quinta-feira, janeiro 20, 2022

Saab Naval

Paquistão comissiona a primeira fragata Type 054 A/P

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Marinha do Paquistão comissionou a primeira fragata de mísseis guiados Type 054A PNS Tughril, de construção chinesa, em 8 de novembro. Moin ul Haque, embaixador do Paquistão na China, foi o principal convidado da cerimônia em Xangai.

A PNS Tughril é a primeira das quatro fragatas Tipo 054 sendo construídas para a Marinha do Paquistão, e é uma plataforma tecnologicamente avançada e altamente capaz com enorme poder de fogo superfície-superfície, superfície-ar e subaquático, bem como extensas capacidades de vigilância.

A fragata Type 054 A/P, que é equipada com gerenciamento de combate de ponta e um sistema de guerra eletrônica, bem como recursos avançados de autodefesa, pode realizar uma série de operações de guerra naval em um ambiente altamente intenso de múltiplas ameaças, de acordo com uma apresentação paquistanesa.

Uma fragata Type 054A, a “Liu Zhou”, visitou o Brasil em 2013 – Foto: Alexandre Galante

De acordo com a CSSC – China State Shipbuilding Corporation, a fragata é o maior e mais avançado navio de guerra que a China já exportou.

A conclusão e entrega da embarcação é outra grande conquista da amizade China-Paquistão e irá fortalecer ainda mais a parceria estratégica de cooperação entre os dois países, disse a empresa de construção naval chinesa em comunicado.

O chefe da Missão da Marinha do Paquistão supervisionando a construção da fragata Type 054 A/P, Commodore Rashid Mehmood Sheikh, disse que a PNS Tughril, sendo uma fragata com capacidade multimissão, formará o esteio da frota da Marinha do Paquistão enquanto reforça as capacidades de defesa marítima, de acordo com o comunicado do Paquistão.

A entrega da fragata também serve como um marco na expansão da influência das embarcações chinesas como produtos e no aumento de sua competitividade no mercado internacional, disse a CSSC.

A PNS Tughril quando estava em construção

Fragatas classe Type 054 A/P

A Type 054 A/P desloca 4.200 toneladas e foi projetada como uma plataforma multimissão capaz de guerra antinavio (AShW), guerra antissubmarino (ASW) e guerra antiaérea (AAW). Atualmente serve égide da Marinha do Exército de Libertação Popular da China (PLAN), que opera 30 fragatas Type 054A.

Os navios que o Paquistão está recebendo são semelhantes aos seus homólogos da PLA Navy, exceto que fazem uso de versões de exportação de subsistemas e armas importantes. A Type 054 A/P do Paquistão tem um sistema de lançamento vertical de 32 células (VLS) transportando o míssil superfície-ar (SAM) de médio alcance LY-80N (versão de exportação do míssil HQ-16), dois tubos de torpedo ASW triplos e uma capacidade AShW (antinavio) possivelmente diferente.

Ilustrações oficiais da Type 054 A/P em 2018 mostraram um conjunto de células dois por três ou dois por dois para mísseis de cruzeiro antinavio e ataque terreste (ASCM/LACM). Esta modificação pode ser para compatibilidade com os mísseis de cruzeiro “Harbah” fabricados localmente no Paquistão. Se derivado do Babur LACM (o que é provável), o Harbah ASCM/LACM deve ter um alcance de 450 km a 700 km ou mais.

HQ-16A é a variante lançada a frio, com alcance de 40 km. A HQ-16B é a variante lançada a frio revelada em 2016, com um alcance de 70 km devido a um motor de foguete aprimorado e aletas redesenhadas. Ambas possuem variantes terrestres e navais

A Type 054A também carrega o míssil antissubmarino Yu-8 (que transporta um torpedo leve), semelhante ao VL-ASROC

FONTE: Naval Post

- Advertisement -

68 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
68 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Inimigo do Estado

Enquanto isso o Brasil comprou um OPV bombado. Brasileiro pensa pequeno demais. Muito, mas muito pequeno….

Tutu

Meko OPV de 3.400 toneladas?

Tutu

Se está se referindo ao OPV polonês que deriva da Meko A100 recomendo que pesquise melhor a história daqueles navios, eles não foram contratados com essa missão.

