sexta-feira, dezembro 3, 2021

Saab Naval

China interessada no helicóptero de ataque russo Ka-52 para equipar os navios Type 075

Destaques

Alexandre Galante
Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

O canal de notícias CCTV da China recentemente enviou um repórter para visitar a fábrica de helicópteros de ataque Ka-52 Alligator na Rússia para fornecer uma reportagem detalhada sobre o desempenho do helicóptero, que foi descrito como “um dos helicópteros de combate mais avançados do mundo” .

Quase ao mesmo tempo, a Phoenix TV de Hong Kong também entrevistou o diretor de vendas do helicóptero Ka-52.

Isso é instigante, e alguns especularam que a China fez um pedido enorme de helicópteros Ka-52 para os navios de assalto anfíbio Type 075 (LHD).

O primeiro navio de assalto anfíbio Type 075 em serviço está equipado apenas com helicópteros de transporte médio Z-8. E mesmo que o suposto Z-20 também esteja a bordo, o poder de ataque do navio está longe de ser adequado.

E limitado pela falta de potência do motor, o único helicóptero WZ-10 produzido internamente na China enfrentará uma séria falta de alcance se estiver a bordo. Como visto na reportagem, o WZ-10 carrega apenas dois tanques de combustível secundários e dois casulos de 7 foguetes quando decola e pousa do navio.

Segundo rumores, o helicóptero WZ-10 adotou uma versão melhorada dos motores WZ9 Turboshaft com uma potência máxima de 1200 kW, em comparação com os 957 KW do WZ9 normal, mas ainda muito inferior aos 1638 KW do motor do AH-1Z americano.

A potência do motor do Ka-52KM atingiu 1629KW, o mesmo nível do AH-1Z, sua capacidade de combustível é de 1.360 litros, enquanto o AH-1Z é de apenas 758 litros. E a mídia russa informou que o raio de combate do Ka-52KM chega a 250 km e seu alcance máximo é de 1.200 km, o que o AH-1Z não pode se comparar.

Se a China comprar os helicópteros Ka-52 para seus navios de assalto anfíbios Type 075, eles serão integrados às armas domésticas da China e à cadeia de dados no topo dos atuais aviônicos aprimorados do Ka-52.

O segundo e o terceiro navios de assalto anfíbio Type 075 da China serão comissionados dentro de seis meses.

FONTE: china-arms.com

- Advertisement -

72 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
72 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings

Será que a China vai usar esses helicópteros para ‘retomar’ Vladivostok?
kkkkkk

Brincadeiras à parte, é cada vez maior a interação Rússia x China.
Essa dobradinha vai longe.

Ypojucan

Sempre que alguém fala isso, da China invadir a Russia e retomar ou tomar alguma parte da mesma, não consigo conter a risada! Mesma a China sendo cada vez mais forte, economicamente, politicamente e militarmente, nunca e digo claramente, nunca alguém seria estúpido de invadir uma nação com mais de 4.000 ogivas nucleares e todos os meios necessários para lançá-las! Se a China fizer isso, será ao custo de ter as principais cidades chinesas transformadas em cinzas. Na verdade China e Russia se integram cada vez mais no sentido de complementariedade econômica, política e militar. Também é verdade que a… Read more »

Antoniokings

Ypojucan

Se o Mundo fosse rever e reverter todas as questões territoriais, os EUA voltariam a ser as 13 Colônias e eu perderia minha casa para alguma tribo guarani.
Pessoal viaja na maionese com essa história de Vladivostok sem saber que a integração Rússia x China vai de vento em popa.
Acabei de ler que os dois países aboliram o uso do dólar em suas transações de petróleo (que são gigantescas) e vão usar apenas rublo e yuan.
Essa dupla vai longe e ninguém vai segurar.

MCruel

Kings subindo nível dos comentários. Nesse, dei até um like!! Continue assim, com comentários racionais e coerentes, pois é importante alguém que divirja da maioria, para que o debate se estabeleça em bom nível.

Last edited 2 meses atrás by MCruel
Teropode

E a Rússia teria o tamanho do Espírito santo , ficaria ali 👉 apertadinha entre Polônia e Ucrânia .

Pedro

Eu entendo que vai por essa simbiose mesmo. Pelo menos a curto e médio prazo. Nostradamus acertou quando falou da Eurásia! O Mundo ruma a orientalização.

Hélio

A relação entre China e Rússia vai ser igual a dos EUA com a Inglaterra no final das contas.

