quinta-feira, janeiro 27, 2022

Saab Naval

Fragatas ‘Classe Tamandaré’ estão em fase avançada de configuração

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Marinha do Brasil, por intermédio da Diretoria-Geral do Material da Marinha, informa que o processo de definição dos armamentos, sensores e sistemas de propulsão e auxiliares que serão instalados nas futuras Fragatas Classe Tamandaré está em fase avançada.

Os navios que serão construídos, no Brasil, pela Águas Azuis Construção Naval SPE LTDA, já apresentam delineadas as seguintes configurações:

  1. a) Armamento
  • MSA MBDA SEA CEPTOR;
  • MSS MANSUP;
  • Canhão Leonardo 76/62 MM SRGM;
  • Canhão Rheinmetall Sea Snake 30MM;
  • Sistema de lançamento de torpedo SEA TLS-TT; e
  • Sistema de Despistamento Terma C-Guard.
  1. b) Sensores
  • Radar de Busca Volumétrica Hensoldt TRS-4D ROT;
  • Radar de Direção de Tiro Thales STIR 1.2;
  • Sonar de Casco Atlas Elektronik ASO 713;
  • Radar Busca de superfície Raytheon (Banda S);
  • MAGE MB/Omnisys Defensor MK3;
  • Alças optrônicas: SAFRAN PASEO XLR; e- Radares de Navegação Raytheon (Banda X).
  1. c) Sistemas de Gerenciamento

– Sistema de Gerenciamento de Combate Atlas-ANCS; e
– Sistema Integrado de Gerenciamento da Plataforma L3 Mapps.

  1. d) Propulsão

– Motor de Combustão principal MAN – 12V 28/33D STC.

Maquete da fragata classe Tamandaré

As Fragatas serão escoltas versáteis e de significativo poder combatente, capazes de se contraporem a múltiplas ameaças e destinadas à proteção do tráfego marítimo, podendo realizar missões de defesa aproximada ou afastada do litoral brasileiro, com ênfase na fiscalização e proteção das atividades econômicas, principalmente a petrolífera e a pesqueira.

Os navios serão construídos com elevados índices de conteúdo local, incluindo a gestão do conhecimento e a consequente transferência de tecnologia com o acréscimo da mentalidade da gestão do ciclo de vida, proporcionando, portanto, um novo paradigma de manutenção e evolução de conhecimento para Marinha do Brasil.

Cronograma das Fragatas Tamandaré

DIVULGAÇÃO: Centro de Comunicação Social da Marinha

- Advertisement -

355 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
355 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
FERNANDO

Humm

JOAO

Alguém sabe qual é o efetivo da marinha da Indonésia que acabou de anunciar 6 fragatas italianas 🤔

Marcos10

Segundo a mesma Wiki, um outro país tem 13 mil efetivos, com 6 submarinos, 2 porta helicópteros, 3 destroyers, 8 fragatas e um monte de cangurus.

Wilson França

Pergunta de quem fingiu não entender.

Kemen

Amigo, já que mencionou e ser um tema alheio, se quer realmente saber a realidade, da mesma forma como anteriormente esclareci os efetivos da Marinha da Italia, vamos a alguns esclarecimentos. –Efetivos ativos 16,000 personnel Fleet. The Royal Australian Navy consists of nearly 50 commissioned vessels and over 16,000 personnel. Obs: varias atividades humanas são contratadas de empresas particulares / associadas e o seu pessoal não esta incluido nesses efetivos. –Guarda Costeira 2.500 efetivos ativos e 9.000 chamados de voluntarios que não são considerados efetivos, pois se increveram por vontade propria.. Portanto como as organizações das marinhas dos paises são diferentes, comparações diretas… Read more »

Kemen

Esqueci de um detalhe, os fuzileiros navais não estão incluidos nos efetivos da Royal Australian Navy são considerados efetivos de infantaria._____ “The marine and naval infantry designations are not, officially, applied to Australian Defence Force units, although some Australian Army units specialise in amphibious warfare, including 2nd Battalion, Royal Australian Regiment which retrained in an amphibious light infantry role from 2012.”___ Resumindo, eles pouco tem fuzileiros navais, porque em parte os USA mantem fuzileiros navais na Australia.____ “About 2,200 marines will arrive in Darwin from the United States between now and June this year, arriving in batches of 200-500 marines. The Department of Defence says each marine will have to do a coronavirus… Read more »

Paulo

Quantos almirante a marinha da Indonésia tem?

Kemen

Não divulgam, muito estranho não?

As classificações dos oficiais mudaram muito ao longo dos anos na Indonesia, atualmente tem Almirante de 5 estrelas (esse 1 só no seu periodo de maior chefe) eles tem sido revezados asiduamente como pode ser visto na pouca divulgação, por isso acho que tem Almirante de 5 estrelas “as pencas” imagine os outros com menos estrelas a seguir… Almirante de 4 estrelas, Almirante de 3 estrelas, Almirante de 2 estrelas e Almirante. Não detalho mais nada, pois como já escrevi não divulgam quantos no total, acho que da para entender.

Last edited 7 meses atrás by Kemen
ALTAIR IGNEZ DE SOUZA

mudaram os sensores? me parece que radar seria o mesmo do PA Atlantico.

gerson carvalho

Seria os mesmos radares….

