Home Asa fixa IMAGENS: Jatos AF-1 da MB operando no litoral do Amapá

IMAGENS: Jatos AF-1 da MB operando no litoral do Amapá

4506
67

A Marinha do Brasil divulgou novas imagens no seu Flickr, de dois jatos AF-1 Skyhawk, pertencentes ao 1° Esquadrão de Aviões de Interceptação e Ataque (VF-1), sediado no Rio de Janeiro (RJ), realizando sobrevoo na área marítima próxima ao litoral do Amapá.

Os jatos da Aviação Naval participaram da 4ª fase da Operação Amazônia Azul – Mar limpo é vida, no dia 23 de outubro.

Os AF-1 Skyhawk auxiliaram nos navios da Esquadra na patrulha naval, reportando navios e embarcações observados durante o voo à Fragata “União”.

Após a ação na área, uma das aeronaves seguiu até as proximidades da fronteira marítima no Oiapoque, ponto extremo norte do Brasil.

A operação teve como propósito revisitar as áreas litorâneas e oceânicas que foram atingidas pelo criminoso derramamento de óleo, ocorrido no ano passado.

Subscribe
Notify of
guest
67 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcelo Mendonça
Marcelo Mendonça
2 meses atrás

Muito boa as fotos.

Henrique de Freitas
Henrique de Freitas
2 meses atrás

Pena que não temos um Exocet integrado. Ficaria bem legal!

jef2020
jef2020
Reply to  Alexandre Galante
2 meses atrás

Tomara que tenha de fato integrado algum armamento anti navio na modernização, seria uma excelente notícia! Seria muito importante a confirmação dessa informação…caso não tenha feito essa integração sinceramente não vejo sentido o processo de modernização realizado

Flanker
Flanker
Reply to  Alexandre Galante
2 meses atrás

Olha, se fizeram mesmo isso, a coisa melhora bastante, frente ao que tínhamos até então. Tomara que tenham ido até o final.

glasquis 7
Reply to  Alexandre Galante
2 meses atrás

Parece ou integrou?

Aguiar Silva
Aguiar Silva
2 meses atrás

Muitas pessoas criticam o A-4, mas o A-4 serviria de alvo dos mísseis dos caças inimigos, e quando o apoio chegasse ( Gripen) o inimigo teria menos mísseis, pois abateu o A-4 e o KC-2 Turbo Trader.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Aguiar Silva
2 meses atrás

Apenas para avisar que A-4 não voa de forma autônoma muito menos permite pilotagem remota.

Last edited 2 meses atrás by MMerlin
Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
Reply to  Aguiar Silva
2 meses atrás

Acho que você nao entende assuntos de defesa, mas tem muitos livros, revistas, sites e canais no youtube que podem ajudar a nao passar vergonha fazendo comentários sem sentido aqui na trilogia …

jef2020
jef2020
Reply to  Aguiar Silva
2 meses atrás

Amigo sinceramente quero acreditar que vc escreveu isso em tom de ironia né, quanto a capacidade de ataque de nossos A4…De fato nossos A4 caso não tenham capacidade de utilizar nenhum armamento anti navio realmente seriam alvos faceis da própria anti aerea da frota atacante…mas isso ainda é misterio pois existe a possibilidade de armamento desse tipo integrado e ai a coisa muda

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Aguiar Silva
2 meses atrás

Quantos anos você tem ?

Teropode
Reply to  Aguiar Silva
2 meses atrás

Cara , o A4 modernizado é perfeitamente capaz de enfrentar este tipo de ameaça , lógico que não podemos comparar com aeronaves maiores ou mais “jovens” , o maior problema dele é a QUANTIDADE , algo pífio , deveria haver no mínimo 24 vetores modernizados , fora os destinados a treinamento .

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
2 meses atrás

Imagens (fotos) Muito bonitas !!

Muitos criticam o A4 e eu entendo as criticas… Mais é vetor o que temos (MB) no momento então é muito melhor do que não ter nada… Por exemplo essa integração do Harpoon é muito importante, temos mais uma alternativa mais uma arma capaz atacar atingir navios inimigos se necessário…e

jodreski
jodreski
Reply to  Rodrigo Maçolla
2 meses atrás

Problema é a quantidade também né Rodrigo, 6 unidades? No máximo disponível para voo agora deve ter 2 e olhe lá… Então temo duas chances de atacar um navio inimigo com nossos Harpoon e se os dois conseguirem voltar para base reabastecer, rearmar e decolar novamente. Para a guerra moderna convenhamos que limita e muito o valor estratégico deles.

jef2020
jef2020
Reply to  Rodrigo Maçolla
2 meses atrás

Para mim o A4 já deu o que tinha para dar… mas se ele tiver armamento antinavio já é alguma coisa…caso não tenha sinceramente serve apenas para treinamento..

