O porta-aviões Liaoning da PLA Navy deixou Dalian no dia 29/2 para o seu primeiro teste no mar após cerca de um ano de manutenção e modificações. No convés de voo estavam modelos em tamanho real dos caças J-15 e J-35.

O J-15 já está operacional nos porta-aviões chineses e é baseado no design do Sukhoi Su-33, o T-10K-3, com radares, motores e armamentos produzidos na China.

Uma versão não terminada do protótipo do Su-33, o T-10K-3, foi adquirido da Ucrânia em 2001 e estudado exaustivamente, e com o J-15 sendo desenvolvido imediatamente depois.

O Shenyang J-35 é um novo caça naval stealth chinês, com reduzida visibilidade aos radares inimigos, o que será crucial para operações em ambientes altamente contestados.

Os modelos sugerem a intenção da China de operar estas aeronaves conjuntamente nos seus dois primeiros porta-aviões.

Subscribe
Notify of
guest

39 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carvalho2008

A semana dos Nae…..

Eis o Nae de PROJEÇÃO da China….rzrzrzrz

Heitor

Com mísseis nucleares em terra e em submarinos, para que caríssimos porta aviões ?

SteelWing

Aí você está falando sobre defesa territorial e marítima, mísseis nucleares e submarinos já servem sim. Mas se for um país cuja doutrina deve está baseada em dominar locais do outro lado do mundo, com domínio e apoio em operações aéreas, como os EUA em outros países, um porta aviões é Essencial. Estou falando como interesse de transformar regimes adversos em seus aliados, como foi o caso do Iraque, Afeganistão e obter os recursos destes. Se você jogar uma bomba nuclear e explodir tudo lá não faz muito sentido se você quer ter aquele mercado consumidor e recursos daquele local.

Cleber

Mobilidade .mar ,terra. Logística

Sulamericano

Acredito que as intenções de projeção da China não estão do outro lado do Globo.
Mas pra quem não tinha nada há duas décadas atrás até que eles estão indo muito bem.

Carvalho2008

Fiz o trocadilho intencional chamariz do termo tão errado e deturpado chamado Projeção….Nae é para controlar e dominar a área de alcance de seus meios aereos, quer seja no ataque ou defesa….

A China é exemplo clássico. Seus Nae não são destinados a invadir….e sim, a criar um círculo terão de defesa ao seu continente, atrás das Filipinas…ou mais…visa evitar a aproximação de nae adversários

Piassarollo

Esse navio vai acabar indo pro Paquistão.

Bruno Vinícius

Quando possuí uma frota capaz de protegê-lo, o NAe é a arma suprema do mar. Nenhum outro meio consegue negar a navegação do inimigo em uma área tão imensa quanto o porta-aviões e sua ala aérea. O problema, claro é o custo; mas quem pode (não é o nosso caso), tem.

Parabéns aos chineses por terem adquirido essa capacidade e a estarem incrementando no ritmo que estão.

Last edited 4 meses atrás by Bruno Vinícius
Paulo Sollo

De fato operar um NAe com seu grupo de combate é um alto luxo para pouquíssimos. Os eua com sua opulência são um caso a parte. A China com sua ascensão também é um caso a parte. Abaixo deles, França e UK que conseguem operar um único NAe(Sim, UK só está conseguindo operar um, não é?). E a França tem sido historicamente impecável na operação de seus NAes. Ou outros países com um ou dois LHD com meia dúzia de jatos embarcados. O Japão vai operar seus NAes “compactos”, porta helicópteros convertidos. Quem não tem condições comprar e de pagar… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Paulo Sollo
Eder

Claro que em uma época diferente, durante a II GM, a Kriegsmarine passou por citação familiar, em construir mais U-Boot’s ou o Bismarck.

Bruno Vinícius

“Quem seria mais efetivo em negar o uso do Atlântico Sul, um NAe, que é também um gigantesco alvo ou uma matilha de submarinos modernos?”

R: Depende da composição da frota do inimigo e da nossa

Last edited 4 meses atrás by Bruno Vinícius
Willber Rodrigues

Em seus exemplos de países que operam NaE’s, você se esqueceu da Índia.

No One

Os submarinos são armas temiveis, mas possuem diversas limitações , se você tivesse abordado melhor o caso alemão teria se dado conta que nunca tiveram a hegemonia no Atlântico. Pelo contrário, era uma tática assimétrica que tentava achar uma alternativa para desafiar a superioridade das marinhas aliadas. Não foi apenas a quebra dos seus códigos, pois antecedentemente o alemães também quebram os códigos britânicos. Foi a evolução das armas empregadas, a aviação sempre de maior alcance, as bombas de profundidade, o aprimoramento dos radares que conseguiam detectar os submarinos na superfície e a carência de uma aviação bem estruturada por… Read more »

rommelqe

Concordo totalmente

Adriano

Ótima observação e reflexão. Além dos submarinos eu acrescentaria mísseis anti navio de longo alcance. Os Houthis e ucranianos estão dando bom exemplo de como negar o mar para grandes potências.

No One

Só os ucranianos negam o mar a uma potência que ainda se acha grande, já os Houthis no máximo negam o mar a marinha mercante.

No One

comment image%3Fwidth%3D640%26crop%3Dsmart%26auto%3Dwebp%26s%3D3889101dfdcea4ceffb2f488afd481589d0ea567

No One

comment image

No One

Perante os fatos, não há dislike que sirva rarara

Dr. Mundico

Se não me engano, Espanha tem um porta-aviões e a Itália tem dois, atuantes no Mediterrâneo

max

Estados Unidos e China: isso é um porta-aviões? É um brinquedo.

