Liaoning - 6

Em 2009, o Poder Naval noticiava a preocupação dos americanos com a possibilidade de o Brasil ajudar a Marinha Chinesa com “know-how” para operar com sua aviação de asa-fixa embarcada. Houve conversações entre representantes dos dois países, mas elas não foram adiante por uma série de motivos.

Passados apenas 6 anos, os chineses estão com seu navio-aeródromo operacional com caças navais fabricados na China, enquanto o Brasil encosta o seu porta-aviões por falta de verbas e moderniza aeronaves de ataque dos anos 1970 para servirem como interceptadores.

Veja nas fotos e no vídeo o navio-aeródromo Liaoning (ex-Varyag) operando com sua aviação embarcada no Mar da China.

Liaoning - 12

Liaoning - 11

Liaoning - 10

Liaoning - 9

Liaoning - 8

Liaoning - 7

Liaoning - 5

Liaoning - 4

Liaoning - 3

Liaoning - 2

Liaoning - 1

53
Deixe um comentário

avatar
51 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
31 Comment authors
ronaldo de souza gonçalvesAlexJeffDefourtjunior Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Azevedo
Visitante
Azevedo

Vergonha

Juarez
Visitante
Juarez

Só podia ser piada dos Ching Ling querer aprende AV de asa fixa embarcada com quem não sabe mais nada, porque simplesmente não operar a mais de 12 anos…..

G abraço

Carlos Valerio
Visitante

Os chinas se impondo nos mares deles próximo, baseados em boa medida, no “lixo tecnológico” russo , segundo algumas sapiências, e depois perguntam por que só temos a vergonha como pagamento.

luiz campos
Visitante
luiz campos

Os americanos se preocuparam á toa.

Gelson Jorge Emerim
Visitante

Boa noite, assistindo ao vídeo dá para perceber que este sistema de sky-jump funciona bem mesmo com aviões de grandes dimensões (e pesados). Claro que exige um navio com boa propulsão para conseguir velocidade de lançamento mas, evita toda aquela parafernalha de perigosas e problemáticas tubulações de vapor de alta pressão e catapultas complicadas que podem entrar em colapso a qualquer momento. Não sei se os aviões conseguem levantar vôo com grandes cargas (combustível e armamento) neste sistema de rampa, aparentemente sim. Parece ser uma boa solução para quem quer usar aviões mais leves (SeaGripen!?), usando um casco pouco menor… Read more »

Bardini
Visitante

Na boa… Se isso teve jeitocomment image o NAe SP também tem…

aldoghisolfi
Visitante

Apesar dos comentários, lembro quando só se falava que os produtos militares dos chineses ‘soltavam peçinha’. E agora, digam o que disserem eles estão projetando (e bota projetar!) força e cumprindo uma geopolítica de domínio e expansão que merece um bom estudo. Estão no Atlântico sul, via Argentina e oferecendo dinheiro aos tupiniquins. Mais dez anos e estarão no mesmo padrão quali/quantitativo dos EEUU.

BrancoF-16
Visitante

Quando se há vontade se da jeito para tudo, inclusive em organizar e arrumar verbas, e não essa fantasia que é o orçamento de defesa do nosso país, onde no papel até se coloca números bonitos por vez ou outras, mais todo ano é a mesma novela, vem aquela tesourada fantástica e deixa a galera ate sem comida pro rancho da tropa. Agora que esse porta aviões chines e o indiano ficaram bonitos pelo menos para min ficaram podem não ser o que há de melhor mais é deles, navega, opera, se nos tivéssemos 1 que funciona-se como os deles… Read more »

Tiago Silva
Visitante
Tiago Silva

Olha os chineses tem o meu respeito, planejamento e comprometimento com a sua defesa e que agora estão demonstrando o seu potencial e impondo respeito mundo afora. No caso desta troca de Know-how que não foi a frente por motivos que desconheço, podemos ter a certeza que saímos perdendo de certa forma. A China demonstra que quer cada dia mais estar equipada e com isso envia para o mundo todo especialistas de vários segmentos,não duvido nada que futuramente seus porta aviões sejam equipados com catapultas sejam elas a vapor ou eletromagnéticas e assim conseguirem operar uma gama maior de vetores… Read more »

Tiago Silva
Visitante
Tiago Silva

É louvável de certa forma o que eles fizeram neste trabalho de “reconstrução” do Liaoning, transformando um navio dado como “obsoleto” em um meio extremamente avançado e preocupando o ocidente. Muitos recursos foram investidos mas na certeza de um retorno em tecnologia e desenvolvimento que vai moldar alguns princípios da guerra naval, qual,quando e como ainda não sei mas que novas páginas estão sendo escritas isso é uma certeza. O porta aviões “Liaoning” representa o novo status de uma força militar que cresce dia após dia e demonstra que tem potencial de enfrentar seus oponentes em potencial, aliado a isso… Read more »