Alex Barreto Cypriano

Não vai longe, não. Ambos querem a Europa, cada um por seus próprios motivos. Adivinha o que vai acontecer? E a América? Está em processo de desativação imperial pra dar vez ao seguinte na fila, se o mundo não acabar antes…

Pedro

Explica mais por favor.

Saldanha da Gama

Boa tarde kings, acho que vai usar os helis para ctrl c, depois ctrl v… Abração

Antoniokings

Pode ser.
Mas, grande parte da ciência avançou assim.
Vc parte de onde o chegou e avança.

SDS tricolores.

Saldanha da Gama

Sim, não acho demérito não, muito pelo contrário, se copiou e fez melhor ou igual, é mérito…. Abração st4

Antoniokings

E depois, ainda vem pela metade do preço.

SDS

Angelo

Gerando emprego renda , desenvolvimento e exportação.
Mas esse KA52 estava previsto na antiga licitação do exército que queria uma aeronave mas ” cascuda” do que o MI-35.Era um dos concorrentes.

J R

Acredito que não, os Russos pelo jeito aprenderam com a bolada que levaram com a venda do Su-30, agora suas vendas estão amarradas com contratos bem elaborados, foi assim com o Su-35.

Sandino

A Russia pode até vender, mas não passará de um único lote. Assim que a China por as mãos em um único aparelho, rapidamente reproduzirá o seu motor, e outras estruturas via engenharia reversa e construirá a sua versão doméstica do mesmo.

Adriano Madureira

O Z-10 é um belo helicóptero, não conhecia essa deficiência deles…
comment image
comment image

O interessante é que ele foi desenhado pelo bureau Kamov…

Cristiano de Aquino Campos

Eu pensei que o z-10 fosse um helicóptero de ataque leve, da classe do mangusta. O k-52 já seriam helicópteros pesados, da categoria dos Apache e MI-28.

Adriano Madureira

Um cliente de peso para Moscou,que além de já ter o Egito,terá a china com seus quatro LHD equipados com kamov.

comment image
comment image

Alex Barreto Cypriano

Os anfíbios egípcios, de fitura francesa, só não são russos (que especificaram algumas mudanças no design original) por causa da aventura na Criméia. Ninguém perdeu, mas a Rússia (que foi reembolsada dos adiantamentos) ganhou mais emplacando os Kamovs pros egípcios mistralizados.

Adriano Madureira

Acredito que eles ganharam muito devido ao câmbio, pagaram um bilhão de euros e uns quebrados em 2011, então após entrarem em conflito devido a suspenção da entrega, o documento, o acordo para resolução de divergências foi assinado em Moscou, em 5 de agosto de 2015.



Plinio Carvalho

Nessa foto tive a impressão que o ka 52 pode levar mais armas que o apache, isso procede ou é só impressão?

Adriano Madureira

essa daqui é uma foto do apache e do kamov full…

comment image

comment image

Carlos Alberto Soares

Haverá mais uma cópia.

Adriano Madureira

Bom para eles que tem grana para copiar, mas até para copiar tem que ser competente…

Pablo

Para copiar tem ter grana e competência, pra fazer um projeto próprio do “zero”, tem que ter mais competência!

MCruel

As pessoas esqueceram ou não sabem, mas o Japão já foi um grande copiador. Década atrás, produtos japoneses, principalmente eletrônicos, não eram bons. Mas os japoneses aprenderem, e tivemos boas marcas como Aiwa e Sony conquistando o mundo. Eu imagino que o mesmo ocorre com a China. Não vão ser meros copiadores o tempo todo, um dia aprendem e melhoram. Aguardem.

Antoniokings

Eu sou do tempo em que TV boa era Telefunken. Presenciei a subida e ‘queda’ da indústria japonesa no setor. Evidentemente, também a ascensão e atual ‘estagnação’ da coreana. E agora a subida meteórica chinesa. O único ‘problema’ é a escala com que isso está acontecendo. Em termos gerais, a indústria chinesa chegou a 31,3% de participação mundial em 2020 sendo que era 29,67% em 2019. EUA foram de 16,31% para 15,9%, Japão de 7,01% para 6,6% e Alemanha de 5,42% para 4,6%. Como se vê, a escala da produção industrial chinesa é gigantesca. Já é maior que a das… Read more »

MCruel

Kings, fui em uma loja com minha esposa comprar uma AirFryer. Ela toda preocupada:”ai… será que essa marca é boa? Essa marca aqui é melhor que a outra?”. Eu só respondi: “escolhe qualquer uma…é tudo feito na China, se bobear, na mesma fábrica!” Ela olhou as etiquetas e dito e feito… todas chinesas… A realidade está aí, goste você ou não, a China domina o mercado global.

