Radar desenvolvido pelo Exército Brasileiro, em parceria com empresas nacionais, também já foi adotado pela FAB

 

SABER 60

O Comando do Material do Corpo de Fuzileiros Navais assinou, no dia 9 de julho, o contrato de aquisição do Sistema de Radar SABER M60.

A Cerimônia foi presidida pelo Comandante do Material do Corpo de Fuzileiros Navais, Contra-Almirante (FN) Gilmar Francisco Ferraço, e contou com a presença do Diretor Presidente da empresa BRADAR (Embraer Defesa e Segurança), Astor Vasques Lopes Junior, do Diretor Técnico da empresa, João Roberto Moreira Neto, e do Diretor Comercial, Luiz Henrique Godinho.

O Radar SABER M60 (Sensor de Acompanhamento de Alvos Aéreos Baseado na Emissão de Rádio Frequência) incorpora avançadas tecnologias para detectar e identificar, simultaneamente, diversos alvos em um raio de até 60 km. É capaz de classificar as aeronaves como amigas ou inimigas, bem como identificar asas fixas ou rotativas, dando ao decisor uma avaliação mais precisa de uma eventual ameaça.

Esta aquisição é de grande importância para o Corpo de Fuzileiros Navais por aumentar sua capacidade de emprego em condições climáticas adversas.

FONTE: MB

VEJA TAMBÉM:

 

Tags: , , ,

Membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

16 Responses to “Fuzileiros também vão de SABER M60” Subscribe

  1. Carlos Alberto Soares 20 de julho de 2014 at 10:25 #

    Na “bagaça” que esta o CFN, essa é uma boa notícia.

    Agora só falta adquirir 99% para adequar o CFN num nível descente.

  2. Carlos Alberto Soares 20 de julho de 2014 at 10:26 #

    Reiterando, total respeito ao efetivo.

  3. wwolf22 20 de julho de 2014 at 11:22 #

    o radar sera fixado em alguma viatura ??
    consegue identificar drones/UAV ??

  4. Luiz Monteiro 20 de julho de 2014 at 12:46 #

    O CFN receberá até o início de 2015 o total de 30 veículos Piranha III.

    No segundo semestre do ano passado, a MB adquiriu um lote 22 CLAnf iguais aos utilizados pelos Marines e deve, ainda este ano, contratar a modernização das 26 unidades hoje em operação para este novo padrão.

    Foi adquirido uma bateria do sistema Astros (9 veículos), os M113 foram modernizados.

    Foram adquiridos diversos materiais de uso pessoal, tais como, novos coletes, capacetes, joelheiras, cotoveleiras, fuzis, metralhadoras, entre outros.

    Está longe, muito longe do ideal, mas também não é essa desgraceira toda.

  5. Carlos Alberto Soares 20 de julho de 2014 at 14:23 #

    Estimado Comandante Luiz Monteiro,

    Estão ativos ?

  6. Vassili 20 de julho de 2014 at 19:42 #

    Imagino que esta primeira unidade ( o texto não cita a quantidade contratada, mas me levou a acreditar seja 1 unidade) seja destinada a substituir o(s) Giraffe(s) que opera juntamente com os Bofors 40mm………

    abraços.

  7. Carlos André 20 de julho de 2014 at 22:57 #

    Com os BOFI-R e os Mistral, o Giraffe já devia estar bem defasado.

    Agora, que diabos faz uma bateria de Astros na consolidação de uma cabeça de ponte, o CFN já não tem baterias de 105mm (relativamente novas) e de 155?

  8. joseboscojr 20 de julho de 2014 at 23:34 #

    Os Fuzileiros tinham um sistema antiaéreo mais avançado (qualitativamente) que o Exército.
    A combinação Mistral, BOFI-R e radar Giraffe, beira à perfeição no quesito “defesa antiaérea de curto alcance” (SHORAD).
    Os sistemas do EB, compostos pelos mísseis Igla, canhões 40L60, 40L70, Oerlikon 35 mm e pelo sistema EDT-FILA estavam um passo atrás dos sistema dos fuzileiros, mesmo porque pelo que sabe, faltava projéteis 3P para os canhões de 40 mm e os poucos FILA estavam inativos.
    Com as recentes aquisições do EB (Gepard, RBS-70, Saber 60) ele passou na frente do CFN.
    O Pantsir sendo adquirido, deverá equipar tanto o EB quanto, se necessário, o CFN.

