quinta-feira, maio 13, 2021

Saab Naval

Terceiro porta-aviões chinês em construção deverá ser da mesma categoria da classe ‘Ford’ dos EUA

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Segundo o articulista HI Sutton do site Naval News, o porta-aviões Type 003 da China atualmente em construção deverá ter dimensões muito próximas às da nova classe “Ford” de porta-aviões da Marinha dos EUA.

A constatação surgiu do exame das novas imagens de satélite do navio em construção no estaleiro em Xangai.

A imagem de satélite abaixo permite estimar o comprimento da linha d’água em cerca de 300 metros (985 pés). Isso é um pouco menos do que os 317 metros da Classe Ford (1.040 pés), mas mais longo do que os porta-aviões anteriores.

Os porta-aviões chineses Type 001 Liaoning e Type 002 Shandong têm cerca de 270 metros (885 pés) de comprimento na linha de água.

Uma diferença significativa em comparação com a classe “Ford” é que o Type 003 deverá empregar propulsão convencional, com turbinas a vapor talvez integrada com propulsão elétrica.

Espera-se que o Type 003 também venha a empregar catapultas eletromagnéticas semelhantes às EMALS da classe “Ford”.

Nas imagens abaixo, mais fotos aéreas do Type 003 em construção feitas no final de março de 2021.

Concepção artística do Type 003

- Advertisement -

86 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
86 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
DOUGLAS TARGINO

Interessando no final da embarcação ter essa entrada do lado esquerdo, podendo ser completo como o do americano e ter mais espaço…

Dalton

Uma evolução significativa. O desenho mostra 3 catapultas enquanto o “Ford” tem 4 e empatam em número de elevadores para aeronaves, 3 em cada, já que o elevador número 3 da classe Nimitz raramente é usado no mar e portanto foi deletado na classe Ford, resultando em dois a boreste e um a bombordo para ambos os tipos segundo o desenho. . O “Ford” por ser nuclear permite um maior estoque de combustível para aeronaves e também para abastecer navios do grupo, já que não precisa para si, uma necessidade maior da US Navy, mas, é bem possível que energia… Read more »

DOUGLAS TARGINO

Pode ter certeza que o segundo da classe já vem assim, tem muito tempo para construírem ainda, tento em vista como se encontra o primeiro dessa classe.

Dalton

Certeza ainda é cedo. Segundo fontes poderá haver um segundo idêntico ao que está em construção retardando um pouco a introdução de um nuclear até mais “expertise” ser ganha, segundo, fontes chinesas.
.

Mk48

Olá Dalton, blz ?

Uma evolução significativa, sem dúvidas. Penso que é exatamente por ainda estarem evoluindo para um desenho final, ainda não partiram para a propulsão nuclear.

Creio também que quando chegarem a um desenho, uma configuração que os atendam de fato, vamos ver uma nova e definitiva classe de Naes Chineses, nucleares, mais ou menos no mesmo processo de refinamento de desenho que levou a USN até a Classe Nimitz.

Abs.

Alex Barreto Cypriano

Quer saber? Acho que esse aí já será nuclear, mas com mais reatores como o Enterprise. Um bote de +-90.000 toneladas com grande demanda de eletricidade à vapor é inaceitável…

Mk48

Sim Alex, tbm acho muita tonelagem para ser impulsionada convencionalmente, mas só como parâmetro, o Nae Queen Elizabeth tem aproximadamente 65.000 ton tbm com um sistema de propulsão semelhante e também com uma alta demanda de energia prevista.

Não acho que esse Type 003 vá ser a configuração final de Nae pros Chinas, como escrevi no outro comentário acima.

Heli

A US Navy operou por muito tempo varios de 80 mil toneladas sem problemas, vide os classe Kitty Hawk.

Dalton

Mesmo os EUA após completarem o nuclear “Enterprise” em 1961, voltaram atrás, e completaram outros 2 NAes convencionais, o “America” em 1965 e o “John kennedy” em 1968, até finalmente, tomarem a decisão de construir apenas NAes de propulsão nuclear, algo que não foi feito sem críticas, por serem muito mais caros de adquirir e manter, incluindo o reabastecimento dos reatores e a reciclagem algo que ainda não foi concluído com o “Enterprise” inativado em 2012, por falta de fundos e em breve se terá que fazer com o “Nimitz”, cuja inativação está prevista para 2025. . Acredito que os… Read more »

Mk48

Eu acho que no caso do Enterprise não foi uma questão de voltar atrás e completar outros dois Naes convencionais.

