Home Marinhas de Guerra Navio de Socorro Submarino Felinto Perry – K 11 segue rumo à...

Navio de Socorro Submarino Felinto Perry – K 11 segue rumo à Argentina

10413
130
NSS Felinto Perry

Segundo a mídia argentina, o navio é um dos disponibilizados pela Marinha do Brasil para participar da operação de resgate do submarino ARA San Juan

Segundo o site de monitoramento de navios Marine Traffic, o Navio de Salvamento Submarino Felinto Perry da Marinha do Brasil estava no meio da Baía de Guanabara no momento da publicação deste post.

De acordo com a mídia argentina, o navio está entre as unidades brasileiras que serão enviadas para auxiliar na operação de busca e resgate do submarino ARA San Juan.

O Navio de Salvamento de Submarinos Felinto Perry – K 11, ex-Holger Dane, ex-Wildrake, foi adquirido pela Marinha do Brasil em novembro de 1988, junto a Rederiet H. H. Faddersbjll A/S, onde era usado como Navio de Salvamento em campos de petróleo no Mar do Norte, para substituir o NSS Gastão Moutinho – K 10.

O Felinto Perry é um navio de apoio completo. Como Wildrake, a serviço do Armador Anders Wilhelmsen & Co., de Oslo, onde tinha o Código Internacional LKAW, era classificado pelo DNV (+1A1) para operações de Apoio a Mergulho, Reboque, Abastecimento (Supply), Combate a Incêndio categoria II, Recuperação de Óleo.

Com seus Equipamentos de Apoio ao Mergulho, o Felinto Perry é capaz de conduzir mergulhos saturados até 300 m de profundidade. Tem Sino Atmosférico de Resgate (SAR) capaz de efetuar resgate até uma profundidade de 300 m, câmara de recompressão com capacidade para 8 mergulhadores, sino de mergulho de transporte, veículo de operação remota, com câmaras de vídeo, manipulador e sonar.

O navio também possui Equipamentos de Manobra, Fundeio, etc, como sistema de posicionamento dinâmico Kongsberg AOP 503 Mk II, que controla automaticamente o leme e os propulsores (dois eixos, dois hélices transversais avante e dois a ré), de maneira a posicionar dinamicamente o navio em relação a um ponto de referência e tem também um guindaste para 30 toneladas e um guindaste de 3 toneladas.

Clique na imagem para ampliar

130
Deixe um comentário

avatar
117 Comment threads
13 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
50 Comment authors
Alexandre GalanteRafael OliveiraElaineMsouzaXO Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Jorge Augusto
Visitante
Jorge Augusto

Será que a Argentina não aceitou a ajuda? O que pode ser?

Leonardo M.
Visitante
Leonardo M.

Esse é o retrato de nossa MB, passear pela baía de Guanabara e desfilar.

João
Visitante
João

Rademaker está indo em direção da Argentina

OverandOut
Visitante
OverandOut

Quanto tempo demoraria para chegar até a área de busca?

Ronaldo de souza gonçalves
Visitante
Ronaldo de souza gonçalves

Argentina deve pedir sim, se não terá que pedir proEUA,ou pouco provável reino unido.Eu suponho que eles não tem um navio deste e num caso deste tempo e crucial.Tomará que não aconteça nada de pior e o que desejamos.

Celso
Visitante
Celso

O pior ja aconteceu, mas dai acredito q nosso Felinto nao ira apoiar qualquer resgate…a questao eh o tempo ja passado 72 hs. Alem disso, levara pelo menos mais uns 4 dias de navegacao ate poder chegar em area provavel. Sendo assim e levando em conta q a ajuda dos USA com equipamento bem mais moderno e que poderia em tese ser levado ao local em questao de horas por C 17. Enfim…tbm acho q nosso navio nao esta 100 % disponivel operacionalmente e com pessoal preparado. Minha opiniao.

