Home Marinhas de Guerra Chile pronto para finalizar aquisição de fragatas australianas

Chile pronto para finalizar aquisição de fragatas australianas

10070
178
HMAS Melbourne

O Jane’s noticiou que a Marinha do Chile está pronta para finalizar a aquisição de duas fragatas da classe “Adelaide” (versão australiana da classe OHP dos EUA) até o final de maio.

A HMAS Melbourne e o HMAS Newcastle, construídas na Austrália no início dos anos 90, seriam adquiridas como uma medida provisória para substituir duas das três fragatas construídas pelos holandeses e britânicos atualmente em operação no Chile.

A Melbourne e Newcastle passaram por uma ampla atualização durante a última década, sendo equipadas com novos sistemas de gerenciamento de combate e sistemas antiaéreos, anti-submarinos e anti-superfície.

Elas podem lançar mísseis superfície-ar de médio alcance RIM-66 Standard (SM-2MR) e mísseis RIM-162 ESSM para defesa aérea de longo e médio alcance, bem como mísseis antinavio RGM-84 Harpoon.

Fragata australiana classe Adelaide disparando míssil antiaéreo Standard SM-2

Subscribe
Notify of
guest
178 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JOAO
JOAO
1 ano atrás

Papamos mosca novamente! Tá virando moda.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  JOAO
1 ano atrás

Eu entendo pq “a Marinha não tem interesse em compras de oportunidade”, se bobear até as Tamandarés estão se complicando, pelo menos no prazo já não há mais dúvidas que vai dar zebra!

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  JOAO
1 ano atrás

Não podemos temos, temos 100.000 com altos salários, pensões,… na folha de pagamento e a marinha precisa contratar mais…. Afinal temos 100 barquinhos….

juliano
juliano
Reply to  Top Gun Sea
1 ano atrás

rapaz fala que vc não queria ta nessa folha de pagamento , ninguém trabalha de graça , né , portanto deixa o pessoal receber de boa ou preste um concurso publico para vc ter direito , em todos lugares do mundo se paga salario a militares , o que falta é verba que para aquisição e manutenção , material militar custa caro

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  juliano
1 ano atrás

É senhor Juliano, farinha pouca meu pirão primeiro!

Vovozao
Vovozao
Reply to  JOAO
1 ano atrás

28/05/19 – terça-feira, bdia. João nos não pagamos moscas não, a informação que circulou era que elas foram oferecidas a várias nações; inclusive ao Brasil. Ninguém quis, então a coisa de 3 meses Chile mostrou interesse, foi lá e está fechando negócio, os armamentos/sistemas de armas estão atualizados, seria uma ótima aquisição para a MB, só os cascos são no mínimo 20 anos mais novos que as Niterói’s”.

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  JOAO
1 ano atrás

Otimo para a Marinha nao comprar essas velharias, ja temos as nossas …

A Marinha do Brasil tem que investir em novas fragatas classe Tamandare

teropode
Reply to  JOAO
1 ano atrás

Neste caso acho que não foi papar mosca , o Chile ja estava namorando estás fragatas a mais tempo e o Brasil possui ótimas relações com ele ,, portanto acredito que neste caso o Brasil se absteve por cordialidade, Chile é irmão nosso.

Jorge Knoll
Reply to  teropode
1 ano atrás

-Me desculpa, mas não é com cordialidade não se faz uma Marinha respeitável

Vovozao
Vovozao
Reply to  Jorge Knoll
1 ano atrás

28/05/19 – terça-feira, btarde, Jorge surgiu uma nova informação que os Chilenos também estão negociando com a Holanda a compra de 2 fragatas da classe (M). Vamos ficar de olho.

teropode
Reply to  Jorge Knoll
1 ano atrás

E nem com contigenciamentos.

mendonça
mendonça
Reply to  teropode
1 ano atrás

irmão nosso?
ninguem é irmão de ninguem,é um querendo engolir o outro .

teropode
Reply to  mendonça
1 ano atrás

Que isso gente ? Pelo jeito tá sobrando arrogância e faltando discernimento , uma política de cordialidade com os vizinhos faz bem ,

Thiago
Thiago
Reply to  teropode
1 ano atrás

Irmão nosso ? O Chile ? Tivesse que fazer parceria com algum país da AL consideraria antes Colômbia, Uruguai, Peru, Panamá…
O Chile do meu ponto de vista é pior que os muy Hermanos argentinos. Pelo menos com a Argentina você sabe que não é um país sério, que não vai bem das pernas. O Chile não é para se confiar, não por incapacidade ou falta de seriedade, algo corriqueiro com los hermanos só não tivemos problemas com eles ainda porque não fazem fronteiras conosco graça a Deus, um problema em menos.

JT8D
JT8D
Reply to  Thiago
1 ano atrás

Não entendi o que você tem contra os chilenos. Você falou, falou e não disse nada. Ficou parecendo uma agressão gratuita

Thiago
Thiago
Reply to  JT8D
1 ano atrás

JT8D , por acontecimentos históricos mais notórios como pela posição e atitude de seus cidadãos e instituições com os demais vizinhos permito -me de confiar muito pouco nele. E para ser sincero menciono também a minha má
impressão pessoal com muitos deles que costumam chegar com arrogância e péssimos hábitos nos fóruns, se achando superiores, sem mostrar mínimo de respeito.

JT8D
JT8D
Reply to  Thiago
1 ano atrás

Obrigado pela resposta Thiago. Abs

Glasquis7
Reply to  Thiago
1 ano atrás

Quais acontecimentos históricos do Chile vc tem conhecimento para asseverar a sua afirmação?

Luís Henrique
Luís Henrique
1 ano atrás

Ótimas aquisições.
O Chile terá uma capacidade que a MB não tem, nunca teve e mesmo com as 4 Tamandaré, provavelmente não terá.
Que é a capacidade de defesa antiaérea de área com o SM-2.

O Chile está modernizando as 3 Fragatas Type 23 e adquirindo essas 2 classe Adelaide.
Muito bom.

nonato
nonato
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Essa defesa antiaérea parece ser excelente.
É inconcebível qualquer navio de guerra que não consiga se defender de um caça a 30, 50, 100 km de distância.
Aquela situação da guerra das Malvinas, com caças argentinos sobrevoando navios ingleses é algo inconcebível hoje em dia.
Tiveram muita sorte os argentinos.
Um caça não pode se aproximar demais.
Um navio que não consiga se proteger a grandes distâncias está em sério perigo.
Parabéns ao Chile.
Mas não entendo.
A Argentina dificilmente atacaria pelo mar.
Bolívia não tem mar.
Seria por causa do Peru?