Penso que essa cronologia se deu por duas razões :

1) Tempo necessário para amadurecer e testar o novo Nae nuclear, afinal era o primeiro a ser operado com essa tecnologia, 4 reatores, etc., etc. ;

2) Não poder esperar esse amadurecimento sem deixar de preencher lacunas operacionais, e aí completaram o “America” e o “Kennedy”.

Dalton

O “Enterprise” custou demais e foi comissionado até mesmo sem armamento defensivo para amenizar os ânimos do congresso e não havia nada de muito novo em matéria de reator nuclear já de uso em submarinos em um combatente de superfície o cruzador Long Beach e outro quase pronto o Bainbridge. . O “John Kennedy” deveria ter sido nuclear, mas, não o foi por conta da batalha pelos custos e assim se teve que esperar um pouco mais até à assinatura do contrato para construir o Nimitz. . E só uma pequena correção,o Enterprise tem 8 reatores “pequenos” e não 4… Read more »

Mk48

Não sei de onde tirei o número 4. Beleza.

carvalho2008

salvo engano, vi num estudo deles em que chegaram a conclusão que durante todo o ciclo de vida, desde os custos de implantação, operação, reabastecimento e desativação, que os Aerodromos nucleares custaram 405-50% a mais do que se fosse um equivalente diesel….

Sobre o equipamento nuclear, foi percebido e ate contabilizada a diferença de custo de pessoal, pois os chefes de operações e tripulação tem de ter um treinamento, qualificação e remuneração bem maior….

Dalton

Há vantagens e desvantagens Carvalho. No caso da US Navy que precisa enviar seus navios para o outro lado do globo fez mais sentido, reduzindo a dependência de navios de apoio logístico, podendo abastecer mesmo que de forma limitada navios do grupo e em caso de necessidade, sustentar alta velocidade por longo período de tempo, mesmo às custas de deixar a escolta para trás, evadindo-se mais facilmente de uma área perigosa.

carvalho2008

Mestres MK48 e Mestres Dalton,

Sem dúvidas chegarão ao Nuclear. No entanto, tenho certeza que adotaram a saida mais pragmatica pelo diesel pois não querem arriscar tempo na corrida pelos Porta Aviões….

Como ainda estão numa fase de transição entre mar interior e oceanico, ainda dá para tocar o barco com diesel pois linhas de suprimento a esta distancia não faltarão.

Leandro Costa

Acho que é possível que a quarta catapulta tenha sido eliminada em troca de mais espaço de armazenamento de combustível aeronáutico, e se for esse o caso podemos vê-la instalada em versões nucleares posteriores.

Isso levando em consideração que meu conhecimento acerca de arranjo interno de navios-aeródromos é extremamente ultrapassado, mas me parece lógico o suficiente.

Mk48

Leandro,

A minha teoria para não haver uma quarta catapulta está relacionada com a capacidade de geração de energia do Nae Chinês, devido a propulsão ser convencional

Leandro Costa

É uma boa teoria, Mk48. Acho que é uma possibilidade maior ainda, ou uma combinação de ambas.

carvalho2008

Mestre Leandro, não consigo ver correlação entre qtde de catapultas e tanques de combustivel. Os tanques ficam no espaço do lastro e em alguns navios até ja pensaram em compartilhar e reformar isto. Lembro que o Encouraçado da mesma classe do Missouri chegaram a ter ideias de projetos de conversão, transformando o encouraçado num hibrido com operações aereas de Harriers na popa alisando o convés ali….a retirada dos canhões de 16 pol da proa aliviaria um peso enorme, e parte de lastro entre a cinta de blindagem e o casco serim convertidos em tanques de combustivel de aviação para os… Read more »

Dalton

E pode ser também Leandro que o tamanho ligeiramente menor seja um impedimento a se ter uma quarta catapulta, se, pudermos confiar no desenho, algo similar ao “Charles De Gaulle” que não apenas conta com duas catapultas, mas, essas, apesar de modelo americano são mais curtas, 75 metros ao invés de 90 metros, algo que se espera, será corrigido com o eventual substituto que será bem maior.

