Marinha se surpreende com o custo operacional dos submarinos classe ‘Riachuelo’

370

Submarino Riachuelo da Marinha do Brasil

Boa parte da oficialidade da Marinha – inclusive a lotada no Comando da Força, em Brasília – tomou um susto ao ser inteirada do custo operacional dos quatro navios da Classe Riachuelo (Scorpène modificada) na Força de Submarinos (ForSub) da Esquadra.

Segundo o Poder Naval pôde apurar, o que ficou claro para os almirantes brasileiros é que, a cada cinco anos, as embarcações S-BR classe Riachuelo exigirão um dispêndio de aproximadamente 1 bilhão de Reais somente em serviços, sem contar o valor dos sobressalentes (!).

O submarino cabeça-de-série Riachuelo – S40 deve ser declarado operacional ainda em meados deste ano (ou, caso haja algum atraso importante derivado da evolução da pandemia, no primeiro trimestre de 2022). Assim, durante o primeiro quinquênio, a ForSub terá, no máximo, duas unidades da nova classe em operação.

A última embarcação dessa série, Angostura – S43, só deve ser entregue ao setor operativo da Marinha no início do segundo semestre de 2025.

Os quatro “Riachuelos” colocarão a Força de Submarinos brasileira como a mais poderosa da América do Sul, e de potencial comparável ao das Armas Submarinas de forças navais de grande destaque no âmbito da Organização do Tratado do Atlântico Norte, como a alemã e a italiana.

Na América do Sul, o Chile – que possui, hoje, a principal Aviação Militar dessa parte do continente – dispõe de apenas dois submarinos Scorpène (recebidos em janeiro e julho de 2006, e menos sofisticados que os S-BR brasileiros).

Apenas a Colômbia anuncia um investimento, no final da presente década, em dois submarinos novos, possivelmente de modelo alemão, já que projeto que dará continuidade à família Scorpène – conhecido nas pranchetas da indústria naval francesa como Scorpène 2000 –, será demasiadamente caro para o modesto orçamento da Marinha colombiana, que prevê priorizar a obtenção de sete navios de superfície: cinco fragatas de médio porte e dois navios-doca ligeiros.

Submarino Riachuelo - S40
Submarino Riachuelo – S40

Cuproníquel

Perfil do submarino Riachuelo S40. Desenho: José da Silva

Os submarinos da série S-BR classe Riachuelo são 5,22m mais compridos e 153 toneladas mais pesados que o modelo Scorpène original, que inspirou o seu desenho.

Os submarinos foram reprojetados internamente, de forma a oferecer mais conforto aos seus 31 tripulantes, e uma área maior de armazenamento de combustível, víveres e outros itens.

De acordo com um engenheiro que conhece o programa do “Scorpène brasileiro”, a Marinha, com o objetivo de baratear a produção das embarcações, optou por algumas alternativas que, mesmo simplificando a construção – como a não-aplicação de revestimento de cuproníquel em parte das tubulações internas –, exigirão uma manutenção muito mais cara dentro de alguns anos.

“Tapajó”

Submarino Tapajó – S33

No Comando da Força de Submarinos, depois dos oferecimentos brasileiros de submarinos tipo IKL-209/1400 às forças navais da Indonésia e da Argentina – que ainda aguardam uma resposta positiva –, há certa expectativa pelo reaproveitamento das unidades dessa classe que se encontravam em manutenção.

A volta do submarino Tupi às operações é considerada um sucesso, e o próximo 209/1400 a ser entregue ao setor operativo da Armada, provavelmente ainda em 2021, é o Tapajó – S33, comissionado pela Marinha em dezembro de 1999.

Entre dezembro de 2001 e janeiro de 2004 o “Tapajó” esteve sob o comando do então Capitão de Fragata Marcos Sampaio Olsen, atualmente almirante de quatro estrelas e diretor-geral de Desenvolvimento Nuclear e Tecnológico da Marinha, oficial que está cotado para suceder o almirante Almir Garnier no Comando da Força.

NOTA DA REDAÇÃO: A Marinha da Malásia também se queixou dos custos muitos altos dos submarinos Scorpène. Clique aqui para ler a notícia de 2019.

Subscribe
Notify of
guest

370 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Lucas

Nao pode ser serio que um projeto bilionario desses nao tinha uma projecao de custos de manutencao e agora “tomaram um susto”. Se for verdade é de um nivel de amadorismo impar, pode fechar e transforma em guarda costeira, pq é o que merece ser.

Faver

O custo sempre foi estimado em Euros ou Dólar, que tinha cotação baixa… Agora com o Euro a quase 7 e subindo, a estimativa subiu muito. Dólar alto só beneficia exportadores. Todo o resto fica caro para quem compra, usa e depende disso. As Tamandarés e Grippens vão para o mesmo caminho!

George Gratz

Nem vou precisar escrever, é isto mesmo. Previsão em reais não existe se o equipamento é importado.

Elias

Temos que ver o momento histórico do contrato, quem estava no poder político no Brasil. Ministro Celso Amorim, “almirante” othon , e presidente da república de então. Temos o hábito de criticar a instituição mas os atores da época? Depois do contrato feito e assinado e metade do riachuelo pronto e quase entregue e aí?

Elias

Sugere uma insubordinação? Contra o poder da época?

Elias

Nos últimos momentos dele como presidente, queria comprar os rafale quando no encontro com sarcozi, com muito custo os brigadeiros de então conseguiram mudar de ideia , quanto ao submarino infelizmente não …

Elias

Eu quero dizer que a decisão foi “política “ da época…

Antonio Palhares

Mr. Elias
Conjunturas completamente diferentes.
Com aquele chamado nefasto, o dólar chegou a custar 1.5 reais.
A sua sucessora bem aconselhada pelos brigadeiros teve a coragem de comprar os Gripens. Acho que o a compra dos Subs para o nosso país foi importante. É claro que este dólar vai baixar e as coisas ficarão mais suportáveis.

Elias

Sr. Antônio , quando do encontro foi com presidente de então. Os brigadeiros conseguiram fazê-lo mudar de ideia, a decisão do gripen foi num segundo momento com a presidenta , acho naquele momento o rafale já estava descartado, ficou entre o gripen e o f18 , existe forte suspeita quando da invasão dos computadores da petrobras (americanos?) , a presidenta por represália é tão somente pela represália , escolheu o gripen. Ademais com a eleição da presidenta se determinou o continuísmo da política e políticos da época

Elias

Haja eufemismo!!! Tem que ter sangue de barata ?

eggfilho

file:///D:/Usuario/Desktop/WhatsApp%20Video%202021-05-04%20at%2016.59.44%20(1).mp4

sr Antonio!
veja aqui neste singelo video o virtuosismo do dolar baixo da época ,

Peter nine nine

O dólar/euro já teve cotação mais baixa, mas nunca “teve cotação baixa”. Os scorpene sempre foram por mim vistos como uma classe complexa, em certos aspectos desnecessariamente, e as modificações brasileiras, que agora sabemos nem têm origem na intenção de “muscular” as capacidades (algumas até para baratiar custos), só reforçam essa complexidade e os custos associados. Excelentes navios sem dúvida, mas como sempre sujeitos à ineficiente gestão. O “espanto” com os custos de operação está directamente associado, assim como serve de prova, que como outros aqui referem, a gestão deste tipo de projecto nas “décadas modernas” nunca teve como objectivo… Read more »

Faver

Peter,

A marinha tinha a intenção de aperfeiçoar a frota de submarinos e na época esta classe foi uma boa escolha. Por mais que o equipamento seja complexo, seja Francês, seja dorado ou roxo, envolve manutenção em dólar… Na época da compra o dolar estava há 2,5… Ninguém poderia supor ou acreditaria que chegaríamos a quase 6 (apesar de agora ter ministro dizendo que o melhor era que chegasse a 7…). As estimativas são sempre no valor em dólar e não envolvem previsões (adivinhações) do tipo mercado futuro de bolsa de valores (com previsão para mais de 8 anos)…

Last edited 3 anos atrás by Faver
Oganza

Essa classe nunca foi uma boa escolha e está mais do que evidenciado em toda discussão feita aqui mesmo no PN há uma década atrás… essa lambança foi toda por causa do Nuc.

