Home Marinha do Brasil Próximas desativações de navios-escolta da MB

Próximas desativações de navios-escolta da MB

9636
306
Fragata Greenhalgh F46
Fragata Greenhalgh – F46

Em palestra online recente feita pela Marinha do Brasil sobre o Programa das Fragatas classe Tamandaré, foi mostrado um quadro com a idade dos atuais navios-escolta da Esquadra Brasileira.

Em outra palestra foi mostrado o mesmo quadro, mas com três navios ausentes:

Comparando os dois quadros, os próximos navios a darem baixa do serviço ativo serão as fragatas Constituição – F42 (classe “Niterói”), Greenhalgh – F46 e Rademaker – F49 (ambas Type 22).

Restarão portanto seis navios-escolta na Esquadra até a chegada da primeira fragata da classe Tamandaré em 2025.

A fragata Defensora – F41, que ficou parada cerca de 8 anos e passou por extensos reparos, deve retornar às operações em breve.

Fragata Rademaker – F49
Fragata Constituição
Fragata Constituição – F42
Fragata Defensora – F41, em reparos no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
306 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fernando Turatti
Fernando Turatti
1 mês atrás

Sempre bom lembrar: gastamos 9B USD em 2008/09 em submarinos, não em navios de escolta. Se não bastasse gastar com o dobro do pessoal da Royal Navy, ainda torramos mal o pouco que sobra.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

A MB se converteu em uma das guardas costeiras mais caras do mundo…

Marcos10
Marcos10
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Nem isso.

Teropode
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Nem isso . 2

Last edited 1 mês atrás by Teropode
Renan
Renan
Reply to  Joao Moita Jr
1 mês atrás

Deveria ter uma lei que a Marinha só pode ter em seu número de militares baseado na capacidade de suas embarcações. Assim se um navio tem a capacidade de operar com 100 marinheiros e digamos que precise de duas guarnições seria então necessário 200 marinheiros. Nesta lei deixar bem claro que só entra embarcações com capacidade de mais de 15 dias de missão com leito, cozinha, etc ou seja não vale lancha e voadeira Deveria existir uma outra lei que não se pode ter navios com idade superior a 45 anos. Portanto a marinha deveria ser forçada a contar quantas… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Renan
Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Renan
1 mês atrás

Essa é a famosíssima ¨conta de padaria¨…..

Camargoer
Camargoer
Reply to  Renan
1 mês atrás

Caro Renan. Temos discutido bastante a necessidade de reduzir os efetivos das forças armadas, só que isso tem que ser feito de modo mais racional. A primeira coisa é terceirizar atividades, o que irá reduzir despesas com previdência no futuro. Outra coisa é aumentar o investimento em tecnologia e inteligência artificial. Outra coisa é lembrar que o EB tem mais tropas que a MB e a FAB juntas. Para resolver o problema, é preciso atuar nas três forças. Nada adianta a FAB e a MB reduzir suas tropas e o EB ampliar as dele. Além disso, é preciso contratar uma… Read more »

Alexandre Esteves
Alexandre Esteves
Reply to  Renan
27 dias atrás

Tu deves ser um gênio da estratégia de emprego do Poder Naval. Que pena que o Alte Nelson, Alte Maham, para não dizer de Tamandaré, Barroso e do Alte Alexandrino não o conheceram…

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Lembrando que a RN tem falta de pessoal.

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

“falta de pessoal”. Eles vendem navio pra remanejar pessoas, aqui a gente deixa de comprar navio pra manter pessoas.
Em guerra, quanto tempo acha que a RN levaria pra treinar uma tripulação nova? E quanto tempo acha que o Brasil levaria pra construir um destroyer? Ah, esqueci, a gente não gosta de escoltas de verdade, a gente gosta de fraguetas.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Engraçado, vender a Nau Capitânia recentemente modernizada e com mais de 20 anos de vida útil pela frente, é remanejar pessoal. Seja sincero se a RN tivesse pessoal suficiente nunca teriam vendido o HMS Ocean. E sobre quais escoltas usar, atualmente poucos países usam destroyers, devido ao seu elevado custo, mas sobre o tempo de construção, se as condições foram equilibradas para uma comparação justa(ambos com uma indústria naval militar instalada e ativa), poderíamos contar uns 5 ou 6 anos. Sobre esse negócio de fragueta, já ouviu falar em corveta de 3.500 toneladas? Se a Tamandaré é isso as Niterói… Read more »

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Tenho certeza de que quem vendeu HMS Ocean pra incorporar dois Queen Elizabeth não está sentindo essa falta toda.
Quanto a “comparação justa”, como seria justa? Nós não temos indústria naval militar ativa, não conseguiríamos entregar nada decente.
Se você acha que uma fragata hoje é a mesma coisa do que em 1970, tenho PÉSSIMAS notícias:
Uma type 21 pesava 3200t carregada. Uma OHP pesava, carregada, 4200t.
Hoje uma FREMM pesa 6000 a 6700t, uma type 26 pesará até 8000t.
Sugiro que atualize-se.

Astolfo
Astolfo
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Não adianta Fernando, ele sabe muito bem o que está falando, pois é parte interessada e como militar médio, é corporativista. Como eu sempre digo, sempre tem um para defender o indefensável.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Astolfo
1 mês atrás

Eu não sou militar. o único vínculo com os militares que tive foi meu bisavô que era reservista do Exército.

A diferença está no fato de que em vês de eu ficar criticando, eu estou buscando entender o problema, enquanto muitos aqui já ficam querendo impor a sua solução sem nem saber qual a causa do problema.

JOAO
JOAO
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Entender o problema!?! Um problema tão simples e óbvio?

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  JOAO
1 mês atrás

Quando parece simples, é porque ainda não o conhece.
Quando pensa que é obvio é porque não está vendo o que está por trás do óbvio.
Um problema é igual um iceberg, a maior parte está oculta e sem conhecer essa parte a solução nunca será plena e o problema voltará a aparecer.

Teropode
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

A coisa é gritante , já passou da hora de acabar com isso , as FAs virou um grande cabide , há espaço para uma terceirização mais robusta , o corpo médico e administrativo das três forças pode ser reduzido a 10% do atual , mas isso é coisa para os civis fazerem , atualmente sem moral para tal ação .

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Teropode
1 mês atrás

E como fazer isso.

Se for apenas passar a faca, ai sim que a coisa desanda de vez. Por isso que o debate é importante e buscar conhecer o problema é crucial para se achar a solução, não adianta apontar e falar passa a faca, o problema só vai mudar de nome e vai ficar pior.

marcus
marcus
Reply to  Teropode
1 mês atrás

O corpo médico e administrativo das forças armadas devem ser extintos.
Convênio medico para essa milicada coça-saco e contratar empresa civil com reconhecida experiencia em administração de pessoal.

Kemen
Kemen
Reply to  marcus
1 mês atrás

Esta doido colega?__ FA´s sem médicos e administração?__ Isso não é solução de coisa alguma.__ A logistica esta dentro da Administração entre outras coisas.

Alang
Alang
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Querem acabar com isso, o Brasil precisa entrar em guerra, assim os militares que usufruem desse ”cabide” terão uma real serventia.

Kemen
Kemen
Reply to  Alang
1 mês atrás

Não desejaria uma guerra para nossa pátria, a não ser para defender nosso território ou nossos direitos como nação.__ Os militares tem atuado em missões fora do pais a serviço da ONU.__ Não desejaria também mais despesas e mortes desnecessárias atuando em combates, por exemplo, no Afganistão, Iraque, Siria ou onde Jesus perdeu as botas.__ As missões da ONU são mais do que suficientes e algumas tem sido bem perigosas.

Jorge albini
Jorge albini
Reply to  Astolfo
1 mês atrás

O brasile assim mesmo hiper atrasado, constroem 4fragatas e desativa outros 20 navios e um monte de navios velhos todos ultrapassados

marcus
marcus
Reply to  Astolfo
1 mês atrás

Militares brasileiros, hoje e sempre só defendem contra-cheques polpudos e vantagens cada vez maiores.
A republica não é mais composta por 3 poderes.
Agora são 4 poderes, Executivo, legislativo, judiciário e as forças armadas.
Qual a utilidade das forças armadas brasileiras?
Nenhuma. Só mamar nas tetas do governo.
Bando de inúteis.

Jorge Knoll
Reply to  marcus
1 mês atrás

A Reforma da Previdência dos militares era o momento certo de diminuir o comprometimento da folha das FFAA, com i nativos e pensionistas, passando para a União o pagamento dos futuros pedidos de reforma ou par a reserva. Mas, não foi o que se viu. O “lobby” dos militares foi tão grande, que virou Reclassificação de Salários, com inchaço das folhas de pagamento, UMA VERGONHA. SENÃO BASTASSE ISTO, BOLSONARO na Presidência da República, representou para + de 300 militares, nomeações para cargos do governo os quais não tem qualquer afinidade, como a Saúde, e a oportunidade de ganhar salários polpudos,… Read more »

Salomon
Salomon
Reply to  Jorge Knoll
1 mês atrás

Lembro aos colegas que ainda existem 4 ou 5 pensões da Guerra do Paraguai. Tem mais dentista, garçom e músico que especialista em Resistência de Materiais e Eletrônica, numa Força Militar em pleno século XXI.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Jorge Knoll
1 mês atrás

Calma! O Haddad e a Manuela D´Ávila não vão mais à missa!