Esteves

Março de 2019 escolhemos o estaleiro. Junho de 2021 Estamos definindo a configuração.

Vovozao

10/06/2022 – quinta-feira, btarde, nesse ritmo deveremos estar (caso nada aconteça) batendo chapa em 2022, devendo a primeira ser lançada final de 2024 início 2025; ai vem a grande pergunta: quais escoltas teremos em 2025/2026??? Urge tentarmos compras de oportunidades.

Esteves

Uma.

Se vamos comprar navio usado…acho que não passa isso na cabeça dos Comandantes. Mas em 2025…vai saber.

Fernando Veiria

Mesmo que eles queiram comprar navio usado.
O que teria pra vender?

Camargoer

Olá Vovozão. Discordo quanto à aquisição urgente de navios de segunda mão. Até 2025, (portanto apenas mais 4 anos), a MB continuará operando a duas corvetas (Barrroso e Julio de Noronha) e talvez duas Niteróis remanescentes. A MB irá trocar nos próximos anos 5 velhas fragatas por 4 novas FCT, além da incorporação dos novos SBR. Eu comentei com outro colega que me preocupa mais a continuação do programa FCT por meio da contração de um segundo lote de FCT do que busca de navios de segunda mão.

Wellington R. Soares

Concordo contigo Camargoer, seria um desperdício de dinheiro querer adquirir fragatas usadas agora.
O melhor é se concentrar na fabricação dos novos submarinos e ir avançando com as FCT.
Acredito que um segundo lote de Scorpene é bem improvável, mas um outro lote de FCT é factível.
Se for pra gastar grana com escoltas usadas, que utilizem essa grana para retornar à fabricação de novos patrulhas, nem que sejam os de 500 toneladas, até porque navio usado, revisado e com todos os armamentos disponíveis e pronto para uso custa caro também.

MMerlin

Concordo com vocês. Mas um ponto importante é que todos estamos contando que este cronograma aí de cima será mantido. Basicamente, Dois anos de construção para cada fragata, sendo que, após os 12 primeiros meses, teremos a construção paralela de duas unidades. Isto sem levar em consideração os testes de aceitação. Até aí tudo bem. Mas se seguir o caminho do PROSUB, teremos atrasos. Se colocarmos a Barroso no meio, o negócio fica ainda pior. A Emgeprom foi capitalizada e, teoricamente, o orçamento para o programa está garantido. Se isto se confirmar, ótimo. Mas, com base no histórico dos nossos… Read more »

camargoer

Olá Wellington. Voce tem razão. O Chile pagou mais de US$ 100 milhões por duas fragatas usadas, praticamente o valor de duas NaPaOc novas de 1500 ton de deslocamento. Sobre submarinos, é muito mais importante dar continuidade aos SBN do que contratar um novo lote de SBR.

Glasquis7

Segundo o Alexandre/Montenegro foi apenas U$D 70 milhas

Alexandre

Infelizmente tenho que lhe responder, primeiro comentário do chileno e já fala no meu nome? mas é certo sua fixação pela minha pessoa e agora pelo Montenegro tb, muita paixão de sua parte rsrsrs !

Glasquis7

Falando sério, a situação do Chile foi diferente. As duas Adelaide foram compradas por que já estava no programa de manutenção de capacidades da ARCh desde 2015, quando se soube que as L Classe não teriam renovação de sobressalentes nem de manutenção das unidades motrizes. Elas vieram para cobrir a lacuna deixada e assim manter um bom número de escoltas operátivas (8) e a doutrina de defesa antiaerea de zona. Neste último caso, não apenas se manteve a doutrina mas foi substancialmente aumentada.

Glasquis 7

Só pra não ficar mal entendido. Em 2015 foi determinado pela ARCh que até 2020, deveriam ser dadas de baixa as L Class e desde esse momento se determinou a compra de duas fragatas. Primeiro se pensou em duas Type 23 mas RU mas devido á demora por parte de RU em disponibilizar se procurou outras opções. Se chegou a pensar em duas Halifax mas o Canada não disponibilizou. Nesse meio tempo, foram retiradas de serviço as Ltype daí a urgência de adquirir fragatas de segunda mão. Sobraram as Adelaide, bem mais caras e mais capazes do que a ARCh… Read more »

Alexandre

Na verdade foram 70 milhões de dólares pelas duas fragatas adelaides, porque 10 milhões foram para treinar as equipes do chile.
Veja aqui algumas fontes chilenas que confirmam isso.

Este jueves, la cadena australiana ABC reveló algunos detalles de la adquisición, revelando que Chile pagó 70 millones de dólares estadounidenses (110 millones de dólares australianos) por las fragatas. En específico, cada nave costó 45 millones de USD, con el resto del dinero invertido en implementación, información y entrenamiento.”