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Rodrigo Maçolla
2 meses atrás

Acho o A-4 um aparelho de linhas muito elegantes, e sim foi excelente para pelo menos manter os pilotos com as suas horas de voo em dia. Mas pelo amor de Deus, está na hora de emergencialmente providenciar ao menos uma dúzia de F-18 Super Hornets, com seu devido complemento de Long-Range Anti-Surface Missiles.
Tempos incertos e muito turbulentos se aproximam muito rápido, e o Brasil fazendo muito pouco, com uma cadência glacial.

nereu
nereu
2 meses atrás

os números não mentem, esse avião foi um belo alvo no Vietnã a mais de 50 anos

elcimar menassa
elcimar menassa
Reply to  nereu
2 meses atrás

claro né! vc deve saber como eles foram empregados la? eu espero que sim..pois não adianta postar meias palavras aqui.

marcus
marcus
2 meses atrás

Agora sim!!!! Estamos prontos para invadir os EUA.

Antero C. Gama
Antero C. Gama
2 meses atrás

A FAB já opera os Super Tucanos em patrulha oceânica até 50 MN da costa.
Bem que a MB poderia ter um esquadrão com essas aeronaves que ajudariam muito em missões de patrulha e apoio às Operações Anfíbias, não é?

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Antero C. Gama
2 meses atrás

Quem te disse esse absurdo?

Jose Juscelino de Oliveira Neto
2 meses atrás

Parabéns pelas fotos. Elas impõem respeito.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Jose Juscelino de Oliveira Neto
2 meses atrás

😂😂😂👈

Charles Dickens
Charles Dickens
Reply to  Jose Juscelino de Oliveira Neto
2 meses atrás

Os tripulantes do pesqueiro que aparece nas fotos estão morrendo de medo.

Funcionario da Comlurb
Funcionario da Comlurb
Reply to  Jose Juscelino de Oliveira Neto
2 meses atrás

Sério que você acha isso?

elcimar menassa
elcimar menassa
2 meses atrás

bom esse deslocamento para se adestrar a logística fora de sede.treinar as equipagens em outro nível e local

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
2 meses atrás

Ainda bem que fizeram de dia porque de noite não tem luz por lá…
Militar faz politica, sim, talvez não a partidária. O Brasil deve um bocado do que tem de desenvolvido à ação política dos militares. Se quer interferir favoravelmente no destino da nação, política deve ser feita.
O Amapá é grande mas pouco povoado, daí o capital ter pouco interesse em aumentar a resiliência de infraestruturas; aí deveria entrar o Estado, quanto menos não fosse apenas pra evitar a dependência de três míseros transformadores (apesar do peso, apenas fio enrolado num aquário de óleo).
A França sorri, maliciosa…

Last edited 2 meses atrás by Alex Barreto Cypriano
Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Alex Barreto Cypriano
2 meses atrás

Tem um tal de Alcolumbre lá, que não ajuda em nada… Até o nome do aeroporto é Alcolumbre.

pangloss
pangloss
2 meses atrás

Cada vez que eu vejo fotos de A-4 da MB em voo, o que me vem à cabeça é um certo alívio. “Mais um voo efetuado sem acidentes.”

Dalton
Dalton
Reply to  pangloss
2 meses atrás

O primeiro acidente com “A-4 da MB” foi devido a uma colisão, que infelizmente redundou na morte do piloto , mas, colisões são bastante comuns como já ocorrido com alguns “Super Hornets” e dois do limitado estoque de “Rafale M da marinha francesa.
.
O segundo acidente ocorreu antes do avião decolar, com colapso do trem de pouso, e também lembro de outros aviões passando por isso, inclusive um F-35A novinho.
.
Parece-me que os “A-4s” são bastante seguros.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Dalton
2 meses atrás

Seguros e muito resistentes. Basta lembrar que um dos A-4 envolvido na colisão conseguiu retornar à base bastante danificado. Seu registro em combate também atesta isso.

glasquis 7
Reply to  Dalton
2 meses atrás

O primeiro acidente com “A-4 da MB” foi devido a uma colisão,…colisões são bastante comuns…”

Ah é? Então vamos vender parachoques pra avião.

Por favor, faça a conta, quanto voos de caça e quantas colisões.

Colisões são um risco da operação, uma pequena possibilidade, não uma constante e muito menos algo “bastante comum”. Acho que essa é a única colisão entre aeronaves militares em anos no Brasil. Aliás, não lembro de nenhuma outra neste momento.

Flanker
Flanker
Reply to  glasquis 7
2 meses atrás

Nos anos 70 e 80 houveram outras, com aeronaves da FAB, inclusive com F-5.

glasquis 7
Reply to  Flanker
2 meses atrás

Nos anos 70 e 80 houveram outras”

E o que eu postei?

