Home Marinha do Brasil Segundo site, Brasil vai transferir 4 submarinos IKL 209 à Argentina

Segundo site, Brasil vai transferir 4 submarinos IKL 209 à Argentina

18788
332
Submarino Tupi, tipo IKL 209
Submarino Tupi, tipo IKL 209

Por Alexandre Galante

O site argentino Infobae noticiou que entre os acordos bilaterais firmados entre os Presidentes Jair Bolsonaro e Mauricio Macri, está prevista a transferência de submarinos IKL 209/1400 (classe “Tupi”) da Marinha do Brasil à Armada Argentina, visando cobrir a lacuna deixada pelo afundamento do submarino ARA San Juan.

Segundo o site, serão transferidos 4 submarinos em duas etapas, com as duas primeiras unidades partindo ainda este ano. Os submarinos deverão ser reparados no estaleiro argentino Tandanor, antes de entrarem em operação na Armada Argentina.

A primeira notícia sobre a venda de submarinos IKL 209 brasileiros à Argentina foi dada pelo jornalista Roberto Lopes no Poder Naval em 28 de maio de 2018, uma negociação que agora também foi confirmada pelo jornal O Globo.

Nossa equipe está apurando as informações sobre o acordo e no final de semana publicaremos uma matéria mais aprofundada sobre o assunto.

O que podemos adiantar é que a Marinha do Brasil deverá padronizar sua Força de Submarinos nos novos S-BR (Scorpène modificados) de projeto francês, mantendo apenas um submarino de projeto alemão, o Tikuna – S34, que é mais moderno que os primeiros quatro da classe “Tupi”.

Subscribe
Notify of
guest
332 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
tupinambá
tupinambá
11 meses atrás

Parece bastante razoável. Não precisamos de submarinos como meio de dissuasão, nossa costa é pequena e temos muitos submarinos Scorpene para fazer o patrulhamento.

Carlos
Carlos
Reply to  tupinambá
11 meses atrás

Se for uma Boa venda Beleza , pegamos a Grana e Compraremos umas 2 ou 3 Escoltas Semi Novas Bem Armadas , e vamos tocando o Barco até chegar às TAMANDARÉS .
Mas Tem que ser uma boa Venda e receber A grana, sem Falta

Camargoer
Camargoer
Reply to  Carlos
11 meses atrás

Caro Carlos. Mesmo que a transferência fosse de graça (mas acho que cada um deve ser vendido por US$40 a US60 milhões) a MB iria economizar na operação. Caso a MB decidisse manter uma frota de 7 ou 8 submarinos convencionais, isso implicaria em praticamente dobrar o custo de operação, inclusive aumentando o número de tripulações. O objetivo é manter os custos operacionais estáveis, não fazer caixa.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Teria que contratar mais gente né? Afinal, 70 mil militares não são o bastante! Se tirarmos o equivalente a 4×45 militares, quem vai procrastinar em terra?

teropode
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Não entendo , a Marinha deveria trabalhar para uma redução no quadro de oficiais e no quadro de militares que fazem serviços burocráticos, na atualidade com o advento de informatização nada justifica vc ter quase40% do seu quadro real8zando trabalhos burocráticos, afinal temos uma marinha de águas azuis e costeira ou uma marinha de escritório? 5 submarinos com nossa imensa área costeira e nada é quase a mesma coisa .

Camargoer
Camargoer
Reply to  teropode
11 meses atrás

Caro Teroopode. Concordo com você que as forças armadas brasileiras precisam investir em tecnologia e terceirizar atividades secundárias, de tal modo que a fração de gasto com pessoal ativo/inativo seja reduzida, aumentando a fração de gasto de custeio. Já mostrei que o MinDef gasta pouco por militar quando comparado a outras forças armadas de orçamento militar (Austrália, Espanha e Itália, por exemplo) porque a tropa profissional é muito grande (são 270 mil profissionais e 90 mil convocados). Os convocados custam pouco mais de R$ 1 bilhão por ano, ou 3% do gasto com pessoal. Esse problema não pode ser ignorado.… Read more »

Henrique
Henrique
Reply to  teropode
11 meses atrás

E o pior caro “terepode”, um bando de gente em quadros administrativos e vc conta nos dedos quem tem boa vontade pra te ajudar. Capitanias que não resolvem nada e mandam vc pra São Pedro da Aldeia ou Rio porque lá “tem sistema”, em plena era digital. Continuamos na era da “Marinha Imperial Brasileira” com mais almirantes do que navios…

Blind Mans Bluff
Blind Mans Bluff
Reply to  teropode
11 meses atrás

Nao sei, mas acho que o pessoal desconhece a operacao de submarinos. Voces acham que os submarinos ficam ou devem ficar patrulhando cada centimetro de costa a cada instante? Na verdade, no maximo, submarinos sao deslocados a areas especificas para treinamento, operacao sigilosa ou em caso de conflito. Nao ha necessidade de se operar SSKs para patrulhar a costa inteira.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Carlos
11 meses atrás

Partindo do pressuposto de que essa notícia seja mesmo verdadeira;

A Argentina, país que consegue estar mais quebrado do que o Brasil, vai pagar esses submarinos com o QUÊ????
Os caras tiveram que catar moedas pra comprar meia dúzia de Super Etandart, vão pagar 4 subs com o quê? Carne de vaca? Trigo?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Caro Wilber. A Argentina é o terceiro parceiro comercial do Brasil. Uma operação dessas é feita governo-a-governo (os recursos de uma venda dessas vão para o Tesouro. Não ficam a MB). O valor pode ser financiado por um banco brasileiro (por exemplo, o BB. O BNDES seria possível apenas se fosse um Scorpene novo) com condições favoráveis. O financiamento pode até ser pago com moeda local (reais ou pesos) a partir da compensação da balança comercial, o que tem sido feito desde 2009 entre os dois países. Eu fico é surpreso dos dois países serem tão tímidos em relação ao… Read more »

Paulo Olaia
Paulo Olaia
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

A minha parte pode ser em Picanha.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Paulo Olaia
11 meses atrás

Olá Paulo. A minha parte pode ser em malbec.

Arminius
Arminius
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Não sou contra. Se o Brasil não tem como atualizar e manter operando os submarinos, ninguém melhor do que os nossos vizinhos argentinos para recebê-los. O que me deixou com a pulga atrás da orelha é que ontem li uma matéria no UOL dizendo que o Bolsonaro reafirmou o compromisso brasileiro com a soberania argentina sobre as Malvinas etc. Nada contra também. Sou a favor dos direitos dos Kelpers que lá habitam, mas creio que os interesses econômicos da zona marítima ao redor das ilhas deveriam ser compartilhados de alguma forma com os argentinos. O problema que surge é que… Read more »

RENAN
RENAN
Reply to  Carlos
11 meses atrás

Carlos Amigo pelo que entendi os planos do governo é compensação da balança comercial, mais nada. Se entendi direito será 2 submarinos para a Argentina ficar calma e não querer iniciar uma guerra cambial com o Brasil. Visto que é o 3° maior importador de produtos brasileiros. A promessa feita a Argentina é de 4 submarinos mas duvido que será realizada. Acho que inicialmente irá 2 para Argentina compensação da balança comercial, 2 vendidos ao Peru. E provavelmente 2 vendidos ao Chile.( Podemos ter pela primeira vez na história deste país um sucesso de vendas militares da Marinha). Acho bem… Read more »

Glasquis7
Reply to  RENAN
11 meses atrás

O Chile faz suas próprias manutenções, modernizações e up grade nos seus submarinos, sejam eles U209 ou Scorpene. Existe sim a possibilidade do Chile vir comprar 2 Scorpene novos.

Camargoer
Camargoer
Reply to  tupinambá
11 meses atrás

Caro Tupinanbá (poderia ter sido o nome de um sexto IKL similar ao Tikuna). O S30 Tupi foi incorporado em maio/89. Teria uma vida útil de mais 10 anos. O S31 Tamoio é de dez/94, teria portanto mais 15 anos. Nos próximos 5 anos, a MB receberá 4 submarinos novos, tecnologicamente superiores à classe Tupi. Isso significa que a frota de submarinos continuará do mesmo tamanho, o que não implicará em ampliar o número de tripulações. O SN10 nuclear está programado para ser entregue em 2019, daqui 10 anos, quando o Tikuna terá apenas 15 anos, praticamente metade de sua… Read more »

Satirycon
Satirycon
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Balela
Primeiro vc alega redução de custos operacionais para justificar essa venda, e depois advoga em favor do SubNuc na MB, que terá um custo operacional MUITO maior que todos os diesel juntos?
Reveja seus conceitos, pois um pouco de lógica não faz mal

Camargoer
Camargoer
Reply to  Satirycon
11 meses atrás

Caro Satirycon. A MB opera 5 submarinos convencionais (os IKL da classe Tupi). Ela dispõe de tripulação treinada para opera-los. Estão sendo construídos 4 novos Scorpenes que serão entregues nos próximos 5 anos. Se a MB decidir operar os 9 submarinos convencionais, ela terá que organizar e treinar novas tripulações. Caso a MB decida descomissionar um velho Tupi a cada novo SBR que entrar em operação, será possível transferir a tripulação do Tupi para o Scorpene. Considerando que é uma tripulação experiente, será mais simples e rápido treina-la no novo modelo. Portanto temos duas possibilidades. 1) ou a MB substitui… Read more »

Munhoz
Munhoz
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Com 80 mil militares?