Alex Nogueira
Visitante
Alex Nogueira

Não entendo, gastam milhões para comprar submarinos e não gastam para comprar navios de resgate… Navios de resgate deveriam ter desempenho máximo, poderia ter turbinas auxiliares para velocidades de 28, 30 nós em caso de emergência… aff vai entender…

Augusto
Visitante
Augusto

A questão não é se a Argentina pediu ou não o meio. O fato é que é obrigação moral do Brasil deslocar o navio para a fronteira e deixá-lo à disposição, apenas aguardando autorização para adentrar o mar territorial argentino. O mesmo serve para os nosso P-3. Já deveriam estar no sul do Brasil.

Rogério Rufini
Visitante
Rogério Rufini

A acho que é tarde,

Ozawa
Visitante
Ozawa

Possivelmente localizaram sinais do naufrágio e agora o K11 está fundeado esperando ordens para demandar a saída da baía de Guanabara. Não acho outra explicação pra isso. Seja para recolher sobreviventes, vítimas ou respostas.

Ádson
Visitante
Ádson

Marinha de almirantes de banquete.

BrunoFN
Visitante
BrunoFN

”Problemas técnicos” . até o fim do dia devem partir .. junto com ele mais um navio eu acho

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique

Começou a se mover

Audax
Visitante
Audax

Está prestes a sair da boca da Barra agora. Estou com ele no visual. Agora acho que está indo para o local de buscas. Tomara que consiga ajudar. Nobre missão.

Salomon
Visitante
Salomon

Há 2 dias já tinha de ter suspendido rumo ao sul, enquanto o MRE e MinDef tratavam com o governo argentino. São seres humanos e nossos colegas expostos a uma morte horrorosa. Não é o momento para firulas pseudo-nacionalistas.

Audax
Visitante
Audax

Imagino o barata voa que foi acionar todos os tripulantes e preparar tudo para ontem. Quando se sabe a situação dos submarinos de sua marinha é uma coisa, mas ser acionado com um imprevisto é uma situação bem complicada.

Carlos Alberto Soares
Visitante
Carlos Alberto Soares

É incrível como se fazem perguntas e afirmações babacas com vários comentários que já foram postados pelos editores, colaboradores e foristas, inclusive meus.

Leiam caraca ou é preguiça pura ?

Tem a lupinha que ajuda e muito, aliás excelente em matérias e comentários.

Ádson
Visitante
Ádson

O Felinto tinha que ser prioridade na esquadra. Prioritário na manutenção, nos suprimentos, no equipamento e tripulação em dobro, uma tripulação sempre em stand by. Lembrem-se, temos submarinistas também. Caso haja um acidente com um Tupi a 250 mts mandamos o nosso pessoal esperar com calma e respirando pouco até o Felinto se aprontar?

Gabriel OLiveira
Visitante
Gabriel OLiveira

curioso é que um portal de noticias argentino noticiou que o mesmo já estava a caminho e juntamente com ele um C-105 SAR e um P-3 além dos navios oceanográficos do Brasil e a fragata Rademaker que já suspendeu até o local.

Audax
Visitante
Audax

Ádson

Nenhum submarino nosso sai sem que o Felinto esteja em condições. Pode ter certeza disso. Sds.

Erichwolff
Visitante
Erichwolff

A fase atual é a de busca, e não de resgate, portanto, a priori, ele ainda não é necessário…
Mas concordo que deveria esperar por essa fase em um local mais próximo…
Espero ter ajudado

Flávio Henrique
Visitante
Flávio Henrique
Ádson
Visitante
Ádson

Ele está agora saindo da Guanabara, por volta de 1700 nm do área provável do hipotético acidente.É lastimável o tempo de aprontamento de nosso resgate, torna-se quase inútil.

Renan
Visitante
Renan

De quarta até sexta era segredo 48 horas perdidas, de sexta até sábado são 24 horas para aprontar tudo e zarpar é a MB está de parabéns, pois não dever ser fácil aprontar tudo e ir a outo pais para regatar marinheiros.
Tomara que cheguem o mais breve possível e que ocorra tudo bem no translado, pois o mar segundo informações esta revolto.
Boa sorte a todos.
abraços

Leandro Costa
Visitante
Leandro Costa

Toda sorte do Mundo à todos envolvidos no SAR e aos marinheiros argentinos.

