Home Noticiário Internacional Na Venezuela, prontificação do patrulheiro ‘Comandante Eterno Hugo Chávez’ fica para 2016

Na Venezuela, prontificação do patrulheiro ‘Comandante Eterno Hugo Chávez’ fica para 2016

413
4
Comandante Eterno Hugo Chávez
Comandante Eterno Hugo Chávez

A empresa Diques y Astilleros Nacionales (Dianca), de Puerto Cabello, na Venezuela, remarcou para o fim de 2016 a prontificação do navio de patrulha de litoral Comandante Eterno Hugo Chávez (GC-24).

Um ano atrás, a previsão era de que a embarcação, de 1.700 toneladas (a plena carga) – dois canhões (um Oto Melara de 76mm) e duas metralhadoras pesadas –, fosse entregue à esquadra venezuelana até dezembro de 2015.

Essa unidade teve quase toda a sua estrutura produzida pelo estaleiro espanhol Navantia, mas o falecido presidente Hugo Chávez exigiu que ela fosse terminada na Venezuela.

O navio vem sendo construído desde 2007, e é o último da classe Avante 1400 que resta à Armada Bolivariana da Venezuela receber. Seu primeiro nome de batismo foi Tamanaco, mas essa denominação foi substituída quando o governo Maduro decidiu homenagear Chávez.

A embarcação é formada por 12 blocos, 11 dos quais foram fabricados na Espanha. O 12º bloco ficou reservado ao estaleiro venezuelano. Ele começou a ganhar forma em maio de 2009, época em que teve lugar, nas dependências da Dianca, a cerimônia de corte da primeira chapa de aço da chamada seção 103.

PC 22 Warao da Venezuela - foto Nunão - Poder Naval
Navio-patrulha venezuelano “Warao”, de 2.500 toneladas, atracado no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro

 

Warao – No fim de 2008, ante relatórios da Navantia que informavam a conveniência de o navio ser terminado na Espanha – em função da falta de preparo técnico da empresa venezuelana –, o presidente Chávez exigiu que a finalização do barco acontecesse em seu país.

O presidente ameaçou o governo espanhol com uma retaliação aos seus interesses na Venezuela, e argumentou que apenas exigia o que ficara acertado em novembro de 2005, quando da formalização da espetacular encomenda feita pelos venezuelanos à Navantia (a maior de Caracas a um estaleiro estrangeiro em toda a história da Venezuela): quatro navios-patrulha oceânicos tipo Avante 2400, de 2.500 toneladas (desenho equivalente ao de uma corveta), e quatro embarcações tipo Avante 1400.

Dois oito navios, apenas seis estão em atividade.

O Comandante Eterno Hugo Chávez vem tendo o seu término sucessivamente postergado, e o navio-patrulha Warao, um Avante 2400 que se acidentou defronte ao litoral do estado do Ceará, está há quase três anos “em conserto” no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro.

Contudo, o Poder Naval pôde apurar que já não há mais problemas técnicos a serem equacionados. O que parece faltar é disponibilidade financeira dos venezuelanos para resgatar seu navio.

4 COMMENTS

  1. nao sabia que Eterno era o primeiro nome do Chavez …

    na Coreia do Sul, um navio destes é entregue em até 24 meses, 9 anos ta bom para o padrao Venezuela, parabens para os hermanos pela montagem das pecas enviadas pela Espanha.

    Apos tantos anos, a garantia de fabrica ja era, e os problemas estruturais e de corrosão ja devem ser significativos, especialmente se o navio esta na agua.

    Quanto ao projeto ser ainda atual … a Navantia ja tem coisa vem melhor a oferecer.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here