Home Indústria de Defesa Submarino Riachuelo (S40) iniciará os testes de mar em agosto

Submarino Riachuelo (S40) iniciará os testes de mar em agosto

24858
159
Submarino Riachuelo - S40
Submarino Riachuelo – S40

O Jane’s noticiou que a construtora naval brasileira Itaguaí Construções Navais (ICN) – uma joint venture entre o Naval Group e a Odebrecht Engenharia e Construção – e a Marinha do Brasil iniciarão em agosto os testes no mar do Riachuelo (S40), primeiro dos quatro submarinos de ataque diesel-elétricos S-BR (classe Scorpène modificado) do Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub).

Os testes no mar estão programados para durar até o primeiro semestre de 2020, enquanto o comissionamento do submarino está programado para outubro de 2020, informou a Marinha.

O Riachuelo foi lançado em cerimônia realizada no Complexo Naval de Itaguaí em 14 de dezembro de 2018.

Um torpedo pesado F21 de 533 mm do Naval Group e um mock-up de um míssil antinavio MBDA Exocet SM39 Bloco 2 Mod 2 serão lançados durante os testes de mar do Riachuelo, informou a Marinha.

O Riachuelo será seguido pelos submarinos Humaitá (S41), com lançamento previsto para 2020, o Tonelero (S42) em 2021 e o Angostura (S43) em 2022.

Perfil do submarino Riachuelo S40. Desenho: José da Silva
Torpedo F21 sendo embarcado em um submarino
Torpedo pesado F21 sendo embarcado em um submarino classe Scorpène
Embarque de um míssil antinavio MBDA Exocet SM39 em um submarino classe Scorpène
Embarque de um míssil antinavio MBDA Exocet SM39 em um submarino classe Scorpène
Subscribe
Notify of
guest
159 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
11 meses atrás

Espero que corra tudo bem nesses testes, e que os proximos subs sejam comissionados dentro do prazo

Battlefield
Battlefield
11 meses atrás

Um alento em tempos difíceis, atualmente com pouquíssimos meios operativos em boas condições na esquadra…
Houve um tempo(2000/2001) em que o Brasil teve 02 porta aviões, 04 Destroyers (Contratorpedeiros), 10 Fragatas, 4 corvetas e 4 submarinos, hoje não temos nem 1/4 disso operando….
Navegar é a principal atividade fim da MB, e seus inúmeros prédios, em frequentes expansões, não navegam…

FERNANDO
FERNANDO
Reply to  Battlefield
11 meses atrás

Dois porta aviões???? Não sou deste tempo! Quais eram?
Me lembro do Anterior ao A12 apenas

Camargoer
Camargoer
Reply to  FERNANDO
11 meses atrás

Ola Fernando. O colega tem razão. O A11 esteve operacional durante algum tempo junto com o A12 recém chegado. Lembro de fotos dos dois navegando juntos.

Salim
Salim
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Sim operaram juntos, ate foi cogitado transformar o Minas Gerais em porta helicópteros capacitando a segunda frota no norte. O que se viu depois estamos colhendo agora, somos especialistas em perder oportunidades de crescer.

Helio Eduardo
Helio Eduardo
Reply to  Salim
11 meses atrás

Mestre Salim, ao ler sua postagem me veio à mente o ditado “quem tudo quer, nada tem”.
O Minas estava cansadão, é verdade, mas saiu de cena para que o São Paulo, então uma grande esperança, ganhasse, num futuro não tão distante, um companheiro. Ficamos sem o idoso Minas e sem o novíssimo, bombadíssimo e moderníssimo navio que o substituiria… E o Atlântico, um autêntico porta-helicópteros, só chegou em 2018, depois que o São Paulo se foi…

Helio Eduardo
Helio Eduardo
Reply to  Helio Eduardo
11 meses atrás

Complementando: o que dá alento e orgulho é ler reportagens como esta, nossos SBR prestes a navegar!

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Helio Eduardo
10 meses atrás

Quem tudo quer nada tem e quem quer correr antes de saber andar, cai.

Dalton
Dalton
Reply to  Camargoer
11 meses atrás

Foi só uma foto para fins promocionais, a marinha não tinha condições de manter os dois e a mesma coisa aconteceu com à Argentina quando recebeu o “25 de Mayo” em 1969, imediatamente o “Independencia” foi posto na reserva e vendido para desmanche já em 1971.
.
Quanto ao número de 18 “escoltas” em 2000/2001 já não era factível
tanto que em 2002, 2 dos “contratorpedeiros” foram retirados de serviço e em 2004 um terceiro se foi, mais uma fragata e a corveta
“Barroso” passou a experimentar mais atrasos por falta de verbas.

Vovozao
Vovozao
Reply to  Dalton
11 meses atrás

07/08/19 – quarta-feira, btarde, DALTON, outro dia estivemos conversando a respeito da decadência da MB, falamos das escoltas retiradas, e, o que restou das nossa ”velhas”…. bem….”velhas” escoltas e no bate papo, esquecemos de uma corveta……. A Caboclo… Nossa vovozinha das escoltas. Isto é só para alegrar o debate.

Demetrius
Demetrius
Reply to  Vovozao
11 meses atrás

Realmente, muito engraçado e alegre…

Enes
Enes
Reply to  Vovozao
11 meses atrás

Vovosão, boa noite, a corveta caboclo na verdade é como todas as Imperial Marinheiros eram navios do Salvamar, rebocadores e patrulha, apesar da nomenclatura Corveta, nunca foram escolta.

Vovozao
Vovozao
Reply to  Enes
10 meses atrás

08/08/19 – quinta-feira, bdias, Enes, sei disso, entretanto até hoje não entendi porque a MB não renomeou?? É que eu postei outro dia que a MB a partir de 2000 havia perdido 6 escoltas com a Jaceguai que será desativada agora, e, DALTON, corrigiu não são 6 e sim 10 com os destróieres, e, neste período só havíamos adicionado a Barroso, então, ontem aproveitei e disse que esquecemos a velinha…..Caboclo.