Gustavo

Faver, mas o dólar está barato mesmo, um pais com poucas industrias onde o carro chefe da economia é o alimento, não pode ficar se dando o luxo de ter dólar a custo de pais desenvolvido se não perde competitividade. Já antecipo que concordo com você que sim deveríamos aumentar nossa industrialização, a questão é: vão deixar? Pois esses países “do bem” já batem os tambores de guerra contra nossa nação, sobre a Amazônia, imagina se colocarmos ainda industrias.

Jeferson

O amigo Peter está correto, em um país onde não há indústria de base existe o risco deste tipo de acontecimento, selecionasse o projeto e depois os custos de produção e manutenção deste, que obviamente são assinados em moedas estrangeiras, sofrem flutuação. Portanto há que sempre ter o extremo cuidado administrativo e de gestão em selecionar o projeto estratégico adequado, com todos os riscos calculados, para operar tal equipamento ao longo dos anos.

Pedro Tavares Nicodemos Filho

O SAAB GRIPEN E/F é a opção de menor custo de aquisição, menor custo de operação e menor hora de voo. Foi e continua a ser a opção mais inteligente, dado que ainda não se fabrica MOTORES A REAÇÃO, nem IRST, nem RADAR AESA no Brasil. Ainda são previstos mais 2 lotes de 36 caças destes, apenas para substituir todos os F-5M e AMX somados.Certamente a FAB vai precisar fazer mais algum acordo de nacionalização de partes do caça sueco, como o RADAR SELLEX GALILEO ES-05 com a Italia, por exemplo, e talvez copiar os suecos nacionalizando o MOTOR GE F-414,… Read more »

Affonso Henriques

O Gripen tem um bom conjunto de projetos de offset que minorarão os custos de manutenção ao longo do ciclo de vida do equipamento. As participações de empresas nacionais, capitaneadas pela Embraer, farão um bom papel. Isso reduz o custo.

Gustavo

Necessidade de nacionalizar ao máximo os equipamentos. Isso aliás foi a política que tornou Alemanha e Japão liderarem por décadas. Exportações altas, com alto valor agregado e câmbio desvalorizado.

Roberto

O mais interessante e que depois de ter toda uma infraestrutura para a construção e manutenção dos submarinos alemães, resolveram comecar do zero e mudar para os franceses. Estranho isso

TeoB

como dono de carro francês kkk eu sei bem como eles gostão de ganhar dinheiro com a manutenção.

Flanker

GostaM*….do verbo gostar. Gostão é um gosto grande

sergio

basicamente foi por causa do casco dos Scorpene, que seriam mais adequados a uma plataforma nuclear, do que o casco alemão, pelo menos foi o que soube.

Jadson Cabral

Daqui uns 30 anos mudam tudo de novo e o jogo segue

Rudi PY3TO

Daqui a 30 anos a MB do Brasil será maior que a marinha chinesa! ( em quantidade de marujos , não de navios)

Blind Mans Bluff

Estranho? Nada de estranho nisso Roberto. De um lado o presidente era o Lula, do outro, o Sarkozi, ambos corruptos comprovados. O pixuleco fez a festa!

Cristiano de Aquino Campos

Sem falar que historicamente, nada Frances e barato.

PACRF

Espera-se que a Marinha não se surpreenda, também, com o custo operacional das Tamandaré.

Agressor's

brazileirus não precisam ser felizes…Basta que alguém lhes prometa isso…Isso os satisfaz…Completamente…

igortepe

As forças armadas brasileiras, são extremamente profissionais no amadorismo.
Só são experts em cardápios refinados.

Clibanário

Cortem as 790 toneladas de picanha.

Heli

esqueceu do leite condensado e da Heineken

TeoB

concordo plenamente!

sergio

Na reunião de apresentação dos custos do Nuclear voa ter que deixar as ambulâncias de aviso.

Pedro

Não é apenas amadorismo. Amadorismo é eufemismo para má administração do dinheiro público.

Jodreski

Espanto mesmo será o nosso quando eles precisarem passar por manutenção e demorar um década (senão mais) para ser concluído os reparos. Anotem aí….

Jodreski

Amigo.. se ele chegar a ser construído já será um sucesso, se ele for realmente operacional sucesso ao quadrado e se tivermos grana para mantê-lo operacional aí eu vou pra galeeeeeeera..
Dinheiro tem só que não para isso! Vcs sabem do que estou falando..

ANDRÉ PLMAS/TO

isso é em todo lugar do mundo !!!

eggfilho

lucas entenda, a decisao foi”politica”. nada haver com a defesa do nosso pais , o mega projeto foi injetado muito dinheiro e onde circula dinheiro ja viu , né..,…seria possivel rastrear todo o montante e nao seria surpresa nenhuma os nomes e instituiçoes (…) que surgiriam. estamos contabilizando só agora depois da maré vermelha.
Lucas, nossa ingenuidade faz querer simplificar a situaçao , este golpe lesa-pátria tem nomes e precisamos ter coragem de enfrenta-los e julga-los e se for preciso enquadrá-lo de volta aos crimes que cometeu

EduardoSP

Nessa sua lista pode colocar vários e vários oficiais generais da MB. O projeto foi gestado e conduzido por eles.

eggfilho

sem assinatura do ministro da defesa da época , “almirante” Othon, congresso da época, e do tal presidente da época, nao sairia o projeto, administrar a construçao e fazer o submarino saiu de acordo,

Gustavo

a marinha parece não ter gestão alguma as vezes… Quem que faz um projeto de defesa assim? Isso deveria estar mapeado, igual a outra reportagem sobre os KC-2 Turbo Trader…. Queimando dinheiro sem ter um plano palpável e realista.

EduardoSP

O SunNuc será a pá de cal da MB.
Jamais haverá recursos para operá-lo de firma decente.
É mais um projeto megalômano da MB.

Jefferson

Surpresa? Esses doidos não tem uma calculadora? Ganham uma fortuna mensalmente e não sabem calcular? Esse pessoal realmente é profissional? Esse tipo de declaração demonstra claramente quanto as nossas FA são despreparadas e porque se encontra na atual situação de calamidade.

Paulo

Impressionante e assustador o amadorismo da MB. Esse projeto francês sempre me gerou desconfianças. Lamentável tudo isso.

Jean Jardino

A culpa nao eh do projeto cabecao, a culpa eh do dinheiro brasileiro que nao vale nada, e esses custos sao orçados em dolar e real……quer ter subs modernos, precisa GASTAR POR ISSO.

Kemen

Assino embaixo.

A manutenção dos submarinos é imprescindivel para a segurança.