Kemen
Kemen
Reply to  marcus
1 mês atrás

Pois é deixemos o pais sem F.A.´s, perderiamos a Amazônia, o nosso mar territorial e a nossa zona econômica virariam mar de ninguém, o contrôle de fronteiras ficaria desfalcado, os contrabandistas e os narcotraficantes fariam a festa das festas, a pesquisa de petróleo no mar ficaria a disposição de todas as empresas que se aventurassem com alguns mercenários a garanti-los e a guerrilha sul americana adentraria nossas fronteiras.__ Nem a neutra Suiça abandonou as armas para sua defesa!

Camargoer
Camargoer
Reply to  Kemen
1 mês atrás

Caro Kemen. Os contrabandistas e narcotraficantes são problemas da Polícia Federal e das polícias estaduais. Aliás, estes criminosos tem ampla liberdade de atuação. Anos atrás, existiam as FARC e o Sendero Luminoso. Quais sao as guerrilhas hoje?

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Então porque teve tenta repercussão negativa essa venda, os QE não substituem o HMS Ocean, ambos tem funções diferentes.
Sobre a comparação, o que você tinha pedido era o tempo de construção, o que eu fiz foi colocar ambas no mesmo patamar, porque isso é necessário para se definir com maior precisão qual seria a capacidade se elas estivessem no mesmo nível, e sobre não entregar nada decente, olha os navios militares construídos aqui, eles são decentes e cumprem muito bem a missão dada a eles.

Por fim apresente uma corveta com mais de 3.000 toneladas.

Salim
Salim
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Wilson, um PA inglês e muito mais capaz que Ocean em qualquer sentido, são 40 aeronaves, terá condições de desembarque aéreo muito superior ao Ocean, serão 2. Ocean náo tem doca interna como Bahia. Nossos meios e mentalidade reposição estão anos 80 , fraguetas, um subnuc com parâmetros de troca de reator /combustível e capacidade bélica bem abaixo do que se tem hoje, A4 sem misseis, tracker sem PA e quatro IKLs sem verba pra PMG. Náo e critica e realidade, MB tem que melhorar muito e náo vejo esta disposição em melhorar. Fora fuzileiros em numero superior media mundial… Read more »

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Salim
1 mês atrás

Mesmo se a MB conseguisse fazer todas as mudanças dentro de 2 anos, os resultados só iriam começar a aparecer após mais de 10 anos, o imediatismo é o maior inimigo de um bom planejamento hoje.

Sobre os equipamentos isso são outros quinhentos, falando apenas do subnuc, toda a propulsão dele está sendo desenvolvida pelo Brasil sem ajuda nenhuma.

Vovozao
Vovozao
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

12/10/2020 – segunda-feira, btarde, wilson look, aproveitando, so duvidas…. defensora esta em manutencao a mais de 8 anos, e passou segundo informações “”por extensos reparos””, nao se sabe se foram reparos estruturais ou de maquinas, sistemas, etc, entretanto, mesmo apos todos esses “”reparos””, quanto ela estara operacional…. isto é queiramos ou não será a fragata mais velha da MB, e outra coisa, segundo informações repassadas por varios site’s a MB, pretende fazer reformas e atualizações em algumas das fragatas restantes, e somente no sentido de abrir o olho, sera que serao reformas/atualuzacoes tipo o que fizeram com a defensora….+ de… Read more »

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Vovozao
1 mês atrás

É uma questão delicada mesmo, no meu ver a MB decidiu sacrificar a esquadra atual para se concentrar nos novos navios.

Sobre esse tempo, eu penso assim, são navios dos anos 70 e muitos dos seus componentes, por exemplo as turbinas, não são mais fabricadas, se uma peça quebra, demora para achar outra e quando acha o preço é bem alto, sobre a modernização de fato falam dela mas não sei tudo o que ela envolverá então não tenho como estimar um tempo.

Enes
Enes
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Wilson Look, MB sacrificou a esquadra quando comprou o São Paulo, foi ai o grande erro.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Enes
1 mês atrás

Foram 12 milhões de dólares. O erro foi não ter feito a reforma que o mesmo requeria na França quando foi comprado.
De resto o cenário não era tão ruim quanto hoje e era possível evitar que piorasse caso houvesse sido encomendado uma classe nova de escoltas.
O problema foi bem mais embaixo, o São Paulo é a parte visível.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Enes
1 mês atrás

Nem tanto Enes, mas sem dúvida alguma onteria feito se tivessem continuado com a extravagante ideia da reforma geral.

Salim
Salim
Reply to  Enes
1 mês atrás

SAO Paulo chsgou usd12 milhoes, tem iate na Marina da Gloria mais caro. MB deveria tier feito reforma na França, ai teríamos um PA capaz por vinte anos. A reforma do SP seria bem mais em conta subnuc que talvez teremos daqui 12 anos, sendo hj bem inferior, imagina daqui 12 anos. Mesmo SP , se fosse reformado na epoca em 2025 estaria na situação das escolhas. MB tem um planejamento abaixo da crítica.

Enes
Enes
Reply to  Vovozao
1 mês atrás

Vovozão, o que se pretende nas Niteróis sobreviventes, não se trata de atualização, trata-se de revitalização, isso dará a elas a capacidade de operar por mais algum tempo porém, continuarão obsoletas.

Enes
Enes
Reply to  Enes
1 mês atrás

Por ter ficado sem navegar por oito anos, a Defensora preservou o casco o que favorece na idade, embora mais velha, parecerá oito anos mais nova em sua estrutura.

Flanker
Flanker
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Vocês dois estão discutindo algo incomparável …..MB e RN são separadas por uma distância tecnológica e operacional maior do que a distâcia física. Por pior que esteja, a RN está infinitamente melhor que a MB.

Salim
Salim
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Muita gente esta presa no pasado, tem que ver o que se emprega no mundo. Capacidades e tonelagem aumentaram bastante.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Salim
1 mês atrás

Bom estou no aguardo de uma corveta com mais de 3 mil toneladas.

2Hard4U
2Hard4U
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Wilson, já não aguento mais aguardar a tal lista de Corvetas de 3.500 TPB.
Atualmente existem Fragatas leves e pesadas, mas aparentemente eles desconhecem este fato.

Gilmar
Gilmar
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Comentário bem claro e objetivo.
Parabéns.

Renato
Renato
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Fernando Turatti, Sejamos sinceros e honestos. Se a RN pudesse não venderia o HMS OCEAN. Mas a realidade econômica britânica é preocupante. Vc esqueceu que na venda do porta helicópteros o pau comeu solto no parlamento inglês que não engoliam o fato de se gastar na sua reforma e atualização quase o mesmo valor de venda. Qual foi a alegação da RN? Eles não tinham recursos para manter escolta de três navios.capitânea. HOJE, já se discute abertamente na RN a possibilidade de se vender um dos porta aviões por pura falta de recursos e material. Aliás… Se vc for procurar… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Renato
Salim
Salim
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Wilson, Ocen e barco retaguarda, foi construído utilizando padrões civis adequados a uso militar ( Bahia também ). Trocaram Ocean por 2 PAs com capacidade de 40 aeronaves cada.

Teropode
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Vc pelo jeito nunca ouviu falar em otimização de recursos e desconhece a nova doutrina de emprego naval da OTAN , onde cada nação assumi_ra um papel específico , ” otimização de recursos”.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Teropode
1 mês atrás

O Brasil não faz parte da OTAN e nem de nenhuma aliança, ou o Brasil assume todos os papeis ou fica defasada, não tem como contar com outro país para cobrir uma deficiência.

Teropode
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Se vc não fala eu não saberia ,. ……. o comentário foi para justificar a redução quantitativa da RN.

Henrique
Henrique
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

As type 26 vão deslocar por volta e 7.000t e as FREMM deslocam mais de 6.000t… comparado a elas as Tamandaré são fragatas lightweight, “fraguetas” mas não corvetas.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Fragatas leves.
As Type 26 e as FREMM são fragatas pesadas.

A grosso modo o próprio projeto do CPN que deslocaria 2.790 toneladas, já poderia ser chamado de fragata leve.

A MB não usa os termos fragata leve e pesada, ai o pessoal fica nessa comparação de fragatas leves com pesadas.

E no caso das Type 26 elas vão chegar a deslocar 8.000 toneladas.

Kemen
Kemen
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

São épocas distintas, com os anos as coisas mudam, ou melhor se adequam e a polivalencia tem sido usada com muita frequência para otimizar despesas das Marinhas com orçamento limitado, atualmente também existem OPV´s de 2.800 tn. que não podem ser categorizados como corvetas devido ao armamento limitado por sua função básica, patrulhar em alto mar distante da sua base por longos períodos.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Kemen
1 mês atrás

No caso das fragatas Tamandaré, usei o critério da tonelagem por ser o que levou a MB a classifica-las como fragatas.

Depois daquele OPV chinês de 10.000 toneladas, não me surpreendo muito.

Renan
Renan
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Marinha do Brasil é a maior instituição social do país paga salário e benefícios para um monte de marinheiros ficar em terra.