Para com isso, isso aí é uma bela de uma lambida 👅 de bota 🥾 com um entreguismo escroto !

Vamos acordar !

J L
J L
Reply to  Satirycon
11 meses atrás

Sem contar o custo de construção de um subnuc, bem mais oneroso na construção e na manutenção. Como foi dito anteriormente, nós não temos quase litoral para vigiar, e ainda querem aumentar a faixa exclusiva em milhões de km, para ser controlada com 4 ou 5 submarinos que não estarão operacionais todos ao mesmo tempo. Poderíamos sim vendendo após a entrega dos 4 scorpènes, a medida que fosse feita a venda entraria a encomenda de um novo, aí sim valeria a pena.

pgusmao
pgusmao
Reply to  tupinambá
11 meses atrás

Adorei as sábias palavras, realmente nossa costa é “pequena” e dispomos de uma considerável frota de “submarinos”.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  pgusmao
11 meses atrás

Onde assino?

Frederico
Reply to  tupinambá
11 meses atrás

Sem dúvida, temos uma força submarina gigante composta por submarinos classe SSK, SSN e SSGN… O que seria meros quatro submarinos da década de 80/90 para uma gigante dos mares como a Marinha do Brasil é!!

J L
J L
Reply to  Frederico
11 meses atrás

E onde o mais velho deles pelo que foi dito aí acima tem pelo menos mais 10 anos de vida útil.

João Moro
João Moro
Reply to  tupinambá
11 meses atrás

Não adianta termos 4 submarinos da década de 70/80, com equipamentos defasados e necessitando de grandes manutenções, que as vezes ficam mais parados para manutenção do que em uso no mar.
Foi bom o MB ter vendido estes submarinos. O valor destes submarinos pode ser investido para acelerar o programa do SN-BR ou adquirir um ou outro navio de superfície usado, para repor os que serão descomissionados.
Se for verdade este negócio, acredito que o MB tenha a pretensão de adquirir mais scorpenes além dos que estão em construção.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  João Moro
11 meses atrás

70/80? O mais velho dos cinco submarinos da MB é o único que entrou em operação nos anos 80, mais precisamente em 1989, todos os outros são dos anos 90/2000.

J L
J L
Reply to  João Moro
11 meses atrás

Deus ajude que, se for verdadeira à informação que fosse reinvestido em mais scorpènes , para manter a linha de produção aberta.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  tupinambá
11 meses atrás

Tupinambá, você deve ser de Piauí onde a costa é pequena!!! Véio, o Brasil tem quase 8.000 Km de costa e 4,5 Milhões de Km² de águas jurisdicionais, sem contar rios e lagos!! Tem Certeza que está com o mapa certo na mão?

RafaelGM
RafaelGM
Reply to  Marcelo Andrade
11 meses atrás

Acho que você não entendeu a ironia.

JT8D
JT8D
Reply to  RafaelGM
11 meses atrás

Eles nunca entendem

Flanker
Flanker
Reply to  JT8D
11 meses atrás

Kkkkkkkkkk…..Boa!!

Sequim
Sequim
Reply to  tupinambá
11 meses atrás

Talvez a Argentina nos pague em pesos reais, a moeda de mentirinha que Bozo Otário disse que vai criar. SQN!

Camargoer
Camargoer
Reply to  Sequim
11 meses atrás

Não precisa usar nem dolares nem pesos-reais. Desde 2009 as transações comerciais entre o Brasil e a Argentina podem ser feitos em moeda local (reais ou pesos)

Sequim
Sequim
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Prezado Camargoer, apenas fui irônico para mostrar mais uma mentira desse governo de mentira e de mentirosos.

Márcio
Márcio
Reply to  tupinambá
11 meses atrás

Esse submarinos já não estão a disposição da marinha, devem passar por reformas caríssimas!

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  tupinambá
11 meses atrás

Pra que fazer um planejamento grandioso, com 21 submarinos (15 convencionais e seis de propulsão nuclear) se depois vai vender …

Nao faz sentido isso …

https://www.naval.com.br/blog/2018/07/26/exclusivo-novo-paemb-reduz-o-numero-de-navios-mas-mantem-porta-avioes/

Roberto
Roberto
Reply to  tupinambá
11 meses atrás

O Brasil pagou uma fortuna pela transferência de tecnologia aí no meio do caminho muda de fornecedor paga de novo pela transferência de tecnologia e vende os subs antigos com ainda meia vida de utilização a preços de banana, isso é rasgar dinheiro de um povo pobre que se fode de trabalhar para pagar impostos.

William Duarte
William Duarte
Reply to  tupinambá
11 meses atrás

Vai ser via BNDS quer apostar. Depois vem o calote e mais tarde o perdão da divida. Tá complicado, para cada noticia boa aparecem 10 ruins. E eu pensando que ja estava no fundo do poço parece que ainda tem mais buraco ainda para cair. Ano que vem perderemos 2 escolta e 2 submarinos e receberemos somente um submarino, e a Marinha com quase 100 mil no efetivo e um doido falando em criar um Núcleo Administrativo para coordenar a flotilha de submarinos, semana passada uns falando que 10 submarinos convencionais e 2 Nucleares eram o ideal para o Brasil.… Read more »

Rawicz
Rawicz
11 meses atrás

Isso significa um lote adicional de scorpene, ou manteremos a força em 5 (1 – Tikuna e mais 4 scorpene)? Não estou nem colocando o SBR-N porque acho ele uma utopia e um desperdício de dinheiro.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Rawicz
11 meses atrás

Caro Rawicz. Considerando que falta pouco para inicar a operação do reator do Labgene, que o projdto do SN10 já está na fase de detalhamento, que existe um infraestrutura de fabricação ativa (UFEM, ICN e do EBN) inclusive com uma equipe técnica treinada e capacitada, praticamente todas as condições já foram colocadas para a construção do SBN. É preciso lembrar que a escolha do Scorpene ocorreu devido a possibilidade de se fabricar o SBN. Caso contrário, a MB estaria recebendo um novo lote de IKL (212 ou 214).

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Importante frisar isso. Se o contrato do PROSUB tivesse sido assinado com outros não teríamos o SBN.

Juarez
Juarez
Reply to  Esteves
11 meses atrás

E o que te leva a achar que obteremos, pelo simples fato de DNA Frances?
Cidadão, esquece esse negócio de Subnuc…não vai rodar

Camargoer
Camargoer
Reply to  Juarez
11 meses atrás

Caro Juarez. Sugiro um documento do Ipea ” SUBMARINO NUCLEAR BRASILEIRO: DEFESA NACIONAL E EXTERNALIDADES
TECNOLÓGICAS” o qual descreve a história dos submarinos na MB desde a classe “Foca” italiana no início do Sec XX até a assinatura do acordo com a França para o projeto do SBN. Há também uma discussão sobre porque o contrato não foi assinado com a Alemanha para a construção de submarinos convencionais.

Juarez
Juarez
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Aram. Li várias dessas destas “pecas de ficção científica”, elaboradas durante o período das trevas com Stalinacius Moluscus I, o honesto, como monarca supremo e o imperador no comando da Guanabara Bay.
Deu no que deu.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Juarez
11 meses atrás

Caro Juarez. Esse documento foi elaborado pelo Ipea em 2018 com a colaboração do Almirante de Esquadra Bento Costa Lima Leite de Albuquerque Junior – diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha e do Contra-Almirante André Luís Ferreira Marques – diretor de Desenvolvimento Nuclear da Marinha.

Juarez
Juarez
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Camargoer, estes documentos, livros brancos, PEAMBS, END e demais análises do “campo dos sonhos” tem todas o mesmo vício de origem:
Citam estratégias, meios e números, só não dizem de onde sairão os recursos para construir, comprar, e principalmente manter e operar….
Sugiro que você pare de gastar tempo lendo “histórias da carochinha” patrocinadas com dinheiro do contribuinte, mas se quiser continuar no tema ficção cientifica, sugiro o Isac Asimov

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Juarez
11 meses atrás

Duvido que leu. Com todo o respeito, evidentemente

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Olá Nunão. Geralmente, eu sugiro apenas os textos que consegui ler. Dá um pouco de trabalho, ás vezes demoro um pouco para conseguir. Asimov li há muito tempo, lá no ensino médio. Talvez a ideia de reler alguns que já li e ler alguns que não li seja muito boa. Férias de julho estão pertinho.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Camargoer, o comentário não foi pra você.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Certo. Desculpe o mal entendido. De qualquer modo, a sugestão sobre Asimov é boa. Vou caçar uns livros no sebo.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Sugiro a série “Fundação”. É um épico da Sci Fi.

