Home Hidrografia Ministro de C,T&I visita construção de navio na China

Ministro de C,T&I visita construção de navio na China

402
12

NPqHo Vital de Oliveira - 4

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Clelio Campolina Diniz, visitou nesta quinta-feira (4), o estaleiro Guangzhou Hantong Shipbuilding and Shipping Co. Ltd., localizado em Xinhui (China), onde está sendo desenvolvido o navio de pesquisas Vital de Oliveira, que integra o projeto do Instituto Nacional de Pesquisas Oceanográficas e Hidroviárias (Inpoh).

A embarcação deve chegar ao Brasil em julho de 2015, após passar pela fase de testes, adequações técnicas e instalação de equipamentos científicos, procedimentos que serão realizados em Cingapura.

“Visitamos hoje o navio Vital de Oliveira, que é um empreendimento conjunto do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação com a Marinha, com apoio da Petrobras e a empresa Vale. Esse navio é de altíssima importância para o Brasil porque ele permitirá a pesquisa da plataforma continental do Brasil”, disse Campolina.

“A chamada Amazônia Azul é uma área de aproximadamente 4,5 milhões de quilômetros quadrados, uma fronteira de recursos naturais desconhecida e que traz grande potencial econômico e científico para o país”.

O nome do navio foi estabelecido em homenagem ao capitão-de-fragata Manoel Antonio Vital de Oliveira, morto na Guerra do Paraguai em 2 de fevereiro de 1867, no bombardeio a Curupaiti, a bordo do Monitor Encouraçado Silvado, do qual era Comandante.

A comitiva que acompanhou o ministro foi composta pelo diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, Leonel Perondi (Inpe/MCTI), pelo secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação da Marinha, o almirante-de-esquadra Sergio Roberto Fernandes dos Santos e o adido militar do Comando da Marinha na Embaixada do Brasil na China, o capitão-de-mar-e-guerra André Luiz de Mello Braga.

Participaram também da visita o embaixador cônsul geral do Brasil em Cantão, José Vicente da Silva Lessa, e o professor titular de Estruturas Oceânicas e Tecnologia Submarina da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Segen Estefen.

Sobre o navio

Adquirido em 2013, o navio hidroceanográfico resulta do acordo de cooperação entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI) e o Ministério da Defesa (MD), por meio da Marinha, a Petrobras e a empresa Vale.

ministro visita construcao do vital de oliveiraA embarcação será equipada com o que há de mais avançado em termos de tecnologia, permitindo o acesso à parte geológica e biológica para experimentações e retirada de amostras.

Um dos equipamentos é o veículo de operação remota (ROV, na sigla em inglês), que irá operar a uma profundidade de 4 mil metros. A França, o Japão, a China e a Rússia são alguns dos países que possuem navios semelhantes, equipados com alta tecnologia e destinados a essa finalidade.

Quando chegar ao país, o navio será utilizado em estudos de caracterização física, química, biológica, geológica e ambiental de áreas oceânicas estratégicas do Atlântico Sul. Além de contar com equipamentos científicos, o Vital de Oliveira poderá abrigar até 40 pesquisadores.

Sobre o Inpoh

O Instituto Nacional de Pesquisas Oceanográficas e Hidroviárias (Inpoh) é resultado da articulação entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), a Marinha do Brasil, o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA) e a Secretaria de Portos da Presidência da República.

O instituto agregará as atividades de hidroceanografia desenvolvidas no país e permitirá novas oportunidades para os cientistas e a pesquisa nacional. Além disso, capacitará o Brasil a ter coparticipação nas tomadas de decisão em fóruns globais sobre os oceanos, garantindo, por meio do conhecimento gerado, a conservação e o uso sustentável dos bens e serviços dos recursos hídricos nacionais.

O Inpoh funciona como uma organização social (OS) para atuar na coordenação das atividades pelo desenvolvimento científico e tecnológico do país e na expansão da base de conhecimentos sobre os oceanos e o seu uso sustentável, com ênfase para o Oceano Atlântico Sul e Tropical.

O instituto deve contar com pelo menos quatro centros de pesquisa, sendo dois focados em pesquisa oceanográfica (um no Nordeste e outro no Sul do país), um terceiro de pesca e aquicultura e outro na área de portos e hidrovias.

FONTE: Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação, via Vermelho.org

12
Deixe um comentário

avatar
12 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors
John Paul Jonesnunes netoGuilherme PoggioLuiz MonteiroFernando "Nunão" De Martini Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Oganza
Visitante
Oganza

Será uma ótima aquisição, tomara que não cortem as verbas para as pesquisas tb. Alguns disseram que está sendo feito na China e não no Brasil por causa do tempo de construção outros por vagas na carteira dos estaleiros e outros pelo preço, mas eu acho que foi tudo isso junto e outras coisinhas que não se convém… 🙂 Tomara que venha logo… …mas antes que comecem a falar da modernidade, das tecnologias nunca vistas, do seleto grupo, etc… etc… e como o próprio MCT&I omitiu o fato no seu texto e dando exemplos apenas dos “parceiros” França, o Japão… Read more »

Marcos
Visitante
Marcos

Pensei que tivessem revitalizado a indústria naval brasileira, etc., e que agora tudo iria ser feito por aqui, de navio de pesquisa, fragata, petroleiro, até submarino e porta aviões nucleares.

Marcos
Visitante
Marcos

Quando a Vale encomendou seus navios junto a China, teve um cara por aqui que surtou. Seu cólera foi tão grande que conseguiu que demitissem o Presidente da companhia.

Fernando "Nunão" De Martini
Editor
Active Member

Creio que desde a incorporação da corveta Barroso, em 2008, a MB não incorporou nenhum navio novo (repito, novo) acima de 2.000 toneladas. O Vital de Oliveira, planejado para chegar aqui em 2015, vai deslocar 3.500 t, se não me engano.

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Isso mesmo, Nunao.

Desloca 3.500 toneladas. Segue o link:

https://www.mar.mil.br/nomaronline/noticias/25102013/02.html

nunes neto
Visitante
nunes neto

Off topic , oficial brasileiro foi a frança fazer uma inspeçao tecnica no Sirocco, será que a MB vai ganhar presente de natal em 2014?

nunes neto
Visitante
nunes neto

# vai,ainda não foi.Abçs

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezado Nunes Neto,

Na verdade, a comitiva coordenada pelo CMG (EN) Luiz Carlos Delgado, outros 5 oficiais superiores e um Engenheiro de Tecnologia Militar, todos lotados na DEN, embarcarão para Toulon, no dia 13/12/2014, para realizar visita técnica ao “SIROCCO”.

O objetivo é avaliar as condições do navio e a possibilidade da MB operá-lo. Caso a avaliação seja positiva, a MB deverá adquirir esse navio.

A avaliação ocorrerá entre os dias 16 e 18 de dezembro.

Abraços

nunes neto
Visitante
nunes neto

A prioridade de compra era do Chile,dessistiram do irmão mais novo do Froudre?Se estiver bom,que venha ,estamos precisando de um LDP,um não vários.

John Paul Jones
Visitante
John Paul Jones

Mais do que a necessidade de um navio deste para pesquisa é a MB precisar de um navio deste porte para substituir o cansado Felinto Perry.

Com um PROSUB que irá incorporar 04 submarinos oceânicos e mais um nuclear, operar com o FP é uma temeridade no caso do salvamento de um submarino, ele não tem a rapidez e a flexibilidade para um socorro a longa distancia e precisamos de um navio e um Sistema de Resgate de Submarinos (SRS) mais moderno e aerotransportado.