  9. joseboscojr 21 de julho de 2014 at 0:37 #

    A possível substituição no CFN do Giraffe pelo Saber M60 é praticamente inócua tendo em vista que os canhões BOFI-R são capazes de operação autônoma em qualquer condição climática, visto possuírem seu próprio radar diretor de tiro.
    No caso do EB, o Saber M-60 não substitui por completo o sistema EDT-FILA, que é essencial para a operação “todo-tempo” dos canhões.
    Em sendo verdade que os EDT-FILA não estão operacionais no EB, seria uma falha grave que deixa a descoberto a defesa de baixa altitude, principalmente à noite/tempo ruim.
    Essa “falha” é coberta com a entrada em operação dos Gepards e provavelmente, no futuro, dos Pantsir, mas sem o FILA os vetustos canhões de 40 e 35 mm seriam relegados à defesa diurna com tempo bom.
    Em nosso TO isso ainda é tolerável.

  10. wwolf22 21 de julho de 2014 at 9:16 #

    o Radar M60 serve também como designador de alvos ???
    se sim, qual eh o máximo de “equipamentos” que ele pode dar suporte instantaneamente ?!?! Poderia “conectar 12 canhões bofors em um radar apenas ?!?!

  11. Colombelli 21 de julho de 2014 at 16:04 #

    Carlos André, a possibilidade de o CFN ser usado como força anfíbia é remota. Qualquer cenário de conflito imaginável na AL eles seriam empregados em 99,9% dos casos como infantaria convencional. Dai se justifica o Astros.

    Wolf o SABER é radar de alerta, não de direção de tiro. Quando há diretor, normalmente são apenas dois canhões por radar.

    O uso do Pantsyr se justificará pela marinha na proteção de portos e eventualmente da nova base de submarinos e outras instalações. Ad exemplum, uma guerra no sul do país demandaria proteção a pelo menos três portos.

    Bosco, creio que o FILA é usado so com o L70. O 35 mm usa o Superfladermaus.

    Ainda acho importante ter alguns canhões apontados a olho, pois radar é chamariz de misseis e possibilita o lote da posição.

  12. MO 21 de julho de 2014 at 16:55 #

    em tempo =

    http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2014/07/manobras-em-16072014.html

    5 ships / 7 photos

  13. joseboscojr 21 de julho de 2014 at 18:40 #

    Wwolf,
    Complementando o que disse o Colombelli, o Saber 60 não se presta à direção de tiro de canhões, que exige uma precisão bem maior, mas pode servir para a designação de alvos de mísseis autônomos.
    Por ser 3D, o Saber M60 poderia ser adotado para designar mísseis de orientação autônoma, como por exemplo o SLAMRAAM, Derby, Python, etc.
    Mas isso não acontece e ele não foi integrado a nenhum sistema até o momento e nem se especula sobre isso. Mas é possível.

  14. joseboscojr 21 de julho de 2014 at 20:05 #

    Colombelli,
    Achava que o Superfladermaus estivesse aposentado e sido substituído pelo FILA.

  15. MO 21 de julho de 2014 at 20:07 #

    ow o Dallas ta ai nos merrrrrrrmao e ninguem viu/ouviu/falou/sabia ?????????????????????????
    sim o SSN 700 aquele que deu corrida em uma certo Typhoon ficticio no sinema

    Ahh como comida de bola pouca é bobagem, tem mais dois um Astute um Francelico tbm 3 NUKES !!!!!!

  16. Colombelli 24 de julho de 2014 at 16:46 #

    Bosco, ao que sei só o 40mm usa o FILA e nem tem pra todos.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Em fórum na Fiesp, Estado-Maior da Armada destaca a importância da indústria em projetos da Marinha

Por Dulce Moraes e Alice Assunção, Agência Indusnet Fiesp Representantes do órgão apresentam projetos em desenvolvimento e formas de financiamento. […]

Navios-patrulha do Brasil e da França em operação contra pesca ilegal

Segundo nota divulgada pelo Ministério da Defesa da França nesta segunda-feira, 20 de outubro, o navio-patrulha La Capricieuse da Marinha Francesa […]

Rússia diz que submarino ‘misterioso’ na Suécia é da Holanda, mas holandeses negam

A Rússia foi acusada de ter enviado o submarino ao local, mas negou. Porém, segundo jornal sueco, a Holanda também […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]

Suecos investigam presença de submarino estrangeiro perto de sua capital

Submarino estrangeiro estaria operando no Arquipélago de Estocolmo, do qual faz parte a capital da Suécia, o que levou ao […]

Mora em Brasília ou está na cidade? Então experimente um simulador da Marinha

Simulador de Aviso de Instrução, utilizado pelos aspirantes da Escola Naval no Rio de Janeiro (RJ), além de maquete da […]