Proa da fragata Tamandaré em construção no ThyssenKrup Estaleiro Brasil Sul, em Itajaí (SC) - Foto: Luiz Fernando Nardes / @shipspotting_Itajai

O Comandante da Marinha do Brasil, Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen, informou em entrevista ao canal Personalidades em Foco no YouTube, que o Programa das Fragatas classe Tamandaré tem um déficit de R$ 2,95 bilhões.

Segundo Olsen, o aumento da valor do Programa deveu-se a circunstâncias alheias ao projeto e por condições contratuais. A Marinha deverá buscar junto ao Governo promover uma nova capitalização da Emgepron com o valor restante.

Abaixo, alguns slides da apresentação do Comandante da Marinha, que tratou dos principais programas estratégicos da Marinha, como o Prosub e Pronapa e Mansup.

VÍDEO: Apresentação do Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen

COLABOROU: Manuel Flávio

Subscribe
Notify of
guest

202 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Samuel Asafe

Se quer fazer superávit vende os navios que sobraram, se quiser ter uma marinha de guerra, aprenda a botar dinheiro igual gente grande. Na hora de comprar lagosta ninguém reclama. Esse papo furado de déficit pra projeto estratégico me enche o saco.

Rafael

Me parece que a estratégia é ter fé no crescimento da economia acima das expectaivas.
Assim se arrecada mais e a necessidade de cortar os privilégios fica sempre para mais tarde.
E não é só com a MB…

Henrique

esse é o cenário que não vai acontecer. com a perspectiva atual crescimento vai só de gastos com privilégios (e nem to falando de FA)

Samuel Asafe

Não me aparece que você esteja antenado com as pretensões em Brasília. Essa semana mesmo a base do governo passou o fim das aposentadorias compulsórias. E muitos rumores que a reforma administrativa quando vier, virá para a classe alta do funcionalismo, o próprio Fernando Haddad deu umas 2 entrevistas falando sobre isso(se é que alguém vai ter coragem mesmo no congresso de aprovar algo que vá contra o judiciário e MP).
Vamos torcer pra que permaneça nesse caminho.

Diego Tarses Cardoso

Isso vai servir apenas para punir opositores ao governo, pessoas alinhadas a ele serão livradas como sempre.

AVISO DOS EDITORES: A DISCUSSÃO ESTÁ DESVIANDO PARA O PROSELITISMO POLÍTICO. VOLTEM AO TEMA DA MATÉRIA.
LEIAM AS REGRAS DO BLOG:
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Samuel Asafe

Fonte: vozes da minha cabeça

Vitor Botafogo

Fato

Tupinambá

Quem está no topo das carreiras tem um perfil mais político do que qualquer coisa. Preocupam-se com medalhinhas, comendas, bailes, coqueteis e um carguinho em alguma estatal.

Salomon

Que tal dispensar e terceirizar as atividades-meio? Vender o monstro do Centro Cultural da Marinha na capital de São Paulo, av. Nove de Julho, bairro nobre, que ninguém sabe para que serve e custa(ou) uma nota feia? Acabar com a farra das filhas “solteiras” em pleno século XXI. Os prezados confrades já ouviram falar da “Lei das Sete Pragas” que continua até hoje? Acredite, foi uma lei da Guerra da Tríplice Aliança, que ocorreu entre 1864 e 1870 e que até 2019, pelo menos, ainda tinha 53 pensionistas!
Fonte: https://veja.abril.com.br/coluna/radar/forcas-armadas-tem-28-mil-pensoes-especiais-e-casos-da-guerra-do-paraguai

C G

Infelizmente lei não retroage, é um princípio legal importante.

José

A lei pode retroagir sim, mas somente em benefício do réu, nunca em prejuízo.

Carvalho2008

E bem precisa retroagir, se alguém está vivendo maritalmente e recebe pensão, é apenas uma questão de fraude. Isto é um questão de perícia previdenciária

Sensato

Essa pra mim sempre foi a questão. A parte legal foi resolvida com a alteração nas novas pensões mas nunca aceitei que não se faça uma limpa na base de pensionistas e se tome as medidas cabíveis. É uma coisa tão escancarada que já vi casos em que a pensionista só não casa no civil mas casa na igreja com toda a pompa e divulga amplamente nas redes sociais.

Carvalho2008

Basta denunciar ao órgão, ele é obrigado a dar a resposta à evidência ia encaminhada ou atribuir a verificação

Rodrigo

Perfeito… não entendo somente nas FA as atividades meio não são terceirizados. Claro que devemos finalizar o programa e receber as fragatas, mas claro que o comando deve prestar contas ele deve.

RSmith

concordo com o Jack só não acho engraçado….

Luís Henrique

A lei da pensão para as filhas foi extinta no ano 2000. Agora só esperar todas as pensionistas que entraram até esta data, falecerem. Não tem o que fazer. Quem teve o pai morto em 1999 e estava na época com 10 anos, vai receber até a morte. Levando em conta a expectativa de vida por volta de 80 anos, serão 70 anos recebendo. Estamos em 2024, já passaram 24 anos do fim desta lei, mas para o exemplo que eu citei, ainda faltam cerca de 45 ou 50 anos para acabar a pensão. Então quem quer resolver o problema… Read more »

Carvalho2008

E realizar o ato administrativo de perícia previdenciária sobre quem recebe o benefício….os EUA fazem isto direto.

Eduardo

Não esqueça que filha “solteira de general vai até a 4ª geração. E a mudança foi em 2001. E quem na ativa estava, pode escolher entre ficar pagando a contribuição de 7,5% ou passar para 9% e manter a regalia. Todos com filhas passaram a 9%. Tem muita filha ainda pra receber. Aliás, ainda temos filhas para nascer.

Lucas H.

A previdência social militar é absurdamente deficitária, deixa um rombo de bilhões nas contas públicas, mas esse povo tenta se justificar com esses 9% que não dão pra cobrir nada. Não é de se estranhar que os projetos importantes de pesquisa fiquem todos atrasados ou deficitários, o grosso do orçamento vai pra folha de pagamento de soldos, aposentadorias e pensões.

Vitor Botafogo

vc esquece que a Marinha tem Capitania dos Portos em diversos lugares e possui outras atividades alem da atividade de Marinha de Guerra.

Paulo

A solução tá em cortar mais pessoal e despesas! Focar na atividade fim. Ter 70 mil homens sem navio é inadmissível. Chega a ser uma vergonha. Na apresentação o comandante ainda reclama da redução do pessoal. Foram anos de utopia pura (sonho de 2 esquadras, 2 porta aviões, 20 escoltas, etc.). Já passou da hora de trabalhar com a realidade. Ao meu ver, a Fab e o EB já entenderam qual pode ser o caminho. Até a marinha Peruana consegue manter ativo 6 submarinos!!! A MB só desativa navios por inaptidão em gestão.

Last edited 1 mês atrás by Paulo
Moriah

Enquanto outros países possuem navios-fantasmas…

Augusto José de Souza

Compra de oportunidade é viável para contemplar as Tamandaré,França,Itália e Alemanha devem ter boas opções disponíveis assim como Austrália e Nova Zelândia.

Daniel

Cara, se tem uma coisa que a MB não precisa, é de sucatas de outro país.