Last edited 3 anos atrás by Kemen
Janiel Ferreira Sousa

Kkkk dinheiro não vale nada?? Antes do dinheiro não valer nada, tem umas 6 coisas tipo os políticos não vale nada, governador a gasolina, professor, médico, concessão tv!!! E nós mesmos não valemos nada não temos vergonha na cara e admitimos isso tudo e não fazemos nada e o dinheiro é que tem culpa??

Mauro Cambuquira

É a França entubando mais uma. Não tem explicação essa surpresa. Lamentável o alto comando tomando sustos da calculadora.

TeoB

a FAB é que foi esperta correu ao ver o custo francês e abandonou os rafale, já a MB tinha toda uma estrutura com os alemães e jogo fora pra embarcar nesses subs de custo caro. mas como foram por esse caminho achei que já estavam cientes dos custos.

Fernando Veiria

Eu não sei como se chega a general nesse país, imagino que tenha muitos bons por aí mas, depois que vi o Pazzuelo, especialista em logística, não conseguir montar uma operação de distribuição de oxigênio para Manaus, que ele sabia que ia faltar dez dias antes, ou não conseguir montar uma campanha de vacinação nacional, comprar as vacinas mas esquecer das seringas, eu não falo mais nada do alto comando das Forças Armadas. Parece que só chega lá quem puxa saco, não quem é competente.

Willber Rodrigues

Se esqueceu de um certo general, ex-ministro, indo tomar vacina escondido, pra não melindrar o Presidente….
São esses caras que andam com uma medalha de bravura no peito?

Rafael

A calculadora só funciona quando chega a hora de exigir do contribuinte um dos melhores sistemas de previdência do mundo!

igortepe

Vamos resolver isso, coloquemos todos os brasileiros no sistema previdenciário e de saúde dos militares brasileiros, que é um dos melhores do Brasil. Até hospitais próprios eles tem.Direitos iguais para todos.

Francisco Braz

Não era de esperar outra coisa de um projeto francês, cercado de propinas por todos os lados e a falta de visão da própria MB… Esqueceram que “acabamento” em termos de material bélico significa “maior vida útil”. São uns “papa-algas”. É parte do esquema da Marinha… “Não quero tirar 10, fico satisfeito com 8 ou 7”. Eu já ouvi muito disso.

sergio

O destino desses subs eu ja sei Rainha de doca!!!!!

Jadson Cabral

Aconteceria com qualquer outro. O problema é com a MB. Chile opera escorpene desde 2006 e não teve problema

Rudi PY3TO

Mas a Marinha do Chile é … MARINHA DE GUERRA .

Joli le Chat

A Marinha se surpreende com no mínimo 1 bilhão de reais além do “planejado”!
Sinto muito, mas isso não se chama surpresa.

Segundo o Poder Naval pôde apurar, o que ficou claro para os almirantes brasileiros é que, a cada cinco anos, as embarcações S-BR classe Riachuelo exigirão um dispêndio de aproximadamente 1 bilhão de Reais somente em serviços, sem contar o valor dos sobressalentes (!).

glasquis 7

sem contar o valor dos sobressalentes (!).”

Será mais um susto?

Flanker

Pode esperar que, com certeza, será!!

Juarez

Meu amigo Flanker. O tempo e senhor de todas as verdades.
E elas estão vindo, uma após a outra.
Vão sentir saudades dos Fusquinhas alemães………

glasquis 7

Pior que o Mestre disse isso faz muito tempo.

Flanker

Exatamente, Juarez!!

Esteves

Epa. Opa.

Comprei uma BMW e não tenho grana para usar? E pra manter? E o Álvaro Alberto?

Vichi.

SmokingSnake ?

Antes fosse uma BMW, deve ser menos problemática do que os carros franceses

Flanker

Via de regra, em todos os tópicos sobre as FFAA brasileiras, a primeira coisa que citam é corte de pessoal. Muito bem, concordo, assino embaixo e tudo mais…..as nossas FFAA tem muita gente e pouco equipamento, excessos de gastos com pessoal, etc. MAS, mesmo que cortassem hoje o pessoal considerado desnecessário, levaria uns 20 ou 30 anos para essa economia se fazer sentir. Não tem como chegar para um militar de carreira e dizer pra ele: Está demitido! A legislação veta. E mesmo que mudassem a legislação, existe o direito adquirido. ENTÃO, como fazer para operar de forma razoável os… Read more »

Last edited 3 anos atrás by Flanker
igortepe

Direito adquirido? A Acesita, Aços Especiais Itabira, era uma empresa publica, foi privatizada e dois dias depois demitiram 2000 funcionários.

Marcus Pedrinha

Acho que não seria possível privatizar a MB…;)

carcara_br

É a cobra que um dia vai picar esse militares liberalóides rsrsrs.

Gustavo

e o pior que quando ocorrer um problema serio de segurança nacional, eles não terão como cumprir a missão e depois eles irão culpar a população por nunca se preocupar com defesa. Só tirar de exemplo a Armênia.

Flanker

Nao misture bananas com laranjas. Primeiro que as FFAA não são empresas públicas. Segundo, qual era o regime trabalhista desses funcionários da Acesita? Estatutários/RJU ou Celetistas? A Acesita era uma empresa 100% estatal ou de capital misto? Então, meu caro, vc comparou situações completamente incomparáveis. Mas, em todo caso, vai lá. ..demite 1 militar pelo motivo de excesso de pessoal pra ti ver o que acontece.

Rinaldo Nery

Os dois mil eram concursados? Estabilidade? Vão pra Justiça.

igortepe

Colocar os milicos na Unimed, Bradesco Saúde. E eles tem que pagar coparticipação, o contribuinte já está de saco cheio de dar benesses para a milicada.

Rinaldo Nery

Isso. E mande a UNIMED, Bradesco Saúde pra linha de frente.

Francisco Braz

Porque não faz isso com o pessoal do legislativo e judiciário?? Economizaria muito mais com serviços que não servem ninguém além deles mesmos.

Willber Rodrigues

Tão acostumados a operar Uno Mille 2013, e tomam um susto quando começam a operar BMW 320i…

Carlos Campos

olha que é uma 320 não uma M3

sergio

“E o Álvaro Alberto”, Quando virem os custos desse ai, não vai ser susto, vais ser uma extinção em massa. rsrsrs

Up The Irons

Opa, mais um motivo pra diminuir o contingente de 80 mil pra uns, sei lá, 50, 60 mil? Daria uma economia de muitos bilhões por década e seria viável até comprar mais submarinos… A grande dúvida é: manutenção dos submarinos ou da mamata?

Renan

Perfeito

Renan

Um bom motivo para dispensa de militares seria um teste de aptidão física.
Quem estiver apto fica quem não for capaz de fazer aquele teste que faz ao iniciar nas escolas militares tá fora.
Acho que ia faltar oficial

Rinaldo Nery

Esse teste é realizado, POR TODOS, TODOS OS ANOS. E, no EB, vale conceito pra promoção.

Renan

Boa meu amigo!
O que acontece se não cumprir o mínimo exemplo a corrida em 12 minutos?

Rodrigo_95

Na marinha de gola não acontece nada.

Renato de Almeida

Rinaldo,
Se o Pazuello passa no teste físico, minha avó é maratonista.

José de Souza

E se fizerem um exame toxológico vai ser um desespero! De álcool não sobra um cantil de sargento!

