Comunicado sobre o Transporte Fluvial pela Hidrovia Paraguai-Paraná relativo às medidas restritivas de navegação impostas pela República Argentina

Publicado em 10/09/2023 22h01

Os Governos de Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai lamentam as medidas impostas pela República Argentina que restringem a navegação na Hidrovia Paraguai-Paraná a partir da aplicação de uma taxa unilateral e arbitrariamente estabelecida à margem do Acordo de Santa Cruz de la Sierra e de outras disposições regulamentares internacionais vigentes.

Observam que, apesar das objeções apresentadas pelos quatro Governos no âmbito intergovernamental da Hidrovia, a República Argentina continua promovendo medidas dessa natureza, o que, neste caso, resultou em uma ordem de embargo e proibição de saída de uma barcaça carregada e pronta para zarpar, com base na pretensão de cobrança da referida taxa.

Expressam preocupação especial pelo fato de se tratar de uma restrição à liberdade de trânsito de bens estratégicos e sensíveis para um país signatário que tem comprometido o abastecimento de combustível e que pode afetar o preço desse insumo, o que representa uma séria medida que agrava a vulnerabilidade desse Estado devido à sua condição de país sem litoral.

Ao destacar a importância de unir esforços para facilitar o transporte comercial, promover o desenvolvimento e a eficiência da navegação, bem como a institucionalidade do sistema da Hidrovia Paraguai-Paraná, os Governos da Bolívia, Brasil, Paraguai e Uruguai reiteram seu pedido à República Argentina para suspender a aplicação das resoluções 625/2022 e 1023/2022 do Ministério dos Transportes, adotar as medidas necessárias para garantir a liberdade de navegação e trânsito e abster-se de aplicar outras medidas restritivas à navegação até que a controvérsia seja resolvida no âmbito intergovernamental da Hidrovia.

Assunção, 10 de setembro de 2023

FONTE: Ministério das Relações Exteriores, (NOTA À IMPRENSA Nº 384)

NOTA DO EDITOR: foto em caráter meramente ilustrativo. Para saber mais sobre o assunto, veja também:

Livre navegação: Brasil questiona ‘pedágio’ cobrado pela Argentina em hidrovia

 

Subscribe
Notify of
guest

88 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Roberto Santos

Olha ai…..Gasta agora com Exercícios Militares reais, manda navios pra área, enfrenta a Argentina, peita eles, mostra que somos fortes. pra gastar dólares no Togo e outras republicas sem futuro, somos bons. Passear e fazer gracinha botaram um Contra Almirante na FRATERNO, agora, para defender a livre navegação de comercio em nossas águas interiores, mandamos uma notinha de repúdio.
Marinha Brasileira a piada pronta !

Emmanuel

Falou pouco, mas falou besteira.

Jordan Silva

Boa kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Bardini

O cara já vem espumando pra falar mal da MB, sendo que nem é a MB que está lidando com esta questão frontalmente.

Marcelo

Agora é só o Governo mandar prender o Avião c-130 lotado de munição Hero 30 e Hero 120 que teve problema no trem de pouso la no nordeste.
Rapidinho os argentinos libera a barcaça com mercadoria !!!!

Tomcat4,5

Exatamente !!!

Kommander

Não vai fazer porque o atual governo são cúmplices dos hermanos!!

João

EDITADO:
3 – Mantenha o blog limpo: não use palavras de baixo calão ou xingamentos.

João

FONTE: Ministério das Relações Exteriores, (NOTA À IMPRENSA Nº 384)

Quem sabe ler tá na frente de muita gente….

rsilvabritto417@gmail.com

Alex Barreto Cypriano

Essa estória está mal-contada. Alguém perguntou à argentina o porquê do estabelecimento da tarifa? Tal estaria relacionado com os custos de manutenção do calado da hidrovia naquelas paragens? Algum agente extraamericano poderia estar plantando vento pra colher tempestade?

Fabio Araujo

Existe um acordo internacional a respeito da hidrovia, e eles assinaram o acordo, o acordo deve ter algo a respeito dos custos da manutenção da hidrovia, não dá para ficar rasgando os acordos a seu bel prazer!

