No Credit Check Payday Loans

Broa-Fly-In-22-06-12-gripen-com-as-cores-da-FAB-2-foto-poder-aereo-poggio

A escolha foi baseada no melhor equilíbrio entre três fatores, um deles a transferência de tecnologia (os outros dois foram performance e custo). O ministro deixou claro, porém, que agora se inicia um novo processo, que é de negociação do contrato (com duração prevista de 8 a 10 meses), cujo valor informado foi de 4,5 bilhões de dólares, o que não deverá impactar o orçamento de 2014.

Amorim também informou que a oferta sueca inclui total abertura dos códigos-fontes do sistema de armas, para integração de armamentos, como solicitado pela Força Aérea Brasileira (FAB) e que, na avaliação técnica da Aeronáutica, foi a melhor oferta. A transferência de tecnologia envolve a propriedade intelectual do que for transferido, dentro de um conceito de desenvolvimento conjunto, o que foi destacado como grande vantagem da proposta sueca, já que a aeronave ainda está em desenvolvimento, com um protótipo / demonstrador em voo.

Segundo o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro do ar Juniti Saito, quarenta e oito meses (4 anos) após a assinatura do contrato deverá ser recebida a primeira aeronave. A expectativa é a entrega de cerca de cerca de 12 aeronaves por ano. Até a entrega do primeiro Gripen de nova geração para a FAB, a Defesa Aérea deverá ser feita pelos caças F-5M da FAB, cujos últimos exemplares em serviço deverão dar baixa em 2025. Também se estuda a entrega antecipada de caças Gripen de versão anterior para cobrir a lacuna até a chegada das aeronaves novas de fábrica.

Haverá também, segundo Saito, participação da Embraer (principal contratada no Brasil) no desenvolvimento da versão de nova geração escolhida pela FAB, como já vem ocorrendo com a brasileira Akaer. Perguntado sobre o fato do Gripen ter componentes norte-americanos, como o motor, o comandante da Aeronáutica informou que o fornecimento dos mesmos (tanto os 36 que equiparão os caças quanto sobressalentes, além de peças) não é motivo de preocupação para a Força Aérea. A grande preocupação era a transferência de tecnologia de itens críticos como os citados códigos-fontes para integração de armas, que estariam garantidos na proposta sueca, que foi escolhida.

Quanto a novas parcerias, o ministro Amorim informou que o País continua aberto a discussões com outros fornecedores a respeito de caças de quinta geração, para o futuro.

O pronunciamento foi transmitido ao vivo pelo canal NBR no momento da edição desta matéria, na qual se atualizou “online” as informações da coletiva de imprensa.

Em resumo, caso a negociação do contrato ocorra dentro do prazo previsto (ao longo do ano de 2014), o primeiro Gripen de nova geração deverá ser entregue à FAB em 2019 (quatro anos depois da assinatura do contrato), conforme as informações disponibilizadas na coletiva.

Quanto ao valor divulgado, de 4,5 bilhões de dólares para um pacote de inclui as 36 aeronaves, caso esse custo se confirme após as negociações que deverão começar em breve, podemos comentar que se trata de um preço compatível com o divulgado sobre o contrato do Gripen E para a Suíça, que foi de 3,45 bilhões para 22 aeronaves – e até mesmo relativamente mais barato, quando se divide o valor total do pacote (que normalmente inclui diversos adendos) pela quantidade de caças, que no caso suíço dá um valor unitário próximo a 150 milhões de dólares, enquanto que no caso brasileiro esse valor se aproximaria de US$ 125 milhões. Reforçamos que este valor estaria dentro de um pacote, com informações ainda preliminares no caso brasileiro.

Tags: , , ,

About Fernando "Nunão" De Martini

View all posts by Fernando "Nunão" De Martini

59 Responses to “Celso Amorim acaba de confirmar: Gripen NG é o novo caça da FAB” Subscribe

  1. Clésio Luiz 18 de dezembro de 2013 at 16:46 #

    http://conteudo.ebcservicos.com.br/streaming/nbr

  2. Guizmo 18 de dezembro de 2013 at 16:47 #

    Feliz igual criança que ganhou bicicleta nova!