Zorann

Sincerasmante: pegando marinhas européias (Reino Unido, Alemanha, França, Itália) como exemplo, e tendo em mente o número de navios que operamos…. uns 10.000 devem ser suficientes….

Um numero mais realista, uns 40.000.

Faver

Vocês podem ficar bravos com minha opinião, mas vou falar. Daria para começar a mexer com o desperdício e “regalias” como centenas de casas de militares no Brasil (subsidiadas), hospitais e postos de saúde para as forças, justiça militar e STJM, FUSMA, FUSEX, transporte de oficiais em carros das instituições militares, clubes militares em terrenos da união… e nem estou falando das aposentadorias integrais, do número alto de oficiais (temos mais generais que os EUA!!!), e até o serviço militar obrigatório… Vende o monte de imóveis que as forças e governo tem nas mãos por aí… Organiza a alimentação da… Read more »

Camargoer

Olá Faver. Eu concordo com você sobre a necessidade de racionalizar os gastos do MInDef. Apesar de considerar um escândalo, os gastos com “leite condensado” representam pouco no montante de gastos do MInDef (ainda assim, precisam ser investigados e os culpados punidos). O problema das forças armadas (MB, FAB e principalmente EB) é o excesso de pessoal de carreira. Contudo, é necessário e urgente uma ampla reforma dos gastos militares. O foco deve ser sua missão constitucional de defesa do país. Acredito inclusive na necessidade de superar esse fetiche pela operações de GLO. As forças armadas não podem atuar como… Read more »

igortepe

As forças armadas, tem que perder o poder de decisão sobre orçamento e admissão de novos membros, O ideal seria suspender o serviço militar obrigatório por um período de 10 anos.

silvom

Serviço militar deveria ser extinto. Serve apenas para empregar um subtenente e sargentos, para fazer campanha de vacinação e a banda tocar nas datas cíveis das cidades.

Zaru

Esse corte de pessoal já começou! O número de aprendizes foi reduzido consideravelmente, mais da metade. O número de cabos que não foram aprovados para fazer o curso de sargento foi enorme nos últimos 3 anos. Quem leu o projeto sabe, a redução do pessoal da ativa será de 20 mil militares, isso começou na prática antes mesmo do estudo ficar pronto (final de 2019). Para compensar o número baixo de adesão dos novos marinheiros de carreira, através das EAM’s, está sendo feito concurso para temporários, inclusive para oficiais, com mais vagas dos que antes. O que lá na frente,… Read more »

Willber Rodrigues

Já começou? Alguem avisa as “cabeças pensantes” da MB que equipamentos de nova geração JAMAIS serão mais baratos de comprar/manter/operar do que equipamentos de geração anterior. Um Gripen jamais será mais barato do que um F-5. Um Scorpene jamais será mais barato do que um IKL. Um Leopard 2 nunca será mais barato que um Leopard 1. Eles deveriam ter pensado nisso ANTES de enterrar bilhões de reais do dinheiro suado no contribuinte BR no PROSUB e na base de Itaguaí. Deveriam ter continuado fazendo novos IKL mesmo. Agora Inês é morta. Aliás…se a MB já tá “tomando susto” e… Read more »

Adriano RA

Nós não conseguiríamos manter nem um Subnuc desativado. Perguntem aos britânicos quanto isso custa! Enquanto isso, o ProSub vai, como a serpente Apofis, engolindo a frota de superfície.

Willber Rodrigues

Exato.
Alguem consegue imaginar a MB tendo grana pra reabastecer reator nuclear? Consegue imaginar essa MB aí tendo grana pra desativar um subnuc e seu reator? Fazer descontaminação do casco? Dar um fim seguro a todos os componentes e ao lixo nuclear de um sub nuclear?
Não, né?

Marcelo

Tem anos que eu falo exatamente isso, e sempre teve uma multidão caindo de pau em cima de mim. Fico feliz que mais e mais começa a ser consenso que o Brasil não tem nenhuma condição de operar um subnuc. ‘Mas e todo o dinheiro que já foi gasto no projeto por mais de 4 décadas?’ Sinceramente? Melhor perder só esse do que botar ainda mais dinheiro em cima de um projeto que, se continuado, vai ser o fim da MB

Carlos Campos

fora o ToT de IKL depois de uma década teve ToT de Scorpene, depois vai ter ToT de algum outro sub, e assim vamos pagar ToT para sempre. a peso de ouro é claro

Willber Rodrigues

Aí você acrescenta ( porque desgraça pouca é bobagem.. ) aquela nova base de subs em Itaguaí, que custou Deus sabe quantos bilhões, que foi construída com a desculpa do subnuc, ao invés de reformar o AMRJ, que seria muuuuuito mais barato…

Camargoer

Caro Carlos. O valor pago pela construção do estaleiro, base e construção dos submarinos não afetam os gastos com custeio. São coisas diferentes. Claro que os recursos saem do mesmo cofre, mas seria um erro mistura-los

Juarez

Será mais fácil dois burros voarem.
Wilber, eu, você e mais alguns aqui.ja sabiam disto faz algum tempo. Os habitantes da ‘ Guanabara bay’ não sabiam……
O tempo Wilber, o tempo, enquanto isto as “Marias de Janela” nos chamando de arautos .aca

Renan

como a não-aplicação de revestimento de cuproníquel em parte das tubulações internas –, exigirão uma manutenção muito mais cara dentro de alguns anos. É resume muita coisa Mas duzentos milhões de dólares a cada 5 anos ou 50 milhões de dólares pô cada a cada 5 anos ou mesmo 10 milhões de dólares a cada ano não é muito. Certamente não deve ser difícil poupar este orçamento para na hora da revisão ter a verba. Com planejamento dará certo. Agora se não tiver gestão aí meu amigo aposenta daqui a 5 anos e joga todo o investimento no lixo. Eu… Read more »

camargoer

Olá Renan. Fiz a mesma conta. US$ 10 milhões por ano por submarino. Como não temos números para comparar, acabei lembrando de uma reportagem do próprio Roberto Lopez sobre o custo de um PMG de um submarino da classe Tupi. Cerca de U$ 30 milhões. O orçamento da MB em 2020 foi de R$ 27 bilhões, o que equivale dizer que os gastos com os submarinos seria da ordem de R$ 200 milhões por ano (0,7% das despesas anuais). Considerando o poder naval associado aos quatro submarinos, parece razoável. Os problemas têm pouco a ver com o custo de operação… Read more »

Willber Rodrigues

Prezado,
Essa sua projeção de 10 milhões/ano por sub, é apenas pra “empurrar água”, ou tem o gasto da manutenção e de pessoal do sub nessa conta?
Caso contrário, pode colocar o dobro ou triplo…

Renan

O poder de dissuadir desta arma compensa seu custo de operação com sobra. Apenas minha opinião

Willber Rodrigues

Esse sub só terá “poder de dissuasão” se ele estiver operacional, navegando, armado e com o treinamento da tripulação em dia.
Caso não tenha dinheiro pra isso, ele é apenas um peso morto, um alvo. Simples.

Camargoer

Caro Wilber. Em uma conta rápida, o custo apresentado pelo RL é cerca de 0,7% do orçamento anual da MB. Mesmo considerando que seja o triplo, como você colocou, isso seria 2% do orçamento. Acho difícil justificar que faltaria recursos para operar estes submarinos no atual contexto orçamentário.