india-mike
india-mike
Reply to  nonato
1 ano atrás

Nonato, não que não seja desejável ter uma defesa aérea de longo alcance, mas os ataques feitos pelos argentinos há quase 40 anos atrás ainda teriam efetividade hoje em dia contra uma defesa dessas. As aeronaves se aproximaram abaixo do horizonte radar da frota inglesa, e como a terra ainda é redonda isso voltaria a acontecer. Os SUE continuariam não aparecendo nos radares e os exocet apenas iriam aparecer a muito curta distância. Ou seja, pra situação das Malvinas, o que realmente revolucionou o combate foi o advento dos CIWS. Quanto às ameaças dos chilenos, eles têm que constantemente mostrar… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  india-mike
1 ano atrás

india-mike, você já sabe disso, mas apenas para complementar o seu comentário. Possuir mísseis de longo alcance E sensores de longo alcance, altera completamente as possibilidades de emprego. Como o caça sabe a posição do navio? Pelo seu radar próprio? ele consegue detectar um navio a + de 100 km? depende do caça. Ele consegue detectar um navio a + de 100 km, voando Baixo? Não. Em algum momento ele vai voar Alto para detectar o navio, a não ser que tenha outra aeronave ou meio de apoio que esta passando dados para ele. Se você tem um radar de… Read more »

Marcelo
Marcelo
Reply to  nonato
1 ano atrás

O Chile é banhado pelo Pacífico, ou seja, região problemática , com China, Austrália,Japão e Estados Unidos.
O comércio chileno se dá por lá e como temos interesses no Atlântico, tal se dá com eles pelo lado de la.

Bosco
Bosco
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Luís,
Cerca de 130 km. E 50 km do ESSM.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Sim Bosco. Algumas fontes citam 167 km de alcance para o SM-2 MR. Melhor que os 120 km do Aster-30. A MB pode conseguir esta capacidade com as Tamandare, caso queira, através do míssil Barak-ER com 150 km de alcance. O custo desse míssil deve ser muito próximo do custo de um Sea Ceptor. Os israelenses podem oferecer um Mix com o Barak-MRAD (35 km) e o Barak-ER (150 km), no lugar de somente Sea Ceptor (25 km). Outro mix possível (utilizado pelas corvetas Meko 100 de Israel) é: Barak-8 (defesa de área) e C-Dome (defesa de ponto). Também é… Read more »

filipe
filipe
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Mas a MB vai ter um SNBR, essa capacidade nenhum desses paises terá Chile+ Australia juntos, a MB téra o mesmo patamar da Royal Navy , da US Navy, ou da Marine Francesa, vai operar um Submarino Nuclear… Apenas 5 paises podem fazer isso, mais a India claro.

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  filipe
1 ano atrás

Um visionário, otimista ou um viajante na maionese.

Juarez
Juarez
Reply to  Top Gun Sea
1 ano atrás

Um habitante de alfa Centauro…….

Ádson
Ádson
Reply to  Juarez
1 ano atrás

um celenita

Ádson
Ádson
Reply to  Ádson
1 ano atrás

ops, selenita

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Incas venuzianos.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Top Gun Sea
1 ano atrás

Maiô …..

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  filipe
1 ano atrás

Me perdoem Top Gun e Juarez, mas então eu sou também um viajante na maionese, um habitante de alfa centauro e vivi em Andrômeda(esta é indicação minha, pois meu sonho de uma Marinha Brasileira potente ainda continua a imperar). Abraços a todos

Juarez
Juarez
Reply to  Saldanha da Gama
1 ano atrás

Bons sonhos, continue, só espero não entrarmos em guerra em ter que trazer você em saco preto e entregar um bandeira para sua esposa

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Não entendeu,

em Setembro mão haverá grana para a Folha de Pagamento, talvez aconteça somente em Novembro…..mas….

Ele não conhece o Mansueto.

João
João
Reply to  filipe
1 ano atrás

kkkk ohhh sonhador! Só vamos ter mais almirantes e oficiais dentistas.

mendonça
mendonça
Reply to  filipe
1 ano atrás

a marinha vai operar submarino ou submarinos nucleares,isso é certo ,mas voce esqueceu de um detalhe:
os paises que voce citou que ja tem submarinos com essa propulsão , possui armas atomicas, com capacidade para disparar inclusive dessas embarcações.
o brasil vai ter somente a embarcação com a propulsão nuclear , mas não a munição…
seria mais o menos assim:
voce tem um revolver ,mas desmuniciado.

Dalton
Dalton
Reply to  mendonça
1 ano atrás

Com atraso, mas, para alguém interessado… . Os submarinos de propulsão nuclear que a marinha brasileira pretende ter serão do tipo “tático” ou de “ataque” como os classe “Virgínia” da US Navy por exemplo que não levam armas atômicas a bordo, apenas torpedos e mísseis de ataque terrestre como o “Tomahawk” e atualmente nem mesmo um míssil anti navio eles embarcam o que se pretende mudar no futuro próximo. . Armas atômicas são embarcadas apenas nos muito maiores submarinos “estratégicos” cuja única função é a dissuasão nuclear, já que não servem para mais nada, não interagem com unidades de superfície,… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  filipe
1 ano atrás

QSA Filipe

Qual seu QTH ?

Está no QTO ?

Bavarian Lion
Reply to  filipe
1 ano atrás

Eu to morrendo de rir aqui.

Charles Dickens
Charles Dickens
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

A Bolsonavy vem aí. Não percam, aguardem!

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Charles Dickens
1 ano atrás

Isso fia-te na virgem e não corras! O que é certo . é que o Chile se vai safando, apesar do pouco dinheiro que têm. Penso mesmo que terá a maior força naval da America Latina, por muitos e bons anos, e veja-se só a visão que demonstram, uma esquadra tendêncialmente padronizada e com elevados níveis de preocupação com a manutenção e atualização da mesma quase, em tempo real. Penso que para o vizinhos que têm, é mais do que suficiente. Pena é que o Brasil continuo a ver os navios passar, ainda para mais, sendo ainda a 8º maior… Read more »

mendonça
mendonça
Reply to  Vitor Silva
1 ano atrás

o brasil pelo seu tamanho ,população,riquezas naturais,economia etc..
tinha que ter pelo menos armas nucleares,ai não precisaria de muitos navios ,tanques e grande efetivo militar .
pois qualquer outro pais sabendo disso iria pensar bastante se valeria a pena procurar caso .

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  mendonça
1 ano atrás

Então e a busca e fiscalização da ZEE, não é necessario? E participar em operações de paz, também não é necessario? E ter umas forças armadas, de duplo uso, que tal?
As vezes penso que dar um passo maior do que a perna, não é bom. E combater as mordomia nas FA, que tal?

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Charles Dickens
1 ano atrás

Kkk, 😆😆😆, lol lol, lol…

teropode
Reply to  Charles Dickens
1 ano atrás

Quem desdenha quer comprar .

Charles Dickens
Charles Dickens
Reply to  Charles Dickens
1 ano atrás

O que seria a Bolsonavy? Uma esquadra formada por lixo comprado dos americanos, a preço de ouro, para agradar o Trump que, em troca, não daria nada para o Brasil.

