terça-feira, dezembro 7, 2021

Saab Naval

Para Dassault, só Rafale opera no São Paulo

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

rafale-no-foch

vinheta-clipping-navalEsquenta a disputa entre os concorrentes no programa F-X2 da Força Aérea Brasileira (FAB). A francesa Dassault garante o que seu avião de caça Rafale é o único dos três capaz de operar no porta-aviões São Paulo, o antigo Foch francês adquirido pela Marinha brasileira. Os suecos estudam a aptidão de seu Saab Gripen NG para a função. O F-18 Super Hornet da americana Boeing, porém, necessita de um navio com pista de pouso mais extensa.

FONTE: Correio Braziliense – nota de Luiz Carlos Azedo

LEIA MAIS:

- Advertisement -

17 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Felipe Cps

Precisa avisar o Correio Braziliense e o jornalista em questão que o FX2 é um programa da FAB e não da MB.

E que o Rafale oferecido no âmbito do FX2 não é o navalizado. E que se o Rafale “comum” custa por volta de 100 MILHÕES DE EUROS a unidade, o naval deverá custar bem mais do que isso (reforço nas estruturas, trem de pouso muitomais reforçado, etc).

Sds.

flaviodepaula

Que isso Felipe, não diga uma coisa dessas… Vai que você avisa o Correio Braziliense. Elea vão sair por ai espalhando esta notícia, como todo “bom” jornal faz. Só não vão saber a fonte oficial, porque esta não existe. Ainda não vi ninguém da FAB, ou da Dassault, dizer que o Rafale custa 100 milhões. Mas não sei porque insistem em falar isso. Não deixa cair “na boca da imprensa especializada”, senão da me…. P.S – Leva a mal não, mas só respondo estes seus posts sobre o preço do Rafale porque realmente não vi fonte oficial falando sobre isso,… Read more »

baschera

Já eles dizem isto, deveriam trazer pelo menos um para um “test-drive” à bordo do A-12.
Falar que opera eu também falo.
E se operar, vai ser muito sub utilizado, com pouco combustível e quase sem armamentos, somente mísseis ar-ar. Ou seja, não serve para a defesa da frota. Mas a culpa não é do avião e sim do NAe, cuja pista é curta e as catapultas tem força insuficiente. Idem para o aparelho de parada que operaria no seu limite.

Sds.

tailhooker

Felipe, Ao longo da história do Blog, nota-se que vc traz um certo rancor quando se fala em assunto que envolve aeronaves de asa fixa para a MB. Parece até um companheiro de um outro Blog. De repente é até a mesma pessoa. Você transparece uma oposição sistemática. Quanto ao FX-2 ser um programa da FAB e não da MB vc está parcialmente correto. O FX-2 é um programa do MInDef e pode ter sim influência da MB, mais até do que a gente imagina. Quanto ao Rafale M ser mais caro do que o Rafale da Força Aérea, é… Read more »

Ivan

A Dassault está certa, mas contou apenas uma meia verdade. Gripen – não tem versão naval. SuperHornet – muito grande e muito pesado para as 20 ton máximas da catapulta de proa. Rafale M – já operou no São Paulo quando se chamava Foch, com limitações de peso e apenas na catapulta de proa. As catapultas do A-12 são duas Mitchell-Brown tipo BS-5 a vapor, de 53 metros. A de proa tem capacidade de lançar aeronaves de até 20 ton a 110 nós, e a lateral tem capacidade reduzida para 15 toneladas, lançando-as a até 150 nós. Do jeito que… Read more »

Dalton

Há um boato interessante “correndo” em foruns internacionais sobre a possibilidade do Brasil adquirir o porta-avioes frances Charles de Gaulle. O Charles passou recentemente pelo seu primeiro reabastecimento nuclear, e o proximo será por volta de 2015, porém, os franceses poderiam abrir mão dele antes do terceiro reabastecimento, por volta de 2022. O Brasil pagaria por este reabastecimento e uma manutençao completa que demoraria 2 anos, ou seja, o Charles de Gaulle, estaria disponivel para serviço na marinha brasileira em 2025, quando o São Paulo provavelmente estará dando baixa. Teriamos um porta-avioes relativamente novo, equipado com Rafales M e todo… Read more »

Tales

baschera em 13 nov, 2009 às 19:41
“Já eles dizem isto, deveriam trazer pelo menos um para um ‘test-drive’ à bordo do A-12.Falar que opera eu também falo.”

Ué? Tu não sabias, ou esqueceste, que os testes de pouso e catapultagem do Rafale-M foram feitos no Foch? Tem até vídeo no You Tube!
Abrs.

Felipe Cps

Flávio: Fico puto naum broe, pode zoar à vontade, que EU LI a matéria do “LIBERÁTION” que falava em 100 MILHÕES DE EUROS A UNIDADE DO RAFALE. E quando alguém (aí sim não me lembro quem – um desses “aspones” da vida) disse que o preço era menor pois era subsidiado, a Dassault NEGOU PEREMPTORIAMENTE. Ou seja: o preço é este mesmo. Tá lá no Aéreo broe, procura que vc acha. Só não acredita em tais dados a Velhinha de Taubaté e você! Tailhooker: Não sou contra a aviação naval, pelo contrário, sou fanzaço de Porta-Aviões, em geral, embora os… Read more »

Felipe Cps

Tailhooker:

Em tempo: somente escrevo na “Trilogia”, pois não tenho tempo para escrever em blog algum mais. De maneira que é bom saber que tem mais gente que pensa como eu.

