O incidente marca a primeira ação de combate do destróier da Marinha italiana no Mar Vermelho usando seu canhão de 76 mm para derrubar um UAV Houthi.

Esta tarde, implementando o princípio da autodefesa, o destróier da Marinha italiana Caio Duilio (D554) abateu um drone no Mar Vermelho. O drone, com características semelhantes às já utilizadas em ataques anteriores, estava a cerca de 6 quilômetros do navio italiano, dirigindo-se em sua direção.

Atualmente na área para garantir a liberdade de navegação e a segurança das rotas comerciais, o Caio Duilio substituiu a fragata italiana Federico Martinengo no contexto das operações italianas de vigilância marítima no Mar Vermelho. O esforço começou no final de Dezembro, na sequência de ataques de milicianos Houthi contra o tráfego que navegava no Estreito de Bab-el Mandeb.

“Os ataques terroristas dos Houthis são uma violação grave do direito internacional e um ataque à segurança do tráfego marítimo do qual depende a nossa economia. Estes ataques fazem parte de uma guerra híbrida, que utiliza todas as possibilidades, não apenas militares, para prejudicar alguns países e beneficiar outros”, afirmou o ministro da Defesa, Guido Crosetto.

O combatente de superfície da Marinha italiana Caio Duilio está a operar no Mar Vermelho para ajudar a proteger o direito internacional e salvaguardar os interesses marítimos nacionais.

FONTE: Marinha Italiana, via Naval News

Subscribe
Notify of
guest

31 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jefferson B

O Brasil precisa enviar navios para a região, chega de ser um país de “ceguinhos”, que coisa feia.

Paulo Sollo

Porque você não toma a iniciativa?

Eu te consigo uma jangada e algumas caixas de fogos de artifício daqueles tipo rojão que explode 12 vezes, saturando uma boa area a cada disparo.
Você dará um excelente exemplo de força de vontade e determinação para defender interesses estrangeiros que não nos afetam em absolutamente nada.

Vovozao

03/03/2024 – domingo- btarde, Jefferson, enviar o quê; temos poucas e antigas escoltas, armamentos, sistemas, na maioria dos anos 80/90; para sermos uma marinha com presença, teremos antes que nos modernizarmos, abrimos mão de estar no Libano devido ao desgaste das poucas fragatas que ainda temos navegando.

carvalho2008

enviar porque? não são minhas cargas….não são meus navios…stamos comprando nossos insumos de forma mais barata, sempre fomos contra a não interferencia em outros paises e tudo o que está ocorrendo é porque teimam em interferir e estamos melhor posicionados em exportações…. então, porque? Salvo um discurso de de solução de um problema que não criamos e que mesmo que venhamos a fechar os olhos e ingressar e resolver irão criar outro? Eu lembro 4 a 6 anos atras todo mundo aqui falando em ajudar Houthis contra a invasão Arabe patrocinados e financiados por americanusmalvadus…. Tem que parar om isto… Read more »

Last edited 4 meses atrás by carvalho2008
No One

https://www.marinha.mil.br/agenciadenoticias/conflitos-e-pirataria-no-mar-vermelho-atingem-economia-brasileira?fbclid=PAAaZW9JUHFqZsjjbnUvi_SgI2siZ_wMimgmjQl0VqFWgJlOL5DaUhTZjP8_Y

A própria agência de notícias da MB faz questão de publicar e divulgar ( até no próprio Instagram) essa questão que impacta negativamente a nossa economia .

Rafael Costa

Enviar o que, especificamente? Não temos nenhum navio adequado para esta missão. Se fosse enviada uma fragata classe Niterói, certamente voltaria avariada por um impacto de míssil ou drone dos Houthis. Afinal, sua única defesa anti-aérea são os mísseis aspide e canhões bofors. A tripulação não conseguiria proteger o próprio navio, quiçá os navios mercantes, que são o objetivo da força tarefa na região. Sem contar a capacidade de radar/sensores da fragata, bem longe de ser o que há de mais moderno hoje.

Saudações a todos!!

Last edited 4 meses atrás by Rafael Costa
Jagder#44

se voltasse…

Augusto José de Souza

Então é esperar alguma Tamandaré entrar em operação para se cogitar enviar para essa missão.

Carlos Crispim

Não temos defesa AAe de área em nenhum dos navios da MB e tb radar 3D, q só o Atlântico tem.

frank

EDITADO:
COMENTÁRIO BLOQUEADO DEVIDO AO USO DE MÚLTIPLOS NOMES DE USUÁRIO.