Gabriel OLiveira
Visitante
Gabriel OLiveira

Audax 18 de novembro de 2017 at 17:56

Ádson

“Nenhum submarino nosso sai sem que o Felinto esteja em condições. Pode ter certeza disso. Sds.”

Não sou especialista ,sou só um entusiasta,mas vendo essa terrivel situação me pergunto a marinha da Argentina não deveria ter um meio desses como o Felinto para situações como essa ?…
Também me suscitou o fato que eles sofrem com o mesmo descaso por parte dos politicos que a MB sofre,mas isso ai é questão de segurança.

Audax
Visitante
Audax

Quanto a Marinha Argentina não posso falar muito sobre o modus operandi dela. Aqui nossos submarinos sempre que suspendem podem esperar o suporte do Felinto. Se houve algum erro foi na demora dos argentinos a aceitarem e reconhecer a necessidade de ajuda. Como disse, a MB sabe da situação do seus submarinos e está preparada para lidar com isso. Agora quando ocorre o imprevisto tudo é corrido. Acho que eles suspenderam em tempo aceitável para atender a necessidade de los ermanos. Vamos torcer que possam ajudar. Sds

Nunão
Visitante
Nunão

“18 de novembro de 2017 at 18:10 Ele está agora saindo da Guanabara, por volta de 1700 nm do área provável do hipotético acidente.É lastimável o tempo de aprontamento de nosso resgate, torna-se quase inútil.” Adson, com meia dúzia de matérias já publicadas, um monte de comentários, links, explicações de leitores que entendem do assunto, você ainda vem falar de lastimável? As 48 horas sem comunicação do submarino foram completadas de anteontem pra ontem, quando então a Armada Argentina iniciou suas buscas. Com a divulgação, outras marinhas (incluindo a MB) ofereceram ajuda, que precisa ser aceita. A aceitação de protocolo… Read more »

Nunão
Visitante
Nunão

aceitação = ativação

Glasquis7
Visitante

Ontem mesmo comentei que o Felinto Perry não é como um carro de bombeiros que sai dois minutos após o alarme.

Tem que ver em qual situação se encontra o navio no momento da emergência, poderia estar em manutenção, sem provisões, com a tripulação de folga, etc.

Na região apenas a MB tem equipamento de resgate disponível. O Chile tem navio certificado pro resgate mas precisa da capsula de resgate que é americana. O tio Sam tem que enviar o equipamento o que demora no mínimo 36 horas.

Alex
Visitante
Alex

O que já notei nos comentários é que os que mais criticam isso ou aquilo são os que menos entendem do assunto.

Só observando.

Ozawa
Visitante
Ozawa

Esse episódio pela dimensão internacional e circunstâncias naturais se tornará um leading case na área de busca e resgate submarino. Espero que bem sucedido.

Alex
Visitante
Alex

Gabriel OLiveira 18 de novembro de 2017 at 17:55
“curioso é que um portal de noticias argentino noticiou que o mesmo já estava a caminho”

Deve ser o G1 da Argentina.

Gabriel OLiveira
Visitante
Gabriel OLiveira

Alex 18 de novembro de 2017 at 18:47

Gabriel OLiveira 18 de novembro de 2017 at 17:55
“curioso é que um portal de noticias argentino noticiou que o mesmo já estava a caminho”

Deve ser o G1 da Argentina.

Provavelmente deve ser um analogo ao G1,que por citar o G1 suscitou o fato de que hoje desde a manha esta divulgando que o submerssivel teria sido encontrado,coisas de sites que buscam fontes não confirmadas.

jaime
Visitante
jaime

Felinto Perry está a caminho. Neste momento passando em frente ao Leblon. Boa sorte e que consiga efetuar o resgate, caso necessário.

Jorge Augusto
Visitante
Jorge Augusto

Acabou de dar na Record ( não sei se é verdade ou não) que são 3 navios indo para a Argentina e 1 avião.