Luís Henrique

OPV? As Fragatas Tamandare Meko A100 serão ligeiramente menores que as Type 054A e ligeiramente menos armadas. Os sensores e canhões parecem ser equivalentes. Em quantidade de mísseis são 8 antinavio e até 32 antiaéreos nas type 054A. Nas nossas Tamandares o provavelmente serão 4 mísseis antinavio e 12 antiaéreo, porém esse número poderá ser aumentado. Espero que a MB aumente esses números. Mas mesmo com quantidade inferior de mísseis, as capacidades oferecidas pelo porte do navio, pela modernidade dos sensores e pelas capacidades dos armamentos (mísseis e canhões) coloca as Tamandare com capacidades muito próximas das type 054A. Inclusive… Read more »

Inimigo do Estado

Ligeiramente menos armadas? Com metade dos mísseis antinavio e menos da metade de antiaéreos? Vc tá de zoeira?

Luís Henrique

Os canhões e torpedos são quase na mesma quantidade. rss Ainda espero que a MB aumente os mísseis das Tamandarés. Mas não é só o número de mísseis que conta em relação à efetividade do navio. Como escrevi em outro post, talvez nossas Tamandaré terão vantagens em relação à furtividade e em sensores. Não é algo tão difícil de resolver. É só colocar 2 lançadores quádruplos de mísseis antinavio em vez de colocar 2 lançadores duplos. E no caso do Sea Ceptor, é só usar um lançador maior e colocar os mísseis quad-packed, 8 lançadores caberiam 32 mísseis, igualando os… Read more »

Sincero Brasileiro da Silva

Tem um ditado que diz: “Brasileiro não pode ver uma vergonha que já quer passar…”

João Carlos

Adorei o novo conceito de “ligeiramente menos armadas” … poderemos fazer um coquetel com esse conceito! … aí forçou né

Luís Henrique

Caro João, Existem navios com 48, 64, 96 e mais de 120 células VLS. Ainda existem mísseis como o Sea Ceptor e o ESSM que podem ser armazenados 4 por célula nos lançadores Mk-41 e Sylver. Portanto, dependendo da Fragata com 32, 48 ou 64 células e mísseis Sea Ceptor ou ESSM quad-packed, da para levar um poder de fogo de 128, 192 ou até 256 mísseis antiaéreos de médio alcance. Também existem Fragatas que transportam mísseis de cruzeiro de longo alcance para ataque contra alvos em terra, como o famoso Tomahawk americano, o MdCN (Storm Shadow) europeu ou o… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Luís Henrique
Cristiano de Aquino Campos

12 mísseis anti-aéreos? Pensei que eram 8 células capazes de transportar 4 mísseis seaceptor, no total de 32 mísseis.
Os seaceptor não vão mais ser adotados?

Luís Henrique

Sim, os sea ceptor já foram selecionados, porém eles podem vir em lançadores maiores que cabe 4 misseis por celula ou em lançadores próprios do tipo “cogumelo” igual ocorre nas fragatas Type 23, e neste caso cabe apenas 1 missil por célula.

Até agora não achei um comunicado oficial da MB mas pelas fotos divulgadas, tudo indica que serão 12 células para 12 missões, infelizmente.

Sincero Brasileiro da Silva

Ligeiramente menos armada? Vc tá se sentindo bem? Quer algum remédio?

India-Mike

O Paquistão vive am alerta de guerra permanente com a Índia. Quem dormir ali a onda leva. Já o Brasil eu acho q está brincando de guerra até de mais com as Tamandarés. Tenho minhas dúvidas se 6-7 OPVs de verdade (e com índice de nacionalização muito maior) não teriam sido um uso muito melhor de recursos e com muito maior potencial de continuidade.

