Home Aviação Naval Protótipo do caça Tejas Naval realiza primeiro pouso a bordo de porta-aviões

Protótipo do caça Tejas Naval realiza primeiro pouso a bordo de porta-aviões

3198
92
Tejas Naval no primeiro pouso enganchado a bordo do INS Vikramaditya

Nova Deli: Um protótipo da versão naval do Light Combat Aircraft (LCA) Tejas se tornou o primeiro caça de fabricação indiana a pousar no convés de um porta-aviões.

O protótipo pousou com sucesso no convés do único porta-aviões operacional da Índia, INS Vikramaditya, marcando um grande avanço no programa da aeronave naval.

O Tejas Naval usou seu gancho de cauda para prender com êxito o cabo de parada, que atua como freio para desacelerar e parar o avião de combate, no convés do porta-aviões.

Um “pouso enganchado” no convés de um porta-aviões é uma façanha alcançada por apenas alguns caças desenvolvidos nos EUA, Rússia, Reino Unido, França e, mais recentemente, China.

92
Deixe um comentário

avatar
19 Comment threads
73 Thread replies
4 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
42 Comment authors
Karl BonfimNelson Daher JuniorÉmerson GabrielmarcusJohn Paul Jones Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Pavan
Visitante
Pavan

Parabéns pra eles… E enquanto nós estamos com A4 no solo pra manter a “doutrina”…

Rene Dos Reis
Visitante

Estão de parabéns mesmo ,o pior de tudo e ver os brasileiros tirando sarro dos indianos.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Manter a doutrina e gastar dinheiro público! De que adianta a MB ter caças se não em NAe para tê-los a bordo? Atualmente complementa o 1º/1º grupo de caça na prontidão terrestre e olhe lá…

jose luiz esposito
Visitante
jose luiz esposito

Vamos pensar meu amigo , tu queres que primeiro tenhamos um PAs , e depois formemos os Pilotos e a Doutrina , penses mais uma vez , deves começar a construir a tua casa pela Laje e Telhado ! E ainda fazes comentários como tendo razão !

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Certo, concordo em genero, número e grau. Portanto, cancela o sub-nuclear e cria a força submarina convêncional descente para as nossas necessidades, que nunca tivemos. Sem falar na força de patrulha minima da costa e dos rios que tambem nunca tivemos.

John Paul Jones
Visitante
John Paul Jones

E para tu manter meia dúzia de aviões numa base em terra vai manter doutrina de quê ? Se não tem PA e você quer manter alguns pilotos da MB com experiência com aviões em terra firme pode faze-los treinar nos aviões da FAB e não manter toda a estrutura de uma base só pra isso.

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Os brigadeiros da FAB, os vivos e os mortos, devem estar se acabando de rir pele quebra da lei que só permitia á FAB, operar aviões. Tipo a gente tentou dar a dica do racional. Só lamento.

Welington S
Visitante
Welington S

Calma que chegaremos lá amigo. Temos que ter fé no Brasil. Brasil Acima de Tudo!

Cristiano de Aquino Campos
Visitante
Cristiano de Aquino Campos

Jovem, já fui como tu. Fui vencido pelo Brasil real e os Brasileiros que mandam.

Gustavo
Visitante
Gustavo

na ponta do lápis, o treinamento de apenas um piloto, durante sua carreira de aviador naval, é mais cara que a aquisição de um caça. Quando eles dizem “não perder a doutrina” é porque recupera-la é muito mais caro do que mante-la. alguns pilotos navais já explicaram isso por aí, basta procurar. abraços.

Nostra
Visitante
Nostra

Ski jump take off by naval LCA from INS Vikramaditya
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

Top view of naval LCA
comment image

Karl Bonfim
Visitante
Karl Bonfim

Ó, que inveja boa dos indianos!!!

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Uma economia nem tão maior que a nossa… Aliás, menor até recentemente, com uma população bem mais pobre e os caras estão terminado um Porta-Aviões e já pousam um caça indígena em tal tipo de navio.
O Brasil, enquanto isso, bom… O Brasil não é sério, errado estou eu de comparar com qualquer país de verdade.

