Home Indústria de Defesa Rússia vai começar a construir o primeiro porta-helicópteros em 2021

Rússia vai começar a construir o primeiro porta-helicópteros em 2021

7049
65
Modelo do navio de assalto anfíbio russo

O planejamento é construir o primeiro navio de assalto anfíbio universal e entregá-lo ao cliente no âmbito do programa de armamento estatal até 2027

KUBINKA / Região de Moscou, 26 de junho /TASS/ A Rússia planeja construir dois navios de assalto anfíbio universais capazes de transportar 15-20 helicópteros sob o programa de armamentos do Estado até 2027, disse uma fonte da indústria de defesa doméstica à agência TASS nos bastidores do fórum militar e técnico internacional Army 2019.

“Nos próximos meses, mas até o final do ano, o Ministério da Defesa concluirá o desenvolvimento de especificações técnicas para um navio de assalto anfíbio universal e os enviará à United Shipbuilding Corporation. O programa de armamentos do estado até 2027 inclui dois navios de assalto anfíbios universais. Um projeto preliminar foi elaborado. O trabalho de projeto técnico começará em 2020 e a construção do navio líder começará em 2021”, disse a fonte, acrescentando que os empreiteiros-chefe da obra ainda não haviam sido escolhidos.

Existem planos para construir o principal navio de assalto anfíbio universal e entregá-lo ao cliente sob o programa estatal de armamento até 2027, enquanto o trabalho no primeiro navio produzido em série será concluído antes do início da década de 2030, disse a fonte.

“Embora as especificações técnicas ainda não tenham sido formuladas, já é possível falar agora que navios de assalto anfíbios universais receberão uma grande doca para abrigar embarcações de assalto e também serão capazes de transportar um grande grupo de helicópteros de várias designações, incluindo 15-20 aeronaves de ataques baseados permanentemente”, disse a fonte.

O chefe da United Shipbuilding Corporation da Rússia, Alexei Rakhmanov, disse anteriormente que a Rússia precisava construir seus próprios porta-helicópteros no futuro para a rápida mobilização de um grande grupo de forças. Além disso, esses navios não devem repetir o projeto Mistral da França.

Os navios de assalto anfíbio universal, também chamados de porta-helicópteros, distinguem-se pelo seu grande deslocamento (20.000 toneladas ou mais) e podem transportar um grande grupo de helicópteros pesados ​​de várias designações (até 16 helicópteros a bordo dos navios Mistral e mais de 30 a bordo do USS Wasp).

Os navios de assalto anfíbio universal podem transportar de várias centenas a mais de mil soldados de fuzileiros, barcos e outras embarcações para desembarcar a força de assalto e transportar blidados. Os navios de assalto anfíbio universal normalmente apresentam um poderoso sistema de gerenciamento de combate e podem atuar como uma embarcação de comando e controle para um grupo-tarefa.

65
Deixe um comentário

avatar
19 Comment threads
46 Thread replies
1 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
35 Comment authors
gilberto franca juniorWagnerMarcelo Dantonrui mendesmendesGuizmo Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Russos tão ficando bom em fazer maquetes, essa tá melhor que a do porta aviões dele.

Paulo V S Maffi
Visitante

Penso que os russos estão demasiadamente atrasados nesse quesito e que, após a negativa em relação a compra da classe Mistral, seria natural e necessário esse movimento.
Sendo assim, fico imaginando as necessidades estratégicas que fizeram os Russos negligenciar tais meios ao longo dessas últimas décadas, bem como em quais meios estão incumbidos de exercer tal tarefa estratégica na armada de Moscou?