“Acho que essa é a única colisão entre aeronaves militares em anos no Brasil”

Tanto é verdade que as outras que vc menciona são de mais de 30 anos atrás.

Isso não quer dizer que “colisões são bastante comuns…”

Acontecem mas, não é algo comum.

Flanker
Flanker
Reply to  glasquis 7
2 meses atrás

“Aliás, não lembro de nenhuma outra nesse momento”

Foi em resposta à essa sua frase que escrevi meu comentário anterior. Entendeu?

Dalton
Dalton
Reply to  glasquis 7
1 mês atrás

Calma lá ! As vezes acontece de não nos expressarmos da forma certa, errar é humano viu ? . Mas, também, colisões não acontecem de 76 em 76 anos. Setembro passado um F-35 chocou-se contra um KC-130 e devido a gravidade foi noticiado, enquanto colisões de menor grau, sem perda de vidas ou danos materiais passam despercebidas. . De um inventário de 48 Rafale M, 4 já se perderam, 2 deles porque colidiram durante o voo e há inúmeros exemplos de aeronaves militares e civis a cada ano que colidem durante o voo. . No mais, minha intenção foi pontuar… Read more »

Rudi PY3TO
Rudi PY3TO
2 meses atrás

Saudações a todos…e os canhão de 20 mm? não veja nas fotos!

Flanker
Flanker
Reply to  Rudi PY3TO
2 meses atrás

Já li informação de que os canhões são instalados quando forem realizar algum treinamento que os empregue.

Edson
Edson
2 meses atrás

Os senhores acham que a existência de caças na MB é uma maneira de manter viva a esperança em um Nae?

Dalton
Dalton
Reply to  Edson
2 meses atrás

Pode ser, ainda mais se for usado como exemplo a experiência britânica. . Dez anos atrás os britânicos aposentaram todos os “Harriers” e os venderam aos EUA para serem usados como fontes de peças para os AV-8B, versão americana. O NAe então passou a ser usado como porta helicópteros. . Já havia entretanto a intenção de adquirir o F-35B e construir uma nova geração de NAes então o reinício da aviação embarcada de asa fixa não começaria exatamente do zero, embora lenta. . No caso brasileiro há apenas 6 “caças” e planos um tanto quanto vagos sobre substitutos tanto para… Read more »

jef2020
jef2020
Reply to  Edson
2 meses atrás

NAe? Na boa, a não ser que seja a base de doação ou de algum de 2a mao a um preço muiiiiitttttoooo convidativo…o orçamento não está dando conta nem para custeio e os projetos já em andamento

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
2 meses atrás

Eu acho os AF-1 Skyhawk simplesmente o Maximo …. tinha muitas cartas do super trunfo dele quando moleque … pena nao ter sido melhor modernizado para servir mais uns 10 anos no minimo

Last edited 2 meses atrás by Entusiasta Militar
jodreski
jodreski
Reply to  Entusiasta Militar
2 meses atrás

Ele não é ruim… problema é ter 6 deles em 2020. Aí amigo… é osso..

jef2020
jef2020
Reply to  Entusiasta Militar
2 meses atrás

É amigo…na época do super trunfo, que faz tempo, ele já não era dos mais modernos…

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  jef2020
1 mês atrás

Não , não era…e mesmo assim fez um estrago consideravel em 1982….

Renan
Renan
2 meses atrás

Algo que eu admiro neste caça é a capacidade de receber abastecimento e reabastecer em vôo.
Imagina poder transferir combustível de um caça para outro para este último realizar um ataque inimaginável pelo inimigo, pois está fora do alcance operacional.

Guilherme Lins
Guilherme Lins
2 meses atrás

Talvez eu seja criticado, mas nunca entendi o pq do porta-aviões Sao Paulo, com 12 A4 armados com mísseis antinavio, com os H 225 também com mísseis antinavio, fora toda a gama de apoio aéreo que poderia ofertar ser tao depreciado pelos brasileiros, com exceção dos EUA, essa seria uma ameaça séria para qualquer expedição de ataque estrangeira.

Dalton
Dalton
Reply to  Guilherme Lins
2 meses atrás

Guilherme no fim das contas não houve recursos, financeiros, técnicos, disponibilidade de doca seca, etc, para modernizar o “São Paulo”, mas, na época que ele foi adquirido a ideia propagada por inúmeras matérias em revistas era que ele serviria como um “tapa buracos” entre a retirada do “Minas” e a incorporação de um novo que ficaria pronto por volta de 2025 e novas aeronaves iriam substituir os A-4s também. . Quanto aos 12 “A-4s” que seriam modernizados isso não quer dizer que todos os 12 estariam disponíveis, ainda mais que os 3 “biplaces” seriam usados para treinamento e como afinal… Read more »

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Guilherme Lins
1 mês atrás

Porque brasileiro é um Gênio cansado…que joga fora seu potencial….e lógico….como se recusa a tomar champagne na propria França porque lá ela seria nacional, acredita que ser vira lata é fraco…Vira Lata é justamente o contrário….o forte que sobrevive e venceu….