Adriano Madureira

Meko da Marinha egípcia
comment image:large

  • 1 × Oto Melara 127/64 LW 127 mm main gun (possibly with VULCANO ammunition)
  • 2 × MSI 30 mm guns (possibly SEAHAWK A2 model)
  • 16 × SaabRBS-15 Mk3 anti-ship missiles
  • 32 × VLS for MBDA MICA-NG VL surface to air missiles
  • 2 × MU90 torpedo launchers
  • 4 × Rheinmetall MASS decoy launchers
  • 2 × WASS/Finmeccanica MORPHEUS acoustic countermeasures launching systems (on each side of the VLS cells. Navy Recognition originally though these were SAGEM NGDS decoy launchers but a TKMS representative confirmed this actually is a WASS system
MARCO A S

O contexto geopolítico em que o Brasil se encontra nesse momento não vislumbra um conflito contra uma marinha de guerra equipada como a China. Na Situação de investimento em uma fragata de ponta no tange equipamento ótimos de guerra marinha moderna, o melhor seria o Brasil fechar com a Saab nas fragatas furtivas. Porém o valor pode chegar facilmente a quase 1 bilhão de dólares por uma fragata Realmente moderna. No que diz respeito a desenvolver sua própria fragata o ideal é desenvolver algo como os destruidores e fragatas norte americanos como o Arleigh Burke e Tikonderoga , porém gastaria-se… Read more »

Zeus

O contrato foi assinado em junho de 2018 por US$348 milhões a unidade. Um projeto moderno e que merece a designação Fragata pelo armamento que carrega. Na minha opinião navios da atualidade que possuem menos de 32 células de VLS, menos de 8 lançadores de mísseis anti navio e menos de 6 tubos de torpedo não merecem a designação Fragata! Chamar a Tamandaré de Fragata é um engôdo. Não teria chances contra as Fragatas mais modernas em operação, e nem mesmo contra algumas Corvetas melhor armadas que ela. Custando quase o dobro desta Type 54, possuindo menos da metade do… Read more »

Luís Henrique

Não é só a quantidade de mísseis que conta. Claro, que é importante, muito importante a quantidade de armamentos, mas não é só isso que conta em um combate moderno. Se as Fragatas Tamandaré possuírem uma maior furtividade e sensores mais modernos e mais capazes e conseguir a solução de tiro primeiro, e caso os mísseis disparados sejam modernos o suficiente para atingir o alvo, a type 054A poderá ser destruída e afundar carregando o dobro de mísseis sem ter tido a chance de usá-los. Não estou afirmando que as Tamandaré terão essa superioridade frente as Type 054A, apenas dizendo… Read more »

Zeus

Prezado! As Tucunaré, ops, Tamandaré serão armadas com míseros 4 mísseis MAN-1 de míseros 70 Km de alcance enquanto outras marinhas já armam suas Fragatas com de 8 a 16 mísseis com alcance de centenas de Km. Isto por sí só já a torna um alvo fácil que será atingido de muito longe sem oferecer perigo aos adversário. Imagine você em um extremo de um campo de futebol armado com um 38 e seu adversário no outro extremo campo armado com um rifle de sniper .50 É melhor você sair correndo. E sobre sensores e contra medidas será um pacote… Read more »

Taso

Pois é, pra mim, quem tem poucos navios, como o nosso caso, deveriam armar e defendê-los o melhor possível. Pois, se perder um, já vai um percentual considerável da força, podendo inviabilizar a manobra/defesa do país. Então, acho que deveriam comprar o melhor pacote de defesa e ataque que caiba na diminuta força, para cada um valer por 2 e não 1/2 de um oponente. Pois é, pra mim, quem tem poucos navios, no nosso caso 4, deveriam armar e defendê-los o melhor possível. Pois, se perder um, já vai 25% da força. Então, acho que deveriam era comprar o… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Taso
Adriano Madureira

E.X.A.T.A.M.E.N.T.E ! se o número de Tamandarés é pouco e risível,que ao menos fossem bem armadas.

Agora se o país tem uma ESQUADRA DE VERDADE, acho que mesmo com uma quantidade modesta de mísseis, não haveria com que se preocupar…

Sincero Brasileiro da Silva

“Não é só a quantidade de mísseis que conta.” Se eu não estivesse vendo isso eu não acreditaria! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Luís Henrique

Vou fazer uma analogia: O Gripen E é considerado um caça de geração 4++ excelente e tem condições de vencer qualquer caça da geração 4, devido às suas vantagens em sensores e armamentos. Porém, quase todos os caças da geração 4 ou 4+ carregam mais armas que o Gripen E. Outra analogia, os F-35 de 5a geração, em modo furtivo, carregam bem menos armamentos que qualquer outro caça. E isto não significa que ele é inferior ou que não poderia ser classificado como caça médio ou pesado. Também devemos lembrar que em caso de conflito ou necessidade, dobrar o número… Read more »

Caio

Grande Zeus você está na nação que possui os melhores líderes políticos e militares que este planeta já viu, tão bons que se multiplicam seus gastos e centros de formação, porque basta isso para impor respeito a qualquer outra nação da Terra kkkkkkkkkkk.

