quarta-feira, maio 25, 2022

Saab Naval

Megafusão de construção naval bloqueada: Comissão Europeia proíbe aquisição da DSME pela Hyundai Heavy Industries

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

A Comissão Europeia rejeitou a proposta de fusão entre os construtores navais sul-coreanos Daewoo Shipbuilding & Marine Engineering (DSME) e Hyundai Heavy Industries Holdings (HHI), dizendo que a combinação criaria uma posição dominante que reduziria a concorrência no mercado global de transportadores de GNL.

A Comissão diz que a decisão vem após uma investigação aprofundada da transação proposta. A DSME e a HHI são dois dos três maiores construtores navais do segmento de GNL e, nos últimos cinco anos, os clientes europeus representaram quase 50% de todos os pedidos.

A combinação dos dois criaria uma empresa com uma “posição dominante” no mercado global de embarcações, com uma participação de mercado de pelo menos 60%, o que resultaria em redução da concorrência e preços mais altos, disse a Comissão. Os dois construtores navais também não ofereceram formalmente soluções para resolver as preocupações da Comissão e, consequentemente, a Comissão proibiu a transação proposta.

“Os grandes navios de GNL são um elemento essencial na cadeia de abastecimento de gás natural liquefeito (GNL) e permitem o transporte desta fonte de energia em todo o mundo”, disse Margrethe Vestager, vice-presidente executiva da Comissão responsável pela política de concorrência. “O GNL contribui para a diversificação da fonte de energia da Europa e, portanto, melhora a segurança energética. A fusão entre a HHIH e a DSME teria conduzido a uma posição dominante no mercado global da construção de grandes navios de GNL, para os quais existe uma procura significativa por parte das transportadoras europeias. Dado que não foram apresentadas soluções, a concentração teria resultado em menos fornecedores e preços mais elevados para os grandes navios que transportam GNL. É por isso que proibimos a fusão.”

A transação proposta remonta a 2019, quando a Hyundai Heavy Industries, buscando reforçar sua posição como maior construtor de navios do mundo em meio à crescente concorrência da China, lançou uma aquisição de US$ 1,8 bilhão da DSME.

Quase imediatamente, a Comissão Europeia abriu uma investigação aprofundada. Desde então, o prazo do procedimento foi suspenso três vezes por não ter fornecido o HHI as informações solicitadas em tempo hábil, segundo a Comissão.

Segundo a Comissão, a aquisição é apenas a décima fusão que ela bloqueou nos últimos 10 anos.

FONTE: gCaptain

- Advertisement -

42 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
42 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Antoniokings

A construção naval está concentrada no Extremo Oriente e a tendência é que essa concentração aumente.
Querendo a Europa, ou não.

RPiletti

Perdemos a mão em várias frentes… muita ideologia mimizenta por aqui e muito trabalho por lá…

Cristiano GR

O problema não é a ideologia, seja do lado que for, o problema é a cultura brasileira.
O Brasil PÁRA em dezembro e só vota a trabalhar em março, depois do carnaval.

Elias

Carga horária projetada pela ideologia mimizenta..

José de Souza

Salário mínimo, trabalho mínimo.

Wellington Kramer

Você crescerá ou não após definir qual ideologia seguirá.

rui mendes

Mas quem encomenda mais navios, também pode, como no caso dos navios de GNL, onde praticamente metade dos navios encomendados são Europeus, depois também no caso dos gigantes navios porta-contentores, as duas maiores transportadoras mundiais , são Europeias, uma Dinamarquesa e outra Francesa, são as duas principais clientes desses estaleiros para construir os maiores navios do mundo, depois existem também os super navios de cruzeiro e também os super navios de ferry-boat, onde a Europa e os EUA são os maiores clientes desse tipo de navios e aí os estaleiros Europeus têm uma grande parte do mercado de construção, embora… Read more »

Segatto

Esqueceu a italo-suíça (fundada na Itália, sede operativa na Itália, HQ na Suíça por questões tributárias) MSC, que ano passado ultrapassou a Maersk como maior transportadora de containers do mundo

rui mendes

Sinceramente, não sabia, agradecido pela informação.

Camillo

4 maiores construtores navais do mundo
1 Coréia do Sul
2 China
3 Japão
4 Turquia
Todos na Ásia, 3 no extremo Oriente e um no Oriente Médio

Jacinto

Decisão tomada para viabilizar a construção de uma frota de navios tanques de LNG em substituição a gasodutos.

rui mendes

Os gasodutos continuam a existir e novos continuam a ser construídos e projectados.