Juarez
Juarez
Reply to  Charles Dickens
1 ano atrás

Posso te dizer o que não será: Não serão 50Helicopteros cheios de problemas e restrições, enfiados goela abaixo,custando mais caro que um com DNA militar e que naocumprem a missão. Não serão 12 M 2000 enfiados goela abaixo para o Babalorixá de Garanhuns se locupletar e agradar seu amante francês. Não serão quatro submarinos comprados a peso de ouro em um contrato super faturado entregue a uma empreiteira que sequer construiu um escaler até hoje Não serão quatro Tracker com 60 anos nas costas retrofitafos a preço platina plus para operarem a bordo do Navio aeródromo BNS ‘Delirius”….. Não sera… Read more »

Neves João
Neves João
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Tem toda razão, Juarez, e digo mais, a MB é a pior das forças nos negócios, só fez c*gada até hoje, infelizmente é tudo verdade, fizemos péssimas escolhas, enquanto isso o Chile fica com a OHP q muita gente aqui disse q não servia para o Brasil por ser cara a manutenção. Os mesmo que dizem q o Abrams não roda nas estradas brasileiras e por aí vai…

Claudio Luiz
Claudio Luiz
Reply to  Neves João
1 ano atrás

Rodar ele roda, só que leva a pavimentação BR junto com ele.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Onde assino ?

Victor Carvalho
Victor Carvalho
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

O Brasil tem outras prioridades além da simples compra, que é o desenvolvimento da habilidade de projetar e construir, se possível com fornecedores nacionais. Isso o Chile nem sonha, por isso fica fácil sair comprando mundo afora. O Brasil está certo em investir no projeto das Tamandarés. Podem ter certeza que o almirantado chileno inveja muito mais a MB pelo Prosub e pelas Tamandarés do que o contrário.

ADRIANO LUCHIARI
ADRIANO LUCHIARI
Reply to  Victor Carvalho
1 ano atrás

Já se tentou isso desde a época da construção das Niterói, dos Tupi/Tikuna…e olhe o estado atual da Esquadra após 50 anos de tentativas!

Adriano Luchiari
Adriano Luchiari
Reply to  ADRIANO LUCHIARI
1 ano atrás

Me esqueci de incluir as Macaé…

Glasquis 7
Reply to  Victor Carvalho
1 ano atrás

Só pro senhor ficar pensando está noite, o Chile constrói NaPaONaPaOc de 1700 Ton. Coisa que o Brasil apenas delira algum dia fazer. Ainda com desenvolvimento nacional de fornecedores.
Como disse o “mestre da realidade inequivoca” Juarez…. Mais um que vem de Alfa Centauro achando que só o Brasil consegue construir.

Acaba dee ser anunciado que o Chile, através dos estaleiros nacionais A AMAR, TEM HOJE plena capacidade de construir a totalidade dos médios de superfície que a ARCh precisa.

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Victor Carvalho
1 ano atrás

Concordo mas a maior prioridade das FA no Brasil é manter os privilégios as aposentadorias e os centendas de milhares de funcionários públicos mamando no bolso do contribuinte. Essa é a prioridade máxima.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Construídas nos anos 90, e que passaram por atualizações na última década.
Parece ser uma compra de oportunidade tão boa pra eles, quanto o Atlântico foi pro Brasil.
Que esses navios sirvam bem ao Chile.

Henrique de Freitas
Henrique de Freitas
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Verdade Willber, o que acho interessante nessa historia é o fato de sobrar mais espaço junto as baixas da Royal Navy para a MB. A marinha chilena queimou o respectivo cartuxo. Abrs

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Henrique de Freitas
1 ano atrás

o que acho interessante nessa historia é o fato de sobrar mais espaço junto as baixas da Royal Navy para a MB. ´´
O problema é justamente a MB ter que contar com isso pra poder se reequipar.
O Reino Unido está passando pelo Brexit e suas FA´s, mesmo com o comissionamento de 2 NaE e compra de F-35, vem passando por cortes. É muito provável que os navios que seriam descomissionados tenham sua vida útil esticada em mais alguns anos. Sobre as sobras´´ da Royal Navy pra MB, seria ótimo, mas não é algo com o qual eu contaria.

Glasquis 7
Reply to  Henrique de Freitas
1 ano atrás

Queimou nada, ainda comprará pelo menos 2 Type 23 e se der, 2 Halifax.

Glasquis7
1 ano atrás

“seriam adquiridas como uma medida provisória para substituir duas das três fragatas…”

Isso é uma medida provisória que eleva as capacidades da ARCh a um patamar nunca visto na região. Isso por que o Chile já conta com a maior capacidade de defesa aérea de zona.
Sem muito alarde e em prazos relativamente curtos.

Vamos ver se realmente o Chile compra estas Fragatas.

india-mike
india-mike
1 ano atrás

Bela aquisição do Chile.
A diferença de idade dos cascos nem é tão grande (32>26 anos) mas permitirá aposentar as 2 fragatas de defesa aérea classe L com amplos ganhos:
SM-1>SM-2;
Sea Sparrow>ESSM;
Nenhuma facilidade de aviação>hangar e convoo pra duas AVN;
4 turbinas de 2 modelos diferentes para um arranjo lo-hi (fora de linha e idênticos ao das Greenhalgh) > 2 turbinas LM2500 amplamente disponíveis;
>suite eletrônica completamente atualizada

Rudi -* PY3TO
Rudi -* PY3TO
Reply to  india-mike
1 ano atrás

Esses navios só não serve para a MB…não temos marinheiros suficientes para a tripulação dos navios.!

Paulo
Paulo
Reply to  Rudi -* PY3TO
1 ano atrás

Como não?! a MB tem 344 oficiais dentistas. Só ai da uma tripulação.

Fernando Turatti
Reply to  Paulo
1 ano atrás

A tripulação com os mais belos sorrisos de todo o planeta, certamente!

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Paulo
1 ano atrás

Marinha quer otimizar irá comprar navios para colocar 700 oficiais. Temos 100 mil para embarcar, os navios serão gigantesco aí reduz custos. ..

Roberto luiz
1 ano atrás

Esses nossos militares do pensam em deixar as pensões para filha solteira. São uns inúteis

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Roberto luiz
1 ano atrás

Temos que sermos otimistas e vibrarmos muito para que o Chile consiga mais essa grande aquisição de navios de guerra, pois podemos precisar de negar a presença nas águas da zona exclusiva econômica do atlantico e o Chile pode fazer isso por nós afinal, eles têm navios de guerra de ponta e nós podemos seder os marinheiros, fuzileiros, barrigudinhos, containeres de camarão, pistaxe e uísque…. Enfim uma ação em conjunta para que o Chile possa defender a soberania das aguas juridicionais brasileiras…

José Carlos
José Carlos
Reply to  Roberto luiz
1 ano atrás

Não temos forças armadas. Temos parque de diversões pra 400k sócios e suas filhas. Deveriam concorrer com o Beto Carreiro word

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Roberto luiz
1 ano atrás

Olha falou tudo….estão mais preocupados em perder a tétano da reforma da previdência que com a segurança do brasil

Vovozao
Vovozao
1 ano atrás

28/05/19 – bdia, terça-feira, senhores, Adelaides não servem para a MB, elas derivam das OHP, são turbinas (consomem muito), com um consumo alto de combustível teria que diminuir o consumo de champanhe, caviar, lagosta, e para que precisamos de Adelaides se possuímos as modernas Niterói’s”, fazer um investimento deste porte por duas fragatas ultrapassadas, não nós somos a Marinha do Brasil, estamos construindo 4 navios de escolta que não sabemos quando serão comissionados. Temos nossas dicas lotados de fragatas (paradas) e vamos em frente, cada dia pior, quando fazemos uma operação junto aos nossos Campos de petróleo, vira notícia, quando… Read more »

Gelson
Gelson
Reply to  Vovozao
1 ano atrás

Com efeito, a próxima operação da MB no litoral carioca provavelmente vai ser chamada de REMENDEX!