Pedro

Qual a vantagem de se ter um belo navio de guerra e um povo miserável ?

Esteves

Cara,

Da uma lida no Wikipedia. O Paquistão é semelhante ao Brasil.

Miguel Carvalho

Será? O Brasil, o maior país da América do sul, a maior economia da América do sul, é ameaçado por que pais? Argentina? Venezuela? Paraguai? Uruguai? México?

Chile? Que está do outro lado no pacifico?

Que vantagens teve a indústria do Paquistão, na compra das fragatas?

Realidades diferentes, necessidades diferentes.

Não sei qual é a medida que usa como base de comparação, para dizer que Brasil e Paquistão são iguais em termos de necessidade de meios navais.

E convém dizer que o último navio comissionado pela marinha da Índia chega para meia-dúzia de fragatas iguais ás do Paquistão.

Esteves

O problema aqui é a compreensão da leitura.

Estruturalmente. Estruturalmente o Paquistão assemelha-se ao Brasil. País agrário, problemas com a distribuição da renda, tentando moderniza-se…

Há pobreza. Mas longe de ser um “povo miserável”.

paulo

Paquistão nem de perto assemelha-se ao Brasil, exceto em população. Lá a miséria é bem maior, tem conflitos territoriais permanentes com China e Índia e em termos militares possui no mínimo o dobro de poderio militar que o Brasil, além de possuir bomba atômica.

Thiago A.

Pois é Paulo… Seria suficiente uma breve pesquisa no google para esclarecer esse equívoco, conferir o IDH e o PIB per capita dos dois países … Depois assistir um breve documentário no youtube. São realidades muito distantes

Esteves

Tem gente que só entende o que passa na TV.

Esteves

O Paquistão é um país em desenvolvimento com um rápido crescimento econômico[105][106][107] (7% anuais por quatro anos consecutivos até 2007.[108][109]) e um grande mercado emergente.[110] Apesar de ter sido um país pobre em 1947, a taxa de crescimento econômico do Paquistão foi mais alta do que a média mundial durante as quatro décadas seguintes. Embora políticas imprudentes tenham reduzido o ímpeto da economia no final dos anos 1990,[111] reformas econômicas recentes voltaram a acelerar o crescimento do país, em especial na área de manufaturas e de serviços financeiros. A situação cambial melhorou consideravelmente, com o acúmulo de divisas. A dívida externa, estimada em cerca de USD 40 bilhões,… Read more »

Nostra

Pakistan is literally surviving on alms from foreign countries , basically bankrupt .

Its motorways , government TV radio stations even airports etc have been mortgaged to foreign creditors for loans.

Chinese threatening to halt projects over non repayment of loans

Pakistan has 2 parallel economy
One for the nation and one for the military , national economy is worse because of machinations of the military run business

Why do you it is said “Most countries have an army, but Pakistan’s army has a country”?

Last edited 2 meses atrás by Nostra
Carlos Campos

“Most countries have an army, but Pakistan’s army has a country”, vc resumiu bem o Paquistão.

Carlos Campos

não é não, é pior, ainda precisa melhorar para chegar ao nível do Brasil, não que o Brasil seja grande coisa.

Allan Lemos

Melhor do que não ter um belo navio de guerra e ser um povo miserável como o Brasil.

Carlos Campos

a miseria a acabou no governo do PT.

Hellen

O que menos importa é o navio meia boca que estão comprando !!!
Tenho certeza que você é inteligente !!!!

FB_IMG_16364978454457020.jpg
Last edited 2 meses atrás by Hellen
Miguel Carvalho

O Brasil fez uma excelente aquisição. As MEKO, já deram provas de serem excelente plataformas em muitas marinhas do mundo, com as características que servem as necessidades da marinha brasileira no teatro regional onde vão operar, e podem receber upgrades facilmente em caso de necessidade.