No One

Essa notícia possuí uma certa relevância para a MB que pode extrair algumas avaliações positivas . Positivas porque as nossas FCT optaram por um armamento que se mostrou efetivo e mais importante a unidade italiana não precisou disparar projéteis guiados ( DART) que não teremos, infelizmente. Ao que parece foram utilizadas munições antiaéreas com espoletas programáveis com detonador de proximidade .

No One

comment image

Rui Mendes

Falta aí os mísseis anti-navio.

No One

Nessa imagem sim, faltam, é bastante datada, provavelmente da época do seu comissionamento. Sendo sua função precipua a defesa antiaérea, não carrega em todas as suas missões mísseis antinavios.

mario

O navio tem um componente de helicóptero (NH90 AW101) capaz de empregar mísseis antinavio MBDA Marte Mk2/S. A unidade também está preparada para o embarque de até oito mísseis antinavio/ataque terrestre Teseo Mk2A.

No One

Rui , procurei e consegui encontrar , deve ter matéria aqui no naval, lembro de ter comentado sobre a presença dos mísseis antinavios no Caio Duilio.

Ano passado, quando a unidade percorreu o Canal de Kiel rumo ao Báltico foi possível observar que os ditos mísseis estavam presentes .

comment image

https://twitter.com/WarshipCam/status/1659214264312410112/photo/1

Augusto José de Souza

Como faz para divulgar fotos nessa página? No dia 8 do mês passado eu fiz uns registros do AMRJ onde é possível ver o NDCC Almirante Sabóia e o NDM Bahia docados para manutenção periódica e gostaria de compartilhar para o pessoal dizer quais reparos elas estão passando.

Augusto José de Souza

Poderíamos formar uma parceria com a Itália na área naval para construir essa classe para ser nossos contratorpedeiros e as Tamandaré como fragatas.

No One

comment image

Leonardo 4AP (4 Actions Plus, multi-function programmable fuze) is a state-of-the-art electronic fuze, programmable in the gun or by portable fuze setter. The design is optimized in order to have very high performance and reliability, and low cost.

Underground

Caio Duilio foi um Cônsul no ano de 260 e é considerado um herói da Guerra Púnica, sendo nomeado Comandante Geral da Frota. Destroyer, com deslocamento de até 7700 ton, 152 m de comprimento, possui 4 geradores diesel, duas turbinas a gás e mais dois motores diesel, velocidade máxima de 29 kt, com alcance de 13 mil quilômetros, para operações médias de 45 dias e 255 pessoas embarcadas, cinco radares embarcadas mais uma serie de sensores de mira, sonar, sonar rebocado, bloqueadores de radar, cinco canhões mais duas armas acústicas, dois tubos de torpedo, seis módulos de lançamento vertical para… Read more »

Cassiofrc

Que inveja. Nunca vamos ter nada parecido com isso.

Emmanuel

Moço, quero meia dúzia. Pode embrulhar pra presente.

No One

Alguns mapas para melhor entender o contexto da região e das operações:

comment image?resize=1024%2C578&ssl=1

comment image?resize=1024%2C578&ssl=1

comment image?resize=1024%2C578&ssl=1

No One

Algumas belas imagens do Caio Duilio e Andrea Doria:

comment image

comment image

comment image

comment image

comment image.webp

comment image.webp

comment image

No One

comment image

Augusto José de Souza

Como divulga fotos aqui? Fiz registros no mês passado do arsenal de marinha do Rio de Janeiro como Almirante Sabóia e o Bahia docados.

Underground

Houston,
Confirme veracidade de fogos na Crimea ocupada!
https://youtube.com/shorts/UrpQoM0xcJE?si=hpEkDGYvW6GcnunV

Heinz

Fogo nos ocupantes

Burgos

Mas São elegantes essa Classe Horizon heim?!🤔⚓️👍💪

Augusto José de Souza

Ela e as Fremm são outro nível,assim como a engenharia naval italiana como todo. Podemos expandir a parceria com os italianos na área naval igual já temos na área terrestre adquirir essa classe Horizon como contratorpedeiros e as Fremm como fragatas maiores para complementar as Tamandaré,assim termos uma escolta descente para talvez de fato cogitar porta aviões o que sinceramente é desnecessário para o nosso país,mas se querem pelo menos primeiro modernizem a tenham uma quantidade descente de escoltas.

Augusto José de Souza

Itália e sua engenharia naval é simplesmente incrível,que belíssimo navio e as Fremm também são sensacionais.