HMS Diamond lança Sea Viper contra os mísseis Houthi

Em 9 de janeiro, aproximadamente às 21:15 (horário de Sanaa), os Houthis apoiados pelo Irã lançaram um ataque complexo com UAVs (Veículos Aéreos Não Tripulados) de ataque unidirecional de design iraniano (OWA UAVs), mísseis de cruzeiro antinavio e um míssil balístico antinavio de áreas controladas pelos Houthis no Iêmen em direção ao Mar Vermelho Sul, visando rotas de navegação internacionais onde dezenas de navios mercantes estavam transitando.

Dezoito UAVs OWA, dois mísseis de cruzeiro antinavio e um míssil balístico antinavio foram abatidos por um esforço combinado de F/A-18s do USS Dwight D. Eisenhower (CVN 69), USS Gravely (DDG 107), USS Laboon (DDG 58), USS Mason (DDG 87) e o HMS Diamond (D34) do Reino Unido. Este é o 26º ataque Houthi às rotas comerciais no Mar Vermelho desde 19 de novembro. Não houve relatos de feridos ou danos.

HMS Diamond – D34, destróier Type 45

Em 3 de janeiro, 14 países, incluindo os EUA, emitiram uma declaração conjunta afirmando: “Os Houthis arcarão com a responsabilidade pelas consequências caso continuem a ameaçar vidas, a economia global ou o livre fluxo de comércio nas vias aquáticas críticas da região.”

FONTE: USCENTCOM

Interceptações de mísseis, drones, USVs e barcos Houthi

Mapa atualizado dos navios de guerra operando no Mar Vermelho, Golfo de Omã, Golfo de Áden, Golfo Pérsico, Mar Arábico

Compilação de Intelschizo (@Schizointel) atualizada diariamente no X.

Subscribe
Notify of
guest

67 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
A C

Os Houthis sao inimigos declarados da Arabia Saudita. Esta sim, tem uma capacidade militar formidavel e todo e qualquer lancamento feito no Iemem passa pelas suas barbas. A ausencia de uma participacao mais ativa da AS nesse momento me deixa intrigado.

Hcosta

https://www.thedrive.com/the-war-zone/retired-saudi-admiral-on-why-arabs-wont-join-red-sea-task-force

Pode parecer que estão a apoiar Israel, segundo o que eles dizem…
E outros países, como o Egito, como se fosse algo irrelevante…

Mas o preço do barril está baixo…

A C

Obrigado HCosta. Esta entrevista ajuda a explicar.

Fábio Jeffer

A Arábia Saudita só levou pau dos Houthis, acho que vc deveria se informar melhor

Akah-130

Ele disse que eles tem uma capacidade militar formidável, e não que são bons de combate propriamente dito, rs.

Bosco

Pelo menos foi isso que quiseram que você acreditasse e pelo jeito funcionou. Eu de minha parte duvido dessa “regularidade” numa situação de guerra real onde reina o caos. O que ocorre é que a mídia , que sabemos agora nunca foi isenta, escolhe o lado e se esforça em defesa desse lado mas claro, de forma sutil já que ela não pode perder a pose . Essa sutiliza dá ares de veracidade porque se ela pegasse pesado ia ficar na cara. Por exemplo, a cada 10 ações dos houthis bem sucedida contra os árabes por que não noticiar as… Read more »

Last edited 5 meses atrás by joseboscojr
Ten Murphy

Boa.

Willber Rodrigues

Eu não sou adepto de teorias da conspiração, mas….
Não deixa de ser curioso que os Houtis, que estavam “quietos” a um bom tempo, resolveram atacar navegação comercial naquela área, justamente na mesma época do ataque/contra-ataque do Hamas X Israel, e tambem justamente quando o gordinho da CN resolve botar as garrinhas de fora de novo….
Quer dizer, o que os Houtis estão ganhando com esses ataques? Tão implorando pra levar Tomahanwk na cabeça?

Nativo

Esses malucos apoiam os malucos do hamas,e usam esses ataques a navios para tentar prejudicar as economias ocidentais que apoiam Israel.

