Home Aviação Militar VÍDEO: Forças Armadas da Suécia lançam mísseis antinavio RBS-15 em exercício

VÍDEO: Forças Armadas da Suécia lançam mísseis antinavio RBS-15 em exercício

5916
123

Esta semana, as Forças Armadas Suecas realizaram um exercício naval na área de testes e treinamento de Härnösand.

O cenário de exercício avançado envolveu o disparo simultâneo de mísseis antinavio RBS-15 de plataformas aéreas, marítimas e terrestres.

O míssil RBS-15 é do tipo “dispare-e-esqueça” e tem alcance de mais de 200km. O míssil pode acompanhar “waypoints” por GPS e a altitude de voo pode ser alterada várias vezes. Segundo o fabricante, o RBS15 Mk3 é extremamente resistente a contramedidas e também pode engajar alvos terrestres.

A família do sistema de mísseis RBS-15 é um dos armamentos mais flexíveis e eficazes do mercado. Por quase 30 anos, a família de mísseis RBS-15 proporcionou às frotas, às baterias costeiras e às forças aéreas capacidades avançadas antinavio.

O RBS15 é produzido em conjunto pela Saab e Diehl Defence GmbH & Co e serve com forças armadas da Suécia, Finlândia, Alemanha, Polônia, Croácia, Tailândia e um país não revelado.

Na imagens, o RBS-15 acertando o alvo.

Subscribe
Notify of
guest
123 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Tiger 777
Tiger 777
1 mês atrás

Com a Rússia, ali no cangote, a Suécia tem de ter uma dissuassao séria.
Fantástico míssil.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
1 mês atrás

Bom dia a todos os Senhores Colegas e Amigos da Trilogia. Inicialmente desejo que todos estejam bem de saúde e protegidos assim como os seus entes queridos.

Quanto ao tema, é uma pena que entre as armas adquiridas para o F39 o RBS15 não esta entre elas. Em Setembro/2019 foi publicado que inicialmente nossos F39 estarão configurados apenas para missões Ar-Ar. Antes a FAB também informara o pacote de armas adquiridas e lamentavelmente o RBS15 não estava entre elas.

CM

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

“Bom dia a todos os Senhores Colegas e Amigos da Trilogia. Inicialmente desejo que todos estejam bem de saúde e protegidos assim como os seus entes queridos”.

Sim,estamos… deus abençoe e proteja você e seus familiares,amigo…

Kemen
Kemen
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

No que a mim e a meus familiares se refere, obrigado. Desejo muita saude também para vc e os seus.

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Caro CM, O que foi publicado é que o Gripen E terá sua IOC pela capacidade de combate Ar-Ar. Mas até a sua FOC, terá seguramente sua capacidade ampliada para combate anti-superfície. Ok, mas isso é o Gripen E, o vetor. A questão é… e a FAB, o usuário? Que eu saiba, podem me corrigir, atualmente a única capacidade de ataque anti-navio da FAB se dá com os P3 Orion armados com mísseis Harpoon. Futuramente, a FAB se capacitará para combates aeronavais com meios de caça? E o VF-1 da Marinha? Serve para quê? Eu acho um tremendo buraco na… Read more »

Salim
Salim
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Caro GFC, e de responsabilidade da FAB ataque ar sup., se náo faz e por náo cumprir suas atribuições. A marinha teria direito a aviação embarcada, hj sem porta aviões também náo cumpre suas atribuições. Em resumo defesa e patrulha amazônia azul praticamente náo existe. P3 baseado no RJ somente e uma piada levando em conta nossa imensa costa e interesses atlântico sul. FAB com 75 mil homens com poucos caças razoavelmente capazes final década e marinha 80 mil homens sem meios e possivelmente com horizonte cada vez mais nebuloso.

Luiz
Luiz
Reply to  Salim
1 mês atrás

Resumindo, como dizia um amigo meu para não falar um palavrão: estamos ” fritus e farefarenheits”.

nerudarruda
nerudarruda
Reply to  Salim
1 mês atrás

pensei que a base dos P3 fosse na bahia…

Mayuan
Mayuan
Reply to  Salim
1 mês atrás

A base do Orungan é em Salvador, bem distante do RJ só que o P3 deveria pertencer à MB e não à FAB

Mayuan
Mayuan
Reply to  GFC_RJ
1 mês atrás

Os Skyhawk e Trader só servem pra gastar dinheiro. Já deviam ter sido vendidos e, tão logo permita a grana, substituídos por uma meia dúzia de Gripens e um par de V22 respectivamente. O primeiro daria real capacidade de combate e o segundo, de transporte (capaz, inclusive, de chegar até Trindade).

Doug385
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Compreendo sua posição, nobre colega, mas compreendo também as necessidades operacionais da FAB. Se inicialmente todos os F-39 ficarão em Anápolis, é de se presumir que a principal função deles não será a guerra ASuW. Talvez futuramente, quando o 1o GAvCa começar a ser reequipado, possa ser aventada a possibilidade de se adquirir um míssil antinavio, seja ele o RBS-15, uma versão aero transportada do MANSUP ou qualquer outro míssil. Os recursos são poucos e a Força tem que elencar prioridades. Ademais a FAB já dispõe dos P-3 que, embora não tenham um desempenho de uma aeronave de caça, são… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Doug385
1 mês atrás

O fato dos Gripen estarem baseados inicialmente em Anápolis nada tem a ver com a operação, ou não, de mísseis antinavio. Mesmo baseados em Anápolis eles podem sercdeslocafos facilmente para QUALQUER ponto do país onde se fizerem necessários.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Caro Cláudio Moreno.
No final de 2019 a revista Tecnologia e Defesa noticiou em seu site que o RBS-15 faz parte das armas adquiridas para os nossos Gripen E/F.