Alexandre

Aqui outra fonte: “Dos antiguas fragatas de la Armada Real Australiana de la clase Adelaide, los exbuques Melbourne y Newcastle, han sido puestas al servicio de la Armada chilena”, dijo en un escueto comunicado un portavoz del Ministerio de Defensa australiano. Los dos buques, bautizados como Almirante Latorre y Capitán Prat permanecerán en las costas australianas hasta mayo de 2020 para permitir que se complete el entrenamiento y los preparativos antes de zarpar hacia Chile. La fuente ministerial evitó responder el monto de la transacción, así como la fecha de venta o cuando tuvo lugar la ceremonia de traspaso y… Read more »

Alexandre

Mais uma fonte:

Por otro lado, según informó EFE, el monto de la adquisición bordearía los 110 millones de dólares australianos (US$70 millones), de los cuales más de un 80% representa el precio de los barcos y el resto gastos de almacenamiento, información y entrenamiento de los militares chilenos.

https://www.latribuna.cl/noticias/2020/04/24/chile-compra-dos-buques-de-guerra-a-australia.html

João

E se estourar uma crive em 2022? Sem hora marcada. Assim como foi a guerra das lagostas na década de 60. Como fica? Como a MB vai reagir? 2 corvetas e 2 fragatas pessimamente armadas? Quem planeja e gasta mal, gasta duas vezes. Venho insistentemente reiterando. A MB não pode reclamar de dinheiro. Paga salário de 80 mil homens na ativa (não vou nem comentar quantos dentistas tem), com certeza nem 10 mil estão embarcados. Alias, temos quantos almirantes na ativa? Sempre me pergunto porque a mídia especializada em defesa não debate essas questões. Agora só nos resta sim aquisições… Read more »

Wilson Look

Simplesmente porque por lei, o orçamento é dividido em obrigatório e discricionário sendo o obrigatório o pagamento de salário, pensões, aposentadorias e todo o resto relacionado a pessoal e como o nome diz isso é obrigatório, tem que ser pago e esse dinheiro não pode ser movido para outra função.

Isso vale para todo o orçamento da União.

Jodreski

Exatamente por isso que o efetivo da MB precisa diminuir já!

Wilson Look

Apenas isso não é garantia nenhuma de que o que hoje é gasto obrigatório, se torne gasto discricionário amanhã. Tem que convencer o Ministério da Economia a manter o orçamento caso contrário o mais provável é que o dinheiro seja retirado para pagar os gastos obrigatórios de outra pasta.

E também diminuir sem planejamento vai desestruturar a MB, sendo mais prejudicial do que manter o efetivo atual, não basta cortar na carne, tem que saber o tamanho e o local certo para isso ser efetivo.

JOAO

Amigo, ninguém falou aqui em cortar despesas obrigatórias. Aqui se fala em parar de botar oficiais e suboficiais para dentro. Você sabe quantos oficiais a MB põe para dentro todo ano? De cortar excedente. É tudo uma questão de vontade… mas o corporativo é entranhado.

Wilson Look

Então antes tem que ver aonde esses oficiais ficam e qual a obrigação deles, um exemplo a MB tem 8 almirantes de esquadra sendo que 1 deles é o comandante em chefe e os demais comandam setores da MB, como o CFN, o Arsenal entre outros.

Sem conhecer toda a estrutura da MB, não dá nem para dizer se tem excedente ou falta. E só para constar cortar oficiais é cortar despesa obrigatória, todos os gastos relacionados a eles é gasto obrigatório.

Emerson

Resolver isso é urgente. Existem 300 navios pesqueiros chineses na milha 201 do litoral argentino.

Vovozao

10/06/2021 – quinta-feira, bnoite, Camargoer, este cronograma, dentro de uma realidade esta bem apertado, contrário ao que estamos acostumados a ver, não so na MB, como em todas as Forças, vamos partir dos Riachuelo’s, qual era a primeira data de lançamento e quando ele foi lançado??? Outra coisa do lançamento a operacionalização da 1a. Tamandare deve chegar a 2028, e Barroso, Inhauma e 3 Niteroi’s, iram aguentar o tranco, ou iremos sair no mercado, aceitando meios sucateados, só para fazer numeros….. estou errado, porém, vejo que este seria o momento de um acordo gov/gov, para tentarmos acrescentar um sobrevida a… Read more »

Camargoer

Caro Vovozão. O único motivo para atrasar seria corte de recursos, mas a Emgepron tem R$ 10 bilhões. Sobre a aquisição de navios usados, eles não existem. Se a MB tiver sorte de ocorrer alguma oferta que valha a pena, será por sorte, não por planejamento. Não se faz planejamento contando com a sorte, mas com o azar.

Esteves

Esteves foi ao mercado procurar coisa boa e barata. Nada. Não tinha.

Esteves pesquisou, pesquisou e pesquisou. Nada.

Quem e de quem somos aliados? Americanos? No tempo do Trump e a promessa do Trump de inserir a pátria na OCDE…indicou a Argentina.

Quem recebeu 56 bilhões do FMI? A Argentina.

Quem querem proteger fiscalmente na AS? A Argentina.

Os americanos estão doando 500 milhões de doses de vacinas. Não vem nada pra cá.

Acho que tem faltado alguma coisa. Acho sim.

camargoer

Olá Esteves. Falta sim. Se eu falar acabo preso pela LSN.

Adriano Madureira

Os americanos estão doando 500 milhões de doses de vacinas. Não vem nada pra cá”.

Esteves,e por qual razão os estados unidos deveriam mandar vacinas para o Brasil?!

Nosso problema não é de escassez de vacinas ou falta de dinheiro, falta sim é competência governamental para gerir a crise…

Não somos um país pobre e acho que não necessitamos da caridade alheia, mas oque não falta em outros continentes, são países que necessitam da ajuda dos países ricos para vacinar sua população.