Enquanto não desembarcarem grandes tropas no iemem, os ataques não vão parar e nem aquela tragédia esquecida diminuir

Paulo Sollo

Desembarcar tropas no Yemen é loucura. A superioridade dos eua e aliados alí e nos meios aéreo e navais. Combater os Houthis em terra vai gerar uma quantidade pesada de baixas. Nem de longe seria como no Iraque. Os Houthis são combatentes fanáticos e tem condições de transformar uma guerra terrestre ali num inferno. Os custos envolvidos serão altos e os eua já estão involucrados com Israel e Ucrânia e também com a China. Estão inclusive construindo uma nova base em Okinawa. Os europeus, a exceção do uk com um único navio, pularam fora da coalizão naval contra is Houthis.… Read more »

rui mendes

Os Britânicos não têm lá só um navio, mas sim 3 fragatas/destroyers, 3 caça-minas, um LPD e devem ter lá pelo menos 1 SSN. Depois os Europeus, não pularam fora da coligação, estão lá, o que acontece é que tanto Itália como França, não aceitaram ser liderados pelos EUA. A Alemanha também tem lá uma fragata F-124 class. Não percebi o que a crise financeira na Europa e no seu principal motor tem a ver, pois apesar dessa crise, tanto a Alemanha como a Europa no geral, estão a gastar biliões de Euros na Ucrânia, no combate ao terrorismo no… Read more »

Paulo Sollo

A maior ajuda que a Europa e os eua poderiam dar ao mundo seria pararem de gerar crises em outras regiões. Manter países sob seu controle para se apossaram de seus recursos naturais promovendo todo tipo de desestabilização política e militar sempre foi seu modus operandi. A questão dos Houthis é mais um efeito colateral disto, já que o eterno embate entre Israel e palestina é fruto de decisões politicas europeias que decidiram apoiar o estabelecimento de uma divisão geográfica artificial e parcial, assim como já haviam feito antes, após a primeira guerra. A Europa e os eua não ajudam… Read more »

Carlos Crispim

kkkk continua errando tudo.

Carlos Crispim

Finalmente alguém com senso,parabéns.👏

Carlos Crispim

Tudo errado q vc falou, suas análises são completamente tresloucadas.

Last edited 5 meses atrás by Carlos Crispim
Afonso Bebiano

O sugar daddy iraniano exigiu que eles incomodassem os inimigos de Teerã.

rui mendes

Quem manda é o Irão, não os Houtis.

Carlos Crispim

Exatamente.

Alex Barreto Cypriano

Agora foi mais intenso e prolongado, demandou muita stamina. Bom, o Sal Mercogliano do WGOWS fez um quadro muito bom da situação, detalhando as rotas dos navios (eles seguem por uma área relativamente estreita onde o Mar Vermelho é mais profundo), o papel e posição quase fixa de um navio iraniano possivelmente transmitindo inteligência sobre trânsito aos Houthis, os pontos onde têm embarcado e desembarcado nos navios comerciais os times de segurança privada, relatos de marinheiros nos navios sobre as horas de terror vendo interceptações, etc, etc. Vale dar uma olhada, aqui: https://youtu.be/_RSH3jhSvHM?si=eCXtDNmP4OEh1HQw Sobre o quadro relacionando navio e arma… Read more »

Marcos R

Será muito difícil para as agências de inteligência ocidentais obter alguns v desses mísseis iranianos? Seria muito interessante atingir esses navios iranianos com um míssil desses durante um dos ataques houtis.

Ten Murphy

Não seria difícil atacar os iranianos em momento algum, seja de forma direta ou indireta, convencional ou não-convencional, descoberta ou encoberta, dissimulada ou clandestina etc. A questão é que desconhecemos tudo sobre estratégias, negociações e acordos dos países envolvidos, operações clandestinas dos serviços secretos, operações de falsa bandeira, Estados que agem como agentes provocadores de outros Estados, operações que visam propaganda interna ou externa mas que os países sabem que são inócuas, isto é, gastam dinheiro mas servem para o grande público e não para gerar mudanças reais ou iniciar conflitos de verazes. A política, a diplomacia, os serviços secretos,… Read more »

Abner

Tá chegando num ponto que esses 14 países vão ter de lançar mísseis e enviar caças para atacar a infraestrutura dos Houthis.

Patta

Uma duvida, esses navios chineses estão apoiando os Houthis e o Irã? Se tiver uma operação no Iêmen envolvendo ( Estados Unidos; Reino Unido; França) a China pode fazer uma intervenção naquela região pra mostrar apoio ao Iêmen?

Afonso Bebiano

O que a China teria a ganhar com as complicações ao transporte marítimo que os houthis têm causado?

