Home Aviação Naval Caças AF-1B/C da MB realizam ensaios de tiro com metralhadoras

Caças AF-1B/C da MB realizam ensaios de tiro com metralhadoras

3156
63

No período de 28SET a 19OUT de 2020, sob coordenação do Grupo de Fiscalização e Recebimento de Aeronaves AF-1/1A (GFRAerAF-1/1A), foi realizado ensaio de tiro para análise de vibração em solo e em voo com disparos de metralhadoras de 20mm pelos aviões modernizados N-1021 (AF-1C biposto) e N-1008 (AF-1B monoposto), GunFire Vibration, conforme previsto no contrato de modernização das Aeronaves AF-1/1A com a EMBRAER.
Uma vez que os dados da vibração produzida pelos disparos foram considerados no projeto das modificações estruturais da modernização, o sucesso obtido nestes ensaios em solo e em voo representa um marco importante para que seja autorizado o uso das metralhadoras de 20mm dos AF-1B/C em voos operativos rotineiros do Esquadrão empregando os aviões modernizados.

A campanha ocorreu em duas fases:

  • a primeira de 28SET a 02OUT, teve o apoio de especialistas qualificados do Centro de Manutenção de Sistemas (CMS), Centro de Análise de Sistemas Operativos (CASOP), EMBRAER, Grupo Aéreo Naval de Manutenção (GaerNavMan), EsqdVF-1 e GFRAerAF-1/1A, na preparação, ainda no hangar em São Pedro da Aldeia, onde foi realizado o alinhamento e a harmonização do armamento com o sistema modernizado de pontaria; e
  • a segunda fase de 04OUT a 19OUT, quando houve o desdobramento de um Destacamento Aeronaval (DAN) para a Base Aérea de Santa Cruz (ALA12), onde houve a avaliação da interferência e compatibilidade eletromagnética (EMI/EMC), o gerenciamento de risco operacional (GRO) e o emprego real das metralhadoras de 20mm dos AF-1B/C.

O tiro aéreo contou com a participação de piloto do Esquadrão VF-1, com o objetivo de familiarizar as tripulações da MB com os novos procedimentos de pontaria, bem como a devida verificação do sistema, a fim de possibilitar a aprovação do marco contratual.

FONTE: Diretoria de Aeronáutica da Marinha

Subscribe
Notify of
guest
63 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rui Chapéu
Rui Chapéu
2 meses atrás

AGora VAi!

Na próxima missão vão testar os telegráfos e a super nova tecnologia chamada FAX!

Logo logo instalam rádios nos A-4 e ai podemos brincar de guerra do Vietnam!

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Rui Chapéu
2 meses atrás

Não vai dar nem pra isso. Não há bombas suficientes.

Doug385
Reply to  Funcionario da Comlurb
2 meses atrás

Não há bombas, não há misseis, não há nada. Só voam. Um belo desperdício de dinheiro.

Fernando "Nunão" De Martini
Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Funcionario da Comlurb
2 meses atrás

A Marinha tem acordo com a FAB para empregar armamentos do inventário desta, e vice-versa.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Rui Chapéu
2 meses atrás

Boa tarde Rui e demais senhores camaradas do Naval e da Trilogia!

Se ao menos forem equipados com armamento do tipo Dispare e Esqueça de longo alcance, pode isso garantir uma sobre vida maior em TO de baixa intensidade desde que não haja CAP’s de longo alcance.
Agora se for entregar pacotes de bombas burras, então será complicado… Até traficantes hoje tem. 50, que dirá um exército regular minimamente aparelhado.

CM

Jef2019
Jef2019
Reply to  Claudio Moreno
2 meses atrás

Exatamente amigo…modernizacao que não implementou nenhuma melhoria nos armamentos necessitando ainda usar bombas burras foi piada pronta com recursos publicos…afiii

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Claudio Moreno
2 meses atrás

Esses caças foram preparados para usar bombas guiadas a laser e por satelites, bem como misseis ar-ar de curto e médio alcance como os F-5M. E só a marinha ter grana para comprar essas armas. No ruim do ruim, eles podem ser usados em guerra assimétrica como os A-29.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Rui Chapéu
2 meses atrás

Sou a favor de testarem o sistema de ejecão. Todos os A4 em um exercício coordenado 🤣🤣🤣

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

“Sou a favor de testarem o sistema de ejecão.“ Não precisa.
O próximo retrofit será o de Kamikazes.