Leandro Costa

Seria interessante saber a potência máxima dessas catapultas Chinesas para termos uma noção maior, mas acredito que isso seja algo guardado à sete chaves, ainda mais se forem EMALS.

Existe alguma nova informação à respeito do andamento do PA2?

Dalton

Talvez você já tenha lido, mas, o que li de mais recente é que será nuclear e a construção ou ao menos compra de material inicial ocorrerá em 2025.

Leandro Costa

Não, ainda não havia visto essa informação, Dalton. Pelo menos não que eu me lembre. Obrigado, Dalton.

Matheus S

Só uma pergunta: Onde você está vendo o terceiro elevador no desenho do NAe chinês? Pois só estou vendo dois a boreste. Embora na suposição de que o PLAN buscará atingir a maior taxa de surtida possível dentro do projeto, e as dimensões aproximadas do navio parecem grandes o suficiente para acomodar um elevador a bombordo no que ajudaria nessa capacidade. Os rumores originais sugeriam 3 catapultas e 2 elevadores. O desenho mostra claramente que esses rumores podem estar corretos. Para um navio deste tamanho, ter apenas 2 elevadores é uma escolha de design altamente questionável. Mesmo que cada elevador seja extragrande… Read more »

Luiz Trindade

É… Eles não estão para brincadeira não… Enquanto nós brigamos para nos livrar do aposentado e único que restou Porta Aviões brasileiro “São Paulo” (e ficarmos sem e não saber o que fazer com os AF1- Skyhawk) os chineses estão para o seu terceiro porta aviões.

Henrique

Caro Luiz, dos mais de 20 AF1 que a MB comprou só 4 são operacionais, portanto não é uma grande perda. Mas como não temos e nunca tivemos uma “política de estado” forte, não aproveitamos nada daquilo que já fizemos anteriormente como as Vospers, os sub IKL e ambos os NAes que operamos…. este segundo sem a competência para sequer mantê-lo operacional.

TJLopes

Ué, mas porta-aviões não eram inúteis? Alvos fáceis? Não são afundados no primeiro segundo do conflito? A China tá jogando dinheiro no lixo, devia contratar uns comentaristas daqui…

Allan Lemos

Pois é, pensei a mesma coisa.

Antoniokings

É porque os EUA não têm nada parecido com o DF-21 ou Zircon.
Desse modo, China e Rússia podem utilizar Nae durante bons anos.
Ademais, NAe ainda podem ser usados contra países ‘menos aquinhoados’ como os EUA fazem contra o Iraque, Somália e outros menos cotados.

Victor Filipe

O Fato dos EUA ainda não terem um míssil hipersônico anti-navio dedicado não quer dizer que ele não detêm armas anti-navios perigosas. Te garanto que se um navio Russo ou Chines for atingido por um AGM-158 LRASM ele não vai se sair bem da situação. Zircon e LRASM tem uma cabeça explosiva com aproximadamente o mesmo peso a diferença é o método de entrega. Zircon é hipersônico, LRASM aposta em ser Sea Skimming e furtivo. Sendo sincero um único impacto de qualquer um desses misseis em um Super Porta Aviões (seja americano ou o novo chines) Dificilmente vai afundar eles… Read more »

Andre

Para usar, a Rússia precisa ter. Aquela coisa deles não rivaliza nem com o francês, perto dos americanos e chineses não sai nem na foto.

Luiz Trindade

Não é TJ Lopes…

sub urbano

Com a hegemonia chinesa, o Pacífico terá uma era de paz e prosperidade sem precedentes. A China só precisa eliminar aqueles que se opõem a ela.

Rui Chapéu

Ah….. nada como trazer a paz……. A força! eaiohaeiohaeioaehioaeho

Jagdverband#44

O nível dos debates estava bom e focado no tópico da matéria. Ai vem fanboy xingling e estraga tudo.

Antoniokings

E certamente esse tipo de Nae não é para operar apenas ‘no cordão de ilhas’.
E o pior (para os EUA) é que não sabemos quanto mais desses virão.