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Gelson
1 ano atrás

Não. Se chamará FILHASOLTEIRAEX

art
art
Reply to  Joao Moita Jr
1 ano atrás

Desde 2000, não existe mais essa de “filha solteira” vira a ficha…As que ainda existem são direito adquirido.

Merlin
Merlin
Reply to  Vovozao
1 ano atrás

Vovozao está “corta clima” dos sonhadores de plantão. E concordo. É complicado alegar “alto de combustível” relacionando ao custo de uso. Para isto bastaria cortar os insumos apontados (champanhe, caviar e lagosta). Deviam ter relacionado então ao alcance da embarcação. Mas aí o argumento ia por água abaixo. Afinal, são 8.300 km de alcance. Agora, fazendo um comparativo de defesa antiaérea destas embarcações com a classe Tamandaré, como bem observou o @Luiz Henrique poucos comentários atrás: * Classe Adelaide (OHP): defesa para alvos a até 160 km. * Classe Tamandaré: defesa para alvos a até 25 km (com possível capacidade… Read more »

Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

“Se” e somente se, rolasse uma modernização top nas nossas menos piores fragatas ou se comprássemos as tais OHP’s do tio Trump e modernizássemos até seria menor a dor de ver o Chile cavalgando num alazão com sua marinha de superfície enquanto vamos de pangarés mas…….

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Tomara, queira papai do céu , que ao menos já no meio da construção das Tamandaré’s se encomende mais 4 ou 6 pois ai sim ficaremos bem melhor e não se pode esquecer de umas 20 pra mais Napa 500 br pra anteontem.rs

Kemen
Kemen
1 ano atrás

O Chile não vai ficar muitos anos com essas fragatas, são fragatas provisórias para um período, eles dispõe dos impostos do cobre que são destinados as FA´s, mas só compram de segunda mão. Na minha opinião, nossa marinha deve pensar em fragatas novas assim como as corvetas e os submarinos, navios com função de combate e escolta comprados de segunda mão, sempre apresentam problemas e a manutenção sai cara.

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Kemen
1 ano atrás

sso meu caro é no mundo de faz de contas de Alice no país das maravilhas mas sempre aparece o vilão chamado contigenciamento e engavetamento . Por isso não podemos peder as compras de oportunidades que é fácil, real, certo e mais rápido que o vilão da contigenciamento.

Juarez
Juarez
Reply to  Kemen
1 ano atrás

O problema da MB não e pensar, pensar eles pensam, os problemas são dois:
O primeiro e executar e o segundo, o mais crítico e concluir……

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Terceirização desses dois itens:

Israel.

Juarez
Juarez
Reply to  Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Carlos, o problema e que não existe mais vida inteligente na reino Guanabara Bay, somente uma combinação de delírios ufanisticos com torpor alucinogeno

cesar
cesar
1 ano atrás

Não precisamos desses navios, temos outras prioridades como: aumento de pessoal no quadro da marinha, bem como aumento de salário para os almirantes e benefícios eternos para seus dependentes “viva a maior marinha em terra do planeta”.

Pedro
Pedro
1 ano atrás

Enquanto isso nossas viuvinhas e filhinhas de almirantes estao com suas pensoes pagas em dia! E nosso SSN? Esta igual a nosso Gripen, so para um futuro nao muito perto…..
Mas, depois de destilar o veneno vamos ser sinceros: precisaremos de uma ou duas decadas para limpar a Marinha e demais FAs das M….feitas pelo Sociologo, pelo Sindicalista, pela Estocadora de vento e pelo dracula.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Pedro
1 ano atrás

E vc esqueceu que tem um troço ,que deve ser pior que o nine fingers mil vezes ,aqui em BH que tem as costas mais quentes que tudo, nem o Drácula se equiparou ao Aéeeeeeeeecio.rs

Juarez
Juarez
Reply to  Pedro
1 ano atrás

Pedro, quanto otimismo, vai levar um quarto de s ciclo para limpar aquele “mundo encantado da Guanabara”…

Sergio Cozini
Sergio Cozini
1 ano atrás

Acredito que o Brasil pelo força industrial e econômica, tem capacidade de construir suas próprias fragatas, assim como estamos fazendo com os Gripens, gerando empregos e domínio tecnológico… Porem estamos muitos defasados tecnologicamente e quantitativamente… Deveríamos ter comprados essas enquanto construímos as tamandarés… O problema é o dim dim!!!! Gastar dinheiro de defesa com viúvas leva a nação ao declínio.

Glasquis 7
Reply to  Sergio Cozini
1 ano atrás

Não, O Brasil tem negligenciado as suas capacidades vê construção e por isso Hoje, apenas conseguiria construir navios de até 500 Ton.

Glasquis 7
Reply to  Sergio Cozini
1 ano atrás

Não, não tem. Teve, algum dia mas, negligenciou a capacidade de construir a tal ponto que hoje só consegue construir navios de 500 Ton

Jorge Knoll
1 ano atrás

A MB NÃO TEM CONSERTO!
O cavalo passa encilhado e nada de montarmos.
Há tempo que o Comando da Marinha Brasileiro deixa a desejar.Almirantado fajuto.
E nós, brasileiros, marujos pagando o pato pelo despreparo dos seus Comandantes.

Leonel Testa
Leonel Testa
1 ano atrás

Discordo totalmente vamos parar com essa historia de cada vez que alguem compra algum navio usado achamos que serviriam ao Brasil temos que focar nas nossas prioridades a nao ser um caso muito especial como o Atlantico . Concordo que deveriam ser pelo menos umas 6 tamandares e sempre digo no minimo 48 F39 , mas ficar atras de navios quase tao velhos como os nossos e jogar mais dinheiro fora , nunca sairemos desse circulo nas escoltas e navios patrulha temos que ter navios novos .

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Leonel Testa
1 ano atrás

Alice!?[….]

Juarez
Juarez
Reply to  Top Gun Sea
1 ano atrás

Não, e um Klingow perdido na galáxia.

Juarez
Juarez
Reply to  Leonel Testa
1 ano atrás

Em breve tu não terá mais está preocupação de compra de navios de ocasião, pois não teremos mais navios escolta.

J L
J L
Reply to  Leonel Testa
1 ano atrás

Todos nós gostaríamos de saber que a MB estaria assinando contrato para construção de navios novos 0 bala, porém quando isso ocorre, vem o tal do contingenciamento, e alargamento do prazo de conclusão e diminuição da quantidade pretendida originalmente, para caber no orçamento do que sobra. Ou seja, planejar fabricar leva muito tempo e nem sempre chega-se a quantidade prevista, e compras de oportunidade, vai lá e adquiri paga-se financiado e pronto.