FRITZ PILSEN
Visitante
FRITZ PILSEN

É questão de prioridades. Forças Armadas não são prioridade para o Brasil pelo simples fato de que não temos ameaças externas que nos obriguem a investir mais do que já investimos em defesa. A Índia tem problemas reais com o Paquistão e com também com a China. Por isso, é fundamental que desenvolva meios de defesa e de ataque.

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Se não é prioridade, por que diabos metemos 25b de dólares anuais nisso como a ITÁLIA?
Não mascare ineficiência com “falta de prioridade orçamentária”

marcus
Visitante
marcus

80% ou mais do orçamento da defesa são para pagar os militares que estão na ativa e reformados, pensões de viúvas, filhos e filhas de oficias.
Para modernizar as forças armadas, deveria existir uma verba somente para esse fim ou fazer uma limpa generalizada no efetivo das forças armadas.

Mgtow
Visitante
Mgtow

Ja cansei dessa balela…”não temos ameaça externa, nao temos ameaça externa”

Emanuel
Visitante
Emanuel

A população de lá é bem mais pobre porque a distribuição de renda é bem pior que a nossa. Além do mais, Índia e Paquistão podem se estranhar a qualquer momento. Quanto a nossa força falta aquele motivo maior, aquela vontade de fazer direito

André
Visitante
André

Desculpe. Mas a India mesmo com a questão de castas (proibida pelo governo a décadas, mas ainda mantida na sociedade) apresenta uma distribuição de renda melhor que a brasileira.

Carlos Ravara
Visitante
Carlos Ravara

Em concentração de renda, Brasil fica atrás apenas do Catar.

Os 20 países mais desiguais do mundo:

África do Sul – 63
Namíbia – 59,1
Zâmbia – 57,1
República Centro-Africana – 56,2
Lesoto – 54,2
Moçambique – 54
Brasil – 53,3
Botsuana – 53,3
Suazilândia – 51,5
Santa Lúcia – 51,2
Guiné Bissau – 50,7
Honduras – 50,5
Panamá – 49,9
Colômbia – 49,7
Congo – 48,9
Paraguai – 48,8
Costa Rica – 48,3
Guatemala – 48,3
Benin – 47,8
Cabo Verde – 47,2

A fonte é do site UOL… Não postei na tentativa de não atrasar a publicação.

kaziranga
Visitante
kaziranga

A economia indiana em tamanho real é muito maior que a brasileira ( 11,3 trilhões x 3,45 trilhões, segundo lista do FMI ). O que vc quis dizer é valor. Pois mesmo em valor a Índia já esta bem acima, algo superior a 50%. Portanto, acho que não existe atualmente a mínima condição de comparação entre as duas economias.

Marcos10
Visitante
Marcos10

O PIB da Índia é de US$ 2,5 tri contra US$ 2,0 do Brasil.

Brunow
Visitante

PIB Indiano Dezembro 2019 U$ 2.726 trilhões, crescimento econômico 4,5%.
PIB Brasileiro Dezembro 2019 U$ 1869 trilhões crescimento econômico 1,20%.

Émerson Gabriel
Visitante
Émerson Gabriel

Esse PIB é nominal e não em PPP ( paridade do poder de compra ). Em paridade que é o real o da Índia é bem maior; é que a moeda deles é mais desvalorizada que a nossa

Fernando Turatti
Visitante
Fernando Turatti

Queria MUITO saber de onde saiu sua ideia de que “tamanho real” se mede numa das coisas mais voláteis do planeta, a Paridade por Poder de Compra. O tamanho real é aquele que se mede como em todo o planeta: Dólar. A economia deles hoje está ~600b acima da nossa. Num universo de 2 pra 2,6 trilhões não é exatamente algo “incomparável”, na realidade é até bem comparável se for atrás da quantidade colossal de gente vivendo por lá e dos problemas que eles ainda precisam lidar a mais do que nós. Não existe desculpa e nem atenuante para nosso… Read more »

Diogo de Araujo
Visitante

lançaram até sonda pra Marte já. Acho que ninguém tira sarro do potencial dos indianos aqui, a crítica pelo que vejo, é apenas pela forma realmente estranha como eles gerenciam as coisas.