Señor batata
Señor batata
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Nunão e Camargoer boa noite. Lendo o comentário de vcs me surgiu a dúvida existe na marinha alguma corrente mais forte em relação a que caminho tomar depois do submarino nuclear. Vai haver investimento apenas em subs nucleares ou se aventa um frota mista? Pq mesmo com a economia eventualmente melhorando as forças armadas teriam uma série de questões q devem exigir tempo e recursos pra serem solucionadas.
Tchau e abs.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Señor batata
11 meses atrás

Olá Sr.B. Essa é uma discussão que sempre aparece aqui no PN. Pelo andar dos investimentos no ProSub, acho que é muito provável que a MB conclua os 4 SBR e inicie a construção do SN10 (previsto para ser entregue em 2029). Talvez o Nunão saiba mais o que a MB esteja planejando para depois. Quando avalio o panorama geral, o que faz mais sentido para mim seria dar continuidade á construção de outros submarinos nucleares, o que levaria a MB operar apenas submarinos nucleares a partir de 2050/2060, mas isso é apenas um chute meu. Os documentos da MB… Read more »

Señor batata
Señor batata
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Camargoer creio q se os documentos q senhor sitou propõe uma frota mista deve ser pelos custos. Uma opção q não sei se vale é tentar depois de concluído o primeiro lote scorpenes seria tentar um parceria para adquirir aip (se não me engano a india tem desenvolvido algo para scorpenes). Mas ai seria preciso ver custos e eu tb sou leigo para saber a dificuldade de implementar um novo sistema no nosso projeto Nota: eu ainda não li o relatório mas já baixei, está guardado no meu celular para ler quando criar coragem. Tchau e abs.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Señor batata
11 meses atrás

Olá Sr.B. O relatório do Ipea é facinho de ler (inclusive usam o Galante como referência). Os documentos da MB mencionam uma frota mista de SBR e SBN, mas nunca foi considerado a incorporação de AIP. O SBN cumpriria a missão de longo prazo longe da costa e o SBR convencional a missão próximo da costa. Eu tenho pensado sobre isso e sobre os custos investidos no desenvolvimento do SBN, nos custos de operação dos submarinos nucleares e convencionais e do desempenho dos dois tipos. Minha conclusão seria que o mais efetivo e econômico seria uma pequena frota de SBN… Read more »

Señor batata
Señor batata
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Olá Camargoer. Eu tentarei acelerar a minha lista de leitura. Aindafalta o relatório da polícia q o senhor me passou (apesar das 140 páginas não terminei). Mas depois do “sitou” eu preciso ler um dicionário.
Tchau e bom fds.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Señor batata
11 meses atrás

Ola Sr.B. Coloca na conta do “corretor”. E relaxa com o “Sr”, fico com cara de “sukita”.

Señor batata
Señor batata
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Camargoer o senhor é usado para com todos membros. E tratando do seu caso em específico, usar a referência da propaganda sukita, depõe contra o senhor. No ano da propaganda eu ainda degustava terra.
Tchau e abs.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Señor batata
11 meses atrás

Olá.SrB. Além do “sukita” lembrei do “igarapaaaaaaaa” da Renault. Ou para quem gosta de usar calça jeans, ainda teria a Luciana Vendramini fugindo do convento.

Marcos
Marcos
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Bom dia
Bem que podia ter variantes com mísseis de longo alcance, e um custo “”alto””.
Mas justificável.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcos
11 meses atrás

Olá Marcos. Creio que a MB usará mísseis lançados pelo tubo de torpedo. Creio que o Exocet contra navios, mas não sei se a MB teria um modelo para alvos na terra.

Juarez
Juarez
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Li uma boa parte deles, e como afirmei antes todos tem o mesmo vício, apontam vontades, sonhos e delírios e como todo e bom estudo Brasileiro peça por dizer quem e de onde sairá o dinheiro para pagar a conta.
Talvez, Nunao durante a tua leitura tu naienxergou isto, contido o respeito

filipe
filipe
Reply to  Rawicz
11 meses atrás

Esse dinheiro é para manter o PROSUB, terminar os 5 Subs do PROSUB, ficamos com 6 Subs, 1 Tikuna + 4 SBRs Riachuelos + 1 SNBR Alvaro Alberto.

Helio
Helio
Reply to  Rawicz
11 meses atrás

O SBR-N custa caro,mas cobre uma área maior que os 5 SBR juntos no final o custo é menor já que um submarino desses tem uma vida útil maior que um convencional.

Dalton
Dalton
Reply to  Helio
11 meses atrás

Um submarino “nuclear” não pode estar em dois lugares ao mesmo tempo e precisam retornar a base depois que as provisões a bordo se esgotam, mesmo sendo maiores, com maior capacidade de provisões, normalmente possuem tripulações maiores também, inclusive pessoal altamente técnico do reator nuclear. . Submarinos nucleares não tem uma vida útil maior que um convencional, quando muito são equivalentes e depende de quanto se quer investir para manter um submarino por mais tempo, no caso do nuclear se vale a pena “reabastecer” o reator uma última vez. . O Chile por exemplo pretende manter seus dois “209” comissionados… Read more »

Douglas Falcão
Douglas Falcão
Reply to  Dalton
11 meses atrás

Eu não sou contra o projeto, mas entendo que as necessidades prementes de recomposição e expansão da esquadra devem vir em primeiro lugar. Ademais, estudando a história das nações que construíram subs de ataque nucleares, nos ensina que o primeiro projeto acaba se tornando uma bancada prática para estudo do nivel de ruido e capacidades operacionais, cuja otimização so virá nos projetos seguintes. É um esforço financeiro e tecnológico ainda fora de nossa alçada no curto e médio prazo. Acredito na manutenção do projeto com os grupos de estudo e teoria, mas não vejo como adequado iniciarmos a parte industrial… Read more »

JOAO
JOAO
11 meses atrás

Pütz! Só notícia ruim. Navios com capacidade operacional. A MB só tá na bola fora. Deveria aprender um pouco com a FAB sobre restruturação.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  JOAO
11 meses atrás

“As vezes o indivíduo está louco não droga!”

Madmax
Madmax
Reply to  Carlos Gallani
11 meses atrás

As vezes está louco na droga.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
Reply to  Madmax
11 meses atrás

tks, corretor!

rafael
rafael
Reply to  JOAO
11 meses atrás

Aquela força com uma proporção de 3000 militares por base e 100 militares por aeronave mas que não e capaz de colocar nem 30 caças F5 e AMX no ar em condiçoes de combate.

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  JOAO
11 meses atrás

Será doado ou vendido, sou contra doar, os americanos que tem custo para armazenar não doam nada, eles vendem, e para quem achar que eles doam, tentem dar manutenção ou modernizar com empresas de outros países, os caras vieram na hora.
E outra, na próxima eleição a Cristina ganha e vai meter o pau no nosso país.

Roberto Medeiros
Roberto Medeiros
Reply to  Atirador 33
11 meses atrás

sei exatamente isto.
Sou contra também.
E se a Cristina ganhar (o q é uma perspectiva bem real), as chances de que estes mesmos submarinos virem um ativo contra nós, a exemplo dos SU30 Venezuelanos, são grandes.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Roberto Medeiros
11 meses atrás

Caro Roberto. Desde a democratização dos dois países, com os argentinos tendo eleito Alfonsin, Menen, Nestor e Cristiana K, e os brasileiros eleitos Collor, FHC, Lula e Dilma, as relações entre os dois países foram amistosas, levando a Argentina a ser o terceiro parceiro comercial do Brasil, inclusive integrando a rede de energia elétrica dos dois países (nas verdade, integrando Brasil, Paraguai e Argentina). Por que seria diferente agora?

João XXIII
João XXIII
11 meses atrás

No ponto de vista de diminuir custos concordo plenamente com a venda. Desde que no futuro sejam comprados mais lotes de scorpéne. Mais acho que deveriam esperar pelo menos o Riachuelo estar operacional e o SBR 2 esta em testes.

Marcos
Marcos
11 meses atrás

Eu queria mesmo é que a marinha comprasse as FREMM italianas

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Marcos
11 meses atrás

E, eu na Mega Sena!!

Glasquis 7
Reply to  FERNANDO
11 meses atrás

Já vou logo avisando, a da virada e minha.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Glasquis 7
11 meses atrás

Kkkkkk
Então repartiremos.
Kkkkkk

Guacamole
Guacamole
Reply to  Glasquis 7
11 meses atrás

Anota aí: 01-02-03-04-05-06 na cabeça.

Glasquis7
Reply to  Guacamole
11 meses atrás

Putz, essa é a senha do meu cartão.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Glasquis7
11 meses atrás

Olá Glaquis. Incrível coincidência. É a senha do gmail…

Glasquis7
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Olá Camargoer.
E eu ainda esqueço a senha às vezes.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Glasquis7
11 meses atrás

Olá Glasquis. Uma sugestão é escrever a senha na porta da geladeira e, quando esquecer, pedir para a esposa enviar a foto por whatsup.