Leonardo Cardeal

Tipo o Atlântico, o Amazonas né?
Desde quando comprar usado é comprar lixo? É regras isso?

Afunda bilhões então em corvetas disfarçadas de fragata a preço de ouro… tá certinho….

RSmith

desde que seja “projetadas, e montadas no Brasil com um alto percentual e material (maquinas, sensores, armas) também projetados e produzido no Brasil” e que haja uma “continualidade” sim… é melhor ter uma pequena marinha “independete” com meios produzidos no brasil do que ter uma marinha que depende de tudo do estrangeiro

DanielJr

Nós dependemos de tudo do estrangeiro. Dessas fragatas aí talvez a fabricação de das chapas e alguns outros itens menores é 100% nacional. O resto vem de fora ou é fabricado aqui por empresa estrangeira.

Augusto José de Souza

Essas fragatas ainda são derivadas de um projeto alemão assim como os submarinos Riachuelo são de um projeto francês e as Niterói britânicas,todos foram adquiridos com transferência de tecnologia e até termos Tamandaré o suficiente para à esquadra,navios usados são uma excelente opção principalmente em boas condições como as primeiras Fremm,Anzac e a F-200 alemã.

Leonardo Cardeal

Amigo, que utopia esse negócio de independente, estamos a 22/02/2024, num mundo altamente globalizado, um ou outro país fabrica e desenvolve TUDO.

Tem que parar com essa mentalidade de FAZER TUDO isso não existe para nós. se agente compra areia pra beneficiar silício pra construir chips já não somos independentes…. Projetar e construir aqui é totalmente inviável… é exatamente isso que a matéria mostra! isso sem falar em projetos passados… CHEGA de projetado, construído, nacionalizado, independência…. isso é puro discurso e só!

Lucas H.

Concordo que não dá pra produzir tudo aqui, fato. Mas é inegável que a nacionalização de tecnologias críticas é importante para o futuro do país. Por exemplo, acho absurdo privatizar a CEITEC, única empresa produtora de chips na América latina. Temos que parar com essa ideia de que não somos capazes. Se nós não apostamos no nosso futuro e na nossa ciência, quem mais vai acreditar? Opino que, quanto ao desenvolvimento de tecnologias sensíveis, precisamos de um plano de Estado e não de governo.

ln(0)

O Amazonas era praticamente zero e o Atlântico meia vida e recém modernizado. Escoltas que poderão estar a venda, só em final de vida útil.

Leonardo Cardeal

Então compra nova pronta!

Augusto José de Souza

Logo devem ter Fremm mais antigas disponíveis pela França e Itália e as Anzac da Austrália,acho elas uma boa opção de compra de oportunidade junto com mais fragatas Tamandaré,na MB só o porta aviões São Paulo foi um erro.

Nativo

Eu acho pelo menos as fragatas Bremen da Alemanha, podem ser um boa opção, (até sem mísseis, para ficarem mais em conta) como patrulhas de grande porte , que façam frente a pesca ilegal nas nossas águas.

Gabrieltito23

Chile só compra usado e tem uma esquadra bem melhor que a nossa.

RSmith

hum… ta insinunado que a MB é uma marinha fantasma?

Rodrigo

Fantasma não de barco de papel

Allan Lemos

Ter 70 mil homens sem navio é inadmissível

É inadmissível para quem tem sensatez, mas para os militares parasitas e corporativistas que temos é totalmente admissível.

Pior que quando eu digo aqui que o Congresso precisa ter um maior controle sobre o orçamento das forças armadas sempre vem um e fala “ah mas civil não entende de temas militares”.

Ora, se os oficiais não veem problemas em ter 70k homens na ativa e quase nenhum navio, ou não sabem o que estão fazendo ou não têm o melhor interesse do país como prioridade.

RSmith

Veja a India, França e creio Reino Unido e o proprio USA e outros, eles tem uma entidade especifica que atende as 3 forças é que dependendo do que as mesmas solicitão para suas função, é que providencia, dependendo de cada caso, a compra ou o desenvolvimento local do equipamento… assim com um unico orgão sendo responsavel pela fornecimento do material belico, evita o desperdicio podendo, apos analises criteriosa, definir se um equipamento serve para as 3 forças ou se é conveniete adquiri um para uma força e outro tipo para a outra. O Brasil, 7 economia do mundo, 5… Read more »

Carvalho2008

70mil total – 15 mil fuzileiros – 15 a 20 mil de distritos navais (guarda costeira)….noves fora, MB raiz tem 35 a 40mil….

Fernando "Nunão" De Martini

Talvez menos ainda na MB “raiz”, se por ela você entender a Esquadra. Outro dia encontrei um artigo informando que cerca de 1300 oficiais serviam no ComemCh, que engloba os navios combatentes de superfície, submarinos etc (curiosamente, o artigo informava que o número de oficiais da MB na Diretoria de Saúde, que é atividade de apoio, era praticamente o mesmo). Isso corresponde a cerca de 1/7 do total de oficiais da MB (8 mil e alguma coisa). Se pensarmos na mesma proporção de 1/7 do total do efetivo para praças, teríamos mais ou menos 10.000 militares servindo no ComemCh (uns… Read more »

renato

Isso é agravante e não atenuante!! 15 a 20 mil para “guarda costeira!!! Quantas patrulhas e lanchas os distritos navais dispõe? A atuação da MB enquanto guarda costeira é pífia!
15 mil fuzileiros!!! Para que uma força expedicionária, por definição força eminentemente ofensiva para tomada de territórios, deste porte?
Bastariam pequenos destacamentos para guarda das instalações e batalhões de operações especiais.

Rafael Coimbra

Sempre a mesma ladainha… é uma vergonha… tratam a defesa nacional como piada, quantidade pequena de embarcações contratadas, tonelagem baixa, “duzentos” anos para a entrega… déficit … quando vamos levar a sério nossa defesa?

Gerson Carvalho

O chanceler britânico, David Cameron, encontrou-se com o homólogo brasileiro, Mauro Vieira, nesta quinta-feira, 22, entre os assuntos, estava a abertura de linha de credito de 1 bilhão de Libras (6 bi de reais) em material de defesa. Ou seja, vamos as compras na Inglaterra.

Rafael

Despesas obrigatórias: 89%.
Esperando alguém me provar que esse país merece gastar 2% do PIB em “defesa” própria.

Moriah

Pelas regras atuais, melhor não…

Fabio Aberto

Vamos a uma matemática básica sem narrativas… Situação real de 2022 PIB 2022 – R$ 10,1 trilhões.. Orçamento defesa 2022 – R$ 116 bilhões (1,14% do PIB) Gasto com pessoal 2022 – R$ 92,8 bilhões Percentual gasto com pessoal: 80% Agora vamos simular e subir para para 2% do PIB, semelhante a um país sério. PIB 2022 – R$ 10,1 trilhões.. Orçamento defesa 2022 – R$ 202 bilhões (2% do PIB) Gasto com pessoal 2022 – R$ 92,8 bilhões Percentual gasto com pesoal: 46,4%% Se o orçamento de defesa cair para R$ 92,8 bilhões o percentual gasto com pessoal seria… Read more »

No One

Interessante que o oficialato só fala na meta dos 2%, virou um número mágico, um fetiche, mas nunca menciona que essas potências que estabeleceram essa meta ( falando no específico dos EUA e a OTAN) também estabeleceram outros parâmetros e esses eles não querem nem ouvir. Em 2023, os aliados da OTAN gastaram colectivamente uma * média *de cerca de 40 por cento em pessoal, 30 por cento em operações e manutenção, 20 por cento em novos equipamentos – incluindo pesquisa e desenvolvimento – e 10 por cento em infra-estruturas. A Itália e a Espanha que não são lá os… Read more »

Last edited 1 mês atrás by No One
Sulamericano

Perfeita colocação No One.