Jagder#44

Extraamericano só existe na cabeça do pessoas do diretório acadêmico dos estudantes de sociologia/história.

Fernando

Mas não na dos acólitos de Mussolini?

AMX

São os mesmos.

Jagderband#44

São os mesmos.

Luis H

são os mesmos, óbvio

Alexandre Costa

O motivo é falta de dólares na Argentina. Só isso.

Fernando "Nunão" De Martini

Alex, tem mais informações em matéria anterior, disponibilizada ao final desta.

Alex Barreto Cypriano

Obrigado, Nunão. Segundo a matéria, por ali passam anualmente 4,5 milhões de toneladas (3,5 milhões de toneladas de minério de ferro, 1 milhão de toneladas de grãos) e o pedágio seria de US$1,47 por tonelada (totalizando uns 6,6 milhões de dólares anuais). Ora, salvo engano, a tonelada de minério de ferro é exportada, este ano, por mais de US$100,00 e a tonelada de grãos por mais de US$500,00. Enquanto o ônus da tarifa pareça grande à exportação de minério (também usado pra produzir o aço com que equipam a PLAN), acrécimo de 1,47%, ele é menor na exportação de grãos… Read more »

Underground

Com certeza são os americanóides tentando semear o ódio entre nações irmãs. Esses americanóides são maus mesmo. Que coisa!
Xô home. Vão.

Alex Barreto Cypriano

Sabe que eu estava apostando nos chineses? Salvo engano, é uma companhia chinesa que cuida da dragagem do rio naquelas paragens…

Art

Bingo!

Alex Barreto Cypriano

Honestamente eu não sei. Há uns tempos a CCCC (China Communication Construction Company) tava concorrendo com a Jan De Nul (companhia Belga) pra ficar com a dragagem e sinalização do Paraná. Dizem que o acordo entre os estados da Hidrovia prevê a cobrança de tarifa pra fins de manutenção: pra argentina, há motivos pra cobrança (os trabalhos de abertura do canal Magdalena também são parte da manutenção da hidrovia, certo?), pros outros, não. Agora parece que a Jan De Nul levou a tarefa e embaixadores:
https://www.dredgingtoday.com/2023/05/03/parana-river-dredging-ambassadors-tour-jan-de-nuls-giant-tshd/
Se alguém mais experto puder esclarecer, eu agradeceria.

Tutu

Se essa é a lógica vamos impor nossa tarifa tbm, assim como os Uruguaios, Paraguaios e Bolivianos.

Alex Barreto Cypriano

Quem passa pelo trecho brasileiro da HPP? Tem um problema grave na geometria/hidrologia do alto Paraguai. A MB sabe, ela tem registro de tudo em Ladário. O trecho norte não é navegável mais do que dois terços do ano. Ele está intimamente ligado a planície inundavel e às pulsações seca/cheia, uma das quais produziu uma seca histórica entre 1960 e1974, portanto nada tendo com alteração climática.

Rafael

Alguém consegue me provar que o Mercosul é um exemplo a ser seguido e merece ser expandido?
Alguém consegue me provar que incentivar a entrada da Argentina no BRICS+ vai representar alguma vantagem para o Brasil?

Fernando

Alguem consegue me provar que não?

Orivaldo

No bar, tomando uma cervejinha

Fabio Araujo

A Argentina na ânsia de arrecadar mais para fechar as contas do estado esta criando problemas para os vizinhos inclusive aquele que mais tem se esforçado para ajudar eles a conseguirem fundos.

Rafael

Ou atrapalhar as exportações de soja dos vizinhos…
É o que dá uma aliança entre exportadores de commodities que brigam pelo mesmo cliente (China).

Willber Rodrigues

E o Brasilistão nessa insistência em botar a Argentina no clubinho do BRICS+…
Tanto país que poderia dar muito mais contribuições pra isso, como Marrocos e Chile, mas os caras ficam nessa…
E isso pra um país que nunca nos apoiou diplomaticamente em nada…

Ivan herrera

Concordo com vc, esses caras se tiverem o mínimo de projeção militar dão trabalho, haja vista as décadas passadas, a arrogância é extrema, já vivi lá sei como é.