Segue link
https://tecnodefesa.com.br/misseis-e-sistemas-de-ataque-do-gripen-da-fab-conheca-a-lista/

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

Boa madrugada Luís e demais camaradas!

Excelente notícia. Obrigado pelo esclarecimento.

CM

FighterBR
FighterBR
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

A FAB comprou o RBS-15F.

Wilson Lobe Junior
Wilson Lobe Junior
Reply to  Luís Henrique
1 mês atrás

Seria bom juntar ao RBS-15 também uns Taurus KEPD.

GERSON LUIZ ARMILIATO
Reply to  Claudio Moreno
1 mês atrás

Os FA39 que serão fabricados para a Força Aérea Sueca tem suporte para esse míssil, não será difícil integrar a nossos caças, mas aí depende de interesse da FAB ou da Marinha.

Diogo de Araujo
1 mês atrás

Não percam o próximo lançamento do MASUP em 12 de maio!!! de 2456

Carlos
Carlos
Reply to  Diogo de Araujo
1 mês atrás

E.Passando Perto do Alvo .!
. ……. 🙄

Lemes
Lemes
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Porque video do mansup acertando o alvo não poooode. É segredo de estado.

Doug385
Reply to  Lemes
1 mês atrás

Amigo, está mesmo tentando comparar um míssil em desenvolvimento com outro já consolidado?

Leonardo Costa da Fonte
Reply to  Doug385
1 mês atrás

Não meu amigo Doug385, ele está comparando um míssil, com uma cópia de um míssil muito velho, com mais de 40 anos!!! Uma pouca vergonha, tanta dificuldade para copiar um coisa tão antiga.

Oséias
Oséias
Reply to  Leonardo Costa da Fonte
1 mês atrás

É cópia do Exocet MM40 block 2, que só foi substituido na Marinha Francesa nos últimos 10 anos e ainda destrói qualquer coisa flutuante na america do sul, talvez com exceção das fragatas chilenas.

Oséias
Oséias
Reply to  Carlos
1 mês atrás

Vc não sabe de nada. Aquela missão foi para testar o sistema de navegação inercial. É provável que nem radar na cabeça de busca tivesse instalado, seria um desperdício de dinheiro. E a proximidade do alvo mostra que o sistema inercial é muito bom.

Gabriel
Gabriel
Reply to  Diogo de Araujo
1 mês atrás

Sempre me pergunto se esse tipo de comentário é de alguém que desconhece completamente as fases de desenvolvimento de um míssil e suas naturais dificuldades (mesmo considerando que o MASUP tem como base um míssil já existente) ou se é de alguém que entende minimamente das dificuldades, mas quer aparecer com um comentário que não acrescenta em nada.

Em fim, já havia me prometido que não perderia tempo comentando esse tipo de bobagem, mas acabei não resistindo.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Gabriel, infelizmente a mentalidade brasileira é assim. Pergunte ao Ozires Silva a dificuldade em se fundar a Embraer pois ..”para que o Brasil queria fabricar aviões , compra dos EUA” Esses “especialistas” que infestam o blog acham que construir um míssil dessa envergadura é como fazer uma geladeira. Nem perco mais o meu português comentando!!

Esteves
Esteves
Reply to  Diogo de Araujo
1 mês atrás

Putz.

Como é que fazem um vídeo do míssil passando ao lado do alvo?

Nilson
Nilson
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Imagino que havia uma balsa não tripulada com a câmera ligada. Algo assim.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Pela matéria “O cenário de exercício avançado envolveu o disparo simultâneo de mísseis antinavio RBS-15 de plataformas aéreas, marítimas e terrestres” essas plataformas aéreas seria o Gripen e/ou helicópteros ? Se foi o Gripen estamos adquirindo essa versão aérea? Outra questão se estamos adquirindo a versão aérea não daria para adquirir a versão terrestre já que não temos nada similar?

Esteves
Esteves
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Que daria, daria.

Faltaria a grana. Mas daria.

ALLAN
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Se eu nao me engano o Gripen esta homologado para operar o RBS-15, só que inicialmente a FAB nao deve fazer uma compra, visto que os gripen vão vim com a missão prioritária de defesa aérea;
Agora nada impede de adquirir no futuro (espero pessoalmente que venha), quanto operar o RBS-15 da versão terrestre acho difícil, já que temos um programa de míssil de cruzeiro e comprar essa plataforma com uma defesa naval baseado em terra para o tamanho da costa brasileira é muito difícil e caro.

Flavio H.M.CO
Flavio H.M.CO
Reply to  ALLAN
1 mês atrás

O CFN anos atrás queria uma bateria se Mísseis anti-navio….e unidades de MTC-300…. Lembrando que seria algo próximo do USMC no pacífico, no caso seria posto em ilhas já ocupada ou recém dominadas. Tem poucas arquipélagos no Atlântico Sul… o interessante esses planos do CFN de ter bateria de artilharia e Mísseis de cruzeiros e anti-navio apareceu em 2010… Parece que alguém lá tá bem mais andiantado…

Flavio H.M.CO
Flavio H.M.CO
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

Estamos adquirindo o Gripen NG esse que tanto para a FAB com para a força aérea sueca terá inicialmente só capacidade AR-AR (lembrando que o Gripen tem dois sistema separado um para o “controle de voo” outro para as armas) porém a capacidade plena só será atingir mais tarde (2022 IOC e 2024 FOC). A FAB já comprou o RBS-15…. Creio que veremos uma versão ar-sup do MANSUP lembrando que atualmente ele terá 2 armas de cada tipo uma nacional e outra importada (Taurus k350 + MCLA/Adater+ Iris-t)

Rogério Loureiro
Rogério Loureiro
1 mês atrás

Não daria para fazermos uma versão terrestre do Mansup ou ainda uma versão Naval do Matador?