Sds.

Danilo

Sou fã de NAE só que concordo com o Felipe Cps, ter algo que não sera usado é burrice, o que adianta a marinha possuir um NAE se não pode contar com ele em caso de guerra pois mesmo que ele esteja totalmente operacional inclusive a sua ala aerea, acha que o A-12 São paulo teria chances contra navios de superficie como os destroyeres da Royal Navy ou pior contra os submarinos da Classe ASTUTE armados com misseis nucleares Trident, acha que nossas forças de superficie conseguiriam impedir tal arma de completar a sua missão, acha que meia duzia de… Read more »

Dalton

Danilo… ninguém espera que o Sao Paulo e seus obsoletos A4s entrem em combate. Veja, durante cerca de 40 anos aprendemos a operar com porta-avioes, no caso, o Minas Gerais, e o São Paulo foi comprado para manter e aperfeiçoar a doutrina, caso contrario teria sido perdida e uma vez perdida, será muito dificil reaprende-la. Não sou ufanista, mas acredito que o Brasil irá crescer e tornar-se uma das cinco economias em um futuro não muito distante e poderá vir a ter um papel muito maior nas questões mundiais. Talvez a era dos porta-avioes gigantescos esteja chegando ao fim, mas… Read more »

Felipe Cps

Dalton em 16 nov, 2009 às 12:49: Entendi seu raciocínio amigo, mas aí lhe pergunto, que doutrina que o amigo acha que a MB tem hoje? O Opalão está docado há mais de quatro anos! A maior parte do pessoal que participou do último catrapo já foi pra outras áreas da Marinha ou se aposentou! De maneira que a turma que está para operar no NAe São Paulo vai ter de aprender tudo de novo! Isso inclusive foi matéria recente aqui no Blog! Amigo, militar combate como treina: se militar não treina, não combaterá! Ou seja, ainda por esse lado,… Read more »

Dalton

Felipe 7th Cav. Star Warrior… Veja que até a China está interessada em aprender algo conosco e foi feita uma boa modernização nas catapultas, coisa que aliás, pouquissimos sabem fazer. Algo se perdeu pelo caminho, é verdade, mas a maior parte do conhecimento adquirido está sendo mantido a duras penas. Estou pensando no futuro, o Brasil com seu devido assento no conselho de segurança, o que aliás nao será dificil, pois é provavel que o nr de assentos irá aumentar para além dos atuais cinco permanentes e uma maior participação do Brasil nos assuntos mundiais, e quem sabe um governo… Read more »

Danilo

é verdade Dalton,

Me enpolguei um pouco com o submarino ASTUTE pois acho ele uma obra prima da engenharia naval.

Armamentos do HMS Astute:

6 × 21 inch (533 mm)tubos para torpedo, 38 torpedos Spearfish, misseis de cruzeiro UGM-84 Harpoon e Tomahawk Block III e minas navais.

Mais uma vez desculpas pelo equivoco.

Sds.

Jose Peixoto

O Brasil transferir tecnologia de NAE para chinese, só pode ser PIADA.Nem aprendemos a operar ainda… que plantou esta notícia deve ser contra a MB e o Brasil, pois assim não receberemos mais tecnologia/ajuda dos EUA e FRANÇA e continuaremos com os nossos barquinhos A REMO.
Os chineses com certeza não SÃO NOSSOS ALIADOS, O QUE NÃO É O CASO DOS FRANCESES E AMERICANOS… POR FAVOR… VAMOS ACORDAR!

Marques

O programa da FAB (FX-2) querendo ou não o Rafale não ficara em vão, pois a noticia que tenho é animadora para aqueles que querem ver esta bela nave voando em nosso céu azul celeste. A marinha já se mostra interessada em adquirir esta aeronave mesmo que ela não venha para a FAB o que seria uma lastima, pois poderíamos ter duas forças usando esta aeronave com uma só doutrina operacional no combate aéreo e no apoio de tropas com missões distintas a cada força. Aguardando a definição da FAB sem muito alarde a Marinha se mostra interessada na aeronave… Read more »

turkey

acho que o são paulo está mesmo desperdiçado,mas para quem ainda não percebeu o a-12 é apenas um brinquedinho pra inglês ver,ele serve para impor respeito aos demais políticos malucos da américa do sul. Já que nos dias de hoje ainda é necessária essa política do eu tenho e você não tem. esse negocio da defesa do pré-sal é mera conversa fiada, já que quem realmente oferece esse risco ao pré-sal são os EUA, não teria-mos em menos de 25 anos capacidade de enfrenta-los como eles estão hoje. o Brasil ainda vai demorar muito para se adequar realmente como marinha… Read more »

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

China planeja base militar na costa atlântica da África

A China está procurando criar sua primeira presença militar permanente no Oceano Atlântico, na costa da pequena nação africana...
- Advertisement -