Willber Rodrigues

Mesmo se eles tivessem o mínimo de dissuasão militar ( coisa que eles não tem atualmente ) acho pouco provável que eles nos dariam “trabalho” ou iriam querer comprar briga conosco. Os ingleses nos fizeram o favor de botar juízo na cabeça deles, mesmo porque, a maior “birra” deles é com os ingleses ( em 1° lugar ) e os chilenos ( logo em seguida ).
Mas é fato de que se eles tivessem dissuasão, eles estariam “latindo” pra todo mundo.
A melhor coisa é eles continuarem sem submarinos, mísseis BVR e caças modernos mesmo.

Ivan herrera

Concordo com vc , como eles mesmo dizem sem dentes , banguelas rsss

Marcelo

Mais não e só na Argentina não,é assim em todo lugar (País) que tem uma força armada forte e bem equipada,impõem sua vontade na base da pólvora !!!

Ivan herrera

Sim Marcelo, por isso que espero que eles fiquem por um mega tempo nas redeas britânicas e americanas , os ingleses não são nada bobos sabem com quem estão lidando, não é atoa que estão onde estão por vários séculos.

Welington S.

É por isso que não confio. Esse papo de “hermanos” nunca colocou comigo, nunca gostei disso. Já disse pelo Blog também que no futuro eles trarão novamente problemas pra região. É questão de tempo! Por qual motivo você acha que agora o EB começou a querer fortalecer mais os laços com eles?

João

Agora????
Acho q vc tá meio atrasado…

Welington S.

Não, não estou. Eu sei muito bem dos exercícios anteriores já feito. Eu me refiro ao fato da própria força ter dito isso, um fortalecimento maior, algo que antes não se tinha.

Henrique A

Pra mim quem está forçando a entrada da Argentina é a China.

Allan Lemos

O Governo afaga tanto os “companheiros” da Argentina e ainda consegue ser desmoralizado.

E ainda vejo gente querendo mais aproximaçāo com ela.

Que o Brasil começe a apoiar o Reino Unido na questāo das Falklands, rapidinho esses caras abaixam a bola. Pena que nāo temos diplomacia.

Gabriel BR

Eu nunca entendi essa xenofilia das autoridades brasileiras em relação a Argentina

Gabriel BR

E o pior que começou essa tradição entreguista foram os militares após a proclamação da república.

AVISO DOS EDITORES: A DISCUSSÃO ESTÁ DESVIANDO PARA TEMAS TOTALMENTE FORA DO ASSUNTO DA MATÉRIA.

LEIAM AS REGRAS DO BLOG:

https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Nilo

Entreguista?
Diria facilitadores, uma tradição brasileira, de governos de esquerda, direita e militar rsrsrsrs.

Fernando

Já ouviu falar na questão Christie? Estou vendo que não.

Gabriel BR

Esses ai são os sócios favoritos dos “Nacionalistas” mequetrefes brasileiros.
A felicidade dos caras é quebrar as nossas pernas , não respeitam acordo nenhum , não pagam os empréstimos que fazem , estão falidos .

Nilo

A Ucrânia está para a Rússia como a Argentina para o Brasil, essa sempre preparada para enfiar a faca nas nossa costa.

Esteves

Bom dia, Niloooooo.

Tudo é uma questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo.

Nilo

Bom dia meu amigo
Irei adotar este lema rsrs

Rui Mendes

Olha um ________ a protestar por a Argentina não cumprir acordos, isso é o que os Russos fizeram com a Ucrânia e com a comunidade internacional.

EDITADO. MANTENHA O RESPEITO. NÃO ROTULE OS OUTROS PARA NÃO SER ROTULADO. LEIA AS REGRAS DO BLOG:

https://www.naval.com.br/blog/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Nilo

Saudações, Rui acompanho seus comentários a tempos.
Não é um protesto mas um comentário.
O que dizer da democracia Ucraniana que dá tiro de fuzil em canela apenas porque o ucraniano falou em russo. Rsrsrs
Como tenho dito O Zé “Lascado”.