Nostra
Visitante
Nostra

That’s fair actually But one should take into account that India is a democracy and i am sure all of you know the pitfalls of democracy . In the name of democratic rights Foreign interference , domestic traitors willing to sabotage the country for money and ideology leds to impediments to progress and development. Eg. when ISRO started to develop cryogenic engines , America forced Boris Yeltsin to refuse technology to ISRO , but ISRO managed to get few engines beforehand. Later CIA with the help of traitors implicated top ISRO scientist incharge of cryogenic engines in a false espionage… Read more »

Junior
Visitante
Junior

Excelente comentário, agora consigo entender muita da confusão que acontece em muitos programas militares indianos

Esteves
Visitante
Esteves

Mas não tenha dúvidas que interferências acontecem aqui.

A empresa norte-americana das baterias que fechou obrigando o PROSUB a identificar outra, o que não foi de todo ruim, mas colabora para atrasar o programa.

A interrupção dos programas e dos pagamentos que sempre levam o rótulo de contigenciamentos e que se e quando são descontingenciados, o ano já foi.

Vamos ver se os franceses entregam o casco do submarino nuclear e se o Álvaro Alberto será incorporado.

Se até o ovo foi sabotado…imaginem reatores nucleares.

Diogo de Araujo
Visitante

yes friend, i believe in that too. I dunno if you have ever heard something about a brazilian satellite launcher which was called “VLS”. It has exploded on the test site causing severe deaths including “key people” for the program. Some brazilians believe in sabotage even nowdays.

Bardini
Visitante
Bardini

Jai Hind!

filipe
Visitante
filipe

Nunca duvide de Brasil e sua gente, somos pioneiros em muitas tecnologias , e somos reconhecidos mundialmente por isso, vamos ter o primeiro caça fabricado e montado aqui, o Gripen E/F, já temos submarinos montados e fabricados aqui, teremos o primeiro submarino nuclear com um reactor nuclear 100% Brasileiro, teremos as primeiras fragatas avançadas Meko A100 fabricadas aqui, já fabricamos um cargueiro global o KC-390 Millenium , montamos o EC-725 Super Cougar, fabricamos e montamos o Mansup, fabricamos e montamos o Missil AVC-300 Matador, fabricamos e montamos o Veiculo 6X6 Guarani. Acredito que num futuro não muito distante teremos o… Read more »

Junior
Visitante
Junior

Parei de ler quando chegou na parte do NAE, poxa amigo, você estava indo tão bem no seu comentário

Esteves
Visitante
Esteves

Impressionante como o NAe não sai do pensamento das pessoas. Parece rosquinha.

alexandre cardoso
Visitante
alexandre cardoso

Parece obssessão, …
kkk

filipe
Visitante
filipe

Entre 2035 á 2040 segundo o nosso almirantado, daqui a 15 ou 20 anos… Eles estão estudando o melhor , quem sabe , quem diria hoje que o HMS Ocean estaria na MB, quem diria que o LPD Bahia seria da MB, o Brasil têm evoluído muito com esses projectos, acho que a MB é mais realista, a prioridade é o SNBR, um sonho de 40 anos, até 2032 quem sabe, um sonho de 52 anos, um sonho de uma vida, ter um Submarino com propulsão nuclear, depois disso vem o resto (Corvetas,Fragatas, NAEs, LHDs, LPDs ,LSS etc), mais primeiro… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

É não.

Dividir as águas é ter um orçamento que faça sentido e que resista às críticas rasas.

Welington S
Visitante
Welington S

O Brasil tem sim um potencial enorme de crescer militarmente e, tenho fé em Deus, que veremos isso acontecer. Temos que ter fé no Brasil. Brasil Acima De Tudo!