Se tivéssemos condições de desenvolvimento de ambas plataformas, podíamos aumentar o poder dissuasorio no mar, no ar e boa terrestre com material nacional.

Imagino um Gripen levando um Matador no ventre central e duas unidades do Mansup sob as asas.

Imaginei uma corveta Tamandaré com o Mansup e o Matador.

TB um sistema Astros 2020 com o Matador versão Naval e o Mansup.

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Rogério Loureiro
1 mês atrás

E juntando a esses misseis uma tecnologia costeira de detecção de alvos,ficaríamos mais protegidos,bastaria apenas 24 estações radar…
comment image

nonato
nonato
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Nunca mais se falou nisso.
Duas tecnologias importantes sobre as quais não se falou mais nada.
OTH e tinta ram.

Esteves
Esteves
Reply to  nonato
1 mês atrás

Preço, integração entre as Armas, logística, comprar inventários, capacitar as estações com energia, treinar gente…

Cadê o inimigo e cadê a grana?

Salim
Salim
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Brasil gasta USS 23 bi ano
13 Brasil Brasil 22,8 1,3
14 Emirados Árabes Unidos Emirados Árabes Unidos[lower-alpha 3] 22,8 5,7
15 Israel Israel 17,8 5,8
16 Canadá Canadá 15,5 1,0
17 Espanha Espanha 14,9 1,2
18 Turquia Turquia 14,9 2,0
19 Irão Irã 12,3 3,0
20 Argélia Argélia 10,6

Salim
Salim
Reply to  Salim
1 mês atrás

Fonte wikipedia
Lista pelo Stockholm International Peace Research Institute
2017 Fact Sheet (para 2016)[1]
Base de Dados de Gastos Militares do SIPRI[3]

Esteves
Esteves
Reply to  Salim
1 mês atrás

Nossos orçamentos públicos…80% dos orçamentos públicos estão comprometidos com eles mesmos.

Camargoer
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. O Estado fornece essencialmente serviços portanto o maior gasto será mesmo com folha de salário.

Esteves
Esteves
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Maior sim.

Mas não tanto. Veja o que acontece com um condomínio quando a despesa com a folha bate 60%.

Eu tenho um negócio. Uma loja que vende peças para navios…

Pego o faturamento…pego 80% do faturamento e distribuo com pró-labore dos sócios, salários dos vendedores, salários do pessoal da limpeza, administradores, contabilidade…divido os 80% como remuneração.

20%…os 20% que sobram precisam pagar custos, impostos, aluguel, aferir lucro, pagar fornecedores, gerar caixa, investir.

Dará certo?

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Olá Esteves. A Lei de Responsabilidade Fiscal coloca limites aos gastos com pessoal para cada esfera de governos. O federal tem limite de 50% da Receita Corrente Líquida, o limite estadual e municipal é de 60%. Em 2019, o governo federal usou 34% da RCL com folha de pagamento. Em 2019, a despesa federal com pessoal foi de R$ 323 bilhões e investimentos de R$ 36 bilhões. Os maiores gastos do governo federal é com a dívida pública.

Salim
Salim
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Temos usd 350 bi reservas recebendo juros negativo. Efetivo marinha e aeronáutica muito acima razoável. Marinha 80k homens, frança 38k Inglaterra 36k. fab 74k israel 26k

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Salim
1 mês atrás

Olá Salim. As reservas são US$ 350 bilhões. As forças armadas brasileiras tem um efetivo de 390 mil tropas, sendo cerca de 90 mil soldados prestando serviço militar, ao custo de R$ 1 bilhão (cerca de 1% do orçamento do MinDef). Os gastos com defesa em 2019 foram de R$ 75 bilhões, dos quais R$ 25 bilhões com ativos (33%) e R$ 23 bilhões (30%). Dados do portal da transparência.

Esteves
Esteves
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Reservas.

Reservas servem para sustentar: a política cambial e contratos internacionais como esse do PROSUB.

Somente.

Salim
Salim
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Caro Camargoer, manter estes homens sem atividade fim custa muito mais do que salario. Veja custeio destas armas e VC vera, fora as benesses injustificáveis.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Salim
1 mês atrás

Olá Salim. O maior parte do orçamento militar brasileiro é com pessoal. Nos 50 anos, felizmente, houve um aumento da expectativa de vida o que impactou nos gastos com pessoal inativo. É bom que as pessoas vivam mais mas o modelo de aposentadoria dos militares precisa ser revisado, também o correto fosse unificar com o INSS. Aliás, a solução do problema da pensões dos militares passa pela desmilitarização das polícias estaduais. Polícia é polícia. Soldado é soldado. Eu também defendo redução do efetivo militar de 390 mil para talvez 300 mil, ampliando o uso de tecnologia nas forças armadas. Hoje,… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Caro Camargoer, veja caso Israel onde estado de guerra e constante, hj boa partes dos jovens náo presta mais serviço militar obrigatório e o NR de militares se mantem constantes. Lá o uso tecnologia e vigilância fazem mais capaz e produtivo combatente. Forca aérea Israel cerca 26 mil com equipamentos e munição de ponta treinamento e operação guerra constante e uso de munição real, aqui temos na FAB 74 mil e equipamento obsoleto, em pouca quantidade/variedade e poucas horas de vôo. E irracional náo termos mísseis nem treinamento ar superfície constantes. AMX e A4 nas poucas vezes que fazem treinamento… Read more »

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  Salim
1 mês atrás

Olá Salim. Pontos interessantes. Equipamento antigo demanda mais pessoal para operar e manter. A gente quase nunca comenta isso aqui na trilogia. Outra particularidade da FAB é administrar o sistema de controle e tráfego aéreo, que demanda algum pessoal adicional. A história do Brasil teve dois momentos críticos que demandaram tropas expedicionárias, a guerra do Paraguai e a II Guerra. O exército teve problemas para montar as tropas nos dois momentos. Contudo, o país mudou. A condição de saúde da população mudou, a escolaridade média aumentou. Os médicos dos EUA que auxiliaram o EB a montar a FEB tiveram que… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

“O orçamento total do … foi de R$ 76.973.000,00: 85% destinaram-se ao pagamento de pessoal…”

No MD está apresentada a despesa com os custeios. 80%.