Salim
Salim
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

RN tem pouco pessoal , porem tem presença mundial e 2PA pra náo falar resto, só no Atlântico tem sempre patrulha Malvinas e nas Guianas. São 35 mil aqui cerca 80 mil. Inglaterra e ilha sendo vital RN para garantir segurança. Nas Malvinas mostraram capacidade, mesmo com esta propalada falta homens. França 36 mil ,Austrália 15 mil.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Caro Fernando. O PRS 54/2009, do Senado, que autorizou o financiamento do ProSub menciona Eu$ 4.324.442.181,00 (hoje seria US$ 5,1 bilhão), sendo Eu$ 3,57 para a aquisição de bens, serviços e seguros, e Eu$ 746 milhões em ToT. A taxa de juros foi de 5,5% ao ano e 10 parcelas semestrais (hoje seriam R$ 2.8 bilhões para cada parcela). Esta resolução do Senado foi publicada em 3 de setembro de 2009, e tinha até 540 dias para que o contrato fosse assinado. Segundo o parecer da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, o valor total do ProSub era de Eur$ 6,79… Read more »

JOAO
JOAO
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Jesus! 70.000 homens em terra firme. Talvez a maior marinha terrestre do planeta.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  JOAO
1 mês atrás

Deve ser para proteger nossas areias movediças….

Jorge Knoll
Reply to  JOAO
1 mês atrás

vergonha

Jorge Knoll
Reply to  Jorge Knoll
1 mês atrás

marinheiros vão se tornar meros varredores de cais, para justificar receber salários e os oficiais, apenas a
tarefas administrativas, ou cargo no governo

Alessandro
Alessandro
Reply to  JOAO
1 mês atrás

E os concursos públicos para MB não param!!

como diria um certo jornalista: “Isso é uma VERGONHA!”

Zorann
Zorann
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Submarinos são mais importantes do que qualquer tamanduá possa ser. O desperdício é gastar com tamanduá, ao invés de se gastar em OPVs, que são de fato o que precisamos.

Binho
Binho
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Amigo, isso é chover no molhado, quem não é militar, não sabe nem um milésimo do que realmente acontece nas nossa Forças Armadas.

São usadas pra dar emprego e renda a milhares de brasileiros, até ai tudo bem, mas só que finalidade das mesmas que são defesa do povo e território brasileiro é totalmente distorcida e muita gente acha normal.

Igual prefeitura da minha cidade que gasta 90% no funcionalismo, depois não sabem porque que a cidade está abandonada……..

MMerlin
MMerlin
Reply to  Binho
1 mês atrás

Se ela o faz, está irregular, proibida de qualquer tipo de empréstimo e seu prefeito irá responder pela lei de responsabilidade fiscal.

Binho
Binho
Reply to  MMerlin
1 mês atrás

lei pra Responsabilidade fiscal é quando gasta mais que arrecada não?

Mesmo assim prefeito da minha cidade foi condenado por crimes contra a administração pública, nepotismo, e mesmo assim assumiu com mais de 95 anos e vai candidatar novamente

É mole?

Paulo V S Maffi
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Insisto: – Reduzir os cursos com pessoal para níveis dos principais homônimos mundiais (EUA, Europa, Coréia do Sul, Japão e China) – Começar a pensar em fragatas pesadas URGENTEMENTE (no mínimo 5) – Ampliar as aquisições das Tamandaré para 8 a 10 unidades – Retomar a produção da classe Macaé URGENTEMENTE – Renovar a frotilha de monitores fluviais, PELO AMOR DE DEUS – Adquirir mais 4 scorpene e mais um nuclear (longo prazo) – 2 navios tanque de apoio logístico – 2 multiprópisito – Novos caça-minas URGENTEMENTE – Dividir a esquadra em duas marinhas, com uma no Rio e outra… Read more »

JULIO C FAUSTINO
Reply to  Paulo V S Maffi
1 mês atrás

Só 4 subs? ja viu o tamanho da costa brasileira?
precisamos de 15 subs no MINIMO!!

Paulo V S Maffi
Reply to  JULIO C FAUSTINO
1 mês atrás

No caso do meu comentário, seriam mais 5 além daquela já contratados.

Gabriel
Gabriel
1 mês atrás

Me parece que o maior equívoco das administrações passadas foi acreditar que os planejamentos de adquirir Fragatas de 6000 ton iriam adiante, ao mesmo tempo que o prosub.

De qualquer maneira, parece que a Marinha voltou a colocar os “pés no chão”, com as Fragatas Classe Tamandaré.

Quem sabe em futuro próximo encomendar + 4 Tamandaré “alongadas”, com umas 4000 ton.

E se aparecer, o que não tem acontecido, alguma compra de oportunidade de navios usados, com pelo menos 15 anos de uso.

Não consigo imaginar nada muito diferente disso.

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Gabriel
1 mês atrás

Aí é ser muito ingênuo… e quem em sã consciência vai vender navios com 15 anos? Mais fácil a gente ficar com alguma bucha de mais de 30 anos que alguma monarquia queira dar baixa. E sorte a nossa se conseguíssemos pelo menos uns 4 exemplares para pelo menos termos alguma escolta, pq eu tenho certeza que nenhuma Tamandaré estará pronta em 2025.

Vovozao
Vovozao
Reply to  Jadson Cabral
1 mês atrás

12/10/2020 – segunda-feira, btarde, Jadson Cabral, so a titulo de informação, USNAVY, iram descomussionar 4LCS, 2 classe Freedom e 2 classe Independence, tem uma com nenos de 10 anos, as outras 3 tem muito menos de 20 anos de uso, não sei se seriam vendidos, ou irao para a naftalina, ai ficam a cargo do MB investigar, para isso existem adidos navais.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Vovozao
1 mês atrás

se fôssemos pegar (com SE maiúsculo) pegaria apenas as 2 da classe Freedom mais convencionais (as Independence são exóticas, catamarans de alumínio). E lembrando que mesmo as Freedom não tem o mesmo nível da classe Tamandaré já encomendadas. Melhor aguentar o período de estiagem como faz a FAB e esperar pelo equipamento novo.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

E quanto as Lafayettes francesas, a França já as vendeu?

Dalton
Dalton
Reply to  Adriano Madureira
1 mês atrás

Tres delas terão suas vidas estendidas e as outras duas que não serão revitalizadas carregarão o piano por mais alguns poucos anos.

Dalton
Dalton
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

A US Navy costuma divulgar com atecedencia o futuro de seus navios que serão descomissionados e os 4
“LCSs” irão para a reserva, para eventualmente virarem alvos ou serem desmantelados já que dificilmente serão bem mantidos para futura reativação.
.
Os 4 primeiros foram reduzidos a navios de testes, colocados sob um comando separado, apresentam problemas que não valem o custo do conserto e não servem para outras marinhas.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Dalton
1 mês atrás

disse tudo!

Satyricon
Satyricon
1 mês atrás

Pensando pelo lado positivo, não vão faltar alvos para as missilex…
Que coisa

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

Vendo pelo lado “copo meio cheio”, o MANSUP vai poder ser bem testado, pelo menos..

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

Vai faltar é missil. Quando vir navio sendo rebocado pro desmanche, já sabe, né?!

Cidadão
Cidadão
1 mês atrás

Criminosa omissão das autoridades quanto à defesa dos interesses e da soberania do Brasil nos últimos anos.

Salim
Salim
Reply to  Cidadão
1 mês atrás

Como Cidadão,,concordo com sua observação.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Cidadão
1 mês atrás

Concordo plenamente com o sr. Cidadão. Nas últimas décadas principalmente. Lembro da construção das Niterói. Jamais houve continuidade de se ter ou evoluir para novas belonaves; na verdade, Jamais houve uma potente evolução nos meios de defesa, seguindo o que qualquer país sério faz: dar continuidade ao programa. Não! Ficamos com as mesmas escoltas por mais de 30 anos. Barroso levou 14 anos. Da mesma maneira que FAB e EB não temos nada para nos defender de imediato. Estamos a mercê. Nem navios de minagem e varredura temos o suficiente. Antes de ler outro site. Verifiquei que caso ocorresse uma… Read more »

marcus
marcus
Reply to  sergio ribamar ferreira
1 mês atrás

As únicas continuidades vigentes nas forças armadas nos últimos 30 anos, foram aumentar o soldo e aumentar as vantagens.
Forças armadas no Brasil, o maior exemplo de inutilidade.

Koprowski
Koprowski
1 mês atrás

Em se falando da proximidade do retorno ao setor operativo da FG F41 Defensora, quando será que acontecerá o mesmo com o NDCC G28 Mattoso Maia ?

Salim
Salim
Reply to  Koprowski
1 mês atrás

Eu tento ser lógico, qdo retorna meio ativa na MB e meio irreal assunto para futurologia. Reforma de uma fragata pequena mais 8 anos, Barroso 14 anos, napa500 de 26 só temos 3, tupis sem png, tracker chegando 21 anos após compra SP alguem arrisca palpite?..

Audax
Audax
1 mês atrás

Com 70% da verba da Marinha sendo destinada a pagamento de pessoal ativo e inativo fica bem difícil esperar eficiência de alguma coisa. Lamentável o ponto que chegamos.

Last edited 1 mês atrás by Audax
Thom
Thom
Reply to  Audax
1 mês atrás

Queria uma matéria bem detalhada sobre isso com gráficos e etc.
Tem muita coisa “nebulosa” que os leigos não sabem.