Gabriel BR

Vocês podem alegar qualquer coisa , mas o fato é que a OTAN provocou essa guerra. O senhor perdeu o senso das proporções quando compara as ações da Argentina com a Guerra da Ucrânia.

Dagor Dagorath

O Brasil pode retaliar em diversas áreas sem sequer disparar um tiro em direção à Buenos Aires, como os mais afoitos desejam.

Brasília pode, por exemplo, deixar de apoiar as pretensões argentinas às Ilhas Falklands, pode cobrar dívidas antecipadas, pode vender papéis do Tesouro Argentino para fundos abutres, sobretaxar massivamente produtos Made in Argentina, etc, etc, etc.

Rodrigo

Para mimno o caminho é esse.

Art

Livre navegação é motivo de guerra….verifiquem a história. Argentina está causando problemas para desviar atenção interna, já ocorreu no passado com as ilhas Flaklands.

Esteves

Vamos ver o cenário. https://pt.wikipedia.org/wiki/Usina_Hidrel%C3%A9trica_de_Yacyret%C3%A1 Argentina e Paraguai estão desacordados por conta do aumento de retirada de energia por parte do Paraguai. A Argentina diz que tal aumento no consumo não foi negociado. A posição diplomática da Argentina está posta aqui. https://www.abc.com.py/politica/2023/09/11/embajador-argentino-sobre-hidrovia-paraguay-se-esta-pasando-de-la-raya/ “O tratado diz que os países não podem cobrar imposto sobre o rio, mas sim taxas retributivas pelo serviço prestado sobre o mesmo, e a Argentina vira cerca de 25 milhões para a hidrovia, é justo que pague quem mais o usa e isso são os paraguaios”, esclareceu à mídia. Diante do comunicado conjunto de várias nações, o… Read more »

Fernando

Perfeito, Esteves!

guilardo

O Esteves, como sempre é pragmático. Alcançou o cerne da questão lá na frente. Concordo com tudo dito. Faço pequenos reparos com relação à pressão sobre o Paraguai. Novamente a nação Guarany é quem primeiro paga o pato. A Argentina não merece confiança e já fomos às turras. Essa disposição do parlapatão que ocupa a cadeira de presidente, nos coloca, como sempre, como chalaças de países problemáticos e descontrolados. Tentar por todos os meios, inclusive com sacrifício inaudito do nosso país, ajudar uns socialistas doidos, é pedir esmola pra dois. Fico com alguém que disse lá em cima, em outras… Read more »

Esteves

Essa situação não passa nem perto das presidências ou dos poderes das repúblicas. Essa situação é tipicamente uma abordagem diplomática…que a Argentina transformou em enrosco.

O Brasil não teve embarcações retidas e não acredito que haveria coragem na Argentina para fazerem.

Fernando "Nunão" De Martini

O Brasil não teve embarcações retidas e não acredito que haveria coragem na Argentina para fazerem.”

Mais ou menos.

O primeiro caso de barcaças e um empurrador, retidos pela Argentina, é de ativos de uma subsidiária paraguaia de empresa brasileira, e que levava carga (soja) brasileira.

A empresa, Hidrovias do Brasil, está bancando advogados na Argentina e Paraguai questionando a cobrança.

https://www.naval.com.br/blog/2023/08/10/brasil-questiona-pedagio-cobrado-pela-argentina-em-hidrovia/

Esteves

Verdade também.

Nunão sempre atento. Grato.

João

São problemas inicialmente diplomáticos. Normalmente, se resolvem nisso.
Anos atrás, a marinha paraguaia atirou em barcos da PF, quando esta atuava contra barcos de traficantes paraguaios, e em águas brasileiras.
Nem apareceu na mídia.

Alex Barreto Cypriano

Parece verossímil, mas arranjar uma treta com quatro pra resolver a treta com um não parece muito sábio. Inclusive o Brasil se escorar na defesa dos interesses da pobre Bolívia pra lançar um ‘deixa disso, hermano’ aos argentinos não me parece muito sincero ou veraz. Diplomacia comercial deve seguir as regras da diplomacia geral: ir direto à rapadura com transparência e sinceridade.