Fernando Veiria

E vimos que Lev Andropov estava certo, só trocando Taiwan por China.

Adriano Madureira

“Componentes russos,componentes americanos,tudo made in Taiwan”…

Cristiano GR

Aiwa e Sony?
Esqueceu da Toyota?
E o que dizer das fabulosas Honda, Yamaha, Suzuki e Kawasaki? Os motores nauticos da Yamaha?

Adriano Madureira

aiwa era uma marca boa…

Adriano Madureira

Quando o “cara” tem a carteira funda e pode-se dar ao luxo de adquirir algumas unidades de um helicóptero de ataque, aí é outra coisa…

Mas quando se é quebrado e não tem a carteira gorda, até para adquirir 12 AH-1W é um tremendo sufoco.

O melhor tipo de “carro” é o “carro” novo !

Até o momento os chineses tem três type 075 de oito planejados, cada um pode levar trinta helicópteros de combate, a kamov poderá fazer um bom dinheiro…

comment image

Foxtrot

2 esquadrões deste equipamento na MB seria muito bem vindo.
8 unidades no Atlântico e 8 no Bahia (com 8 unidades em reserva estratégica).
Mas para qualquer equipamento que se possa escolher para as FAAs nacionais, tem que se pensar em sistemas de armas nacionais para equipa-los.
Parabéns China !

Adriano Madureira

Se for uma compra pensando em equipar a frotilha de type 075,será uma puta aquisição, afinal serão oito LHDs …

Leandro Costa

Acho que seria péssima opção. Podemos armar os Lynx com uma vasta gama de armamentos sem necessidade de outro helicóptero e de logística complicada.

Foxtrot

Em partes concordo com você.
O que precisamos é de um único modelo de helicóptero de ataque para as FAAs e sistemas de armas nacionais.
O problema do Linx (mesmo eu gostando muito do modelo) é que saiu de fabricação e operação em outros países o que dificulta a logística, além do pequeno número operado pela MB.

Heinz Guderian

Na minha opinião o helicóptero de ataque do Brasil é pra ser o AH 1Z VIPER, ele pode ser utilizado tanto no EB, quanto na Marinha.
Sem contar que já estamos acostumados a operar sistemas ocidentais.
Outra possibilidade seria o  t129 atak, mas não sei se esse opera em porta helicópteros.
Estou falando com base em logística e tudo mais.
Obviamente que o Ka-52 é um monstro e uma máquina extraordinária.

Adriano Madureira

Bem,o AW-129 tem uma versão naval, não sei os turcos…

Rafael Gustavo de Oliveira

Amigo Foxtrot, como o Leandro Costa já comentou O mais próximo de um helicóptero para ataque seria a MB equipar os Linx… Em uma entrevista recente com o comandante da força aeronaval a MB estaria interessada em adquirir misseis ar-superfície para eles (canal do Caiafa), e dentro das possibilidade de aquisição estão o Spike Nlos e o Sea Venon, sendo esse primeiro tendo a vantagem de engajar alvos também em terra, além de ser mais barato. Acredito que a aquisição de um helicóptero de ataque não seria interessante no momento, visto que o leque de missões deles é pequeno e… Read more »

Foxtrot

Amigo Rafael, eu já acharia mais vantajoso para o Brasil como um todo (em se falando de ganhos estratégicos, técnicos etc), a ressuscitação do projeto Fog MPM da Avibras. Porém uma versão MK2 com guiamento autônomo (devido as capacidades adquiridas pela Avibras em navegação e controle nos projetos MT-300, Falcão etc), câmera multi espectral e sistema redundante de guiagem final por laser/IR. Esse míssil teria grande valia para as 4 forças (considerando o CFN como força independente). O prazo de desenvolvimento seria curto, já que toda a mecânica, cálculos, física etc do míssil já está pronta e testada, já tendo… Read more »

Matheus S

São apenas rumores.

Adriano Madureira

[Foxtrot]

“2 esquadrões deste equipamento na MB seria muito bem vindo.
8 unidades no Atlântico e 8 no Bahia (com 8 unidades em reserva estratégica)”.

Sonhar ainda é gratis caro Foxtrot, mas duvido muito de algum dia o Brasil adquirir armamentos russos desse tamanho, no máximo portáteis como o Igla-S e olhe lá…

Se tivéssemos uma interação maior com os russos como um parceiro militar, certamente poderíamos comprar até em Rublos, como alguns parceiros russos já fizeram.