Patta

Então qual é o objetivo deles naquela região?

No One

O mesmo dos EUA . Controlar e monitorar o fluxo do seu comércio marítimo, inclusive eles têm uma enorme base no Djibouti, bem pertinho das bases americanas, francesas, japonesas, italianas… A única potência ( entre as mais relevantes ) que ainda não conseguiu estabelecer uma base por lá é Rússia.

É uma rota estratégica .

No One

comment image

Bosco

O que a China teria a ganhará?
A exposição do Ocidente que irá posar de imperialista, colonialista, capitalista, flamenguista e atrair todo o tipo de ódio de um dos lados e metade do outro lado.
Quem cruza os braços e não age não prega um alvo na suas costas e já sai na frente na eleição de síndico.

Ten Murphy

______

COMENTÁRIO REPETIDO APAGADO. MANTENHA O BLOG LIMPO.

Ten Murphy

Para argumentos repetidos, respostas repetidas. Mas entendo seu raciocínio e também é válido.

Ten Murphy

O que a China teria a ganhar com as complicações ao transporte marítimo que os houthis têm causado?

Apesar do transporte marítimo ser mais barato que o ferroviário, complicações na região poderiam talvez acelerar a Nova Rota da Seda. Quem sabe?

No One

A rota da Seda morreu.

Ten Murphy

Não acompanho e não estou sabendo. Poderia discorrer?

Ten Murphy

Uma duvida, esses navios chineses estão apoiando os Houthis e o Irã?

Do jeito que está no mapa temos a impressão que China e Irã estão operando conjuntamente, o que é falso e me faz pensar no motivo pelo qual o autor do mapa colocou assim, como se quisesse induzir os leitores a fazer uma falsa associação entre chineses e terroristas.

Segundo sites especializados “De 2008 a 2023, a força-tarefa de escolta naval chinesa fez 1.600 viagens de ida e volta nestas águas, escoltando com segurança mais de 7.200 navios chineses e estrangeiros, dos quais mais de 50% são navios estrangeiros.”

No One

Colocando esses números vagos e genéricos, esses sites especializados não trazem uma grande contribuição para entender o real desempenho da marinha chinês.

Em geral quando se aborda o papel de uma marinha e o seu desempenho, se procura relacionar com o número de operações e missões conduzidas, dias de navegação e milhas percorridas.

Não o número de ” viagens de ida e volta” .

Mas eles são “sites especializados “… Então

Ten Murphy

Em geral quando se aborda o papel de uma marinha e o seu desempenho, se procura relacionar com o número de operações e missões conduzidas, dias de navegação e milhas percorridas. Concordo. Eles postaram, eu que não copiei. 7.200 navios ajudados desde 2008 e cada missão chinesa varia em tamanho. Quanto às milhas e missões também tem mas não lembro de memória. Algumas tiveram várias fragatas, outras apenas 1 fragata, 1 destroyer e 1 reabastecedor etc. Só procurar. Li vários sites para comentar acima, mas como leva tempo elaborar o argumento a partir de vários deles e ficar de olho… Read more »

Last edited 5 meses atrás by Ten Murphy
No One

“Mas os sites especializados que pesquisei foram fontes primárias oficiais chinesa”

Eu já suspeitava disso… Para dizer a verdade tinha quase a absoluta certeza. È isso que me preocupa sobre essas informações rsrs que são de propósito vagas e genéricas, cuja a finalidade é a propaganda, sem real interesse na avaliação do desempenho. Os sites “especializados ” apenas ecoam a propaganda vazia e sem conteúdo. Alguns com dolo outros por preguiça e negligência.

Ten Murphy

Só lê o que te favorece. Posta om restante: “Mas os sites especializados que pesquisei foram fontes primárias oficiais chinesas e uns 4 ou 5 sites em língua inglesa focados em temas militares como a trilogia.” Até você consegue pesquisar os navios na área em tempo real aí do conforto da tua casa. A foto postada na matéria acima fala que tem navios chineses na área, em cor vermelha. Eu nem precisava citar outras fontes e apenas me ater ao que a própria trilogia já tinha postado. O que vi aqui foi todos falando como se a China tivesse zero… Read more »

Patta

Eu tinha visto uma resposta de um antigo comentário meu. Esses navios estão combatendo o terrorismo na região. Muito obrigado!

Ten Murphy

Disponha.