Jacinto

Sem dúvidas, gasodutos são excelentes quando escoam gas e não são usados como instrumento de pressão politica. Quando, por outro lado, o fornecedor é problemático, é melhor,mais seguro e mais barato montar capacidade para nao depender dele.

Jacinto

O que você está escrevendo é correto, assumindo que seu fornecedor é confiável. Esta não é a realidade da Europa. A realidade da Europa é que seu principal fornecedor usa o o gás como instrumento de pressão política, o que está forçando os países europeus a comprarem LNG com ágio. A coisa está tão maluca que tem navio de LNG em direção à a Ásia, mudando de rota para ir à Europa. Isso não é de graça, os Europeus pagaram por isso – e pagaram caro. Então, se na ponta fornecedora do gasoduto não há confiabilidade, é mais barato comprar… Read more »

Jacinto

Se os russos usam fornecimento de gás natural como arma, como você afirma, então é evidente que ele não é um parceiro, mas um adversário. Neste caso, o que é mais natural do que desarmar seu adversário buscando uma forma alternativa de obter gas natural?
Ademais, o motivo pelo qual seu fornecedor não é confiável é irrelevante do ponto de vista econômico. Seja por questões de politica externa, seja porque ele está sujeito a terremotos (ou seja, por questões naturais) o resultado é o mesmo: insegurança energética. E não existe desenvolvimento econômico sem segurança energética.

Jacinto

E deixar de fornecer gas natural e ameaçar e segurança da Europa energetica é exemplo de transigencia?

Alison

Vai se informar cara…. Essa mudança na forma de venda do gás foi uma EXIGÊNCIA europeia! Ai as condições do mercado mudaram e agora aguentem…

Jacinto

Alison, Acho que você precisa, mais do que eu, estudar o funcionamento de gasodutos e oleodutos. O consumo de gas não é linear durante o ano, então para evitar o custo de instalar uma capacidade extração para os períodos de pico, o que se faz é calcular o consumo médio durante o ano e construir reservatórios de gas para regular o uso. Assim, com um fornecimento estável durante o ano, é possível cobrir os períodos de maior consumo (inverno) e os períodos de menor consumo. Na Europa, isso significa que em meados de dezembro o consumo aumenta e isso vai… Read more »

Sobrevivente

Este fornecedor era confiável até a maior potência do mundo achar uma gigantesca reserva de gás, já esta é tão confiável, que para garantir reserva comercial, tanto para o gás como para a indústria de defesa, ameaça até os seus parceiros com apoio de países, que temem ver os antigos colonizados, inverterem a ordem.

Antoniokings

Nesse caso, manda quem pode e obedece quem tem juízo.
Caso contrário, a Europa vai ter de comprar o caríssimo GNL dos EUA que vai inviabilizar ainda mais sua já não muito competitiva indústria.
Sem contar que podem até passar frio.
É só escolher.

Jacinto

Antonio,
A Europa já está comprando LNG – e não é pouco. Empresas nos paises produtores de LNG estão adiando manutenção para aumentar a produção e atender emergencialmente os europeus, que também estão comprando contratos futuros.
A questão, como sempre, é quem pode mais e quem pode menos. A Europa pode pagar um pouco mais por LNG e já esta fazendo isso.
Já a Russia, que tem na Europa o destino de mais de 50% das suas exportações, pode abrir mão destas exportações?

Sobrevivente

Claro que pode ,pelo menos até 2025,depois disso ,a Europa vai ter que subsidiar o valor mais caro a países mais pobre,e torce para suas populações concordarem, coisa que os alemães, não estão muito afim.

Henrique

QUANDO A FUSÃO PARA O DOMÍNIO GLOBAL BENEFICIARIA OUTROS CONGLOMERADOS NÃO EUROPEUS AÍ ELES DIZEM QUE NÃO PODEM, QUE REDUZIRIA A CONCORRÊNCIA, MAS SE FOSSEM ESTALEIROS EUROPEU SE FUNDINDO PARA DOMINAR O MERCADO GLOBAL AÍ NÃO TERIA PROBLEMA. QUANTO MAIS EU VEJO EUROUPEU, MENOS SINTO SIMPATIA POR ELE!

Pedro Moura

Assim também penso eu.

Teropode

Mas aí caberia a quem se achar prejudicado dar o grito , os Europeus não estão errados , só uma cabeça de vento para achar que deveriam agir diferente de chineses , russos e marcianos e a falta de simpatia é fruto do viralatismo colonial que afeta a AL , desejosa por virar Pu** de chinês !

Last edited 4 meses atrás by Teropode
Hellen

Quando virou puta de yankee na serra do navio e tirou 50 anos de manganês dia e noite com construção de porto e ferrovia na surdina vc não falou nada,hoje o manganês esta no deserto do Texas nas reservas estratégicas americana (terras raras),
Isso é capitalismo brother,agora chegou a vez dos chineses e os chineses vao fazer 10 vezes pior que os americanos fizeram aqui no Brasil !!!