Enes
Enes
Reply to  Vovozao
10 meses atrás

Entendi, inclusive não há previsão de baixa da Caboclo pelo menos que eu tenha tomado conhecimento, deve operar por mais algum tempo.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Dalton
10 meses atrás

Ola Dalton. Você tem razão sobre a dificuldade que a MB teria de manter duas tripulacaoes pés e dois esquadrões de caças navais. Mas ficou uma foto bem bonita dos dois NAe juntos.

Dalton
Dalton
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Ficou mesmo…até comprei na época uma revista acho que Tecnologia & Defesa com as fotos de ambos, para guardar de recordação e na lista que apresenta as siluetas dos navios e embarcações da marinha os 2 corretamente aparecem afinal ainda não se havia dado baixa no “Minas”.

Salim
Salim
Reply to  Dalton
10 meses atrás
Carlos
Carlos
Reply to  FERNANDO
11 meses atrás

“”Minas Gerais””

Fabio Mayer
Fabio Mayer
Reply to  FERNANDO
11 meses atrás

Quando o A11 e o A12 navegaram juntos, já havia a crise que se vive hoje, sendo que o A11 não suportava mais aeronaves de asa fixa e o A12 necessitava de enormes manutenções. No fim, os dois navegavam, mas não representavam grande coisa. Os problemas da esquadra vem de, ao menos, 1990, e ela vem diminuindo ano a ano…

Enes
Enes
Reply to  Fabio Mayer
11 meses atrás

Fabio Mayer, procure ler sobre a guerra da lagosta e você vera que naquela época, anos 1960, já tínhamos imensos problemas na esquadra.

Hélio
Hélio
Reply to  Battlefield
11 meses atrás

Primeiro, esses tais meios eram da época da segunda guerra, fora, obviamente, os que continuaram ativos após essa época. Segundo, o Brasil nunca teve dois NAes operando ao mesmo tempo.
A função da marinha é defender os interesses brasileiros no mar, isso não se faz só com navio, é necessário ter uma imensa estrutura administrativa e de apoio para se ter a mínima capacidade de operar navios de maneira adequada e fazer cumprir sua função.

Flanker
Flanker
Reply to  Hélio
11 meses atrás

A MB nunca teve 2 NAe operacionais ao mesmo tempo, pois após ter chegado ao Brasil, o A-12 demandou tempo de treinamento e preparação para ser declarado operacional…..enquanto isso, o A-11 deu baixa do serviço ativo. Mas, entre a chegada do A-12 e a baixa do A-11, a MB teve, sim, mesmo que por poucos meses, 2 navios-aeródromos ativos!

Minuteman
Minuteman
Reply to  Battlefield
11 meses atrás

A próxima década será de relativa felicidade as forças armadas:

Marinha:
– Fragatas Tamandaré
– Possíveis compras de Murasames, OHP, ANZAC e etc
– Possíveis compras de diversos equipamentos americanos

Força Aérea:
– Gripen E/F
– KC-390
– Possíveis compras de diversos equipamentos americanos

Exército:
– Guarani
– Possíveis compras de diversos equipamentos americanos

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Minuteman
11 meses atrás

Subtraia dos novos aqueles que darão baixa e vai ver que a única área realmente boa é a de submarinos, todo o resto é prejuízo pela quantidade.

Charles Dickens
Charles Dickens
Reply to  Minuteman
11 meses atrás

Sim, com certeza, não haverá lugar para tantos equipamentos americanos que o Brasil vai receber. Principalmente sei próximo presidente americano for o atual prefeito de Nova York, que já é pré candidato, e que “adora” o presidente brasileiro.

Fabio Mayer
Fabio Mayer
Reply to  Charles Dickens
11 meses atrás

Charles Dickens, o prefeito de NY não passa nem das primeiras primárias…

Minuteman
Minuteman
Reply to  Charles Dickens
11 meses atrás

Pelo visto você não acompanha as pesquisas para as primárias Democratas.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Charles Dickens
10 meses atrás

ou vai ser o Joe ou Trump, não existe outra opção, se vier outro aí podemos colocar as asas pra fora, pq o os EUA iriam afundar de tanto socialismo, os EUA indo à m…. compraríamos o que quisesse pois o dólar estaria fraco e as empresas desesperadas por dinheiro.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Minuteman
11 meses atrás

EB:
Compra dos Super-Cobras
Compra de novas peças de artilharia
Algum novo MBT
Algum sistema AAA

Tudo via FMS. Amém?

Minuteman
Minuteman
Reply to  Willber Rodrigues
11 meses atrás

Amém.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Willber Rodrigues
10 meses atrás

Amém irmão

MFS
MFS
Reply to  Minuteman
10 meses atrás

Até 2022 deverá ser assinado o segundo lote de 36 Gripen E/F, e em 2026 um segundo lote de 4 Tamandaré. Nossos Gripen estarão com misseis Meteor e as Tamandaré poderão usar o Exocet Block.3 de longo alcance (180km). Na década de 2030 deverá ser buscado uma escolta maior provavelmente uma Meko A200 BR modificada , além de outro lote de submarinos.

filipe
filipe
Reply to  MFS
10 meses atrás

Mesmo assim vamos precisar de 1 NAE CATOBAR , o NAE ainda simboliza o poder de um esquadra.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  filipe
10 meses atrás

deus me livre de Nae,

Mauro
Mauro
Reply to  Battlefield
11 meses atrás

O Brasil já teve NAE, escoltas e caças/bombardeiros embarcados. Mas nunca ao mesmo tempo. rsrsrsrsrsrs

Maurício Veiga
Reply to  Battlefield
11 meses atrás

Já naquela época tudo muito surrado e obsoleto, tínhamos apenas quantidade e não qualidade, mudar é preciso vamos navegar adiante….

