Marinha Italiana desativa a fragata Espero da classe ‘Maestrale’, após 36 anos de serviço

221

A Marinha italiana desativou a fragata Espero da classe “Maestrale”, de 36 anos, em 30 de junho de 2021, com uma cerimônia realizada na Base Naval de Taranto.

A Espero (F 576) é a sétima fragata classe “Maestrale” da Marinha Italiana. Ela teve a quilha batida em 1 de agosto de 1982 e lançada em 19 de novembro de 1983 pelo estaleiro Fincantieri. Foi incorporada em 4 de maio de 1985 com o indicativo visual F576.

As fragatas da classe “Maestrale” foram projetadas principalmente para guerra antissubmarino (ASW), no entanto, os navios são altamente flexíveis, por isso também são capazes de operações antiaéreas e antissuperfície. Os navios desta classe têm sido amplamente utilizados em várias missões internacionais, seja sob a bandeira da OTAN ou da ONU e durante as operações normais da Marinha Italiana.

A cerimônia foi presidida pelo Comandante-em-Chefe da Frota Naval e Vice-Almirante Paolo Treu e contou com a presença de autoridades militares, civis e religiosas locais, e os ex-comandantes e tripulantes da Espero. Durante a cerimônia, a bandeira do navio foi entregue ao vice-almirante Paolo Treuit que será mantida permanentemente em Roma.

Sétima das oito fragatas da classe Maestrale, a Espero desempenhou um papel fundamental em muitas das principais missões e operações internacionais, com um total de 675.000 milhas náuticas percorridas, cerca de 31 vezes o comprimento da linha do Equador.

Agora, três fragatas da classe Maestrale permanecem em serviço;

  • F571 Grecale
  • F572 Libeccio
  • F577 Zeffiro

Fragata Espero (Classe Maestrale)

Deslocamento 3.040 t carregada
Comprimento – 122.7 m LOA – 114 m LPP
Boca 12.9 m
Calado 4.2 m
Propulsão CODOG
2 × turbinas a gás GE/Avio General Electric LM2500 de 18.380 kW (24.648 hp) cada – 2 × motores diesel Grandi Motori Trieste BL-230-20-DVM, 4.044 kW (5.423 hp) cada
Velocidade máxima 33 nós (61 km/h) com turbinas e 21 nós (39 km/h) com diesel
Autonomia 6.000 milhas marítimas (11,000 km) a 15 nós (28 km/h)
Tripulação 24 oficiais e 201 praças
Armamento 4 × mísseis antinavio TESEO Mk-2, lançadores duplos
1 × lançador óctuplo Albatross para SAM Aspide
1 × canhão principal Otobreda 127 mm/54
2 × reparos duplos Oto Melara Twin 40L70 DARDO CIWS
2 × metralhadoras Browning HB2B 12.7 mm
2 × metralhadoras  MG 42/59 7.62 mm
2 × lançadores triplos de torpedos de 324 mm (Whitehead ILAS-3) para torpedos Mk-46 Mod.2 antissubmarino
Aeronaves 2 x helicópteros AB-212

 

FONTE: Naval Post

Subscribe
Notify of
guest

221 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vovozao

12/07/21 – segunda-feira, bdia… ativando modo irônico; taí uma otima aquisicao para a MB, seria mais uma para o “”asilo””; boa semana a todos.

M.@.K

Se fosse uns 15 anos atrás estava valendo…

Control

Jovem Vovozão
Apesar de raspa do tacho, dentro de um pacote com financiamento que envolvam FREEMs, pode ser a última oportunidade que resta a MB para manter um mínimo de escoltas enquanto aguarda novos navios.
Sds

Kemen

Nem pensar.

Last edited 3 anos atrás by Kemen
Elias

Pobre orgulhoso… compra logo este navio.!

Villa real

Os profissionais da MB sabem o que fazer, aos amadores resta observar…

Mk48

Exatamente.

Kemen

Otima oportunidade de compra. Para os peruanos.

Pedro Bó

Design belíssimo. Mesmo sendo um projeto dos anos 80, ainda parecem atualíssimos.

Italianos sempre prezam pela beleza estética de seus produtos.

Moriah

Peru, vai?

Alejandro Pérez

Perú está construindo unidades novas, em estaleiros locais, em parcería com a Coréia do Sul.

Kemen

Fragatas ?

Glasquis 7

Não mas no passado já construiu suas fragatas baseadas nas Meko Class se não me engano.. Acredito que na hora de renovar a frota de superfície optem por construir localmente. Na atualidade estão atualizando os Submarinos.

Kemen

O Peru tem fragatas classe Lupo, projeto italiano, foram construidas na Italia. No peru recentemente foram construidos dois Multiproposito da classe Makassar que é um projeto da Coreia do Sul. Eles estariam estudando a possibilidade de construir fragatas, mas é tudo incerto, pois já foi publicado também que estariam interessados em duas fragatas Fremm, mas até o presente nada se concretizou.

angelo bigalli

Opa, mais uma sucata para nossa marinha…….

Joao Moita Jr

Que marinha? No Brasil o que existe é uma minúscula guarda costeira, e olhe lá.

Inimigo do Estado

E nem é do Brasil, é do Rio de Janeiro.

MARCELO R

ESPERO….. que ninguém fique falando de compra de oportunidade da FRAGATA ESPERO…

Wagner

“Excelente oportunidade para a marinha do Brasil” em 3… 2… 1…

FERNANDO

Ishi, já vão dizer que seria uma bótima compra de oportunidade.

Dalton

Alguns anos atrás a marinha italiana informou que a “Espero” seria retirada de serviço em 2017 com 32 anos. O que de fato aconteceu é que ela foi para a reserva em dezembro de 2018 tecnicamente em condições de ser reativada se necessário, ao menos inicialmente sendo definitivamente riscada do inventário em 30 de junho de 2021.

Piassarollo

Prezado amigo MK 48,exatamente, seria no mínimo trocar 6 por meia dúzia. Entre as Maestrale e as Niterois, ainda prefiro as nossas, sem contar que o armazenamento é muito semelhante e as italianas possuem menor tonelagem. Trocar algo velho e muito usado por outro algo nas mesmas condições é só trocar de problema. Nos dias de hoje, vai ser muito difícil aparecerem navios usados em boas condições e com preços acessíveis. Paciência, Abs

Piassarollo

Onds se lê armazenamento, quus dizer armamento.