Basta ter como comparação as MEKO da Argélia.

Comparativamente com as fragatas chinesas/paquistanesas, tem menos tonelagem, mas as necessidades da marinha do Paquistão também são diferentes.

Resta também saber qual é o custo operacional de cada fragata para se poder ter uma ideia mais abrangente, do que cada fragata pode oferecer.

Esteves

Em 2018 o Paquistão Estava pensando nessas fragatas. Em 2021 após pensarem, pagaram, receberam, incorporaram e tem outras 3 na fila.

As nossas, pensadas em 2017, ainda Estão em reunião.

Qual é a reunião de hoje?

Luís Henrique

O Paquistão melhorou sua marinha mais rapidamente, afinal vivem em um ambiente de quase guerra, o Brasil vai melhorar a sua marinha mais demoradamente, por outro lado, o Brasil está gerando centenas ou milhares de empregos no país, está qualificando estaleiros, adquirindo know how, tecnologias, recebendo parte do investimento de volta através de impostos pagos no país e terá condições de manter essas Fragatas por 30 ou 40 anos, gerando novamente mais retorno financeiro para estaleiros, empresas, trabalhadores, empregos e impostos.

Esteves

Quantos empregos?

Quantos estaleiros nacionais foram qualificados? O Oceana não é mais nacional. Foi comprado pelos alemães.

Qual tecnologia foi transferida ao Brasil? Quanto, em impostos, foram pagos se a cerimônia de corte de chapa ainda não foi realizada?

Discursos. Parábolas. Reuniões.

Luís Henrique

Cerca de 40% do conteúdo dos navios serão produtos nacionais, dezenas de empresas brasileiras serão beneficiadas com isso. O Oceana pode ter sido vendido, mas a maioria das pessoas que trabalham lá, são brasileiros que poderiam estar desempregados no sofá em casa, enquanto um chinês estaria trabalhando no lugar dele lá na China porque a MB preferiu comprar Type 054A com entrega mais rápida… Todos os equipamentos inseridos nos navios, pagarão impostos. Portanto, dos cerca de U$ 500 mi de cada navio, uma parte desse valor retornará ao governo através de impostos. Se 40% dos navios em termos de custos,… Read more »

Esteves

Quando o navio Estiver incorporado saberemos o conteúdo nacional. Antes é simulação e saliva.

A MB tem um dever constitucional de empregar o poder naval.

Como destruímos o poder industrial do país…sobrou para a MB que historicamente assume-se como construtora naval.

O resultado vem da continuidade. Se as Tamandarés representarem outro surto construtivo como vimos e aprendemos aqui…tudo isso é e será discurso.

Temos a prática da antecipação. Por enquanto, passados 4 anos e ainda mais 4 anos para aguardar a primeira Tamandaré…não há navio.

Não há.

Luís Henrique

Nós assinamos o contrato em Março de 2020, não passaram 4 anos…

Esteves

O processo iniciado foi em 2017. Assinaram em 2020 por burocracias. Incluindo a desnecessária licitação se o que prevaleceu foi o desejo de comprar do Alemão.

Agora é desejar boa sorte.

India-Mike

É dinheiro do ministério da defesa ou é assistência social? Veja bem, o percentual de nacionalização q vc se refere será em áreas como dormitórios, cozinha e sanitários. Dificilmente pode-se chamar isso de estratégico… e como todos nós sabemos o risco de não ter continuidade nenhuma é enorme, sendo então o investimento perdido. Se a MB acredita q está tão em dívida assim com o Brasil e os brasileiros, que se comprem as fragatas no exterior e se invista o dinheiro economizado (q vai ser muito) em P&D de sensores e armamentos. Ou num programa social se o objetivo é… Read more »

Esteves

A nacionalização vem da mão-de-obra calculada pelo Professor Camargo = 25%.

A diferença para os 40% é esperar pra ver.

Faz mais sentido cotar o casco na China ou Cingapura e criar uma jointventure aqui para os mísseis.

Navios dos anos 2040 serão 100% missileiros.