Folha de pagamento é uma coisa.

Folha de pagamento com os benefícios é outra.

O porteiro do prédio recebe 1.400. A despesa do condomínio é o dobro.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

O que complica é quando existe a necessidade de que, para o serviço ser bem prestado, o órgão seja dotado de equipamentos modernos e eficientes, que é o caso das FA. Com uma folha de pagamentos consumindo a grande maior parte do orçamento, isto fica impossível.

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Olá Merlin, Acho que comentei em outros momentos que as forças armadas brasileiras usam uma doutrina que faz uso extensivo de tropas com baixo grau de tecnologia. As forças armadas poderiam mudar esse modelo para privilegiar o uso de tecnologia (por exemplo, empregando sensoreamento remoto por imagens de satélite e drones, monitoramento em tempo real com inteligência artificial, alta mobilidade, integração dos soldados por datalink e redes…. até mesmo aproveitar as ideias de internet das coisas para monitorar pontos críticos como hidrelétricas, redes de transmissão de energia, pontes e fronteiras, etc; além de integrar os sistemas de defesa aérea, naval… Read more »

MMerlin
MMerlin
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Concordo. Infelizmente, a mudança neste quadro seria possível apenas com planejamento a longo prazo, além de causar um desgaste negativo no quesito social. Mas esta mudança de modelo já está atrasada e o processo precisa ser iniciado com prioridade.

Marcos10
Marcos10
Reply to  Salim
1 mês atrás

Israel não conta, já que parte do inventário deles vem de graça dos EUA.

Luís Henrique
Luís Henrique
Reply to  Salim
1 mês atrás

50% paga Aposentadorias.
Corrigido:
13 Emiraos Árabes Unidos 22,8 5,7
14 Israel 17,8 5,8
15 Canadá 15,5 1,0
16 Espanha 14,9 1,0
17 Turquia 14,9 2,0
18 Irã 12,3 3,0
19 Brasil 11,4 0,7
20 Argélia 10,6

Rogério Loureiro
Rogério Loureiro
Reply to  nonato
1 mês atrás

Nonato. Lembro que em meados dos anos 90 eu assisti não sei se no Fantástico ou outro programa de televisão que a tinta RAM estava sendo desenvolvida pela FAB em parceria com empresas nacionais. TB me lembro de um estudo onde se podia trabalhar com o calor gerado pela luz para elevar objetos ao ar. Lembro que na reportagem havia um disco perfurado, parecido com uma tampa de panela mas um tanto côncavo e que no meio tinha um tubo metálico. Abaixo desta tampa tinha uma espécie de luz que estalava gerando calor, flashes como uma máquina fotográfica e a… Read more »

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  nonato
1 mês atrás

Li que a FAB usou a tinta em um dos A-4 modernizados,dizendo até que houve alguma eficácia boa,mas não entrou em detalhes.
Ele até deu umas voadas aqui pela BANT.

MMerlin
MMerlin
Reply to  nonato
1 mês atrás

O OTH está presentando serviços para a MB para detecção de embarcações, principalmente as fantasmas, a pouco mais um ano, ainda no RS. A MB deve estar avaliando a eficiência do sistema.

nonato
nonato
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Já faz muito tempo.
Não deve ser caro.
Deveriam espalhar no litoral brasileiro.
Em toda a costa ou pelo menos concentrando nas áreas mais importantes.
Sem descuidar de usar aviões de patrulha e drones de longo alcance.
Pelo menos a 100 km da costa.

Rogério Loureiro
Rogério Loureiro
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Adriano. Perfeito. Este sistema salvo engano foi desenvolvido com parceria de empresas de Israel.
Se pudéssemos TB acrescentar sistemas antiaéreos nacionais, desenvolvidos aqui, ao longo de toda costa. Seria perfeito.

MMerlin
MMerlin
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

O OTH 0100 não é bem um “detector de alvos” uma vez que não serve para guiar mísseis, tendo que o serviços ser efetuado por outro equipamento.

nonato
nonato
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

Uai, o importante é identificar a presença.
Aí manda avião, navio, helicóptero…

Flavio H.M.CO
Flavio H.M.CO
Reply to  Rogério Loureiro
1 mês atrás

Calma quando a FAB falou da sua versão do Matador ela deixo bem claro que a MB também está trabalhando em uma Variante própria…..

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Deveríamos aprofundar nossa relação com os suecos da Saab,não só no ar e na terra,mas no mar também…

Esteves
Esteves
Reply to  ADRIANO MADUREIRA
1 mês atrás

Sem dúvida.

Mas eles não são produtores de conteúdo. São montadores.

E nós não temos orçamento para sentar a mesa com essa gente.

Camaergoer
Camaergoer
1 mês atrás

Olá Colegas, aproveitando a carona do Claudio Moreno, também espero que todos estejam bem e aproveito para insistir que nesse momento, o mais importante é ficar em casa. Os próximos dois meses serão os mais difíceis. Agora, voltando à postagem, comentei tempos atrás que se a MB quiser montar uma estrutura defensiva, ela poderia criar uma aviação de caça antinaval baseada no continente, que poderia ser operar desdobrada a partir das bases costeiras da FAB. Neste contexto, um esquadrão de F39E/F (não sei dizer qual seria mais adequado) seria uma possível opção para substituir os A4M.