Fernando "Nunão" De Martini

“Inclusive o Brasil se escorar na defesa dos interesses da pobre Bolívia pra lançar um ‘deixa disso, hermano’ aos argentinos não me parece muito sincero ou veraz.” Por que não? A Bolívia usa a mesma hidrovia e o Brasil tem claro interesse no assunto. É fato que no passado, na guerra do Chaco (anos 1930) entre Bolívia e Paraguai, os apoios de Brasil e Argentina eram cada um para um beligerante, mas hoje a Argentina se mostra mais fraca militarmente e diplomaticamente, e pelo jeito está bastante isolada nesse pleito da cobrança de taxa, que une interesses dos demaia países… Read more »

Alex Barreto Cypriano

A Bolívia movimentou algum ano atrás apenas 20-25% do total de suas exportações/importações pela Hidrovia Paraguai-Paraná. O restante sai por outros modais. Com a pandemia de 2020 o valor movimentado pela Bolivia na HPP caiu pra 40% do valor do ano anterior e caiu ainda mais em 2021 devido à seca (mais aguda no fim do ano e início de 2022). Mas hoje é 2023 e dizem que a saúva fluvial argentina vai acabar com a Bolívia, não o caráter intermitente da navegabilidade no trecho Cáceres-Corumbá em função do regime de chuvas e clima (influenciados pelo ElNino/LaNina e pelo ressecamento… Read more »

Fernando "Nunão" De Martini

Alex,

Creio que para a Bolívia interessa muito mais a navegabilidade do rio Paraguai ao Sul de Corumbá (com Puerto Suarez na outra margem) do que para o Norte em direção a Cáceres, onde o rio já está bem adentrado no Brasil e não faz parte da demarcação da fronteira com a Bolívia.

Alex Barreto Cypriano

Sim, Nunão: o tramo Sul é mais importante pra Bolívia que o Norte. No canal Tamengo, que liga o rio Paraguai na altura de Corumbá a laguna de Cáceres na Bolívia, nele estão dois portos fluviais (Gravetal e Aguirre). Mais ao Sul há porto Busch. A Bolívia também acessa o Atlântico pelo rio Amazonas, além de contar com acesso ao Pacífico por portos no Chile e Peru. Aqui: https://www.researchgate.net/publication/355502007_LOS_RIOS_TRANSFRONTERIZOS_Y_LA_FRONTERA_BRASIL-BOLIVIA_LOS_USOS_DEL_AGUA_Y_LA_GOBERNANZA_HIDRICA_EN_EL_CENTRO_DEL_CONTINENTE_SUDAMERICANO Eles estão se virando. Mas o Brasil tem planos pros tramos Norte e Sul, planos problemáticos desde os 1990 e que sempre retornam em novas apresentações. Nestes se propugna, além da… Read more »

Esteves

Então…

Quais as chances de sair uma resolução no 1 X 1? Quais as chances de encontrarem uma acomodação com 4 envolvidos? Parece maior com 4.

Diplomacia não está viva na arte da sinceridade. Diplomacia é a arte do possível. Quando não dá pra dar um passo adiante…dá-se um passo de lado.

Mas não recua.

Alex Barreto Cypriano

Entendo, mestre Esteves. Caso curioso… o quê faria david Hume numa dessas? Vou acompanhar com interesse.

Esteves

David como Esteves é, foi um cético. Ele faria testes.

Alex Barreto Cypriano

Acho que escreveria um bom ensaio mostrando como a diplomacia tem de lidar com absurdos…

Rodrigo

Argentino e triste vive pedindo pinico para nosso país, chora para Lula, mas na primeira chance que tem de tirar vantagem vem com tudo, Mercosul é bobagem com eles..simples devemos taxar as caminhonete da Argentina que são exportadas para nós.

Esteves

Isso foi um erro. Permitir que as indústrias estabelecidas aqui fossem para lá. O “plano” era industrializar a Argentina e transformar o Brasil em grande consumidor do continente. Inclusive…esvaziando os sindicatos que até o L se encheu-se deles.