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  FERNANDO
11 meses atrás

Rsrsrsrs

Mauro
Mauro
Reply to  Marcos
11 meses atrás

A Bovespa quando atinge os 98, 99 ou 100 mil pontos todo mundo faz festa, somente uma vez atingiu os 100 mil pontos, estima-se que com a aprovação da previdência a Bolsa atinja os 150 mil pontos facilmente, este será o nosso ponto de ruptura econômica, inflexão para o crescimento.
Tem muito investidor estrangeiro louco para essa reforma passar, tem pelo menos oito programas de investimento estrangeiros de grande porte esperando por isso, então tudo depende dessa reforma, se passar, podemos sonhar com coisas muito mais grandes que as Fremm. Não é exagero.

Helio
Helio
Reply to  Marcos
11 meses atrás

O Brasil deveria fábricar as Tamandaré,mas também comprar outras embarcações pra manter o ritmo de reposições já que tem navios se aposentando antes de ter substitutos.

Marcos
Marcos
Reply to  Helio
11 meses atrás

Hélio
Bom dia
Concordo contigo e vou além, deveríamos fazer bom empréstimo/financiamento na casa de bilhões e bilhões de longo prazo 25 anos, de cara na lista 12 Tamandaré, mais 8 fora os 4 scorpene que encomendados, 3 subnuc, + 3 porta helecopteros e 28 f35 de pouso vertical, 6 fragatas de +/- 8.000 toneladas, 48 barcos patrulha mas bem armados , e outros navios de apoio, não sou sonhador , pelos gastos
E possível, cortando burocracia, investimento e e esticando mais um pouco tempo de serviço se paga com sobras, daqui a 25 anos troca tudo e faz um novo.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcos
11 meses atrás

Caro Marcos. Colocando suas sugestões em números. 12 FCT seria alco em torno de US$ 6 bilhões. Um segundo lote de 8 SBR seria US$ 4,5 bilhões. 28 F35 mais US$ 3 bilhões com algum armamento. 6 fragatas de 8 mil ton mais US$ 10 bilhões. Os barcos patrulha algo em torno de US$ 2,5 bilhões. Mais US$ 1 bilhão para os outro navios de apoio. Somando tudo, deu US$ 27 bilhões. O orçamento do MinDef é da ordem de US$ 22 bilhões por ano, sendo que 10% é investido. Se metade desse valor for destinado para a MB (ou… Read more »

Paulo
Paulo
11 meses atrás

No mínimo os reparos e modernização para transferência deveriam ocorrer em estaleiro nacional…🤦🏾‍♂️

Petardo
Petardo
Reply to  Paulo
11 meses atrás

Também acho, mas temos que considerar que eles não têm divisas nem para pagar os próprios submarinos, imagina pagar submarinos+reparos.

Não esqueçamos que estes submarinos vivem focados porque não temos dinheiro para fazer o ciclo de manutenção no tempo correto.

FERNANDO
FERNANDO
11 meses atrás

Vcs não acham que a MB iriam ficar com quase 10 subs.
Não tem verba pra isso.
Daqui a pouco, não terá verba nem para o canapés e o vinho de boa qualidade, que graças a Deus ainda existe.

Camargoer
Camargoer
Reply to  FERNANDO
11 meses atrás

Olá Fernando. Eu coloquei diversas vezes esse problema. Aumentar a frota de submarinos de 5 para 10 (ou 7 ou 8) significaria aumentar os custos de operação, já que seria necessário aumentar o número de tripulações. Não faz sentido. Se há a necessidade de equilibrar os gastos de operação, seria inviável aumentar o tamanho da frota de submarinos.

João Moro
João Moro
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

“aumentar o número de tripulações”? Não necessariamente. Poderia ocorrer a troca de tripulações quando um submarino fosse fazer um PNM ou reparos.

Rudi -* PY3TO
Rudi -* PY3TO
Reply to  João Moro
11 meses atrás

não tem marinheiros suficientes na MB…!!!

Camargoer
Camargoer
Reply to  João Moro
11 meses atrás

Caro João. FIz essa pergunta uma vez ao Alm. Monteiro. Ele disse que quando um navio ou submarino está em manutenção, a sua tripulação continua com ele porque existem várias tarefas que são executadas por eles. Acho que seria mais comum um submarino ter duas tripulações que se revezam do que uma tripulação que sirva em dois submarinos (ninguém aguenta….)

Satirycon
Satirycon
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Bobagem
Não tem grana para as tripulações, mas vai ter grana pra manter o complexo radiológico em Itaguaí?
Vc tem a noção do tamanho daquilo?
Das equipes de emergência radiológica que precisarão estar de prontidão?
De novo, reveja seus conceitos

Camargoer
Camargoer
Reply to  Satirycon
11 meses atrás

Caro Satirycon. Concordo com você que é importante continuar lendo muito e aprendendo o que puder, principalmente sobre um assunto complexo como tecnologia nuclear. Eu ainda não tive pesquisei sobre os custos relacionados á segurança radiológica. Talvez seja possível encontra-los nos relatórios da Nuclebras sobre Angra I e II. Contudo, acredito que a MB saiba estimar esses valores. Eles operam um reator ao lado do Ipen há vários anos (trabalhei dois anos bem em frente dele). A MB também administra as instalações nucleares de Aramar, no interior de SP. Além disso, a MB esteve á frente do desenvolvimento das ultracentrífugas,… Read more »

J L
J L
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Mas e os meios de superfície que deram baixa, as tripulações vão ficar em terra enrolando cordame? Já está definido a baixa de pelo menos mas 3 fragatas e 1 corveta, é bastante gente ociosa.

india-mike
india-mike
Reply to  J L
11 meses atrás

J L, considero essa questão das tripulações dos navios que estão dando baixa bastante importante. O principal temor é que o contingente da marinha não diminua mas que a expertise de operação naval vá gradativamente se perdendo, o que significa que cada vez mais teremos uma marinha de burocratas em terra que não tenham sequer a vivência do que é estar embarcado, muito menos que sejam capazes de executar as fainas ou tenham a doutrina prática de guerra naval. Acredito que uma medida interessante seria estudar a prática de possuir 2 tripulações para cada meio operacional (como indiretamente sugeriu o… Read more »

Flávio Marinha
Reply to  FERNANDO
11 meses atrás

É muita opinião de muita gente que não conhece nada ! A tripulação de um submarino, não é eterna, muitos irão pra reserva e sim, temos muito trabalho nas OM,s de chão. Procurem aprender mais antes de escreverem ” teorias” submarinista é voluntário, não pode jogar qualquer um lá, mesmo uma força com 60 mil com 9 distritos navais.. Fica a dica.

india-mike
india-mike
Reply to  Flávio Marinha
11 meses atrás

Campanha, ninguém gosta de pessoas alheias, com pouco conhecimento de causa, falando de como vc executar o seu trabalho. Em nenhuma área. Paisano dando pitaco então, é visto como pecado mortal. No entanto, a MB, como qq instituição pública, deve satisfações a sociedade, e isso inclui informar e educar sobre o seu trabalho. E eu acredito que a MB tem feito um trabalho menos que satisfatório nesse sentido. Tenta vender (para uma sociedade que em sua maioria não consegue entender a necessidade de navios de guerra para o Brasil) a ideia completamente errônea de que nossos submarinos são necessários para… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  india-mike
11 meses atrás

Caro IM. Acho que o problema não é ser civil ou militar. Um militar com uma ampla formação e experiência sobre um assunto terá uma avaliação mais apropriada que um civil sobre um determinado assunto. O contrário também é verdade. Um civil mais graduado e com mais experiência em um dado assunto fará uma avaliação melhor que um militar. Ha civis com baixa qualificação e de alta qualificação, assim como militares pouco qualificados e muito qualificados. O status social não tem relação com a capacitação técnica de um profissional.

teropode
11 meses atrás

Isso pode significar que vai haver a encomenda do segundo lote de Scorpenes, mais 2 comuns e mais um nuclear , me recuso acreditar que a marinha vai continuar operando apenas 5 ou 6 subs. O Tikuna pode ser utilizado para treino ao mesmo tempo mantendo a capacidade de combate .

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  teropode
11 meses atrás

Quando estiver na floresta e ouvir cascos, não pense em zebras, pense em cavalos!
Primeiro que eu duvido disso, parece muito imbecil até pra nível da nossa marinha. Segundo que, se for verdade, é presente pros hermanos as nossas custas, nada indicaria aí nada além da baixa de vários meios.

Saury Alvarenga dos Santos
Saury Alvarenga dos Santos
11 meses atrás

Deveria deixar um destes 4 que foram construídos no Brasil ou o Tikuna posteriormente como uma submarino museu.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Saury Alvarenga dos Santos
11 meses atrás

Caro Saury, Eu sempre me perguntei porque nenhum dos Guppy ou Oberon não foi colocado em terra como museu, mas considerando que os Tupis ainda estão operacionais (o Tikuna tem pouco mais de 10 anos) acho que vai demorar ainda para eles virarem museu.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Há um Oberon transformado em museu, só não está em terra, ele flutua, cumprindo a missão de navio museu tão bem quanto se estivesse fora da água.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Mas acho que ficaria bem mais imponente em terra!