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

One of the concept drawings of Indian Navy Twin Engine Deck Based Fighter (TEDBF) released by HAL based on LCA MK2 / MWF.

This is not the final design but one of the few preliminary design concepts being studied and was released a few days back.

TEDBF will use twin GE F414-GE-INS6 engines with a max takeoff weight of 24 tonnes and max payload of 9 tonnes.

Nostra
Visitante
Nostra

Some more renderings of the TEDBF
comment image

” A twin engine variant of the Tejas would be in the class of the Rafale, extremely nimble with excellent sensor fusion, ” say designers working on the plans for the Tejas based Navy and Air force future twin engined fighter. ” The jet would be extremely nimble with excellent sensor fusion. The fact that this would be entirely designed and developed in India would be a huge boost for our ambitions in being an aerospace power “

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Nostra
Visitante
Nostra

comment image

Air force twin engined omni role combat aircraft (ORCA) counterpart of Navy twin engined deck based fighter (TEDBF).

According to designers from the date of funding , 6 years to first flight.

Teropode
Visitante

Aguardo ansioso então por 2026 , o Tejas naval vai ficar lindão, ficou show com canards .

Nostra
Visitante
Nostra

Sir i am not holding my breath
Official sanction and funding yet to come.

Hoping some concrete info comes out in February defence expo 2020 .

Otherwise will need to wait for aeroindia 2021

Fabio Araujo
Visitante
Fabio Araujo

Em vez de partir do zero deveriam ter feito como os chineses e negociado com os russos para a produção local de aviões e motores e quando já estivessem experientes na produção de produtos licenciados ai sim partir para os projetos próprios, poderiam ter economizado tempo e dinheiro no projeto.

Nostra
Visitante
Nostra

China had billions of dollars to do , India barely has few millions to do. Whatever china got legally was very expensive and whatever china got via reverse engineering was even more expensive. Reverse engineering is a very expensive endeavour. It was a choice they made to attain self sufficiency and were willing to pay the price. China can afford to do so because the government is answerable to none , in a democratic country justifying funding of this sort is impossible except for one country – America. As for Russian help , well one needs very deep pockets. It’s… Read more »

Ricardo Barbosa
Visitante
Ricardo Barbosa

India produz aviões localmente desde o anos 60, vide HAL Marut, HAL Kiran, HAL Ajeet, entre outros . Fora a fabricação sob licença de diversos modelos, notadamente as centenas de Mig 21 lá feitos.

Nostra
Visitante
Nostra

The devil lies in the details Let’s take a example the marut was a excellent design but with a underpowered engine . It’s was supposed to get a Rolls-Royce engine but the British back tracked under pressure from guess who ? America . Declassified American diplomatic cables explicitly indicates the same. The final blow was when the then government got in closer ties to USSR and the political party in power agreed to get Soviet aircrafts in exchange of favours which included political funding etc. License production does not translate into capability to develop aircrafts etc . That’s a myth… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

É o que a Apple faz em suas fábricas fora dos EUA.

Abriram uma “fábrica” em São Paulo para montar IPad. Não época o governo local comemorou a transferência de tecnologia.

O produto ficou obsoleto, não aprendemos nada, a fábrica fechou e ainda insistimos em pagar ToT a outros para um resultado de nacionalização que não passa de 20%.

Parafusos.

Nostra
Visitante
Nostra

ToT full form is transfer of technology which is actually a misnomer when it comes to real life. No transfer of technology takes place perse , what is transferred is prefabricated industrial production toolings and just enough knowledge to undertake licence assembly of the system with all critical components being imported while some low tech non critical components may be allowed for local fabrication. Only worthwhile gain is employment generation for the local population and saving of foreign exchange and possibly earning of foreign exchange due to exports. No country transfers “know how” on which it spent millions or billions… Read more »

Esteves
Visitante
Esteves

Empregos, impostos e exportações eventuais. Esse é o modelo de industrialização no Brasil. A indústria fica com os royalties, os lucros (se existirem) e as vendas. Enquanto durou o boom da telefonia móvel o país teve a maior fábrica de celulares do mundo (Nokia) e uma das maiores da Motorola. A Nokia faliu, a Motorola vendeu a operação de montagem de celulares aos chineses. Nós perdemos o que pensamos que havíamos ganho: empregos, impostos e exportações. Em 1974 a Gurgel, uma montadora nativa, apresentou um veículo elétrico. A empresa acabou. Em 2020 não temos matriz de investimentos para produzir veículos… Read more »

Bogdan
Visitante
Bogdan

Finally someone that know about this topic. I think i never commented here before but your clear explanation deserved it.