Renan Braga
Reply to  Battlefield
11 meses atrás

Verdade eu tinha 16 anos e lembro da marinha destribuida um panfleto de duas páginas no topo os porta aviões seguido das demais embarcações … Naquele tempo como eu era ingênuo tinha orgulho e achava que era capaz de nos defender. Com 18 venho o obrigatório foi meses perdidos com muita humilhações e canções como mantras para eu acreditar que isto era útil a mim e a nação não arreguei pois não queria decepcionar minha mãe mas no fundo do meu coração não acreditava sabia que eu era um servisal a mando de quem fosse pintei muito muro carpi muito… Read more »

Ricardo Carvalho
Ricardo Carvalho
Reply to  Battlefield
10 meses atrás

Predios ao menos geram empregos, para passear de barco observando a Shell extrair oleo pode ser mais barato alugar uma traineira.

Osvaldo serigy
Osvaldo serigy
11 meses atrás

Que ótima notícia! Que os mares recebam o S40 muito bem! E que venham os outros Subs logo! Capacidade em construir temos o que falta é coragem, foco e parar com corrupção em projetos públicas!

O filme aqui divulgado pelo site Alerta Lobo (netflix) é muito bom! Fiquei só pensando no nosso Submarino Nuclear que espero até 2030 ser entregue!

Enes
Enes
Reply to  Osvaldo serigy
11 meses atrás

Tive o prazer de assistir.

filipe
filipe
Reply to  Osvaldo serigy
10 meses atrás

Tem é que ver o Hunt to Killer ou Furia no Alto Mar do Richard Buttler , o melhor filme de submarinos da historia.

Camargoer
Camargoer
Reply to  filipe
10 meses atrás

Olá Filipe. Ainda acho “Das Boot” o melhor filme de submarinos que já assisti.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Osvaldo serigy
10 meses atrás

Excelente o filme. Recomendo…

Deivid Campos
Deivid Campos
11 meses atrás

Alguém sabe se a MB divugol o dia exato dos testes?

Enes
Enes
Reply to  Deivid Campos
11 meses atrás

Não existe o dia exato, os testes duram pelo ano inteiro.

Enes
Enes
Reply to  Enes
11 meses atrás

Chama-se período de aprestamento.

ALEXANDRE
11 meses atrás

Muito bom,leva esse tempo todo pq foi primeiro sub feito pelo Brasil ou todos teram esses testes demorados?nem preciso dizer que sou leigo.
Espero que Bolsonaro garanta pelo menos mais um lote

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  ALEXANDRE
11 meses atrás

Não foi o primeiro sub feito no Brasil. A classe tupi já teve fabricação local e o Tikuna ainda foi parcialmente modificado em projeto e feito aqui.

ALEXANDRE
Reply to  Fernando Turatti
11 meses atrás

Da classe …

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  ALEXANDRE
11 meses atrás

Alexandre também sou leigo, mas gostaria de destacar que esses atuais tem pelo menos 3 grandes diferenças:
1-O índice de nacionalização é bem superior ao dos IKL, incluindo a seção de proa que nunca havíamos fabricado.
2-Foi construido um complexo naval p/ construção/manutenção não só desses submarinos, mas também do SN-BR de altíssimo nível.
3-O grau de sofisticação destes e sobretudo do SN-BR é muito maior que o dos IKL que construimos.
Abs.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  LucianoSR71
11 meses atrás

Luciano, concordo em quase tudo, excetuando-se a sofisticação maior dos S-BR em relação aos IKL. Hoje de fato são mais sofisticados que nossos veteranos, contudo, comparando-os cada qual ao seu tempo, não vejo grandes diferenças. Os scorpene essencialmente são hoje o que eram aqueles IKL. Caso fossemos dar um salto época por época, precisaríamos ter ido, quem sabe, com os submarinos espanhóis ou algo à lá japoneses

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Fernando Turatti
10 meses atrás

Fernando, o sistema de gerenciamento de combate dos nossos submarinos é o SUBTATICS, que é o mesmo dos submarinos nucleares franceses ( vide filme francês recente onde aparecem imagens do interior destes ), não creio que o dos IKL fosse do mesmo nível dos nucleares contemporâneos, lembrando que a Alemanha nunca teve submarino nuclear. Apesar de que temos que descontar a época em que foram construídos, isso não inviabiliza o considerar mais sofisticado, veja por exemplo o F-15 que era o topo dos caças americanos de sua época e o atual F-35, não é só uma questão de cronologia a… Read more »

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  LucianoSR71
10 meses atrás

Luciano, muito embora os alemães não façam submarinos nucleares, os mesmos tem seus truques na manga, assim como os convencionais tem algumas vantagens consideráveis em relação aos irmãos maiores. Obviamente descrevê-las aqui seria chover no molhado.
De fato, F-15 e F-35 são de complexidades diferentes, contudo, fica ainda mais estarrecedor quando se compara o F-35 com seu real antecessor, o F-16.

LucianoSR71
LucianoSR71
Reply to  Fernando Turatti
10 meses atrás

Caro Fernando, o foco nosso bom debate era a complexidade, não emiti opinião quanto ao melhor, até porque o Scorpene tem relativamente muito pouco tempo e unidades p/ poder se fazer uma boa comparação c/ os IKL ( não gosto muito desses Super Trunfo que se vê por aí, de nada adianta mergulhar mais fundo ou ser mais veloz se ele não tem confiabilidade, por exemplo ). Só o tempo dirá se na prática fizemos a melhor opção, apesar que devido a questão do apoio ao SN-BR, creio que não restou outra alternativa a MB senão fechar c/ os franceses.… Read more »

JT8D
JT8D
Reply to  Fernando Turatti
10 meses atrás

Submarino espanhol não é aquele que não submergia (erro de projeto)? É incrível como a grama do vizinho sempre é mais verde. Se conseguíssemos subnucs classe Los Angeles alguém ia dizer que era melhor ter comprado naves romulanas

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  JT8D
10 meses atrás

Erraram a vírgula no projeto do casco e ele ficou muito pesado, se submergisse não flutuava mais.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  JT8D
10 meses atrás

JT8D não coloque palavras em meu teclado rs. Não disse que fizemos uma escolha ruim, não disse que os espanhóis são absurdamente melhores, nem sobre os japoneses. Minha questão quanto a complexidade ali se aplicava em especial a tonelagem.
Os scorpene são bons o bastante, eu em particular até era defensor de que ao invés de construir 4+1 nuclear, construíssem 7 ou quem sabe 8 convencionais, mas isso é outra história.