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Thom
1 mês atrás

uma matéria detalha com gráficos exporia ainda mais a situação vergonhosa. Deve ser por isso que é tão difícil encontrar algo detalhado a esse nível. Como os militares vão se defender?

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Jadson Cabral
1 mês atrás

Relatório de gestão de exercício da Marinha do Brasil, achei apenas até 2017, mas tem todos esses dados.

Renan
Renan
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

O último relatório divulgado pela lei de acesso a informação foi 2018.

O atual presidente (seus ministros) não deixa divulgar o de 2019

marcus
marcus
Reply to  Jadson Cabral
1 mês atrás

TCU prá cima dessa galera. Vão achar muitos desvios.

Renan
Renan
Reply to  Audax
1 mês atrás

Se fosse 70% tava muito feliz

Com tudo que se gasta com pessoas lá foi 90 bilhões do orçamento da defesa

Marcos10
Marcos10
1 mês atrás

Oito anos para manutenção de um navio?
Isso sem contar os outros parados para pequenos reparos que nunca terminam.

Satyricon
Satyricon
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Preocupa não. Na próxima década será incorporado um SubNuc, pra terminar de enterrar o que sobrar da frota de superfície.
Quem viver, verá

Marcio
Marcio
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Para o padrão Brasil é um bom tempo.

Satyricon
Satyricon
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Só lembrando: faltou dinheiro pq a MB precisou garantir verbas para o Super Programa Traders, algo revolucionário, que em breve chegarão ao Brasil. Todos os problemas da MB serão resolvidos por essas fantásticas aeronaves septuagenárias.
É muita emoção…

Renan
Renan
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

Acho que os 167 mil reservista não reclama de falta de dinheiro

Os outros 110 mil pensionista também não reclamou

Só este dois consomem mais 41 bilhões do orçamento militar

Se quiser ver mais leia o link

Satyricon
Satyricon
Reply to  Renan
1 mês atrás

Renan, não discuto
Apenas pontuo que a MB, além de gastar muito e terrivelmente mal, ainda consegue achar espaço nos frangalhos de seu orçamento para perpetuar extravagâncias inconcebíveis, como a modernização dos S2 Traders, que não servem para absolutamente nada.
É dinheiro que conseguiria colocar outra escolta operacional.
É nesse mar de incompetências e extravagâncias (onde ainda se encontram malucos para defender SubNuc) que em breve veremos os S2 voando, como monumentos à nossa incapacidade.
Nos céus do Brasil

Renan
Renan
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

Amigo já viu quanto sai do orçamento da defesa para financiar casa para militares?
São só dá marinha 250 milhões todo ano
Imagina as 3 forças.

É um dinheiro que deixa de ser usado para a atividade fim

No link acima mostra um oficial que recebeu 180 mil em indenização

É muito desperdício coitado do Brasil

Marcelo-SP
Marcelo-SP
1 mês atrás

Tem que começar a fazer conta do que quer e de quantos cascos consegue ter para otimizar seu uso. Os NaPaOc’s desdentados só servem para passeio oceânico. São poucos para patrulhar o mar territorial e em caso de guerra ficariam no porto. Oras, que se tenha NaPaOc’s que incorporem a luta anti-submarino. E em quantidades maiores, para cumprir todas as missões. Não é um vaso caro. O mesmo serve para submarinos. Agora já foi e entendo o valor tecnológico. Mas quanto se gastou para construir 1 SubNuc? Não era melhor ter mais 3 convencionais, e assim aumentar o papel dissuasão… Read more »

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Marcelo-SP
1 mês atrás

3 submarinos convencionais? Cara, cada scorpene da Índia saiu a 400M de Euros, isso dá na cotação atual 472M USD.
Com os 9B USD gastos pelo Brasil dava pra enfiar não um, nem dois ou três mas ABSURDOS 19 submarinos. E lá os caras enchem o saco igual aqui: querem fabricação local e blablabla. A mão de obra custa menos? Custa… Mas acho que o número de 19 já diz mais do que o suficiente sobre a péssima e absurda decisão da MB.
Verdadeiros lesa-pátria, tanto o comando quanto o governo que permitiu isso.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Fernando Turatti
1 mês atrás

Caro Fernando. Primeiro, tem que separar as coisas. A base de submarinos e o estaleiro custaram cerca de Eu$ 1,8 bilhão. Então tem que separar esse valor do total. Mesmo que fosse usar o AMRJ e a manter os submarinos na antiga base, eles teriam que receber investimentos para ampliação e modernização. O financiamento foi para a aquisição de 4 submarinos de 2 mil ton e um submarino de 6 mil ton. Mesmo sendo de classes diferentes, o valor por tonelagem muda pouco (já fiz esta conta diversas vezes. O valor aproximado é de US$ 300 mil por tonelada) Portanto,… Read more »

Marcos10
Marcos10
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Essa é a história que contam, de que era necessário uma base nova. Era?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Caro Marcos. Se for considerado o submarino nuclear, tenho certeza da necessidade de uma nova base. Ali em Niterói onde está a antiga base de submarinos, não há espaço para as instalações de manutenção de submarinos nucleares. Se for considerado apenas uma ampliacao da frota de submarinos convencionais, a antiga base poderia ser utilizada, mas será preciso uma reforma até para instalar a sala de simulação dos novos submarinos. O AMRJ teria que ser reformado e modernizado para fabricar submarinos mais modernos mas teria um problema para contratar técnicos e engenheiros porque teria que ser por concurso. Outra alternativa seria… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Bardini, o custo de reforma e ampliação do AMRJ não seria nem perto o custo da construção do complexo de Itaguaí. Outra coisa, não teria que ter concurso não. O que impede que uma empresa seja contratada para realizar o serviço? Enfim, com toda a discussão, mais uma vez a Marinha quis ser a cabeça da Sardinha. Uma Marinha que não consegue construir o Macaé, quis tocar projeto de Submarino Nuclear. E olha que estamos falando em custo de desenvolvimento e aquisição. Se for colocar mais o custo da operação e manutenção do submerino nuclear, dava pra montar uma boa… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

Onde se lê Bardini, leia-se Camargoer

Camargoer
Camargoer
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

Caro Felipe. Acho um pouco difícil avaliar qual seria o custo de reformar o AMRJ e a Base de submarinos. De um lado, os píeres da base já existem, contudo haveria o custo da remoção dos prédios antigos do arsenal. Provavelmente, teria sim que abrir uma licitação porque seria difícil justificar a necessidade de dispensar a licitação para obras civis comuns. Acho também que a MB teria muita dificuldade em obter as licenças para um complexo radiológico e um estaleiro de manutenção de submarinos nucleares seja base de submarinos ou no AMRJ. Este complexo teria que ser construído em outro… Read more »

Gamayun
Gamayun
Reply to  Marcos10
1 mês atrás

Bom, os Tupis passam por apertos lá no AMRJ, uma base que além de atender esses meios atende TODA a esquadra. E mesmo que desconsideremos isso, você quer mesmo que coloquemos um complexo nuclear no meio da Baía de Guanabara, no centro do RJ?

Marcelo-SP
Marcelo-SP
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Obrigado, caro. Eu não tinha esses detalhes, Camargoer, mas imaginava essa proporção. Mas, enfim, entendo que falta definição de prioridades. Com todo o ganho tecnológico possível, um submarino nuclear me parece um tanto de devaneio para quem só vai alinhar 4 convencionais e sofre para colocar apenas 4 fragatas de 3.000 ton como navios de escolta.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcelo-SP
1 mês atrás

Caro Marcelo. Em 2009, quando o acordo foi assinado, o dolar custava R$ 2,30 e manteve esse valor até 2014. Em 2015 ele chegou a R$ 3,00, em 2019 subiu para R$ 4,00 e em 2020 ultrapassou R$ 5,00. O financiamento foi assinado em euros. Portanto, apenas o câmbio foi responsável pelo aumento da dívida em mais de 200%.

Renan
Renan
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

O câmbio não está nervoso, (o câmbio) mudou. Não tem negócio de câmbio a R$ 1,80. Todo mundo indo para a Disneylândia, empregada doméstica indo para Disneylândia, uma festa danada. Pera aí. Vai passear ali em Foz do Iguaçu, vai passear ali no Nordeste, está cheio de praia bonita. Vai para Cachoeiro de Itapemirim, vai conhecer onde o Roberto Carlos nasceu, vai passear no Brasil, vai conhecer o Brasil. Está cheio de coisa bonita para ver — disse o ministro, durante um evento em Brasília.

