Os ‘bico fino’

d30

CT Pernambuco (classe “Fletcher”)

d35

CT Sergipe (classe “Allen M. Sumner”)

ct-marcilodias-g

CT Marcílio Dias (classe “Gearing”)

Os navios de guerra modernos estão cada vez mais sem graça, com a adoção do design “stealth”. Pelo menos essa é a opinião dos que conheceram de perto os classe “P” ou “Bico Fino”, como eram apelidados os clássicos contratorpedeiros das classes “Fletcher”, “Allen M. Sumner” e “Gearing”, que a Marinha do Brasil recebeu dos EUA, durante o programa MAP (Military Assistance Program), a partir do final da década de 1950.

Esses navios começaram suas vidas na Segunda Guerra Mundial, muitos participaram da Guerra da Coréia, os últimos do Vietnã e passaram por diversas modernizações antes de serem transferidos ao Brasil.

Eram navios que tinham alma e cara de guerreiros. Movidos a vapor e dotados principalmente de canhões de 127mm (5 polegadas) de duplo emprego, os CTs foram os principais navios de guerra da Marinha do Brasil por mais de 20 anos. O último deu baixa em 1997 e, infelizmente, nenhum foi preservado como museu.

Clique nas imagens abaixo para ver o folheto da Força de Contratorpedeiros da década de 1980, que era dado aos visitantes quando os navios ficavam abertos ao público, em operações pelo litoral do país.

folheto-forct-1

folheto-forct-2

NOTA do BLOG: Para mais informações históricas sobre nossos contratorpedeiros, acesse o NGBNavios de Guerra Brasileiros, clicando aqui.

DGMM reúne almirantes para discutir orçamento e planos de contingência

F Bosísio (F 48)

  O diretor geral de Material da Marinha, almirante Luiz Guilherme Sá de Gusmão, reúne sua equipe de almirantes esta […]

Precisamos, para já, de 4 (bons) navios usados

maestrale

  Roberto Lopes Editor de Opinião da Revista Forças de Defesa e autor do livro “As Garras do Cisne” Parece […]

Navio-veleiro Cisne Branco aberto à visitação em Santos neste final de semana

Cisne Branco (2)

A Capitania dos Portos de São Paulo informou em nota à imprensa que o navio-veleiro Cisne Branco da Marinha do […]

Marinha peruana estuda três opções para renovar sua força de superfície

DE_LA_PENNE__5____a

  Não é só a Esquadra brasileira que necessita equacionar a renovação de sua força de superfície em um cenário […]

Cerimônia de incorporação do Navio de Pesquisa Hidroceanográfico ‘Vital de Oliveira’ à Marinha do Brasil

Vital de Oliveira - 1

  Em uma cerimônia de batismo, mostra de armamento e transferência para o setor operativo, o Navio de Pesquisa Hidroceanográfico […]