ST Engineering - 1

Conceitos de embarcações e navios de guerra da ST Engineering que podem ser desenvolvidos, customizados e construídos de acordo com as necessidades do cliente

Companhia procura parceiros locais para transferências de tecnologia que atendem às necessidades do Brasil

A Singapore Technologies Engineering Ltd (ST Engineering) está com planos para apoiar os setores brasileiros de defesa, transporte e engenharia ambiental. Depois da participação do Grupo durante o LAAD realizado em 2013, a ST Engineering investiu aproximadamente R$ 40 milhões (aproximadamente US$ 18 milhões) para iniciar suas atividades no país.

Em maio, Sr. Patrick Choy, vice-presidente executivo de marketing internacional da ST Engineering, visitou o Brasil para conversar sobre novas oportunidades de negócios com os parceiros empresariais da companhia.

“A ST Engineering possui experiência nos setores de eletrônica, defesa, aeroespaço e engenharia marinha. O grupo possui uma longa tradição na área de engenharia e está muito bem posicionado para auxiliar o Brasil a desenvolver suas capacidades de defesa, segurança, infraestrutura e sustentabilidade urbana em nível nacional, estadual e setorial. Estaremos trabalhando com parceiros locais para os quais estaremos transferindo nossas tecnologias e capacidades. Assim, a ST Engineering pode desenvolver soluções específicas para as necessidades brasileiras no setor de defesa e apoiar o desenvolvimento de infraestrutura”, explicou Sr. Choy.

Um dos principais grupos de engenharia e defesa da Ásia, a ST Engineering mantém uma presença global em quatro principais áreas – Aeroespacial, Eletrônica e Sistemas Terrestres e Marítimos. Sua presença nos EUA representa mais de 25% das receitas do Grupo, e a Ásia, incluindo a Cingapura, representa 72%.

ST Engineering - 2

Veículo anfíbio 4×4 conversível em lancha

 

A ST Engenharia está presente no Brasil desde 2010 através da sua holding nos Estados Unidos, a VT Systems. Durante os últimos 12 meses, o Grupo realizou vários investimentos nesse mercado através das suas unidades de negócios.

  • A companhia adquiriu 90% de Technicae Projetos e Serviços Automotivos – que presta serviços de manutenção, reparo e revisão de automóveis, principalmente militares – para estabelecer sua presença e ampliar seus negócios no setor de defesa no Brasil.
  • Criou uma subsidiária, a LeeBoy Brasil Equipamentos de Construção, em Canoas (RS), e adquiriu os ativos e propriedade intelectual da Ticel, uma empresa brasileira de equipamentos de construção, estabelecendo uma base local para ampliar a presença da sua marca LeeBoy™ de equipamentos para construção de estradas no Brasil, e posteriormente na América Latina.

“O primeiro passo para a companhia será oferecer apoio para as forças de defesa do Brasil. Também oferecemos soluções de classe mundial em transporte urbano e engenharia ambiental. O Brasil pode ser um hub para alcançar outros mercados como o México e a África, além da América Latina”, disse Sr. Choy.

Sobre a ST Engineering
A ST Engineering (Singapore Technologies Engineering Ltd) é um grupo de engenharia que oferece soluções e serviços nos setores aeroespacial, eletrônica, sistemas terrestres e sistemas marítimos. Sediada em Cingapura, o Grupo divulgou receitas de US$ 5,25 bilhões em 2013 e é umas das maiores empresas listadas na Bolsa de Cingapura. Suas ações também são cotadas no FTSE Straits Times Index, FTSE ASEAN 40 Index, MSCI Singapore e outros índices. A ST Engineering possui mais de 23.000 funcionários no mundo inteiro, e mais de 100 subsidiárias e empresas associadas em 46 cidades e 24 países. Para saber mais, visite www.stengg.com.