Esteves
Esteves
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Mestre, Também espero e desejo que todos estejam com saúde. O mais importante, penso, é manter a sanidade. A cada dia um novo especialista epidemiologista manda ficar em casa. Ninguém entrega coisa alguma. Hospitais de campanha ocos, hospitais de verdade lotados, cemitérios verticais. Somente. As pessoas deveriam cada uma fazer a sua parte. Incluindo levar as tendas dos médicos sem fronteira para as periferias. E mostrar do que são capazes. Mestre, Lendo e relendo o PN, acha o Esteves que os marinheiros querem aviação embarcada. Não pensam em bases litorâneas em razão da necessidade de ir e vir dos aviões,… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

eu ainda defendo drones, até produzidos aqui com o máximo de nacionalização, aí a Fab faria o ataque aos navios se necessário, ou mesmo a Marinha.

Camargoer
Reply to  Carlos Campos
1 mês atrás

Olá Carlos. O sensoremento remoto por satélite e por drones são complementares a uma cobertura por radar, integrando tudo com inteligência artificial. Além disse, a defesa naval se faz pelos 3 níveis, submarino, superfície e aéreo. Lições da guerra das Malvinas. O espaço aéreo também precisa de dois níveis de defesa como a FAB já faz, com caças supersônicos com mísseis ar-ar e os supertucanos com metralhadoras e canhões. Sou um entusiasta incontido do SBN com principal arma de defesa naval. A combinação de uma pequena frota de SBN com uma aviação de caça aeronaval com bases costeiras da ao… Read more »

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Caro Camargoer, Eu penso como você. Visto que o VF-1 vai continuar existindo, que se equipe ele com Gripen para a efetiva defesa litorânea. Ele teria que ter capacidade de ataque com armamentos de precisão (misseis e bombas), como ser integrado ao link das aeronaves de patrulha. Um AWACS próprio, acho que seria investimento demais… Somente 3 nações no mundo teriam capacidade hoje de operar porta-aviões no Atlântico Sul (EUA, GB e França), ameaças que além de improváveis, contra estes AWACS naval é o menor dos problemas. Ah, mas se viermos a ter um porta-aviões? SE vier, cede as aeronaves… Read more »

André Bueno
André Bueno
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Prezado Camargoer, concordo inteiramente, tanto com o ficar em casa quanto com a forma proposta de aviação naval

nonato
nonato
Reply to  Camaergoer
1 mês atrás

Por mim, teríamos tido 3 semanas bastante isolados e agora estaríamos saindo.
A esponsabilidade é dos governadores e prefeitos.
Se a mídia e governadores estivessem preocupados com o Corona vírus e não com politicagem, talvez as mortes fossem pela metade e já estaríamos reabrindo a economia.
Dizem que o isolamento em São Paulo e a culpa seria de Bolsonaro.
Então, 50% da população apoia Bolsonaro e não a mídia, certo???

Camaergoer
Camaergoer
Reply to  nonato
1 mês atrás

Olá Nonato. Sugiro a página https://painel.covid19br.org/ para avaliar o progresso da doença. Os dados até agora são muito próximos daqueles que eu simulei há dois meses atrás… eu dizia que naquela taxa de contágio e de mortalidade, os sistemas de saúde entrariam em colapso entre o fim de maio e início de junho. Durante estes dois meses, o governo federal foi incapaz de articular ações. Pior, demitiu o ministro da saúde. Há duas semanas perdi um amigo de 55 anos (professor da Unicamp). Eu também comentei no início de abril sobre a necessidade de “abonos” no bolsa-família e nas aposentadorias… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
1 mês atrás

Olha uma outra ótima opção para teste do MANSUP.
Containers com emissores falsos de ondas de radar.
Espero que o próximo e último teste do MANSUP utilizem ou um alvo rebocado por submarino ou rebocador ou containers com emissão de ondas radar.
Já que um alvo remotamente pilotado seria pedir muito para o Brasil!

nonato
nonato
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Exatamente.
O container poderia estar num barco simples e barato, a motor, a 30 km de velocidade.
Com controle remoto.
Alvos parados são muito fáceis.
De preferência com contramedidas e manobra evasiva.

Bardini
Bardini
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

“utilizem ou um alvo rebocado por submarino”
.
pqp… submarino virou rebocador agora?
.
Não existe necessidade alguma de testar esse tipo de míssil em alvos móveis, pois o alvo não consegue produzir velocidade o suficiente e movimentar-se para fora da zona de busca do radar do míssil e desengajar.
.
“ou containers com emissão de ondas radar”
.
Aquela “coroa” ali que tu viu no vídeo/imagem, serve para REFLETIR ondas de radar, que são emitidas pelo sistema de busca do míssil.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Bardini
1 mês atrás

” Aquela “coroa” ali que tu viu no vídeo/imagem, serve para REFLETIR ondas de radar, que são emitidas pelo sistema de busca do míssil”. Ou seja, serve como um “radar passivo”, ao passo que ao invés de emitir ele reflete. Nos testes do MAR-01 a FAB usou antenas de emissão para o teste do mesmo. Mesmo conceito pode ser empregado nos testes do MANSUP. Apesar que usar refletores , que refletem as emissões do próprio míssil, ser mais barato e inteligente do que uma antena emissora de ondas de rádio (por mais barato que elas possam ser). Quanto ao alvo… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