Willber Rodrigues

Ok, partindo-se do príncipio de que seriam 2% por sub…
4 subs = 8% do orçamento.
8% de um orçamento onde 70% ou mais da verba é gasta com pessoal e soldo, e onde o resto do orçamento luta pra manter minimamente em dia projetos como MANSUP e um projeto de SubNuc que é um buraco-negro de dinheiro, além dos gastos em manter os atuais meios flutuando.
Então, esse 2% ou 8% seriam muita coisa SIM.

Camargoer

Olá Wilber, A conta de 2% é o valor total dos quatro submarinos.

Flanker

Qual o valor do orçamento de custeio da MB, por ano? Os 4 subs vão custar, cada, 50 milhões, ou seja, 200 milhões/ano para os 4. Esses 200 milhões equivalem a qual porcentagem do orçamento de custeio da MB?

Camargoer

Olá Flanker. Em 2020, o orçamento da MB foi de R$ 27 bilhões (o MinDef teve um orçamento de R$ 100 bilhões). Portanto, R$ 200 milhões equivalem a 0,7% do orçamento da MB. O Wilber sugeriu que os gastos totais deveria ser ao menos o triplo deste valor, o que seria 2% do valor do orçamento da MB.

Camargoer

Olá Flanker. Em média, o orçamento de custeio da MB é da ordem de 25% do orçamento. Portanto, os 2% seriam 10% do custeio. Este valor é alto porque a MB compromete a maior parte do seu orçamento com pessoal. Os ajustes orçamentários são geralmente feitos no custeio, sem nunca resolver os problemas estruturais. Algo que há anos temos falado. A missão da MB depende de custeio, de recursos para manter seus meios operacionais e em operação. Acho fácil justificar o uso de 10% dos recursos de custeio para operar submarinos modernos. A pergunta é o que a MB faz… Read more »

2Hard4U

0,7% pelos quatro subs.
Custo de pessoal não entra nesta conta.
E multiplicar por quatro é digno de conta de padaria.

Camargoer

Olá Renan. Concordo. A questão nem é o valor absoluto de operar quatro Scorpenes nem o valor relativo da porcentagem do orçamento da MB, mas da efetividade da missão de dissuasão.

Camargoer

Olá Wilber. A reportagem do R.L. não esclarece o que foi incluído na conta, apenas faz a ressalva que não inclui o custo dos sobressalentes. Além disso, também não inclui o custo operacional dos Tupi para fazermos uma comparação. Se for o triplo, isso significa 2% do orçamento. anual. Ainda parece de bom tamanho se for considerado que são quatro submarinos modernos.

Renan

Exatamente meu Amigo o problema não está na arma e sim no câmbio e na gestão

Salim

Concorde, com a desvalorizazao de mais 40% moeda, qualquer despesa fica exoorbitante. Ipca deu 5% , igpm 32%, este e o impacto real da inflação. Nosso pib real e per capta vai cair isto. As privatizações serão feitas por valores bem menores em dólar para empresas estrangeiras. Venderam o Brasil por migalhas. Lembro que o programa das corvetas esta seriamente ameaçado, visto que, só pela desvalorização cambial mais de uma corveta sumiu. Esta e a realidade, teremos dias nebulosos pela frente.

Camargoer

Olá Renan. Eu também acredito que uma parte dos problemas orçamentários do ProSub (e do FX2) estão relacionados com o descontrole do câmbio (o que aliás parece estar afetando outros setores da econamia). Há de se perguntar ao pauloguedes sobre isso… o país também está passando por uma crise fiscal que provoca um aperto orçamentário, sem falar na incapacidade das forças armadas de otimizarem suas despesas. Afinal, forma mais de R$ 100 bilhões em 2020, ou 2,95% do orçamento federal. Para comparação, o orçamento do MinSaude em 2020 foi de R$ 157 bilhões em um ano de pandemia.

glasquis 7

Eu já comentei que o Orçamento do MINDEF é enorme mas, sempre aparece o “deslumbrado” tentando justificar com que é “percapita, proporcional, diferente, etc.”

Camargoer

Olá Glasquis. Concordo com você. O orçamento militar brasileiro é enorme. Concordo com você. Mesmo considerando o câmbio elevado, foram US$ 25 bilhões em 2020. Acho equivocada qualquer análise que conclui ser necessário aumentar o orçamento. Ele gira em torno de 1,3~1,5% do PIB, que é razoável para a situação brasileira. Os militares precisam adequar suas despesas para caber neste orçamento. Há uma estrutura obsoleta (por exemplo os TG) e gastos inapropriados (por exemplo os Sherpa). Acho que a solução passará pelo fortalecimento do MinDef, reduzindo a autonomia do EB, da FAB e da MB sobre os gastos.

Flanker

Camargoer e Renan, vcs estão enganados nos cálculos:

1 bilhão de reais ÷ 5 anos = 200 milhões de reais por ano

200 milhões/ano ÷ 4 submarinos = 50 milhões de reais por ano para cada submarino.

Flanker

A reportagem falou em 1 bilhão de reais e não fez menção à nenhum dos valores em dólar:

São 50 milhões de reais por ano para cada submarino.

Mas, atentem que esse valor não leva em consideração os sobressalentes, que certamente são caros. Acredito que no final das contas, somando tudo, vai ficar em torno de 100 milhões/ano/submarino.

Camargoer

Olá Flanker. A conta é essa mesmo. Faltou transformar R$ 50 milhões em US$ 10 milhões.

Flanker

Mas, fique claro que com 50 milhões de reais, não se opera um Scorpene durante 1 ano, pois aí não estão incluídos os sobressalentes. Esse custo total final deve girar em torno de 100 milhões/ano/submarino.

Paulo

O que significa o “reaproveitamento da unidade”??

Será reincorporada a frota ou continuará a busca por compradores?

Vovozao

02/05/2021 – domingo, bdia, é com imensa tristeza que leio a postagem acima, uma armada é feita de um planejamento serio, ja que envolve estudo de no minimo 30 anos, o tempo de operação minima para o meio naval, parece que brincam. Aonde irão agora apertar ou postergar uma compra para poder pelo menos fazer uma manutencao meia sola. Nao temos meios para uma marinha digna; muitas nações da africa/Ásia, antes sem projeção, hoje apresenta marinhas dignas, e nos???? Estao divulgando que a DEUSA “”DEFENSORA”” voltara a ativa, como se isso fosse uma coisa muito boa….. a DEFENSORA… foi comissionada… Read more »

Salim

Com desvalorização cambial de 40%, não tem planejamento capaz de se acertar, geralmente pilho administração marinha, mas neste caso , pela razão exposta acima, vai precisar de muito mais verba em real para pagar manutenção em moeda forte. Nesta barbeiragem economia Brasil, precisaremos de uma década no ritmo anual para voltarmos ao pib de 2018.

Camargoer

Olá Salim. O país está mergulhado em uma profunda crise econômica que foi agravada pela pandemia. Os dados do IBGE e da FGV já indicavam que o país tinha entrado em recessão em 2019, antes da pandemia. Com 14% de desemprego e queda da atividade industrial será muito difícil ocorrer uma recuperação econômica sem a interferência do Estado. Aliás, os EUA já adotaram uma política de recuperação econômica por meio da ação do Estado.