Gabrieltito23

Problema não é percentual, é gestão!

Luís Henrique

Se as forças armadas brasileiras receberem um orçamento militar de 2% do PIB, os gastos com pessoal, investimentos e custeio também ficarão semelhantes ao destes países. Agora, se o sr. acredita que as forças precisam primeiro atingir estes percentuais, para depois merecerem o aumento de orçamento, então das duas uma: 1) ou teremos que mudar a lei e permitir a exclusão de pagamentos de aposentadorias e pensões para milhares que já estão recebendo e possuem o direito adquirido. 2) ou teremos que esperar 40 ou 50 anos, até todos os pensionistas e aposentados nos sistemas antigos falecerem. porque somente a… Read more »

Felipe Morais

“Se as forças armadas brasileiras receberem um orçamento militar de 2% do PIB, os gastos com pessoal, investimentos e custeio também ficarão semelhantes ao destes países.” E quem é que te garante que os gastos com pessoal não irão acompanhar o aumento no orçamento? De uma coisa eu sei. Não é o histórico das decisões e do gasto realizado com pessoal que te garante isso. Se não houver na lei (ou de preferência na constituição), uma obrigação de que o gasto com custeio não ultrapasse certo percentual, o histórico que temos nos mostra que sim, ele irá ultrapassar. Portanto, se… Read more »

Fabio Aberto

Você acabou de colocar números que batem com a matemática que falei. “A Itália e a Espanha que não são lá os melhores exemplos de virtude , destinando apenas 1,4/1,5 % do próprio PIB para a defesa, no obstante isso gastam cerca de 60% com o pessoal;” 1,5% do PIB na conta que mostrei, resulta em R$ 152,63 bilhões. R$ 92,8 bilhões em pessoal resulta em 60% com pessoal. Repetindo: não defendi que as FFAA são exemplo de gestão, mas estou dizendo que a narrativa do uso da maior parte do dinheiro com pessoal é montada em cima de um… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Fabio Aberto
RSmith

Moriah, excelente resumo simples e ao ponto…. porém só tenho duas perguntas… 1- porque mesmo o gasto com pessoal, em 2022, foi de 92,8%? e a 2- o que garante que, havendo esse aumento para 2% do PIB, o valor a mais não sera usando para aumentar as despesas com pessoal?

Luís Henrique

Existe uma Lei que estabelece o Limite Máximo de Pessoal ativo nas forças armadas. O comandante da Marinha não pode ultrapassar este limite. Caso o congresso aprove uma Lei que aumente o Orçamento Militar para 2% do PIB, isso não alterará a Lei que estabelece o Limite de Homens nas forças. Ou seja, o poder político que determina tudo, não os militares. Basta ordenar e manter os números de efetivo atuais ou manterem a redução prevista para os próximos anos, reduzindo o total de 370 mil para 330 mil militares ou qualquer outro número próximo a este e aprovarem a… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Luís Henrique
Fernando Vieira

Não aumenta o número de pessoas mas os soldos das que estão na ativa. É claro que militares são trabalhadores e seus soldos são corroídos pela inflação como o salário de qualquer trabalhador que não é do judiciário e pode botar penduricalhos nos seus rendimentos. Então em algum momento o soldo dos militares precisa aumentar. Isso posto, só é preciso ver o percentual de aumento para que ele não corroa o aumento no orçamento de defesa. Afinal se estão botando mais dinheiro nas forças armadas, espera-se que seja para mais equipamentos e investimentos, não para altos salários e mordomias que… Read more »

Luís Henrique

Os militares também não podem aumentar seus próprios salários.

No One

Haja inocência Sr. Luís… Santa inocência. O Sr. sabe, eu sei e todos nos sabemos que existem mil subterfúgios para passar nas malhas fina da lei e aumentar a remuneração, apenas mudará a denominação , será um “auxílio “, será “compensação “, será uma indenização… Serão contratados generosos, inflados, para contratadas que empregam o neto, o sogro , o cunhado desse ou daquele brigadeiro/ almirante parece que o Sr. Não vive no Brasil.

Nativo

Você tentou usar a matemática para o que? Mostrar que se praticamente dobrar o orçamento da defesa vai sobrar dinheiro para equipamentos?

Porém esqueceu que o bom uso do orçamento depende de vontade, racionalidade, e seriedade (que vão além dos números) e não vemos em nossas forças, como em tudo no serviço público brasileiro.

Fabio Aberto

Não. Usei pra mostrar que se investir 2% igual aos países da OTAN, vai ter menos da metade empenhado em pessoal, igual aos países da OTAN.
Note que não defendi que as FFAA são exemplo de gestão, mas estou dizendo que a narrativa do uso da maior parte do dinheiro com pessoal é montada em cima de um cálculo matemático.

Vitor Botafogo

Concordo! A Matematica está ai! Não adianta ter meios e não ter pessoal pra operar como vemos em muitas marinhas de primeiro mundo. Ter 30000 soldados com o salario baixo que possuem é competitivo. Acredito ainda que deveriam receber melhor para a função e risco que passam.

Willber Rodrigues

Já falei trocentas vezes:

Sou totalmente CONTRA dar aumento de PIB pra Defesa.

Olhem pra MB…tú acha mesmo que essa instituição, na atual maneira que está, merece mais grana?

RSmith

Primeiro resolva seus problema para só depois pleitear um aumento no orçamento com base nos seus meritos!

Luís Henrique

O Comandante da MB vai selecionar algumas centenas de fuzileiros navais e vai montar um esquadrão de assassinos profissionais. 1) ele vai assassinar todos os pensionistas, principalmente as mulheres cujos pais faleceram até o ano 2000; 2) ele vai assassinar todos os militares “aposentados” que recebem pelo sistema antigo, antes da melhoria de 2019 3) ele vai alterar a lei que garante Estabilidade para funcionários públicos concursados e irá realizar uma demissão em massa de 50 mil militares e ficará com o efetivo de 23 mil ao término deste magnífico trabalho, ele conseguirá atingir os índices Otan de 40% de… Read more »

Carvalho2008

Ele só precisa fazer a perícia previdenciária dos valor pagos…se condizem com a regra

Luís Henrique

Sim, mas será que isso vai reduzir muito? As regras eram muito favoráveis, existiam 8 tipos de dependentes permitidos, após 2019 isso foi reduzido para apenas 2.

Carvalho2008

Quem já tem direito, não se discute…é lei….

O que se fala é de viúvas e filhas solteiras….se todo mundo está solteiro, então ok….mas sabemos do alto percentual de relação marital não regularizado….basta checar, não precisa de lei nenhuma….