ALEXANDRE
11 meses atrás

Terão *

FERNANDO
FERNANDO
11 meses atrás

Olha, por esta foto me parece que é um logística terrível municiar o submarino.
Pior, que não se faz em qualquer lugar não.

Marcelo Zhanhsi
Marcelo Zhanhsi
Reply to  FERNANDO
10 meses atrás

O scorpene tem entrada própria para municiar o sub que torna tudo mais fácil. Outras classes de subs, como o Tikuna e o Tupi, é ainda mais difícil, pois é necessário colocar a munição pelos tubos de torpedos. Isso implica na necessidade de inclinar o sub para levantar a parte da frente. Uma logística terrível.

TeoB
11 meses atrás

Que notícia boa! Espero que ocorra tudo bem nos testes… Ansioso pra ver o teste d F21 tbm… poderia ser no casco de uma Niterói.

ECosta
ECosta
Reply to  TeoB
11 meses atrás

O São Paulo ainda está no porto. Seria um alvo perfeito !

Enes
Enes
Reply to  ECosta
11 meses atrás

Está sim mais não será alvo por causa da grande quantidade de amianto que iria para o mar.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Enes
10 meses atrás

Caro Enes. Acho que ele tem outras fontes de contaminação relacionadas à presença de lubrificantes e metais pesados. Pelo que lembro, a MB estaria fazendo um mapa digital do A12 antes dele ser descomissionado. Acho que será melhor concluir essa etapa antes de desmantela-lo.

Enes
Enes
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Positivo e operante.

João Moro
João Moro
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

O que seria esse mapa digital? seria uma forma de adquirir conhecimento para a construção de um PA?

Camargoer
Camargoer
Reply to  João Moro
10 meses atrás

Olá João. Acho que era exatamente isso. A MB estaria elaborando um projeto digital de todas as instalações do A12 que servirão de ponto de partida para o projeto do A13. Acho que estão mapeando tudo, da estrutura do casco até as instalações elétricas e hidráulicas (achei uma excelente ideia)

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  ECosta
10 meses atrás

Adoraria ver ele levar um torpedo, eu odeio aquele navio, Au revoir São Paulo

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Carlos Campos
10 meses atrás

Falando em São Paulo, na altura da aquisição, o navio apresentava problemas com a Marinha francesa? Porque é que os repetidos acidentes comessaram a acontecer nas mãos brasileiras, pior, um deles logo a seguir a um período de reparos?
Para além do mais, a Marinha e os leitores da trilogia ficaram muito espantados em ter de gastar dinheiro no são Paulo, mas esperavam o que? Navio a ser vendido por 12 milhões de dólares, quase oferecido portanto, mas a culpa é dos franceses ou, pior, do navio? Navio que operou, convenhamos, de forma minimamente exemplar ao serviço dos franceses.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Peter nine nine
10 meses atrás

o navio era para manter o Ego dos príncipes, custou milhões para comprar manter e reformar, depois queriam gastar mais milhões para operar, tava encostado e consumindo manutenção, era um buraco negro, é algo pessoal, se vc gostava do Navio problema seu.

rommelqe
rommelqe
11 meses atrás

PARABÉNS á MARINHA DO BRASIL. e a todos os demais que participam deste programa! Que todos os testes sejam positivos!

Sargento Pincel
Sargento Pincel
11 meses atrás

Os Scorpène são de encher os olhos…. parabéns MB!!!
Sabemos que faltam meios e que precisamos aumentar a esquadra mas também manter as velharias não adiantaria de nada.
Esperemos os próximos anos… creio que FMS vai nos ajudar a preencher essa lacuna enquanto não saem as fragatas produzidas aqui.

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Sargento Pincel
11 meses atrás

O Scorpene não é uma classe de muito sucesso, mesmo tendo sido desenhado especificamente para o mercado de exportação,

Sargento Pincel
Sargento Pincel
Reply to  EduardoSP
11 meses atrás

Em termos técnicos são excelentes… Porem os Indianos tiveram problemas em sua operação. Torço para que de certo aqui no Brasil…

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  Sargento Pincel
11 meses atrás

Pois indianos tiveram problema com baixa qualidade de construção nos estaleiros nativos.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Marcos R.
10 meses atrás

Os indianos têm um problema crónico a operar seja o que for.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Sargento Pincel
11 meses atrás

Os problemas dos suas indianos foram de construção e não de projeto.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Sargento Pincel
11 meses atrás

os indianos tem problemas com qualquer coisa… acho isso incrível.

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  Victor Filipe
11 meses atrás

Lembrando que eles quase deram PT num subnuc por erro de operação!

Enes
Enes
Reply to  EduardoSP
10 meses atrás

Eduardo, somente em uma guerra naval se pode avaliar o real sucesso de uma belonave.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Sargento Pincel
11 meses atrás

FMS pra nossa marinha dificilmente, uma vez que a política local inclui fabricação local. FMS só atende made in USA.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
11 meses atrás

Espero que venham mais uns dois ou três desta classe e pelo menos mais um nuclear!

Teórico
Teórico
11 meses atrás

Qual o volume de óleo Diesel o Riachuelo armazena ? Onde fica localizado o depósito ?

Sargento Pincel
Sargento Pincel
Reply to  Teórico
11 meses atrás

Não vai passar essa informação para venezuela em!!! rs..

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Teórico
11 meses atrás

Os IKL são aproximadamente 180 ton

ScudB
ScudB
Reply to  Teórico
11 meses atrás

Quem responder se enquadra automaticamente nos artigos 355 e 356.

Diego
Diego
Reply to  Teórico
11 meses atrás

Pq quer saber?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Teórico
10 meses atrás

vc trabalha para quem? brincadeira, ficquei curioso agora

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Teórico
10 meses atrás

🙄🔫

Augusto
Augusto
11 meses atrás

Esse nota contraria as “informações” publicadas aqui mesmo, sobre o dilatado e tardio prazo de entrada em serviço desses submarinos, tudo para tentar justificar uma possível transferência (ou não) de algum Tupi aos argentinos.
Não estou opinando sobre transferir ou não algum Tupi aos argentinos, estou apenas dizendo que essa nota contraria totalmente o que foi publicado aqui com bastante alarde sobre a entrada em serviço da classe Riachuelo.