JBecker

Se já assustaram com o custo do Scorpene, imagina quando descobrirem o custo de manutenção do submarino nuclear…

Matheus S

Pois é. Iria comentar justamente isso. Pelo que eu pude ler, o custo operacional de um submarino americano de ataque fica em torno de US$60-70 milhões, e olha que eles lá tem a quantidade necessária para se ter um ganho de escala o que barateia os custos operacionais a longo prazo, coisa que não teremos com o nosso submarino nuclear. Pode colocar aí uma conta operacional anual do nosso em até US$45 milhões.

Bardini

Ninguém sabe usar Excel nas nossas Forças. É muito amadorismo. E um amadorismo pra lá de criminoso.

Zorann

Você acertou exatemente na última frase…

Esteves

Você é um dos que não sabe o que escreve.

Continua grosseiro. Como sempre.

Esteves

Traga os outros nicks loucos…talvez algum deles saiba escrever.

Que gente horrenda.

Juarez

Não se trata de lacração, apenas de enxergar o óbvio, que você as Marias de Janela que vão atrás de títulos e matérias ufanistas e vivem em torpor alucinógeno permanente. Tchê, e simples matemática, um sub diesel classe Tupi que e menor, mais simples, e mais econômico tem um custo operacional muito menor que um Scorpene. Agora análise e ponha o teu ranço anacrônico de lado: Se a MB durante duas décadas não conseguiu manter e operar adequadamente 5 Subs diesel classe Tupi, como fará com quatro SBR sabidamente de operação mais cara???? Vou repetir para você o que ja… Read more »

Wellington R. Soares

O melhor é ver os brasileiros que contribuem com tantos impostos brigando para defender ou criticar a MB kkkk..
Você acha quee os almirantes estão ligando se vão ter dinheiro ou não para operar ?
Se uma fragata demora 11 anos na manutenção?
Com certeza essa reunião teve um belo café, almoço e jantar, enquanto nós brigamos preocupados com a MB KKKK…

Wellington R. Soares

Denunciar o que meu caro, aquilo que já é obvio ?
Um dos maiores orçamentos militares do mundo e não temos nenhum navio escolta moderno, repito NENHUM.
Isso é motivo de vergonha !
A Marinha tem toda sua história e eu respeito, mas defender as ações dela vai muito além de bom senso.
Em uma guerra moderna ela não poderia fazer nada, apenas assistir a invasão ou por a pique todos os seus navios.
Ah, me esqueci, talvez a nossa poderosa aviação de caça possa destruir alguma fragata ou destroyer com as suas poderosas bombas burras.

Esteves

Sujeito grosseiro. Diz ter 20 anos de MB + 10 anos de blogs de Defesa + Economista + Estatística.

Mal, muito mal rediges. Um verdadeiro agente nocivo.

Flanker

Meu caro, me desculpe, mas pelo conteúdo desse seu comentário, quem me pareceu garoto mimado foi vc. A MB, a partir de 1989, recebeu 4 Tupi e 1 Tikuna. E não conseguiu operar os mesmos a contento, a não ser por um período de tempo em que eles eram novos. Quando começaram as manutenções mais complexas, o tempo dessas começaram a aumentar, se prolongando muito mais que o previsto e isso foi se agravando ao ponto de termos apenas um (de cinco) operacional……e com os Scorpene, mais complexos e caros, e ainda com o devaneio do SubNuc, o que te… Read more »

Juarez

Quem não tem argumento, não tem conhecimento age amoda pombo
Bate as as asas e antes voar caga encima.
Padrao …..

Guacamole

Os Estados Unidos diminuindo pessoal pra poder sobrar dinheiro para investir em outras aéreas, e no Brasil, não só o gasto com pessoal domina o orçamento, falar em enxugar uma parte do pessoal é Tabu.

E aí tomam susto quando produtos de ponto custam mais caro.

Editado: e eles nem dever ter calculado ainda o custo do submarino nuclear…

Provavelmente vai ser o único submarino nuclear que vamos ter, a depender do pessoal que faz contas de padaria na marinha.

Last edited 3 anos atrás by Guacamole
Luiz

Não teremos um submarino nuclear.

Guacamole

Quer saber do que mais.

Acho que você está certo.

Simplesmente não vai vingar.

Piassarollo

Da maneira como estão as coisas, também acabo duvidando se um dia teremos o tão sonhado sub nuclear. Ou vai demorar tanto tempo, que quando estiver pronto, corre o risco de estar obsoleto.

Guacamole

Aquele cara, o tal do Mangabeira Unger que tinha dito que “as forças armadas de um país são o povo em armas, no brasil as forças armadas são apenas uma classe como qualquer outra, criando benesses para si mesmo (almoço com vinhos e comidas caras, viagem em aviões VIP, “plano de saúde” para si e a família usando os médicos da base e assim vai)” É triste mas é isso. Ainda bem que estou quase fazendo 36 anos. Pelo menos fico tranquilo que se uma guerra estourar, não vou ser chamado pra lutar por uma força armada amadora que não… Read more »

Victor

Bom dia !

Alguém poderia me responder , fora os Scorpènes, quantos submarinos o Brasil vai ter em operação quando o último Scorpène for entregue ?

camargoer

Olá Victor. Segundo a reportagem, o Tupi e o Tapajó estarão operacionais. Acredito que o Tikuna também.

glasquis 7

Será uma bela frota silenciosa, 7 Sub sendo 4 Scorpenes.

Camargoer

Olá Glasquis. Também penso assim. Há muitas críticas (justificadas) ao modo como a MB manejou a sua frota de superfície. Contudo, caso a MB mantenha os 3 Tupis operacionais (eu espero que ela consiga colocar em operação os 5 Tupis) e os 4 Scorpenes, será a mais poderosa força de submarinos que ela já teve. No passado, a MB operou um grande número de submarinos, mas eram excedentes dos EUA e de uso limitado.

Piassarollo

Quando o último scorpene for comissionado, o Tupi estará indo pra reserva.

Camargoer

Olá Piassarollo. Acho provável que sim. O S43 provavelmente será incorporado em 2024/2025. Creio que o (último) PMG do S30 foi em 2016. Portanto faz sentido pensar que ele seja retirado de serviço até 2026. Como o Tapajó terminou o PMG agora, é provável que ele fique em operação até 2030. Sobre o Tikuna que é bem novo. Existem dois outros submarinos na reserva.

Piassarollo

Uma dúvida, na matéria fala do Tapajo. Mas não eram timbira e o tapajo que estão na reserva? O tamoio em manutenção e o Tupi operacional

Camargoer

Olá Piassarollo. Você tem razão. Segundo uma reportagem aqui no PN (EXCLUSIVO: Marinha decide transferir dois submarinos IKL-209 para a reserva a fim de vendê-los, de agosto de 2019), a MB havia colocado o Tapajó e o Timbira em reserva.

Flanker

Seria ótimo termos 9 submarinos, mas o que te leva a crer que uma Marinha que não consegue manter 5 IKL, mais simples e baratos, vá conseguir manter mais 4 Scorpene, alem desses 5 IKL?

Camargoer

Olá Flanker. Eu defendo que a MB priorize a força de submarinos. só não acredito que a MB irá faze-lo.

Flanker

Salvo engano, são só o Tupi e o Tapajó.

Zorann

Rindo muito aqui!!!!

Que saudades dos IKL ein?

Que falta de planejamento né. Além de não termos o submarino nuclear que motivou esta compra, agora nos demos conta que não seremos capazes de manter os Scorpene.

Parabens!!