Rodrigo

Primeiro faz a parte dele mostea que reduziu, que tinha gente ganhando ilegal, que tinha coisa errada, mostra oque reduziu depois solicita mais…mas mostra resultado primeiro

Luís Henrique

Acho. Aliás, tenho certeza. A culpa por não termos quantidades razoáveis de navios e um efetivo grande não é da atual administração da MB, mas de administrações antigas e mais ainda dos governantes anteriores que ORDENARAM os comandantes a aumentarem o efetivo, porque o Brasil passaria a ser uma potência militar. E também a culpa dos militares do PASSADO, por terem estabelecido um sistema de previdência militar ridículo, totalmente fora do razoável, absurdamente “bom” para os militares e seus familiares e totalmente falido. Agora, os militares que estão no comando não têm culpa do que foi feito lá no passado.… Read more »

Tupinambá

Corte de pessoal não é prá ser tão difícil assim. O número de vagas em concursos para praças e alunos do CN e Escola Naval poderia diminuir. Aliás, o certo mesmo seria fechar o Colégio Naval, aquilo ali é dinheiro jogado no lixo.

Luís Henrique

Estamos investindo cerca de 1,2% do PIB em Defesa e a situação da MB é que o gasto obrigatório está em 89%. As outras forças estão em situação semelhante.

Se o orçamento militar aumentasse para 2%, teríamos um aumento de 66%.
Automaticamente as Despesas Obrigatórias cairiam de 89% para cerca de 53%.
Ou seja, em vez de 11% para Despesas Livres ou programas estratégicos em andamento, teríamos 47% do orçamento.

Esta provado.

Samuel Asafe

O próprio comandante da MB disse numa live essa semana que a pretensão, se passasse a PEC dos 2% era colocar o mínimo de investimento em 35% do orçamento. Aí eu te pergunto, se as despesas médias obrigatórias estão atualmente em 53%, pq colocar o mínimo em 35%? Se der mais dinheiro antes de reformar a previdência dos militares isso vai gerar mais uma bola de neve orçamentária.

Luís Henrique

Os 53% é uma previsão que eu estou fazendo, calculando um orçamento de 2% do PIB em relação ao gasto com pessoal de hoje.
O atual número na MB foi divulgado na matéria como sendo de 89%. Portanto sobram apenas 11% do orçamento para aquisições e custeio.

O comandante prevê que com 2% será possível estabelecer 35% do total como o mínimo para Investimentos. Isso seria muito bom. Além destes 35% ele deve prever talvez uns 15% para Custeio e talvez 50% para gastos com Pessoal (incluindo os Inativos)

Fábio Mayer

Desculpa para entregar no máximo duas fragatas e encerrar o programa…

Leonardo Cardeal

E ainda tem gente que defende com unhas e dentes produção nacional, desenvolvimento, empregos, bla bla e bla. Irresponsabilidae um pensamento desse num país que pensa de 4 em 4 anos. Não existe projeto pra nada aqui. Pq o único pensamento é manter mordomias e perpetuar no poder. Só.

Veja só esse elefante branco chamado submarino nuclear. Quantos bilhões já foram torrados num projeto que ainda tenho dúvidas se fica pronto.
Além disso, com toda a grana já gasta, quantos convencionais poderíamos ter e operar simultaneamente.

Sulamericano

Caro Leonardo.
Eu sou um dos que defende com unhas e dentes a produção nacional e o desenvolvimento de tecnologias. Só assim para ser um país soberano.

Sua indignação é justa, mas a culpa dos fracassos dos projetos de desenvolvimento nacional não reside nas empresas e profissionais, e sim nos interesses escusos dos 5ª colunas que operam nesse país para que nada dê certo.

As coisas aqui não dão certo não por incompetência ou mero acaso. As coisas não dão certo porque isso é um trabalho de profissional.

RSmith

“um trabalho profissional” para atrapalhar o desenvolvimento nacional, e a quem isso interessa? putz é tanta gente!

Sulamericano

Tens razão. É tudo obra do acaso.

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

O que mais me irrita, Sulamericano, é que se fazem licitações minuciosas, cheias de regras e sobre-regras, que excluem interessado pela mínima ausência de algum requisito mínimo escondido em algum inciso do edital, que estipulam valor mínimo, que estipulam prazos máximos e ate mesmo as tolerâncias. Mas quem às vence simplesmente não cumpre contrato e SEMPRE pede adendo de valor, o que SEMPREacaba ou no atraso dramáticodo programa ou até em seu cancelamento, sendo que por vezes, simplesmente adquire-se menos materiais do que a força dizia precisar.

Leonardo Cardeal

Concordo com você em grau, número e gênero. Eu gostaria muito que fabricássemos muita coisa aqui, mas temos muita mas muita gente de má índole nos governando, que estão no poder com suas famílias a muitos anos e isso não vai mudar! Essa é a verdade…. Eles querem apenas uma coisa, perpetuar no poder! Só! Eu em sendo empresário não entraria numa barca furada de slides e projetos apresentados pelas forças (que também tem culpa na péssima gestão e uso dos recursos) pois sei que aqui no Brasil é assim; todo ano em slide de milhares de projetos e 90%… Read more »

Luís Henrique

Caso aprovem os 2% do PIB para Defesa, um país que possui PIB superior a R$ 10 tri, estamos falando de um orçamento de R$ 200 bi, com o dólar a R$ 5,00 estamos falando de U$ 40 bi. Isto hoje. A previsão do FMI indica que nosso PIB deverá estar na faixa de R$ 15 tri por volta de 2030. Ou seja, lá por volta de 2030 estaremos falando em um orçamento militar de R$ 300 bi ou U$ 60 bi caso o câmbio se mantenha como o de hoje. Ai faz sentido manter programas com incentivo para produção… Read more »

Leonardo Cardeal

Ai teremos o dobro do que é hoje de “colaboradores” nas FA’s. O que temos hoje é bem razoável. Como é gasto é que é o problema….

RSmith

… sim, para depois lançar outro programa com orçamento de 1 bilhão, gastar 3 bilhoes e entregar metade do prometido!!!!

Roberto

Braaasilllll, meu Brasil brasileiro…
💸💸

Antonio

Nada de anormal em se tratando da Marinha do Brasil

Souto

Teremos mais um navio classe Macaé?
A MB que receber 2.95 bi de reais pa
ra concluir a construção das 4 Tamandaré?

Souto

O governo federal tera que injetar 2.95bi de reais para concluir as quatro Tamandaré?

Santamariense

Exato!!

NEMOrevoltado

A marinha, sendo a marinha!

Carlos Crispim

O Brasil já devia estar investindo numa classe maior e mais bem armada, a Tamanduá todo mundo sabia que ia fazer água, se fizerem duas pode rezar e agradecer, são necessárias e bem-vindas, só acho que tem que pensar em várias classes em paralelo, uma outra classe mais pesada e bem armada já devia estar no forno, tem que olhar pra frente…

Last edited 1 mês atrás by Carlos Crispim
Leandro Costa

Então, que tal:

https://www.naval.com.br/blog/2011/01/28/os-investimentos-necessarios-a-implementacao-do-paemb/

Mas um alerta. ‘Vai ver’ por isso estamos nessa barca furada de agora.