Eduardo
Eduardo
2 meses atrás

Que “lindo” MB, efetuando patrulha(!) com aviões (inúteis) de caça, que tem elevado custo de hora de voo.

O contribuinte aqui vos “agradece”!

ALEX TIAGO
Reply to  Eduardo
1 mês atrás

Meu amigo você quer atacar quem???estamos em pa otimo que mantenham a doutrina e que façam patrulhas com certea o custo não e tao mais alto do que um H225 acho que deve ser ate menos e mais patrulha e vigilancia em epoca de pa pode ser ate de teco teco e importante enão e inutil.

jef2020
jef2020
2 meses atrás

Pessoal penso que a MB não irá operar NAe no curto prazo, continuando a operar seus aviões baseados em terra mesmo. Os A4 já estão no limite e em pouca quantidade. Não teremos Gripen naval no curto prazo (aos que ainda acreditam me desculpe mas corde por favor).. Dentro desse cenário, não seria uma oportunidade para a MB alguns AMX da FAB que foram retirados de operação? Poderiam escolher as melhores entre as unidades retiradas de serviço, submeter a um processo de modernização similar aos da FAB versão A1M mas obrigatoriamente com a integração de um missil antinavio tipo Exocet.… Read more »

Jhon
Jhon
2 meses atrás

Só falta comprar Harpoon! A4 é bom, nem tudo que é velho é ruim, B52 que o diga.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Jhon
2 meses atrás

Existem vetores mais capazes no mercado. O caça naval Phanton britânico possui o mesmo motor do AMX da FAB. Será que Sua Majestade não venderia seus reservas a preço convidativo? Teríamos um vetor naval de de combate. O Skyhawk serve para treinamento, eis que é muito robusto e durável. Bom companheiro dos F-5s. Mas, o tempo passa e os meios evoluem. Gripen Naval só em sonho?

Dalton
Dalton
Reply to  Luiz Floriano Alves
2 meses atrás

Não há “Phantom” na reserva e os da Royal Navy foram transferidos para a RAF
tão logo o HMS Ark Royal IV foi retirado de serviço no fim da década de 1970.

Marcelo Mendonça
Marcelo Mendonça
Reply to  Dalton
2 meses atrás

e na RAF foram usados até o osso…

Maurício Carvalho
Maurício Carvalho
Reply to  Marcelo Mendonça
2 meses atrás

Nesse caso a melhor opção seria os Phantoms japoneses.

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Esta era a minha opção para tampão FX1 a época da aquisição dos M-2000. Teria voado varios anos a mais e a plataforma permitia atualizações. Mesmo que eles fossem depois atualizados com os mesmissimos eletronicos dos F-5M, somente a diferença de tamanho do prato do radar permitiria o dobro do alcance de visão.

Dalton
Dalton
Reply to  carvalho2008
1 mês atrás

Você parte do princípio Carvalho, se entendi corretamente, que em 2004 havia “Phantom” em boas condições.
.
Além disso, o “Phantom” de dois motores teria sido mais caro de manter e no fim das contas até mesmo houve uma baixa disponibilidade dos “M 2000” nos dois últimos anos.
.
A triste realidade é que de 18 A-4s modernizáveis, apenas 7 o foram sem falar em mais atrasos com a modernização dos “AMXs”, etc.

Flanker
Flanker
Reply to  Luiz Floriano Alves
2 meses atrás

Sim, O mesmo motor Spey do A-1, só que com PC…..e esse motor é o calcanhar de Aquiles do A-1 na FAB pela dificuldade em encontrar peças sobressalentes. E vc quer comprar aeronaves que, se existissem ainda, estariam armazenadas há décadas? Quanto sairia essa brincadeira? Com certeza, mais caro que adquirir uns 10 ou 12 F-18 e modernizá-los.

Marcelo Mendonça
Marcelo Mendonça
Reply to  Luiz Floriano Alves
2 meses atrás

O F-4 é muito caro de se manter, não é mais um opção viável hoje.

Flanker
Flanker
Reply to  Jhon
2 meses atrás

A FAB tem Harpoon.

Mgtow
Mgtow
2 meses atrás

Magnificas imagens

Leonardo
Leonardo
2 meses atrás

AF-1 deveria está aposentados dinheiro jogado fora ..

Marujo
Marujo
2 meses atrás

Deve servir para criar doutrina e dar horas de vôo aos pilotos.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 meses atrás

Gostei da bolacha da Esquadrilha Sirius, do 1° EIA da AFA, no braço esquerdo do ¨caçador naval¨.