burgos
Visitante
Burgos

Contínuo achando esse mercado aí ainda muito suspeito (solta pecinhas) !!!

Pedro Calmon
Visitante
Pedro Calmon

Para la’ de suspeitos.
A China nao consegue fazer turbinas aeronauticas confiaveis. Alguem aqui imagina que as suas turbinas navais (praticamente a mesma tecnologia) sao?
Se os radares e misseis chineses sao tao bons assim, para que importar o sistem S-400 da Russia?
Para mim e’ produto vagabundo.

Vovozao
Visitante
Vovozao

05/01/2019 – sábado, bnoite, aparentemente parece serem bem armadas; como descrito melhor e mais bem armada fragata da China; só tem uma pergunta?? Qual o preço de cada uma vendida ao Paquistão.

Eduardo
Visitante
Eduardo

Melhor que nossas 4 Tamandarés que não vem nunca. Será que virão. As 054 ainda devem ser entregues em um ritmo de 1 a cada 1 ano ou 1,5 ano. E a preço justo. E nós querendo comprar tecnologia que sai caro… Para nada, pois se fizerem as 4 será é muito. Não construirão mais. Essas, vão navegar por 40 anos cada! Depois será hora de trocar. Até lá a tecnologia já mudou! E muito!! Talvez os navios nem tripulados serão mais. Se forem serão minimamente tripulados. Armamentos, sensores, propulsão… Tudo outra tecnologia! Enfim, se pagará para utilizar algo (tecnologia)… Read more »

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Preço justo? Explique mais sobre isso por favor!

Eduardo
Visitante
Eduardo

Explico sim. O celular que tu digitaste tal mensagem, ou PC vem da China. Brinquedos, e qq coisa industrializada tende a vir de lá. Até os carros. Porque oferecem qualidade a preço compatível com o que oferecem.

E o por quê? Porque ainda não tem “grife” como americanos, europeus e etc. Então não podem cobrar tão caro.

Humberto
Visitante
Humberto

Só aprofundando um pouco. Não estou falando em soltar pecinha, acho isto ofensivo ao desenvolvimento Chines que deu gigantescos passos MAS. 1- Tem que ver o que está embutido nos preços, existe uma tendencia de muitos fazerem comparações simplistas sobre equipamentos. Muitas vezes, o mesmo produto, vendido em quantidade parecida, tem valores muito diferentes, o que aconteceu? Pode ser desde especificações diferentes, treinamento, peças de reposições. Não existe como fazer uma comparação real, sem os detalhes (coisa que não se acha na internet) que as vezes, podem ser de milhares de páginas altamente técnicas. Ou seja, tem que ver quais… Read more »

_RR_
Visitante
_RR_

Eduardo, Não é bem por aí… Um programa como o pleiteado pela a Marinha, visa justamente conceder a industria local as capacidades necessárias para garantir não somente a construção de novos vasos e seus sistemas mais críticos ( ou o máximo possível nesse sentido ), mas também manter, operar e atualizar que for adquirido. A classe ‘Niterói’, por exemplo, foi talvez a experiência mais bem sucedida deste tipo no País, chegando até a corveta Barroso, que poderia ter dado origem a uma nova classe e composto a espinha dorsal da Esquadra se tivessem mantido o foco nesse projeto. Logo, fica… Read more »

Eduardo
Visitante
Eduardo

Ou seja, tu já me respondeu. 1 classe só teve relativo êxito. Pagaram para fazer 5 navios só! E parou por aí. Assim será daqui pra frente, não teremos como competir com quem fabrica aos montes. Vamos vender pra quem as Tamandarés? Ninguém…só a MB vai comprá-las… Vai comprar 4 e deu! Se comprar as 4…

_RR_
Visitante
_RR_

Não, prezado. As lições da classe ‘Niterói’ foram incorporadas em diversos outros vasos construídos pelo AMRJ, do qual a corveta Barroso é só o mais recente. Falei também na capacidade de manter e modernizar em solo pátrio. E isso é vital nos dias de hoje, onde tudo é um emaranhado de hardware e software do qual ter o domínio garante poder operar e incrementar sem ter que ligar pra um 0800 que nem sempre poderá estar disponível. Desenvolver, portanto, é questão de soberania, e está além de um mero custo/benefício dentro de uma visão economicista… É investimento a fundo perdido,… Read more »

Jorge Knoll
Visitante

Nossas Tamandaré já nasceram mortas. Deveriam ter abandonado o projeto e abraçar um já pronto e armado que nem as chinesas.

israelmestre
Visitante
israelmestre

E no Brasil? será que teríamos condições?