A desculpa foi que a ordem tributária na Argentina era ou é mais simples e mais lógica. Isso poderia ter sido feito aqui como o Haddad fez. É somente uma questão de mentes e competências.

A Ford fez ameaças. Quem debateu ou quem debateria coma Ford contrariando governadores e seus deputados?

Fernando "Nunão" De Martini

Fábrica da Ford na Argentina existe até antes do Brasil. O que se mudou pra lá foram linhas que estavam aqui (sem prejuízo da argumentação, estou só acrescentando fatos).

Não que eu concorde com a saída da Ford (erro que eles mesmos deverão se arrepender, a Ford é pródiga em decisões erradas no Brasil, pelo menos uma errada pra cada certa), mas o fato é que muito antes de cessarem a produção de picapes e caminhões aqui, ela já era feita na Argentina.

Last edited 9 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Esteves

Verdade.

S10 e Mitsubishi são feitas aqui. Nissan, VW e Ford lá. Fiat e RAM também aqui exceto Fiat Titano e Peugeot no Uruguai.

Salada.

Kommander

Nunão, a melhor decisão que Ford tomou foi sair do Brasil, hoje estão lucrando mais do que nunca e a qualidade dos carros melhorou muuuuito, não sei como anda o pós-venda.

Esteves

Ruim como sempre.

Fernando "Nunão" De Martini

No curto prazo concordo com você.

No longo prazo é que considero um grande erro.

Mas é só uma opinião minha, baseado no que conheço da história da Ford no Brasil, seus erros e acertos ao longo de várias décadas, e considero este o pior de todos os erros (embora seja justificável como decisão face as consequências de erros que a própria empresa cometeu anteriormente).

Mas isso já é um grande desvio em relação ao tema da matéria.

Rodrigo

Estratégia deles, não focar em festa e focar em valor agregado nos EUA f150 lighting vende a rodo

Nilo

Facilitadores para Argentina, Rússia, EUA , China, Europa…..
Exportamos tudo do melhor que produzimos, para isso nossa gente ( nossa gente, quá quá quá quá quá) comprando osso e pele de galinha para sobreviver.

Esteves

Pois é.

Brigando para escoarem o que temos de melhor. Mas quem vende o que tem de pior?

Verde pasto navegante.

Esteves

https://hidroviarioparaguai.wordpress.com/a-hidrovia/localizacao/ Mapa. Trecho azul claro. Rio Paraguai dentro do território brasileiro em Cáceres. Trecho azul escuro. Rio Paraguai na fronteira com a Bolívia em Corumbá. O que significa? Um mapa é sempre um mapa. Muitos perdidos dariam a vida por um…mapa. Esteves menino fez uma caixa do tempo. Jornais, mapas de escola, moedas, notas. Coloquei em uma caixa de tamburello e enterrei no quintal. Um dia veio a notícia que haveria reforma na casa e o quintal aonde a timebox enterrada foi seria soterrado como acabou sendo. Para dar lugar. Tal quintal deixou recordações. Galinheiro, goiabeira, pateiro, abacateiro, nêspera e… Read more »

Alex Barreto Cypriano

Ah, neste aí bati o olho, caro Esteves. Quando vão deixar que postemos imagens? Elas economizam por mil palavras e uma imagem prova mais do que uma lauda. Citando o amigo Esteves: ‘não está sendo fácil’.

Fernando "Nunão" De Martini

Alex,
Se a imagem que você quer está em jpg ou pmg, basta abri-la numa aba separada, copiar o link e colar.

Por exemplo, a partir do link do Esteves:

comment image

Falando em imagens, respondi a um comentário seu, sobre compartimentação, lá na matéria da avaliação de drone no NAM Atlântico. Tem imagens pra debater.

Alex Barreto Cypriano

Antes era mais fácil, tinha o ícone na barra de ferramentas dos comentários. Vou tentar numa próxima oportunidade. Grato, Nunão. Vou conferir seu comentário lá na matéria do NAM a SARPear.

Esteves

Não está sendo fácil.

L Grande

Se fosse na época do império do Brasil a armada imperial já tinha subido o Rio e a situação estava resolvida. Mas hoje…….