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Marcelo
11 meses atrás

Concordo, só que mais vale um submarino museu flutuando do que uma dúzia em terra, só que transformados em panela, geladeira, carro e aparelho de barbear.

Um Guppy chegou a ser submarino museu por algum tempo, o qual foi substituído pelo Oberon. Chegou a andar um projeto de que o Guppy continuasse a ser submarino museu, mas não no Rio, em Santos, mas não avançou e foi sucateado.

GUPPY
GUPPY
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Prezado Nunão, lembra qual submarino GUPPY chegou a ser museu?

PETERSON MONTEIRO DA SILVA
11 meses atrás

Olá boa tarde… Sei que alguns não gostaram desta provável venda. Mais se realmente for para padronização dos meios submersíveis, e com isso aumentar o número de pedidos do s novos submarinos ótimo!!! Más se ficarmos em 4 ou 6 está notícia é péssima!!! Pois quando assinamos os contratos das fragatas e dos submarinos nos anos 70e 80,à proposta era igual a está… De sermos capaz de produzir e manter uma linha de produção de navios e submarinos de ponta.caso contrário (e eu sei que aceitamos) a melhor e mais capaz marinha do hemisfério sul sem sombra de dúvidas é… Read more »

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  PETERSON MONTEIRO DA SILVA
11 meses atrás

Concordo que os chilenos são mais pontuais administrativamente(não esquecer as diferenças estruturais e dimensionais das forças e tbm as diretrizes que as regem )mas não vejo serem mais técnicos e menos ainda serem a marinha mais capaz.

Glasquis7
Reply to  Tomcat4.0
11 meses atrás

Pelo menos tem demonstrado isso nas compras. Quanto aos médios, está em melhores condições com 8 Fragatas, 3 Misileiras 2 U209 e 2 Scorpene. Todos mais modernos e capazes, todos melhor dentados e todos operacionais.
Isso com um orçamento que não vai além dos 10% se comparado ao orçamento da MB.

Vão me negativar mas é a verdade.

EB75
EB75
11 meses atrás

Impressão minha ou os “hermanos” enrolaram bonito nosso presidente nessa visita? Além dessa noticia dos submarinos, tem a história do PESO-REAL. Isso só pra citar o que chegou ao nosso conhecimento. Imaginem outras coisas …Meu amigo, vou lhe dizer… sem comentários !

Fernando Vieira
Reply to  EB75
11 meses atrás

E quem não enrola?

João Moro
João Moro
Reply to  EB75
11 meses atrás

Besta o presidente não é, ainda mais com relação a defesa nacional. Já os presidentes anteriores poderiam ser enganados ou entregar de mão beijada para os países (como a Venezuela).

JT8D
JT8D
Reply to  EB75
11 meses atrás

Que eu saiba ele não doou uma refinaria da Petrobras nem mandou construir um porto de graça

Gustavo
Gustavo
11 meses atrás

Eu acho válido. Vendemos um vetor que ainda tem valor no mercado mas que já não está no estado da arte.
Se essa venda se converter em pelo menos mais 2 unidades do Scorpene, se tornará extremamente vantajoso para a MB. (não estou fazendo comparação estritamente financeira de venda x aquisição)

Vanicio
Vanicio
Reply to  Gustavo
11 meses atrás

Nao vao virar mais 2 scorpene porque os argentinos nao vão nos pagar, simples assim…

J L
J L
Reply to  Gustavo
11 meses atrás

O caso é: Vai haver encomenda de pelo menos mais 2 unidades?

Camargoer
Camargoer
Reply to  J L
11 meses atrás

Caro JL. Acho mais provável que o próximo submarino que será construido será o SN10. Outros SBR ou SBN só depois dele.

Fábio Mayer
Fábio Mayer
11 meses atrás

Eu li corretamente, é isso mesmo? Vão começar a entregar agora os subs, para aguardar recomposição da frota com os SBr?

Gelson
Gelson
Reply to  Fábio Mayer
11 meses atrás

O pior é que a notícia fala apenas em “transferir”, notem bem.
Ninguém afirmou que virá dinheiro desta negociata.
A Argentina já tem histórico de ser mau pagador.
Melhor seria dizer que vão doar os subs de uma vez.

Fecha e joga a chave fora pois esta instituição não tem mais jeito.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Gelson
11 meses atrás

Pensei a mesma coisa.
Segundo o dicionário:

TRANSFERIR:
verbo
1.
transitivo direto e bitransitivo e pronominal
mudar(-se) de um lugar para outro.

Isso vai ser uma doação, ou vai ser venda?
Se for venda, os argies vão pagar com o quê?

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Na hora de entender uma notícia, o dicionário é só uma das ferramentas. A história é outra, e mais importante. Historicamente, transferência de material militar usado se dá por venda, doação, arrendamento, empréstimo, leasing, há diversas formas são diversas as condições do negócio. O Brasil, por exemplo, já recebei material militar usado de várias formas. R já transferiu, também, de diversas maneiras. Recentemente a Argentina adquiriu aeronaves usadas da França. Foi doação? Não. Se o Brasil eventualmente transferir submarinos à Argentina por doação, e não por venda ou outra modalidade, é porque isso entraria como moeda de troca para algum… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Caro Nunão, agradeço essa resposta e a resposta ao meu comentário abaixo.
Realmente, me atentei mais a semântica´´ e ao significado literal da palavra. Agradeço a correção e a resposta correta sobre as diversas formas que uma doação militar pode significar.
Grato.

marcus
marcus
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

O que a Argentina tem para oferecer? Dividas?

Camargoer
Camargoer
Reply to  marcus
11 meses atrás

Caro Marcus. A Argentina é o terceiro parceiro comercial do Brasil (8,1%), depois da China (22%) e EUA (11%). Aliás, a maior parte das exportações do Brasil para a Argentina são carros (27%), caminhões (10%), peças (6%) e tratores (3,7%); enquanto compramos deles caminhões (19%), carros (15%) e trigo (10%). O Brasil tem um superávit de US$ 8,5 bilhões com a Argentina, praticamente 10% do superávit total da balança comercial brasileira.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  Fábio Mayer
11 meses atrás

Na verdade, o que me causa espécie e a diminuição drástica da esquadra.

Camargoer
Camargoer
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
11 meses atrás

Caro Fabio, Trocar 4 IKL por 4 SBR mantém a frota de submarinos do mesmo tamanho,

Marcos
Marcos
11 meses atrás

Submarino Tupi = Finalizou o seu PMG, operando.
Tamoyo e Tikuna = Finalização do PMG no segundo semestre de 2019, entram em operação entre 2020/2021?
Timbira e Tapajó = Load-In para entrar em PMG

Eis os submarinos inoperantes da Marinha do Brasil, estão em Período de Manutenção Geral. Nem na Us Navy submarinos em PMG são chamados de inoperantes… mas é o Brasil.

Se a Argentina for comprar algum Type 209 provavelmente vão ser o Timbira e/ou Tapajó

Marcos
Marcos
Reply to  Marcos
11 meses atrás

O chileno do razon y fuerza já apareceu por aqui foi? Cuidado para não me confundir com o outro Marcos. E ai, estou aguardando até agora a situação dos Type 209 do Chile.

Deixei aqui a situação dos Type 209 do Brasil

Glasquis7
Reply to  Marcos
11 meses atrás

Os Type 209 do Chile acabam de concluir sua última modernização e deverão permanecer na ativa até 2030.

Glasquis7
Reply to  Marcos
11 meses atrás

Se lhe confundi me desculpe.

MBP77
MBP77
Reply to  Marcos
11 meses atrás

“…com as duas primeiras unidades partindo ainda este ano. Os submarinos deverão ser reparados no estaleiro argentino Tandanor, antes de entrarem em operação na Armada Argentina.”
*
Marcos, creio que você acertou na mosca o 1º lote (Timbira e Tapajó).
Quanto ao 2º, creio que os dois últimos só irão quando da incorporação dos dois últimos SBR (próxima década).
Vejamos se isso se confirma e por qual tipo se dará a negociação destes meios com a ARA (doação, venda, etc.).
Sds.

Diego Farias
Diego Farias
11 meses atrás

Mano na boa , acho que vao fazer (M) , A Argentina está mais quebrada que arroz de 3 , ea MB ñ vai comprar um 2 lote de novos sub’s .

Mauro
Mauro
11 meses atrás

Ótima notícia, no que for possível temos que ajudar nossos irmãos argentinos. O mais provável é que essa doação esteja relacionada com a compra futura dos Scorpene BR, claro que seria com a participação da indústria naval argentina na construção dos SBR, incluindo o de propulsão nuclear que seria de construção compartilhada.