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Nenhuma necessidade estratégica, foi falta de Recursos mesmo. E antes que venha alguém falar bobeira. é simples: Todo mundo sabe que a Russia tava mais quebrada que pobre devendo o neto pro SPC depois da guerra fria. todo mundo sabe que por um tempo ela ficou estagnada no desenvolvimento de equipamentos militares. quando o dinheiro começou a voltar eles tinham outras coisas para investir alem da marinha. Dado em urgência eram: Força Aérea Força terrestre Força Naval Era imprescindível para a Russia modernizar suas aeronaves, veículos terrestres e navais para se manter em paridade com o ocidente, mais como em… Read more »

Brunow Basillio
Visitante

Submarinos, foi e é os meios navais que consomem grande recursos da Marinha Russa, até seria falta de dinheiro, mas se a grana estivesse tão pouco assim por que encomendaram dois Mistral aos Franceses ?
Eles precisam substituir os SN deles, também a vários a ser desmantelados, são muitos recursos consumidos..
Mas estão se arrastando devagar, só Borei A , segundo fontes Russas a quatro em construção…

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Submarinos nucleares pr 955a totalizam 5 unidades.
O primeiro “Príncipe Vladimir”, está sendo testado e deve ser incluído na frota em dezembro. Mais 4 estão em construção.
Submarinos Nucleares submarinos pr 885M, num total de 6 unidades,. O primeiro “Kazan” está sendo testado. Mais 5 estão em construção. Mais para outro 2, assinou um contrato hoje.
E um submarino nuclear pr 09851 em construção.

Brunow Basillio
Visitante

Valeu pela informação Evgeniy …
Não e qualquer país que tem em construção 16 Submarinos em simultâneo….

gilberto franca junior
Visitante

na verdade os eua sao uma enorme ilha…..

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Historicamente, os russos nunca deram importância estratégica a sua Marinha.
Mesmo porque seus objetivos seriam facilmente alcançados por terra.
Ou seja, a Europa e o Oriente Médio têm ligação direta com seu território e um ataque avassalador seria suficiente para levar ao colapso todo o sistema político/econômico do Ocidente.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Historicamente, na Rússia, os últimos 320 anos deram importância estratégica à frota.

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

Da Revolução Russa para cá, não deram muita importância.
Criaram, sim, um exército gigantesco.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Uma frase estranha, mas talvez mal traduzida. Na URSS, em 1936, foi adotado um programa para criar a frota oceânica, que foi chamada de programa da “grande frota”. Mesmo de forma reduzida, incluiu a construção de três couraçados de batalha do projeto 23 e dois cruzadores pesados ​​(linear na realidade), etc. 69. E os mesmos 20 cruzadores leves do projeto 68 (como resultado, apenas 5 foram construídos de acordo com o projeto 68-K) e centenas de destróieres e submarinos, bem como dois porta-aviões leves. Mas a eclosão da guerra interrompeu todo o programa. Depois da guerra, houve planos semelhantes, incluindo… Read more »

Guizmo
Visitante
Guizmo

Not true…….já ouviu falar no Moskva? Kirov? Kiev? Thyphoon?

gilberto franca junior
Visitante

na verdade putin diminuiu seu exercito e o capacitou….

Flanker
Visitante
Flanker

“…Ou seja, a Europa e o Oriente Médio têm ligação direta com seu território e um ataque avassalador seria suficiente para levar ao colapso todo o sistema político/econômico do Ocidente.”

Você acredita, mesmo, nisso que escreve? Tem noção da besteira que está falando? Tu faz isso pra aparecer? Tem algum problema de baixa autoestima? Precisa de autoafirmação? Procura um psiquiatra…..você está precisando….

Antoniokings
Visitante
Antoniokings

E vc acha que eles tinham (e ainda têm) dezenas de milhares de tanques e outros tantos carros de combate para quê?
Brincar de carrossel na Praça Vermelha?

Flanker
Visitante
Flanker

E você acha que eles vão invadir e tomar a Europa toda? Em meios convencionais, você acredita, seriamente, que os russos conseguiriam derrotar toda a Europa e EUA (OTAN)? Se Sim, não há sequer o que discutir….és caso perdido….