Rafael de Quadros da Rocha
Visitante
Rafael de Quadros da Rocha

Como funcionam os foguetes anti-submarino? São armas com funcionamento semelhante a torpedos ou bombas de profundida? Possuem alguma espécie de guiagem?

Bardini
Visitante
Bardini

Os chinas copiaram vários sistemas dos Sovremennyy, e estes sistema copiados foram usados em diversos navios. . Uma cópia que integra as Type-054 hoje é este interessante radar: http://roe.ru/pdfs/pdf_2266.pdf . The Passive Radar Channel provides for: – over-the-horizon detection of the radars emission; – determining coordinates of the emitting radars by triangulation; – targets classification according to the type emitting radar; – target designation for missile weapon. . Os paquistaneses tem um míssil de cruzeiro para ataque terrestre e naval chamado “Harba”, do qual se diz ter sido derivado do “Babur”. . Se fosse viável para estes sistemas operar em… Read more »

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

E sem querer falar mal de ninguém, nem na China nem do Paquistão, mas quando se tem dinheiro pode construir o que se quer E se o Brasil tivesse os mesmo recursos, teríamos navios novos iguais ou melhores que esse.

Paulo Costa
Visitante
Paulo Costa

e se a Marinha do Brasil tivesse …

Bardini
Visitante
Bardini

O Brasil teve tempo e dinheiro para projetar um Navio Escolta, para ser a espinha dorsal da Marinha, assim como a Type-054A e também um projeto mais simples, para fazer número e servir a patrulha, como as Type-056. Projetaram uma “Corveta Emprego Geral” baseado no que seria a CV-03, que visava fazer número para os navios caríssimos do ultrapassado PROSUPER, que a mais de 10 anos não conseguimos comprar e não existe perspectivas de que vamos um dia… Meses depois da entrega do projeto do CPN, a MB abre a concorrência para que estaleiros internacionais ofereçam seus próprios projetos, para… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Bardini, ter tempo e dinheiro para PROJETAR um navio, seja ele qual for, é uma coisa. Agora, ter dinheiro para CONSTRUIR, OPERAR e MANTER esse mesmo projeto de navio é outra coisa completamente diferente. Digamos que o CPN tivesse projetado um navio escolta do porte de uma fragata pesada e um navio patrulha oceânico pesado, ou uma corveta leve. Digamos que esses dois projetos estivessem prontos. Vai fabricar quantos e com qual dinheiro, se até para fabricar 4 CCT a MB está passando o chapéu? Lógico que seria ideal atrelar, de forma incondicional, a construção das CCT à modernização do… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

Olha… Eu escrevi um calhamaço de coisas, apertei Ctrl + não sei o que aqui acidentalmente e fechei a página. . Resumindo: Não sei qual sua definição de “Fragata Pesada” ou “Navio Patrulha Oceânico Pesado”. Por mim, seria um projeto de 4.500t para Guerra Naval e outro de 2.500t para operações de baixa intensidade/Patrulha. Isso não é nada pesado. . A MB não abriu mão das Fragatas de 6.000t. É o mix burro e caro, onde vamos comprar o “Low” e sonhar com o “Hi”. . O AMRJ está onde a MB está. Nada vai superar esse custo x benefício… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

O navio pesado que eu citei foi pensando nas fragatas de 6000 ton do Prosuper e o patrulha pesado seria uma CCT “aliviada”; Com certeza que o AMRJ foi criado com a ideia de construir e dar manutenção ao maior número possível de classes de navios da MB; Concordo que o preço da capacitação de um estaleiro privado, seja qual for, vai estar embutido no preço final; Quanto ao dinheiro para as CCT não tenho tanta certeza, quanto você, de que esteja garantido; A MB tem um peojeto de um NaPaOc; De tudo que vc falou concordo em grande parte….mas,… Read more »