Países da África, Ásia, américa central e que certamente precisam de doações, mas o Brasil?! É algo desnecessário…

Slow

Dinheiro não falta oque falta é a vontade de comprar e parar de ficar indicando remédio sem eficácia que nenhum pais usa …

Emerson

Sem política. Sejamos técnicos.

Slow

Segundo o “Mito” os EUA são nossos amigos ..

Emerson

Houve aporte no programa FCT, ao final de 2019, que garante os primeiros 4 navios. Isso é fato. Espero que não haja atrasos.

Doug385

O próprio comandante da força já confirmou que não há grana pra navio de segunda mão. Dadas as condições financeiras atuais, seria um péssimo gasto. O melhor mesmo seria a contratação de FCT adicionais.

Camargoer

Ola Douglas. Eu concordo com você. Recursos escassos devem ser usados de modo a ter efeito multiicador.

Enes

Ainda tem outro problema, Camargo, Vovozão e Doug 385, só quem já operou navios velhos de segunda mão sabe bem o sofrimento que isso causa. Já estive no mar no CT Piauí D31, com um rombo no casco, tendo que sair da comissão escoltado pelo CT Alagoas, depois, entrar madrugada a dentro retirando munição para poder docar o navio para reparo. É só drama.

camargoer

Olá Enes. Concordo com você. Há um limite físico para quase tudo. Este limite físico existe com certeza para navios. Pelo que lembro, o Chile comprou duas fragatas usadas australianas por mais de US$ 100 milhões, praticamente 1/4 do preço de uma FCT nova. Em termos financeiros, sai muito mais barato, mas a operação é mais cara, a manutenção é mais cara e a efetividade militar dos navios antigos é menor que a de um navio novo. Outro fator importante que deve ser levado em conta sempre é que por meio da nacionalização, é possível pagar em torno de 40%… Read more »

Enes

Concordo totalmente.

Emerson

No processo de construção ocorrem ganhos de optimização, incorporação de evoluções e desenvolvimento de capacidades adicionais a partir do dominio dos processos produtivos. Isso tem grande impacto nos custos de manutenção e de operação. Um segundo lote poderia incorporar todo esse aprendizado.

Emerson

O próximo navio sai bem mais em conta quando já superamos a curva de aprendizagem.

Alexandre

Urge comprar mais fragatas Tamandarés, porcaria velha não!

Rodrigo V

No minimo 6 ( igual ao numero de Niterois ) o ideal seriam 8 . com o complemento de duas Fremm AAW.

Alexandre

Concordo.

Emerson

O contrato só foi assinado em Março de 20.

Bjj

Interessante esse canhão Sea Snake 30. Achei que iriam de bofors mk4

Marujo

Quantos desses canhões por navio?

Felipe Maia

Mudaram o radar. Havia notícias de que seria o Artisan 3D, agora será esse da Hansoldt.

Doug385

Artisan 3D me parece que saiu de linha. A proposta da BAe também era de uma versão AESA originário do Artisan.

Tutu

Ele ainda é fabricado, inclusive recebeu um atualização recentemente, na qual foi dotado de estabilização eletrônica, esse radar vai equipar todas as futuras Type 26 e Type 31E da Royal Navy.

Bardini

As Type-31 vão usar radar Thales.

Tutu

Verdade, vão usar um radar da série NS da Thales.

Screenshot_20210610-200931_Chrome.jpg
Wagner

Será que das quatro previstas irão conseguir entregar pelo menos duas depois três ou quatro adequações do cronograma?

Filipe

Não entendi a substituição Radar inglês pelo Radar Alemão.

JOAO

Vai saber quais foram os interesses em jogo.

Last edited 7 meses atrás by JOAO
Barak MX para o Brasil

MB viu que o Artisan não é grande coisa.

Filipe

Se calhar viu isso no PNM Atlantico , deve ter desistido de operar ele na hora.

Doug385

Isso é você que está dizendo. Como pode não ser grande coisa se a MB nunca operou nada melhor do que ele. Já é de amplo conhecimento que o TKMS iria favorecer os equipamentos de procedência alemã, o que até facilita a integração. A MB poderia aceitar ou não. Se aceitou é porque o equipamento atende.

Rogério Loureiro Dhierio

Pior será se a MB ver que o radar alemã tbm não é lá aquelas coisas.

Trocaram 6 (Seis) por 6 (meia dúzia).

Doug385

É só perguntar aos chilenos e americanos. Ambos já operam esse radar.

Alexandre

Creio que, se o estaleiro é Alemão, quanto maior o pacote de equipamentos Alemães, melhor o preço!

Filipe

Desistiram de um Radar 3D para um radar 4D ?

carcara_br

É marketing, o importante que são radares topo de linha, muito bom realmente.

Doug385

4D é mas para fins de publicidade, tipo um nome comercial. Na verdade é um radar AESA.

Glasquis 7

Um AESA plus.

BK117

Interessante mencionarem o MANSUP como único míssil anti-navio padrão da fragata. Me parece uma prova de fé da MB no projeto. Minhas esperanças pelo míssil foram renovadas.
Quanto ao radar Hensoldt e o canhão Rheinmetal, imagino que, por serem alemãs, bem como a TKMS, tenha sido uma oferta bem mais vantajosa em relação ao Artisan e o Bofors, respectivamente. Correto?