Esteves
Esteves
Reply to  Leonel Testa
1 ano atrás

Temos. Vamos pular até conseguir. Acho que tem uma simpatia pra isso.

– Seu pirlilim, seu pirlilim. Trás esse navio pra mim.

Vai pulando até o navio novo chegar.

Davi
Davi
1 ano atrás

Mês passado o caldo engrossou com a Venezuela e se precisássemos mandar alguns navios para defesa das nossas águas?
Acho que daria tempo das belonaves chilenas virem nos socorrer!

Thiago
Thiago
Reply to  Davi
1 ano atrás

É mais provável o Tio Sam , o Uruguai, a Colômbia…mas não apostaria um real que fosse nesse socorro do chileno.

JT8D
JT8D
Reply to  Thiago
1 ano atrás

Mesmo porque eles estão no Pacífico e nós no Atlântico

Esteves
Esteves
Reply to  JT8D
1 ano atrás

O pessoal esquece disso. Pensam que o Chile fica depois de Santa Catarina.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Davi
1 ano atrás

Se o Brasil vai até a Síria, então até a Venezuela é Moleza, a Venezuela praticamente não tem mais Marinha, é ir chutar cachorro morto, mas digamos que nosso inimigo fosse a Colômbia ou Chile aí estaríamos lascados.

Leopoldo
1 ano atrás

Brasil faz certo em não adquirir esses navios, com dinheiro dessas aquisições será melhor utilizados em construções de novos navios que terão uma vida útil de 30 ou mais anos, já estamos com programa de submarinos em andamento apesar dos atrasos e já com programa da classe tamandaré já definida o consórcio. Não vejo sentido em aquisição de oportunidade. O maior desafio para a Marinha Brasileira será os contingenciamentos no orçamento.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Leopoldo
1 ano atrás

Perdemos a oportunidade de equipar a nossa frota (?) com barcos testados e muito resistentes. O prazo de incorporação é muito importante. A defasagem técnica e operacional de um barco usado é compensado pelo fato de entrar em serviço em cuto tempo. Essa de utilizar turbina na propulsão não é caso de se levar em consideração para fins militares. A Marinha do Chile não faria um mau negócio.

Leopoldo
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

Dentro das necessidades chilenas eu vejo a aquisição como boa oportunidade, mais quanto a realidade da marinha brasileira entendo que o melhor caminho será a construção da classe Tamandaré e continuidade do PROSUB, só temos um grande problema! os contingenciamentos….

Esteves
Esteves
Reply to  Leopoldo
1 ano atrás

Contigenciamentos faz parte do jogo. Se o governo não arrecada e o país não poupa, não há para pagar todas as despesas que se imaginou no ano anterior. Tentamos viver com dinheiro emprestado. Não deu certo. Tentamos viver vendendo títulos. Não deu certo. Tentamos crescer com crédito sem lastro (ativos). Não deu. Tentamos até sonegação e desoneração. Piorou. Quem sabe a gente aprende a viver com o dinheiro que ganhamos. É difícil. Tem uma cena do filme O Pianista. Os meninos encontram 1 caramelo. 1 bala. Levam o doce até o rabino para que ele decida qual deles deve ganhar.… Read more »

Juarez
Juarez
Reply to  Leopoldo
1 ano atrás

Cidadão, com ou sem contingência amente vão se lá uns boa dez anos para termos pelo menos duas Tamandares operacionais e até lá Gururu, Amazonas Mururus

Maurício.
Maurício.
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Juarez, levando em conta o histórico da corveta Barroso, eu acho que tu está sendo até que otimista.

Juarez
Juarez
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

Maurício, S vezes eu tenho umas recaidas mas logo volto a realidade.

Eduardo
Eduardo
Reply to  Leopoldo
1 ano atrás

Depende. O Wave tende a ser uma ótima compra de oportunidade, a MB não deveria desperdiçá-la.

J L
J L
Reply to  Leopoldo
1 ano atrás

Justamente o problema é exatamente esse. Os planos existem, mas o contingenciamento está sempre travando qualquer tipo de planejamento à longo prazo. Aí só no resta ir tapando os buracos com as compras de oportunidades, e que agora estão escassas, pois repor uma unidade hoje é muito caro, com isso prolonga-se à vida útil até o possível. O que sobra de material bom é disputado à tapa.

Esteves
Esteves
Reply to  J L
1 ano atrás

O problema é meu. Se eu não quero o problema enfio na gaveta. O país precisa de reformas. Contigenciamento significa gastar o que se têm.

Planejar sem ter como pagar ou planejar sabendo que não haverá como fazer é esquizofrenia. E ela demora passar.

pgusmao
pgusmao
1 ano atrás

A situação orçamentária é uma piada no Brasil, dos mais de R$ 100 bilhões, em 2018, repassados ao Ministério da Defesa, mais de 80% foi para pagar ativos, inativos e encargos sociais, sendo que o orçamento só cresce, pois em 2013 eram R$ 69,7 bilhões e
em 2017 fomos para R$ 92,2 bilhões. Não há dinheiro que chegue, não sobra para investimentos, mesmo tendo um orçamento entre os 15 maiores do mundo para defesa. Será que não tem algo errado na gerência das finanças???

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  pgusmao
1 ano atrás

E verdade meu caro! Estamos entre o sétimo maior orçamento de defesa do planeta. É quase certo que iremos perder os Kosters caçaminas suecos e o Wave por que o Alte comandante se não pode ter uma BMW série 7, um cruiser GM seminovo não pode.

Esteves
Esteves
Reply to  Top Gun Sea
1 ano atrás

Medir o resultado pelo tamanho do orçamento ou comparar com os resultados de outros tem sido cansativo. Parece coisa da raposa com as uvas.

Precisamos recuar os custos. Apresentar resultados iguais aos países da OTAN. Despesas máximas de 60% no orçamento. Investir 30% triplicando o que se faz hoje.

Como? Só se trocar medalhão de lagosta por contrafilé.

Esteves
Esteves
Reply to  pgusmao
1 ano atrás

Não é na gerência. É na estrutura. 80% despesa com gente, 10% a 15% despesa com manutenções, operações, conservações. Não sobra.

No papel, o ideal é comprar navio novo. Empurra a despesa com manutenções. Mas o custo inicial é proibitivo. Então compra navio velho e leva por uns 10 anos.

Pode montar aqui (PROSUB e Tamandarés). Tudo que se faz aqui fica muito mais caro que feito fora. E não aprendemos quase nada…ou o tempo passa e quando aprendemos o mundo virou outro.

Larri Gonçalves
Larri Gonçalves
1 ano atrás

Durante meses citei essas fragatas Australianas como opção de compra de oportunidade, mas parece que a MB sofre de alguma letargia e aí vão os Chilenos e compram as belonaves, depois tem gente que diz olha consomem de mais, pois tem turbinas e não motor diesel e por aí vai, acredito que a Marinha Chilena não se importa com isso e acaba comprando.