“Ou seja, serve como um “radar passivo”, ao passo que ao invés de emitir ele reflete.” . Não é assim que um radar passivo funciona. . Tu tais fazendo uma sopa enorme, achando que esse míssil aí funciona um Míssil Anti-Radiação. Não funciona dessa forma. Mas tu não vai admitir que está falando abobrinha e eu sou só um “seachão”. . “Nos testes do MAR-01 a FAB usou antenas de emissão para o teste do mesmo.” . Óbvio que usou, já que é um “M”íssil “A”nti-“R”adiação. Nem RBS-15, nem MAN SUP são mísseis com as características do MAR! . “Mesmo… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Fala Lesardine meu fã kkkkkk. Não sou eu que busco informações no Wikpedia e fico ruminando asneiras como se fosse o dono da verdade. Depois entro várias vezes para ficar dando likes em meus posts. Acho que quem tem que crescer aqui é você, pois em diversas vezes escreveu um monte de asneiras sem sentido algum (não vou perder meu tempo de ficar lembrando) e se recusa a ver que não sabe de nada e só sua opinião tem razão. Nem sei porque perco meu tempo em te responder. Acho que porque assim como todo herói precisa de um vilão,… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Bardini
1 mês atrás

E por fim Lesardine. Se os mísseis (RBS e MANSUP) não possuem um radar embarcado (no caso do primeiro, pois o último tenho certeza absoluta), porquê colocariam uma Atena refletora radar ( com suas próprias palavras) sobre os containers alvo,? Cara você mesmo se contradiz e não sabe nem o que fala. Todo mundo sabe que mísseis navais necessitam de um radar passivo ou ativo (em alguns casos ambas as opções) para atacar alvos em movimento como navios por exemplo. Esse é um dos motivos pelo qual o EB não usará essa primeira versão do MT-300 para atacar navios, pois… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

CARLHO… Tu é burro ou faz força pra parecer?
.
Lê novamente o que escrevi.
.
O MAN SUP e RBS-15 TEM UM RADAR. Eles emitem o sinal e leem o retorno. Esse retorno é a onda que eles emitiram, bateu no costado do navio e retornou. Essa é a orientação terminal deles contra um navio. Aquela coroa só amplia capacidade do alvo de refletir as ondas. Não é um dispositivo EMITINDO ondas, como tu pensa que é citando o funcionamento do MAR.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Bardini
1 mês atrás

caralho você é retardado ou débil mental mesmo.
E quem disse que eu escrevi que aquele arranjado de antenas está emitindo alguns merda.
Aprende a ler imbecil
Parei contigo Lesardine.
Vai estudar !

nonato
nonato
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Se o míssil é tão perfeito, por que testar?
Se testam, que seja em condições mais reais.
Alvo em movimento, se possível com manobras evasivas e contramedidas .

Flavio H.M.CO
Flavio H.M.CO
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Aonde vai ser amarrado o cabo? Já viu o esforço que aquilo faz ? Outra se o míssil falha pode acertando mesmo…. só conheço um navio que é de RC que é válido para testa armas e sistemas de defesa (o míssil sem carga, porém os sistemas de defesa com carga real)….dica é um cruzador.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 mês atrás

Radares OTH junto de drones, seria muito superior até mesmo ao monte de navio patrulha, temos o RBS no Brasil mas o Mansup, com sistema de impulso, primeiro foguete depois turbina, nos daria um míssil com alcance de mais de 200Km, só basta querer.

Johan Tengroth
Johan Tengroth
1 mês atrás

Interesting that you have news from a small country fare away from Brazil. The person who speaks is the supreme commander General Byden. 30 years ago Sweden was i minor military great power or a garrison state. Some exempel. 1020 artillerypieces, 415 fighter aircraft, 80 helicopter, 12 submatines, 785 tanks. Population 9 miljons. Quite impressiv!

GFC_RJ
GFC_RJ
Reply to  Johan Tengroth
1 mês atrás

Dear Johan, The interest in the Swedish news relies mainly over the partnership over the Gripen fighter aircraft. Furthermore, the RBS15 is a possible acquisition that the Brazilian Airforce may (or could) be interested. About the Swedish military power… I believe that it must be stated some important facts: 1 – Swedish critical experience in WWII, when it kept living in the edge with Germany presence in west (Norway) and URSS presence in the east (Finland); 2 – Being URSS “neighbor” for the late 40 years was something a lot threatening; 3 – Sweden keeping out of NATO even during… Read more »

Cel. Heraclides
1 mês atrás

Ai dou valor na visão e seriedade Sueca. Nação séria.
No entanto, isso prova que o Brasil vive dormindo de touca. Há séculos.
Com um litoral imenso, esse tipo de arma teria de ser obrigatóriamente projetada e construida por aqui aos milhares.
Pobre Brasil, segue seu melancólico sendero rumo ao nada.

Esteves
Esteves
Reply to  Cel. Heraclides
1 mês atrás

Não é o país. Somos nós.

Pagaram antecipadamente por respiradores que não existem.

Em um estado… 1 bilhão de reais.

Nesse momento…quem se se dedica a roubar 1 bilhão de reais de doentes?

Brasileiros.

Art
Art
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Exato. Usando engenharia Social e Medo, conseguiram passe livre para roubar e ferrar a economia. A Índia está com o protocolo caso suspeito HCQ + AZ e tem o menor numero de mortes do Mundo. Os números similares a H1N1, de 2009 mas tem estado inflando os números. Fora isso uma Arma dessa deveria existir no Br. MANSUP a caminho. Instalado sobre a plataforma ASTROS. Falta investimento e $$.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Cel. Heraclides
1 mês atrás

O problema é o que canso de escrever aqui. Hoje temos militares que vivem de olhos nos importados mesmo tendo tecnologias locais. Hora bolas, hoje temos os OTH-0100 da brasileira IACIT, os MT-300 e MANSUP. Bastaria dotar a costa nacional com os OTH,s, com baterias de mísseis MT-300 navalisado ( dotado de um radar passivo/ativo) e MANSUP,s, com apoio de drones Falcão naval. Mas a MB que empurrar goela a baixo do contribuinte um sistema caro e inútil, a FAB ao invés de evoluir o AMX resolveu comprar um projeto de caça 4,5g, o EB compra o LMV tendo o… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

temos a mesma visão Foxtrot, tá mão, em 10 anos poderíamos ter tudo isso, mas o mais importante é dinheiro para campanha eleitoral, para o carnaval, para cantor sertanejo e teatro que ninguém liga.