Mas só vi no MarineTraffic o Rademaker e o Felinto Perry. Qual o outro?

Audax
Visitante
Audax

Glasquis7

Corretíssimo. Quando um meio desses é acionado toda uma cadeia logística entra em ação. Empréstimo de mantimentos de outros navios são enviados e dezenas de situações ocorrem. Boa parte da esquerda é mobilizado para acelerar o processo. Inclusive provavelmente em São Pedro algum helicóptero deve estar de prontidão para ir ao encontro do Felinto se for preciso. Parabéns MB pela presteza. Sds

Ádson
Visitante
Ádson

Nunão, lastimável sim. Um meio de resgate deve sempre estar de prontidão. Em fainas de mergulho além de ficar com todo o equipamento pronto, câmara, cascata, gerador reserva (2) e pessoal de convés, ainda tem o dupla do mergulhador e um terceiro já semi equipado ( o sardinha), além do técnico hiperbárico e um médico hiperbárico de stand by. Ou seja, doutrina de socorro/resgate é assim. O Felinto tinha que ter prioridade sobre toda a esquadra a respeito de manutenção, no caso de suprimentos um contrato “guarda chuva”com alguma empresa que teria x horas para abastecer caso necessário. Além disto… Read more »

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Fico me perguntando, como que um submarino não tem nenhum sistema ou meio independente pra que em casos de emergência como esse seja possível localizar sua posição. Deveria haver algum tipo de mecanismo que em caso de falha que impossibilitasse a subida do meio, de forma automática ou manual, fosse lançada uma bóia com transponder ligada ao submarino por uma corda simples. Não deve ser algo tão complicado.

Aldo Ghisolfi
Visitante

TODA A SORTE PARA OS MARINHEIROS.

RAPIDEZ FELINTO PERRY!

Nunão
Visitante
Nunão

Adson, quando nossos submarinos operam, ele está de prontidão. Já foi postado por outros comentaristas melhor informados sobre isso. É um navio da Marinha do Brasil, cujas operações e estados de prontidão são ajustados às necessidades da nossa Força de Submarinos, assim como um navio do tipo, de outra marinha do mundo, também seria. Não é um navio da Armada Argentina, não tem a prerrogativa de estar de prontidão quando submarinos argentinos estão operando por lá, e sim quando os nossos estão operando por aqui.

Nunão
Visitante
Nunão

Rodrigo, esse tipo de sistema existe, e não é de hoje. Já foi comentado em outra matéria de ontem.

Roberto Messa
Visitante
Roberto Messa

oportunidade importante para ganhar experiencia.

o corpo de bombeiros do rj deveria ir junto.

Rodrigo
Visitante
Rodrigo

Nunão, no San Juan não tem?

jagderband#44
Visitante
jagderband#44

Está na altura do vidigal a 5.8 nós. Lento não?

Nunão
Visitante
Nunão

Deve ter, Rodrigo.

Jagderband44, normalmente quando ainda próximo à costa se segue por canais de navegação / tráfego em velocidades baixas. Em alto-mar se aumenta mais a velocidade, o que também varia pra cada navio.

Ádson
Visitante
Ádson

Roberto Messa 18 de novembro de 2017 at 19:42
Pra que?

Ádson
Visitante
Ádson

Nestas ordenadas tem uma concentração de barcos, inclusive pesqueiros.
S42°55’56.26
W059°26’53.91
(-42.9323, -059.4483)

jagderband#44
Visitante
jagderband#44

Pensei exatamente nesse fator como limitante da velocidade Nunao. Acredito que ao passar na altura da ilha grande a velocidade aumentará.

FRITZ PILSEN
Visitante
FRITZ PILSEN

A ajuda do Brasil consiste no envio de 3 navios (Rademaker, Felinto Perry e Almirante Maximiliano), além de 2 aviões da FAB (1 C-105 e 1 P-3). O Felinto Perry está navegando à 4,1 nós… Nessa velocidade, sei não…