João Moro
João Moro
Reply to  Augusto
11 meses atrás

Sobre a transferência de subs aos argentinos, temos que lembrar que foi somente um jornal sensacionalista que publicou essa “notícia”. Por isso, não podemos dar como certo essa informação.

Augusto
Augusto
Reply to  João Moro
11 meses atrás

Meu ponto não era esse, também acho que não vai acontecer nada em relação aos Tupi, exceto ficarem com a MB e ponto.
Meu ponto é usar como argumento, um prazo muito dilatado de entrada em serviço dos Riachuelo para justificar tal fato. Uma desinformação.
Vemos aí que não vai demorar tanto assim, o que é uma ótima notícia.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Augusto
10 meses atrás

Se bem que considerando que os riachuelo serão eventualmente desactivados de qualquer forma, ao menos que fosse de maneira parcelada, de preferência cedendo ou vendendo, mas sempre lucrando algum, enquanto ainda têm valor militar para interessados. Podiam e deviam comessar já, é, na minha visão, a maneira correcta de desactivar meios.

Peter nine nine
Peter nine nine
Reply to  Peter nine nine
10 meses atrás

Perdão, tupi, queria dizer tupi, não riachuelo.

Jorge Dias
Jorge Dias
11 meses atrás

Pra quem não sabe ,é a máquina mais difícil de se construir , parabéns aos engenheiros

Pedro
Pedro
11 meses atrás

O A-12 foi o presente “Renault” que os franceses nos deram… de raiva, enviamos o Neymar pra eles… 🤣🤣🤣🤣

everton sbrisse
Reply to  Pedro
11 meses atrás

Pelo jeito saímos ganhando então.kkkk

Camargoer
Camargoer
Reply to  everton sbrisse
10 meses atrás

Ola Everton. O ministério da defesa deveria financiar.a clonagem do Neymar. Seria uma espécie de arma biológica!!!!!

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

seria melhor financiar escritórios de advocacia e partidos de esquerdas para fazer o máximo de migrantes entrarem lá e destruírem o país de dentro pra fora.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Carlos Campos
10 meses atrás

Caro Carlos. Uma alternativa mais simples é financiar a ascensão de um indivíduo de extrema direita. Será apenas uma questão de tempo até ele levar essa sociedade ao colapso (pelo menos esse modelo de destruição já foi testado com sucesso em vários momentos na história da civilização).

JT8D
JT8D
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Eu sei que vc faz parte de uma das torcidas, mas o problema maior não é a preferência ideológica, e sim o extremismo. Tanto faz se é extrema direita ou extrema esquerda

Camargoer
Camargoer
Reply to  JT8D
10 meses atrás

Olá JT&D. Concordo. Existe a opção democrática e a autoritária. A extrema-esquerda e a extrema-direita, por razões e objetivos diferentes, não toleram a oposição e por isso serão necessariamente autoritárias. A democracia usa o confronto ideológico entre a esquerda e direita para o mútuo controle e fiscalização. A democracia só ocorre pelo debate ideológico entre os diferentes. As ditaduras não tolera diferenças.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

não sei o que é extrema direita! seria anarcocapitalismo?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Carlos Campos
10 meses atrás

Ola Carlos. Sugiro o livro do Leandro Konder “introdução ao Fascismo” e também o livro do Primo Levi “é isto um homem?”. Ambos estão disponíveis na internet. Também tem uma série da BBC sobre aushivtz no canal Vimeo. Um regime de extrema direita pode ser compreendido como toda ditadura na qual existe a propriedade privada dos meios de produção. Um regime de extrema esquerda seria toda ditadura nos quais os meios de produção privados são proibidos. Exemplos de regimes de extrema direita seriam o Fascismo, o Nazismo, a ditadura militar no Chile, a ditadura na Argentina… Consultei a Wikipédia em… Read more »

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  everton sbrisse
10 meses atrás

Pelo menos o A 12 foi mais barato que o Neymar, saímos em vantagem no preço, a decepção pelos resultados dos dois deve ser a mesma!

cwb
cwb
11 meses atrás

Assisti o filme o canto do lobo, que apesar de ser ficção me deixou intrigado com aquela biblioteca acústica.Em teoria um submarino francês pode localizar facilmente um submarino nosso,pois eles sabem o que procurar,ou nos nossos submarinos terá nosso pulo do gato para evitar isso?
abraço a todos!

cwb
cwb
Reply to  cwb
10 meses atrás

negativaram minha pergunta….

Enes
Enes
Reply to  cwb
10 meses atrás

Com certeza, a assinatura de cada Sub é individual, como se fossem impressão digital.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
11 meses atrás

Que bichão imponente viu, fico imaginando uma foto similar, no futuro, do SNBR. 😉

Marcos Campos
Marcos Campos
Reply to  Tomcat4.0
10 meses atrás

Duvido tirarem uma foto do SN-BR fora d’água….

Foxtrot
Foxtrot
11 meses atrás

“e um mock-up de um míssil antinavio MBDA Exocet SM39 Bloco 2 Mod”.
Será que é mesmo um mock-up, ou será que é o primeiro lançamento do SM- Mansup??
Não custa nada sonhar né? rsrsr
Mas ótima notícia, parabéns MB/ ICN.
Quanto aos testes de mar e lançamento do torpedo F-21, eu ficaria hiper feliz se nesses testes fossem lançados também os primeiros testes do torpedo pesado nacional.
Ai fecharíamos o ano com chave de diamante (muito melhor que ouro).
Isso para não falar no SONAT/ SONAP.