Antonio Cançado

Nem quantos dos EUA virão, né? Pois é.

Antoniokings

Pelas ultimas, alguns serão retirados de serviço.
É grave a crise e vcs não perceberam.

Carlos Gallani

Mas é o meme do Bender:
“Eles precisam aprende nosso jeito pacífico de viver… PELA FORÇA!”
Hahahahhahahahaha

Agnelo

Eliminar, né? Boa concepção de paz….. tipicamente canhota….
O mais interessante é q quem mais “pacificou” o Pacífico foram os EUA, derrota do o Japão e salvando a Coreia do Sul. Pecou (ou não, dependendo do ponto de vista) no Vietnã.
E a China, q inclusive foi salva do Japão?

João das Botas

Kkk igualzinho!! Só que um é Nuclear o outro não…só detalhe…

Moriah

sinistro…

Allan Lemos

Pergunto-me se todos esses porta-aviões ficarão confinados ao Mar do Sul da China. Os americanos se aproveitaram da WWII e da Guerra Fria para espalharem bases por todo o mundo, o que facilita muito a operação de seus CSGs, mas os chineses provavelmente não poderão fazer o mesmo, no máximo poderão instalar uma ou outra base na África, mas é improvável que consigam fazer isso na América Latina, Europa ou no Oriente Médio.

Mk48

Essas duas bases previstas na costa sudoeste da Africa……sei não hein?

Alexandre Galante

Pois é rs

Allan Lemos

Haverá mais problemas com os americanos e britânicos, pois há uma praticamente ao lado de Diego Garcia, e também com os indianos, que estarão quase cercados. O mundo está ficando menor, tal como aconteceu antes da Primeira Guerra.

Leandro Costa

Eu havia lido algo em relação à isso a algum tempo atrás. Bases em troca de ajuda. Salvo engano melando algumas intenções Brasileiras naquela mesma região.

Mk48

Pois é Leandro. Muito preocupante isso. Os chinas vão fincar o pé no quintal do Brasil também.

Leandro Costa

Sim, apesar de que eu duvide que navios militares Chineses venham à invadir águas territoriais Brasileiras com o intuito de nos forçar à fazer alguma coisa, seja na área comercial ou até mesmo militar, até porque estariam dando um tiro no pé caso queiram mais fatias do mercado Brasileiro para qualquer coisa. Mas olhando por um lado pessimista, isso pode tender à uma presença ainda maior da USN pelo Atlântico Sul, o que deixaria o Brasil no meio de ações estilo ‘Guerra Fria’ que durante o período de disputa entre URSS e EUA nós nunca vimos, e não temos nem… Read more »

Mk48

Sigo o relator.

Allan Lemos

Não duvide, Leandro. Os chineses já invadem as águas argentinas, chilenas e peruanas. Com o Brasil não será diferente, ainda mais com as nossas águas subvigiadas. Os argentinos pelo menos tiveram bolas para afundar um pesqueiro deles. Mas e aqui, será que a MB faria a mesma coisa? No outro dia o Judiciário e o Legislativo estariam pedindo a cabeça do comandante do MB e da embarcação e/ou até mesmo a instalação de alguma CPI. É preocupante.

Leandro Costa

Eu compartilho de sua preocupação, Allan, mas duvido que a China iria, pelo menos à princípio, enviar navios militares para guardar as embarcações de pesca. Por isso autorizaram pesqueiros armados e essa é uma preocupação para todas as nações de qualquer região na qual eles operem, e daí o motivo de eu mencionar que os navios patrulha oceânicos nunca foram tão necessários.

Mgtow

Nada a ver a China não tem nenhuma intensão agressora com o Brasil.Não porque vcs minions insistem com isso. Ao mesmo tempo vcs minions não falam uma unica palavra do verdadeiro inimigo do Brasil. Aquele que sabota sempre nossa tentativa de desenvolvimento…os EUA. Estão mirando no “inimigo” errado. Será se é por inocencia, ou por mal caratismo mesmo de comprar uma guerra que não é nossa com os chineses para ficar bem com os yankees. O nivel de lacaismo de vcs minion é tão grande que eu não duvido nada

Antoniokings

Prezado Mk48.