Dalton

Ainda penso, e é só uma questão pessoal, que teria sido bom, não ótimo, se a marinha brasileira tivesse adquirido a “Rodney Davis”e a “kauffman” da classe “Oliver Perry”, com 28/29 anos de serviço, em 2015 quando foram inativadas, sendo transferidas imediatamente passando por uma revitalização antes. . Essas duas cobririam a retirada de serviço da “Bosísio” justamente em 2015 e a “Niterói” já estava pedindo baixa e poderiam ter rendido uns15 anos a mais aliviando a pressão já que em breve deverão ser anunciadas novas baixas, mas, mesmo que a marinha estivesse interessada, não havia recursos. . A “Oliver… Read more »

Vovozao

12/07/2021 – segunda-feira, btarde, salve MK, as atuais turbinas na maioria são uma evolucao/atualização das 2500, inclusive, maioria dos navios da Forca de defesa do Japão, utilizam de evoluções/ atualizações das 2500. Como voce falou as maestrales, no momento alem de ser uma única disponivel, teriamos que adqua-la ao padrao MB. Continuo batendo na tecla…… devemos fugir de compras na Europa….. grande maioria dos navios são sempre muito utilizados, devemos recorrer a Ásia, podem surgir, oportunidades, e, com preços e financiamentos adequados nossas realidades. O BRASIL, possuí adidos navais/militares na maioria das grandes e importantes nações asiáticas, podemos prospectar, e,… Read more »

Segatto

Mas equipamentos japoneses ou coreanos (os que consigo ver a MB comprando) sempre andam juntos com os padrões ocidentais e muitas vezes sendo derivados ou contendo componentes ocidentais

Diego

Mesmo a marinha brasileira não tendo a intenção de comprar este navio, a hipótese é ridicularizado por alguns, o que é uma grande baboseira.
Oras, a Indonésia estará adquirindo dois desses navios da classe Maestrale pra serem reformados e usados novamente. O país assinou um acordo com a Itália pra comprar oito navios, sendo seis fragatas FREMM, além de duas fragatas usadas da classe Maestrale.
Seria fantástico se ao invés da Indonésia fosse o Brasil, pena que é apenas um sonho…

[*]Fonte:
https://www.google.com.br/amp/s/www.janes.com/amp/indonesia-selects-fremm-design-for-frigate-programme-but-questions-remain-over-funding/ZnlJK3dHVU9mZ28xajRJVkc5dVI5VFp1cVMwPQ2

Dalton

Aparentemente há diferenças importantes. A “Espero” não teria sido modernizada no passado, portanto, em condições materiais inferiores das duas fragatas que a Indonesia busca adquirir quando forem retiradas de serviço e a “Espero” permaneceu na reserva por dois anos e meio quando o ideal é sempre uma transferência “quente” que é feita quando o navio é inativado é transferido imediatamente ao novo dono.

Camargoer.

Ola Mk48. Concordo que não faz sentido adquirir uma fragata de 3000 tons de 35 anos, considerando que há um programa de fabricação de fragatas de 3500 tons em andamento. Talvez a aquisição deste navio italiano custasse uns US$ 50 milhões incluindo uma ampla revisão. Este dinheiro será mais adequado para concluir o PMG de um IKL Tupi.

Marujo

Comentário coerente, Camargo.

Camargoer

Olá Marujo. Obrigado. Há anos eu defendo que neste período de transição, na qual a frota de superfície está envelhecida e reduzida, mas sendo substituída pelas novas FCT, que a MB empregue os seus recursos para manter operando a maior frota de submarinos (IKL Tupi + SBR) possível ao invés de adquirir navios de combate pertos da obsolescência. Contudo, até acho razoável uma compra de oportunidade de fragatas usadas mas com 15~20 anos de uso (isso se alguma marinha as oferecesse para a MB).

Marujo

Assino em baixo. Sempre vi a construção dos Scorpenes como uma adição à nossa frota, não uma substituição. Até pouco tempo, nossa doutrina de guerra naval privilegiava a negação do uso do mar. Parece que não é assim mais, Camargo.

Camargoer

Olá MK48. De fato, você havia comentado algo assim em outro posto sobre o 209 do Egito e sobre um comentário meu sobre uma reportagem do Roberto Lopez. Eu concordo com você que cada PMG tem suas particularidades. Cada navio tem um histórico de operação e de manutenção que o torna único. Contudo, considerando histórico do IKL Tupi da MB, creio que já foram realizados entre 10~15 PMG destes navios. Talvez a MB tenha elaborado um documento mais detalhado sobre os trabalhos de manutenção dos submarinos, quais são os serviços gerais e quais são as necessidades de cada unidade, quais… Read more »

Camargoer

Olá Mk48. Exatamente.

Zorann

A transparência é o que não tem. Isto é de propósito para dispensar os curiosos e quem possa fiscalizar/questionar. Isto não é algo exclusivo das FFAA. Existe em todo o serviço público. E duvido que isto mude. É muito fácil ver o tamanho do orçamento da Marinha; Um pouco mais difícil ver quanto se gasta ao todo com pessoal (mas ainda é possível achar de maneira simples os principais gastos); E quase impossível saber quanto custou operar e manter a Barroso durante 1 ano. Você divulga sim os gastos nos ditos portais da transparência, mas todos espalhados em contratos, com… Read more »

Camargoer

Olá Zorann. Concordo com você com a dificuldade de garimparmos os dados orçamentários das forças armadas brasileiras. Dizer que são dados secretos, cujo teor teria impacto na segurança nacional é um equívoco. A MB (aliás, o MinDef) faria um grande serviço ao pais ao dar maior publicidade aos gastos de aquisição, manutenção e operação dos meios militares, algo que está escrito na CF88.

Zorann

Não existe um custo fixo, mas existe uma estimativa. E é disso que geralmente se fala. E o orçamento de Defesa deve prever estes gastos no decorrer da vida útil de seus meios. Se temos 5 IKL e teremos de fazer um PMG de 2 a 3 anos a cada 10 anos, isto significa dizer que a cada no máximo 2 a 3 anos, um IKL entrará em PMG, enquanto outro está sendo devolvido ao serviço. O problema é atrasar o cronograma (por incompetência administrativa – não por falta de dinheiro) e criar uma fila de submarinos inativos aguardando PMG,… Read more »

FabioB

Se é construida na Itália e desloca 3.000 t, é Fragata.

Se é construida no Brasil e desloca 3.000 t, por que não seria Fragata?

Só para dar a cutucadinha básica no pessoal que adora criticar a ideia de chamar as Tamandaré de Fragatas…rsrs

Kemen

FabioB, 30 anos atrás com os sistemas antigos, pouco armamento (sem VLS), péssimas acomodações para os padrões atuais, 3.000 tn. era uma boa fragata para a época, hoje em dia com os inúmeros atuais sistemas, boas acomodações requeridas, e maior armamento disponivel, uma fragata tem em torno de 5000/6000 tn. 3000 tn é uma tonelagem mais apropriada para as corvetas atuais, menos armadas que fragatas e com menor tripulação, e que requerem motores menos potentes. Mas que chamem como quiserem, “belonave” seria mais apropriado para finalizar com as diferentes opiniões.