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Deve ser, pois nunca tiveram coragem de entrar em território da Europa Ocidental, defendido pela OTAN.

gilberto franca junior
Visitante

nunca atacaram…sempre se preocuparam em se defender…

Sincero
Visitante
Sincero

Que chilique. 👀

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Vimos que eles saíram do Afeganistão sem grandes conquistas, os próprios generais pedindo para sair, deixaram bilhões de dólares e sangue lá sem atingir seus grandes objetivos, o único país ali que Moscou tem boa relação é a Síria e Irã, os outros não podem ser chamados de aliados nem a Turquia, fora que os outros países são bem armados, a Rússia apesar de já ter ameaçado a Arabia Saudita acredito que não tenha coragem de enfrentar a mesma.

Guizmo
Visitante
Guizmo

Bem, não concordo contigo. A Marinha Russa é tradicional, grande e estratégica desde sua criação por Pedro, o Grande.

Ademais, um ataque das proporções que descreve, iria colapsar apenas o sistema político e econômico europeu? Países do bloco oriental não teriam suas economias afetadas??

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Pois, viu-se isso. O problema era a resposta …

sub urbano
Visitante
sub urbano

A Rússia, mesmo na época da URSS nunca teve grande necessidade de porta aviões. Sempre teve poucos, mesmo na época da URSS que era a segunda economia do mundo à época, foi ultrapassada pelo Japão apenas no fim dos anos 80. No caso da URSS nunca precisou porque o objetivo militar (invadir a europa) era baseado em uma invasão por terra com 3 milhões de soldados e 10.000 tanques.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

URSS, construiu 2 helicóptero anti-submarino. Então ele construiu quatro porta-aviões da classe “Kiev”. E no momento do colapso, ele estava construindo um porta-aviões do tipo “Tbilisi” (Almirante Kuznetsov), e o primeiro porta-aviões nuclear “Ulyanovsk”.
E os primeiros projetos dos porta-aviões soviéticos apareceram antes da Segunda Guerra Mundial. O porta-aviões queria refazer o cruzador inacabado “Ishmael”.

gilberto franca junior
Visitante

para sua defesa misseis….para ataques a europa misseis…..para ataque ao grande inimigo submarinos….

Victor Filipe
Visitante
Victor Filipe

Sem especificações ficam difícil falar qualquer coisa sobre. mas a maquete ta bonitinha.

Os Russos seriam excelentes montadores de Dioramas

Leo Xavier
Visitante
Leo Xavier

Brasileiro é ótimo para criticar mas não olha para o seu próprio rabo

Neves João
Visitante
Neves João

Não concordo, não, Leo, a gente aqui critica bastante, alguns até demais, lógico que sempre tem alguns que acham que tudo que é feito aqui é o “melhor do mundo”, mas de modo geral, as críticas são acerbas.

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Acredito que a Russia já devia ter pelo menos dois porta aviões e pelo menos mais duas embarcações como esta. Porém dinheiro que é bom, nada! Então deixa que a China faz esse papel pela Russia.

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Vai sonhando, a China faz isso por ela própria, não pela Russia.

Minuteman
Visitante
Minuteman

No Brasil podemos usar a mesma estratégia. Montar maquetes de porta-aviões, fragatas, mísseis balísticos e etc. E dizer que vamos construir… deve dar algum medo em alguém. Se funciona na Rússia, porque não aqui?

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Só que ao contrário de nós, que temos um grande orçamento, os russos sempre estão lançando 2-3 navios novos, mesmo com seu orçamento, já nós, não lançamos um navio há muito tempo.

Carlos Gallani
Visitante
Carlos Gallani

Apenas pontuando, o orçamento militar russo é três vezes maior que o nosso, especificamente a marinha eu desconheço mas certamente submarinos nucleares não são baratos!

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Mas ao contrário de nós, eles vivem de prontidão para uma eventual guerra, já nós vivemos em berço esplêndido, sem nenhum inimigo a espreita…

Mesmo com um orçamento maior que o nosso, os gastos deles são gigantes.

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Grande orçamento??? Vê o que sobra para aquisições e investigação, depois de ordenados e pensões. E o orçamento Russo é muito maior que o Brasileiro.