DIVULGAÇÃO: MSL Group

NOTA DO PODER NAVAL: sabia mais sobre os produtos e tecnologias da ST Engineering na revista Forças de Defesa número 10, disponível em versão impressa e digital.

Tags: , , ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

11 Responses to “ST Engineering busca crescimento no Brasil nos setores de Defesa, Transportes e Meio Ambiente” Subscribe

  1. aericzz 11 de junho de 2014 at 10:28 #

    Não é essa empresa q forneceu os super canhões dos NPa classe Macaé, q até hj não deram…. Bem deixa pra lá….

  2. Mauricio R. 11 de junho de 2014 at 12:00 #

    Gostei desse design Endurance 160, mas será que ele vence a fixação da MB pelo “Mistral”???
    Difícil…

  3. Alexandre Galante 11 de junho de 2014 at 12:50 #

    Maurício, mais difícil é vencer a fixação da MB por navios usados.

  4. Lyw 11 de junho de 2014 at 13:01 #

    Fixação da MB pelo Mistral é tão mito quano SU-35 ser o preferido dos pilotos brasileiros no início do FX2.

  5. juarezmartinez 11 de junho de 2014 at 19:29 #

    aericzz 11 de junho de 2014 at 10:28 #

    Não é essa empresa q forneceu os super canhões dos NPa classe Macaé, q até hj não deram…. Bem deixa pra lá….

    Eram tão super que parece que a MB comprou os últimos canhões 40mm para os Napas da Bae System.

    Grande abraço

  6. aericzz 12 de junho de 2014 at 7:56 #

    Bom dia galera!!!
    Mauricio, qual deles na foto é o Endurance 160???
    Posso garantir q não tem fixação sobre navios usados… é falta de recursos mesmo… e as vezes vc consegue adquiri-los sem ter q passar pelos politicos (sem comissões, lobbys e etc e tal…) e com recursos própios (negócio de governo a governo, q na realidade éde força para força), então sem interferências… acaba sendo o q se tem para suprir a força.
    Juarez…. eu já sabia dos testes desse canhão, foram feitos no NPa Guaporé… mas nos NPA 500ton q já foram licitados… a MB já adquiriu o mamão…. agora já era, só no próx. licitação para um novo lote.
    abçs.

  7. daltonl 12 de junho de 2014 at 11:29 #

    O “160″ é aquele do fundo, o LHD, mas o Mauricio não referiu-se a comprar um Mistral “usado” e
    sim da possibilidade do mesmo ser construido aqui que ele é sabidamente contra.

    Bem, o Mistral é maior e mais capaz que o “160″ e foi oferecido à Australia uma versão ligeiramente maior, mas os australianos optaram pelo espanhol Juan Carlos I com algumas modificações, pelo fato do navio espanhol já ser maior, não necessitar grandes modificações e até pela parceria já existente com a construção dos 3 novos
    DDGs para a RAN.

    abs

  8. Mauricio R. 13 de junho de 2014 at 3:47 #

    aericzz,

    O “Endurance 160″ é o navio de convoo corrido, mais próximo do chinês de gravata amarela.
    Existe tb uma versão menor, o 120, c/ design semelhante ao nosso NDD sem convoo corrido.
    O Perú está adquirindo 2 cascos da classe “Makassar”, da Indonésia, as Filipinas tb.
    Este design não tem convoo corrido, é o tradicional LPD.
    Qnto a essa fixação da MB por navios usados, já não há tantos destes assim disponíveis e em boas condições.
    Os australianos compraram um navio inglês praticamente novo, p/ substituirem os NDCC iguais ao nosso; os hindús receberam um navio americano bem usado e os chilenos pegaram um navio francês.