Esteves
Esteves
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Fox… Teve esses debates lá no ForTe. Tamoyo, Osório e outros. E aqui com as Tamandarés e outros. Protótipos. Sem recheio nacional. Sem conta de custos. Sem preço final. Sem encomendas firmes. Nascendo interrompidos. Filhos sem pai. As empresas que se dedicaram à montar ofertas nativas fizeram por patriotismo e com contas grossas. Sem sustentação e respostas quando fornecedores de motores, miras, canhões, sistemas, munições, mísseis, simplesmente decidirem aumentarem preços, parar de fazer, fecharem ou mudarem. OTH estava em desenvolvimento. Ao custo de quase 20 milhões. “De acordo com a equipe da IACIT que acompanhou a visita dos jornalistas, quatro… Read more »

sergio ribamar ferreira
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Concordo com o Sr. Esteves.

Tutu
Reply to  sergio ribamar ferreira
1 mês atrás

Evoluir o AMX para onde?

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Ora caro Esteves, indústria só existe com vendas. Se não comprarmos nossos produtos não há indústria que resista. Você perguntou com que dinheiro, e você mesmo deu a resposta. Com os mesmos 20 bilhões do SISGAAZ que segundo você já emplacou. Um sistema caro, que se for implantado a contento a MB não terá pessoal e meios para operar e que não será integrado as outras forças . Pois para operar o SGDC a FAB teve que qualificar pessoal no exterior pois não tinha doutrina nem pessoal para operar. Teve que gastar milhões em novas instalações e por aí vai.… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Esteves
1 mês atrás

Veja o próprio exemplo do RBS, que já nasce com uma verdadeira “família” de mísseis (Ar/Terra e mar). Nosso MANSUP nasce com uma versão naval e sem participação na desenvolvimento das outras versões pelas outras forças EB/FAB. O mesmo acontece com o MT-300 que é desenvolvido pelo EB sem participação da FAB e MB. Ao que parece desenvolvem alguma coisa localmente para justificar os investimentos públicos nós centros de P&D militares e já com a esperança de não dar certo, para justificar importações. Não há uma agência seria e integradora como a DARPA por exemplo. Aí os militares agem como… Read more »

Flavio H.M.CO
Flavio H.M.CO
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

Só tem um erro embora o MTC tenha saído do projeto ASTRO 2020 já é uma é uma família pois terá uma versão para FAB e uma para MB….

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Foxtrot
1 mês atrás

“a FAB ao invés de evoluir o AMX resolveu comprar um projeto de caça 4,5G”. Você acha então que pegar o subsonico AMX, e “evoluir” a aeronave seria algo bem fácil de se fazer, como seria bom se as coisas fossem tão simples assim… Teria que ser um novo caça, aumentado em suas dimensões, certamente para receber sistemas semelhantes ao que o Gripen-E já tem a oferecer, certamente suas asas teriam que serem reforçadas e configuradas para aguentar mais armamentos. O Gripen-E é feito para receber constantes atualizações, antes que terminem de entregar os caças no padrão MS-21, os últimos… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Caro Adriano, acho que o outro post que coloquei não saiu. Mas é uma visão que tenho, pois todo mundo literalmente evolui alguma plataforma de caça que fabricava. Aqui vivemos re inventando a roda eternamente. O caso AMX é um exemplo, a própria Embraer já dominava em 1980 a tecnologia para um caça super sônico no patamar de um F-16 por exemplo. Projeto esse denominado JPLF baseado no AMX com pós combustor. Acho edite no que quiser, só sei que o nosso problema não é falta de capacidades técnicas, escala de produção ou dinheiro. As eternas abobrinhas que tentam nos… Read more »

Flanker
Flanker
1 mês atrás

No vídeo, o primeiro míssil acerta exatamente na estrutura refletiva de radar e o segundo acerta em cheio……aparentemente, cada um em alvos diferentes.

Paulotd
Paulotd
Reply to  Flanker
1 mês atrás

Tomara que a FAB compre para o Gripen esse míssil

Zorann
Zorann
1 mês atrás

E o que nós temos aqui? Uma Marinha que não tem navios, mas insiste em ter “aeronaves de alto desempenho” sem nenhum míssil antinavio integrado. E uma Força Aérea que tem a aeronave certa, com o míssil integrado, mas insiste em não compra-lo.

Cada um pensando no seu maldito quadradinho quando convém. Isto aí são forças armadas competindo entre si por recursos e deixando lacunas entre os quadradinhos.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Zorann
1 mês atrás

O Gripen não ter integrado o RBS 15 chega a ser incompreensível. Um vetor aéreo vale por seus armamentos integrados. Os Gripens já nascem com o RBS desde o tempo dos Viggens. Não comprar agora não significa dispensar os sistemas. O vetor deve vir com esse recurso ou perde muito de seu valor multifunção.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

O RBS 15 está integrado no GRIPEN. O próprio vídeo acima mostra. Você bebeu ou piscou nessa parte do filme?

MMerlin
MMerlin
Reply to  Rinaldo Nery
1 mês atrás

Nem bebeu nem piscou. Devido ao tempo de exposição do Gripen, dormiu mesmo.