Yluss
Yluss
Reply to  Foxtrot
11 meses atrás

Se não me engano, o projeto do TPN foi descontinuado… 🙁

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Yluss
10 meses atrás

Sério caro Yluss?
Triste!

cwb
cwb
11 meses atrás

Boa noite:
Quem forneceu a tecnologia dos submarinos não é detentor das assinaturas acústicas dos mesmos em seus bancos de acústica?
Apesar de ser segredo da marinha os nossos serão diferentes?
abraço a todos

Marcos R.
Marcos R.
Reply to  cwb
10 meses atrás

Cada sub é como um indivíduo, embora tenha as características da classe, sua assinatura acústica é única.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcos R.
10 meses atrás

Olá Marcos. Acho que faz sentido. A complexidade de um submarino é suficiente para que ocorra uma variabilidade estrutural mesmo em unidades similares. Que coisa bonita.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  cwb
10 meses atrás

boa pergunta, uma vez alguém aqui comentou que cada hélice é diferente e cada uma produz um som diferente

cwb
cwb
11 meses atrás

Isso dito acima não compromete o submarino nuclear por ele ser fruto dessa tecnologia?
Apesar da planta nuclear e motor elétrico gerar uma acústica diferente,a hidrodinâmica aparentemente é a mesma.
abraço a todos!

Space jockey
Space jockey
Reply to  cwb
10 meses atrás

O tamanho do nuke é bem maior

jodreski
jodreski
11 meses atrás

Fato é… a MB só voltará a ser uma marinha de respeito e o mais importante: operacional o dia que ela enxugar sua folha de pagamento. Enquanto não houverem dispensas nas três forças elas sofrerão com falta de verba para investimento e manutenção dos meios que possui e que obviamente afetará o adestramento dos seus integrantes. Falo e repito não existem comandantes machos o suficiente para tomarem essa decisão, a política acaba falando mais alto… Infelizmente.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  jodreski
10 meses atrás

Cara, vou escrever outra vez! Não dá para exonerar 50% dos integrantes das FFAA assim de uma hora pra outra. Os custos seriam terríveis, deve ser feito aos poucos como a FAB está fazendo , mas levará uns vinte anos!

Vovozao
Vovozao
Reply to  Marcelo Andrade
10 meses atrás

08/08/19 – quinta-feira, btarde, caro M.Andrade, por favor não acredite nesta utopia, caso a MB, realmente quisesse diminuir os quadros não estaria a todo momento fazendo novos chamamentos, agora mesmo abriram concurso cabos, sargentos em várias especialidades, caso realmente optassem pela diminuição, fariam uma sondagem interna para verificar se não teriam pessoal para ocupar estás vagas, porém nunca fazem isso; vão logo fazendo concurso, verifique que ao invés de diminuir o quadro de pessoal só aumenta, a única coisa que diminui são os meios. Como sempre digo temos a maior marinha em ”terra” do mundo, acho que dentro de pouco… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Vovozao
10 meses atrás

eles poderiam terceirizar o que não é função militar. e esse porcesso seletivo interno seria muito bom também

Taso
Taso
Reply to  Vovozao
10 meses atrás

Vovozão, nesse ano ocorreu a maior formatura de sargentos da história da marinha… parece que a idéia de diminuir o quadro é só aqui no PN mesmo.

Amauri Soares
11 meses atrás

Com toda sinceridade espero que a produção de subs não pare após estes novos serem lançados ao mar. Se isso acontecer será uma decepção , sabemos MT bem que esses poucos que estão sendo construídos não são o suficiente para proteger nossos mares , precisamos de no mínimo uns 30 subs convencionais e mais uns 10 nucleares . Espero que esse governo atual invista mais nas forças e as forças saibam usar corretamente esses recursos que vinhe-rem a serem liberados ou não , precisamos de MT mias que isso principalmente no norte do Brasil que já se faz MT tempo… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Amauri Soares
10 meses atrás

Esquadra do Norte? já vi isso, mas no principado de Guanabara Bay não é muito bem visto eu acho.

bacharel em nada.
bacharel em nada.
Reply to  Carlos Campos
10 meses atrás

Onde ficaria localizada uma esquadra no norte? São Luis? Belém?

jodreski
jodreski
11 meses atrás

Se olharmos para o montante total de verba que as forças recebem e analisarmos o que sobra daquilo para ser feito investimento é praticamente um milagre nós estarmos colocando esse Sub em teste no mar. Espero que tudo ocorra conforme o esperado e que em um futuro não muito distante as forças sejam comandadas por homens que tenham coragem suficiente para fazer as dispensas que são necessárias e que possamos assim ter mais verba para investimentos.

Camargoer
Camargoer
Reply to  jodreski
11 meses atrás

Caro Jodreski. O Brasil usa cerca de 1,4% do PIB em defesa (a média mundial é 2,2%. A Colombia usa 3,4%). Como o PIB do Brasil esta entre os 10 maiores do mundo, isso representa US$ 23 bilhões por ano (11 posição). A Colômbia tem um orçamento de US$ 10 bilhões por ano. A conclusão é que o Brasil tem um enorme orçamento militar. Em valor absoluto, o que é investido (algo em torno de US$ 2 bilhões, ou um pouco menos de 10% do orçamento) é maior que os orçamentos inteiros da maioria dos países do mundo. Se o… Read more »

GraySkull
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Caro Camargoer, seria excelente um aumento no percentual de gastos militares em relação ao PIB se o orçamento federal já não estivesse tão pressionado. Porém a afirmação do jodreski é irrefutável a realidade de que nossas FFAA tem um quadro inchado. Tomemos a Itália como exemplo. Tanto PIB, quanto percentual de gastos são similares ao do Brasil, porém com cerca da metade do efetivo, a Itália consegue destinar cerca de 18% (€4,5bi) do orçamento em aquisições. É nítido que as FFAA necessitam, para ontem, tornar o seus processos mais eficientes para que seja possível uma redução drástica de pessoal, além… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  GraySkull
10 meses atrás

Caro Gray (eu gostava mais da Feiticeira do que da Teela), Os dados mostram que as forças armadas brasileiras são bem financiadas. Considerando que as PM dos estados são consideradas tropas de reserva (500 mil em todos o país) mas que são contabilizados como segurança pública, o valor da Defesa seja maior que 2% do PIB. Apenas as despesas com juros, previdência, saúde e educação têm orçamentos maiores que a defesa. Para aumentar os gastos com Defesa, seria necessário um aumento do PIB ou transferir recursos de outro ministério. Alguns colegas defendem o fim do serviço obrigatório sem se dar… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Não pesquisei. Mas não acredito que economias do tamanho da brasileira (entre as 10 maiores) mostrem um desempenho desses: 5% para investimentos. 95% para despesas, dentro dessas 80% com gente.