Yuri Dogkove

Lembrei das FREMM semi novas que a Itália ofereceu a MB, e ela não quis…

Luiz Floriano Alves

A manutenção na Italoa se revela de alta qualidade. Em terceiro mundo já teria virado sucata e os marinheiros clamando por outra nova.

Tutu

Perdeu a oportunidade de ficar quieto, as Niterói estão chegando aos 40 anos como?, na base do cuspe, fita adesiva e oração?

Control

Jovem Tutu
Manutenção não é apenas mão de obra qualificadae “dedicada”. É estoque de peças disponíveis, velocidade de reposição deste estoque, treinamento do pessoal novo e um tempo adequado para eles ganharem experiência, etc.
A manutenção no Brasil e na MB é precária, sim, independente da boa vontade de alguns dos profissionais envolvidos. Basta ver o tempo que a Defensora está em manutenção e o desastre que foi o São Paulo.
No Brasil, a manutenção é um aspecto esquecido, tanto que muitos órgãos públicos nem mesmo tem um planejamento em relação a manutenção de seu patrimônio.
Sds

Mk48

Olá Control, . Vejo que você comenta com muito conhecimento de causa qualquer assunto discutido aqui, desde campeonato de bola de gude até mísseis hipersônicos. . Muito bom, demonstra muita sapiência de sua parte. . Agora, uma curiosidade : Onde e baseado em que você concluiu , na sua generosa sabedoria, que a manutenção da MB é precária ? . É sério isso ? . Você já foi ao Arsenal e viu como a manutenção é feita ? . Você algum dia já entrou em um navio da MB ? . Você é engenheiro ou mecânico naval ? . Você… Read more »

Last edited 3 anos atrás by Mk48
Graxeiro

Rapaz.. . Deve ser oficial de marinha falando! Manutenção impecável onde?? Defensora, Julio de Noronha, Mattoso Maia, Grenhalgh; eternas rainhas do cais do Arsenal. Arsenal este, aliás, que só o é de nome, pois não constrói nem faz manutenção de nada; a não ser a manutenção dos empregos da paisanada de lá! A MB não tem dinheiro, sobressalentes, mão de obra especializada e espaço físico necessários para manter em condições mínimas sua combalida frota. Frota essa super envelhecida, seja em casco, sistemas, armamentos ou eletrônica. Para de falar besteira! Conheço muito bem como funciona a manutenção da MB a duas… Read more »

Mk48

“Para de falar besteira! Conheço muito bem como funciona a manutenção da MB a duas décadas. Nunca foi lá essas coisas, mas hoje é assombrosa!!”
.
.
Você pode ser mais específico ?
.
Me refiro a parte do “assombrosa”.

Mk48

Exato .
.
Só quem fala o que o Luiz falou é quem nunca entrou em um navio da MB.
.
Manutenção e limpeza IMPECÁVEIS.
.
É o que sempre digo aqui : As pessoas falam sem o mínimo conhecimento de causa.
.
Mais um bobo alegre que fala besteira

Last edited 3 anos atrás by Mk48
Filipe

Out of Topic, parece que a China vai poder produzir 1500 ogivas nucleares por ano, de acordo com esse site :
Will China overtake US and Russia in nuclear weapons arsenal? How China is modernising its nukes? – YouTube

Parece que os Chineses em 10 anos vão virar o jogo.

Parabellum

Mais um alvo disponível no mercado

Carlos Pietro

Excelente compra de oportunidade para a marinha brasileira.

Claudio QUADROS

Uma boa opção armado Uruguai está praticamente sem navios combate espera duas últimas coberta uayna se desativada ir lá

Burgos

Ninguém quer mais “opala” !!!
Bebe muito,
Não tem mais peça,
Manutenção cara,
E dá muito problema.
“Mas para alguns países serve por mais 10 ou 15 anos” ?‍♂️?‍♂️

Last edited 3 anos atrás by Burgos
Control

Jovem Burgos
Há muitos Opalas que fazem inveja a muito carro zero. Depende da forma em que são mantidos.
Sds

Kemen

Eu sabia que era contagiosa!!!
Sindrome veicular cubana. kkkkkkkkk

Piassarollo

Falando em Marinha Italiana, o Marrocos está em negociações para obtenção de duas Fremm, inclusive uma já comicionada. Como curiosidade, a Marinha do Marrocos já opera uma fragata fremm do modelo francês.

Kemen

Isso foi informado no “moroccoworldnews” o pais esta se armando por causa da Argélia, os E.U.A.N. venderam armas e recentemente F-16 ao Marrocos, sem limitações, depois que o pais reconheceu a existência de Israel como pais e a ajuda no combate ao terrorismo islamico. O Marrocos também procura apoio a sua apropriação do Sahara Ocidental como territorio do Marrocos, questionado pela Argelia e a Frente Polisario de resistencia armada.

Last edited 3 anos atrás by Kemen
carvalho2008

Aconteceu alguma coisa com o Mestre Mk48? Sumiram todos os comentarios dele….e as respostas que estavam endereçadas a ele ficaram com o proprio nome do autor…

Burgos

Andei olhando outras postagens e verifiquei que ele (MK), foram excluídas.
No mínimo deve ter tomado um “gancho” do Adm. ?‍♂️

carvalho2008

Estranho, pois parecia tudo calmo sem discussões…a não ser que tenha perdido algo.

Camargoer

Olá Burgos. Parece que o Esteves também sumiu.

Burgos

Pois é !!!
Bom dia Sr. Camargo !!!
Vai saber agora !!!?‍♂️

Kemen

Pelo jeito, o “facão” anda a solta. Sera?

Camargoer

Olá Kemen. Felizmente não há facão. O Mk48 fez besteira com o avatar. Geralmente, eu falo para meus alunos que eles estão seguros enquanto eu estiver dando aula… quando eu desaparecer, será a senha para eles se esconderem porque serão os próximos.

Mk48

Olá Camargo.
.
Fiz mesmo.
.
Se alguém puder e quiser me ensinar a colocar a imagem no avatar, agradeço !.
.
Abs

BK117

Caro MK48,
até onde eu me lembro tem que entrar no Gravatar com uma conta no WordPress, aí a imagem fica atrelada ao email em qualquer site que use o serviço.
Peço aos colegas que me corrijam se estiver errado, pois fiz isso há um bom tempo e só lembro que foi um trampo danado descobrir como fazia.

Mk48

Prezado Bk117,
.
Vou tentar fazer o que você disse, estou mais perdido nesse assunto que cego em tiroteio.
.
Muito grato pela sua ajuda.
.
Abs.

Mk48

Prezado BK117,
.
Seguindo sua orientação consegui colocar o avatar.
.
Obrigado !
.
Abs

BK117

Caro MK48, fico muito feliz em ter ajudado! Abraços!