Bosco

Sei que é pregar no deserto mas vamos lá. Os tais mísseis balísticos antinavios do Houthis não têm nada a ver com os mísseis balísticos antinavios chineses DF-21D. Esses mísseis “balísticos” dos Houtins, mais precisamente , os mísseis Khalij Fars, de origem iraniana , são mísseis “semibalísticos” que já há 60 anos são utilizados contra navios. Eles não saem da atmosfera e não têm nenhuma fase balística, sendo toda ele controlada por aletas, com uma certa razão de planeio a grande velocidade. Alcançam um pico por volta de Mach 4 e atingem o alvo numa velocidade bem menor. A denominação… Read more »

Last edited 5 meses atrás by joseboscojr
Bosco

O únicos mísseis que podem ser denominados de balísticos são os que liberam um veículo de reentrada balístico (BRV) antes dele reentrar na atmosfera.
Por exemplo, nos EUA só dois mísseis podem ser denominados de balísticos, que é o Trident II e o Minuteman III.
Isso é veículo de reentrada balístico:comment image
Depois de liberado ele não manobra , não tem sustentação, e segue numa trajetória balística.

Bruno Vinícius

É curioso que os dois entes internacionais mais interessados em proteger o comércio marítimo passando por ali, China e União Europeia, quase nada fazem.

O custo de transporte marítimo da China para a UE disparou para níveis semelhantes aos de dezembro de 2022.

Last edited 5 meses atrás by Bruno Vinícius
Bosco

A China se aproveita da narrativa de que os EUA é um país agressor , opressor , imperialista para se colocar como a alternativa hegemônica virtuosa.
Pra ela isso vale mais que o livre trânsito de suas mercadorias pelo mundo.
Sua inação é vista pelo senso comum como benéfica e junta com uma frota de capacidade discutível e a receita está pronta.

Ten Murphy

A China tem uma frota de escolta lá desde 2008. Atualmente é a 45ª força-tarefa de escolta que está ativa. Segundo sites especializados “De 2008 a 2023, a força-tarefa de escolta naval chinesa fez 1.600 viagens de ida e volta nestas águas, escoltando com segurança mais de 7.200 navios chineses e estrangeiros, dos quais mais de 50% são navios estrangeiros.”

Bosco

Mas e agora?
A China está planejando alguma ação da sua vasta força naval e de mísseis para fechar a fonte dos ataques aos navios mercantes na região.
Seria uma boa hora dela mostrar ao mundo que seus fantásticos mísseis não foram feitos só para aniquilar a raquítica Taiwan.

Ten Murphy

Sei que quotou a si mesmo mas vou responder mesmo assim. A China está planejando alguma ação da sua vasta força naval e de mísseis para fechar a fonte dos ataques aos navios mercantes na região. Era uma pergunta? Se ela está planejando alguma ação isso depõe contra seu próprio argumento. Se foi uma interrogação, teríamos de pesquisar na mídia e nos órgãos oficiais chineses. Ainda assim essas são questões de Estado, tanto as possíveis ações quanto a divulgação delas. Então qualquer pessoa que disser algo sobre isso está especulando e/ou criando narrativas. Seria uma boa hora dela mostrar ao… Read more »

Bosco

Ten.
Rss
Foi uma pergunta. Faltou o “interrogação”.

Ten Murphy

Rs. Acontece.

Zé Rato

O país mais interessado e que nunca faz praticamente nada é o Egipto, que recebe biliões por ano em taxas cobradas aos navios que passam no Canal do Suez. Mais de 9 biliões de dólares no último ano fiscal, segunda esta notícia: https://www.reuters.com/world/africa/suez-canal-annual-revenue-hits-record-94-bln-chairman-2023-06-21/ Se as rotas marítimas se desviarem dali para fora devido à insegurança, é o país que mais tem a perder. Também não sei por quando tempo é que os EUA e aliados estarão dispostos a manter ali um dispositivo militar passivo tão dispendioso, em que se acrescentam os custos dos mísseis caríssimos usados para interceptar drones e… Read more »

Ten Murphy

Segundo sites especializados “De 2008 a 2023, a força-tarefa de escolta naval chinesa fez 1.600 viagens de ida e volta nestas águas, escoltando com segurança mais de 7.200 navios chineses e estrangeiros, dos quais mais de 50% são navios estrangeiros.”