The majority have the illusion that “know how” is equivalent of “know why”. Congrats!

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Famed Member

Bogdan e Nostra,

A verdade é que as diferenças entre know how e know why já foram explicadas em diversas matérias, aqui neste site, em que o assunto foi transferência de tecnologia.

Mas a renovação do público leitor e que comenta é constante, então sempre existe uma leva de pessoas que desconhece esses temas.

Pode ter certeza de que muitos leitores que não comentaram conhecem o tema, apenas estão cansados de explicar isso mais uma vez. Eu mesmo já expliquei dezenas de vezes, em matérias e comentários.

Esteves
Visitante
Esteves

Eles economizaram. Os chineses levaram mais tempo e gastaram mais dólares com a engenharia reversa.

É uma questão de quanto tenho para gastar X a meta (palavra maldita).

Chinês não dá satisfação a ninguém.

Teropode
Visitante

Vc tá sugerindo que eles também pratiquem roubo intelectual kkkkkkkk, sabe de nada inocente , brasileiro quer que a desonestidade seja oficialuzado no mundo ,

Nostra
Visitante
Nostra

This seems to be the new low bypass ratio afterburning turbofan engine of 110 KN thrust for powering AMCA etc
comment image

Picture was taken a week or so ago

Nostra
Visitante
Nostra

As for ToT on engines this was the French offer a couple of months back , some idiot leaked one of the pic.
comment image

250 million euros as part of Rafale offset + additional 500 million euros from India to France + guaranteed buying of additional Rafales are some of the preconditions.

Till now india has not taken the offer , currently under study by DRDO who by the way seem to have embarked on developing a new 110 KN engine whose pic i posted above.

I wonder if France had made this offer to the Chinese , would they have waited ?

Esteves
Visitante
Esteves

Não, os chineses não esperam. Enquanto conversam vão copiando. Isso é quanto custa um ToT verdadeiro. Coloca 1 bilhão de euros na frente e fica comprometido a comprar do fornecedor por décadas. Quando acaba de pagar ToT, o produto se não obsoleto, esta vencido para colocar no mercado. Quem pagou ToT terá que consumir o que comprou e seguir, se tiver muito dinheiro, na linha de aprendizado para não perder o que aprendeu. A Barroso parece ter sido assim ainda que não tenha custado bilhões de euros para aprender. Ou você tem um produto para seu próprio mercado interno e… Read more »

Nostra
Visitante
Nostra

Economic power – everything else flows from it , be it diplomatic , be it military etc

Esteves
Visitante
Esteves

Bancos. As maiores empresas chinesas são bancos.

Nostra
Visitante
Nostra

In the background one can see the the model of GHATAK stealth UCAV which is based on flying wing design. It has includes internal weapons bay, serpentine intakes etc

It be powered by a modified dry Kaveri engine which will have a thrust of 52 KN.

Entusiasta Militar
Visitante
Entusiasta Militar

Se no passado tivéssemos apostado no desenvolvimento do AMX-A1, hoje terminamos no mínimo algo semelhante.