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Mauro
11 meses atrás

Doação?? 🤔

Fernando Vieira
Reply to  Mauro
11 meses atrás

Brasil e Argentina construindo um Sub Nuclear? Se olhar pelo histórico, impossível. A Argentina já ficou chula da vida quando o Brasil fez Itaipu. Sempre desconfiaram do nosso programa de enriquecimento de urânio a pondo de haver (havia?) um acordo entre os dois países paralelo ao tratado de não proliferação de armas nucleares. Mas não vai dar certo mesmo. Quando o Brasil fez coisa em sociedade com outros países do continente, o Brasil entrou com material, mão de obra, capacidade técnica e dinheiro e eles ficaram com os ativos. Melhor não.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando Vieira
11 meses atrás

Caro Fernando. Creio que seja diferente. A MB fez um enorme esforço para obter seu submarino nuclear, inclusive adiando outros programas para focar os recursos no ProSub. A previsão é que a construção do SN10 inicie logo após os SBR. No ponto em que o programa chegou, não há razão para qualquer desenvolvimento compartilhado (o RMB é outra história, os dois países estão colaborando desde o início). O Brasil e a Argentina tem um dos melhores exemplos de colaboração nuclear do mundo. A partir da redemocratização dos dois países na década de 80, os dois governos se aproximaram e interromperam… Read more »

Camargoer
Camargoer
11 meses atrás

Caros Colegas. Há cerca de um ano, coloquei a ideia da MB ceder alguns “IKL” para a ARA. Muitos colegas levantaram objeções baseada muito mais em “futebolice” que bom senso. Continuo achando que a transferência dos “IKL” para a Argentina é uma excelente decisão. Sobre os Scorpenes, acredito que os quatro SBR que estão sendo entregues agora serão os últimos submarinos convencionais da MB. Após esses quatro SBR, a MB irá focar seu esforço no SN10 (acho improvável que a MB desista do SBN agora). Tenho a impressão que após o SN10, a MB irá se concentrar no SN11 (um… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Prezado, vou lhe fazer algumas perguntas, partindo do pressuposto de que essa notícia seja verdadeira ( o que não sabemos se é ou não ) : A matéria do PN e a matéria original falam em TRANSFERIR. Ora, por transferência, entendo como doação´´, e não venda´´ ( corrija-me se eu estiver errado ). Vamos doar 4 subs que ainda podem operar por, no mínimo, 15 anos para os argentinos? Porquê as obras desses subs vão ser feitas na Argentina, e não no Brasil, o que movimentaria nossa economia? Se o objetivo era substituir o ARA San Juan, porquê não vender… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Transferência pode ser por venda, arrendamento, empréstimo, doação, há várias possibilidades.

Nesse caso em pauta, não creio que seria por doação, tem que haver algum negócio envolvido.

Não faz sentido ficar se apegando demais na semântica sem saber os fatos com detalhe ou não levar em conta a história.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Caro Wilber. Acho que essas perguntas seriam melhor respondidas pelo autor da reportagem. Contudo, algumas coisas são possíveis de especular. O comércio exterior entre Brasil e Argentina tem sido feito usando moedas locais desde 2009. O problema da Argentina é a falta de dólares para saldar o comércio exterior, por isso eles recorreram ao FMI. Como é uma acordo governo-governo, a negociação financeira é bem mais simples podendo até envolver um banco público brasileiro (BB por exemplo). Comentei em outros momentos que acho improvável que a MB consiga operar maiis do que 5 submarinos nos próximos anos porque isso a… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

continuando…. a MB teria que aumentar o número de tripulações para aumentar o tamanho da frota de submarinos. O cronograma dos Scorpenes é mais ou menos esse que você mencionou, começando a partir do ano que vem e imagino cada novo SBN entrando em operação a cada dois anos, mais ou menos. O SBN está programado para entrar em operação em 2029. Imagino que para a MB seja mais fácil vende os “Tupis” com 2/3 da vida útil no que vender um ou dois dos SBR novos. Tenho a impressão que a MB não tem fôlego para aumentar sua frota… Read more »

Maurízio Souza e Souza
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Teria, se a MB não se metade em tudo.. Capitania de portos, FN, esquadra de superfície, força aeronaval, força de submarinos….

india-mike
india-mike
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Concordo com vc Camargoer, mas não acho q o aumento do número de tripulações seja um dos maiores problemas. Por mais que o treinamento de um submarinista tenha seu custo, a princípio temos pessoal ocioso e capacitado para iniciar o treinamento. É certo que demorará um tempo pra formar essas tripulações, mas tb vai demorar anos pros SBRs estarem operacionais. O principal problema de ampliar a frota de 5 pra 10 é a capacidade de manter e operar esses meios. O que me causa estranheza no seu discurso é vc ter ciência dessa limitação da MB ao mesmo tempo que… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  india-mike
11 meses atrás

Caro MI. A MB investiu talvez R$ 50 bilhões para dominar o ciclo de enriquecimento do urânio em escala comercial, para dispor de uma infraestrutura (UFEM, ENB, e ICN) de construção de submarinos e uma de pesquisa nuclear (Aramar, Labgene, CTMSP). Atualmente, o SN10 é um projeto em andamento com previsão de operação em 2029. Por outro lado, a Guerra da Malvinas mostrou a importância de uma pequena força de submarinos nucleares de ataque (o que é completamente diferente de submarinos lançadores de mísseis balísticos). Eles são mais caros de construir e operar, mas um pequeno número deles é mais… Read more »

india-mike
india-mike
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Camargoer, nosso pensamento é muito mais concordante do que dissonante. O que vc falou é lindo, mas vc não respondeu minha pergunta…

vc realmente imagina um cenário futuro onde a MB consiga construir, operar e manter 3 SSN (o que ainda seria pouco, mas pode ser considerado o mínimo para ter efeito prático), com o custo estimado equivalente de 15 a 30 SBR?

Perceba todo o prejuízo que esse projeto (e outras megalomanias como o NAe — que aliás ainda faz parte da programação futura da marinha) já causaram e ainda causarão por muito tempo na MB…

art
art
Reply to  india-mike
11 meses atrás

um SSK com AIP, um navio com ski jump igual aos Aussie, espanha e Italia pequenos mas altamente funcionais e encaixando no orçamento seria o ideal. sem megalonania.

Jack
Jack
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Tomara que seja assim Camargoer!

Camargoer
Camargoer
Reply to  Jack
11 meses atrás

Olá Jack. Se você soubesse como apanhei quando lancei essa ideia aqui no PN.. riso.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Camargoer,
Na verdade a sua ideia não tinha nada de estranho a ponto de te baterem, o pessoal é que gosta mais de bater do que pensar. Eu fui um dos primeiros a te dizer que era plausível, mesmo porque já sabíamos por nossas fontes que já rolavam conversas a respeito. Só não podíamos falar dessas conversas ainda.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Olá Nunão. Sim, eu lembro que coloquei a ideia como uma pergunta para você. De qualquer modo, na época só faltou me mandarem ir para Cuba e levar o Maradona junto. Espero continuar contribuindo com as discussões no PN (perdi a alegria de visitar o PA).

RENAN
RENAN
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Amigo Camargoer não perca a sua alegria, pois o diferente faz evoluir.
Quando alguém discorda da minha pessoa eu penso bastante para entender.

Mas quando a maioria discorda fico feliz pois sei que eles não enchergaram a situação pelo meu ponto de vista.
E olhar diferente a mesma situação gera oportunidade.

Abraço

Camargoer
Camargoer
Reply to  RENAN
11 meses atrás

Olá Renan. Depois da Boeing–Brasil, perdi meu entusiasmo pelo PA. Acho que ainda não caiu a ficha do que aconteceu.

wwolf22
wwolf22
11 meses atrás

qnd recebermos todos os scorpene e o sub nuclear, como ficara as “escalas”???
01 sub nuclear + 03 scorpene na ativa e 01 scorpene “no dique”?

abrahamyamato
abrahamyamato
11 meses atrás

temos 70 subs perde 4 não faz diferença kkkkk

Fernando Turatti
Fernando Turatti
11 meses atrás

Eu era favorável na notícia dos 2 submarinos para o Peru. Primeiro porque era claramente uma venda, segundo porque 7 submarinos ainda seria uma força pra lá de respeitável. Primeiro: isso aí não vai acontecer. O Brasil não é TAO imbecil e nem a Argentina tem a menor capacidade de operar 4 submarinos. Segundo: se acontecer, é isso aí mesmo, não esperem mais um lote. Ele deveria vir? SIM. Numa cadência “o mais lenta possivel”, mas que começasse um projeto de sempre ter um sub em construção. Esperar novo lote numa época onde estarão jogando toda a grana no submarino… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Fernando Turatti
11 meses atrás

Vende dois pra Argentina, depois dois pro Peru e pronto, tá resolvido. Cada país paga com os meios e trocas comerciais melhores para cada um.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

E o objetivo seria manter 5 submarinos como atualmente? Se for, ótimo!
O valor de cada ikl 209 poderia, quem sabe, ajudar na aquisição de alguma fragata usada pra cobrir as baixas, nesse caso.

RENAN
RENAN
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Boa alternativa

india-mike
india-mike
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

E depois ainda oferece a produção de 2 SBR pro Chile, mantendo Itaguaí ativo e ajudando a gerar receitas pra 2 unidades adicionais pro Brasil, permitindo a posterior venda do Tikuna e a padronização da força em 6 SBR ao longo da próxima década.