No One

Quantos CVN CATOBAR a PLAN opera atualmente?

0 ! Então vai tirando o cavalinho da chuva que um Cavour é tão ou até mais capaz dessa sucata ucraniana
que eles chamam de Liaoning.

Nesse específica quesito, as capacidades e os números da ala área do liaoning são distantes anos luzes da USN e próxima a realidade das marinhas européia, no obstante muitos gostem incensar e magnificar a PLAN mas essa é a realidade atual.

Carvalho2008

Mestre One, os Nae chineses de fato têm nível de maturidade e completude diversa da americana, mas atenção especial que ßao configurados e serão aplicados no teatro operacional a seu favor….na defesa aérea….e próximo a seu continente e colaborando com ele…o que amortece muito o cenário…e o hiato entre um e outro…

Ciclope

Alias esse projeto de PA, da era soviética, foi feito para isso mesmo que você falou, prover defesa aérea para a frota. Lembrando que os planos soviéticos eram de ter um PA e um Cruzador da classe Slava, (como o Moskva que foi afundado na guerra da Ucrânia por uso errado do mesmo), juntos, idealmente podendo operar em separado, sendo os caças, fazendo a função que seria dos S-300 dos cruzadores. Obs. Por isso os PA soviéticos/russos levavam 12 misseis anti-navio suoerssonicos de longo alcance. O foco da marinha de superficie soviética/russa, sempre foi a defesa de frota contra aviões… Read more »

Pado

A China ainda não tem grana o suficiente para resolver todos os seus problemas, como alguns querem acreditar. Ela ainda vai ter que depender do problemático J-15. Do que falam mal desse avião parece até brincadeira. O J-35 é a solução ideal, porém caro demais para já formar o grupo de vôo completo.

Last edited 4 meses atrás by Pado
Rafael Coimbra

KKK “Do que falam mal” …quem fala? Ah, na padaria hj pela manhã não se falava em outra coisa…

Santamariense

Concordo contigo e com o Sollo, mas não pelo mesmo motivo. Não se fala mal porque de aeronaves chinesas e russas só se houve o que da certo. Quando da errado não se houve um pio.

Paulo Sollo

Fonte: vozes da minha cabeça

Samuel Asafe

Caro pra quem? os caras fazem tudo sozinhos, e os componentes são praticamente todos estatais. Os caras emitem a própria moeda, essa métrica de valor é diferente pro ocidente e pro caso deles, o próprio estado encomenda, fabrica e paga os navios. É um bagulho muito peculiar.

fish

poderia explanar quais os problemas e o que falam mal do J-15?

DANIEL ALVES E SILVA

Com mísseis antinavios, drones e submarinos um país consegue dissuadir qualquer marinha. Basta saturar as defesas antiaéreas. A guerra mudou, muitos ainda estão presos a Porta Aviões. Um país que tenha em estoque alguns milhares de mísseis e drones destrói a escolta e seu porta aviões. Como desde a Segunda Guerra Mundial não tivemos nenhum conflito igual ao da Rússia X Ucrânia, ficamos por décadas com ilusões. Os custos de um porta aviões são proibitivos, o Reino Unido está sentindo isto. É uma embarcação que não pode se deslocar sozinha por não ter capacidades defensivas plenas. O próprio Brasil em… Read more »

Samuel Asafe

melhor dois sub nuclear debaixo da água doq 1 alvo imenso desse. Acho que o futuro são navios como Porta Helicópteros por exemplo, sendo adaptados pra lançar enxames de pequenos drones.

Bruno Vinícius

“Um país que tenha em estoque alguns milhares de mísseis e drones destrói a escolta e seu porta aviões” Para atacar um porta-aviões é preciso encontrá-lo em uma área gigantesca e ficar monitorando sua posição por ao menos alguns minutos (no caso de mísseis balísticos) ou até mesmo horas (no caso de drones). Algo que, salvo a existência de uma bola de cristal mágica, é uma tarefa extremamente difícil de ser realizada com sucesso e que depende de meios aéreos, submarinos e espaciais atuando em coordenação. Outrossim, esse seu cenário presume que o CSG inimigo adotará uma atitude totalmente passiva,… Read more »

Last edited 4 meses atrás by Bruno Vinícius
Munhoz

será que é maquete os aviões , maquete não precisa de lona de proteção ?

Carvalho2008

Em que pese a ascensão de drones, os amigos ainda tem de filosofar sobre vários pontos ainda insolúveis a ponto de não desprezar Nae de 1a linha….sem isto, fica apenas o discurso. Nae ainda são essenciais para permitir que uma aranha zarpe de seu porto. 1 pequenos drones, não tem alcance, velocidade e inteligência. possuem GPS o que significa alvos fixos e não alvos móveis 2 drones maiores ainda voam dentro de um envelope de altitude e velocidade igual ou inferior a um caça da WWII. 3 Drones tem problema de consciência situacional, e ou possuem pouco alcance de telecomando,… Read more »

Neto

Excelente pontuação Carvalho.

Bigliazzi

submarinistas americanos ficam babando com essas imagens…

Fabio Araujo

OFF _ https://apnews.com/article/philippines-china-south-china-sea-collision-e69d9506e85d1d23685db4f220b50d71?utm_source=twitter&utm_medium=share
Navios filipinos e chineses colidem no disputado Mar do Sul da China e 4 tripulantes filipinos são feridos

Jonathan Pôrto

Malandro é o Brasil que fez maquete de porta aviões com gripen naval!! Alguns até elogiaram a iniciativa do “olimpo” !! É ideia de Almirante rapaz, respeita!!! Só no mundinho deles 🤣🤣🤣🤣