Kemen
Kemen
Reply to  Larri Gonçalves
1 ano atrás

Compras de oportunidade que podem ser interessantes.
– Encomendas de navios novos, já construidos cuja compra no final foi cancelada. Classe Amazonas
– Navios em meia vida, substituidos por outros novos devido a necessidade de uma marinha ter um novo de maior poder e capacidade, que também cobre as suas funcionalidades. Atlântico
Compras de oportunidade que não são interessantes.
– Navios substituidos pela sua obsolescencia que geram grandes despesas de manutenção, reformas ou modernizações. A-12 São Paulo
Geralmente navios próximos a sua desativação, pouco navegam e a sua manutenção é relegada a segundo plano.

Maurício.
Maurício.
1 ano atrás

Essa fragata está para o naval assim como o F-20 está para o aéreo…

Merlin
Merlin
1 ano atrás

Apenas para enfatizar a perda do negócio, estou incluindo alguns links daqui mesmo para dar uma noção da modernização possível dessas embarcações. Na época tinham sido questionada a compra por existirem embarcações mais interessantes, o que não ficou comprovado. O custo estimado a ser pago, por cada embarcação, é de 800 milhões. Segundo os artigos, sem armas. Se formos levar em consideração o atual estado de nossa armada, que é emergencial e já conta com futuras embarcações que anda não saíram do papel, acredito que deveriam sim ser levadas em conta. Inclusive as que estão no “patio” americano. Não dá… Read more »

Glasquis 7
Reply to  Merlin
1 ano atrás

Não sei d onde vc tira esses numeros mas acho que são apenas 420 milhões de coletas cada e com a totalidade dos seus armamentos e ate sobressalentes

Juarez
Juarez
Reply to  Glasquis 7
1 ano atrás

Olá Glasquis 7 , eu li na Janes que o valor de cada uma estava ao redor de 230 milhões euros, ou seja 460 milhões de euros pelas duas.
Um bom negócio para vocês, aproveitem, são navios de combate de verdade.

Glasquis 7
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Grande mestre Juarez! Sua eloquência não deixa lugar para dúvidas nem questionamentos.
Mesmo assim, acho uma super compra. Uma “solução provisória”. O Chile consegue numa compra de oportunidades dois navios que estão muito acima dos seus vizinhos. Melhores (ao meu ver) ainda que as próprias Type 23.
Vai ter um monte me.danfo voto negativo KKK

Merlin
Merlin
Reply to  Glasquis 7
1 ano atrás

Glasquis.
Você está certo. O custo é este para cada embarcação.

Mazzeo
Mazzeo
Reply to  Merlin
1 ano atrás

Merlin, suponho que você tenha se equivocado. As OHP da Austrália são modernizadas, com ESSM, os lançador Mk41 atualizado para o SM-2, Towed array, etc … são excelentes barcos, e ainda operam, não necessitam de nenhuma reforma para operar 100%. Certamente vem com sobressalentes pois são as ultimas no inventário Aussie, certamente com SM-2. São bons meios, a desculpa imagino que seja: -Preço (gastamos no Atlântico e vamos guardar pra quando vier o Wave Ruler) -Custos de manutenção (ai tbem os gastos em operar essa maquina, estoques de SM-2, Harpoons, Combustivel pra duas LM-2500 e por ai vai) É uma… Read more »

Merlin
Merlin
Reply to  Mazzeo
1 ano atrás

Entendo Mazzeo.
Quando foi sugerido o preço de R$ 800 milhões pelas duas embarcações, acredito que a questão “sem armas” (como veiculado na matéria do link que postei acima) tenha como efeito apenas o desejo de aumentar o valor em uma negociação.
Também acredito que não seriam oferecidas sem as armas. Mas não existe consenso nas informações relacionadas aos valores e termos de negociação nos sites do meio.
E talvez o site Defensa.com (fonte original) tenha se confundido com as OHP americanas que, estas sim, tiveram seu armamento original removido para aproveitamento em outros navios.

Merlin
Merlin
Reply to  Merlin
1 ano atrás

Realmente, o custo de 800 milhões de reais é para as duas embarcações e não para cada.
Segundo uma notícia vinculada aqui mesmo no poder naval, sem armamentos: https://www.naval.com.br/blog/2019/02/21/armada-do-chile-interessada-nas-fragatas-classe-adelaide/

Ricardo
Ricardo
1 ano atrás

O Chile consegue, de novo!

Marcelo R
Marcelo R
1 ano atrás

Estão todos reclamando que não vamos comprar as “Adelaides”… Que a MB já é uma guarda costeira… Que só tem velharias… Que a esquadra ficou sem manutenção durante 30 anos….Que vem ai a ” Bolsonavy”… Mas na realidade teremos um submarino nuclear, mas não sabemos quando esse troço vai ficar pronto né…2080; 2150, sei la entende… Quando ficar pronto esse submarino nuclear brasileiro a US NAVY já está de Espaço Nave com velocidade por “dobra espacial” armado com torpedos fotonicos….Mas escrevendo serio agora …. Isso e o resultado de uma administração voltada para interesses em porta avioes São Paulo’s da… Read more »

Nilson
Nilson
1 ano atrás

É o pragmatismo das Forças Armadas do Chile. O planejamento deles é ter 8 fragatas, 2 delas para defesa antiaérea. Para 2020 ou logo após, é prevista a desativação de duas. Não há ainda fragata em construção, pois o projeto deles de construção ainda está bem embrionário, é para depois da construção do quebra-gelos. Então, procura-se no mercado a melhor opção de compra de oportunidade, para resolver o problema, quanto mais o navio durar, melhor. Simples assim… Em outra oportunidade, argumentei que do ponto de vista financeiro tanto faz ser novo ou usado. No novo, gasta-se mais no início para… Read more »

Andrigo
Andrigo
1 ano atrás

Qual seria a expectativa de uso destas fragatas, mais uns 10 ou 15 anos? Vale a pena se não for a preço de banana?

Nilson
Nilson
Reply to  Andrigo
1 ano atrás

Se uma fragata nova custar 650 milhões de dólares mais uns 150 milhões para modernização de meia vida, são 800 milhões de dólares para 40 anos, ou seja, custo de 20 milhões por ano. Assim, numa conta de padaria, se a fragata usada custar 200 milhões para dez anos, o custo anual fica igual.

Oséias
Oséias
1 ano atrás

Choradeira danada. Será que os chilenos também ficaram neste viralatismo todo quando compramos o Atlantico e o Bahia?

Juarez
Juarez
Reply to  Oséias
1 ano atrás

Não, eles bateram palmas, porque sabem e conhecem uma coisa chamada realidade operacional, diferente dos habitantes do “reino de Pasargara”, que vivem em permanente torpor alucinogeno.

Glasquis 7
Reply to  Oséias
1 ano atrás

O Chile não tem necessidade de um navio aeródromo, seja para aeronaves de asa rotativa ou fixa. Além do mais, o orçamento militar chileno é menos do 10% do brasileiro. Operar um Navio como o Atlântico significaria arriscar a capacidade econômica e funcional da ARCH.
Já sobre o Bahia, o Chile opera o Sargento Aldea, “irmão gêmeo do Bahia” desde muito antes que o Brasil.