  3. pedro oliveira 18 de dezembro de 2013 at 16:48 #

    Melhor do que se o Brasil ganhasse a Copa!

  4. Iväny Junior 18 de dezembro de 2013 at 16:52 #

    Muito bom. Estamos todos felizes. Agora meus sobrinhos já tem motivos para voltar a sonhar em serem pilotos da Aeronáutica.

    Os futuros caçadores têm um avião para sonhar.

  5. Marcelo 18 de dezembro de 2013 at 16:54 #

    Feliz que acabou a novela! E os críticos de plantão vão falar o que agora?

  6. Guizmo 18 de dezembro de 2013 at 16:56 #

    To aqui acompanhando pela TV NBR….Cada repórter viu? Não sabem do assunto e fazem cada pergunta….

  7. Rafael M. F. 18 de dezembro de 2013 at 16:57 #

    Olha o Galvão aí gente:

    ACABOOOOOOOOU!!!!! ACABOOOOOOOOU!!!!

  8. Ozawa 18 de dezembro de 2013 at 17:00 #

    Happy New Year !

    18Dec2013…

    http://www.saabgroup.com/Global/Documents%20and%20Images/Air/Gripen/Gripen%20Calendar%202013/December.jpg

  9. Observador 18 de dezembro de 2013 at 17:00 #

    Onde estão os foristas folclóricos para comentar esta notícia?! O Vader, a Vovódka, tantos outros…

  10. Rafael M. F. 18 de dezembro de 2013 at 17:03 #

    Cadê o Gilberto?

  11. Clésio Luiz 18 de dezembro de 2013 at 17:04 #

    Saito acabou de dizer que querem negociar a vinda provisória do Gripen C/D para cobrir a lacuna até a chegada do E/F.

  12. Clésio Luiz 18 de dezembro de 2013 at 17:05 #

    Estão dando ênfase ao código fonte do Gripen, que vai ser disponibilizado.

  13. Guizmo 18 de dezembro de 2013 at 17:11 #

    Primeiros aviões em 2018

  14. _RJ_ 18 de dezembro de 2013 at 17:15 #

    e a marinha que se vire para bancar sozinha o desenvolvimento do sea-gripen. Não foi o mais barato a longo prazo, mas foi o mais barato agora.

  15. Guizmo 18 de dezembro de 2013 at 17:15 #

    Excelente, terminou a coletiva! O Brasil vai co-produzir o NG e teremos as versões anteriores voando aqui até lá.

    Realmente o ano não tinha ainda terminado. Agora, pra mim, eu passo a régua, Feliz 2014 a todos!

  16. Clésio Luiz 18 de dezembro de 2013 at 17:16 #

    Cronograma de entrega, 48 meses após a assinatura do contrato. A assinatura do contrato deve ser dar entre 8 meses e 1 ano. Saito espera que seja 12 unidades por ano.

  17. joseboscojr 18 de dezembro de 2013 at 17:17 #

    Melhor que nada, mas confesso que sempre preferi o SH por ser um caça pronto para uma força aérea que precisa de um, para ontem.
    Agora, pelo visto, escolhemos um caça que não existe ainda para uma força aérea que existem, mas é quase intangível.
    Aliás, como tudo no Brasil, nossa força aérea é só uma promessa, igual ao NG.

  18. Fernando "Nunão" De Martini 18 de dezembro de 2013 at 17:19 #

    Senhores,

    Enquanto a coletiva ocorria, atualizamos a matéria com as informações divulgadas. Creio que os principais pontos tratados estão no post. É só clicar F5 para atualizar.

  19. Marcos 18 de dezembro de 2013 at 17:22 #

    Agora começa a caça ao Snowden!

  20. Marcos 18 de dezembro de 2013 at 17:23 #

    Eu ainda preferia o Vespão!

  21. GHz 18 de dezembro de 2013 at 17:33 #

    _RJ_ 18 de dezembro de 2013 at 17:15 #

    O desenvolvimento de um Sea Gripen para a MB será a verdadeira prova da transferência de tecnologia do projeto, e a prova real da capacitação nacional para a produção de caças.
    A evolução requer a superação de desafios.
    Muito mais do que se apenas fossem montados Super Hornet e Rafale M aqui.