Willber Rodrigues

“O Brasil já devia estar investindo numa classe maior e mais bem armada”

A MB não sabe nem se vai conseguir concluir as 4 fraguetas, mas você quer MESMO que ela invista ( investir com quê dinheiro ) numa classe maior, melhor armada e, por obrigação, mais cara????

RSmith

como disse lá em cima, outro projeto, uma fragata bem maior, com projeto nacional 100%, vamos fazer 6! vai custar 10 bilhoes, hum esta demorando vamos comprar um projeto estrangeiro para economizar, ainda pq dos 10 bilhoes ja torramos 6 bilhoes, agora vamos fazer so 4! …. pouco tempo depois, entrega 2 ao custo de 30 bilhoes e encerrar o programa pq essa vaca já deu o que tinha pra da 😉 … hum.. vamos fazer um novo projeto!!!! agora sim 100% nacional, com nossa tecnologia etc… :o)

Leonardo Cardeal

Perfeito

Alois

Infelizmente muito deste custo se deve a demora do processo de capitalização, projetos, definições e até construção/incorporação do navio, , claro que o custo sobe, investimentos em defesa são coisa de país sério de forma perene, precisa ser assim, além disso está mais que na hora de orçamento ser 2% do orçamento

Moriah

Infelizmente há muita burocracia nesse país e no setor de defesa, então, nem se fala. Um país engessado que acaba gerando dívidas por mera ineficiência.

C G

Todo país com indústria de defesa que eu conheço começa comprando os proprios produtos, aqui so temos voos de galinha, a produção de corvetas e fragatas deveria ser um projeto permanente no mínimo desde metade do século passado, se não reorganizarmos as forças pode por 5% que ainda vai ter militar preocupado com urna eletrônica e nada com a defesa real do país!

Willber Rodrigues

Todo país, quando compra algo com ToT, já tem planos concretos pra comprar em boa quantidade, e usar esse ToT pra fazer novas versões melhoradas desse produto.
Já as FA’s BR, comprarm ToT bilionário pra comprar meia dúzia, e “esquecer” o que foi aprendido logo em seguida.
Os IKL’s estão aí que não me deixam mentir….

Leonardo Cardeal

Exatamente por isso te pergunto. Acha que vão os empresários investir em projetos de voo de galinha?. Nunca teremos esse tipo de indústria robusta!

Last edited 1 mês atrás by Leonardo Cardeal
RSmith

“investimentos em defesa são coisa de país sério” pois é… ta vendo a contradição?

Leonardo Cardeal

Infelizmente isso é incompetência mesmo.

Victor F

As forças armadas Brasileiras são medíocres.

A Única coisa que eles merecem do povo é o olhar de desprezo.

se a organização não tomar vergonha na cara e mudar de vez pra ser capaz de se tornar uma força de verdade e efetiva, principalmente cortando boa parte dessas desprezas obrigatórias que somam 89% é melhor zerar o orçamento de defesa de vez 2% não vai fazer essa diferença que as pessoas acham, não com a falta de vergonha na cara de quem tá lá em cima

Moriah

O melhor slide de hoje veio da Austrália…

Andrigo

Mais um dia normal na MB….
E é o mesmo povo que quer operar sub nuclear.

Alex Barreto Cypriano

Assim… off-topic: a TKMS tá feliz da vida depois de ter investido 250 milhões de Euros num estaleiro de submarinos em Kiel lá em 2023…

FABIO MAX MARSCHNER MAYER

E eu acreditei naquele papo de que capitatizariam a EMGEPROM garantindo a entrega das 4 fragatas!!! ahahahahahah parece que conheço NADA de Brasil, ainda me iludo… Esta “Marinha” que adquiriu um porta-aviões que era um bota-fora ambiental da França, comprou 24 aeronaves do Kwait para que no máximo umas 3 voassem, projetou 15navios patrulha de 500 toneladas e não conseguiu nem entregar 4, que comprou tecnologia para frabricar IKL(s) mas preferiu jogar tudo fora e começar do zero para produzir Scorpenes… é esta “marinha” que capitalizou uma empresa para entregar 4 fragatas, mas provavelmente só entregará duas, e só Deus… Read more »

Willber Rodrigues

Só não vou dar risada da sua cara, porque eu também acreditei que a MB finalmente tinha “se corrigido”, após tantas décadas batendo cabeça com incompetência.

Ser ingênuo é uma droga mesmo….

Rafael

Se a gente olhar para o passado, vai ver que a tradição de começar grandes projetos e abandonar depois é antiga…Deveriam ser lançadas ao mar 8 fragatas Niterói e pelo menos 12 corvetas Inhaúma.
Eu até tenho uma teoria de que a força de superfície e a força de submarinos travaram uma “guerra” interna pelo dinheiro da MB entre os anos 1980 até recentemente, e os submarinos acabaram sendo a prioridade, talvez por alguma razão estratégica.

Piassarollo

A idéia inicial eram 10 fragatas e 16 corvetas…

Satyricon

Vocês estão se esquecendo do fantástico, incrível, superlativo programa dos S2 Turbo Traders, onde se gastou o equivalente a uma fragata, e… Foi abandonado
Nunca voou
Nunca patrulhou nada
Sequer foram entregues
Simplesmente abandonaram, pagaram as multas contratuais e queimaram o dinheiro.
Aliás, nunca fez sentido mesmo.

E ainda tem inocente que acredita em SubNuc…

Marcelo

O Brasil não é para amadores !!!

Augusto José de Souza

Se o projeto continuar andando espero que venham mais lotes para suprir as Niterói e as T-22,podendo expandir para MEKO-A 200.

Santamariense

Cara, cai na real!! O comandante da MB disse que falta o equivalente à um das 4 fragatas ora contratadas e tu falando em mais navios e ainda maiores e mais caros?? Ora, por favor,..volta para a realidade!!

Willber Rodrigues

Eu lembro que, toda vez que eu via matérias sobre as FCT’s, eu dizia que me espantava com a celeridade desse projeto, e parabenizava a MB por”finalmente parecer que fez algo correto”. É isso que dá elogiar….tava bom demais pra ser verdade… “Segundo Olsen, o aumento da valor do Programa deveu-se a circunstâncias alheias ao projeto e por condições contratuais” Seria ótimo se o almirante desse nomes aos bois e dissesse EXATAMENTE quais foram essas “ciscustâncias alheias” e “condições contratuais” E nunca deixo de me espantar com o fato de que a MB parece que nunca tem plano B pra… Read more »

Fábio Mayer

Vivemos em um país que faz licitações extremamente minuciosas e demoradas, que não são cumpridas pelos vencedores…

Willber Rodrigues

Pergunta pra IVECO, que caiu no conta do EB de que, se ela investisse numa fábrica aqui, eles seriam “recompensados” com a venda de mais de 2.000 Guaranís.
O resto…o resto é história.

Fernando Vieira

Pois é, isso é algo que eu também queria saber. Se ele quer mais dinheiro público porque o orçamento anterior não deu, ele precisa explicar direitinho o porquê. Pode ser que faça sentido, pode ser que não. O que não pode é essa caixa preta de “circunstâncias alheias”

dretor

Cara esse papinho, sei nao em, quando captalizaram a egepron falram que dava para compra 4 navios e com o licro dos pagamento dava pra comprar mais 2 , agora tao de papinho falandoq ue ta “faltando”……………….