Camargoer

Olá “torpedo”; Parabéns. Bem vindo ao mundo virtual.

Esteves

Presente.

Camargoer

Ola Colega. Que bom que você está aqui. Ótimo.

Camargoer

Olá Esteves. Acho que está na hora de você incluir uma imagem de avatar também.. riso.

Mk48

Bom dia Mestres Carvalho, Burgos e Camargo !
.
Aconteceu sim.
.
Eu estava tentando descobrir como colocar uma imagem no meu avatar……e acabei fazendo besteira..
.
Eu mesmo acabei APAGANDO meus comentários….fiz m……?????.
.
Se alguem ai souber como faço isso, por favor me instruam!
.
Muito grato !!
????????????

Last edited 3 anos atrás by Mk48
Camargoer

Ola Mk48. Achamos que tinha ocorrido um acidente como a carga do torpedo. Que bom tê-lo de volta.

Mk48

Olá Camargo.
.
Eu mesmo me auto-implodi!
.
Coisas de quem não possui muita prática com o google.
.
Obrigado pela lembrança.
.
Um abraço

carvalho2008

hummmm vai se sentir queridinho…sentiram falta….rzrzrzr….

Mk48

???????

Burgos

?
Quando eu for no RJ vou tomar uma cerveja na tua conta !!!?

Mk48

Grande Burgos.
.
Quando vier aqui, avise. Moro em Niterói. A cerveja é por minha conta.
.
meu email é fernando.costa@infolink.com.br.
.
Avisa qdo vier.
.
Abs!

Last edited 3 anos atrás by Mk48
Burgos

TMJ !!!?

Kemen

Que estranho…

Nonato

Um fato é que estamos quase sem escoltas. Novas temos que esperar as Tamandarés. Usadas bem conservadas e baratas parece que não há. Sugestão que muitos vão criticar. Por que não comprar dois navios mercantes usados, colocar um radar, 4 mísseis RBS 15, dois helicópteros em cada e passar 6 anos com cada um? Quanto custaria? 50 milhões de dólares ? Aaaahhh, mas sem compartimentos fica fácil de afundar. Uai, qualquer navio atingido por um míssil jestá com bem prejudicado. Melhor um navio quebra galho do que nenhum. As corvetas russas de 700 toneladas russas são em essência plataformas lançadoras… Read more »

Hcosta

É essa a sua definição de navio escolta?
E quantos exemplos no mundo tem de Marinhas que fazem isso?

Para quê comprar Guaranis ou aviões de caça? Compra-se um no mercado de usados, talvez um Cessna no caso de caças, e põe-se um míssil. (Ironia)

carvalho2008

termo escolta é um termo antigo….escolta de que? escolta de quem?

Velocidade? sem duvida é importante….mas caiu abruptamente no ranking de importancia com o advento de misseis…foi-se o tempo que voce tinha de ziguezaguear para dar olé em balas de canhão de 16 pol…

so dois elementos alavancam a guerra moderna hoje, o missil e o vetor aereo, quer seja asas rotativa ou fixa…drone ou não…

Tudo o que vá ao mar é para priorizar o suporte a estes elementos…na banheira, na balsa, na jangada, Corveta, Nae ou DDG 1000….

Dalton

Também não gosto do termo “escolta” Carvalho, assim como, acho ultrapassado “contratorpedeiro”, mas, não é um termo antigo e sim a maneira como a marinha brasileira classifica seus combatentes de superfície.
.
Até a década de 1990, se teve esquadrões para contratorpedeiros, fragatas e corvetas, mas, veio a padronização e surgiram os dois esquadrões de escoltas , o Primeiro constituído pelas fragatas classe Niterói e o Segundo constituído pelas fragatas Greenhalgh, contratorpedeiros Pará, dois deles retirados de serviço ainda em 2002 e corvetas Inhaúma.
.

Mk48

Prezado Dalton, bom dia.
.
Penso que hoje mais do que nunca a velocidade com que nós e as instituições (como a MB , por exemplo) são expostas ao impacto das novas tecnologias , torna muito difícil manter/estabelecer classificações outrora definidas.
.
No entanto creio que cabe as Marinhas cabe a palavra/definição final de como quer classificar seus meios navais.
.
É um assunto que dá margem a diversas interpretações, mas é como penso e interpreto pessoalmente.
.
Abs

Dalton

Sem dúvida “48” cada marinha é livre para escolher como deseja classificar seus meios e diante de navios com capacidades diferentes fragatas, corvetas, etc, e não dispondo de quantidade significativa, até fez sentido essa padronização, mas, ainda assim, como admirador de nossa marinha e propenso a dar “pitacos” aqui, minha preferência pessoal seria “combatente de superfície”.
.
E “contratorpedeiro” ainda era legal na época que existiam “torpedeiros”
aí os países de língua inglesa e espanhola se saíram melhor pois omitiram “Torpedo Boat” e “Buques Torpederos” ficando só com “Destroyer” e “Destructor”. 🙂
.
Abs

Camargoer

Olá Dalton. Pois é. Passei a usar o tempo “navios de combate” quando quero comentar sobre corvetas, fragatas, destroyers, etc. Ao menos, consigo fazer uma distinção entre eles e os navios de patrulha oceânica. A palavra “escolta” pelo menos é simples e genérica o suficiente para ser usada, mas insuficiente para cobrir todas as missões que um moderno navio de combate pode realizar

Dalton

Sem duvida Camargo e o sempre cortês Almirante Monteiro que há muito não comenta , concedeu que poderíamos informalmente aqui no blog chamar “escoltas” de “combatentes”.
.
E também dá para se ter “navios de combate” primários e secundários
ou “combatentes de superfície” grandes e pequenos como se faz na US Navy em que pese as futuras fragatas de 7000 toneladas farão companhia aos “LCSs” na categoria de pequenos.

Mk48

Oi Dalton, . O Almte. Monteiro e outros excelentes comentaristas que tínhamos aqui no blog (até o XO deixou de ser frequente ) perceberam que o PN já não é mais o mesmo que conhecemos há anos atrás. . É um blog aberto, que cresceu pela competência do Gakante, Nunão e do Poggio, mas esse crescimento teve como efeito colateral trazer gente que só quer tumultuar e lacrar, gente grossa, sem educação. . Não generalizo, ainda existe muita gente boa aqui e também gente nova querendo aprender . . No entanto a maioria aqui quer detratar, fazer graçinha sem a… Read more »

Camargoer

Caro Nonato. Você tem razão sobre a inexistência de navios de combate usados que poderiam ser comprados pela MB. Creio que isso não deve mudar tão cedo. Claro que isso pode acontecer, mas seria um evento de sorte. A MB não pode contar com ele. Sobre a adaptação dos navios mercantes para se tornarem plataformas de combate, isso seria parecido com aquelas caminhonetes Hilux com um canhão parafusado na carroceria, que a gente costuma ver nas fotos dos conflitos na África e no Oriente Médio. São excelentes para uma situação de combate limitado no qual os combatentes não têm acesso… Read more »

carvalho2008

Bem lembrado das caminhonetes…as famosas Toyotas que enfrentaram e enfrentam ate as forças regulares…..e como disse…ninguem tem medo da chapinha de aço de 1 mm da porta e capota….tem medo da torreta Zuck 23 mm da carroceria……do lança foguetes….do Canhão em recuo 106mm…tudo material vagabundo de 60 anos…..mas que se pega….vixe….e o pior é que tem pego muita coisa….