Azevedo
Visitante
Azevedo

Falou tudo Tiago

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

“10 anos estarão no mesmo nível dos Ãmis” ?
Verdade, é característica dos USA ficar assistindo a “banda passar” (rs).
_____________________________________

Com o URSO ajudando Full e bilhões, mais bilhões de dólares, até a Bolívia teria PA.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Na China não tem CIPA, CLT, Sindicato dos Met, CUT etc …. etc …. etc ….
______________________________

Todos os dias morrem chinas em seus estaleiros, muitos.
______________________________

A Imprensa lá é livre ?
______________________________

Canham na real ……………
Com muita grana, Urso ajudando full e trabalho escravo ……

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Acessem os relatórios da OIT, isso o que eles (OIT) conseguem capitar.
Gostei dos uniformes e a comida parece ser boa (rs).
Como diz um Cel colega de Trilogia, os pilotos chineses são péssimos.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Aliás, se for por doutrina, tempo de aviação naval etc etc etc, a Índia está bem na frente dos Chinas, veremos !
Não nos esqueçamos dos sashimi, mudam o nome da nau e…………

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

O MKT dos Chinas é superior, o Ivany tem q ir para lá, ai teremos até Tufão naval:

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

On 16th November 2013 Aircraft Carrier INS Vikramaditya was handed over to the Indian Navy at the Sevmash Shipyard.
The Russian flag on the vessel was lowered and the flag of the Indian Navy was raised in its place.
In a traditional Indian ritual, a coconut was also broken during the ceremony.
The commissioning papers were signed by deputy director of Russia’s arms exporter Rosoboronexport, Igor Sevastyanov and the ship’s captain Commodore Suraj Berry.
The carrier will be escorted to India on a near two-month voyage by a group of Indian Navy warships to secure a safe sail to its base at Karwar.

Bardini
Visitante

Já que o negócio é videozinho… Um belo vídeo da Marina Militare:
.

Airacobra
Visitante
Airacobra

Ainda bem que desistiram de aprender com o Brasil, caso contrario poderiam estar ainda com o Liaoning encostado e com uma duzia de J-7 “navalizados” sendo modernizados a passo de tartaruga, parabéns aos chineses, que desenvolveram a doutrina e em apenas 6 anos já estão operando de maneira que o Brasil com mais de 50 anos de doutrina jamais conseguiu operar.
País que leva suas Forças Armadas a sério é outro nível.

Renato de Mello Machado
Visitante
Renato de Mello Machado

É esse quê ia ser, o cassino flutuante?

STM
Visitante
STM

Tá querendo o que? Nos últimos 13 anos destruiram o VLS, destruiram a Base de Pesquisa na Antártica, não destruiriam também a Aviação embarcada de asa fixa? Indo um pouco mais longe, são elles os mesmos que destruiram o CC Osório.

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

É bom lembrar, de novo, o que foi citado acima. A China sendo um país comunista, não tem embróglios que uma democracia tem. O secretariado do PC Chinês determina um objetivo e eles alocam recursos nacionais para obtê-lo, então alocar orçamento não é um problema. Sendo na China, mão-de-obra é um problema menor ainda. É apenas questão de tempo até atingirem qualquer objetivo material nesse sentido. Mas eles ainda estão engatinhando em operações aeronavais com asa fixa exatamente por não terem ainda uma doutrina operacional nem todos os meios necessários, mas vão chegar lá eventualmente.

Luiz Campos
Visitante
Luiz Campos

O Brasil poderia assessorar a China se fossem pedalinhos.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

A vantagem que eles tem é simplesmente, decidir e fazer. E isto muito rápido. Aqui não pode aumentar a base de Alcantara porque tem um “quilombola”. Não pode melhorar Aratu, por que tem posseiro, não pode fazer Belo Monte por que tem meia duzia de indios. Caramba, é nossa “democracia”. Se eles continuarem neste pique, são proféticas as palavras do egrégio professor Aldo Ghisolfi.

MO
Membro

Meu os xinelicos estão fazendo direitinho, ja viram fotos do Liaoning por dentro, rsss os caras são phodis … 😛

Em tempo:

M/V Mythos / V7PY4 (Former Torm Anholt)

Loading soyabeans at Santos

9 photos

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2016/03/mv-mythos-v7py4-embarcando-soja.html

paco
Visitante
paco

Meu Deus ta ruim ainda???? o país passou do fundo do poço, dividido entre japoneses, sovieticos, senhores da guerra e comunistas, para a segunda força militar e 3 tecnologica do Planeta. Isso da o que? 6 decadas apenas? A China é um fenomeno talvez sem par na historia do mundo.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Bardini,
belo vídeo e certamente concordamos que o Sea Harrier é Show !