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Oséias
1 ano atrás

São realidades e necessidades oportunas diferentes porém, a MB não se pode se dá ao luxo de deixar passar raras oportunidades.

Parabellum
Parabellum
1 ano atrás

Quem não consegue projetar e construir seus modelos próprios tem que se contentar com rejeitos dos outros países ( e ainda pagar por isso ). Agora atingimos outro patamar.

Juarez
Juarez
Reply to  Parabellum
1 ano atrás

O único patamar que atingimos foi o de”dobrar a meta para ensacar vento”.
Nos não projetamos coisa alguma nos últimos 30 anos, apenas replicamos torto, cabrado e errado.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Parabellum
1 ano atrás

Esse outro patamar é pagar mais caro para virem produzir no Brasil, mas na realidade os submarinos são franceses, os caças suecos e as corvetas alemãs. Mesmo esquema do AMX e nunca entendi qual foi a grande vantagem.

Joao Carlos
Joao Carlos
Reply to  Parabellum
1 ano atrás

Parabellum, Acho que você não entendeu nada…

Glasquis 7
Reply to  Parabellum
1 ano atrás

“Quem nao consegue projetar e construir os seus modelos proprios …”

Nossa meu, vc não “manja” muito sobre o assunto né?
O Brasil se permitiu abandonar as suas capacidades construtivas a tal ponto que hoje os estaleiros da Marinha não comportam a construção de navios maiores do que 500 t.
Países como a Colômbia, Peru É o próprio Chile, na atualidade, constroem em estaleiros nacionais, navios acima de 1.700 r.

JACUBÃO
JACUBÃO
1 ano atrás

Senhores nossa Marinha vem agonizando a décadas; A último projeto realmente ambicioso foi a 40 anos com a aquisição das MK 10; De lá para cá foi só compra de oportunidade e foram adquiridos navios USADOS; Garcia CLASS e batch I. As MK 10 navegam ao custo de muito trabalho e a grana oriunda da FTM; Vamos usar esses navios até acontecer uma avaria muito séria; O Próprio NE BRASIL faz um PM mela cueca todo ano e parte para mais uma viagem e instrução; Claro até ele afundar no meio do atlântico ou quebrar em algum porto da europa;… Read more »

JT8D
JT8D
1 ano atrás

Deixa os chilenos pra lá, eles estão em outro nível. Eles tem uma marinha melhor que a nossa? Sim, e daí? Qual a novidade? Eles também tem uma força aérea melhor do que a nossa, uma economia melhor do que a nossa, um governo melhor do que o nosso e um povo melhor do que o nosso

JT8D
JT8D
Reply to  JT8D
1 ano atrás

Na verdade eu não quis dizer “um povo melhor do que o nosso” e sim “um povo mais educado que o nosso”. O que, infelizmente não é difícil, porque poucos países do mundo tem uma educação pior que a nossa

Esteves
Esteves
Reply to  JT8D
1 ano atrás

O Brasil ocupa a 79a posição no IDH mundial. O Chile com problemas parecidos com os nossos (corrupção, exportações de bens não renováveis, atraso tecnológico) ocupa a 44a.

A gente torce. Fica na expectativa. Imagina um outro país. Elogia às vezes. Faz críticas e reclamações porque gostaria que a realidade fosse outra.

A Venezuelana ocupa a 78a.

Estamos em junho. 5 meses se passaram. A República Parlamentarista Presidencialista Justicialista ainda não começou 2019. Nesses 6 meses a China construiu mais 1 navio.

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Brasileiro não sabe o que quer.
Há um tempinho todo mundo aqui dizia que OHP era velharia, não prestava… agora que o Chile comprou, é um chororô, mymymy, dor de cotovelo. Dá um tempo.
Enquanto isso os FCN adernando atracados, contingenciamento…

PauloOsk
PauloOsk
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Os mesmos que falam que os Abrams sao velharias, custam caro demais.. etc etc.. bom mesmo eh ficar na m…

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Caro colega que eu me lembre nós aqui do fórum sempre declinamos pelas OHPs da US NAVY por serem mais velhas, estarem no osso e depenadas. Quanto ás australianas atualizadas sempre fomos a favor da aquisição delas.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Quanto U$D ?

PauloOsk
PauloOsk
1 ano atrás

Ate as Tamandares (pelo menos metade delas) entrarem em servico.. vai uns 10/15 anos.. existe alguma outra opcao que seja interessante de navios usados para o Brasil ? So me vem as baixas da royal navy na cabeca.. alguma outra?

Nilson
Nilson
Reply to  PauloOsk
1 ano atrás

Parece que a melhor opção são as Lá Fayette.

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Nilson
1 ano atrás

É! são mais novas e vale a pena brigar por elas porém sem defesa aérea. Mais do mesmo!!

Merlin
Merlin
Reply to  PauloOsk
1 ano atrás

A primeira Tamandaré sai no início de 2024 e a última é entregue no início de 2027.

Nilson
Nilson
Reply to  Merlin
1 ano atrás

Ou seja, se depender apenas das Tamandaré, em 2027 teremos apenas 5 escoltas, as 4 Tamandaré e a Barroso [de 18, já chegamos a 11(9) e tendemos a 5…] . Ou alguma das 6 (4) Niterói, 2 Greenhalgh e 2 (1) Inhaúma durará mais do que 9 anos??

Bardini
Bardini
1 ano atrás
Mauro
Mauro
1 ano atrás

Não vale a pena, vamos ser sinceros, só vejo o Chile comprando material usado. A única compra realmente boa do Chile foram seus dois Scorpenes novos, hoje já defasados em relação aos que o Brasil está construindo mas isso não invalida, pois na época eram os mais modernos, hoje os do Brasil levam boa vantagem, mas repito, isso não diminui seus dois Scorpenes. Agora comprar reiteradamente e de forma metódica, só e apenas material usado não vale a pena, me parece que estão se tornando uma Índia dos mares em termos de logística. Vamos ser sinceros, o Brasil faz melhor… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Mauro, construir aqui ou montar, gerar empregos, desenvolver tecnologias, tudo isso é muito bom e importante. Mas o Chile é bem menor e tem menos dinheiro, muitíssimo menos. O orçamento militar deles é cerca de 10% do nosso. O que o Brasil gasta em 1 ano em Defesa, o Chile demora 10 anos para gastar. O incrível e temos que admitir, é que com toda essa diferença de orçamento, eles possuem muitos equipamentos superiores aos nossos em modernidade, tecnologia, poder militar e ainda conseguem manter uma paridade numérica, ou chegam próximo à isso. Veja: Leo2A1 vs Leo1A5, Scorpene vs 209,… Read more »

Mauro
Mauro
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Sabe qual é a grande vantagem e o nosso mais poderoso meio de combate?? uma coisa chamada “FORÇA BRUTA”… e todos os países sabem disso. Vou te dar um exemplo: O Brasil tem uma população, que se colocar em linha, varre toda a América do Sul, ou de outro modo, o país mais populoso da América do Sul é a Argentina, depois do Brasil, e todo a sua população é menor que a maior torcida de apenas um clube de futebol brasileiro. Você entende o que eu quero dizer com FORÇA BRUTA??? O Brasil ainda dispões de recursos naturais, gigantesca… Read more »

Samuka
Samuka
Reply to  Mauro
1 ano atrás

certo, avisa isso lá pra israel…

Mauro
Mauro
Reply to  Samuka
1 ano atrás

Costa quente deles vem dos EUA. Sozinho eles caem.