Salim
Salim
Reply to  Renan
1 mês atrás

Uma viagem decente Nordeste sai uma fortuna, mais caro exterior, bem como para qualquer lugar Brasil. Nosso pib evaporou 35% e como nossa economia e atrelada usd preços estão subindo muito, arroz, soja, algodão, aço, …

Renan
Renan
Reply to  Salim
1 mês atrás

Está fala é do Paulo Guedes, ele quiz o câmbio a 5,50 para aumentar o volume da exportação O empresário tendo que produzir mais gera mais emprego, assim a economia aquece. Essa é a teoria dele. Porém esqueceu que nossa industria é um zigoto, e não tem tecnologia e muito que produzimos precisamos de insumos importados opa mas como vou produzir se o dólar aumentou? O produtor não tava preparado para está flutuação e geralmente parte da sua produção foi negociada a anos atrás com outro valor cambial. Resultado vou ter que produzir e cobrar muito caro, ou quebro. E… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Renan
1 mês atrás

Olá Renan. Eu tenho criticado sempre a equipe econômica. Ela tem sido incapaz de propor soluções para este período de crise.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Salim
1 mês atrás

Salim, não força. Com a perda de valor do real, nenhuma viagem para o exterior, nem mesmo para os nossos vizinhos, se comparam com uma viagem dentro do Brasil. Com o valor do dólar e o valor do Euro, só vai para EUA e Europa, a lazer, quem tem grana ou quem vive de postar foto em rede social. A não ser que você esteja comparando uma viagem no nordeste de 30 dias em hotel 05 estrelas, regada a camarão e champanhe, com uma viagem para os EUA para ficar em albergue ou entrar pela fronteira pelo México. Ai realmente… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

Veja valor viagem Fernando Noronha, valor diária hotel 4 estrelas no Brasil , veja passagens aéreas. Gasto diário alimentação e transporte.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Renan
1 mês atrás

Caro Renan. Acho que cada um escolhe as suas férias (eu creio que dificilmente iria para a Disney mas quem tem filhos e filhas provavelmente gostaria de levar os filhos lá enquanto são pequenos, né?). Sem entrar na discussão sobre as razões da mudança do valor do dolar, isso impactou profundamente nos custos do projeto.

gari
gari
Reply to  Marcelo-SP
1 mês atrás

Defendo uma classe Patrulha Sucatão 100% nacional. Faz um pouco maior, pega os radares que a gente da conta de fazer e todo o resto. Assim a gente consegue manter presença no nosso mar em um tempo de dólar alto e se projetar bem, dá pra incorporar modernidades depois. todos com lugar pra helicoptero. Um downgrade na capacidade individual mas é melhor que meia dúzia de navio top.

Satyricon
Satyricon
Reply to  gari
1 mês atrás

Concordo contigo Gari, e vou além. Os estaleiros nacionais produzem offshore supply ships muito bons. Como indiquei abaixo, o caminho, à meu ver, seria adaptar esse tipo de navio à missão, com acréscimo de andar e convoo, transferindo-se o armamento dos que darão baixa.comment image&imgrefurl=https%3A%2F%2Fwww.marinelink.com%2Fnews%2Fdiscovery-launches392390&docid=Hv7wLZt8dcwBYM&tbnid=2ogoXAJZrdJcXM&vet=1&w=1200&h=652&itg=1&client=ms-android-motorola-rev2&bih=773&biw=412&ved=2ahUKEwjxmOXKi7DsAhU4H7kGHQE7A30QxiAoAXoECAEQHw&iact=c&ictx=1

marcus
marcus
Reply to  Marcelo-SP
1 mês atrás

Não demora muito usaremos canoas caiçaras e arco-flecha dos índios tamoios.

Renan
Renan
Reply to  marcus
1 mês atrás

Se a gente conseguir evoluir para este nível já fico contente desde que tenha espaço para 70 mil marinheiros e que eles seja obrigado Air até a África e voltar

Daniel Ricardo Alves
Daniel Ricardo Alves
1 mês atrás

Pessoal, uma pergunta . . . A “Classe Niterói” não foi um programa de transferência de tecnologia? Não podíamos ter aproveitado melhor o conhecimento e as estruturas que foram criadas por esse acordo? Me parece difícil de acreditar que em mais de 40 anos tudo o que a Marinha conseguiu fazer foram algumas poucas corvetas . . . Não evoluímos nada em todo esse tempo?

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Daniel Ricardo Alves
1 mês atrás

Considerando-se que, láááá atrás, a MB tambem comprou, a preço de ouro, o ToT dos IKL, e que só fizemos um IKL aqui, e que a gente jogou o ToT dos IKL no lixo pra comprar, a preço de ouro, o ToT dos Scorpene…
Não sei porque diabos as FA’s insistem nesse negócio de gastar a grana do contribuinte BR pra comprar ToT a preço de ouro…

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Alexandre Galante
1 mês atrás

Ok, erro meu, confesso. Obrigado pela correção.

marcus
marcus
Reply to  Alexandre Galante
1 mês atrás

A classe inhaúma é aquela que bebe água pela proa em mar agitado?
Aparentemente o problema foi corrigido na Barroso, que demorou 8 anos para ser construída.
Vejo o mesmo destino para classe tamandaré, a ultima será entregue em 2035.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Daniel Ricardo Alves
1 mês atrás

O problema foi a falta total de continuidade, não tem como manter uma capacidade de construção sem encomendas, isso ocorre a partir dos anos 90.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Olá WIlson, Concordo com você. Espero que a MB tenha aprendido que a descontinuidade pode ser uma solução para reduzir as despesas no presente mas causam enormes problemas futuros. Acho que os erros do passado devem servir como guia para acertos futuros. É preciso lembrar sim, mas tocar em frente a partir do que se tem no presente.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Também espero.

marcus
marcus
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Qualquer empresa em crise, tem como primeira atitude o corte nas contratações, na MB é o contrário, vira e mexe a MB abre um concurso.
Na minha opinião estabilidade só para oficiais superiores, de capitão de Corveta prá cima. Prá baixo contrato temporário de trabalho.

Camargoer
Camargoer
Reply to  marcus
1 mês atrás

Olá Marcos. Concordo com você sobre a necessidade de reduzir o efetivo das forças armadas, PRINCIPALMENTE do EB que representa 2/3 do total. O EB sozinho tem mais que a FAB e a MB juntos. O problema mais grave está lá. Uma boa medida seria encerrar o TG. Por exemplo.

Marcilio lemos de Araujo
Marcilio lemos de Araujo
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Boa tarde Camargoer, no tiro de guerra de Governador Valadares onde meu menino serviu, excetuando os salários dos oficiais tenentes, balas e fardamento, todo o resto de despesas como agua,luz, material de limpeza, telefone, instalações todos os custos por conta do município

Camargoer
Camargoer
Reply to  Marcilio lemos de Araujo
1 mês atrás

Olá Marcílio. O custeio é por conta do município, consumindo recursos essenciais para outras áreas como ensino infantil, saúde e manutenção da infraestrutura do município. O maior problema das forças armadas são os gastos com pessoal. A extinção do TG irá impactar nisso. O EB tem mais tropas que a FAB e a MB juntos.

Salim
Salim
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Camargoer, EB e coerente pelo tamanho Brasil, única força que tem que ser adequada ao nosso tamanho, quanto equipamentos e uma lástima agora mb e faz, em função aos meios e indecente, faz tem 3 vezes mais que força aerea israelense e quase 20 vezes a da Finlândia, Mb não tem nem meios e só Cabidao.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Salim
1 mês atrás

Caro Salim. Do ponto de vista ético e moral, todas as 3 forças precisam reduzir o efetivo. Concordo. Do ponto de vista prático, o maior impacto sobre as despesas do MinDef está relacionado ao efetivo do EB. Uma redução de 10% efetivo da MB teria um impacto de 2% no total. 10% no EB teria um impacto de 6% no total.

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Daniel Ricardo Alves
1 mês atrás

Se preocupa não, pq vai acontecer de novo. Compramos caças com ToT, submarinos com ToT e navios com ToT. Daqui a 40 anos estaremos com esses mesmo materiais obsoletos e comprando outros com a mesma desculpa. “queremos ToT para desenvolver a nossa industria e fabricar localmente”.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Jadson Cabral
1 mês atrás

Provavelmente. Concordo com o sr. Jadson Cabral. Não houve continuidade pois não havia interesse, não havia vontade. Deixaram correr frouxo. Não há investimento , há sim, gastar dinheiro do contribuinte, nosso dinheiro, com projetos megalomaníacos que ao final não saem do papel ou com projetos sérios em que não há continuidade para evoluir. Dá no mesmo. Isso se converte nas três Forças. Um passo para frente dois para trás e segue o ritmo. Um passo para frente e três para trás assim segue navegando até todos ficarem em terra. Simples.

marcus
marcus
Reply to  sergio ribamar ferreira
1 mês atrás

Vamos afundar os navios do inimigo usando catapultas em terra firme.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Jadson Cabral
1 mês atrás

Se guerra fosse ganha com ToT estaríamos muito bem.
Que País em sã consciência faz um projeto e constrói apenas uma corveta, como foi o caso da Barroso ? Se na época tivéssemos construído umas 4, hoje estaríamos em uma situação menos “desconfortável”.
Agora é torcer para as 4 Tamanduás sair do papel e quem sabe houver um pedido para outras 4. Logicamente a maior torcida será para nenhuma potência mundial querer alguma coisa no Brasil.

Marcelo R
1 mês atrás

A única manifestação que posso fazer aqui.. E afirmar que o João Moita Jr…esta corretíssimo na sua afirmação.. A esquadra acabou… mas sobraram os almirantes…. que devem ser muitos… E seu efetivo de 80.000 militares que acredito… que devem se amontoar em OM em terra…mas os custos para manter tudo isso são os mesmos que a marinha italiana GASTA anualmente …..27 bilhões de DÓLARES…com sua moderníssima MARINHA… com 2 porta aviões com CAÇAS F 35… 12 submarinos que funcionam….E 38 fragatas e destroiers , sendo 8 FREMM…E o BRASIL que todos reclamam…. mas todos aceitam…sera sempre um país do FUTURO….um… Read more »

rui mendes
rui mendes
Reply to  Marcelo R
1 mês atrás

São 10 fremm na marinha Italiana, as 8 fremm, são na marinha francesa.