_____
_____

COMENTÁRIO EDITADO.
LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

RPiletti

Pode abandonar…

Roberto Biato

Gostaria de saber para que existe a Engeprom ? Este “puxadinho” na MB nao acerta nenhum budget dos diversos projetos em que foi responsavel. So serve para encher o bolso do nosso almirantado.

Rodrigo

Concordo esse cabide emprego não acerta, uma não deve ter a mínima noção de gerência risco de projeto, de prevenir, mitigar, gerência custo de risco etc…precisa ser privatizada ou encerrada.

Aéreo

Este país precisa de uma operação lava fardas. Investigar patrimônio e movimentação de oficiais generais e famílias.

Roberto Biato

Como fica o 2º colocado no BID efetuado para construção das mini fragatas? Será que ele tambem precisaria deste aporte adicional ou por não ter o envolvimento com a Engeprom a proposta estaria mais alinhada com a realidade. Sabemos que no Brasil a pratica de apresentar preços inferiores para ganhar as concorrencias é usada de forma rotineira, para depois entrar com diversos aditivos contratuiais aumentando substancialmente os valores iniciais.

Orivaldo

Para depois anularem tudo ?

Claudio 3

Vcs contam ou eu?

Paulo Sollo

Então a construção das Tamandarés estava garantida porque a Emgepron tinha sido capitalizada… Não, a Emgepron tem que ser recapitalizada devido a “circunstâncias alheias ao projeto e por condições contratuais”… Como assim? Quais circunstâncias alheias? Usaram a grana das Tamandarés para outras finalidades? Quais condições contratuais? Isto não estava previsto quando a Emgepron foi capitalizada? Isto é uma piada? Uma palhaçada? A Emgepron foi criada sob a justificativa atuar no gerenciamento dos projetos da mb buscando dentre outras coisas, maior eficiência no uso das verbas destinadas a projetos para garantir que estes sejam entregues. M Eu sempre achei que a… Read more »

Santamariense

E mais uma questão: entre a capitalização e a negociação do contrato e durante o pagamento de parcelas ao estaleiro, esse dinheiro todo não foi investido no mercado financeiro para render ou, ao menos, não perder valor?? Essa declaração de que faltam quase 3 bilhões de reais para cumprir o contrato é uma afronta aos pagadores de impostos desse país!

Esteves

O investimento ou a proteção da capitalização vai diminuindo na mesma proporção dos desembolsos que a Emgepron faz ao estaleiro. Esta no balanço da Emgepron.

Todos sabem que custos construtivos, pior, custos construtivos de navio alienígena em estaleiro alienígena no Brasil são incontroláveis.

Teve quem acreditou em novelinha. Se querem os 4 terão que pagar.

Esteves

Tem história para contar. O estaleiro quando era Oceana recebeu capitalização de 4 bilhões. Um ano antes do negócio.

Santamariense

O investimento ou a proteção da capitalização vai diminuindo na mesma proporção dos desembolsos que a Emgepron faz ao estaleiro.”

Sim, Esteves, com certeza. Quanto menor o valor investido/aplicado, menor é o valor “ganho” com os rendimentos. Isso é básico. Mas, mostra que se não tivesse sido aplicada essa grana em investimentos, o rombo seria ainda maior…

Volpi

Os Gripens estão aí….ou melhor….apenas uma pequena parte deles foi entregue para questionar essa “competência da FAB”

Paulo Sollo

Questões totalmente diferentes. A FAB não criou uma estatal para receber bilhões por fora com a promessa de que faria este dinheiro render no mercado financeiro para garantir o aporte às aquisições. A FAB tem direcionado seu orçamento dentro das possibilidades  e de longe tem sido historicamente a Força mais competente no uso de seus recursos. Todos os projetos de aeronaves que apoiou foram bem sucedidos. Há problemas comuns a todas as forças que exigem uma reestruturação das estruturas organizacionais, porém a níveis de aquisições e de capacidades de defesa, a FAB está bem acima das demais. As pretensões da… Read more »

Gabriel BR

Todo mundo sabe que esse papo de transferência de tecnologia e fabricação local é proza suspeita. Os militares mais do que ninguém sabem que o MD não tem saúde financeira para bancar esses devaneios da MB e não os terá pelos próximos 20 anos … existe algo de podre no reino da bananas!

Mattos

Nunca teremos uma Marinha do tamanho e qualidade que o Brasil merece. Só déficit para o devido aparelhamento. Dinheiro tem, só que está nos lugares errados.

Orivaldo

Vai faltar para a cervejinha ?

Charle

Que VEXAME!!!

É tanto “concurso público”, tanta exigência para entrar nessa “(m)arinha para que, ao fim e à contento, mostrarem o quão ” preparados” essa gente é.

Tem dono de botequim que administraria melhor esse orçamento.

Mas tem algo muito estranho nessa lorota… isso tem.

Rogerio
Willber Rodrigues

Daqui a pouco cada FCT vai custar mais do que uma Arleigh Burke, sem ter nem 10% de sua capacidade de combate e armamentos…

Cipinha

Vai encostando no preço de uma FREMM sem ter as mesmas capacidades. Construção naval no Brasil é loucura, por isso que essa indústria só sobrevive enquanto o governo joga bilhões de reais do pagador de impostos nela, enquanto obrigado a Petrobras a comprar na indústria nacional muito mais caro, demorado e com qualidade inferior, por isso estamos indo para nossa quarta tentativa de construir uma indústria naval. Você acredita que ela será capaz algum dia de competir no mercado global? Com Coreia do Sul e China

Esteves

O Programa foi reajustado para mais de 11 bilhões conforme matéria do PN de 10/11/23. Agora querem mais 3 bilhões para continuar ou as 4 serão uma? Lá atrás, vide matéria do PN sobre a auditoria do BNDES, afirmaram que o valor seria fixo e isso foi um dos motivos para a denúncia ao MP/PE por sindicatos de PE. O “fixo” da época eram 7 bilhões. Subiu para 9,5 bilhões. Agora projetam 13.281 bilhões com a atualização cambial do negócio de arrendamento/comodato/leasing na Emgepron. Navio? Navio não sai. A Emgepron recebeu 9+2 bilhões. Cadê 1 navio? Navio não tem. Aquela… Read more »

Rogerio

Eu não ficaria assustado se ao final das 4 (se entregarem), o custo de cada gravatinhas fechar em 1 bilhão de dólares.

Rogerio

Gravatinha = fragatinha

Esteves

Possível.

Mars

Já superamos o valor das duas FREMM que os italianos ofereceram? Ou melhor, cada navio já está custando o valor de uma FREMM? rs
I a galera acreditou em segundo lote… Isso aqui vai ser um Inhaúma 2.0. Agora é especular quais navios de segunda mão a MB vai comprar pra compor a esquadra.

Rodolfo

O Egito recebeu os dois últimos barcos italianos dentro de um pacote por 1.2 bi de euros, 3.2 bi reais por barco. some electronic countermeasures systems (EW suite’s jammers, NETTUNO-4100 RECM system and Thales Altesse CESM equipment) and some communication aerials have been disembarked. Apart from that, no major change is visible compared to the original FREMM design. For the record, the contract for the transfer of the two FREMM frigates to Egypt, reportedly quoted at circa €1.2 billion, without further information on the inclusion of the training and support package, is expected to include options for two additional new-built… Read more »

Alex Barreto Cypriano

Bom, ao menos se garantiu que poderá a EmGeProN ser recapitalizada sem precisar ser privatizada. Eita trem bão, sô!