India-Mike

A marinha holandesa faz seus cascos todos na Romênia e depois faz a integração dos sistemas na Holanda. Eles entendem q a economia em um lado ajuda a gerar recursos pro gasto no outro. Perfeito. Já em relação ao comentário de navios de guerra contarem apenas com mísseis, essa teoria é antiga mas nunca vingou — talvez algum dia. Foi imaginada pelos britânicos no final da década de 70 quando projetaram os type 22 (q agora agonizam na MB). Sem canhão principal e apenas reparos AA. Sentiram muita mas muita falta dos canhões nas Malvinas, tanto q depois o projeto… Read more »

Esteves

É isso.

Miguel Carvalho

Caro Esteves, a complexibilidade das aquisições feitas pelo Brasil, não tem comparação.

O Brasil, tem que definir o estaleiro, a participação nacional na construção e muito mais.

O Paquistão entrou em um estaleiro chinês e escolheu uma num catalogo.

E como os chineses estão a construir navios como se não houvesse amanhã, não custa nada adicionar á lista de encomendas umas 054, só para dar trabalho a mais chineses.

Não são situações comparáveis.

WSilva

Perante uma Índia cada vez mais agressiva e alinhada aos interesses da elite anglo-saxã, é de suma importância o Paquistão, um dos berços do mundo islâmico se armar até os dentes e ajudar seus irmãos no Afeganistão, país destruído pelos saqueadores ocidentais e jamais esquecer quem são seus verdadeiros inimigos.

Parabéns ao Paquistão, investir em defesa é investir em soberania.

Hcosta

Sim, os Talibãs são um exemplo a seguir…(ironia).
E mais uma vez demonstra o que sabe sobre a Ásia. “Paquistão um dos berços do Islamismo”. Sabe o que significa a palavra Berço?

WSilva

”Sim, os Talibãs são um exemplo a seguir…(ironia).”

A democracia fajuta, corrupta e psicopata introduzida pelos EUA no Afeganistão também não era exemplo.

O Talibã não é exemplo, tem muito o que provar ainda, mas aniquilar a presença imperialista no seu território é o primeiro passo rumo a soberania.

”Sabe o que significa a palavra Berço?”

Sim, utilizei ”berço” no sentido fugurado, não é berço de bebê como você pensou. rs

Hcosta

Assim só demonstra a sua ignorância.
Por um lado defender os Talibãs, em que matam por ter música num casamento, só para mencionar o quão ridículo é a sua defesa. E segundo, berço de algo significa o local de nascimento, de criação. Se nem isso compreende…

É como disse num comentário anterior, a enorme força aeronaval que os Ingleses tinham 1839…talvez com uma máquina do tempo
É uma das funções das palavras, descrever coisas. Se não sabe fazer isso….

WSilva

Ué, qual a diferença dos Talibãs que matam por música em casamento para os americanos que usam sabão em pó como justificativa para invadir e matar pessoas no Iraque? rs

O Paquistão é um dos berços do mundo islâmico dado a sua importância e influência no oriente médio junto com a Arábia Saudita, Irã, Indonésia e como a única potência nuclear islâmica do mundo, sem mencionar sua relevante agência de inteligência, ISI..

Também não defendi o Talibã, leia novamente o que eu disse ”O Talibã não é exemplo, tem muito o que provar ainda(…)”

Carlos Campos

então não é berço, mas um alicerce, uma coluna, protagonista e etc, uso de berço foi errado.

WSilva

Berço de bebê? rs

Carlos Campos

tem nem como saquear o Afeganistão, não tinha nada lá, aquilo dali é um erro, um buraco negro de recursos que agora tá fazendo falta contra a China…… “alinhada aos interesses da elite anglo-saxã”, por favor explica aí como que a índia tá alinhada aos interesses dos EUA se eles nem compram a agenda deles em quase nada.

Allan Lemos

Mais bem armadas do que as “fragatas” Tamandaré. Simplesmente vergonhoso.

Luís Henrique

Mais bem armadas que as Fragatas FREMM. É vergonhoso para França e Itália também?