Dalton
Dalton
Reply to  Marcelo R
1 mês atrás

A Italia irá adquirir nos próximos anos 30 F-35B, mas, serão 15 da marinha e 15 da Força Aerea para uso pelo “Cavour” e pelo novo “Trieste” que não é um “PA” e ainda não foi comissionado. . Com pelo menos duas aeronaves para testes e mais algumas que normalmente estarão em manutenção, usadas em treinamento, não haverá tantas assim disponíveis talvez 20 o que não é muito para dois navios e sempre incluirá algumas da Força Aerea também. . A marinha italiana tem e deverá manter 8 submarinos, não 12,e mesmo com os novos “PPAs” não terá “38 fragatas… Read more »

marcus
marcus
Reply to  Dalton
1 mês atrás

O que Marinha Italiana tem ou não terá, já é mais que a MB tem ou terá. Para a extensão territorial da Itália, proporcionalmente a Marinha Italiana é muito melhor equipada que a MB.
O estado do Maranhão, é maior que a Itália,Maranhão 331.937 km² Itália 301.338 km².

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  marcus
1 mês atrás

A tática da nossa marinha é deixar o inimigo desembarcar e meter bala quando eles estiverem na praia. O certo era desativar todos os navios, comprar um monte de retroescavadeiras e ficar fazendo buracos em toda costa brasileira, sem contar umas armações de ferro para dificultar o desembarque.
Nossos Almirantes são estrategistas 😁😅🤣😂

Dalton
Dalton
Reply to  marcus
1 mês atrás

A marinha italiana SEMPRE foi melhor equipada que a marinha brasileira, tenho modelos em metal de navios italianos da II Guerra que se comparavam favoravelmente a de outras nações e houve até uma época em que a Itália tinha colônias portanto já foi até maior em tamanho. . O que acontece é que o grau de percepção de ameaça da Itália é maior, tanto que faz parte de uma grande aliança militar a OTAN. . E falando em OTAN a Itália abriga em seu território milhares de militares dos EUA, porque, sozinha a Itália não iria muito longe em um… Read more »

Alexandre Esteves
Alexandre Esteves
Reply to  Dalton
27 dias atrás

Concordo com o senhor. Gostaria que nossa Marinha concentrasse nas “águas azuis”, que nossas “águas marrons” ficassem a cargo de uma pequena, moderna e competente Guarda Costeira – vinculada à mas independente. A formação dar-se-ía nos CIAGA e/ou CIABA, se esses centros pudessem absorver – acredito que sim.
Mas isto é um palpite de um cidadão preocupado.

Marcio
Marcio
Reply to  Marcelo R
1 mês atrás

E o pior que tem gente aqui que tem coragem de elogiar a MB, eu sinto vergonha isso sim.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Precisamos de escoltas pra ontem.
Ainda dá tempo de cancelar essa palhaçada de ToT, e comprar logo umas 6 Tamandarés dos alemães

Camargoer
Camargoer
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Caro Wilber. O contrato foi assinado, provavelmente seu cancelamento implicará uma multa onerosa. Contudo, por que você acredita que se as FCT forem construídas na Alemanha serão entregues antes de 2025? Talvez a primeira fosse entregue em 2024. Segundo um estudo da marinha chilena, a construção de navios de combate em um estaleiro nacional é apenas marginalmente mais caro, mas a economia é inferior aos ganhos diretos e indiretos da construção local. O que teria feito sentido seria assinar o contrato há 5 anos, pois a primeira FCT seria entregue este ano. Só que isso é uma irrealidade. O fato… Read more »

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Excelente observações. Para nós fica o cargo de torcer para que nenhuma potência militar tenha o desejo de se aventurar pelos nossos mares.
Apesar que com os milhares de fuzileiros e marinheiros ativos, a estratégia seria deixar o inimigo desembarcar e pegar eles em terra 😂😂😂

Camargoer
Camargoer
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
1 mês atrás

Caro Wellington. Acho improvável que o Brasil seja vítima de alguma aventura militar estrangeira. A melhor arma de defesa contra uma força-tarda continua sendo submarinos de preferência nucleares.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Com certeza os submarinos são a melhor arma, mas em quantidades adequadas e não esse gato pingado que temos.
No programa estratégico 2040 fala de 21 submarinos, sendo 15 convencionais e 6 nucleares. Custo a acreditar nisso.

Salim
Salim
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Sub nuc com 20 torpedos, daqui12 anos, talvez. Tais brincando com nois Camargoer.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Salim
1 mês atrás

Olá Salim. Tem um livro muito legal de divulgação científica “Está a brincar Sr Feynman”. A MB operou 5 submarinos convencionais por quase 30 anos. Agora há a possibilidade de novos 4 submarinos convencionais muito superiores aos Tupi, que poderão ter seus PMG concluídos na sequência a um custo de aproximadamente 1/3 de um Scorpene novos, elevando a frota para 9 submarinos. A Índia que está em estado de guerra tem 14 submarinos convencionais e 3 nucleares

Capitao Tenente
Capitao Tenente
1 mês atrás

Na minha opiniao a Marinha do Brasil deveria adotar uma postura realista para nossa atual situacao economica.

Eu comecaria padronizando as bases navais ao longo dos litorais e depois faria investimentos em uma boa cobertura de navios patrulhas, algo em torno de 50 navios da classe River MK2.

O restante dos navios seriam submarinos, cerca de 20

(Perdoem a falta de acentuacao e erros de portugues, meu teclado esta configurado para outro idioma e nao consigo alterar)

Last edited 1 mês atrás by Capitao Tenente
Camargoer
Camargoer
Reply to  Capitao Tenente
1 mês atrás

Olá CapTen. É preciso separar dois problemas econômicos que se misturam mas têm causas diferentes. De um lado há a pandemia, que causou um desastre econômico no mundo todo. Vai levar uns dois ou três anos para recuperar. Outra coisa é foi a recessão de 2015/2016 que foi seguida de um período de estagnação até 2019 e de novo ciclo de recessão pre-covid que começou no fim de 2019. Sem separar estas duas coisas, fica muito difícil entender a situação, avaliar as alternativas e encontrar soluções eficazes.

Capitão Tenente
Capitão Tenente
Reply to  Camargoer
1 mês atrás

Pois é, digo em relação aos patrulhas pois requerem menos recursos para construção, menores estaleiros, menores necessidades logisticas para operação escoteiro ou GT partiindo de bases mais remotas e menor tripulação. Uma marinha já estigmatizada pela incapacidade de executar fainas de grande projeção ou demonstração de poder de fogo (é uma realidade, até nosso novo missil é infimo perto de meios de marinhas “médias” como a da Turquia. Uma marinha assim não deveria nem se preocupar em gastar com armas caras. Vamos de Patrulhas armados com canhoes de 30, e mtr .50, saturar o mar com tais meios primeiro. Contruir… Read more »

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Capitao Tenente
1 mês atrás

50 patrulhas tipo Amazonas ? Esquece, serão 50 toneladas de camarão.
20 submarinos ? Esquece, serão os 4, mais o Tikuna…Ate 2030 no máximo serão esses 5 convencionais, para lá por 2031 ter o nuclear ativo.
A realidade da nossa marinha é essa, descaso total, assim como praticamente todo nosso país.
É viva o futebol, o carnaval maior festa do mundo (festa não né, literalmente uma putaria).
STF liberando André do RAP….Enfim, o país do futuro continua sendo do futuro.

Capitão Tenente
Capitão Tenente
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
1 mês atrás

Então a questão dos patrulhas é o seguinte. Sei que muitos menosprezam os navios de porte inferior ao da corveta. Contudo a MB não tem a minima condição de assumir papel de marinha imperialista. Precisamos focar em meios que ofereçam um resultado tangível no curto prazo, e saturar nossa costa com Navios Patrulhas de baixo custo de operação oferecem esse resultado. São missões SAR, missão de GVI-GP, não falo daquelas para “inglês ver não” falo de encher o saco dos caras fazendo inspeção naval na marca e bem feita mesmo, isso NAPaOCs armados minimamente com canhoes de 30 e .50… Read more »

sergio ribamar ferreira
Reply to  Capitão Tenente
1 mês atrás

Concordo com o Capitão Tenente. A lógica, a realidade, sobrepondo a visão megalomaníaca. Patrulhas são recomendáveis e muito(lembrando que existem excelências em NaPaOCs, incluindo o sistema de armas. Dissuasão seria submarinos de preferência convencionais de 1400 toneladas. Dentro do limite da razoabilidade. Grande abraço.

Satyricon
Satyricon
Reply to  Capitão Tenente
1 mês atrás

Me desculpem, mas o futuro da patrulha de superfície está nos drones como o Heron MP. Isso não quer dizer que os NAP 500t são desnecessários, muito pelo contrário.