Teropode

Tive a mesma sensação , torcendo pelo Mansup 👍

Glasquis 7

Tenho entendido que o alcance do MANSUP é limitado. Procede?

Wilson Look

Com a motorização atual fica nos 70Km de alcance, se for trocado o motor foguete por uma turbina poderia se aumentar o alcance. Mas vale mencionar que a Avibrás teve problemas com o MTC-300 na fase da separação entre o motor foguete e o míssil e o acionamento da turbina, a turbina não acionava no momento certo o que teria levado a perda de protótipos, ainda não está claro se isso já foi superado. Por causa disso considero melhor para a MB o MANSUP assim como está e esperar a resolução desses problemas do MTC-300 para só então buscar desenvolver… Read more »

glasquis 7

Então procede, tem um alcance muito limitado para as necessidades atuais da MB.

Alexandre

A situação do chile é pior, porque não receberam os exocet mm40 bk3 , isso é facilmente constatatado no sipri.

Alexandre

Sua fonte é infodefensa? A mesma que tem a sucursal para América do sul no chile e feita por jornalistas chilenos? INFODEFENSA trem tanta credibilidade quando fala do chile quanto a SPUTNIK tem quando fala da Russia!
Vá no SIPRI e procure por missil exocet MM 40 b3 no chile, vai ter uma surpresa chileno!
Como doe né?

Alexandre

Foi no INFODEFENSA que vc leu que os F 16 do chile tinham radar AESA?
Ou foi no INFODEFENSA que vc leu que o chile ia comprar novos submarinos até 2020?
Estamos esperando a confirmação dessas notícias!
Afinal, a SPUTINIK do chile tem muita credibilidade, rsrsrsrs

wilson

Bom para o Chile ter estes misseis todos. Mas o conflito Malvinas/Falklands mostrou que sempre é bom ter armamento avançado produzido localmente juntamente com outros importados. Não tem código decifrado, não tem “chip” de desligamento e os adversários não sabem o tamanho de seu paiol.

glasquis 7

Misseis empregados Pela ARCh

MM40 BII
MM40 BIIIC
AM39 BII Mod2
SM39 BII Mod2

RGM-84D BIC
AGM-84L BII
RGM-84L BII

Todos eles com alcance acima de 70 Km.

Alexandre

Sonhar não custa nada, mas a verdade é bem outra, e o chile não tem todos esses misseis, é só verificar no SIPRI. Além do mais, temos harpoon com 280 km de alcance aqui no Brasil!
Se a questão é alcance, nenhum outro País da região tem algo superior!

Glasquis 7

KKK o Brasil comprou 16 AGM-84L Block II  KKK o Cara nem sabe qual o alcance desse missil mas, vem aqui dar uma de Ishpertu. KKK

É como eu digo, o tal do “DESLUMBRAMENTO”.

Adriano Madureira

16 AGM-84L Block II ?! Eita ! Viramos potência…Já dá para afundar uma Royal Navy…

Glasquis 7

É uma combinação de armas. Os Harpoon são para os P3 da FAB. A MB tem outros misseis antinavio, entre eles o próprio Exocet.

Alexandre

É por isso que digo que o chileno não tem nível para o debate, ele está questionando uma coisa que já é fato desde 2015 nas nossas forças. A aquisição de mísseis Harpoon com 280 km já foi concretizada e integrada em nossos P3 orion desde 2018. Tem 280 km de alcance segundo a nossa força aérea em seu site oficial e confirmado por todos os sites Brasileiros. Quando falo que a Alice vive num mundo das maravilhas, as pessoas não acreditam!
https://fab.mil.br/noticias/mostra/22130/AVIA%C3%87%C3%83O-DE-PATRULHA—FAB-ter%C3%A1-m%C3%ADssil-antinavio-com-278-km-de-alcance

Alexandre

Vc está esquecendo uma segunda compra de mais 4 desses mísseis realizada há pouco tempo, são 20 agora. Está achando pouco? é a mesma quantidade que o chile comprou de harpoon, só que das versões com apenas 120km de alcance!
Deixe sua critica para o chile , kkkkkkkkk

Alexandre

Todos esses mísseis estão presentes no Brasil e não tem alcance superior a 70km, será que a INfodefensa falou que no chile eles tem alcance superior? MM40BII AM39BII Mod2 SM39BII Mod 2 O MM40BIII ainda não está no chile, segundo o site com mais credibilidade do mundo em relatório de dez de 2020. Chile só tem 2 tipos de Harpoon que não tem no Brasil, que são esses dois abaixo: 1)A versão que veio com as fragatas da Holanda e que tem apenas 70 km de alcance, foram 30 unidades, está no SIPRI e já estão vencidos e fora de… Read more »

Glasquis 7

Si, anda ver al SIPRI tus Harpoon de 280 km.

KKK

Alexandre

Certamente.

Moriah

O design do Sea Snake é bem legal e furtivo.

Equilibrium

Pendei que o míssil seria o Albatroz NG.

Wellington R. Soares

Me surpreendeu bastante não ser o bofors MK4. Alguém tem informações sobre esse canhão escolhido Canhão Rheinmetall Sea Snake 30MM ? até onde eu sei para os MK4 a marinha operava com munições 3P que ajuda bastante na defesa antiaérea.
Sobre o Mansup, espero que existam projetos para aumentar o alcance deles, pois ficar próximo ao exocet blockII não dá, é necessário evoluir.