Baby steps…

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  india-mike
11 meses atrás

Pra manter uma marinha de 5 submarinos sempre, precisaríamos de uma cadência de um a cada 7 anos. Pra manter 7, um a cada 5 anos, que já começa a ser um valor mais razoável para produção continua, sem depender de vendas externas.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
11 meses atrás

Olha gente, se for para padronizar a frota de subs com os Scorpene’s BR ae do moral, e que venha seguido de mais encomenda de Scorpene’s BR e SNBR’s e nisso manter ,e com folga, o estaleiro,enorme digo de passagem, a plenos vapores a anos a fio.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Não creio que chegue a 4 submarinos a venda à Argentina, ao menos no médio prazo. Além do custo de aquisição, somando o de revisão e o de formação de tripulantes, para uma força que há décadas só operava um máximo de três, ou mesmo um só, 4 submarinos é uma paulada. Não rola mais do que dois, e olhe lá, por muito tempo. Se a ideia é revisar na Argentina, o lógico é vender os dois submarinos que estão hoje na fila para entrar em manutenção, e com a volta à operação de outros dois atualmente em manutenção, e… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

Caro Nunão. Imagino que a curto prazo, seria mais razoável fornecer apenas 2 “Tupis”, até porque a MB precisa de um tempo para migrar deles para os Scorpenes. Contudo, a partir do momento que os Scorpenes estiverem operacionais, seria possível transferir um ou dois “Tupis” remanescentes. Isso daria tempo para a ARA migrar de seus TR1700 para os IKL209. Isso dependerá muito da boa vontade dos dois governos ou de qual próximos estão os comandos das duas marinhas.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Concordo. Pago pra ver.
Armada que está sem operar praticamente nada e de repente ter 4 IKL em prazo curto/médio é oferecer banquete real a um esquálido. Difícil conseguirem dar conta…
Se entrar o dinheiro nessa conta então…

Caravaggio
Caravaggio
11 meses atrás

É venda ou doação?

RENAN
RENAN
Reply to  Caravaggio
11 meses atrás

Eu acho que é uma compensação da balança comercial

Millenium
Millenium
11 meses atrás

Olá, deixando de lado o aspecto da diminuição no número de submarinos da força, tipo “vou vender mas tudo bem, depois eu compro mais” e tipo “tem uma lógica em tudo isso”, tem outra coisa que me deixa curioso tipo “como se dará esse negócio” ou tipo “e aí cara, como a gente vai fazer esse rolo”?

Bavarian Lion
11 meses atrás

Vai ficar sem submarinos operacionais na prática. Uma pena, os nossos U-209 estão em ótimas condições segundo alguns amigos submarinistas que tenho na força.

J L
J L
Reply to  Bavarian Lion
11 meses atrás

O pessoal esquece que os argies tem um TR 1700 semi acabado em um galpão de uns estaleiro, acho que esse mesmo mencionado para fazer as atualizações que eles nem conseguiram finalizar antes e nem agora que perderam o ara San Juan.

Camargoer
Camargoer
Reply to  J L
11 meses atrás

Olá JL. Posso estar enganado, mas creio que houve um vazamento de ácido de um bateria nesse casco, o que pode tê-lo danificado irremediavelmente.

2Hard4U
2Hard4U
11 meses atrás

Boa decisão da MB em vender os 4 IKL possibilitando assim a construção de mais Scorpenes convencionais além da padronização decorrente desta decisão.

Caravaggio
Caravaggio
Reply to  2Hard4U
11 meses atrás

A venda dos 4 ( e não se fala na materia mas em doação) não paga a quilha de um Scorpene BR. Isso é só politicagem.

JT8D
JT8D
Reply to  Caravaggio
11 meses atrás

Mas a questão mão é pagar, é justificar a fabricação de mais Scorpenes. Não dependemos da Argentina, só precisamos “criar a necessidade” de novos submarinos

Jorge Augusto
Jorge Augusto
11 meses atrás

Só acredito vendo quando a notícia é sobre a Argentina.

Aquilo ali é um poço de fake news sobre assuntos militares, tanto que tem canal no youtube dedicado a desmentir fake news militares argentinas.

Enes
Enes
Reply to  Jorge Augusto
11 meses atrás

Jorge Augusto, eu também penso exatamente isso.

Andrew Martins
11 meses atrás

Não sou contra a venda, acho que é até um processo natural, de corte de custos e financiamento para a nova classe de submarinos. Entretanto em virtude do histórico Argentino, eu aconselho a fazer a transferência somente com pagamento antecipado rs
Outro detalhe, é que eu acho difícil que na Ásia não tenha nenhum país querendo pagar mais por eles. Vale um anúncio no Alibaba rs

Armelin
Armelin
Reply to  Andrew Martins
11 meses atrás

O que um ano eleitoral não faz…

João Moro
João Moro
Reply to  Armelin
11 meses atrás

Boa percepção. Tem tudo a haver.

Top Gun Sea
Top Gun Sea
Reply to  Andrew Martins
11 meses atrás

Receberemos em trigo como moeda.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Top Gun Sea
11 meses atrás

Caro TGS. O Brasil e a Argentina tem um acordo para o uso de moeda local desde 2009 para não impactar nas divisas de cada país. Esse acordo dispensa o uso de dólares ou da criação de uma moeda comum.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Top Gun Sea
11 meses atrás

E não haveria problema algum nisso. Já compramos submarinos na Itália, nas vésperas da Segunda Guerra, com boa parte do pagamento em liras compensadas proveniente de exportações de carne e oitros produtos. Equipou-se o AMRJ na mesma época com marcos compensados da venda de algodão e outros produtos à Alemanha, e depois da Guerra comprou-se caças a jato ingleses também com algodão.

Farroupilha
Farroupilha
11 meses atrás

Que todos sejam rapidamente negociados com a Argentina (que nos mandem muito trigo, caso lhes falte dólar), ou qualquer outro país. Caso contrário, logo, vão aparecer políticos e jornalistas falando que não precisamos de novos Scorpenes, mas apenas dos novos Riachuelo e Humaitá. – Sou a favor que nossas FFAA, evitem doravante de ficar rerrenovando equipamento obsoleto, pois infelizmente aos olhos de muitos brasileiros isso é considerado o ideal, e apropriado para nossa Defesa, algo que, nós interessados em Defesa, sabemos ser um absurdo (um tiro em nosso próprio pé) em vista da acelerada evolução tecnológica das armas.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
11 meses atrás

Caso essa notícia seja verdadeira;
1-O artigo fala em transferir´´. Transferir por QUANTO?
2-Os reparos serão feitos na Argentina. Significa que nossos estaleiros não ganharam nenhum $$ por isso?
3-E a lacuna que ficará enquanto os Scorpenes não ficam prontos e são comissionados?
4-Por que transferir os 4, ao invés de apenas 2?
5-E o mais importante:

Isso é uma boa decisão?
Isso, é claro, partindo do pressuposto de que essa notícia seja verdadeira, o que não sabemos se é verdade ou não.

Sandro
Sandro
11 meses atrás

Espero que venha logo a encomenda de um segundo lote de scorpenes. 8 já será um bom numero. O nuclear só vou acreditar quando estiver pronto.

Victor Filipe
Victor Filipe
11 meses atrás

… Eu não consigo expressar em palavras o quanto eu sou contra isso, primeiro porque na atual condição econômica da Argentina eles não tem la uma das melhores condições para pagamento, Segundo que são submarinos relativamente novos, um dos meios de alto mar mais novos de nossa marinha, uma atualização (e um pouco de vergonha na cara da MB) deixariam eles muito bons para operar junto com o Scorpene e assim ter uma quantidade de submarinos minimamente adequada para proteger a costa. Terceiro que: se fosse seguro afirmar que ira vir mais submarinos Scorpene alem dos atuais contratados eu não… Read more »

Esteves
Esteves
11 meses atrás

Pera aí.

E a postagem do PN sobre os offsets do alemão? Não tinha IKL na fila para o alemão substituir periscópio e máquinas?
Faz sentido imaginar que ficam 1 + 1 e 3 iriam para os argentinos?

Se não tem offset para os IKL o que ganhamos no contrato com o alemão?
Se tem offset, a MB já está considerando que as Tamandarés não irão adiante?

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Esteves
11 meses atrás

Muito bem lembrado.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Esteves
11 meses atrás

Menos pressa nas conclusões. Offset está em negociação.

Guilherme Lins
Guilherme Lins
11 meses atrás

Quando pensamos que o Brasil vai ter finalmente uma frota numericamente razoável vem essa. Os IKL 209 brasileiros ainda tem muito caldo pra dar. Uma grande pena!

Kemen
Kemen
11 meses atrás

Tá danado! Pois é, eu não acredito, sem meios de superficie disuasórios e agora sera que pensamos ficar apenas com 5 submarinos convencionais? Os IKL já foram modernizados, porque desfazer-se deles, apenas revisões de praxe e navegariam por mais 10/12 anos, aguardando o SNBR.

Luis Fernando Curvo
Luis Fernando Curvo
Reply to  Kemen
11 meses atrás

Se junto com s “doação” for em dispensados uns 20 a 30 mil homens da marinha, aí sim veria uma economia de Pêso !!!!