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

Mk48

??????

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

Vovozao

13/07/2021 – terça-feira, btarde, Mestre Carvalho, o exercito ….. isso mesmo … o exercito ESPANHOL… adquiriu um Ro-Ro, adaptou para transporte de equipamentos militares, com um reforco no piso, e, transporte de pessoal…. se não me engano batizaram de ISABEL, ficou bom, e, custou pouco. Porem, aqui a MB nao tem o costume de analisar estas adaptações; infelizmente, pois, temos alguns navios semi-construidos se estragando em alguns estaleiros falidos. Dizem que não podem pegar/adquirir devido problemas financeiros (dividas)….. deveriamos rever a lei…. preferem que estrague, e, nao aproveitam.

carvalho2008

Verdade, lembro que o Mestre Vovozão já havia alertado e este material passou sem notícia!!

carvalho2008

comment image
O Convertido RO-RO Espanhol Ysabel….só Brasil que é esperto….o tempo é uma delicia….torçam ou não o nariz, agora é realidade…sempre como deve ser quando as coisas esquentam….e a filosofia cede lugar ao pragmatismo…

carvalho2008

Material que o Mestre Vovosão havia localizado sobre ele no Site Defensa.com…
https://www.defensa.com/defensa-naval/mejores-imagenes-buque-transporte-logistico-ejercito-espanol

carvalho2008

comment image

carvalho2008
carvalho2008

O Bunga MAS foi uma conversãocomment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image
O Reliant, Atlantic Causeway, Astronomer

carvalho2008

comment image

carvalho2008

A PT PAL Indonesia tem a proposta de utilizar a planta do STAR 50…comment image

carvalho2008

Nesta planta convertida aqui…comment image
STAR 50 convertido. Esta planta mercante já tem uns 5 navios.

carvalho2008

comment image
Este navio era um cargueiro Ro-Ro Porta Container

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

Hcosta

Uma coisa são navios de apoio e/ou baseados em cascos civis, outra coisa é utilizar esses navios como corvetas ou fragatas.

carvalho2008

Pode ser qualquer coisa ou uma…..

A verdade é que a tecnologia evoluiu tanto…que aquele mercante lá de cima disparando o missil de cruzeiro, afunda qualquer fragata Sul Americana….como pode? Não tem algo errado?

Agora tenta colocar aqueles misseis nas Fragatas hoje em uso aqui….não cabe…não tem onde alocar….não tem espaço…

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

Hcosta

Na 2 guerra mundial os Alemães tinham navios, disfarçados como mercantes, armados para atacarem outros navios.

Mas nessas questões tem de ter em conta a defesa do navio que lança os misseis. Será como um submarino, assim que lançar um, torna-se uma presa. Em terra pode ser mais fácil de esconder, no mar fica difícil.

Nonato

É uma questão de ter ou não ter navios de guerra.
A China provavelmente usaria centenas de barcos de pesca disfarçados com radares, mísseis, lançadores de drones e minas.

carvalho2008

Já houve dissertações do Centros de Estudos Estrategicos da US Navy…..

Em caso de guerra e invasão de Taiwan, milhares de mercantes chineses serão empregados no desembarque de material e tropas…

Frequenemente falamos dos navios militares em lançamento, mas eles são apenas a espuma da onda….existe uma tsunami de navios civis que seriam empregados…

Nonato

A opção é não ter navio ou ter uma plataforma lançadora de mísseis.

carvalho2008

Se disparou então disparado está…e o ataque foi lançado por ele e o adversário que se defenda.

Outro erro no pensamento, é imaginar que atuam sozinhos e isolados…não seria assim…é uma frota…e ainda assim, com alguns navios puro sangue fragatas ou corvetas ao lado…

Porque sempre imaginam uma luta solitaria de galeões espanhois um contra o outro sempre? De onde tiram isto?

Uma frota…

Hcosta

Não, então são ataques suicidas.
E para que servem esses navios se vão ter outros navios a acompanhar e que fazem o mesmo? Só para terem misseis maiores?
Estamos a falar de navios civis com misseis, não navios de apoio como os que existem por todo o mundo.
Há um tempo apareceram conceitos dos Marines que utilizavam barcaças modulares em que punham artilharia e outros sistemas. Mas eram para cenários costeiros e fluviais.

carvalho2008

Não é suicida…o inimigo não teme o seu escudo, tema a espada que voce empunha… Se voce disparar primeiro voce tem a chance de vitoria ao seu lado… se voce dispara junto ao mesmo tempo, teria um empate tecnico…porém, uma vitoria material pelo custo benefício investido… Se é uma planta mais fragil de forma generica por um lado, ela por outro lado emprega seu porte e tamanho como defesa… Um exemplo.: Morreram menos marinheiros no ataque ao Conveyeor do que no HMS Shefield…a diferença de porte é um fator de sobrevivencia em si… Uma planta dual, pode prever algum percentual… Read more »

carvalho2008

comment image
Nivel I : Basic Mercante ( Navio Mercante )
Nível II : Basic Mercante + Armamento Modular + Instalações Modulares ( Navios desta planta requisitados do meio civil para Desembarque, NapaOc, Fragata Auxiliar, Cruzador Auxiliar)

carvalho2008

comment image
Nível III : Basic Mercante + Armamento Modular + Instalações orgânicas ( Navios efetivos de 2a. Linha da MB, já construídos desde o inicio para NapaOc, NapaOCEscola, Fragata Auxiliar, Cruzador Auxiliar )

No exemplo, navio com dois conjuntos de Club K totalizando 8 misseis, capacidade de 4 helis medios, RBS-70, 2 canhões duplo emprego, Bofors 40 mm, MK 110 57 mm, etc….

carvalho2008

comment image
Visão lateral Nivel III

Last edited 3 anos atrás by carvalho2008
carvalho2008

comment image
Nível IV : Basic Mercante + Armamento orgânico + Instalações orgânicas ( Navios efetivos da MB de 1a. linha, para Desembarque anfíbio, Fragatas e Cruzadores de Uso Geral