Samuka
Samuka
Reply to  Mauro
1 ano atrás

igual cairam em 48, 67 e 73?

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Samuka
1 ano atrás

Perfeito.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Samuka
1 ano atrás

Perfeito.

Glasquis 7
Reply to  Mauro
1 ano atrás

“PELAMORDEDEUS!!!” vcs tem que por este cara como presidente!!!! Olha o quanto ele sabe sobre Guerras. Irônico mode off Amigo, só pra vco pouco conhecimento ti que tem sobre o Chile, não existem Fuzileiros Navais naa suas forças. Segundo, não é apenas a quantidade de gente pra lutar pois com pedras não acjo qie se ganhe uma guerra atualmente. Duvido que a Argentina ou o brasil consiga armar mais do que 10 milhões de soldados e já acho esse número muito improvável. Um soldado bem armado e nem preparado ale por 20 combatentes desarmados. Numa guerra, os soldados só entrariam… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Mauro
1 ano atrás

É claro que isso conta Mauro. Mas um país com uma ‘força bruta’ muito maior como o Brasil deveria ter a OBRIGAÇÃO de possuir equipamentos mais modernos e em quantidades BEM maiores. Com toda nossa ‘força bruta’ sendo a 7a maior economia, 5o maior em população e um território continental, nós conseguimos a proeza de ficar atrás do Chile em diversos equipamentos militares fundamentais, como caças, mbts, fragatas, submarinos, sistemas antiaéreos, etc. Em uma guerra de grande escala nossa economia e população nos dariam a vantagem, mas em uma guerra de curta duração nossas forças estariam em desvantagem tecnológica e… Read more »

Dalton
Dalton
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

O Chile tem “problemas” com o Peru, um país que tem o dobro da população chilena e isso concorre para que o grau de percepção de ameaça seja alto e consequentemente o Chile tem forças armadas à altura e otimizadas para a geografia da região. . Se o Brasil vivesse uma situação semelhante, imaginemos um país vizinho com quatrocentos milhões de habitantes com o qual se teria alguma pendência, com certeza as forças armadas estariam melhor preparadas. . A situação brasileira é invejável, lembra na minha opinião os EUA em 1865 no fim da guerra da secessão, quando observadores europeus… Read more »

Vitor Silva
Vitor Silva
Reply to  Mauro
1 ano atrás

Quer dizer que no Brasil é carne para canhão….nada mais

anselmo
anselmo
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

O Chile está fazendo tramitar no seu Congresso um substitutivo da “Lei Reservada do Cobre”, ver: https://www.elmostrador.cl/destacado/2019/04/12/el-alto-costo-de-eliminar-la-ley-del-cobre/.
Essa lei, ainda em vigor, permite aquisições para as FFAA usando uma verba fora do alcance de contingenciamentos e fora do orçamento autorizado anualmente pelo Congresso.

Glasquis 7
Reply to  anselmo
1 ano atrás

Amigo notícias como essa circulam aqui, própria Trilogia desde tempos imemoriais, mesmo assim, a Lei Reservada do Cobre continua forte e firme.
Isto se deve a que a própria população chilena, tem consciência da importância de ter FFAA bem preparadas e nem equipadas.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  anselmo
1 ano atrás

O mesmo deveria ser feito aqui ?

Glasquis7
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Apenas uma pequena correção, Os tanques Chilenos: 120 Leo 1V (Uma variação do Leo 1 A5 com blindagem especial encomendada pela Holanda) e 200 Leo 2 A4 CHL.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Luís Henrique
1 ano atrás

Gastam melhor, simples assim.

anselmo
anselmo
1 ano atrás

O orçamento da MB não suporta uma frota movida somente a TG LM 2500.

Juarez
Juarez
Reply to  anselmo
1 ano atrás

O orçamento de custeio da MB gerenciado da forma como e, e a marinha mastodonticamente com 80.000 militares, na ativa, 94 almirantes, quatro tipos de escolta com quatro linhas logísticas diferentes, oito tipos diferentes de helicópteros, quatro tipos diferentes de navios anfíbios,mais de duas dezenas de navios quase cinquentenários, um esquadrão de asa fixa de anvs embarcadas sem Porta avioes e por aí vai, e incapaz de suportar uma canoa de alumínio com.motor de Tobata

Luiz Floriano Alves
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Se o orçamento da MB não suporta turbinas a gás que desista de ter navio de guerra moderno. Nem a China, que tinha motores Diesel nos seus barcos está produzindo suas 055 com turbinas. A eficiência das turbinas de regeneração de calor está deixando os Diesel na poeira. Um barco de custo maior será mantido em reserva operacional. Em caso de crise não vamos discutir o custo do abastecimento. O custo maior é não ter a fragata. O Chile está certo.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Reply to  Juarez
1 ano atrás

Popa o melhor motor é o Tohatsu.

Beserra(FN)
1 ano atrás

Peço licença para postar o meu comentário de outra postagem, mas que servirá para quase totalidade dos colegas. …”Tem uma coisa que deve ser deixada bastante clara: A MB escolheu o projeto de navio para a Classe Tamandaré, no entanto, não escolheu o hardware, softwares e sistemas de armas que irão equipar o navio. A própria TKMS tem uma oferta de sistemas um pouco diferente do mínimo estipulado pela MB. Por tanto, Artisan, Sea Ceptor, e etc, são apenas os requisitos mínimos da proposta. Neste instante está em negociação o que irá compor os Sistemas de Gerenciamento de Combate e… Read more »

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Beserra(FN)
1 ano atrás

Bezerra. O AESA da Hendsoldt é ótimo. Avaliem também o israelense. Pelo porte da nossa Meko A100, creio que cabe o radar Israelense para Fragata com 450 km de alcance. Mas caso não seja possível ou por questões de custo tanto o ser a Israelense como o alemão, ambos com cerca de 250 km de alcance são bem melhores que o Artisan. Sobre os mísseis antiaéreos, imagino que se refira ao ESSM. Mas vale a pena conversar com os israelenses. Acredito que já fizeram isso. O mix de Barak e C-dome daria às Tamandaré uma capacidade de defesa antiaérea de… Read more »

Juarez
Juarez
Reply to  Beserra(FN)
1 ano atrás

Bom dia Marinheiro. Realmente, tudo pode acontecer em relação não só ao recheio eletrônico das Tamandares, bem como o armamento de tubo e de canhão. O “pau tá comendo” nos bastidores, e eu não me surpreenderia com uma virada naquilo que parece estar certo.Um radar 4D e top de linha seria um sonho, e a troca do Bofors por um canhão mais efetivo melhor ainda. Quanto a sua “chateação” com relação as críticas a MB, entenda que a maioria aqui paga impostos, ve o tamanho do orçamento, o que sobra para custeio e investimento, compara com outras marinhas e o… Read more »