Andrew Martins
Visitante

Imagina ele transportando alguns Mi-26? Pra que doca alagável rsrs

Fabio
Visitante
Fabio

Russia muito projetos, mais pouco $$$…Mais marketing de maquete que produto finalizados e ponto.

rui mendesmendes
Visitante
rui mendesmendes

Vai sonhando, eles têm SSBN´s, que é o máximo que pode um país atingir a nivel militar e estratégico. Além de tudo o resto.

Willber Rodrigues
Visitante
Willber Rodrigues

É até estranho que uma marinha como a russa nunca tenha tido esse tipo de embarcação antes

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Nada de estranho, só não precisava realmente de um navio como esse para a frota soviética. Na URSS zakakte, eles iriam construir, mas a URSS entrou em colapso. Então, já na época russa, o épico com Mistral começou. Como isso terminou é bem conhecido. Na realidade, não se sabe se tal navio será construído ou não. No programa de armamento, realmente existem dois desses navios. O modelo que está na imagem não será construído exatamente. Esta opção para construção é desconhecida. Além disso, existem duas opções para a construção, uma para 14.000 toneladas de deslocamento (a Roterdã) e a segunda… Read more »

Enes
Visitante
Enes

Fazer maquetes a MB também faz, é só ver a maquete da Tamandaré, que já foi descartada em favor da Meko.

Ricardo
Visitante
Ricardo

Enes. Só o Kirov sozinho tem mais poder de fogo que a Marinha Brasileira inteira. Dos Bric o único eunuco militar é o Brasil.

Evgeniy (RF).
Visitante
Evgeniy (RF).

Na Rússia, uma atitude diferente para o Amrya e a frota.
Além disso, o transportador de helicópteros de desembarque tem um grande lobista.
Na realidade, tal navio, até 2030, não é relevante. A frota russa terá muita sorte se a construção de um grande helicóptero for interrompida.

Dalton
Visitante
Dalton

Se considerarmos que o primeiro do tipo o USS Tarawa,que lançou moda, foi comissionado apenas em 1976 e cerca de 15 anos depois a URSS deixou de existir, isso ajuda a explicar também o fato dos russos nunca terem um navio assim, seja como for, a necessidade deles foi sentida pelos russos durante a crise da Georgia em 2008, daí à aproximação com os franceses para adquirir navios da classe “Mistral”.

Pedro
Visitante
Pedro

Pelo contrario. O primeiro navio anfíbio e também porta helicópteros (mesmo que limitado) foi o Ivan Rogov que ficou pronto no final da década de 70. Mas na realidade ele estava mais para um LST “bombado” com hangar e acomodação para soldados do que realmente um navio anfíbio multimissão como temos hoje, mas pode-se considerar ele como o antepassado deste tipo de navio hoje. Outro detalhe é que a marinha russa ou soviética, nunca viu com bons olhos a projeção de força. Mesmo nos anos de URSS a marinha tinha as funções principais de proteção costeira e retaliação/ataque nuclear com… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Pedro…escrevi sobre o “Ivan Rogov” mais abaixo. Meu ponto é que até 1976 não existia nenhum navio classificado como LHA/LHD…o “Ivan Rogov” era
classificado como um “LPD” e mesmo assim entrou em serviço depois do USS Tarawa.

Ricardo Bigliazzi
Visitante
Ricardo Bigliazzi

Encomenda com o Irmão Maior que os caras fazem em 1 ano e meio.

Kemen
Visitante
Kemen

Não duvido que construam o navio de asalto anfibio, a minha dúvida e se sera a propulsão nuclear ou não. Acredito que não.