Diogo de Araujo

MANSUP? então tá vivo ainda?

Welington S.

Sim. A MB não vai desistir do MANSUP.

Allan Lemos

Queria ter esse otimismo. Mas isso é impossível dado o histórico das nossas forças armadas: O MAR-1 foi cancelado, o MTC-300 está há uns dez anos em “fase final”, o A-Darter também parece que foi abandonado em prol do Iris-T. Enfim, não quero ser pessimista mas não me surpreenderia nem um pouco de amanha lesse uma matéria no Poder Naval intitulada “MB decide desistir do Mansup devido a dificuldades técnicas.”.

Marcos10

Também não desistiram do VLS, por isso dos sucessivos ”investimentos”.

willhorv

Com 70-100 km de alcance…se bobear, um navio com munição inteligente salpica estas fragatinhas antes que ela possa atirar este tal Mansup.

Adriano RA

Sim. Fofuras relacionadas à tecnologia nacional a parte, na vida real, ou se tem o melhor míssil ou toma chumbo. O MANSUP não é uma boa escolha.

737-800RJ

Vivo e com bastante moral pelo que parece! A MB tá parecendo confiante no projeto. Espero que dê certo!

Leandro Costa

Diogo, ninguém disse que o míssil estava morto. Isso foi assumido por vários por ele não ser mencionado como parte dos próximos dois exercícios de disparo de mísseis.

carcara_br

Fui surpreendido positivamente, ótimos sistemas, conteúdo nacional, mísseis desenvolvidos aqui, ótima capacidade de autodefesa, um excelente projeto.
Seria possível fazer integração de link de dados com os gripens ou futuros Drones?

Alexandre

Pelo que foi informado até agora, essas fragatas terão link com outras plataformas , inclusive com os gripens, helicópteros, P3, Bandeirulha , C 295 persuader, E 99, R 99, etc… E mais, uma fragata poderá disparar o míssil de outra fragata se for necessário.

Generval

Essa área de TDLs é bastante complexa e não existe uma solução única que atenda requisitos diversos, como integração entre meios navais, anfíbios e aéreos. Fora aqueles de propósito mais específico. Normalmente há uma solução pra cada um daqueles grupos de plataformas, devendo ser integrados. E como sempre, o diabo mora nos detalhes. Os alemães vão querer vender o deles (Link A) de prateleira, pra uso naval. A FAB tem seus próprios (BR e BR2 em andamento), a MB tem o YB e família (YB, EAD, etc) e também o novo link tático em desenvolvimento que deve ser usado em… Read more »

carcara_br

Certamente, daria uma ótima matéria, inclusive como meus comentários são sempre moderados fica ai uma sugestão! Acredito que sejam vários fatores, mas dois eu gostaria de comentar. Latência (quando maior a qualidade, rapidez e confiabilidade do sinal melhor) e Largura de Banda (a quantidade de informação que pode ser enviada em tempo hábil. e isso é extremamente importante pra estes dois sistemas, porque vai nos dizer se vão extrapolar a consciência situacional numa sala de comando ou da própria fragata e permitir, por exemplo, a utilização de armamentos em engajamentos colaborativos. – Sistema de Gerenciamento de Combate Atlas-ANCS; e –… Read more »

Leandro Costa

Seria um excelente tópico sim, Generval.

Luís Henrique

Que maravilha, até que enfim novidades sobre as Fragatas Tamandaré.
Gostei da troca do radar do Artisan (radar mecânico) pelo TRS-4D Rotator, um radar AESA de nitreto de gálio, uma tecnologia bem mais atual.
Alcance de 250 km, capacidade de detectar alvos de 0,01 m² de RCS, capacidade de rastrear 1.000 alvos, excelente.

737-800RJ

Da mesma forma que a parceria do EB com os italianos da Iveco tem dado bons frutos com o Guarani e, possivelmente com o Centauro II, penso que a MB tem tudo pra se dar bem com os alemães. Reparem que alguns armamentos e sensores de outros países foram substituídos por componentes de empresas da Alemanha; muito provavelmente por conta de acordos vantajosos. Sempre bom lembrar que um dos fatores que mais pesou para a escolha da TKMS é o fato da MB ter em mente adquirir as A-400, na faixa das 7 toneladas de deslocamento. Talvez pra próxima década,… Read more »

Leandro Costa

Torço por isso.

Esteves

Foram escolhidos/substituídos/optados por recheio/componentes alemães, muito provavelmente, por obrigação contratual.

Não existe acordo vantajoso. Existe contrato. Todo contrato tem equilíbrio econômico. Mas existem os contratos paralelos…

Camargoer

Ola Esteves. Creio que o contrato trata de desempenho. A escolha do equipamento demanda negociação tanto de prazo, preço, integração e assistência técnica.

Bardini

A400… Que nem os alemães compraram, na concorrência das MKS 180.

Last edited 7 meses atrás by Bardini
Wilson Look

As A400 são derivadas da F125.

Bardini

Sim. E os alemães deixaram de comprar outros 04 destes navios, para comprar um projeto Holandês.