Satyricon
Satyricon
Reply to  Rui Chapéu
2 meses atrás

Que alento!
Aposto que teve almirante empolgado com isso…

Sagaz
Sagaz
Reply to  Rui Chapéu
2 meses atrás

Se tá ruim para nós, imagina para os argentinos!

Eduardo
Eduardo
2 meses atrás

Que vergonha, ensaio de tiro de metralhadora. Desperdício de dinheiro público (nosso)! Análise de vibração de solo….ahhh vá!

Meia dúzia de tiros, de metralhadora, por ano. Mal voam na verdade. Fiasco!

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Eduardo
2 meses atrás

Sacanagem é ver essa matéria ao lado da marinha venezuelana equipada com mísseis anti navio de última geração.

Ricardo Rosa Firmino
Ricardo Rosa Firmino
Reply to  Joao Moita Jr
2 meses atrás

E também dá reportagem de Taiwan comprando 400 Harpoon..aí não dá..é uma vergonha sem tamanho nossas forças armadas..

João Vitor
João Vitor
2 meses atrás

Nossa… realmente…muito emocionante…deuses da guerra esses almirantes brasileiros….

sj1
sj1
Reply to  João Vitor
2 meses atrás

E a Índia testando mísseis hipersonicos e anti-satélite…

Wilson França
Wilson França
Reply to  sj1
2 meses atrás

E gente no forças terrestres sonhando com armamento nuclear.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Wilson França
2 meses atrás

Não tem dinheiro para manter ou adquirir armamentos convencionais em quantidade decente, vai lá ter dinheiro para manter armamentos nucleares?!

João Vitor
João Vitor
Reply to  Wilson França
2 meses atrás

Esse pessoal que tá comentando birutices lá no Forças Terrestres nem entendeu a matéria… tão achando que o Brasil não ratificando o acordo estará liberado pra fazer “nukes”….meu Deus imagina o eco que faz na cabeça desse povo…

Jef2019
Jef2019
Reply to  sj1
2 meses atrás

Aiii…pega leve ai amigo…que essa foi uma direta no figado…kkkl

sj1
sj1
Reply to  Jef2019
2 meses atrás

uashuahuhas

Agoravai
Agoravai
2 meses atrás

Vôos operativos para que? Onde? Patrulhar os céus da Regiao dos Lagos?? Lembrando que o último A-4 americano saiu de serviço há 45 anos atrás. Já passou da hora de acabar com esse sunken cost e acabar com essa piada. Bota o dinheiro nas asas rotativas ou em qualquer outro lugar, não estou nem pedindo para não gastar não…

angelo bigalli
angelo bigalli
2 meses atrás

É constrangedor….AF-1, minha nossa.

sj1
sj1
2 meses atrás

Agora estamos prontos pra guerra !

E a Índia testando mísseis hipersonicos e anti-satélite

Eduardo
Eduardo
Reply to  sj1
2 meses atrás

Prontíssimos, meia dúzia de tiros de metralhadora!

Jef2019
Jef2019
2 meses atrás

Apenas uma observação…Depois da modernização a que as aeronaves foram submetidos para mesmo assim continuarem a usar bombas burras ai sinceramente não entendo mais nada.. ainda necessitam sobrevoar o alvo para combate-los…nem mesmo os exocet integrados…isso no cenario atual é simpleamente suicidio…gastaram grana com modernizacao mais o peincipal em termo de armamento nao houve evolução…portanto ou equipam o esquadrao com vetores capazes de lançarem armamentos inteligentes (F18, gripen NG naval, gripen C, etc) ou entao continuem usando helis + penguim/exocet que seriam mais preocupantes para uma forca inimiga…desativa o esquadrao AF e investe na aquisicao de meios de proteção aereo… Read more »

WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Um exercício desses nos anos 70 seria fantástico, mas hoje em 2020 um caça naval que não é capaz de lançar um míssil antinavio ?
Ah mais é para manter a doutrina…Estao igual o CFN com os ultrapassados sk105, mas é para manter doutrina….