Jagderband#44
Visitante
Jagderband#44

O problema é operar…

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

O Lavina (ou Priboy, se você ignorar a confusão plantada dos nomes…) tem uns aspectos superinteressantes: os elevadores bem justos (os Kamov sobem e descem com asas e projeções dobrados), o casco trimaran (quase catamarã pois a seção central tem calado menor que o das alas onde penetram os eixos e, possivelmente, estão os motores) e a rampa de desembarque na popa (dispensando a doca alagável e toda a demorada operação de lastreamento). Aposto que as acomodações da tropa são espartanas pra caber mais de quinhentos num bote de vinte a vinte e cinco mil toneladas, levando em conta o… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Alex… . o texto menciona que apesar de nem todas as especificações estarem prontas, deverão possuir uma doca para desembarque de embarcações e veículos anfíbios na popa. . A expressão máxima de navios anfíbios continua sendo a classe “Ivan Rogov”, da década de 1980, já descomissionados que além das portas na proa, contava com uma doca para embarcações e veículos de desembarque na popa e também um pequeno hangar para helicópteros em um deslocamento totalmente carregado de 13.000 toneladas. . O fim da URSS impediu que mais unidades tivessem sido construídas e a marinha russa pretende agora adquirir uma versão… Read more »

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

Mas, mestre Dalton, o design Lavina não prevê doca alagável na popa, embora preveja uma rampa de desembarque na proa tipo LST (algo meio inapropriado…) e embarcações em turcos nos nichos laterais. Não conheço muitos detalhes, mas é certo que existem estudos pra ofertar um ‘AAV super rápido’ que permita ao Lavina ficar distante da praia. Quanto a MBTs, talvez eles sejam desembarcados pela proa Abicada sob a proteção de KA-52 em penetração e dos AAVs e tropas leves nas cabeça de praia, especulo. Não sei bem se há espaço pros Serna ou Cossack no Lavina…
Abraço.

Dalton
Visitante
Dalton

Talvez estejamos comentando sobre projetos diferentes, Alex, mas
os russos estão construindo novas embarcações de desembarque
para substituir as já antiquadas da classe “Ondatra” que eram embarcadas a bordo dos “Ivan Rogov”, então, me parece até pelo que lemos no texto que a ideia é ter um “LHD” similar ao “Mistral”.
.
abraços

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

Ao que parece, enquanto o Lavina deslocaria algo como 24 mil toneladas o Priboi(y) deslocaria algo como 14 mil toneladas, embora hajam rumores de que o Priboi não seja um Lavina menor mas um design tipo LPD-17. E haveriam, tanto no Lavina como no Priboi, landing craft tipo LCM (Serna?) na doca/garagem, que estende da popa até a proa. E como colocar tais LCMs na água sem doca alagável? Especulo que translado por grua no teto ou tração por cabos associados a roletes no piso ou sob as embarcações… Curiosamente, o hangar sob o convoo é pequeno e há hangares… Read more »

Alex Barreto Cypriano
Visitante
Alex Barreto Cypriano

Aqui, no quinto comentário, por hoom, tem um corte esquemático do Lavina. Supondo-o minimamente crível, o que não quer dizer que o projeto final seja esse e nem que ele venha a ser construído, se vê o que mencionei. Acrescentaria que se notasse onde levam os elevadores.
http://www.russiadefence.net/t4988p25-multi-role-naval-platforms-lhd-lpd

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Eu achei bem bonito, os Mistral deles hj está com o Egito, fico imaginando se fosse nuclear, daria parar ir para qualquer lugar do mundo sem medo.

Dalton
Visitante
Dalton

Se você está referindo-se ao alcance ilimitado, navios de propulsão nuclear precisam ser reabastecidos de provisões para a tripulação, seja através de navios logísticos ou eventuais visitas a portos estrangeiros, que aceitem a entrada de navios de propulsão nuclear.
.
Também não há navios de escolta de propulsão nuclear desde que a US Navy descomissionou os seus no fim da década de 1990, então, se escoltado, eventualmente precisará de um bom navio tanque/logístico no grupo.

João Adaime
Visitante
João Adaime

Qual a vantagem (ou desvantagem) do convés de proa afunilar?