Sobrevivente

Vira-latas colonial europeu,continem alta aqui,kkkk

Bruno Vinícius

A Comissão Européia já bloqueou a fusão de empresas européias também. Um exemplo é a fusão da Siemens com a Alstom, que teria prejudicado a concorrência no setor de ferrovias.

https://ec.europa.eu/commission/presscorner/detail/en/IP_19_881

Thiago A.

Pois é !

Jacinto

Nos EUA a Suprema Corte, determinou que a maior empresa dos EUA na época (Standard Oil, a “esso”) fosse quebrada em 34 empresas menores ja que ela controlava 88% do mercado de petróleo nos EUA. Imagina o tamanho hj de uma empresa que controlasse 88% do mercado de petroleo dos EUA…

Jadson S. Cabral

E eles estão certíssimos, pois além de evitar o encarecimento dos produtos e serviços, não ficam dependente de apenas uma empresa e não correm o risco de uma empresa estratégica acabar falindo ou sendo adquirida por outro país.

André

A GE adquiriu a Alstom através de lawfare, pra Europa era melhor a Siemens ter comprado.

FOX

Pesquise sobre os navios classe Valemax e de sua opinião sobre os Chineses…

Thiago A.

Ué e eles deveriam fazer o que ? Ajudar os chineses e os asiáticos? Dizer “toma aí as chaves do mercado que eu larguei a toalha e tô nem aí para essa porcaria” ? Que visão tosca. Você acha que o mercado é feito de gente honesta que joga limpo ? Vê quanto e como devem se ajoelhar e penar a maioria das empresas para entrar no mercado chinês. Tudo porque não devem prejudicar as empresas nacionais. Cada um que aparece.

Thiago A.

E outra, acontece com empresa européia também. Só lembrar da Fincantieri quando tentou adquirir Chantiers de l’Atlantique e a França berrou levando tudo para comissão européia.

Jadson S. Cabral

Do ponto de vista deles eles estão certíssimos. Liberalismo tem limites até pro mais capitalista do mundo.
Para vir pro Brasil eu usarei o exemplo de uma empresa gigantesca brasileira. Eu adoraria ver a Vale comprando outras empresas do ramo e dominando quase todo o mercado, mas não gostaria que o contrário ocorresse, e nesse exemplo você pode colocar a Embraer, a WEG, a Petrobras ou qualquer empresa brasileira importante.

Helio M

USD 1.8 Bi? Está certo esse valor? O Atlântico Sul custou USD 700 MM. A DSME vale apenas um pouco mais que o dobro do EAS???

ROliveir78

Só um detalhe
A produtividade da DSME é superior ao do, quase finado, EAS.
Este que, está em recuperação judicial

Adriano Madureira

“A Comissão Europeia rejeitou a proposta de fusão entre os construtores navais sul-coreanos Daewoo Shipbuilding & Marine Engineering (DSME) e Hyundai Heavy Industries Holdings (HHI), dizendo que a combinação criaria uma posição dominante que reduziria a concorrência no mercado global de transportadores de GNL”.

E oque a comissão européia tem haver se as duas empresas sul-coreanas querem se fundir?

Quem deveria ter a responsabilidade de aprovar ou não,não deveria ser um órgão asiático?

Esteves

Da uma lida nos comentários.

Outro ponto. Contratos futuros. Bolsa de valores Coreana, a Kospi. O que acontece em grandes mercados afeta os outros mercados.

A CE também vetou a fusão da ThyssenKrupp com a Tata Steel na Índia.

Peter nine nine

Qual golpe? Trata se de garantir a estabilidade de mercado e a presença de determinado produto a um preço aceitável, via presença mínima de concorrência. A comissão protege o Globo e não apenas a Europa, ao barrar fusões que poderiam potencialmente afectar o fornecimento deste tipo de navios, a custo justo, via monopolização de mercado por um único grande construtor.

FRANCISCO MARCELIO DE ALMEIDA FARIAS

Brasil devia seguir o exemplo europeu, aqui multinacionais compram projetos nacionais e o abortam, criam uma que é só cópia e montagem da de sua matriz, nossa criatividade, originalidade e necessidade local, vai a zero.

- Publicidade -
Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios de guerra britânicos podem ser enviados para quebrar o bloqueio de Putin aos portos do Mar Negro

A Grã-Bretanha está coordenando com seus aliados um plano potencial para enviar navios de guerra ao porto de Odessa,...
- Advertisement -