Emerson

MB com A400 na próxima década ??? Ou Encarnação 😂😂😂

Gabriel Oliveira

Interessante essa troca de radar,mas confesso que era até esperada,especulo que tal demora tenha um pouco a ver com isso,e imagino que o número de equipamentos alemães aumentou fortemente.

Tutu

Bastante tempo atrás com base nas imagens daquele vídeo da Embraer eu falei que poderia ser o Rheinmetall Sea Snake de 27mm, ao meu ver faria sentido, já que é a mesma arma do do Gripen, Mauser BK-27, talvez desse para padronizar e dar mais escala para uma munição nacional.
Agora se confirma a versão de 30mm, de qualquer forma, é um sistema interessante, e que na função de CIWS é bem efeito, recomendo que vejam vídeos dele atirando no YouTube.

Luís Henrique

Sim, muito interessante este canhão Sea Snake. Gostei da mudança, tem um desenho furtivo e alta cadência de tiro.
Só não gostei muito do Sonar 713, estava torcendo pelo 723 que tem o dobro do tamanho, e obviamente mais capaz.

A maior dúvida que ainda temos são as quantidades de mísseis.

Pelas fotos, parece que o caminho era para 12 Sea Ceptor e 4 MANSUP.
Eu acho muito fraco. Torço para que tenham alterado para 16 Sea Ceptor e 8 MANSUP.

Augusto

Eu já dava como certo que o sonar seria o Kingclip, que é de altíssimo nível e que poderia ser produzido e manutenido no Brasil pela Omynisis. Agora vão usar um que, além de importado, é meia-boca?!

Barak MX para o Brasil

40 km de alcance com laser ativo.

Bardini

Pode ser a mesma arma de 27mm do Gripen…
Pode ser um canhão 30mm e usar munição convencional HE, que também é empregada nos Guarani…
.
Mas a MB gastou dinheiro dos brasileiros para ter capacidade de produzir munição 3P 40mm. Não existe justificativa que caiba, para adotar essa arma e não um canhão de 40mm.
.
Se for uma arma de 30 mm, podemos usar munição do canhão do Guarani. Mas não fabricamos munição 30mm ABM, que é muito cara e que é a empregada para tornar essa arma em um CIWS de fato.

Last edited 7 meses atrás by Bardini
Alexandre

A grande questão é que não sabemos o que vem de off set, e pode ser que a tecnologia de fabricação da munição ABM de 30mm esteja no pacote, vamos aguardar.
Quanto aos canhões de 40 mm e suas munições 3P, acho que continuarão sendo usadas nos navios patrulha.

Bardini

ToT de munição ABM para empregar em 04 canhões?
.
Tá bom…
.
Se fabricarem munição 76 mm, já vai ser muito.
.
Aliás, a EMGEPROM torrou nosso dinheiro desenvolvendo munição de 57mm. Quantos canhões 57mm nós operamos mesmo?
Agora compramos canhão de 76mm, que vai demandar mais investimento.
https://www.marinha.mil.br/emgepron/sites/www.marinha.mil.br.emgepron/files/fichatecnica/lt_57mml70_0.pdf

Alexandre

Não é tot de 4 canhões, é tot de 2 bilhões de dólares, vc acha pouco?

Flanker

Mas, esses 2 bilhões de dólares vão para a fábrica dos 4 canhões???

EduardoSP

A MB toma decisões igual a um peru no natal, cada hora vai para um lado. Gasta aqui, joga fora. Gasta acolá, joga fora. E assim vai.
Mas são visões de mundo diferentes, negócios, contratos, relações que se formam, enfim, nenhuma novidade.

Enes

A função CIWS estará por conta do Oto Melara 76mm.

Bardini

O próprio CAMM é um CIWS…

Tutu

O Sea Snake tbm, essa função consta inclusive no portfólio do canhão.

Cristiano de Aquino Campos

Na verdade, as Tamandaré tem 3 armas com capacidade de defesa anti-aerea, o canhão de 76mm, o canhão de 40mm e os misseis.

Ricardo Rosa Firmino

Pensei a mesma coisa Mk. Como dar continuidade nos produtos racionais, se não há encomenda e por consequência evoluções das versões?? Difícil…aí vem falar que vai de Mansup?? Torço muito, mas duvido que esse míssil vá para frente…

Wilson Look

O SICONTA não será usado nas FCT, mas são os sistemas de gerenciamento o objetivo da TOT. Basicamente vão usar a tecnologia desse sistema para melhorar o SICONTA.

Leandro Costa

Wilson, penso parecido com você. Acredito que após a incorporação dessas primeiras quatro FCT, as próximas poderão vir com uma nova versão do SICONTA que posteriormente poderia ser retrofitado nessas primeiras quatro. Se ficarmos apenas nessas 4, ainda assim a nova versão poderia ser instalada nelas com base em conhecimento adquirido durante o projeto.

Esteves

Não faz sentido. Você usa o IOS da Apple para melhorar o teu sistema? Você usa o MSO para retroagir e retrofiar a tua navegação na internet?

SICONTA é do tempo dos computadores de 8 bits. Rodava em CPM. Antes do DOS.

Dinos.

Leandro Costa

Windows 1.0 rodava em computadores de 16 bits. Hoje o Windows 10 roda em computadores de 64 bits. Segue a nomeclatura, muda-se a versão e a plataforma. Não significa que o código seja o mesmo.