Dalton
Visitante
Dalton

A desvantagem é uma redução no espaço para estacionamento de aeronaves, mas, isso pode não ser um grande problema se os russos não abarrotarem o navio de aeronaves, como fazem os americanos que costumam enviar algumas para os outros 2 navios que fazem parte do grupo anfíbio para conseguir um pouco mais de espaço no LHA/LHD e também não há intenção de embarcar aeronaves de asa fixa similares ao “AV-8B” e “F-35B”. . A vantagem poderá ser mais de ordem aerodinâmica, com as linhas do convés de voo acompanhando as linhas do casco, oferecendo menos resistência e conseguindo algum ganho… Read more »

Adriano Madureira
Visitante
Adriano Madureira

Acredito que tal navio vire realidade em 2021,apesar da situação russa, eles sempre estão a lançar navios para incorporar a sua marinha de guerra. E o Nevsky Design Bureau com certeza terá grande chance de produzir tal navio, tendo em visto a experiência na construção dos classe mistral Vladivostok e Sebastopol, e usar isso no Project Priboy ou Lavina. Acho que o preço sairia até mais em conta do que comprar mistrais, fora que a DCNS devolveu o montante russo para a compra dos LHDs, e acredito que quanto a tecnologia embarcada, o navio usará em maioria tecnologia nacional e… Read more »

Ivan
Visitante
Ivan

Amigos, . No meu entendimento a Marinha Russa deveria focar esforços em uma classe de porta-helicópteros de duplo emprego, misto de LPH – Landing Platform Helicopter e ASW Helicopter Carrier, simplesmente um navio de convés corrido e ilha de comando à estibordo, como um pequeno porta-aviões, mas apenas para helicópteros e outras aeronaves de decolagem e pouso vertical que venham a desenvolver. . Foco total na operação aeronaval, com helicópteros. Nada de doca alagável (well deck), nada de lanchas nos bordos, apenas operação aeronaval de aeronaves VTOL, que no caso da Rússia HOJE são apenas helicópteros. . Como escrevi, um… Read more »

Dalton
Visitante
Dalton

Ivan…
.
um dos dois “Ivan Rogov” “encostados” o “Mitrofan Moskalenko” será desmantelado conforme noticiado uns meses atrás e quanto ao outro não será reativado ainda mais com a decisão de construir uma versão aumentada
do “Ivan Gren” e revitalizar os “Ropucha” para durarem 50 anos ou mais,
conforme decidido recentemente, então não há necessidade e/ou recursos para se investir em “LPD” chinês.
.
A decisão de adquirir 4 navios “Mistral” surgiu quando da crise com a Georgia
em 2008 quando se viu a necessidade de um “LHD” e originalmente 4 seriam adquiridos provavelmente um para cada Frota como também originalmente
seria o caso dos 4 “Ivan Rogov”.
.
abs

Paulo costa
Visitante
Paulo costa

Gostei dessa maquete e Eu tenho certeza que ate 2030 a Marinha do Brasil vai ter implantado a 2ª frota e por isso vai fechar um acordo com um grande estaleiro e veremos o inicio da construção de um porta-aviões para o Brasil

Marcelo Danton
Visitante
Marcelo Danton

Maquete por maquete temos as nossas também..Quem quer apostar que o SNBR vai ficar só na maquete?! Só vamos montar os Tonelero e Agostura e vão parar TUDO.
Podem escrever o que estou dizendo…

Wagner
Visitante
Wagner

Lista das maiores unidades de combate de superfície russas em reparos ou modernização. Ao lado o ano de provável retorno a ativa) 1) Porta aviões Admiral Kuznetsov (2022) 2) Cruzador de Batalha Nuclear Admiral Nakhimov (classe Kirov) (2022) 3) Cruzador de mísseis Moskva (Classe Slava ) (2020) 4) Destroier Admiral Chabanenko (Udaloy) (2021) 5) Destroier Marshal Shaposhnikov (Udaloy) (2019) 6) Destroier Nastoichvy (Sovremmeny) (2020) 7) Destroier Burnyy (Sovremmeny) (????) 8) Fragata Neustrashmiy (Neustrashmiy) (2019) O Burnyy está com os reparos estagnados faz dez anos, não conseguem arrumar os propulsores. Mas o trabalho nos demais prossegue em ritmo mais ou menos… Read more »