  22. jfabio.almeida 18 de dezembro de 2013 at 17:35 #

    Agora se voltar atras vai ficar feio

    o mundo ja sabe

    http://www.reuters.com/article/2013/12/18/brazil-jets-idUSL2N0JX17W20131218

  23. GHz 18 de dezembro de 2013 at 17:48 #

    Na MB alguém já deve estar acertando os requisitos técnicos do PRONAE…

  24. maxi47 18 de dezembro de 2013 at 17:52 #

    Iremos desemvolver a versão naval como prometido?

  25. Oganza 18 de dezembro de 2013 at 17:58 #

    Iväny Junior

    “Os futuros caçadores têm um avião para sonhar.”

    Cara, essa sua frase tem um PESO absurdo… esse feeling que muitos de nós devem ter tido em algum momento de nossas vidas, inevitávelmente passa por se ter uma referência clara e possível. Pura verdade.

    Parabéns.

    Amém, vamos poder falar de outras coisas… rsrsrsrs

  26. Oganza 18 de dezembro de 2013 at 18:00 #

    Esse papo de versão naval, temos que ter um NA primeiro… esse ai, já disse: o melhor uso é como alvo para virar recife artificial… mas vamos esperar as negociações, assinatura do contrato etc… etc…

    Sds.

  27. MO 18 de dezembro de 2013 at 18:01 #

    Em tempo = Video + fotos Porta Bunecop 5 estrelas SSZ =
    http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2013/12/ms-silver-cloud-c6mq5-navio-de-cruzeiro.html

    Quanto ao enfeite aviaozinhum … Que bom (padrão panico)

  28. MO 18 de dezembro de 2013 at 18:02 #

    ah ia me esquecendo, aonde foi que li mesmo JA DEU RAFALE !!!!!! ….. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

  29. Oganza 18 de dezembro de 2013 at 18:08 #

    Até agora, NADA no site da SAAB… alguém já falou pra eles? rsrsrsrs

  30. Fernando "Nunão" De Martini 18 de dezembro de 2013 at 18:12 #

    Oganza,

    O curioso é que no site da Saab hoje mesmo foi confirmado o contrato sueco para 60 caças Gripen E (para os quais se aproveitará o que for possível de células de Gripen C). Coincidência?

    Assim que o Poder Aéreo voltar a ficar estável, vamos publicar os contratos suecos anunciados hoje (fica a dica para os concorrentes publicarem antes, o que de qualquer forma não nos preocupa).

  31. Fernando "Nunão" De Martini 18 de dezembro de 2013 at 18:13 #

    MO:

    Como assim? Escolheram o Gripen?

    Isso é um absuuuuuuuuuuurrrrrrrrrdoooooooooo!!!!!

    Pinico de pardaaaaaaaal !!!!!

    rsrsrsrs

  32. Ozawa 18 de dezembro de 2013 at 18:27 #

    Edições extras da RFA, ASAS, AERO, S&D, T&D e é claro do Forças de Defesa…

    Bem, agora, o que já foi ao longo desses 10 anos, mas ficou perdido em idas e vindas em renegociações, espero ansiosamente para ler aqui e/ou no PA matérias dos experts dissecando o Gripen.

  33. Control 18 de dezembro de 2013 at 18:34 #

    Srs

    Incrivelmente, deu a solução mais lógica e adequada frente às circunstâncias. Além disto, abre uma janela de oportunidade para o desenvolvimento conjunto do FS2020.
    Finalmente e, felizmente, um acerto do GF.

    Sds

  34. Oganza 18 de dezembro de 2013 at 18:35 #

    E a VITÓRIA foi da SUPER PULGA ALADA kkkk

    Uma gravidez de risco, com direito a cesariana onde teve até um prematuro que morreu no dito parto – O RAFALE kkkkkkk foi tarde JACA dos infernos.

    Agora vou torcer pra PULGA no Canadá… isso vai gerar uma escala liiiiinda, é capaz até que tenha daki uns anos mais SUPER JAS voando do que as JACAS kkkkkk.