Verdade!
Apesar dessa ‘ousadia’, devemos lembrar que os chineses já chegaram em Djibouti e existem rumores de uma grande base em construção no Camboja.
No Irã, também existe grande possibilidade de presença militar chinesa.
Devemos ressaltar os bons laços entre China e Sri Lanka, Birmânia, Paquistão e Bangladesh locais assinalados no mapa acima.
Agora, se eles chegarem até a costa oeste da África, já era.
Mas, nunca devemos duvidar dos chineses.

SDS

Mk48

Prezado Kings,

Sim. É como euvjá disse aqui no blog em outra oportunidade : A expansão chinesa é inevitável, é um fato . Fui até taxado de comunista e outros adjetivos simplesmente por reconhecer um fato inevitável.

No mais, saudações vermelho e preto !!! Rsrsrs

Abs.

Antoniokings

Grande Mk48!

SDS

Mk48

Prezado Kings,

Minha resposta ao teu post ficou bloqueada….rsrsrs

Abs

Rafael M. F.

A maioria delas concentradas no Índico.

Objetivo claro: manter as rotas comerciais.

Dalton

Pertinente seu comentário. Os EUA já tinham o Havaí e Guam no caminho para os confins do Pacífico, mesmo as Filipinas antes da “WWII” e a Austrália já era um bom aliado. . O Japão inicialmente odiado pelos vizinhos, alguns ainda não são muito simpáticos até hoje saiu de uma ocupação pacífica e ordeira onde havia entregue sua defesa aos EUA para o status de grande aliado e desde 1972 um NAe é baseado lá. . Coreia do Sul deve sua existência aos EUA e mesmo o Vietnã por conta de suas rusgas com a China agora permite que um… Read more »

Allan Lemos

Verdade. Havaí e Guam já davam aos EUA a capacidade de se aventurar por aquelas bandas. Deste lado, há o Reino Unido na Europa e seus territórios ao Sul, como Ascencão, todos à disposição dos EUA. Acho difícil os chineses terem esse tipo de alcance global, mas só o tempo dirá.

Leandro Costa

Da maneira como eles estão produzindo navios, acho questão de tempo. Não vejo motivo para eles navegarem regularmente por essas bandas, mas isso pode ser arranjado.

Mk48

Allan, dá uma olhada no mapa qye o Galante postou mais acima. Sinistro.

Allan Lemos

De fato. Lembra muito o período pré WWI, onde as potências brigavam por cada pedacinho de terra para transformá-las em colônias, a rivalidade aumentava e todos se armavam até os dentes. A guerra pode ser inevitável de novo, a história mostra isso.

Rafael Gustavo de Oliveira

Nuclear pra quê? sinceramente….será um baita de um navio aeródromo, pessoal entenda que a china também tem navios logísticos incríveis, suficientemente para manter esquadras com Nae não nuclerares em operação bem longe de sua costa, navios de apoio logístico que variam de 25 a 50 mil toneladas de deslocamento (type 901, type 903, type 904, type 908, etc)…sai caro operar? sai, mas eles podem caso seja necessário…pessoal…nunca subestimem a capacidade de produção chinesa, é importante ressaltar que eles não produzem só o navio aeródromo…eles produzem todo um aparato para opera-lo com eficiência, as vezes o segredo do sucesso está nos… Read more »

Mk48

“Nuclear pra quê?”

Capacidade de geração de energia , que são requeridas por grande deslocamento do navio, catapultas EMALS e outras novas tecnologias, todas requerendo alto consumo de energia.

Rafael Gustavo de Oliveira

concordo é desafiador, mas não é impossível….

Rafael Gustavo de Oliveira

Talvez a china não opere com aeronaves tripuladas (aeronaves de grande massa) e não precise de tanta força para as catapultas EMALS, não sabemos!….quantas vezes fomos surpreendido com notícias do tipo…”A china fez o quê?”….

talvez a EMALS chinesa pode ser preparado para colocar 150 aeronaves vant menores ao invés de colocar 75 F-35 como faz o Gerald Ford….não sei

Estamos errados toda vez que comparamos a China com ocidente, não sabemos os projetos deles, não sabemos estratégia deles…pura suposição

Flávio

E foi o Brasil que ensinou os chineses a operar porta-aviões, em breve eles vão ter uma frota…..