Parabellum
Parabellum
1 mês atrás

Mais uma decisão acertada e tempestiva, como foram as desativações do Ceará, SP, Garcia D’Avila, Niterói, e outras. Material tem vida útil, tem planilha de manutenção e sempre chegará a hora de sua desativação. As Niterói já se pagaram, a as Greenhalgh também já cumpriram bem a missão para que vieram. Agora é foco no horizonte. Ficaremos com praticamente uma classe apenas de escoltas (o que é bom logisticamente). Em nosso quintal somos e seremos sempre superiores aos nossos vizinhos. Já em se falando em Atlântico Sul a história é outra: Podemos chegar e patrulhar a costa africana sem problemas,… Read more »

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Parabellum
1 mês atrás

“Em nosso quintal somos e seremos sempre superiores aos nossos vizinhos”
Como se isso fosse.a.coisa mais difícil do mundo…
E desde quando a América do Sul serve de exemplo em quesito militar?

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

A grande questão é: O que faremos fora de nosso quintal? Não temos vizinhos com o a Austrália (apenas para falar do que considero a melhor Marinha ao sul da linha do equador). Quando muito é compor um sistema de defesa compartilhado com outras nações e cobrir a nossa parte do Atlântico Sul faz todo o sentido.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Tem gente que quer que o Brasil seja uma espécie de “polícia do mundo” tupiniquim, com capacidade de desembarcar uma grande Força Expedicionária na costa da África, e blábláblá. Pra mim, isso é de uma bobagem sem tamanho. Se nossa MB tivesse uma grande presença em nossa ZEE e Atlântico Sul, e se nossas fronteiras terrestres fossem melhor patrulhadas, pra mim já tava excelente, e se nossas FA’s fossem mais enxutas e mais modernas, mesmo que menores, pra mim já tava excelente. Dane-se que Uruguai e Paraguai ainda usam Dragonfly e Sherman, a gente não deve usar isso como desculpa… Read more »

sergio ribamar ferreira
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Concordo plenamente com sr. Wilber.

J L
J L
Reply to  sergio ribamar ferreira
1 mês atrás

Concordo também com o Willber

sergio ribamar ferreira
Reply to  sergio ribamar ferreira
1 mês atrás

Desculpe Willber. Reitero concordar com seu comentário.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Disse tudo, perante um cenário mundial hoje nossa marinha é medíocre!

Adriano Madureira
Adriano Madureira
Reply to  Ricardo Bigliazzi
1 mês atrás

Deveríamos nós espelhar no modo de gerenciamento deles… Marinha de um país pequeno mas que vem se modernizando com meios de qualidade…

Salim
Salim
Reply to  Parabellum
1 mês atrás

Acredito que China já esta planejando bases navais costa Africa, Inglaterra tem Guianas e ilha ascensão, franca tem Guiana, Rússia, china e Ira, estão se estabelecendo Venezuela. Ninguém vira do nada, os indícios estão ai. Itamarati tem trabalhar inteligentemente com paises litorâneos Africa e Venezuela, isto seria para ontem. Eu aumentaria a capacidade da FAB de caças com revo braco longo, reavivaria e modernizava Tupis, 9 suba entre tupi e scorpene e uma duzia Opvs bem equipados ( veja barcos israelenses como parâmetro armamento ), 3 niterois e Barroso modernizadas e as 4 franguetas. Ficaria 9 Subs 12 opvs anabolizados… Read more »

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Parabellum
1 mês atrás

E você acha que devemos nos preparar para enfrentar quem ?
AL não serve de parâmetro para ninguém, hoje algumas marinhas da África já são superiores a nossa Marinha.
Ah mais o Brasil é pacífico, só falta combinar isso com todos os países europeus com olhos na Amazônia, com as aventuras chinesas, etc…
Apesar que com 80 mil militares na marinha, é só deixar o inimigo desembarcar na praia e meter bala….

Satyricon
Satyricon
1 mês atrás

A situação da MB hj passou de preocupante para calamitosa e, tais baixas, só deixam isso claro como o dia (e ainda tem maluco que defende SubNuc). Infelizmente, a Tamandaré será um alento, mas não resolverá a situação.
Precisaremos de atalhos para “amenizar” essa situação caótica, mesmo pq não existem compras de oportunidade disponíveis no mercado internacional. Talvez uma saída seja utilizar a ociosidade dos estaleiros nacionais para um armengue tipo esse:
https://www.thinkdefence.co.uk/a-ship-that-still-isnt-a-frigate/mss-small-psv/ulstein-discovery-1/

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

Com o dinheiro gasto com esse subnuclear dava para produzir alguns scorpenes e Tamandarés, mas…….Somos o gigante…..

Camargoer
Camargoer
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
1 mês atrás

Caro Wellington. Já mostrei que esse a custo do SN10 seria equivalente a algo em torno de 3 Scorpenes novos, certamente insuficiente para chegar a quatro. Esse seria o mesmo valor para construir não mais do que 4 FCT. Isso incluindo o valor do Labgene. Se for só o SN10, os recursos seriam suficientes para 2 Scorpenes ou 3 FCT.

Allan Lemos
Allan Lemos
1 mês atrás

O pior é que tem muita gente que critica os políticos e passa pano para os militares,cuja noção de planejamento é péssima,é deles a culpa da frota de superfície estar tão envelhecida e sem perspectivas de melhora no curto e médio prazo.São um bando de incompetentes e corporativistas.

Tutu
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Prosuper de 2010 mandou um abraço.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Colega,em 2010 a frota já estava envelhecida,e de qualquer forma,onde estavam os militares que não foram ao Congresso fazer lobby para evitar os cortes no orçamento?

Glasquis7
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Desculpe pela intromissão mas, se realmente existe algum problema na MB, não é orçamentário.

O orçamento do MinDef é enorme. E acho que a MB é a única da região cujo orçamento passa de U$D 1 bi. Logo, não é por falta de dinheiro.

Jadson Cabral
Jadson Cabral
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Ué, isso acontece pq os militares não fazem pressão suficiente e nem têm noção de prioridades. Aliás, têm sim. Só que a prioridade deles é seu soldo.

Tutu
Reply to  Jadson Cabral
1 mês atrás

Dá uma lida nas matérias da época sobre isso, a compra já estava praticamente engatilhada com italianos, só que a presidenta pulou fora.

Zorann
Zorann
Reply to  Tutu
1 mês atrás

Tem de pular fora mesmo de qualquer coisa que represente aumento nos gastos militares. Tirar de outro lugar para enterrar no orçamento de defesa? O orçamento de defesa é um buraco sem fundo; tudo que cai ali vira despesa com pessoal.Quer navio? Cortem o efetivo, diminuam os gastos.

sergio ribamar ferreira
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Perfeito. Concordo com Sr. Allan. Colocar a culpa apenas numa parte é muito fácil.

CRSOV
CRSOV
1 mês atrás

Porra 8 anos parada a Fragata Defensora para manutenções ?? Nem um Porta Aviões que é muito mais complexo necessita de tanto tempo assim !!

Dalton
Dalton
Reply to  CRSOV
1 mês atrás

Questão de prioridade também.O “Almirante Chabanenko” da marinha russa
classe Udaloy II que desloca quase 8000 toneladas carregado encontra-se
indisponível desde 2013 e trata-se de um “destroyer” relativamente novo
incorporado em 1999.

Glasquis7
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Questão de prioridade também.”

Então, pra MB não há prioridade em disponibilizar meios de superfície?

Dalton
Dalton
Reply to  Glasquis7
1 mês atrás

Não há dinheiro para tudo Glasquis…acredite, sou brasileiro e leio jornal e as condições não andam nada boas por aqui.
.

glasquis 7
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Mas, o Orçamento da Marinha é enorme. Como assim, falta dinheiro?

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  glasquis 7
1 mês atrás

Tudo depende de quantas obrigações a MB tem, se formos por essa visão então sim a MB não tem dinheiro para tudo.

Não consigo pensar em um exemplo melhor, uma criança com 20 reais já fica super feliz e pra ela já é muito, agora para um adulto 20 reais não é nada. O orçamento da MB tem que ser visto junto com as atribuições da mesma só assim para se dizer se o mesmo é realmente grande ou pequeno.

Glasquis7
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Desculpe mas, isso não justifica.

O Equador, o Peru e o Chile tem também extensas atribuições e, guardando as devidas proporções, até poderiam ser maiores que as da MB.
E com orçamentos bem mais modestos.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
1 mês atrás

Já comparou as atribuições?
Caso não isso não passa de achismo.

Mesmo estando no mesmo continente, todas tem realidades diferentes, que gera atribuições próprias e prioridades distintas, isso é algo que não tem como comparar, tem é que entender cada uma e analisar cada caso em separado.

Glasquis7
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Já comparou as atribuições?
Caso não isso não passa de achismo.”

Já… e vc já as comparou? pois acho que não faz ideia. E falo isto com tudo respeito. Acho mesmo que não sabe.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
1 mês atrás

Não.
Não comparo atribuições, posso comparar dados técnicos de navios mas as missões e as atribuições vejo como algo desnecessário, por isso disse em analisar cada caso em separado.

glasquis 7
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Cara me desculpa mas você fez a pergunta e agora me vem com isso?

Não comparo atribuições, “

Sinceramente…

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  glasquis 7
1 mês atrás

É o que acontece quando não se pensa antes de falar.(isso é para mim)

pelo menos no momento estou feliz de finalmente ter um prazo para a conclusão do napa Maracanã, é para ele estar pronto até 2022.