    Depois disso é só a Embraer entrar com a SAAB e Boeing no TX da USAF… rapa é só SABER fazer o dever de ksa direitinho.

    Sds.

  35. Oganza 18 de dezembro de 2013 at 18:46 #

    Nunão,

    se foi coincidência eu não sei, mas muita gente deve estar rindo a toa por lá… acho até que depois da notícia, nem vão precisar “reaproveitar” tantas partes assim dos modelos C/D rsrsrs

    Mas vamos ver o pregão das ações da SAAB amanhã… rsrsrs e os da Dassault tb rsrsrsrs.

    Esses francélicos deveriam criar um “Arco Indiano” em homenagem aos caras… só eles mesmo para salvar o projeto francês.

    Sds.

  36. joseboscojr 18 de dezembro de 2013 at 18:47 #

    O NG pode dar certo porque pelo jeito acrescentaram um item a mais na equação, que é a adoção de um caça tampão, que não fazia parte do programa F-X2 quando da sua concepção.
    O F-X2 era para poder substituir diretamente os Mirage 2000.
    Daí, dentre outros fatores, minha preferência pelo SH.
    Tendo isso em mente na minha cabeça ficava inviável o NG para o F-X2, já que ele nem protótipo tinha, e nem tem hoje, tendo no máximo Gripens modificados.
    Com a adoção de um caça tampão claro que dará tempo de desenvolverem, fabricarem e nos fornecerem o NG, na verdade, dependendo de quanto tempo ficarmos com o tampão dará tempo até de adquirirmos discos voadores intergaláticos de 3ª Geração.

  37. Wagner 18 de dezembro de 2013 at 18:59 #

    Já postei meu comentario no aereo, mas repito aqui : PARABÉNS GRIPENS, GRIPEIROS, SUECOS, BRASILEIROS E A FAB !!

    Gripeiros ganharam a discussão… ré ré ré !! :)

    GRIPENS NA FAB !! Meu sonho do segundo grau realizado !! Eu adorava ouvir aquela musica do Top Gun imaginando nossos Gripens decolando !!

    http://www.youtube.com/watch?v=tUhtTA_3Et4

    GRIPEN GRIPEN GRIPEN !!!

  38. Fernando "Nunão" De Martini 18 de dezembro de 2013 at 18:59 #

    Bosco,

    Se nem a negociação do contrato nem o prazo de entrega atrasarem (o que, no Brasil, não é o normal, infelizmente), a previsão é de entrega da primeira aeronave em 2019, um ano após as primeiras entregas para a Suíça e a Suécia.

    Acho um prazo factível para um caça cuja evolução caminhou bastante nos últimos tempos.

    A Suécia confirmou seus 60 exemplares hoje. Com a negociação do Brasil, creio que os defensores do Gripen tenham na Suíça tenham ganho mais um argumento de peso para o referendo de março ou maio do ano que vem.

    Por mais que haja aproveitamento de partes de Gripen C nos exemplares suecos, há muitas partes novas (principalmente fuselagem traseira e central) para o Gripen E. Assim, somando-se 60 + 22 + 36, já é uma escala razoável, de 118 aeronaves encomendadas.

    Se operarmos Gripen C/D de tampão, digamos, entre 2015 e 2020, mais ou menos como a Suíça pretende fazer, acho algo positivo. Ao menos os egressos do 1º GDA teriam com o que voar nesse meio-tempo. Se não, ao menos a baixa dos primeiros F-5M (mais desgastados) seria coberta por alguns dos ex-jordanianos, desde que o programa do Gripen E/F para a FAB não se atrase.

    Enfim, prós e contras de uma escolha que envolve riscos relacionados a desenvolvimento conjunto (riscos menores devido ao desenvolviemento já feito pelos suecos nesse meio tempo, e alguns benefícios também menores devido ao fato da Suíça ter sua própria parcela), como foi o caso do AMX no passado.

    Mas isso (AMX) já é uma discussão para daqui a pouco, com a nova edição da revista Forças de Defesa, que está saindo da gráfica…

  39. Fabio ASC 18 de dezembro de 2013 at 19:01 #

    Feliz: afinal “anunciaram” o caça.