Last edited 2 meses atrás by WELLINGTON RODRIGO SOARES
FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Para manter doutrina, tinha que enviar os pilotos da Marinha pro esquadrão PACAU da FAB. Iam ter doutrina, voar em aeronave melhor e estar aptos à guerra moderna.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
2 meses atrás

Desperdício de dinheiro, já gastaram milhões e milhões nesses “caças”, mas terminar os patrulhas de 500 toneladas não conseguem por falta de grana.
As 3 forças tem problemas, mas a MB é decepcionante.

MMerlin
MMerlin
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Esse é o X da questão.
Espero que o próximo projeto a ser dada a devida atenção seja a classe Macaé ou outro projeto mais modernos de mesma tonelagem.
E, para esta classe, nossa necessidade é muito maior que apenas 4 ou 6.
Se o próximo comandante da MB pensar novamente em outro NAe, em detrimento de classes inferiores, aí colega, estaremos novamente mostrando que não aprendemos nada com os erros.

Flanker
Flanker
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
2 meses atrás

Por que para o Pacau??

Jef2019
Jef2019
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
2 meses atrás

Concordo plenamente amigo…mas apesar de serem antigos foram modernizados…mas simplesmente o principal nao fizeram que e a integração de um missel exocet por exemplo…e que ja faz parte do acervo da mb…mas em caso de necessidade real combaterao com palavras duras e bombas burras!!!

sergio ribamar ferreira
2 meses atrás

Situação vergonhosa e alarmante. O gasto com modernização dessas aeronaves apenas deu prejuízo e morte, (Alguém lembra do piloto?) Deveria ser investigado. Dinheiro jogado fora ou…?

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  sergio ribamar ferreira
2 meses atrás

Lixo de aeronaves, hoje não fazem nenhum diferença em combate. Gastam milhões todos os anos para manter essas porcarias e não conseguem terminar patrulhas de 500 toneladas. PHM Atlântico a dois anos já sem nenhum sistema CIWS de ponta.

sergio ribamar ferreira
2 meses atrás

O tempo que compram “bagulhões” dos anos 60 e 70 do século 20 poderiam gastar com projeto em conjunto com outros países. Os críticos do Tejas naval deveriam se expressar pois aeronave está pronta(mesmo com os defeitos existentes, só exemplificando). Porém o grande almirantado brasileiro prefere viver no século 20 comprando material bem usado e surrado.

sj1
sj1
Reply to  sergio ribamar ferreira
2 meses atrás

Não querem investir em nenhum meio autóctone pra ficar modernizando essas sucatas

Salomon
Salomon
2 meses atrás

Isso porque não estão veiculando notícias dos Traders! Aí vamos arrasar.

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Salomon
2 meses atrás

Bem lembrado : Os Traders!!!! Aí sim o flash back anos 70 ficará completo !!!!!

Jef2019
Jef2019
Reply to  Salomon
2 meses atrás

Kkkk bem lembrado…mas dá uma disputa dura com o EB e seus Sherpa

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
2 meses atrás

” 1º Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (EsqdVF-1) “.

O nome é bem pomposo, mas equipado com essas sucatas voadoras, sem nenhum armamento que preste, convenhamos : Vai interceptar o que ????? Vai atacar o que ??????

Sugiro mudar para um nome mais condizente com a realidade : 1o Esquadrão de Alvos Aéreos (Esqd AA-1)

Ricardo Rosa Firmino
Ricardo Rosa Firmino
Reply to  Funcionario da Comlurb
2 meses atrás

Bom Dia Funcionário…sempre tem uma utilidade..quem sabe interceptar mosquito da dengue?? Acho uma boa solução..

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Ricardo Rosa Firmino
2 meses atrás

HAHA HAHAHAHA

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
2 meses atrás

Pra manter doutrina, treinem os caras na FAB com Super Tucanos!