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Meu sonho e do Almirante LM:
++++++++++++++++++++++

Dalton
Visitante

Caro paco… existem outros exemplos… . Os EUA abalados com o fim da guerra civil em 1865 se tornaram a nação mais industrializada do planeta em 30 anos e logo depois se equipararam militarmente ao Reino Unido superando-os antes de 1945. . O que os alemães fizeram após a unificação em 1871 até 1914, início da Primeira Guerra, foi espantoso também e a recuperação alemã após a derrota principalmente com a tomada do poder pelos nazistas, foi ainda mais notável, tristemente, mas ainda assim notável. . Os japoneses em umas poucas décadas, desde que os EUA forçaram o Japão a… Read more »

danilojfsn
Visitante

Que belo exemplo que a PLAN Navy nos mostra !

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Paco,
com trabalho escravo, sem leis, grandes volume$ direcionado$ etc etc etc
____________________
Lembro que mais de 500 milhões de chinas ainda estão na era da enxada, tração animal ou pessoal mesmo.
____________________
Ai é onde vão jogar em caso de confronto aberto.
Controlar centenas de milhões de famintos ?
____________________
O verdadeiro inimigo da china está em seu território, soma-se as etnias oprimidas etc etc etc ….
____________________
Essa é a grande sacada em caso de conflito.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

Dalton 24 de março de 2016 at 10:00
Gostei.
Mas reitero, ter vários inimigos em confronto aberto (convencional) não deve ser fácil.
Lembrando, tem Japão, nações asiáticas que não se sentem confortáveis com a fome do dragão, Âmis, Ausis, Índia, OTAN,
os inimigos internos etc etc etc …..
_____________________________
Gosto desse desenho ……
_____________________________
Muito MKT por parte dos Han.

dieter91360
Visitante
dieter91360

“O Brasil poderia assessorar a China se fossem pedalinhos.”
Realmentel. meu caro. Mas só que com a nossa “assessoria” durariam 18 anos construindo cada um…Rsrsrs

Bardini
Visitante

Carlos Alberto Soares
.
Gosto muito do Harrier assim como gosto do projeto do Juan Carlos, mas para a função de LHA/LHD. Como NAe, prefiro o Cavour.

Luiz Trindade
Visitante
Luiz Trindade

Olha… Vejo com bastante alivio o Brasil não ter assessorado a China com a questão de Know-how na questão de aviação embarcada pois seria um tiro no pé. China aprenderia as lições e nos deixaria em más lençóis com os EUA que são vizinhos nossos. Pelos menos de todas as merdas feitas pelo governo PTista essa não foi concretizada! Graça à Deus!

_RJ_
Visitante

Sempre advoguei pelo modelo STOBAR para a marinha do Brasil. Desde a época do saudoso Minas Gerais, vejo três vertentes que se distanciam na evolução da aviação embarcada. * Os EUA e aliados optaram por aumentar o tamanho e complexidade de seus navios, para garantir que uma aeronave convencional cada vez mais pesada possa operar, isso nos leva a super porta-aviões CTOL e suas aeronaves também cada vez maiores. * Reino Unido e Europa Ocidental optou por baratear seus navios, aumentando a complexidade de suas aeronaves para operar através de pouso vertical. Isso nos leva a porta-aviões STOVL e aeronaves… Read more »

Dalton
Visitante

_RJ_ é interessante notar que tanto Rússia como China e Índia já mostraram interesse em NAes com catapultas e se o futuro USS Gerald Ford que será comissionado dentro de alguns meses lançar moda com suas catapultas eletromagnéticas isso poderá pesar ainda mais na decisão dessas nações. . O Reino Unido está construindo 2 grandes NAes que irão operar com o F-35B, mas, é importante frisar que ambos porém, o segundo ainda mais terão uma capacidade secundária anfíbia muito importante embarcando rotineiramente grandes helicópteros de transporte, já que o Reino Unido não se pode dar ao luxo de ter tantas… Read more »

MO
Membro
Gelson Jorge Emerim
Visitante

Muito bem RJ! Parabéns pela clareza das tuas colocações. Também vi nesta solução chinesa (russa, na verdade), um caminho para a MB desenvolver (ou pensar) um NAE não tão grande e oneroso de operar (como os modelos americanos) e que consiga embarcar e operar aeronaves também não tão pesadas e grandes. O futuro Sea Gripen poderia se encaixar neste padrão de operação. Mas claro, a MB precisa pensar no básico em primeira instância. Navios patrulha plenamente operacionais e mais toda aquela longa lista de necessidades que estamos cansados de tanto comentar. Mas, há que se começar a pensar (e planejar… Read more »

Livonio Oliveira
Visitante

Quando se tem interesse e foco qualquer um conseguiria alcançar os objetivos .. mais o que vemos aqui e um monte de gente que tem complexo de vira lata e que só sabe criticar qualquer coisa que se tente fazer internamente… como vejo direto nesse blog..