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

Lá forças armadas não são cabides de empregos, do contrário o Paquistão e a China comeriam a Índia com farinha.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Parabéns aos Indianos.
Tem alguns grávidas aqui do fórum que adoram desdenhar os feitos alheios, porém nunca olham para o próprio umbigo.
Quero ver tirarem sarro desse grande feito agora.
Enquanto gastamos fortunas em montagem local de um avião que já nasce desatualizado e sem ganhos técnicos novos algum, os indianos realizaram mais esse grande feito.
Se ao menos tivéssemos evoluído a plataforma do AMX com essa fortuna gasta na Gripe Sueca, hoje provavelmente estaríamos nesse patamar.
Lembrando que os indianos não possuem uma empresa aeronáutica como a que nos possuímos.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Onde se lê grávidas, leia gracistas.
Maldito corretor rsrs.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Vejo aí uma ótima opção para a MB.
Pois a Gripe Sueca naval ficaria muito caro desenvolver para uma única marinha comprar 12 unidades na melhor das hipóteses.

Tomcat4.0
Visitante

Parabéns,mesmo q trocentos anos depois, já pularam do normal pro naval na marra e pousaram a máquina em um porta aviões . Mas antes de malhar o pau no Brasil, vejam a situação fronteiriça da Índia e comparem com a nossa e idem pra toda vizinhança deles e a nossa. Não justifica nosso berço esplêndido da defesa mas estamos retomando os trilhos de nossa industria bélica.

Wellington
Visitante
Wellington

Uma solução para substituição dos atuais caças Skyhawks da MB?
Seria interessante a nossa MB ter uns Tejas , acredito que deve ser superior aos Skyhawks da nossa Marinha brasileira.

O custo e beneficio devem ser mais atraentes.
Alguém aqui concorda?
Se não por qual motivo?

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

O tejas sempre foi um projeto de produção de tecnologia, nunca foi um produto comercial.

Isto quer dizer que em sua categoria, não é barato e sua manutenção indiana, e cara, lógico.

Ainda acho que os proprios indianos irão de Gipen NG paraa resolver o problema de dos dois tipos de Nae stobar e Catobar que possuem….

Vamos ver….

Mas é sempre bom ter mais um modelo de avião naval…..

Nostra
Visitante
Nostra

100 % guarantee gripen has no chance in India.

Forget about gripen ng

Nostra
Visitante
Nostra

Typo omission*

Forget about *sea gripen ng .

It exists in paper only and Sweden wants others to fund it . If one has to buy foreign naval fighter why not buy available ones like Rafale f18 ?

Esteves
Visitante
Esteves

Se desenvolver avião que não existe fosse bom negócio, os suecos já teriam encontrado parceiros para o Sea Gripen.

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

eles somente o farão se houver cliente…. 70% do projeto e estudos já foram elaborados. O que falta é alguem que financie o prototipo físico, foi nesta etapa que o projeto parou. Em 2008 haviam 3 clientes potencias, sendo dois fortes (India e Brasil) e um terceiro provável (Royal Navy) se os britanicos não conseguissem resolver sua turras com os americanos sobre o F-35, até o rafale chegou a ser pensado como alternativa. Inglaterra e Brasil saiam da lista de clientes provaveis, mas India permanece. Eles possuem ainda em definição uma eventual aquisição de centana de caças mono-turbinas e precisam… Read more »

Nostra
Visitante
Nostra

Bro India will not buy gripen , reasons are many Lack of operational sovereignty. engines , subsystems , avionics etc are from multiple countries . Sweden refuses to offer any guarantees to India which is one of the prime requirements of the arms deal. Gripen lacks in performance in Indian high altitude trials . Same with F16. Technological advantages over other competitors and related ToT offers are minimum over other competitors Geopolitical advantage is minimum for gripen buy. Etc Gripen F16 was never taken seriously by IAF , they always wanted Rafale out of all the competitors. IN wants either… Read more »

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Maybe F-18SH been old and Rafale has a limited technology transfer?

Only a new project can perform a new requiriments

And Sea Gripen can be a solution for this problems

Why India Intend to produce a new project ORCa if they have a Naval LCA Tejas????
comment image

Nostra
Visitante
Nostra

Single engined Naval LCA is the stepping stone to TEDBF twin engined deck based fighter of Indian Navy. Indian Navy wants twin engined aircrafts.

ORCA is the twin engined Indian airforce counterpart of TEDBF. It will complement the more expensive Rafale and yet to come 5th gen AMCA mk1 and later AMCA mk2.