Existe notícia sobre isso aqui mesmo no Naval.

rui mendes

Quase nada fazem??? Tirando os navios dos EUA, são os navios de guerra dos países da UE e UK, oj seja Europeus, que estão ali em grande maioria, pelo menos 14 navios de guerra afectos aos países da UE e UK estão ali. Fora os que estão no mediterraneo Oriental. Depois têm também, logo ali, no Djibouti, bases aéreas com caças e aviões de transporte militares. Até agora, os únicos navios de guerra, que destruiram os drones e mísseis Houtis, foram os Norte-Americanos, na sua grande maioria e depois foram navios de guerra Europeus, Franceses e Britânicos. Por fim, os… Read more »

Dalton

Não que seja importante, mas, no infográfico o “Lewis B Puller” (ESB 3) aparece com o prefixo USNS, só que ele foi redesignado como navio comissionado da US Navy em 2017 passando a ter o prefixo USS, aliás, como os demais em serviço e assim serão os que
estão em construção.

Jagderband#44

Deixando de lado toda controvérsia a respeito os “Littoral Combat Ship” da USN de lado, este não seria um cenário ideal para o uso dos mesmos?

Last edited 5 meses atrás by Jagderband#44
Dalton

O USS Indianapolis (LCS 17) está na região, inclusive aparece no infográfico, mas não tem os meios ideais para defender navios mercantes de todas as ameaças.
.
Além do mais “apenas” 7 fazem parte da Frota do Atlântico todos da versão Freedom
dois dos quais incorporados apenas ano passado ainda não certificados para missão outros em treinamento e manutenção.
.
Todos os demais “LCSs” pertencem a variante Independence, mais numerosa estão com a Frota do Pacífico e se está tentando ampliar suas capacidades inclusive contramedidas de minas.

Bosco

Não creio.
O LCS não tem capacidade de operar mísseis sup-ar de alto desempenho o que debilita sua capacidade de defender outras unidades além de si.

Last edited 5 meses atrás by joseboscojr
Jorge Oliveira

O legal, estão fazendo os EUA gastarem misseis de 1 milhão para abater alvos de 10 mil….

Jagderband#44

Melhor gastar esse milhão do que perder um NM e sua tripulação/carga.
Está na hora do Tomahawk visitar o Iêmen.

Ten Murphy

“O legal, estão fazendo os EUA gastarem misseis de 1 milhão para abater alvos de 10 mil….“ Não estão fazendo não. Os americanos estão gastando por opção. Escolheram uma solução dispendiosa, e sabe-se lá o motivo. Só ver o quanto estão despejando dinheiro na Ucrânia, quase 100 bilhões em menos de 1 ano. Somando com o dinheiro em ajudas a Israel a partir de outubro passado, o montante demonstra que se quisessem poderiam facilmente comprar milhares de drones ou se engajar numa guerra de baixa intensidade sem aumentar muito os gastos militares atuais. Dinheiro não é problema, a despeito das… Read more »

Carlos Crispim

Pelo visto todo mundo esquece que os americanos estão protegendo mercadorias que valem BILHÕES de dólares, o que esses navios conteiners e de óleo carregam não está sequer na imaginação de uma pessoa comum, proteger o livre comércio, salvando bilhões de dólares em mecadorias me parece uma ninharia.

Ten Murphy

Exato.

Carlos Crispim

Salvando mercadorias de bilhões…

Angelo

Bom, tem o lado prático dessa situação.Os americanos podem treinar mira e suas aptidões de interceptação de misseis, VANT´s, etc…

Carlos Crispim

Também acho, e é uma excelente propaganda, os mísseis americanos e britânicos estão acertando todos os seus alvos, se isso não impõe respeito, então não sei o que impõe…

Maurício.

Eu estou achando muito estranho o fato dos EUA não terem atacado ainda o Iêmen, eles colocaram o Saddam em uma forca por muito menos que isso. Sobre os LCS, alguns para tentar amenizar o fracasso, dizem que as ameaças no OM são coisas do passado, que “o cenário mudou”, que a grande ameaça agora é a China, aí você olha a grande quantidade de navios na região, só dos EUA são mais de 20! Ou seja, essa falácia que a ameaça mudou e que a geopolítica agora é outra, não se sustenta nem até a página dois.

Carlos Crispim

Vão atacar em breve, já recolheram todas as informações através dos melhores Vants q eles possuem, agora chegou a hora…