  9. juarezmartinez 13 de junho de 2014 at 13:25 #

    aericzz 12 de junho de 2014 at 7:56 #

    Bom dia galera!!!
    Mauricio, qual deles na foto é o Endurance 160???
    Posso garantir q não tem fixação sobre navios usados… é falta de recursos mesmo… e as vezes vc consegue adquiri-los sem ter q passar pelos politicos (sem comissões, lobbys e etc e tal…) e com recursos própios (negócio de governo a governo, q na realidade éde força para força), então sem interferências… acaba sendo o q se tem para suprir a força.
    Juarez…. eu já sabia dos testes desse canhão, foram feitos no NPa Guaporé… mas nos NPA 500ton q já foram licitados… a MB já adquiriu o mamão…. agora já era, só no próx. licitação para um novo lote.
    abçs.

    Grande aericzz! Como diz o Gaúcho da fronteira:

    É uma lida braba tchê.

    O caras sabem que é necessário ensaiar, testar e questionar usuários, e entram nestas roubadas.
    È o “mardito” do $$$$$$, esta praga de país não tem mais jeito.

    Grande abraço

    Grande abraço

  10. ci_pin_ha 13 de junho de 2014 at 14:40 #

    O Endurance 120 seria um substituto aceitável ao Ceará e Rio de Janeiro.

  11. Luiz Monteiro 13 de junho de 2014 at 15:57 #

    Vale lembrar que o casco do ex-Navio Desembarque Doca Rio de Janeiro foi levado a leilão

    “LICITAÇÃO N.º 028/2014 – LEILÃO – ALIENAÇÃO, POR VENDA, DE CASCO DO EX – NDD RIO DE JANEIRO

    Por ordem do Diretor-Presidente da EMGEPRON faço público que será realizada a Licitação N.º EGPN 028/2014, modalidade Leilão, conforme segue: 1. Objeto –Alienação, por venda, do casco do ex-Navio Desembarque Doca Rio de Janeiro – NDD Rio de Janeiro, pertencente ao Comando do 1º Esquadrão de Apoio – COMESQDAP-1; 2. Preço Mínimo de Alienação: R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais); 3. Data/Hora/Local: 27 de maio de 2014, às 14h na Rodovia Presidente Dutra, 748 (km um) – Jardim América – ao lado da Passarela sentido Rio/S.Paulo – Rio de Janeiro/RJ; 4. Fornecimento do Edital – O Edital completo contendo todos os dados e esclarecimentos poderá ser obtido na EMGEPRON, Edifício Almirante Raphael de Azevedo Branco, 2º andar, Ilha das Cobras, Rio de Janeiro, nos dias úteis de 09:00 às 11:00h e 13:30 às 16:00h ou capturado por meio da página na internet: http://www.emgepron.com.br ou http://www.emgepron.mar.mil.br Informações pelos telefones: (21) 3907-1831 e 3907-1845 / Fax (21) 3907-1831.

    LUIZ ANGELO DE CARVALHO FILIPPO
    Presidente da Comissão de Licitação”

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Submarino alemão é encontrado afundado na costa dos EUA

  Pesquisadores informaram nesta terça-feira (21) a descoberta de um submarino alemão e de um cargueiro nicaraguense que afundaram na […]

Fotos do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ em construção na China

Confira as fotos do lançamento ao mar do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico “Vital de Oliveira” em Xinhui, na China. O […]

Baixe 7 edições da revista Forças de Defesa e doe quanto quiser

Agora você poderá baixar para o seu computador, tablet ou smartphone as melhores reportagens da nossa revista impressa Forças de […]

Em fórum na Fiesp, Estado-Maior da Armada destaca a importância da indústria em projetos da Marinha

Por Dulce Moraes e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp Representantes do órgão apresentam projetos em desenvolvimento e formas de financiamento. […]

Navios-patrulha do Brasil e da França em operação contra pesca ilegal

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França nesta segunda-feira, 20 de outubro, o navio-patrulha La Capricieuse da Marinha Francesa […]

Rússia diz que submarino ‘misterioso’ na Suécia é da Holanda, mas holandeses negam

A Rússia foi acusada de ter enviado o submarino ao local, mas negou. Porém, segundo jornal sueco, a Holanda também […]