Dou 3 chances para vocês adivinharem qual despesa que eles não vão cortar:

Last edited 3 anos atrás by Zorann
Salim

As despesas manutenção da MB irão aumentar em razão da desvalorização cambial e inflação registrada via igpm (moeda Estr mais 40% e igpm 32% ) o orçamento não será suficiente para manter programas investimento e manutenção. Brasil já tem déficit astronômico , portanto vejo dias tempestuoso pela frente.

Bardini

A despesa a ser cortada são os IKL. Por isso existe grande empenho em se desfazer desses submarinos: abrir espaço orçamentário para operar coisa mais cara.

glasquis 7

É o caminho natural a seguir. Manter as unidades que permitam à MB se manter na Vanguarda do Continente e descartar as unidades mais atrasadas e menos capazes.

Zorann

Vou discordarr muito!!!

Vou me desfazer de submarinos ainda muito capazes para fazer o que? Pagar salarios? Não tem nada de natural nisto.

glasquis 7

“Vou discordarr muito!!!” Eu entendo mas, veja que que a minha colocação se refere a encontrar uma opção de operação da frota, em condições em que não existam recursos pra operar ela como um todo. Nesse caso, o natural é se desfazer dos médios menos capazes e preservar os melhores. Agora, vendo do ponto de vista que vc coloca, é claro que o ideal seria manter todos os submarinos existentes (mesmo por que os U 209 da MB são os mais novos da região) e incrementar a frota com os 4 Scorpene + 1 Sub Nuclear mas, se não há… Read more »

Zorann

O que é muito errado!!! Os Tupis/Tikuna são hoje os meios em operação mais modernos da Marinha.

9 submarinos em operação não é nada demais diante do tamanho do nosso orçamento.

O que assusta é cortarem sempre os meios e nunca o efetivo. Esses caras vivem em outro mundo, em um universo paralelo.

Quer cortar algum navio? Cortem as Niteróis, passem todas no maçarico, façam panelas..

glasquis 7

“9 submarinos em operação não é nada demais diante do tamanho do nosso orçamento.”

Concordo mas, as informações decorrentes é de que não há verba pra operação de toda a frota.

Ainda por cima, existem alguns “deslumbrados” que tentam justificar com argumentos como:

Proporções, Brasil é o país mais rico da AL, com base apenas no PIB,
PIB per capita e etc…

E é assim que se desconstrói a mentalidade militar de uma nação.

No mais, considero a sua colocação acertadíssima! O Gigante Brasil, deve e pode sim ter e manter, uma frota silenciosa de 10 unidades de combate.

Last edited 3 anos atrás by glasquis 7
Flanker

Opa….dia desses, vc me disse que a MB deveria priorizar os submarinos em detrimento das escoltas pq a opção pelos subs era dela, MB. Entretanto, aqui se vê que sua defesa pelos subs é por opinião própria. E isso não é problema. Cada um tem suas ideias. Eu, por exemplo, acredito que uma Marinha de Verdade não se faz apenas com subs e Navios Patrulha.

Zorann

Mas foi a opção dela mesmo. Por isso criou-se o Prosub.

Zorann

Eu ri muito porque tem coisas que só acontecem aqui. Algumas até difíceis de acreditar.

Se você acha que está certo…. beleza.

Não foi esse o plano que a Marinha usou para justificar o Prosub e todos os gastos desde então. Acho que você deve, sem querer, ter esquecido deste detalhe.

Muito triste ver que você acha tudo isto correto e normal.

Tem gente que se contenta com pouco…. eu não.

Piassarollo

Também penso isso, no máximo cinco subs na ativa. Não haverá dinheiro nem tripulações para manter mais do esse número de navios.

Camargoer

Caro Piassarollo. Isso depende. Se a MB cortar gastos em outras seções será possível alocar recursos para 7 ou 9 submarinos em operação. Só duvido que a MB faça isso. Aliás, já deveria ter feito isso.

Piassarollo

Prezado Camargoer, acredito que 9 subs não será possível, pois os períodos de baixa e entrada ao serviço operacional não permitem isso. Na melhor das hipóteses 4 scorpenes e 3 tupis. Quanto a Marinha poder manter uma força submarina de umas 7 unidades, não vejo nada de tão absurdo, mas como vc mesmo disse, também duvido que isso aconteça, pois já temos 2 subs na reserva e não vejo indicios que sairão para o serviço operacional na MB.

Piassarollo

Complementando meu comentário anterior, quando disse que a marinha vai operar um número máximo de 5 subs, acredito que por manter vários gastos em outros setores, baixa porcentagem para os gastos puramente operacionais e o tão falado inchaço do efetivo, não irão sobrar recursos para uma frota submarina maior.

Flanker

E esses cortes, que permitiriam operar os 5 IKL e os 4 Scorpene, seriam feitos onde?

Fernando Veiria

Ah não, pode faltar tudo na Marinha, mas tudo mesmo, até mar. Mas tripulação não pode faltar. Não é possível.

“ah tem que treinar” sim. Pois pega do efetivo e transfere para submarinista. “ah não quero” é isso ou baixa.

Piassarollo

Fernando, não é tão simples assim. Nãoé pra qualquer um, muitas pessoas não conseguem se adaptar às condições de vida em um submarino, e não vejo com bons olhos parte de uma já diminuta tripulação, estar ali na obrigação. Como a arma submarina é muito complexa de operar, se exige muito da tripulação, seja na parte profissional, quanto na integração entre os militares.

Fernando Veiria

Você tem razão, mas eu imagino que dentro do efetivo da Marinha existam mais pessoas querendo ser submarinistas do que há vagas atualmente..

Ainda que sobrem vagas, quando você entra para as Forças Armadas você não tem muito direito a escolher onde vai servir e no que vai servir. É inerente a profissão e, acho que quem está lá deve saber disso e, se não quiser fazer determinada tarefa, é melhor pedir baixa.

Piassarollo

Concordo, têm que cumprir a missão!

Juarez

E olhe lá. Talvez nem isto.

Luiz

Isto é brincadeira ou uma piada de mau gosto!

Luiz

ou melhor:
Isto é sério ou uma piada de mau gosto?

Perdi até o rumo.

Doug385

Contrato com francês dá nisso aí. Sempre cobraram caro, vide os Mirage. Toda a “transferência da tecnologia” teria um custo, não sei porque a surpresa. Ademais, os chilenos estão logo ali do lado. Ninguém consultou eles pra saber o custo da brincadeira? O que sei é que eles já reclamavam dos custos, agora imagina isso em um bicho todo customizado como esse nosso.