Salim
Salim
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

MB faz o que?, navegue pela Costa e você verá nada, águas interiores nunca vi aqui sudeste. Pergunte para alguém mar se vê MB.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Salim
1 mês atrás

A questão levantada é o que a MB deveria fazer, não se ela está fazendo.(já adianto que não)

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Rússia ter prioridade com mais de 100 escoltas é uma coisa, agora nossa MB não tem nem 10 kkkk…
Que prioridade seriam essas que a MB tem que não consegue terminar uma manutenção em 8 anos ?
Ah devem ser os ultra modernos caças A4 lançadores de dinamite 🙃

Dalton
Dalton
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
1 mês atrás

A Rússia não está tão boa assim de “escoltas” tanto que desde 2013 o mais novo “destroyer” o “Almirante Chabanenko” encontra-se indisponível e como não se está no momento construindo grandes combatentes, os velhos “Udaloys” serão modernizados para ganhar alguns anos mais. . A espinha dorsal da marinha russa é formada por unidades com menos de 1000 toneladas de deslocamento adequadas para as necessidades russas e as 4 Frotas, duas delas em mares interiores, mais a Flotilha do Mar Cáspio, mas se ressente da pouca disponibilidade de grandes navios de superfície. . Não está fácil para ninguém e e em… Read more »

ADRIANO MADUREIRA
ADRIANO MADUREIRA
Reply to  Dalton
1 mês atrás

mas ao menos sempre estão soltando navios novos como as Buyan-M e as Karakurt,aqui a gente não solta nem um Tug Boat…

comment image

Buyan-M Class.
comment image
comment image

Karakurt-class corvette 

M65
M65
1 mês atrás

Ao menos termine logo a Pandemia, para aqueles que não conhecem, visitarem a Type 22 quando a MB permitir a visitação pública.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
1 mês atrás

Vão desativar a marinha inteira então? Acho que a única coisa que ainda presta na marinha são os helicópteros, pq o resto nem para sucata serve mais.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Defensor da liberdade
1 mês atrás

Caro Defensor. As 3 Amazonas são novas. O Bahia e a Atlântico estão novos. A Barroso está com poucos anos. O Tikuna está novo. Os quatro Riachuelos são novos. Os quatro Tupis (principalmente o S32 e S33) estão com metade da vida útil. As Greenhalgh seriam aposentadas de qualquer modo, até porque apenas as NIterói passaram pela ModFrag. Também sabíamos que algumas das Niteroi tambem seriam aposentadas, inclusive eu acreditava que ficariam ativas apenas 3 delas, mas serão 4, que provavelmente serão substituídas pelo primeiro lote de FCT, que comporão a frota com as duas corvetas. Provavelmente a MB ira… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
1 mês atrás

Ah se pudéssemos colocar mais 2 tamandaré no primeiro lote…

Camargoer
Camargoer
Reply to  Gabriel BR
1 mês atrás

Caro Gabriel, a contratação das duas FCT adicionais poderá ser feita até 2025 para ser entregue em 2029. Contratar agora manteria o mesmo cronograma de entregas anuais a partir de 2025.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Quando chegar a primeira Tamandaré, ou a última, será que ainda vai existir algo pra ser escoltado? Nem todo bote dura cinqüenta anos, mesmo sob manutenção cuidadosa. Mas enfim…

Guilardo Pedrosa.
Guilardo Pedrosa.
Reply to  Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Alex. Os nossos almirantes não sabem fazer contas. Ainda tem gente que critica o Chile, sem contudo entender que aquele país sempre manteve um bom número de escoltas, compradas de ocasião. Nos já não temos sequer fragatas para comprar, de ocasião. Quem sabe fazer contas já comprou o que tinha. Ficamos lambendo os beiços. Nenhum almirante sabe explicar porque as corvetas classe Inhauma foram baixadas precocemente, sob alegação de “instabilidade. Pois bem, era melhor ela instáveis do que nenhuma. Gastaram uma fortuna para avaliar o casco do São Paulo. Depois de certificado que estava em excelentes condições, deixaram de lado… Read more »

Aridyvan Santos
1 mês atrás

Marinha. O maior exemplo de como não gastar o dinheiro do contribuinte.

Marcio
Marcio
Reply to  Aridyvan Santos
1 mês atrás

Pasmem que tem gente que quer que aumente o orçamento para eles.. mais dinheiro jogado no lixo e mal administrado.

Ricardo Rosa Firmino
Ricardo Rosa Firmino
1 mês atrás

E a desativação de Almirante incompetente quando vai ser???

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Ricardo Rosa Firmino
1 mês atrás

Com 30 anos de serviço e 100% em aposentadoria.

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Ricardo Rosa Firmino
1 mês atrás

Só aposenta depois de atingirem a cota da lagosta. Diz a lenda que só se aposenta quem comer 50 toneladas de lagosta. Em cada almoço um almirante deve comer por volta de 300gr, agora é só fazer as contas 🙂

Jhon
Jhon
1 mês atrás

Em um hipótese de guerra o Brasil vai ter que pedir a o país agressor espera uns 20 anos, para licitar comprar, construir e treinar para depois entrar em combate, pois falta de tudo: navios, avioes, misseis, carros de combate, armas, munições defesa aérea, helicópteros de ataque e etc…

WELLINGTON RODRIGO SOARES
Reply to  Jhon
1 mês atrás

Em uma hipotética guerra o melhor é assinar um tratado de paz e doar parte do território, pelo menos evita a morte de milhares de contribuintes que seriam chamados para servirem de alvos.

Camargoer
Camargoer
Reply to  WELLINGTON RODRIGO SOARES
1 mês atrás

Caro Wellington. Creio que as chances de uma hipotética guerra são pequenas o suficiente para não assustar. Neste momento, o maior risco é uma onda de revoltas parecidas com o que aconteceu na Venezuela durante o Caraxazo. As taxas de desemprego estão altas, principalmente entre os jovens. Com o fim do auxílio emergência, uma pressão inflacionária devido a alta do dolar (porque não há pressão de consumo) e alta taxa de desemprego, há um cenário para explosões de revolta e saques. Como o atual governo tem a sensibilidade social das pedras, ações policiais de repressão elevarão o sentimento de revolta.

Dalton
Dalton
1 mês atrás

No primeiro quadro a União aparece com 40 anos, idade correta já que foi incorporada em setembro de 1980. No segundo quadro aparece com 39
anos.
.
Há outras diferenças de idade também, de um ano para mais ou para menos apesar de aparentemente ser o mesmo quadro, apenas com 3 navios ausentes. Jogo dos 7 erros ? : )
.

Lucas Schmitt
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Incompetência do pessoal de comunicação da marinha…

Fernando Turatti
Fernando Turatti
Reply to  Lucas Schmitt
1 mês atrás

É que os mais de 70 mil militares da marinha estão todos muito ocupados no mar, assim não sobra um consagrado pra fazer revisão.
É pura eficiência e vocês aí reclamando!

Juarez
Juarez
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Boa noite Admiral Dalton.

E, nem a idade dos eles sabem…..e o espelho da realidade.

leonidas
leonidas
1 mês atrás

8 anos para reparar uma fragata?
Nesse tempo os americanos constroem um Nae de 100 000 toneladas de deslocamento.
E a China já fez quase toda a nova marinha de guerra dela…rs
Inacreditável …

Dalton
Dalton
Reply to  leonidas
1 mês atrás

Bom…o USS Gerald Ford teve sua construção iniciada para valer em novembro de 2009, foi comissionado 8 anos depois em 2017, só que de maneira precipitada com muita coisa não resolvida e pelo menos outros dois anos serão necessários para coloca-lo em ordem. . Os seguintes deverão dar menos problemas , isso que NAe é prioridade por lá, enquanto outras marinhas tem diferentes prioridades, como a russa por exemplo que de maneira consistente tem recebido com muito atraso navios e submarinos que encontram-se em manutenção/modernização, um deles o “Almirante Chabanenko” que desde 2013 encontra-se indisponível, inicialmente deveria retornar em 2018,… Read more »

Glasquis7
Reply to  Dalton
1 mês atrás

O USS Gerald Ford teve foi construído em 8 anos, muito diferente de ficar 8 anos em PMG.

Dalton
Dalton
Reply to  Glasquis7
1 mês atrás

O “Ford” foi entregue incompleto depois de 8 anos em 2017. Passado um tempo foi submetido à ajustes que duraram 15 meses e mesmo assim, ocorreram outros problemas e ainda se precisa instalar os restantes e vitais elevadores de armas. . Se tudo der certo o “Ford” estará certificado para sua missão inaugural no fim de 2022, pois o Congresso, diante de tantos problemas obrigou a marinha a executar os testes de choque que normalmente recaem para o segundo da classe e isso poderá atrasar ainda mais a certificação. . A prioridade da marinha brasileira nunca foi a “Defensora” e… Read more »

glasquis 7
Reply to  Dalton
1 mês atrás

Entendo mas me parece absurdo um navio docado por 8 anos. Mais ainda em se tratando da MB.

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Glasquis7
1 mês atrás

Qual desses 2 carros ficaria mais tempo no mecânico, um DKW Caiçara 1962 ou um Toyota Ethios 2019.

Não é fácil fazer PMG de navio cujas algumas de suas peças não são mais fabricadas, o custo aumenta de forma alarmante.

Glasquis7
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Qual Fragata na região fica esse tempo docada fazendo PMG?

Acho que a coisa não é bem por aí

Salim
Salim
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Pelo seu comentário teremos barcos restaurados para Museu, não para marinha guerra. Qual a lista de armamentos atualizados…….. lem