    Triste: na minha opinião não tem capacidade para atender a FAB, defesa da Capital talvez sim, só isso. Basta os colegas colocarem o gráfico do SU 27 MKV, ali do Poder Aéreo, junto ao gráfico do Grilo.

    Vamos ver no que vai dar….

  40. Iväny Junior 18 de dezembro de 2013 at 19:02 #

    Pois é Oganza

    Sou de uma família que tem admiração pelas forças armadas. Fui cadete na EPCAR (abandonei), mas, meus sobrinhos sempre sonharam serem caçadores. Agora podem ter certeza que operarão vetores interessantes e capazes, defendendo as pessoas de boa índole que ainda fazem parte da pátria.

  41. juarezmartinez 18 de dezembro de 2013 at 19:03 #

    Senhores! Acredito que todos nós com bom senço a frente estejamos felizes com a decisão.
    Não foi o caça que na min ha modesta opiniãoseria o idela, o SH, mas escapamos da King of de Hangar…
    Agora temos um loooongo caminho pela frente.
    Uma info fresquinha para vocês:

    A conversão operacional dos pilotos do GDA para o Mike foi suspensa, portanto termos Gripen com tampax no GDA.

    Grande abraço

  42. Oganza 18 de dezembro de 2013 at 19:06 #

    juarezmartinez

    felizes mesmo, :)

  43. joseboscojr 18 de dezembro de 2013 at 19:15 #

    Fábio,
    Um caça de grande alcance/autonomia como o Su-27 é bem adequado para operações ar-sup e em operações ar-ar no caso de um conflito em curso, já que ele tem maior tempo de patrulha.
    No caso de ser usado como interceptador o alcance/autonomia é menos relevante. Na verdade um caça com menor alcance é até mais eficaz tendo em vista que obriga que haja maior quantidade de aeronaves, distribuídos em mais quantidade de bases, de modo a reduzir o tempo do alerta até a interceptação.
    A adoção de um caça de longo alcance como os “Su” podem passar a ideia de que poucas unidades bastam para defender o país, tendo em vista seu grande alcance, e na prática isso ser desvantajoso.
    Um abraço.

  44. Fabio ASC 18 de dezembro de 2013 at 19:16 #

    Digo: SU 30 MKV

  45. Fabio ASC 18 de dezembro de 2013 at 19:19 #

    J Bosco JR, concordo com seu raciocínio, mas estamos falando de 36, e, mesmo se vierem 120, eu prefiro 120 SU 35 ao Grilo.

    Mas…. que venha logo qualquer um, em qtdes suficientes.

  46. mdanton 18 de dezembro de 2013 at 19:39 #

    Enquanto franceses e norte americanos se esfaqueavam …..os suecos …bem …já sabem…..
    Acontece que mais uma vez os norte americanos não ganharam mas levaram..afinal cerca de 30% desse Gripen tem componente dos EUA.

  47. joseboscojr 18 de dezembro de 2013 at 19:43 #

    Fabio,
    Sem dúvida este é o problema, só serão 36.
    Também duvido que iremos adquirir os tais 120 e nesse caso concordo que um caça de maior alcance seria interessante.
    No caso do improvável vir a acontecer (os tais 120), aí já acho o Su superdimensionado e vejo o NG mais adequado.

  48. joseboscojr 18 de dezembro de 2013 at 20:04 #

    Além dos caças parece que iremos adquirir mísseis sup-ar RBS-70 dos suecos.
    Já operamos deles os AT-4, os Carl Gustav, canhões 40L60, 40L70, canhões Trinity, radar Erieye, etc.
    São produtos de qualidade e eficiência comprovada.

  49. eduardo.pereira1 18 de dezembro de 2013 at 22:05 #

    Concordo com o Ozawa hein agora até rola uma revista edição especial discecando o Gripen e as possibilidades vindouras, os ganhos da FAB em poder de fogo, raio de ação, empregabilidade e alcance do Aesa do Gripen em comparação aos caças vizinhos.

    SDS Eduardo o feliz. E ae Vader curtiu irmão??