02 MK 110 57mm
60 VLS incorporados Organicamente ao casco
04 Helis Medios
02 Millenium 35 mm
02 Quad Mount .50 remotas

Nonato

Falou tudo. Esses navios militares tem muito mimimi. Custam uma fortuna e são cheios de restrições. Não pode isso, não pode aquilo . O que um navio de guerra precisa é de mísseis e radares que podem ir no helicóptero. Poderia até o comando ser um navio menor acompanhado por um ou dois navios mercantes entupidos de mísseis. Falaram das hilux . Por sinal são muito efetivas e bem armadas e fazem quase tudo que tanques fazem. Tanques que custam tipo 6 milhões de dólares e podem ser destruídos com relativa facilidade. Nao se trata do melhor ou pior. Trata-se… Read more »

Camargoer

Caro Nonato. Mencionei as Hilux armadas no contexto de um conflito de baixa intensidade, no qual uma das partes não tem acesso aos equipamentos militares por se tratar de combatentes irregulares. Hoje, o Brasil não está envolvido em um conflito de guerra total, no qual é necessário empregar todos os recursos disponíveis, inclusive improvisando material civil para ser empregado em combate. O país tem a oportunidade de reequipar a sua frota de superfície (já que a frota de submarinos está bem encaminhada) nos próximos dez anos com navios de combate modernos e construídos localmente. Eu concordo com você que o… Read more »

carvalho2008

Tudo nas devidas proporções….na medida que gaiolas, gauchos, e veiculos ATV da ARIS são usados em alta intensidade, as ditas gambiarras Toyota não podem de forma alguma serem desprezadas…os Exercitos regulares tem lugar para equipamentos assim mesmo na alta intensidade…o que eram ou ainda são os jipes com misseis TOW ou Kornet?

Camargoer

Caro Carvalho. Como você colocou, cada coisa tem o seu lugar e o seu valor tático. Eu posso estar errado, mas creio que os combatentes irregulares no Oriente Médio optariam por outro tipo de equipamento caso tivessem essa oportunidade.

carvalho2008

Mas…atingiu os objetivos..? desejo todos temos…

Hcosta

Muita confusão.
A partir do momento que equivale uma Hilux a um MBT não dá para continuar.

carvalho2008

jamais se equiparam, mas podemos baixar a regua mais ainda….com as equipes de infantes com misseis anti carro….calma que tudo tem lugar, até os exageros, mas todos são reais…

Hcosta

E os sistemas de armas, radares incluído entre muitas outras coisas, são muitas vezes o que custa mais.
O casco é o mais barato.

Camargoer

Olá Hcosta. Creio que você tem razão. O risco de adaptar um casco civil para montar um sistema de armas/sensores seria do desempenho apresentar uma eficiência inferior ao da capacidade das armas/sensores.

carvalho2008

Depende…como irá empregar e usar… Do ponto de vista de doutrina, ele é um multiplicar, uma balsa do seculo 21, um bagageiro ao navio de primeira linha que esteja capitaneando a task….e como dei no exemplo, uma corveta ou fragata e será a capitanea da task…digo task, task…task é diferente de Frota…task é um destaque da Frota quando ela avança ou flanquea em missão…neste contexto, não se vislumbra por exemplo a redundancia de estações de combate necessariamente, embora possa haver. Voce pode desde não ter a estação ou ainda possuir estações simples….depende da missão ou configuração que voce desejar dar… Read more »

Camargoer

Olá Carvalho. Estou restringindo a análise ao contexto atual da MB. Neste momento, a MB desenvolve um programa nacional de construção de fragatas, que acredito se tornarão a espinha dorsal da frota de superfície de modo similar ao que foram as Niterói. Talvez neste momento, o foco deve ser a aquisição das FCT e até garantir um segundo lote. O uso de “cascos civis” armados serve como plataformas auxiliares aos navios de combate, contudo eu não consigo ver um cenário tático no qual estas plataformas seriam usada pela MB para a proteção do Atlântico Sul. Eu concordo plenamente que OPV… Read more »

carvalho2008

Yes….mas vai uma pergunta de Guerra em redes…… Dado 2 tasks em curso de interceptação reciproca….. a) Task Ortodoxa, com 3 Fragatas do mesmo modelo+1 Heli cada; b) Task Heterodoxa, com 1 fragata (c/Heli) + 2 Auxiliares Com misseis e 4 helis cada; Pergunta 1) A Task “a” terá vantagem de interceptação e identificação sobre a task “b” por possuir 3 estações de combate ou seriam redundancia? Pergunta 2) A Task “b” terá mais chances de identificar e lançar ataque aereo antecipadamente a etapa de atrito de superfície por possuir vantagem do dobro de helis embarcados? Pergunta 3) A hipótese… Read more »

Hcosta

1- A task A teria muita maior vantagem porque podem aumentar muito raio de cobertura ao afastarem-se e se for preciso haver uma cobertura simultânea. 2- Não, porque como só há uma fragata para os proteger, têm que estarem todos juntos o que limita o seu raio de ação, ou seja, na prática só há um raio de busca apesar de haver 2 auxiliares. Na A cada fragata pode separar-se e fazer a sua busca. 3- Sim, muitos navios de apoio têm CIWS e outros sistemas de curto alcance mas nunca estão sozinhos. E lembro que as ameaças são aéreas,… Read more »

carvalho2008

Mestre, 1 Se os navios grupo A estiverem afastados, não poderão agir como TASK. A formação é de poucas milhas de separação um do outro…O amigo desconsiderou ainda sobre o grupo B, que ele poderá atuar quase como um MINI CAM controle de Area Maritima, uma vez que contabiliza 9 Helicopteros. A identficação seria realizada com muita antecipação. 2 Aqui tambem incorre no erro do item anterior. As Tasks sempre assumem formação pois até mesmo os elementos de CIWS podem laborar de forma comum ao grupo. Quando separados, os sistemas curtos e medios perdem efeito de grupo. Ainda sobre eventual… Read more »

Hcosta

As formações são para fotografias, normalmente tem navios mais afastados para cobrir mais aérea. Por haver o horizonte e para dar mais tempo de reação. Quer utilizar os helicópteros como radares? Isso resulta para navios de superfície mas não resulta para aviões e submarinos. Continua a precisar de navios para cobrir uma maior área e proteger os helis. E será pouco produtivo ter helis constantemente a fazerem buscas com sonar embarcado. Por algum motivo nas task forces os helis anti submarino vão nas fragatas. E com uma formação tão compacta e cobertura tão dependente dos helis haverá uma maior carga… Read more »

carvalho2008

Mestre HCosta, é exatamente isto. Sim, é calcado nos meios aereos Helis e Misseis…. Se o amigo trouxe a baila Submarinos e aviões tentando agregar a TASK A, é porque os Helis da TASK “B” atingem seu objetivo. Eles desequilibram totalmente a arena. Não há hipotese provavel de TASK “A” identificar o inimigo primeiro e assim será atacada primeiro a uma distancia muito maior pelos Helis e em segunda instancia uma vez identificados pelos misseis de superfície. Haveria ainda a dificuldade da TASK A de revidar sem saber a origem. A TASK “A” afastar seus meios não é uma eficiencia,… Read more »

carvalho2008
carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

Nonato

Carvalho são projetos seus?