ORCA will provide the necessary numbers in addition to the IAF single engined LCA mk1 , LCA mk1a , LCA mk2 / MWF .

IAF sanctioned strength is 42 squadrons . Around 1000+ fighters are needed to replace retired and retiring fighters.

Esteves
Visitante
Esteves

O avião dos suecos é um avião de várias nacionalidades. Eles não irão se comprometer com offsets, manutenções, garantias, transferências, de partes que eles não produzem.

Esteves
Visitante
Esteves

O Tejas é uma escola.

Não acredito na produção como um Tucano.

Mas eu não entendo nada nada de avião.

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

correto….

Marcos10
Visitante
Marcos10

Me chamou a atenção duas coisas:
1) o bordo de ataque da asa, junto a raiz da asa, é móvel, quase como um canard. Me parece que o Tejas convencional e fixo.
2) o grande canopy da versão naval em relação ao modelo convencional.

Filipe Prestes
Visitante
Filipe Prestes

Pegaram um Rafale, um Gripen E, um F-16 e o jovem cansado do Tejas e dá isso aí. No mais, a Força Aérea Argentina já demonstrou interesse e enviará uma comissão para Nova Délhi.

Mgtow
Visitante
Mgtow

È assim que se alcança a soberania plena. com projetos nacionais.
Mas aqui não, vamos terceirizar a nossa soberania aos EUA com I love you Trump e tudo mais.
O importante mesmo é transformar o país num fazendão exportador de soja e carne de boi.
Essa mentalidade que aí está não pode ter vida longa. Cadê os militares nacionalistas. Porque se calam diante desse frangalhamento da nação?

Esteves
Visitante
Esteves

Vocês são meninos. Havia um cinturão siderúrgico em torno de Belo Horizonte liderado pela Mannesmann aproveitando o finado quadrilátero metalífero da Serra do Curral. O mineiro esgotou o minério e o cinturão acabou. Nem a Mannesmann sobreviveu. Veio a indústria de automóveis que importa aço da China e da Coréia. Importar aço em um país que exporta aço é uma das ações que se toma para manter os custos dentro de uma razoável cartesiana. Aço no Brasil tem reajustes periódicos. Não há planilha que resista. Parques e plantas industriais como as de Duque de Caxias, Caxias, Parque Novo Mundo, Guarulhos,… Read more »

Mgtow
Visitante
Mgtow

Vc vinha muito bem na sua linha argumentatoria até vir com esse papo de cubanização. Nem prossegui com a leitura porque ja sei aonde queres chegar.

Esteves
Visitante
Esteves

Eita.

Não terminei de ler mas já descordei.
Li, vi e não entendi.
Não sei, mas não concordo.
Fechei sem abrir.
Já sabia aonde ia.

Foi um fato. Fidel contava com a pobreza rural latina para levantar a cubanização no continente. Ele não tinha a dimensão nem a percepção do tamanho e da expressão geográfica da América do Sul. Deu certo em Cuba, uma ilha. Uma motocicleta não poderia revolucionar 1 continente.

E tinha o Brasil. Outra língua. Outra elite.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Só assim pra ter uma imagem de como seria um Sea Gripen.. kkkk

Nostra
Visitante
Nostra
Nelson Daher Junior
Visitante
Nelson Daher Junior

A Índia desenvolveu projeto próprio de porta-avião, bem como de caça embarcado, pois além de o caça decolar através de rampa, pousa com o sistema enganchado. Uma projeto interessante pois elimina o sistema de catapultas no porta-avião e mantem o pouso com auxilio de cabos no mesmo. O Brasil deve desenvolver seu sistema de defesa aeronaval próprio, se temos capacidade de construir corvetas, submarinos, aviões, caças, carros de combate e outros materiais e equipamentos de defesa, temos capacidade de desenvolver tecnologia com nossos recursos materiais, profissionais, fornecedores de nossa indústria para construir um conjugado aeronaval (porta-avião e aeronave de asa… Read more »