Nilson
Nilson
Reply to  Zorann
1 mês atrás

A solução que grande parte do pessoal aqui defende, que geraria integração FAB/MB e desobrigaria a FAB do papel de ataque anti-navio (que parece ser sua última prioridade), seria o Esquadrão VF-1 ser dotado com Gripens NG armados com mísseis anti-navios. Particularmente acho que se a MB avançasse na compra de uma meia dúzia de Gripens para substituir os A-4 num horizonte de 6 ou 7 anos, seria um grande avanço. E seria mais uma encomendazinha para o Gripen, ajudando o projeto.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Nilson
1 mês atrás

Sim, sou a favor de tal coisa também… A MB poderia adquirir um lote de Gripen-E, a mesma quantidade de aeronaves que o NAe A-12 comportaria e implementar em uma base do litoral brasileiro. Qual o problema de aviação naval em terra⁉️ Vários países o têm, essas briguinhas, picuinhas e discussões sobre protagonismo ou a quem cabe defender o céu ou os mares territoriais, para mim é ter uma visão torpe ou a total falta de visão sobre defesa da nação… Vimos muito bem oque aconteceu a um orgulhoso país sul-americano, quando suas forças armadas não interagiram entre si, entraram… Read more »

Esteves
Esteves
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

O problema o Esteves vai dizer. Se tem aviação naval, tem aviação pra operar no mar. Aviação em terra não é da Marinha. Aviação em terra tem alcance, autonomia, abastecimento para superar. Aviação no mar vai junto com o navio. Pode sumir no horizonte juntamente com o navio. Aviação no mar, embora a negação tenha sido construída com submarinos, pode estabelecer uma zona de exclusão como os ingleses fizeram nas Malvinas. Aviação naval completa a doutrina da projeção de poder. Desembarcar com apoio aéreo. Depender dos recursos terrestres somente, é admitir inferioridade no mar. Se não vai mais operar aviação… Read more »

Zorann
Zorann
Reply to  Nilson
1 mês atrás

Uma coisa não tem nada a ver com a outra. Olhe o tamanho de nosso litoral.

Um alvo aqui no litoral do nordeste…. Temos Gripens desdobrados em Natal…. mas eles não servem… não tem misseis. Vamos esperar o VF1 vir do Rio de Janeiro, para resolver o problema.

A FAB faz patrulha e pode atacar navios com o Harpoon a partir dos P-3 e deveria sim ser capaz de usar o RBS-15 a partir de seus Gripens, independente de haver ou não VF-1. Isto é o mínimo que se espera.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

OFF – O que no Golfo Pérsico? Parece que que um navio da marinha iraniana atirou um míssil anti-navio contra outro navio da marinha iraniana que veio a afundar!

Descifrando la Guerra
@descifraguerra
SIN CONFIRMAR Bandeira do Irã

Según reportes preliminares se habría producido algún tipo de incidente entre varias embarcaciones de la armada iraní en el Golfo Pérsico. Una embarcación habría abierto fuego sobre otra provocando la muerte de hasta 40 tripulantes.

https://twitter.com/descifraguerra/status/1259603930096586758

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Fabio Araujo
1 mês atrás

https://twitter.com/The6415/status/1259621588313481216

#BREAKING:
#Iran’s Jamaran frigate has “accidentally” shot own Konarak frigate in the Persian Gulf.
Reports claiming 23 dead out of 40 crew members
#IRGC termed it human error due to incorrect maneuveur during a training exercise
Konarak was recently added to #Iranian Navy.

Rafael M. F.
Rafael M. F.
1 mês atrás

OFF: Blue on blue na marinha iraniana.

Iranian frigate accidentally shot friendly ship and caused at least 20 casualties

https://navalnews.net/iranian-frigate-accidentally-shot-friendly-ship-and-caused-at-least-20-casualties/

Nilson
Nilson
1 mês atrás

E off por off, alguém tem conhecimento para saber se aquelas três lanchas (ARC 1160, 1162 e 1823) capturadas na costa da Venezuela são mesmo da Marinha colombiana?? A Colômbia já se manifestou??

Nilson
Nilson
Reply to  Nilson
1 mês atrás

Em verdade, a notícia é de que foram encontradas no Rio Orinoco, já dentro do país, e não na costa.

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Nilson
1 mês atrás

Segundo a Marinha Colombiana as lanchas foram arrastadas pela correnteza para o território venezuelano.
https://actualidad.rt.com/actualidad/352660-armada-colombia-tres-lanchas-arrastradas-corriente

Orivaldo
Orivaldo
1 mês atrás

A Marinha iraniana poderia adquirir alguns para depois afundar seus próprios navios

Baldur
Baldur
1 mês atrás

Alguém sabe se a FAB tem planos de adquirir esse modelo de míssil para seus gripens?!

Kemen
Kemen
1 mês atrás

O RBS-15 tem precisão e bom poder de explosão, pena que o fabricante e o pais não tenham tanta influência politica como outros paises, para aumentar suas vendas.

Luiz Galvão
Luiz Galvão
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Kemen,

Também penso o mesmo.

O fato é que o mercado internacional de armas é monopólio das duas superpotências EUA e Rússia. A China está se qualificando a fazer parte desse clube e um pouco mais atrás temos a França , Inglaterra e Israel. A Suécia tem ótimos produtos, mas mas como você disse acertadamente, lhe falta peso político. Os Israelenses por estarem em permanente estado de guerra e por possuírem uma indústria de tecnologia avançada levam vantagem.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Luiz Galvão
1 mês atrás

Poderíamos comprar para a MB um esquadrão de Saab Viggens, ou incluir nos offsets. Isso se a Suécia não deu baixa, já que substituíram por Gripens na função AS. É um vetor muito bom para esse míssil RBS-15. E tem capacidade de pista curta tb. Caso de muitas pistas no litoral e ilhas oceânicas.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 mês atrás

Falamos no RBS 15, só não esqueçam da nova versão. RBS Gungnir. Muito melhor. A SAAB tem um site excelente na matéria. Não perguntem no Posto Ypi… (WK..).