Ou vendam esses A-4 para a Argentina (ela precisa) e equipem o esquadrão com Super Tucanos!

sergio ribamar ferreira
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
2 meses atrás

Pode vender os A-4 para Argentina se esta tiver grana para comprar e nada de ST. Melhor investir em navios patrulhas e se a MB quer continuar com esquadrão de asas fixas busque ou desenvolva uma aeronave atual, do século XXI. Não pode é manter a farra da sucata e dos 10%.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER
Reply to  sergio ribamar ferreira
2 meses atrás

Que seja! Mas não fiquem voando aeronaves “modernizadas” para a guerra da década de 80!

sergio ribamar ferreira
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
2 meses atrás

De acordo. Ainda prefiro dinheiro gasto com os navios patrulha. Se é para ter um caça para a MB seria o mais lógico desenvolver ou comprar novo, deste século , deste quinquênio.

sergio ribamar ferreira
Reply to  sergio ribamar ferreira
2 meses atrás

Novo ou usado deste século, deste quinquênio…Melhor mesmo seria navios patrulha.

Eduardo
Eduardo
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
2 meses atrás

Década de 70, nos anos 80 já tinha excocet integrado.

Luiz Antonio
Luiz Antonio
Reply to  FABIO MAX MARSCHNER MAYER
2 meses atrás

Ta certo que ninguem morre de amores pelos “hermanos” mas mandar esses A-4 para eles é sacanagem kkkkk.

J. Ricardo
J. Ricardo
2 meses atrás

O mansup quando estiver pronto poderá ser integrado no A4 ??

Max
Max
Reply to  J. Ricardo
2 meses atrás

A pergunta seria: Quando o mansup estiver pronto, o A4 ainda estará voando?

Juarez
Juarez
Reply to  Max
2 meses atrás

Não.

Desc
Desc
2 meses atrás

A Marinha quer ter um caça por puro ego.
Não serve para nada…só para gastar.
Eu não acredito que uma modernização custando milhões não deixou eles aptos pelo menos para um Exocet

Luiz Floriano Alves
Reply to  Desc
2 meses atrás

Se é para manter os pilotos adestrados, que se equipem com ST do modelo americano. Com Chaff e adicionem radar de asa. Existem modelos AESA compactos, para isso. Seria um vetor mais aceitável e a um custo condizente. Faz mais sentido do que modernizar essas peças de museu.

Ersn
Ersn
Reply to  Desc
2 meses atrás

O A4 sempre foi uma aeronave limitada,desde início do projeto deveria ser um avião de ataque embarcado que fosse leve o suficiente para operar nos porta aviões convertidos da classe Essex e simples o suficiente para ser operado em grandes quantidades e com baixo custo de manutenção,para a década de 1960 era ótimo mas na década de 1970 já era inadequado para a complexidade crescente de missões e ameaças que surgiam sendo relegado para segunda linha,acho que somente o Brasil e Argentina ainda operam o A4 em linha de frente.

Eduardo
Eduardo
Reply to  Desc
2 meses atrás

Sim, mais operacional ter helis com mísseis anti navio integrados.

IBIZ
IBIZ
2 meses atrás

Pq continuar desperdiçando dinheiro com essas aeronaves? A MB espera afundar um navio inimigo a tiros de canhões em caso de guerra?

Eduardo
Eduardo
Reply to  IBIZ
2 meses atrás

Em caso de guerra os pilotas dessa aeronaves nem decolarão, simplesmente por ser suicídio! Nenhum superior vai os mandar decolar para dar tiros de canhão e lançar bombas burras na água! Qualquer CIWS abate esse lixo de avião. Foi avião na década de 60, ou seja, 60 anos atrás!!

IBIZ
IBIZ
Reply to  Eduardo
2 meses atrás

Essas aeronaves são só mais um ralo de recursos públicos que as forças armadas brasileiras gostam de ter como desculpa pra abocanhar o orçamento da União.

Pavan
Pavan
2 meses atrás

Meu Deus, que fase !! Se é pra gastar 💰 que gastem com algo útil, compra logo uns 12 F18 e aí sim da pra ter doutrina de algo …

MARCOS DA SILVA QUEIROZ RIBEIRO
2 meses atrás

Estado da arte em aviação dos anos 50….kkkkk