Last edited 2 meses atrás by Adriano Madureira
Pablo

Se a fab ja ta sofrendo com apenas 12 sabres, nem quero imaginar com um arsenal russo maior.

Cristiano de Aquino Campos

Já pensou que sofre por ser apenas 12? Se a quantidade for maior, duvido dele não darem um apoio técnico melhor. Aliás, convém lembrar que a compra desses 12 sabres não foi uma compra direta da Russia.

Pablo

Apoio tecnico da Rússia é duvidoso.

Hcosta

Peças do Kamov’s Portugueses já estavam a serem vendidas na Rússia. Parece que os mecânicos russos fizeram algumas subtrações ao inventário.

Foxtrot

“Sonhar ainda é gratis caro Foxtrot, mas duvido muito de algum dia o Brasil adquirir armamentos russos desse tamanho, no máximo portáteis como o Igla-S e olhe lá…”
Exatamente caro Adriano, ainda mais hoje em dia.
Mas uma ala aérea de helicópteros de ataque, indiferente da nacionalidade seria muito bem vindo para porta helicópteros “desdentados”.
Mas graças a nossa marxismo fobia,perdemos ótimas oportunidades !

Cristiano GR

Marxismo fobia ótimo.

Bardini

Blábláblá de Ka-52KM na MB… . Não temos dinheiro sobrando no orçamento nem para comprar Navio Patrulha, quem dera novas Fragatas e ainda tem gente vivendo em uma realidade paralela, sonhando com essas bombas russas para operar em navio que já deveríamos estar pensando em como vamos arranjar e bancar um substituto. Já passou da hora de acordar. E parece até que não acompanham a novela chamada Mi-35 e o inferno que a FAB passa na mão dos russos. . E o pior de tudo: nós já gastamos uma grana gigantesca para ter a principal capacidade que um Ka-52 entregaria… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Bardini
Foxtrot

Senta que lá vem história.
E história sem embasamento algum.
Nem vou perder o tempo em ler, porque sei que só vai vim Mer&$#@da.

Foxtrot

“E o pior de tudo: nós já gastamos uma grana gigantesca para ter a principal capacidade que um Ka-52 entregaria a MB: radar + míssil antinavio.”
Pior que os KH-52 oferecem além do binômio míssil ante navio e radar, opção ar/solo em apoio ao CFN com foguetes mísseis ar/solo e até bombas.
Mas o “gênio” estrategista aí, não sabe disso.
Como disse só escreve mer$#@&da !

Bardini

Criança birrenta. 2+2 básico: quem precisa e pode justificar gasto com um helicóptero voltado a cumprir missões de escolta, ataque ao solo, CAS e afins, é o EB. Existe planejamento além da mera intenção. Se o EB tiver um helicóptero de ataque, qual seria o impedimento para que no futuro, com a expansão dos trabalhos de integração entre as forças, passarem a embarcar essas aeronaves do EB para cumprir missão em apoio ao CFN, assim como França, UK, Austrália já fazem? A MB tem outras prioridades e muito pouco dinheiro. Agora, leia a minha última frase, do comentário anterior. .… Read more »

Foxtrot

Crescente interação de forças no Brasil? Deve estar de brincadeira.
Sabe que aqui não há integração de nada.
Olha o último treinamento conjunto, porquê a FAB não embarcou os AH Sabres?
Porquê o EB e MB não enviaram pilotos para treinamento no esquadrão Hórus da FAB (sabe-se que a MB planeja embarcar Drones e o EB operar um para busca de alvos etc) l.
Me poupe de suas bobeiras Lesardine.
Acorda, estamos no Brasil e nada aqui tem integração, nem os rádios operados pelas forças são os mesmo !

Rafael Gustavo de Oliveira

Amigo Bardini, para apoio ao CFN se a MB tivesse investido um pouco mais e comprado o H145 ao invés do H135, poderíamos ter equipado ele com a suíte de armamento HForce da Airbus, então o que restou como solução mais próxima a curto prazo seria adquirir o Spike Nlos para os Lynx…Mas a longo prazo a necessidade de uma aeronave multifunção pequena/médio porte padrão para as 3 forças igual fizemos com H-225, seria interessante vc não acha?

Como vc mesmo disse, necessita de planejamento…..uma hora teremos que aposentar aqueles, Esquilos, Panteras, Jet Ranger, Linces, etc….