Esteves

Qual era a arquitetura? Quais os circuitos que rodavam o SICONTA em computadores de 8 bits dos anos 1970/80?

1 Smartphone dirige um carro de F1.

Leandro Costa

Esteves, a arquitetura é o de menos. Eu programei muito em Pascal, que foi uma linguagem desenvolvida em 1970. Eu rodava Pascal no meu pentium 233, quase trinta anos depois tranquilamente. Se eu decidir baixar a instalar o Pascal ou algum derivado, sei que vou conseguir rodar numa boa. Se bobear tem até para iOS. Não se trata do mesmo sistema, claro. Para a MB implementar uma nova versão do SICONTA em uma plataforma totalmente nova, pode até ser que se reaproveite parte do código original, mas seria melhor (ou possível apenas) reescrevendo o código do sistema e incorporando novas… Read more »

Glasquis 7

Eu rodava Pascal no meu pentium 233″

Nossa!!! tu desenterrou essa! Saudades da minha juventude. KKK

Leandro Costa

Juventude? Ô jovem! heheheheh

glasquis 7

Na minha época os peixinhos coloridos dos aquários estavam em Branco e preto ainda.

Renato Gioseffi Soares da Cunha

Pior eu que tinha Fortes em cartões perfurados na UFF!

Digo…. Fortran!

Leandro Costa

Não cheguei à passar por isso, Renato. Fortran, cartão perfurado e UFF quem passou por isso foi meu pai hehehehe.

glasquis 7

Putz, tinha até esquecido desse Fortrand.

glasquis 7

Essa é de antes ainda.

Eu me iniciei com um ATARI e dei um salto enorme pro Macintosh… Acabei fazendo meu exame de grau num IBM sitema 36… Nesse ainda rodava o Pascal e Cobolt e C Basic.

Esteves

A Apple transfere IOS? A MS transfere Windows?

Peter nine nine

O sistema correntemente previsto não será substituído pelo SICONTA porque não faria sentido nenhum aplicar verbas no aperfeiçoamento do SICONTA actualmente disponível, apenas para substituir produto semelhante, potencialmente superior, já a ser instalado de raiz. Fará sentido na modernização de meia vida, mas por essa altura, se não houver outros meios onde seja possível a integração de uma actualização do SICONTA, é probavel que o mesmo esteja num estado dormente (morto mesmo). Relativamente ao MANSUP, preocupa me que a informação agora disponível dê a entender que este será o único a equipar as tamandare. O míssil não está pronto, pouco… Read more »

Last edited 7 meses atrás by Peter nine nine
Leandro Costa

Concordo totalmente com a sua avaliação em relação ao míssil. Acharia bem mas adequado garantir unidades de outros mísseis já consolidados enquanto se desenvolve o MANSUP. Quanto ao SICONTA, eu realmente não acho que deva ser prioridade, porém se algum dia formos adiante com a intenção de construir no Brasil uma quantidade de meios de patrulha novos, seria interessante ter uma continuidade nesse trabalho, inclusive para possivelmente facilitar fusão de dados entre os meios disponíveis. Não se trataria de substituir o sistema que viesse nas fragatas de imediato, mas sim quando fosse oportuno no futuro. Esse projeto pode ser tocado… Read more »

Alexandre

As fragatas Tamandarés são compatíveis com o exocet MM 40 bk3, é só a Marinha do Brasil o comprar o míssil se achar necessário.

Leandro Costa

Oi 48! O SICONTA é de 1993, então acho que não tem nada 8 bits ali hehehehe. De qualquer maneira estamos na versão Mk. V, salvo engano. Houve, ao longo dos anos, diversas melhorias no sistema e muito foi feito pelo IPqM. Aliás, o trabalho em cima do sistema de gerenciamento de plataforma (não confundir com o sistema tático), já foi iniciado, ou seja, pelo menos deve existir ao mínimo um esboço disso, visto que isso ainda é dos tempos em que chamavam o projeto de ‘Corveta.’ O ideal seria dotar os meios com sistemas nacionais que não tenham problemas… Read more »

Esteves

Qual fabricante de sistemas de gerenciamento transfere conhecimento?

Wilson Look

É o que a MB apresenta, a ATECH será a recebedora da TOT dos sistemas de combate e de gerenciamento da plataforma.

Esteves

Assim como você compra uma computador e o recebe com o sistema operacional funcionando.

Mas sem os programas fontes.

Wilson Look

Eu monto computadores, e se o cliente quiser instalo o Linux que é código aberto, por isso que tem vários sistemas que usam ele. Inclusive o IOS.

Esteves

Sim. Você monta.

Oa alemães entregarão montados e funcionando. Ensinarão a operar.

Wilson Look

Eles vão entregar o que foi estabelecido no contrato.

glasquis 7

Acho que com a compra do estaleiro, já não será tão assim como se esperava no contrato.

Wilson Look

Quem vai receber a TOT é a ATECH, o foco são os sistemas de combate e de gerenciamento da plataforma.

Não tem nada haver com o estaleiro.

glasquis 7

Vai? E ela vai conseguir construir fragatas?

Wilson Look

É difícil entender que o FOCO são os sistemas de combate da Atlas e o sistema de gerenciamento da plataforma da L3? que é a área de atuação da Atech?