carvalho2008

sim

carvalho2008

dois containeres conferindo 08 misseis de 300 km de alcance…

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

Mk48

Off – Ontem foi realizada a cerimônia alusiva a comemoração de 107 anos de criação da Força de Submarinos da MB.
.
O link abaixo contem a cerimônia em si e também imagens raras de operações dos nossos submarinos. Mostra também o trabalho dos megulhadores de combate e de exercícios de salvamento submarino realizados pela nossa MB.
.
https://youtu.be/0uTvC1lJAW4
.
Destaco duas informações importantes :
.
1 – O comando da ForSub foi transferido para a base em Itaguaí ;
.
2 – O S40 Riachuelo será transferido para o setor operacional em Dezembro.
.
Abs

Last edited 3 anos atrás by Mk48
Camargoer

Olá Mk48. Excelente noticia sobre o S40 e sobre a transferência do comando para Itaguaí.

Esteves

Ufa. Notícia boa.

Piassarollo

Boas notícias! Bem vindo de volta amigo submarinista.

Mk48

Obrigado amigo Piassa!
.
Abs

Salomon

Senhores, de nada adianta usar argumentos lógicos, como o desgaste do meio e outros semelhantes, porque as decisões envolvem outro tipo de visão. De que outra forma se explicaria o tanto de dentistas, protéticos, garçons, motoristas, taifeiros, arrumadores de casas, jardineiros e o maravilhoso e útil Centro Cultural da Marinha, comprado num dos melhores e caros endereços de Sampa, parado há muito tempo?
Se esse padrão vencer, pode contar com Espero, Iwo Jima, Carvajal, Invincible, e até modernização e reparo do Tonelero, afundado num evento jogado para debaixo do tapete desde 2000.

Camargoer

Ola Salomon. Creio que precisamos quantificar o custo deste corpo auxiliar médico nas despesas da MB. Acho que a gente já avançou bastante na discussão sobre vários temas, inclusive sobre o tamanho dos efetivos da forças armadas. Contudo, qual o número de oficiais da saúde? Quanto isso significa no total da força? Caso todos estes cargos fossem extintos, isso significaria algum alívio ou o valor é irrelevante no montante total? Acho que já podemos dar um importante passo nessa discussão. O que acha?

Camargoer

Olá Esteves. O problema destas páginas continua sendo a ausência de informações públicas sobre seu tamanho e custo. Talvez seja a caixa verde-oliva que precisa ser aberta. É preciso saber quanto do sistema de saúde dos militares é financiado com recursos do SUS. Eu ainda não entrei no mérito se o sistema deve ser defendido ou desmantelado porque eu nem sei o quanto ele custa, nem sei o seu tamanho.

Esteves

Penso que esses sistemas de saúde, moradia, assistências, ficaram tão grandes que ninguém sabe.

Last edited 3 anos atrás by Esteves
Camargoer

Olá Esteves. Talvez a gente precise de uma CPI da saúde militar…

Esteves

Vai que ficam em silêncio…

Camargoer.

Olá Esteves. Não faz diferença. O importante é o acesso aos documentos. O risco seria tocarem fogo no prédio ou sumir com o HD.

Esteves

Mais fácil tacarem fogo no HD e sumirem com o prédio.

Camargoer

Olá Esteves. “experimento Filadélfia”

Salomon

Prezado Camargoer: em minha opinião trata-se de um todo, onde entram também esses funcionários. Tenho alguma experiência.E afirmo que os gastos são enormes. Não esqueça que uma pessoa que entrou em 2021 impactará o estado brasileiro, teoricamente, até 2081 ou mais. Nós ainda pagamos pensões da Guerra do Paraguai, como deve saber. Poder-se-ia manter um núcleo estratégico, treinado em Acisos (não sei se ainda se fala assim) que seria aumentado ou não em caso de necessidade, terceirizando-se essas atividades meio com uma economia bem grande. Mas não me referi apenas a isso. Veja o caso citado, de uma mansão na… Read more »

Camargoer

Olá Salomon. Eu concordo muito com você. Eu também acho um equívoco urbanístico localizar órgãos públicos em endereços valorizados, enquanto que nas áreas centrais, melhor localizadas por meios de transporte, existem imóveis abandonados que poderiam ser recuperados, resultando na revitalização destas áreas degradas. Sobre os serviços de saúde das forças armadas, assim como outros problemas, a gente já avançou muito na discussão qualitativa. Precisamos avançar agora no debate quantitativo. Quanto custam dentro do orçamento militar? Qual a quantidade de militares efetivos envolvidos nestes setores? Quanto isso representa no orçamento? Precisamos avançar nestas questões. Um outro aspecto importante é saber quanto… Read more »

Mk48

Prezado, a resposta é simples.
.
Em caso de guerra ou qq conflito armado, os médicos da Unimed, Sul América ou Bradesco Saúde iriam para a linha de frente ?

Henrique

E o efetivo de médicos das FFAA apenas atendem aos militares em caso de combate ou seus parentes em tempo de paz? Onde está a isonomia quando leitos livres são exclusivos de militares enquanto civis morrem sem leitos? Não amigo, o pessoal militar está muito errado, a CPI está mostrando o quanto.

Mk48

Amigo,
.
Se tem militar da ativa envolvido em falcatrua, seja de que espécie for, cana nele.

Mas penso que você está misturando os assuntos.
.
Abs

Camargoer

Caro Mk48. Um militar, um civil, um político, um empresário, um juiz… quem comete crime é bandido. Concordo com você completamente.

Salomon

Caro “Torpedo”, se me permite a intimidade. A resposta é sim. Até porque, sem falar em convocação pura e simples, muitos deles fizeram serviço militar como oficiais, permancendo na reserva não remunerada. Tenho ex-alunos nessa condição das 3 Forças.

Mk48

Prezado Salomon,
.
Acho que eu, você , o Camargo, todos aqui concordamos que seja militar, civil, enfim qualquer um que cometa algum crime , deveria ser punido e pagar pelo que fez.
.
Eu citei militar da ativa porque aí entra a Justiça Militar, que também deveria dar o exemplo, mas……..basta pesquisar rapidamente e vai ver que praticamente não houveram punições nos últimos 20 anos.
.
P.S. – A turma aqui me chama de torpedo mesmo…rsrsrs
.
Abs

Camargoer

Olá Mk48. Creio que se um militar cometer crime que não atente contra a disciplina e hierarquia, ele será julgado pela justiça civil. Claro que isso vai depender do entendimento do juiz.

