Depois de parar na justiça federal em 2008, por suspeitas de vazamento de prova, (conforme matéria publicada no Poder Naval) o concurso de seleção para praticantes de prático, ministrado pela Diretoria de Portos e Costas, da Marinha do Brasil, está novamente gerando polêmica entre candidatos no concurso realizado em 2013.

O presente concurso está sendo ameaçado por três ações judiciais e um inquérito público civil, este último com o objetivo de apurar indícios de favorecimento de categorias privativas no critério de pontuação da prova de títulos divulgado no seu edital de realização, publicado em novembro de 2012.

Desta vez, vários candidatos relataram que no último concurso, o gabarito definitivo, divulgado após um período de revisão dos 1332 recursos recebidos, não trouxe nenhuma revisão das questões que continuam com erros graves de língua portuguesa, traduções equivocadas do inglês e ainda com respostas que violam o regulamento internacional para evitar abalroamento no mar (RIPEAM). Além disso, violam também normas da capitania dos portos e o prescrito no Roteiro, que é uma publicação da DHN que complementa as informações encontradas nas cartas náuticas para prover uma maior segurança à navegação .

Em 2008, ocorreram 5 anulações e 3 mudanças no gabarito preliminar, 11% do potencial de avaliação da prova desperdiçado em erros e correções.  Em 2011, esta média se manteve, porém nos dois concursos anteriores o gabarito final corrigiu a maior parte dos erros, mas mesmo assim não evitou ações judiciais isoladas dos candidatos que se sentiram prejudicados.

No concurso realizado em 2013, candidatos relatam que quase 20% das questões da prova precisam ser recorrigidas e caso isso não ocorra, já estão se organizando para uma ação conjunta para resolver o problema judicialmente.

Segundo uma fonte, cerca de 25% dos candidatos aprovados neste concurso já são práticos efetivos ou praticantes de práticos que almejam mudar de localidade, além de marítimos,  militares da Marinha, comandantes de navios mercantes ou civis muito bem preparados para o concurso.

SAIBA MAIS:

Tags: , ,

Ex-tripulante da fragata Niterói (F40), jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

5 Comentários para “Divergências no concurso de seleção para praticantes de prático em 2013”

  1. Giordani 25 de fevereiro de 2013 at 8:24 #

    Sempre isso…já está ficando repetitivo…mas onde há fumaça…

  2. Paulo 25 de fevereiro de 2013 at 10:54 #

    Sujeira, os Oficiais da MB estão tentando melhorar suas vidas e quando não passam no concurso são impedidos de realizar EGN

  3. Gabriel J. 25 de fevereiro de 2013 at 15:44 #

    Isso tem que acabar! As provas desses processos são sempre feitas e revisadas sem cuidados….Absurdos que depõem contra a Marinha; fazendo com que haja muita desconfiança. O processo necessita ser bem feito! E o pior que são questões de domínio da Marinha, o que envergonha e expõe a Instituição.

  4. X.O. 26 de fevereiro de 2013 at 11:05 #

    Epa, com relação à EGN, não tenho conhecimento de ninguém “gongado” na CPO por causa de concurso extra-MB… o que já houve foi exoneração de cargo. Não custa lembrar que só cursa EGN (CEMOS) quem tiver aprovação no exame de seleção.

  5. Fabio 26 de fevereiro de 2013 at 14:32 #

    A Marinha sempre comete irregularidades nesses concursos, sobre a argumentação de que tudo pode fazer em nome de uma suposta segurança da navegação que nem ela mesmo cuida, haja vista as desatualizadas publicações existentes. Quando todos os candidatos que fizeram a prova reclamam, há algo errado. Diria muito errado!

Deixe um comentário

É necessário estar logado para postar um comentário. Para ter acesso aos comentários, você precisa adquirir nossa revista Forças de Defesa e solicitar aos editores um login e senha de cortesia.

Marinha dos EUA compra helicópteros usados do Japão

Mh-53E Sea Dragon Port-au-Prince

A Marinha dos Estados Unidos (USN) adquiriu dois helicópteros usados MH-53 Sea Dragon, além de outros sobressalentes, que pertenciam às […]

Crise derruba verbas e cronograma do projeto AF-1B; 2ª aeronave só em 2016…

AF-1M

  Roberto Lopes Editor de Opinião da Revista Forças de Defesa As restrições orçamentárias que se abateram sobre a Marinha […]

Reforma do AMRJ: no futuro, Oficina de Submarinos servirá à construção de navios de superfície

NAPAOC Amazonas no AMRJ - foto V Cardoso

A Marinha já traça planos para as áreas do seu Arsenal, no Rio de Janeiro (AMRJ), que ficarão liberadas de […]

Marinha suspende até setembro execução do contrato que rege construção da classe Macaé

Navio-Patrulha Macaé

  A Marinha do Brasil suspendeu, até a terceira semana do mês de setembro, a execução do contrato nº 45000/2008-004/00, […]

Guerra entre China e EUA pode ser inevitável, segundo jornal chinês

bandeira da china

Uma semana depois de a Marinha chinesa ameaçar um avião americano que operava voos de reconhecimento em águas internacionais, o […]