Abraço

H145-Hforce.png
Bardini

H135 foi compra de oportunidade. . O kit HForce desse H145 da sua imagem pode ser aplicado aos H225M da MB. Basta colocar mais grana encima. Existe justificativa para esse gasto? .?wid=1000&qlt=85,0 . O CFN precisa de muito apoio via helicóptero de ataque na cabeça de muita gente… Não consigo entender essa gana que o pessoal que comenta aqui tem por querer projetar poder sobre terra, quando nem o básico do básico se faz direito. No mais, no mundo real, eles não tem condições nem de trocar os SK-105 ou comprar mais do que um punhado mixuruca de um 4×4… Read more »

Carlos Campos

Traduzindo “China quer fazer engenharia reversa nos motores do Ka 52″….. já fizeram nos motores de caça, agora falta nos helicópteros, bom errado eles não estão, mas é interessante essa falta de capacidade da China de fazer motores a jato e turbinas do tipo turbo-fan, apesar de fazerem ainda não superaram os outros países.

Joanderson

Vc tava ate certo porém dizer a Rússia ta atras de França e Reino unido na construção de motores n acredito

Bosco

Não pode um helicóptero ter raio de combate de 250 km e alcance de 1200 km. Algo não confere nessa informação.

Dalton

Meu comentário ainda não foi liberado, então, no caso de você retornar Bosco o que já vi acontecer é misturar unidades de medida, então ao invés de 250 quilômetros seriam
250 milhas náuticas o equivalente a quase 500 quilômetros, fazendo mais sentido.

Bosco

Provável Dalton!

ScudB

Ka-52 : alcance máximo (conforme fabricante com tanques externos) – 1160km. Raio de combate com tanques internos – ate 260km (dependendo da carga).
Ka-52K : 900km/200km
Não vejo problema algum..

Bosco

Particularmente não gosto do sistema de rotores duplos coaxias para helicópteros convencionais salvo em alguns casos estritamente indicados. Acho uma solução muito interessante para helicópteros compostos (ex: Ka-92) porque libera a cauda para uma hélice propulsora, mas para helicóptero convencional prefiro as soluções clássicas (rotor ou fan de cauda). No caso do Kamov Ka-27 de uso naval entendo que o fato de não haver um rotor de cauda para operações embarcadas é um fator de segurança a mais, mas para um helicóptero de ataque vocacionado para operação em terra entendo como uma solução um pouco excêntrica. Também entendo a solução… Read more »

Esteves

Bem estranho.

4FA692B2-8CEA-470F-9BAE-FBB4D91E7EFD.jpeg
ScudB

Mestre Bosco!
Esquema coaxial garante varias vantagens cruciais em relação convencional. Podemos falar que coaxial é naturalmente adaptado para uso embarcado : menor , com hélices de menor diâmetro , muito mais manobrável , praticamente insensível (ate certo ponto obviamente) as condições de tempo se comparar com concorrentes , com maiores entrega de potência e razão de subida comprovadas principalmente nas regiões montanhosas e perto da agua , não precisa fazer “inclinações” para manobras bruscas , etc etc ..
E isso tudo vc não gosta e acha esta solução “excêntrica”? Serio?..

Adriano Madureira

Eu achei decente aquele Higgins 500 com esse tipo de cauda…

Qual as vantagens e desvantagens Bosco? Pode-se dizer que se ganha em segurança mas perde performance?

comment image

ScudB

Isso é um Notar MD520N.

Adriano Madureira

Bem ScudB, mas não deixa de ser um MD500 melhorado…

O texto que eu li diz:

“Na década de 1980, a Mc Donnell Douglas utilizou como base o modelo de helicóptero Hughes 500 com rotor de cauda convencional, para dar origem aos modelos MD 520 Notar e MD 530 Notar, ambos da mesma família”.

Ou seja,é uma variante…
comment image

Last edited 2 meses atrás by Adriano Madureira
ScudB

Exato. Mas Higgins?.. kk

Luiz Trindade

É realmente incrível como a Rússia construiu helicópteros com contra rotor e deu tão certo.

Nesse caso especifico, junto a fome com a vontade de comer, ou seja, a Rússia com vontade de vender com a China com vontade de comprar. Agora será que a Rússia continuará ingênua a ponto de deixar a China continuar a fazer engenharia reversa nos seus equipamentos?

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

IACIT apresentará na Mostra BID Brasil tecnologias únicas existentes no país

Empresa com mais de 35 anos de história é referência em soluções de ponta que podem contribuir para...
- Advertisement -