Bardini

PROSUB: total de R$ 60,8 bilhões e sempre subindo – pagos desde 2008, R$ 27,3 bilhões = R$ 33,5 bilhões de reais restantes, em uma dívida que claramente irá perdurar pelos próximos 20 anos… Tudo assegurando a nossa incapacidade histórica de manter o patamar de investimento de R$ 2,0 bilhões de reais por ano. . R$ 27,3 bilhões de reais são mais de U$ 5,5 bilhões de dólares. Qual o resultado prático de tudo o que foi gasto? Depois de tudo o que já foi investido, desde a assinatura, como está nossa capacidade de nos defender hoje? . É a… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Bardini
Luís Henrique

O valor do SNA ser equivalente ao de 6 SBR é até aceitável quando analisamos que inclui os custos de desenvolvimento. O primeiro de uma nova classe, com todas as tecnologias que são intransferíveis etc. Caso a MB tenha condições de encomendar 6 SNA ou 8 ou 10, ai sim os valores do desenvolvimento ficarão diluídos em várias unidades e o valor unitário não será 6x o de um SBR. Já no caso das Fragatas Tamandare, concordo, acho que deveria ser proibido este tipo de aumento. O valor do contrato deveria ser fixo. O que justifica este aumento. Estava fazendo… Read more »

Willber Rodrigues

“Caso a MB tenha condições de encomendar 6 SNA ou 8 ou 10, ai sim os valores do desenvolvimento ficarão diluídos em várias unidades e o valor unitário não será 6x o de um SBR.”

O “X” da questão é justamente esse:

A MB não terá condições de encomendar “6 SNA ou 8 ou 10”, justamente por causa da dívida impagável que o Bardini citou acima.
Então simplesmente ESQUEÇA essa história de “se encomendar-mos mais, o valor será diluído”, esqueça isso.

Rodolfo

Nao vai ter isso, impossível. Os Australianos já estao projetando que o programa Aukus vai custar 350 bi de dolares ate 2050, isso pq vao comprar Virginias e depois desenvolver um modelo proprio com auxilio dos Britanicos e Americanos mas o reator todo será entregue pelo Reino Unido, ou seja, vão precisar investir menos em desenvolvimento. 6 ou 8 SNA nao vai ter, e a realidade é que a economia do país vai seguir patinando e com o envelhecimento da população, gastos obrigatórios que incluem previdência vao passar de 92% do orçamento pra 100% antes do 1o SNA estar pronto.… Read more »

Rodolfo

E tem gente que ainda acredita em Sub Nuclear…

Akhinos

Quem vai salvar os militares deles mesmo são os civis, e eu acho isso uma grande ironia. Enquanto não houver completo controle dos civis sobre os militares veremos situações como essa se repetirem à exaustão. Se inventou essa fábula de repúbliqueta latino americana no Brasil de que os militares são competentes e que os civis não sabem fazer nada, e agora estamos vendo à olhos nus a verdadeira competência dos militares brasileiros. Nada disso me surpreende, como economista eu aprendi na faculdade que foi graças a “excelência” desses mesmos militares no comando da economia brasileira que fomos condenados à 40… Read more »

Mcruel

Todos nós vamos ficar bancando essa palhaçada, pois o que há de certo na vida é a morte e os impostos. Ninguém em Brasília tem interesse em promover reforma administrativa. Esqueça! Independente da idade que você tenha hoje, eu e você não veremos isso acontecer!

Santamariense

Quanto à incompetência dos militares em vários programas e na administração do orçamento, eu não discordo de você. Já quanto aos civis administrarem melhor e “salvar os militares deles mesmos”, tenho sérias dúvidas. Basta observar os mandos e desmandos em “n” obras públicas e programas de todos os governos em todas as esferas., projetos estes tocados por civis.

Fernando Vieira

“(…)esses mesmos sábios ficaram 30 anos á frente de tudo qto é setor da economia brasileira, imagine as pérolas que ele produziram (…)”

Três palavras: Reserva de mercado.

Henrique A

É por essas coisas e outras que querer ToT e fabricação local é jogar dinheiro fora.

Nós não temos gestão/planejamento/estabilidade política e econômica para dar continuidade aos projetos.

Henrique A

É por isso que quando falam de “indepedência tecnológica” eu escondo minha carteira… esses caras não tem a gestão e a estabilidade econômica/política para garantir que os investimentos terão retorno… muito melhor ter encomendado essas fragatas direto da Alemanha, pelo menos teria saído mais barato e o programa com mais chances de ser concluído.

Cipinha

Perfeita colocação

RSmith

“…o aumento do valor do Programa deveu-se a circunstâncias alheias ao projeto e por condições contratuais…” não importa o ambito do projeto, militar ou civil, praticamente todos acabam necessitando de aportes alem do orçamento original! ate entendo que tem coisa que fica dificil se prever, mais já se sabe de antemão que isso vai acontecer quer queiraq ou não então já deveriam colocar no contrato orçamento essa previsão para depois um projeto tão importante parar por falta de recusos o que vai gerar um prejuizo, muitas vezes, insanavel…

Rodrigo

Tem.que prever gerenciamento de risco, o PMBOK tem capítulos sobre isso, prova sobre isso. Se os cara não sabem gerir projetos é só fechar essa engeprom ou privatizar que faria um favor a nação

Mcruel

Mais do mesmo… (ô país bosta). Queria ter nascido depois de 2000, quando os intercâmbios ficaram facilitados… Já teria sumido daqui.

José Martins

Boa, estou tentando emigrar daqui, esse país nunca será sério, não vai, cansei, não é de hoje que acompanho os absurdos com o dinheiro público. Com mais de 40 anos de idade perdi as esperanças de ver melhorias, é sempre a mesma história; começa, paga mais caro por transferência de tecnologia, o preço vai subindo, corta as entregas e depois abandona, não há continuidade, não há evolução, sempre do mesmo jeito.

Nilson

Esse deficit nas Tamandaré já havia sido previsto aqui no Naval quando houve aquela supervalorização do dólar, no início de 2020. O dólar subiu de 4 para 5 reais (ordem de grandeza), o que inevitavelmente levaria a repactuação contratual. Por outro lado, o dinheiro da capitalização somente seria corrigido pelo rendimento da renda fixa, em aplicações bancárias. Mas de qualquer forma seria interessante um gráfico comparando a evolução do valor capitalizado (com as devidas remunerações de renda fixa) com a evolução do valor contratual. Melhor do que uma simples explicação de “fatos não inerentes ao contrato”…

Fernando Vieira

Bom, mas aí a gente se pergunta: A capitalização foi feita para uma compra que seria essencialmente em dólares. Quem foi o jênio que, sabendo disso, não pegou esse dinheiro e o protegeu contra a variação cambial ao invés de investir em renda fixa?

Qualquer hora a gente vai descobrir que esse dinheiro foi para alguma bet apostando em resultados do Flamengo.