Guilherme Lins
Visitante
Guilherme Lins

não acho esse porta aviões superior ao indiano, até pq o próprio mig-29K é um vetor superior ao su-33 e sua cópia chinesa. De qualquer forma esses navios estão bem longe de seus pares no ocidente, comparar liaoning e vikramaditya aos nirmit’s, CDG, e a nova classe britanica seria uma enorme covardia.

carvalho2008
Visitante

Gosto mais do BPE que do Cavour. O BPe é bem mais simples, tosco e barato (quase a metade do preço), mais proximo de nossas necessidades. Uma observação e friso sobre a alternativa americana de super porta avioes CTOL. A Palavra chave e numero magico chama-se taxa de surtidas sustentadas, pois são dimensionados para promover massivamente a projeção de poder, requerendo altas taxas de lançamento e pousos. Para um case brasileiro, na qual mal e mal haveriam 24 asas fixas embarcadas, um casco de menor deslocamento sentiria bem menos esta necessidade de disponibilidade de conves para operações. O nae Sp… Read more »

Robson
Visitante

A Marinha brasileira precisa esquecer essa baboseira de porta avioes e se concentrar em uma poderosa aviação naval baseada em terra… uma avião com capacidade de ter um raio de combate de pelo menos 800 kms, armado com um míssil ar mar com pelo menos 500 kms de alcance… conseguiriamos defender 1300 kms a partir da costa, mais além os submarinos cuidariam dos adversários…. caso fosse necessário.. com o advento de satélites militares, os porta aviões são alvos faceis de encontrar e de serem atacados…como quem tem um e a mesma coisa de nao ter nenhum, e como nos não… Read more »

junior
Visitante
junior

A China nem copiou o SU-27 rsrs

Dalton
Visitante

Carvalho… achei curioso seu comentário de que o NAeSP de 33.000 toneladas, isso, completamente carregado, seria demais para operar com 24 A-4s, pois o “Minas Gerais” de 20.000, totalmente carregado só podia operar com a versão kuwaitiana do A-4 adquirida pelo Brasil com céu de brigadeiro e mar de Almirante ou seja, com limitações. . Independente de não haver mais nada no mercado no fim dos anos 90 para que a marinha brasileira aposentasse o “Minas Gerais”, a ideia então, conforme o que se comentava na época era que até 15 A-4s monoplaces pudessem ser embarcados, mas, não apenas isso,… Read more »

Defourt
Visitante
Defourt

Institucional
—— — ——
Orgulho de alimentar a fome do Dragão. + 27 anos!
O minério é nosso!, o espetáculo do crescimento é deles!
——- — ——-
Valeu?

Dalton
Visitante

Carvalho… achei curioso vc escrever que o NAeSP de 33.000 toneladas, desde que totalmente carregado, é grande demais para apenas uns 20 A-4s, mas note que o “Minas Gerais” de 20.000 toneladas só podia operar com os A-4s da versão kuwaitiana em condições de tempo extremamente favoráveis, portanto era necessário sim um NAe maior e coincidentemente era o “Foch” a única opção no fim da década de 1990 ! . Se você considerar que inicialmente até 15 A-4s monoplaces seriam embarcados e que 2 aeronaves de transporte e outras duas de alarme aéreo antecipado além de vários helicópteros também fariam… Read more »

Jeff
Visitante
Jeff

Solta pecinha?? Solta sim, claro. Mas nem pecinha nós temos pra soltar. kkkk Brasil Pátria Educadora. kkkkkk

Alex
Visitante
Alex

Os chineses sonharam e foram atrás da realização dos sonhos. Inclusive, sonhos econômicos. O Brasil, sonhou e ficou brigando entre os sonhadores quem desviaria mais recursos. E o sonho acabou sem nascer. Essa é e foi a grande diferença. Fato inclusive para os russos, iguais os brasileiros. Só querem saber de din din da máfia e não de desenvolverem a nação. Se assim o fosse. Daí sim os EUA, teriam que se preocupar com os branquelas de 2 mts. Mas como disse, Hyamamoto. Os pobres (russos) não devem fazer a guerra.