  50. eduardo.pereira1 18 de dezembro de 2013 at 22:12 #

    Ficaremos bonitos na fita hein Bosco? Gripen+ Aesa+A-Darter= manda chuva dos ares da AL. Que venham os C/D tampões pra degustação de nossos pilotos até os novinhos Ng chegarem.
    Iiiiiiiiissssssaaaaaaaa!!!

  51. Carlos Alberto Soares 19 de dezembro de 2013 at 1:06 #

    “Control
    18 de dezembro de 2013 at 18:34 #
    Srs

    Incrivelmente, deu a solução mais lógica e adequada frente às circunstâncias. Além disto, abre uma janela de oportunidade para o desenvolvimento conjunto do FS2020.
    Finalmente e, felizmente, um acerto do GF.”

    “Acerto do GF.” ??

    COMAER colega, COMAER com o COPAC = Bom senso.

    Caso os franceses “levassem” a coisa ia ficar feia para o GF. Já mencionei isso estes dias.

    Podia dar SH também, mas RAFALE a FAB não ia engolir de jeito nenhum..

  52. Control 19 de dezembro de 2013 at 9:54 #

    Srs

    Jovem Carlos Alberto

    O COPAC já havia acertado em 2009, havendo todo este atraso devido, provavelmente, ao interesse, dentro do GF, no Rafale. Felizmente, caiu a ficha e o GF teve o bom senso de seguir a decisão técnica e econômica mais adequada. Certamente ponto maiúsculo para o COPAC e para o COMAER, mas também, quase um milagre, ponto para o GF, que adotou uma decisão administrativa correta.

    Sds

  53. MO 19 de dezembro de 2013 at 12:30 #

    no meio de tanto aviaozinhum, navio, em angulo diferente =
    http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2013/12/mt-surfer-rosa-9hts7.html

  54. Fabio ASC 19 de dezembro de 2013 at 13:08 #

    MO, MO.. vc ficou sabendo?????

    a FAB escolheu o aviaozinhum dela…

    vc viu?????

  55. Blind Man's Bluff 19 de dezembro de 2013 at 13:22 #

    Só acredito depois do contrato assinado.

  56. MO 19 de dezembro de 2013 at 13:47 #

    eh eu vi, o novo ‘enfeite’ da FAB, quem sabe aparece uns 2,84 na cruzequis 2024 …

    ter e usar como enfeite, o f 5 fica mais barato

  57. Fabio ASC 19 de dezembro de 2013 at 14:14 #

    MO, nós vamos coloca-los no PA2… calma… lkkkkkk

  58. Almeida 21 de dezembro de 2013 at 9:27 #

    Mané Sea Gripen… Se o FX levou esse tempo todo pra ser decidido, imaginem o PRONAE rsrsrs…

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Entrevista com o comandante do submarino ‘Tapajó’, capitão-de-fragata Horácio Cartier

Um dia a bordo do submarino ‘Tapajó’ – parte 3 PODER NAVAL: Comandante Cartier, o senhor poderia falar um pouco […]

Um dia a bordo do submarino ‘Tapajó’ – parte 2

Um submarino de propulsão convencional como o Tapajó tem um funcionamento parecido com um telefone celular: de tempos em tempos […]

28ª Viagem de Instrução de Guardas-Marinha

Hoje o Navio-Escola “Brasil” realizará a Cerimônia de despedida para a XXVIII Viagem de Instrução de Guardas-Marinha. A Viagem terá […]

Um dia a bordo do submarino ‘Tapajó’ – parte 1

No dia 16 de julho de 2014, na véspera da data comemorativa do Centenário da Força de Submarinos (1914-2014), uma equipe […]

Aprovado plano de trabalho do Brasil para exploração de crostas na Elevação do Rio Grande

O Brasil acaba de alcançar importante êxito na aprovação do Plano de Trabalho para exploração de crostas cobaltíferas na Elevação […]

Veleiro ‘Cisne Branco’ aberto para visitação em Belém-PA

Está aberto para visitação do público paraense o navio veleiro Cisne Branco, da Marinha do Brasil. As visitações são gratuitas […]