Fabio

déficit de $600k doletas, praticamente um navio, três já estão pagos então

Santamariense

“ três já estão pagos então”

Não necessariamente. Os pagamentos ao estaleiro estão ocorrendo em partes. Temos que ver se o dinheiro que a Emgepron tem hoje será suficiente para três, pois depende da variação cambial e se haverá dinheiro para começar e terminar o terceiro navio, quando chegar a hora.

Diógenes

A Ucrânia sem Marinha conseguiu afundar 17 navios e abater 1 submarino….Com 2 anos de injusta invasão eles já criaram mais tecnologia de Guerra Naval do que a Engepron em todos seus anos. Vende a Engepron pra iniciativa privada.

Rodrigo

Mais sensato de todos, alguém lúcido.

Alex Barreto Cypriano

Depois de privatizar a EmGeProN só fica faltando alguma grande potência fazer-nos guerra pra atingirmos finalmente a perfeição da modelar Ucrânia, certo?

francisco

Continuam gastando dinheiro, sem nenhum proveito. Esse almirantes não entendem nada de administração de empresas e muito menos de produção industrial.
Privatizem essas construções de fragatas. Invistam na capacitação de estaleiros sérios como o INACE, que já provou sua capacidade fabricando os navios patrulhas.
Enquanto insistirem em Engepom ou outra estatal, só gastos e nada. Funcionário público ganha muito e produz pouco.

Fabricio

Anos para lançar 10 navios que não suprem nem as baixas e tinham a pachorra de falar em segunda frota (só que seja dos museus navegando nos rios do Brasil). Mas como aqui devemos sustentar as mordomias do chefe, dos comedores de lagostas e bebedores de vinho nada mais me surpreende nesta relativa democracia e suas prioridades.

Santamariense

10 navios? Estão pedindo mais grana para completar 4!!

Henrique A

Essas fragatas deveriam ter sido fabricadas na Alemanha… nós teríamos pagado menos e as chances do projeto ser concluído, maiores.

Agora estamos aí, o almirante chorando por mais grana e o projeto com risco de terminar incompleto ou atrasar.

Abner

A questão é quais são essas “circunstâncias alheias ao projeto e por condições contratuais”. Que leva à esse déficit de R$ 2,95 bilhões.

Se não me engano, já ouve 2 aditivos nesse projeto.

Da à entender, que tem algo errado na contabilidade da MB ou erro na estimativa?

Mauro LF

Essa é a marinha que temos.
Poucos navios e muitos militares na ativa e pensionistas.
Não acredito que isso mude pq isso ja vem desde o Brasil colônia, Brasil império.
Agora quem paga essa conta é o povo ???

Last edited 1 mês atrás by Mauro LF
Piassarollo

Chama a atenção a intensão de terminar o Mangaratiba e mais uma unidade da classe Macaé,

Rafael Gustavo de Oliveira

Eram 12 escoltas (7 Niterói, 4 inhauma e 1 barroso) não estamos conseguindo completar 4 Tamandarés….uma vergonha para o povo brasileiro pela falta de profissionalismo…. contratos precisam ser cumpridos, que façam uma CPI para punir os responsáveis.

Dalton

Uma pequena correção: a última vez que se teve “12 escoltas” foi em 2016 sendo
6 Niteróis – não 7 – 2 Greenhalghs, 3 Inhaúmas e a Barroso, mas já em 2016 a própria
Inhaúma foi retirada de serviço e de lá para cá, retiradas foram a, Niterói”, Jaceguai e Greenhalgh.

Giltone Batista Rocha

“O Brasil não é um país sério” é uma frase dita pelo diplomata brasileiro Carlos Alves de Souza Filho ao jornalista Luís Edgar de Andrade, à época correspondente do Jornal do Brasil em Paris. A frase foi dita no contexto de um incidente diplomático.

Patriota

Não é verdade que possuímos poucos navios e muito pessoal! Parem de denegrir a nossa Marinha! Temos sim muitos e muitos navios, incontáveis navios, mas vocês é que não são de capazes de enxergá-los! “E aqueles que foram vistos dançando foram julgados insanos por aqueles que não podiam escutar a música” (Nietzsche) Vocês não contavam com a genialidade dos nossos almirantes: eles são bravos estrategistas, eles são verdadeiros patriotas! Em silêncio, construíram vários navios de combate invisíveis (stealth)! Somente é possível enxergar esses navios após ingerir algumas doses de uísque 12 anos elaborados com uma fórmula especial, o qual é… Read more »

Bruno

Sabe quando o Brasil terá Forças Armadas à sua altura? Quando essa corja do agronegócio for chutada pro lado e se formar uma elite de “Complexo Militar Industrial” brasileiro e o eixo do “Poder Oculto” que controla o país mudar das mãos desses vagabundos que destinaram o país à um mero exportador de commodities, para as mãos de “empresários” do ramo da Tecnologia e Defesa, abocanhando contratos multi-bilionários junto ao governo. Isso é bom ou ruim? É horrível, vide o modelo Americano, cria-se um monstro que é maior e mais poderoso que o próprio Estado, mas necessariamente a minha afirmação… Read more »

George

Dr. Eneas? Ė o senhor? Sabia que não tinha morrido! Malditos patriotas de Miami que calaram a voz do senhor por todos estes anos. E que venha o submarino nuclear e suas bombas atômicas!

Santamariense

Meu Deus…a cada dia eu penso que já vi e li de tudo, mas o ser humano tem uma capacidade infinita de me surpreender…

Charle

Mas tudo isso teria que vir acompanhado de um grande expurgo nas forças.

Com essa gente que integra atualmente as forças é utópico imaginar algo assim.

E também não dá mais para ficar pagando “pensão vitalícia” às filhas solteiras e inocentes dessa gente. Isso tem que acabar.

Conheço algumas delas que nunca trabalharam, estão no terceiro ou quarto “casamento fake”, e gastam toda a grana recebida das pensões dos papais falecidos em viagens, compras e “trabalhos de feitiçaria”.

E todos nós pagamos essa sem-vergonhice.

Carvalho2008

Mestre Charle, qual delas o amigo denunciou?

Não existe necessidade de alteração legal, o caso que o amigo levante é exclusivo de pericial previdenciária.

Esteves

Pode fazer a denúncia. A autarquia que paga a pensão não precisa de processo na justiça.

Cessamento, devolução e responsabilização.

Gabriel BR

Melhor ler essa bobagem do que ser cego

Carvalho2008

Impressionante como ficam discutindo benefícios, cortes e gastos, mas zero pergunta sobre o fato noticiado….dá tristeza…

Ninguém vai perguntar sobre o desvio de 25%??? Ou ele foi na projeção ou na execução do orçamento, isto é o que interessa….

Alex Barreto Cypriano

Mestre Carvalho2008, perguntaram, sim, nos primeiros comentários, como foi mesmo, detalhadamente, que se criou esse déficit… Mas ninguém é tão ingênuo de achar que alguma explicação suficiente venha a ser dada por algum dos envolvidos, que desprezam nossa inteligência e não respondem seriamente perante alguém. Estamos apenas sendo informados de um ‘fato’ consumado sobre o qual nada podemos fazer senão exercer o jus sperneandi – ao menos enquanto este não for revogado por consenso ou lei.

Esteves

Exato. Em outros tempos nem explicação dariam.