MGNVS
Visitante
MGNVS

Essa noticia coloca em questao um importante fator na geopolitica estrategica da regiao no que diz rezpeito a essa cooperacao China-Pakistao. Muito se foi dito aqui no blog que a India seria o xeque-mate num possivel conflito futuro envolvendo China e EUA, mas nesse caso o Pakistao e tbm Bangladesh, Mongolia e Korea do Norte se aliariam a China. E essas novas fragatas chinesas tipo exportacao construidas em grande quantidade seriam um complicador naquele TO especifico. É logico que junto aos EUA teriamos o RU, Australia, Japao, Korea do Sul, Taiwan e outros países do sudeste asiatico nao alinhados a… Read more »

Waldir Fares Filho
Visitante
Waldir Fares Filho

Ola. Desculpem a pergunta de leigo. Vi q esses navios levam 8 mísseis Antinavio. Recentemente vi o lançamento do ManSup e, no seu carregamento no lançador, foi usado um caminhão munck. Uma vez carregado os lançadores do navio, existe um estoque a bordo de mísseis AN ? Se sim, como os lançadores são remuniciados com mísseis no mar ? Se não, após o lançamento de todos que o navio deve voltar a base para recarregar ? Grato pelo esclarecimento

Bosco
Visitante
Bosco

Waldir,
Não tem como recarregar no mar não.
Em os 8 mísseis antinavios sendo lançados ele pode continuar operando em suas outras missões: anti submarino, defesa de área, contra alvos assimétricos de superfície, contra alvos em terra (se tiver mísseis cruise), antinavio dentro do horizonte radar usando os mísseis antiaéreos e o canhão, etc.)

Waldir Fares Filho
Visitante
Waldir Fares Filho

Muito obrigado pelo esclarecimento Bosco!

Waldir Fares Filho
Visitante
Waldir Fares Filho

Já um submarino, que possui 6 ou 8 tubos lançadores, pode ser remuniciado após o disparo de um torpedo ou míssil certo ? Me lembro de algo como 18 unidades entre torpedos, minas e mísseis. Me parece que nesse caso um submarino apresenta uma maior capacidade de fogo se comparado a uma corveta contra alvos. Um subnuc alia esse poder de fogo com alta mobilidade e baixa detecção.. por isso apresenta um grande perigo dissuasório no meu ver. Conclusão de observador leigo aqui !

Dalton
Visitante
Dalton

Waldir…no caso do futuro “Riachuelo” normalmente se terá apenas torpedos e mísseis…minas apenas são transportadas em casos especiais e normalmente o número de torpedos será maior, então, das 18 armas, o normal é se ter 12 ou 14 torpedos e 4 ou 6 mísseis. . Depois de lançados os 4/6 mísseis , o submarino também precisará retornar à base para receber novos, da mesma forma se disparar todos os torpedos. . Lembro que o míssil anti navio normalmente não é o único míssil a bordo de uma “corveta”…há também os mísseis anti aéreos que conforme o tipo pode também ser… Read more »

Waldir Fares Filho
Visitante
Waldir Fares Filho

Grato pelos esclarecimentos Dalton !

cipinha
Visitante
cipinha
Luiz Floriano Alves
Visitante

Desde que a China colocou uma espaçonave na face oculta da Lua acredito que atingiram um nível bem acima da época em que seus produtos “soltavam pecinhas”. Agora soltam mísseis e de alta qualidade.

Raul Marcos figueira vilela
Visitante
Raul Marcos figueira vilela

Gostaria de levantar aqui uma questaô referente naô so a compras de oportunidade ou atè mesmo ao feitio de submarinos no nosso pais, o problema e que o nosso pais (digo governo )tem resistencia de comprar ou fazer acordo com orientais . Oque encareçe no ocidente saô os preços exorbitantes que eles pedem para fazer uma fragata, um porta avioês , um porta helicoptero, tudo lá em cima (preço). Sendo que a alguns anos atras a nivel de governo a hiunday , fez uma proposta ao brasil de asumir o AMRJ, atualiza-lo e aumenta-lo para que ele pude-se construir todo… Read more »