Doug385

Na conta de padaria:
1 bi / 4 = 250
250 / 5 = 50
50 milhões de reais (menos de 10 mi de US$) por ano por submarino. Porque a surpresa? Tá no preço.
Pra quem sonha em ter mais, senta e se contenta só com esses 4 mesmo.
E teve gente que reclamou por não ter AIP. Imagina se tivesse…

Last edited 3 anos atrás by Doug385
Camargoer

Olá Doug. O Renan fez esta mesma conta. Eu concordo que US$ 10 milhões por ano para operar um submarino moderno, com torpedos F21 e mísseis SM39, e tudo mais que o SBR trás, o custo está razoável. Estes custos apresentados pelo RL representam apenas 0,7% do orçamento da MB. Se não cabe, é porque está gastando mal os outros 99,3%

Bardini

Custo razoável e blábláblá. Razoável pra quem tem planejamento e sabe que tem como pagar, né? . A MB já tem a previsão de onde é que vão sair esses 200 milhões por ano, para manter e operar os quatro? . Se não tem previsão de onde vai sair o dinheiro, é é óbvio que não tem, como é que faz para ter esses mágicos “0,7% do orçamento” disponíveis? Cruza os braços, faz beicinho e chora por mais dinheiro? Deixa 3 encostados e banca só 1? Vende os IKL a preço de bala Juquinha, para se desfazer dos gastos com… Read more »

Camargoer

Olá Bardini São perguntas pertinentes que devem ser colocadas para a MB. Eu não sei responder nenhuma delas, mas é razoável imaginar que a maioria das organizações são capazes de ajustar o seu orçamento para acomodar despesas da ordem de 0,7%. Aliás, neste momento nem isso porque em 2021 entrará em operação o S40 (nesta conta, 0,2% do orçamento). Em 2022 será a vez do S41 (outros 0,2%) e assim sucessivamente. Eu não sei qual será o valor do PMG de um SBR, mas segundo o RL, o PMG de um Tupi custa algo em torno de US$ 30 milhões.

Esteves

Não.

Mestre,

A MB não tem grana para manter os navios velhos atuais. O,7 ou 7,0 pra quem não tem, não tem.

Bilhão é bilhão.

Camargoer

Olá Esteves. Há uma frase do Mário Quintana que diz “um autodidata é um ignorante por mérito próprio”. Creio que a ideia se aplica para a MB. Seus problemas orçamentários são por mérito próprio. A MB tem um orçamento muito grande (R$ 27 bilhões). Na atual conjuntura orçamentária, será preciso readequar os gastos para manter-se operacional. O resto é o luar de Paquetá.

Marcelo

Achar que se a MB diminuir o custo com pessoal poderá utilizar essa verba para aquisição e manutenção de meios é ‘wishful thinking’. Reduzir esse gasto implicará apenas na redução do orçamento total da força. O que já é excelente pois é mais dinheiro pra saúde, educação e qualquer outra pasta que o governo achar que merece. E como os almirantes sabem que esse esforço não trará nenhum benefício direto para a marinha eles irresponsavelmente deixam como está.

Doug385

Esses custos quem tem que saber e calcular é a MB, não eu. Eu só sou um forista dando pitaco. O certo é que submarino é mesmo uma arma cara, sendo sabido por todos que esses de origem francesa seriam mais caros ainda de se manter do que os alemães. Agora não adianta chorar e nem pedir mais dinheiro. A Marinha vai ter que se virar pra operar e justificar o que foi gasto nesse programa. Ela vai ter que definir o que é prioridade. Porque manter uma escola de aprendizes em Florianópolis se não tem uma embarcação se quer… Read more »

Marcelo Baptista

Resumindo tudo, o problema é de gestão (pessoal, custos, etc). As FFAA precisam se modernizar na gestão. Eu concordo com o Bardini. Se não está no orçamento, não existe. E isto é falha da administração do projeto.
Será que e a nova geração de oficiais vai ter treinamento de PMBook?

Mauro S.

Olá. Não se trata do custo para operar os navios. Segundo o texto, este valor engloba apenas o serviço (mão de obra) para a manutenção. E se houve ToT, esta mão de obra deveria ser majoritariamente nacional, desbancando a tese de aumento dos custos em função da desvalorização cambial.

Geraldo Uchôa

Se transformar o custo em dólar ou euros verão que o custo é bem barato…o problema é o real desvalorizado..

Wellington R. Soares

Concordo em partes a questão da desvalorização do Real, mas mesmo em tempos de valorização do Real nunca conseguimos ter uma Marinha forte. A defensora ficou 11 anos parada em uma mísera manutenção. Tem 2 patrulhas de 500 toneladas a mais de 10 anos em construção. Quando iniciaram a produção das corvetas Inhauma o projeto era para um total de 16, parou em 4. A corveta barroso era um projeto pra 5, parou em apenas 1. O projeto do sub tikuna a mesma coisa. Enfim, querer defender a MB pela questão da desvalorização do Real não cola. O buraco é… Read more »

Defensor da liberdade

Uma bodega é mais organizada. Cada trator novo comprado aqui na fazenda nós fazemos estimativas de quanto ele irá gastar, ao longo de sua vida útil, coisa bem básica. Mas as forças armadas do meu país, usando o dinheiro dos outros, não o fazem.

Não é para rir, é para chorar mesmo.

PauloR

Basta cortar o leite condensado, a picanha e a cervejinha que teremos dinheiro pra mais 2 subs.
Militares brasileiros são uma cópia dos nossos políticos, a única diferença é que um usa terno. A roubalheira come solta nos quarteis

Up The Irons

Eu diria que nossos políticos e todas as instituições nacionais são apenas uma extensão de nosso povo. Um povo mais ou menos resulta em políticos mais ou menos, militares mais ou menos, juízes mais ou menos, garis mais ou menos, caixas de mercado mais ou menos, policiais mais ou menos…

Lord T

Qual seria o ciclo para o submuc?

Japaman

O problema todo está no câmbio! Quando o projeto foi iniciado os custos eram outros. Normal que tomassem um susto agora. Vamos imaginar o câmbio em 2008, (em média R$ 1,70) o que significa que o custo seria de aproximadamente R$ 340 milhões! ou seja, praticamente triplicou, e do jeito que andam as coisas, esses valores ainda vão subir só mais um pouquinho (tentando ser otimista!) Independente disso, desde o início eu sempre fui a contra esse projeto com os franceses e essa loucura de subnuc, tínhamos a expertise adquirida com a construção dos IKLs aqui, e não se justificava… Read more »

Wellington R. Soares

Concordo em partes a questão da desvalorização do Real, mas mesmo em tempos de valorização do Real nunca conseguimos ter uma Marinha forte. A defensora ficou 11 anos parada em uma mísera manutenção. Tem 2 patrulhas de 500 toneladas a mais de 10 anos em construção. Quando iniciaram a produção das corvetas Inhauma o projeto era para um total de 16, parou em 4. A corveta barroso era um projeto pra 5, parou em apenas 1. O projeto do sub tikuna a mesma coisa. Enfim, querer defender a MB pela questão da desvalorização do Real não cola. O buraco é… Read more »

pgusmao

KKKKK, é muita bagunça, muita falta de planejamento. Infelizmente, nunca teremos Forças Armadas condizentes com o tamanho do país, esta é a realidade, não há como gastar mais de 85% do orçamento com pessoal ativo e inativo, coronéis que se aposentam com 43 anos em um exército que não vê guerra há muitos anos, generais velhinhos e roliços que mais parecem saídos de um episódio de “programas de natal”, temos um esquema militar de “emprego público” e não de força profissional. O pior é que sempre foi assim, entra governo e sai governo, sendo que tudo continua na mesma.

Last edited 3 anos atrás by pgusmao
Rodrigo

Perfeito comentário.
O custo de operação não tão alto assim, nossas despesas com pessoal iniativo e ativo (de competência e quantidade discutiveis) é que é EXTREMANENTE alto!

Zorann

Não continua na mesma não. Piorou. Vide a recente reforma da previdência dos militares. Criaram tantos benefícios na carreira, aumentos diferenciados e muito acima da inflação, que ao invés dos gastos diminuírem eles aumentaram.

Agnelo

Olha o caoooo