Esteves

“Ro-Ro é a sigla utilizada para definir os navioscargueiros Roll on-Roll off. … Uma definição mais acurada seria navio de “carga rolante”, ou seja, aquela que embarca e desembarca do navio rolando, seja em cima de suas próprias rodas (ou lagartas), seja em cima de um equipamento específico para isso.” Ok. Bastante prático se a MB tivesse os vetores/veículos lançadores de mísseis para embarcar. E os mísseis. E os sistemas. E o domínio. Mudanças. Mudanças necessárias nas doutrinas, nas operações logísticas, no aprestamento, nos exercícios. Incremento de rotinas, fainas, tripulações. Mestre Carvalho tem sido o maior defensor dessa mudança. Trocariam o tempo de décadas pelo tempo… Read more »

Last edited 3 anos atrás by Esteves
Bardini

Não sei pq a discussão descambou para Ro-Ro… mas: . Ro-Ro em marinha é coisa mais velha que andar pra frente. Solução barata para fazer 1.001 coisas e blábláblá. . Nós já treinamos mobilização com isso aí no EB: https://www.forte.jor.br/2018/08/27/15a-bda-inf-mec-testa-modais-de-transporte-na-operacao-atlantico-v/ . O que nós precisamos é menos viagem a maionese e mais coisa prática, no mundo real. O que dá pra fazer e é facílimo de justificar e financiar, é um bom projeto de Ro-Ro ou até Ro-Pax de bandeira nacional alocado a marinha mercante. Isso, usando o tal do mítico fundo da marinha mercante. Banca a construção de alguns… Read more »

Last edited 3 anos atrás by Bardini
carvalho2008

Estamos quase concordando em 100%… Faltam apenas algumas costuras…. a) O Brasil, quer seja navio grande ou pequeno, não tem nenhum de bandeira nacional…e aquilo que não for nacional, não poderá ser requisitado ou fretado em caso de guerra…Sinamob não se aplica a navio mercante estrangeiro…dificilmente um fretador estrangeiro irá fretar a MB numa crise contra reais forças que possam nos ameaçar; b) Como o Sinamob não se aplica a navio estrangeiro é necessário fomentar que estes modelos “projetados” tenham estimulo a fretadores e armadores nacionais inclusive, talvez uma hipotética RFA Brasileira ( Tristemente o Sinamob somente possui mapeados alguns… Read more »

Esteves

Mestre,

O que o Sinamob tem com essa visão?

“A legislação que criou o SINAMOB prevê medidas emergenciais para aparelhar o sistema de defesa do país em possíveis situações de desastres naturais, além de agressões externas.”

Uma mobilização à partir de algo que nunca foi feito? A Marinha operar meios dual que de tempos em tempos são mercantes seria uma grande quebra de conceitos. Mas, teriam que ser exercitados para Estarem aprestados em caso de agressão. Isso inclui ter a disponibilidade imediata.

Ou não?

carvalho2008

Ele preve as estratégias e meios de mobilização de recursos de guerra, militares e civis. Alguns tankeiros por exemplo encomendados pela Petrobras, tiveream algum grau de requisitos de MB. Não sei de cabeça quais são. Mas quando li, vi que eram bem poucos e não ficaria surpreso de uma ou duas unidades apenas. O problema, é que sequer fabricamos produtos navais de outras caracteristicas….depois da quebra naval dos anos Collor, tudo o que se tem é apenas OFF Shore, petroleiro e graneleiro/minerio…. Eu nunca defendo uma bala de prata… Veja que eu sempre persisto em: a) Estimular cascos dual de… Read more »

Esteves

”Neste sentido, cresce de importância para a Nação brasileira a mobilização dos seus recursos materiais e humanos para a defesa de sua integridade territorial, de seus recursos naturais e em atendimento a calamidades públicas e catástrofes naturais.”

Sim. O problema é que esses recursos materiais não existem. Primeiro e antes do SIMOMAR teríamos que fazer esses recursos Estarem ao alcance.

Ok, Mestre vai nessa linha. Abrir uma estatal para construir esse modelo. Poderia ser a própria Emgepron. Os estaleiros temos sem encomendas.

Esteves

A Marinha Mercante opera navios como afretadora. Teriam que mudar isso também.

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

comment image

carvalho2008

Um Navio Aerodromo Mercante todo em kits….o exemplo em tela tem 270 metros…com umas 45 mil toneladas aproximadamente….nada tão absurdamente diferente do exemplo logo mais acima do Ysabel Espanhol em que mencionei o Mestre Vovozão.

Configuração em kits Stobar, com cabos de parada e Ski Jump…lembrando que é plenamente possivel uma catapulta auxiliar empregando Turbinas F414, tal qual o sistema SATS dos Mariners empregados com exito em Chu Lai…comment image

carvalho2008

comment image
A catapulta CE-2 criada pelos Mariners no sistema SATS ( Short Airfield Tactical Support) para possibilitar uma pista de decolagem de 600 pés, usava uma Turbina J79 que injetava pressão numa bomba centrifuga que girava o carretel de cabo de aço que rebocava o engate atrelado ao caça.

Podia impulsionar 22 ton a 180 knots….o sistema permitia acoplar inclusive uma segunda turbina.

carvalho2008

comment image
Cabos de parada eram instalados e todo o processo era baseado em um modo de operação similar ao embarcado em navios aerodromos.

A doutrina e projeto visava terraplanar uma floresta, instalar pisos metalicos de aluminio, instalar a catapulta e cabos de parada e tornar a pista de pousos e decolagens operacional em 72 horas….

carvalho2008
carvalho2008

O maquinario e turbinas da catapulta poderiam ficar no vão abaixo da Ski jump, lembrando que a catapulta somente seria necessaria nas operações com peso maximo de decolagem, o que é a menor quantidade de missões de decolagens.comment image

Hcosta

Falta aí muita coisa, a eletrónica, geração de eletricidade, água, depósito de combustível e de munições, reforçados, elevadores de diversos tipos, sistemas de combate à incêndios, convés blindado, etc…
Estudos anteriores demonstraram ficar mais barato construir um de raiz do que converter um porta contentores.

carvalho2008

Otima lembrança: Eletronica >>> Qual é a eletronica que torna válida a Tatica de Dispersão de Aviões em Rodovias? É possível Equivaler? Sim!! Afinal não haveria uma Fragata ou Corveta ali colada a nele ali na formação da Frota? Quem assume a cobertura de sistemas de Controle aereo é a escolta. Não o ideal mas totalmente possivel. Ele não tem de ser o capitanea…ele está lá escoltar e dar cobertura aerea aos navios e não o contrário…ele é apenas a pista de concreto decolagens em mar. Geração de Energia>>> OK, sim e não…estamso então falando de geradores? Os elementos brutos?… Read more »