Análise por comparação vale quando o comparado é melhor. Comparar o país com os piores e com os mais ineficientes não é justo.

O estado pode diminuir.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Esteves
10 meses atrás

Caro Esteves. O Estado pode crescer, diminuir, ficar do mesmo tamanho, mudar. O tamanho do Estado não é um valor em si. Ele surge a partir das necessidades e prioridades da sociedade. O sonho comunista é uma sociedade sem Estado onde todos são iguais. O sonho capitalista é uma sociedade sem Estado onde todos são diferentes. O sonho democrático é uma sociedade onde os direitos humanos sejam respeitados, onde o indivíduo tenha sua liberdade garantida pela Lei e onde todo o poder emane do povo soberano. Nesse caso, o Estado será do tamanho que for preciso. Quando maior for o… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Professor, O estado comunista almeja alcançar o sonho comunista do partido único. Não há igualdade no socialismo. Existe coletividade. O estado capitalista almeja alcançar o sonho da diversidade proporcionada pela iniciativa livre. Eu acordo, levanto e vou às compras ou ao trabalho porque é necessário para minha subsistência. Não para a existência do estado. O sonho democrático. O cidadão deve ter grana no bolso para prosperar. Enriquecimento pode ou não acontecer. Nunca dependerá do estado como vemos na China e na Rússia. Estado não é governo. O governo será do tamanho necessário para cuidar da sociedade e do cidadão. O… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Esteves
10 meses atrás

Caro Esteves. Eu não entendi bem o que significa 95% do orçamento para existir (intuitivamente, eu diria que uma instituição usa 100% do seu orçamento) mas segundo uma reportagem do Estadão (“governo gasta 20% do orçamento com pessoal”). Claro que essa valor muda dependendo do órgão. Por exemplo o STF consome 67%. O IPEA tem um bom relatório sobre todo o funcionalismo publico nas três esferas. Caso tenha interesse, acho que irá ajuda-lo (Uma Análise Multidimensional da Burocracia Pública Brasileira em Duas Décadas (1995-2016)). Geralmente, é preciso contextualizar os números)

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Mestre, Sugestão. Debates para aprovar orçamentos públicos. Pode escolher a esfera. Aqui na cidade ou em outras aonde morei. GF ou assembleias nos estados. Ou a MB. 80% = custeios com pessoal. Incluídas as despesas que os donos dos orçamentos acreditam serem de pessoal como aluguéis e moradias. 10% a 12% = despesas operacionais com manutenções e conservações (máquinas = manutenções, prédios = conservações). Investimentos não tem passado de 6%. Quando Meirelles assumiu após o impeachment quanto havia para seguir investindo? 4%. A análise é uma só. Se o país investe o máximo de 4% a 6% do orçamento, a… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Mostrar que o investimento não passa de 10% do orçamento (tem ficado em torno de 6%) escancara nossa ineficiência.
Não é privilégio da MB. O orçamento público brasileiro come 95%. Despesas obrigatórias, leis amalucadas, Constituição de 1988.

OTAN? 40% é o teto com despesas.
Mundo da verdade? 60% é o teto com despesas.

No país das maravilhas…as despesas somam 95%.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Esteves
10 meses atrás

Caro Esteves. O funcionalismo público tem características diferentes em cada uma das esferas. No nível federal, são cerca de 620 mil servidores (incluindo executivo, legislativo e judiciário, sendo 120 mil professores com doutorado no MEC nas universidades e institutos federais) e 320 mil militares (2 civis para cada militar). Esse número tem sido mais o menos o mesmo há de 20 anos. Esses funcionários consomem 20% do orçamento federal. Os funcionários federais têm em média maior escolaridade que os outros níveis e maior salário. O salário médio do executivo é da ordem de R$ 12 mil, do legislativos da ordem… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Mestre,

Desarrazoamentos não são argumentos. A meta na OTAN. Os membros devem perseguir o objetivo de 40% para despesas nos orçamentos de Defesa. O Reino Unido com todas as dificuldades que o PN tem publicado está em torno de 60%.

Aqui torramos 94%. Uma conta simples. O que não é investimento transforma-se em custo. Despesa.

Exclusividade da Defesa? Não. O orçamento público brasileiro tem sido assim. Já foi pior. Tivemos governos recentes com 100% de comprometimento do orçamento. Para seguir a vida o GF se financia.

É o moto-perpétuo das finanças públicas brasileiras.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Esteves
10 meses atrás

Caro Esteves. Imagino que você esteja se referindo ao orçamento do MinDef (Fiquei com a impressão antes que você se referia a todo o orçamento federal, que também é bem diferente das contas do funcionalismo estadual e municipal. Como o tema é complexo, é preciso algum cuidado para não prejudicar a discussão). Ao contrário de sua posição, o propósito do debate é encontrarmos pontos de acordo mútuo. Para isso, a argumentação deve ser feita sobre dados confiáveis. Segundo a Folha (“Defesa tem maior gasto com pessoal na década, e investimento militar cai” de abril/2019) o orçamento do MinDef teria sido… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Mestre,

Acordo mútuo. Investimentos de 6%. A diferença (100 – 6) = 94.
80% são custeios com pessoal.
10% são despesas de operação (manutenções)
4% = despesas outras

Não há compatibilidade nem similaridade com outra Defesa de outro país. Investir 6% é a nossa realidade.

Não tem VAR. Não tem lance interpretativo. Não precisa fazer acordo mútuo. 6% = 6%.

Ponto.