Adriano Madureira

Al-Galala (FFG1002) Marinha egípcia:

comment image

  • Armament:16-cell MBDA SYLVER A50 VLS for 16 MBDA Aster 15 and 30 missiles
  • 1 × Leonardo Otobreda 127/64 Vulcano
  • 1 × Leonardo OTO Melara 76/62 mm Davide/Strales CIWS gun
  • 2 × Leonardo Oto Melara/Oerlikon KBA 25/80 mm remote weapon systems
  • 8 × MBDA Teseo\Otomat Mk-2/A anti-ship and land attack missiles
  • 2 x triple Leonardo (WASS) B-515/3 launcher for MU 90 torpedoes
  • 2 x SITEP MASS CS-424 acoustic guns
Segatto

As FREMM são o epíteto de subarmada, devem ter razões políticas por trás, construir navios daquele tamanho com tantos sensores e sistemas para por 16 VLS, sendo que projetaram para ter 32 e deixaram espaço, só pode ser para acalmar a opinião pública entregando um navio mais fofinho. Diferente das PPA que o Almirante transformou em fragatas, hahaha

Moriah

Cada país e sua respectiva marinha possuem atribuições específicas. A comparação entre Meko A150 (vamos dizer assim…) e Type 054A, é como comparar um carro vendido no Brasil com outro nos EUA. São realidades diferentes. O Paquistão tem a Índia como maior ameaça e a história conta bem isso, bem diferente do Brasil, que nos últimos anos, no máximo se encrespou com a Venezuela… A Grécia tem a Turquia, a China quer virar potência global, … Cada país tem suas prioridades estratégicas.

Last edited 2 meses atrás by Moriah
Luís Henrique

A Tailândia considerou adquirir 3 Type 054A em 2013 por U$ 1 bi, ou seja, cerca de U$ 333 mi cada. Preferiu adquirir 2 fragatas sul-coreanos baseadas nas KDX-1. Fragatas com deslocamento de 3.700 toneladas (abaixo das 4.200 t do navio chinês) e pagaram U$ 482 mi somente no 1o navio. Ou seja, escolheram um navio menor e BEM mais caro, e o navio não foi construído na Tailândia não, foi construído na Coreia do Sul mesmo. Pelo menos a Fragata que eles escolheram tem o mesmo poder de fogo das type 054A com 8 Harpoon e 8 células VLS… Read more »

Leonardo

Que o Paquistão consiga realmente ter uma verdadeira Marinha de Guerra! Parabéns aos paquistaneses, pois a região onde estão localizados não é brincadeira não!

Adriano Madureira

Quanto custou essa type 054 Poder naval e quanto tempo demorou até ser entregue? “A Type 054 A/P do Paquistão tem um sistema de lançamento vertical de 32 células (VLS) transportando o míssil superfície-ar (SAM) de médio alcance LY-80N (versão de exportação do míssil HQ-16)”. Aí eu vejo nossas Tamanduás com 16 mísseis Sea Ceptor e vejo o quanto estamos protegidos. Infelizmente no Brasil tudo vem em número reduzido,qualquer coisa,como exemplo os mísseis antinavo… Vejo a marinha do Egito com suas meko-200(imagem ilustrativa) muito bem armadas e com uma quantidade respeitável de mísseis MBDA,certamente para fazer frente as MEKO argelinas que… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Adriano Madureira
Carlos Campos

Olha comparando esse com a Tmandaré não achei grande coisa, esse Míssil aí é equivalente aos SeaCeptor que são basicamente CAMM com outro nome, em radar vamos ter um dos mais modernos do mundo, em quantidade de míssil anti navio não sei se a marinha já definiu.

Hcosta

O Sea Ceptor é o sistema marítimo que usa misseis CAMM. Mas estes misseis, mesmo a versão extended range, são de curto alcance.
E se for os VLS’s que aparecem nas imagens, não são compatíveis com outros tipos de misseis. Se fossem uns MK.41 e dependendo do espaço disponível (altura) pode até levar tomahawks mas estes deve ser quase impossível. Mas mesmo os mais pequenos já dão para colocar misseis de vários tipos.

Publicidade
- Publicidade -
Parceiro

Últimas Notícias

40ª força-tarefa da Marinha Chinesa é enviada para missão de escolta no Golfo de Áden

A 40ª força-tarefa da Marinha do Exército de Libertação Popular da China (PLA Navy) partiu de um porto militar...
- Advertisement -