Mk48

Não. Houve uma solicitacão por parte da China sim ao Governi Brasileiro e a MB, mas não aconteceu o treinamento, os EUA barraram.

Oráculo

Eu lembro dessa história.

A proposta era eles aprenderem com a gente e depois construir juntos novos Porta Aviões.

Adivinha se a Marinha perdeu a oportunidade de recusar a oferta…

Allan Lemos

Tem aquele ditado que diz que o Brasil não perde uma oportunidade…de perder uma oportunidade. Há tempos defendo que o Brasil deveria comprar navios e aviões chineses porque são mais baratos e podem vir com ToT. Mas isso nunca vai acontecer seja por conta da mentalidade dos militares, que ainda não saiu da Guerra Fria, seja por conta da falta de visão do Governo.

Mgtow

Graça ao lacaismo do brasil. E tem gente por aqui que despreza terminantemente o fato de que os EUA são o nosso cancer. Querendo fazer uma psicologia reversa colocando os chineses nesse papel. Eu não sei se é burrice desse povo ou é puro mal caratismo. Com a China só teriamos a ganhar, Os EUA querem sem nos sabotar para nos manter como fazendão.

Allan Lemos

Mas os EUA barraram com base em quê?

Mk48

Allan, tem materia aqui no Naval que fala sobre isso, não lembro agora o motivo exato, mas vou pesquisar e tentar achar.

Allan Lemos

Entendi, não sabia dessa. De todo modo foi uma grande oportunidade perdida, poderíamos ter aprendido muito e evoluído ao lado dos chineses, mas aqui a incompetência e falta de visão estratégica falam mais alto. Obrigado por postar as matérias.

Mk48
Adriano Madureira

Eu fico pensando: já pensou se os chineses tivessem reformado ou construído navios porta aviões crusadores como o classe Kiev, cheio de misseis🤔⁉️
Hoje ele é uma atração turística na China…

images (93).jpeg
Filipe

No final de tudo a China irá alcançar o objetivo de ter 360 navios de guerra em 2035 ( 2 CVN Type 004 + 2 CVA Type 003 + 1 CVF Type 002 Shandong + 1 CVF Type 001 Lioning + 12 LHD Type 075 + 15 LPD Type 071 + 33 CCG Type 055 + 60 DDG Type 052 + 66 FFG Type 054 + 75 FFL Type 056 + 52 SSK Type 033 + 3 SSK Kilo 636 + 8 SSBN Type 094 + 6 SSBN Type 096 + 5 SSN Type 093 + 19 SSGN Type 095… Read more »

Kleber Gonzaga Carneiro

A vantagem da China, É que não precisa de ninguém pra fazer suas armas de guerra, já o Brasil, pra fazer uma canoa tem que ter tecnologia de fora

Kleber Gonzaga Carneiro

O Brasil tem que aprender com a China como ganhar dinheiro e tecnologia, somente isso.

Pablo Maroka

Agora a p#$$a ficou séria.

Onde os EUA tem liderança com folgo sobre todas outras nações.

José Soares de Oliveira Neto

Boa noite
O que tinha lido que seria da classe KITY HAWK
ou seja 83 mil toneladas e de propulsão convencional. Mas não deixa de ser um avanço tremendo.

Henrique

O Dragão tem inteligência, doutrina, política de estado e disciplina… tudo que falta no ocidente hoje. A ganância por lucros levou o ocidente a investir na “mão de obra escrava” chinesa nas décadas passadas e alimentaram o dragão com financiamentos, tecnologia, matrizes industriais submetendo praticamente as principais cadeias de produção de manufaturados àquele país… deu no que deu! Os chineses tem paciência, são doutrinados e a tal “mão de obra escrava” se tornou mão de obra “especializada” com investimentos maciços em formação técnica e parque industrial e tecnológico e hoje vemos países importando até “máscaras cirúrgicas” da China pois não… Read more »

- Publicidade -

Reportagens especiais

IMAGENS: Navio-Aeródromo Ligeiro Minas Gerais – A11

Algumas das melhores fotos do NAeL Minas Gerais (A11) com seu grupo aéreo embarcado de aviões P-16 Tracker da...
- Advertisement -