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Mestre, Exoneração está fora de questão. Funcionário público tem estabilidade. Os royalties e as compensações pelos danos ambientais decorrentes da exploração dos hidrocarbonetos foram criados como investimentos no meio ambiente. Para compensar e reparar danos ambientais. O que as prefeituras fazem com o dinheiro? Contratam. Estados? Contratam. MB? O orçamento público brasileiro foi feito para dar emprego. Não vejo problema. País pobre depende do GF e do estado. Mas…abre uma empresa ou administra um condomínio gastando 80% com pessoal e 14% com manutenções de elevadores, bombas, elétrica. Se o bolo não cresce eu preciso dividir com mais igualdade. Funcionário público… Read more »

Sérgio
Sérgio
11 meses atrás

Importantíssimo avanço! Parabéns à Marinha e todos os envolvidos. E muito obrigado pelo empenho em proteger o Brasil e todos nós, brasileiros.

cesar silva
11 meses atrás

a marinha tem que corre atrás do segundo lote de 8 a 12 unidades adicionais e tentar garantir 12 unidades da classe tamandaré e mais pra frente fragatas de 5000 ou 6000 toneladas com capacidade anti aérea, dinheiro? e só começar a fazer uma reforma administrativa diminuindo o numero de pessoal que parte do dinheiro vai ter. fácil? não e mais tem que ser feito.

Audax
Audax
11 meses atrás

Espero que tudo corra bem com os testes. Com relação a manter dois PA no Brasil, isso era algo totalmente impossível de se manter. A Marinha teve muito mérito em ter mantido o Minas em operação por tantos anos. E isso se deu entre outros motivos pela transformação da geração de energia de DC para AC quando da compra do navio. Essa mudança foi fundamental para a longevidade do Minas. Mérito para Euclides Quandt de Oliveira que fez essa mudança e foi posteriormente comandante do Minas e Ministro das Telecomunicações. Sds.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
10 meses atrás

Bichão é bonito , Matador 3:)

FERNANDO
FERNANDO
10 meses atrás

Sim, realmente o scorpene é bonito.
Será um 0 km, bem utilizado.

Renato
10 meses atrás

Gostaria que esses submarinos fossem equipados com motores Stirling e não por diesel barulhentos.

Esteves
Esteves
Reply to  Renato
10 meses atrás

Li que japoneses + suecos são pioneiros nesses motores Stirling com AIP. A MB não considerou usar AIP.
Americanos, alemães, russos, chineses, além de suecos e japoneses que montam esses motores na classe Soryu estão à frente.

Nós…discutindo sobre as pensionistas.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
10 meses atrás

Até que enfim. Que venha os outros submarinos para serem testados e fiquem operacionais logo logo.

Edison Castro Durval
10 meses atrás

Eita no mês do meu aniversário, hehehe que presente bom, torcendo para que tudo evolua da melhor forma possível.

cwb
cwb
10 meses atrás

Uma pergunta para os conhecedores do assunto:
Quando adquirimos a construção dos submarinos franceses, fica implícito que todos os possíveis ruídos que este submarino venha a ter já estará nas bibliotecas acústicas da sua marinha?
O casco do sub nuclear não terá um ruído hidrodinâmico semelhante, mesmo a planta sendo nuclear?
Assisti o filme o canto do lobo, apesar da ficção muito ali é real…
abraço a todos!

Camargoer
Camargoer
Reply to  cwb
10 meses atrás

Ola Colega. Há um comentário de um colega, que acredito saiba mais do que eu, explicando que cada submarino é tem sua identidade acústica. Mesmo submarinos da mesma classe feitos no mesmo lote terão diferenças sutis em suas assinaturas que permitirão identificação individual. Eu imagino que submarinos da mesma classe terão identidades acústicas parecidas mas não idênticas. Talvez seja possível identificar primeiro a classe e depois dentro da classe qual unidade. Mas é apenas chute meu. Gostaria de ouvir o comentário de algum colega submarinista.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Camargoer
10 meses atrás

Os Sub Nuc tem fontes de ruido importantes. Não esqueçam que são máquinas a vapor. Temos ruídos de: turbinas, condensadores, pressurizadores, bombas de recirculação, hélice de alta potência e o turbilhonamento hidrodinâmico de seus sensores e superfícies de comando. A assinatura térmica deixada pela esteira de água expelida pelos condensadores revela o Sub a uma grande distância.O sistema AYP já está em reestudo, eis que as baterias modernas proporcionam grande tempo de operação submerso e com mínimo nível de ruído, ao mesmo tempo que necessitam menor espaço e tonelagem de ocupação. com isso o barco ganha mais combustível, viveres e… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Luiz Floriano Alves
10 meses atrás

Olá Luiz. Encontrei um texto que pode ser interessante sobre o ruido de submarinos. Segundo o Author, submarinos nucleares provavelmente geram maio ruido, mas esses dados são classificados. O autor estima que um submarino nuclear é cerca de 20dB acima de um diesel-eletrico operando com baterias (acho que quando o motor diesel está ligado, o submarino nuclear é mais silencioso). Procure por “What is known about the character of noise created by submarines?”

Ricardo Carvalho
Ricardo Carvalho
10 meses atrás

O Brasil não precisa de novas armas mas de homens para defesa da soberania

Maria L
Maria L
10 meses atrás

Volto aqui, como admiradora que sou da Marinha do Brasil e uma pessoa de centro esquerda. para compartilhar esse artigo que reputo importante.
https://jornalggn.com.br/noticia/fragatas-tamandare-cacas-gripen-ng-submarinos-scorpene-br-e-sistema-astros-made-in-brazil-com-ajuda-do-estado/

Luiz Floriano Alves
Reply to  Maria L
10 meses atrás

Espero que não tenha o mesmo nível de ruído dos Scorpenas da Índia. Um sub ruidoso é um alvo fácil para os modernos torpedos ASW inteligentes.
Os revestimentos de material anecóico são a solução. Espero que sejam adotados nos nossos barcos. Serão muito letais a medida que podem se aproximar dos alvos até a da distancia do tiro sem serem detectados.

Leonardo Caldeira
Leonardo Caldeira
9 meses atrás

Pessoal e aí? Os testes foram iniciados? Já estamos em Setembro e não sai nenhuma notícia sobre nosso Riachuelo.