Flávio Marinha
Reply to  Luis Fernando Curvo
11 meses atrás

Da pra ver que não entende nada sobre a Marinha, tenta aprender mais antes de dar opinião. ! Temos 9 distritos navais, a MB não é submarino.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Kemen
11 meses atrás

Só metade foi modernizada ou está em modernização.

Quanto à quantidade total, ela tem que ser o que o orçamento permite operar.

Planejou-se o Prosub em época de crescimento econômico e, apesar de cautela não fazer mal a ninguém (e cautela andava em falta na época) o tombo que o país tomou depois superou qualquer expectativa.

É difícil imaginar que ao longo da próxima década o orçamento para operação permitirá mais do que cinco submarinos. Quem sabe na década seguinte dê pra retomar os planos de mais submarinos.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
11 meses atrás

De fato, Nunao, o orçamento não aumentará dentro de dez anos, contudo, da pra reduzir os gastos pra otimizar os maravilhosos 100 bilhões. Falta um governo comprometido de fato com a defesa, não com bravatas megalomaníacas, nem com sindicalismo militar. O efetivo precisa ser reduzido, além das benesses idem, assim, antes dos 10 anos da EC do teto de gastos, podemos ter folga leve no orçamento. Aliás, o custo de se operar um scorpene sem AIP, novo, não deveria ser menor do que um Tupi já pra lá da metade da vida útil? São navios com peso similar, sem saltos… Read more »

FERNANDO
FERNANDO
11 meses atrás

Putz, a coisa está tão feia na Argentina, que eles podem gostar do carinho e querer mais. Hummmmm
Bem, que neste esquema poderia entrar uns Guarani, Astros, Helis, etc. Daria uma ajuda muito boa a nossa indústria.

Frederico
Reply to  FERNANDO
11 meses atrás

Vão pagar com o quê??

Camargoer
Camargoer
Reply to  Frederico
11 meses atrás

Caro Frederico. A balança comercial do Brasil com a Argentina tem um superávit de US$ 8 bilhões. Desde 2009, o comércio entre os dois países pode ser feito em moeda local (reais ou pesos). Eles são o terceiro maior parceiro comercial depois da China e dos EUA. Praticamente 1/3 das exportações e importações do Brasil com a Argentina são de caminhões, carros, tratores e autopeças.

Enes
Enes
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Caro Camargoer, não adianta explicar balança comercial, porque eles não entendem.

Enes
Enes
Reply to  Enes
11 meses atrás

Ou não querem entender.

ednardo curisco
11 meses atrás

se fosse um repasse gradual à medida que os Scorpene chegassem, ok.

mas 2 já este ano?

quem tem 5 submarinos só tem no máximo 2 em operação.

TeoB
TeoB
11 meses atrás

Bem, eu acredito que vão ser somente dois os vendidos, e serão os que estão aguardando seu PMG, acredito também que serão revitalizados lá por que nos falta nesse momento estrutura para dar conta de fazer aqui… (principalmente pessoal) já que temos 1 em testes, 3 em construção e 2 na fila para PMG, os hermanos tem pressa e querem recuperar sua capacidade de dar suporte aos submarinos, então como diria a Subcomandante T´pol ´´é logico´´ os argentinos realizarem o PMG lá.

india-mike
india-mike
Reply to  TeoB
11 meses atrás

Acho exatamente o mesmo. A matéria original Argentina fala inclusive que os dois submarinos que seriam transferidos seriam os 2 “não operacionais”, que indicaria justamente os dois na fila pra PMG. E se a Argentina tem pressa, a reforma não pode ser feita no AMRJ como gostaríamos, justamente pelos outros dois q se encontram em reformas nesse momento. Particularmente acho a proposta interessante, pois além de economizar com o custo de reforma desses meios (que seria necessária caso continuem em serviço), vendemos navios com ainda algum valor de mercado ao invés de esperar pelo seu sucateamento. E como tudo indica… Read more »

Roberto Bozzo
Roberto Bozzo
11 meses atrás

Vou aguardar as reportagens mais completas…mas a princípio vejo com bons olhos está busca por padronização na MB, além de tentar levantar algum dinheiro com as vendas….e a meu ver a MB deveria priorizar a aquisição de mais um lote de Scorpenes tentando aumentar a quantidade de subs.

João Moro
João Moro
Reply to  Roberto Bozzo
11 meses atrás

Também concordo.

MUnhoz
MUnhoz
Reply to  Roberto Bozzo
11 meses atrás

A Marinha tem 80 mil militares !!!

Corte um pouco de pessoal, para com isso, gente vamos protestar contra isso !

Pra quem votou nesse cara, vai engole essa !

Pros militares até o momento só to vendo coisa ruim, o PT ferrou com a economia, mas na área militar fez alguma coisa !

Esse cara esta desarmando nosso pais e ainda tem gente que aprova !

Flávio Marinha
Reply to  MUnhoz
11 meses atrás

Deixa de escrever besteira! Vai aprender sobre o funcionamento da marinha e seu efetivo. Detalhe eu tenho 22 anos na MB. Safo.e 15 de submarinista . Obs.PT até papel higiênico faltou.

Munhoz
Munhoz
Reply to  Flávio Marinha
11 meses atrás

Então me responda uma coisa ? Nossa MB tem mais de 2 x pessoal na ativa do que a Marinha da Inglaterra ? Tem mais pessoal do que a Marinha do Japão ? Com a FAB a mesma coisa e assim por diante ? Se a MB efetua missões de guarda costeira etc, ai ela que reivindique as verbas e as classifique como de segurança publica, alias como deveria ser ? com a FAB e o EB a mesma coisa ! Em equipamentos vcs não tem nada ! Não tem defesa aérea de media altitude, seus navios estão defasados, tinha… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Flávio Marinha
11 meses atrás

Caro Flávio. Tenho 13 anos como professor, 4 como pesquisador. Nestes 17 anos, 2019 e a primeira vez que está literalmente faltando toalha de papel no banheiros. Espero que esse cenário mude até dezembro.

Cavalli
Cavalli
11 meses atrás

01 Fragata (Niterói) e 01 Corveta (Jaceguai) “planejadas” para descomissionamento + transferência de 02 Submarinos IKL 209/1400 já em 2019 + 02 IKL 209/1400 em aproximadamente (?) anos. Excelente notícia, caso fosse a Marinha mais bem aparelhada das Américas, de longe não é (infelizmente). Só posso imaginar duas coisas. 1 – Que o Brasil esteja evoluindo muito bem em conversas de aquisições de oportunidades, dos meios de superfície com outras Marinhas (melhor dos casos), ou, 2 – Venda por excesso de meios PARADOS e sem $$$$ para manuteir-los (pior dos casos). Aposto na primeira opção.

Glasquis7
11 meses atrás

Só uma dúvida, a Ingletarra não apita nada nesse caso?

João Moro
João Moro
Reply to  Glasquis7
11 meses atrás

Não porque os subs são alemães.

Glasquis7
Reply to  João Moro
11 meses atrás

Sim mas, as ilhas são britânicas. Não esqueça que a pressão pode vir de lá.

Enes
Enes
Reply to  Glasquis7
11 meses atrás

Glasquis7, a própria Inglaterra esta cooperando com reparo em motores de Destroyer Argentino.

Glasquis7
Reply to  Enes
11 meses atrás

Um destroyer patrulhando é interessante para Inglaterra mas, um submarino que é uma arma tática, é algo muito diferente.

Guacamole
Guacamole
Reply to  Glasquis7
11 meses atrás

A diferença em poder é muito diferente.
Um submarino nuclear novo da marinha da inglaterra tem sensores bons o suficiente para detectar submarinos diesel-eletrico como os que serão doados/vendidos.
Não creio que a inglaterra se importe.
Não esquecer que quando o ARA San Juan afundou, eles estavam sendo seguidos por um submarino inglês apenas por medida de segurança, e os argentinos nem notaram.
Esses submarinos que serão doados já foram bons, mas hoje estão obsoletos do ponto de vista técnológico.

Glasquis7
Reply to  Guacamole
11 meses atrás

Acho que os U209 modernizados ainda são armas de se temer. Diferentes dos destroyer da ARA que são enormes, visíveis e muito pouco protegidos. Para Inglaterra é interessante que a ARA ayude a patrulhar essas águas, Agora, um submarinho já é uma arma tática, bem diferente. Se esses destroyer tivessem capacidades de ataque razoáveis, a Inglaterra não ayudaria nos reparos das suas unidades motrizes.

Glasquis7
Reply to  Guacamole
11 meses atrás

Um U209 obsoleto? Os da ARCh até lançam misseis. Acho estranho seu comentário.

Fabio
Fabio
11 meses atrás

Vai trocar por duas fragatas argentinas? São relativamentes novas, fabricadas na Alemanha pela Tysen.

Juarez
Juarez
Reply to  Fabio
11 meses atrás

Fábio neste dia burros voarão e galinhas terão dentes.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Juarez
11 meses atrás

Hahahaha concordo!

jorge alberto costa
jorge alberto costa
Reply to