N/M ‘Sebastião Caboto’ / PPOK – O mais moderno navio nacional

N/M ‘Sebastião Caboto’ / PPOK – O mais moderno navio nacional

300
9
SHARE

sebastiao-caboto-9602875-PPOK--3800teusml-17-03-13-6 copy

Escalou pela primeira vez em Santos a mais nova unidade da Marinha Mercante nacional. Na chuvosa tarde de domingo, dia 17/03, atracou no Tecon 2 o porta container “Sebastião Caboto“, incorporado em 7 de janeiro em Shanghai, P.R.C., onde foi construído.

Primeira de uma série de quatro embarcações da mesma classe, sob encomenda do armador  Hamburg Sudamerikanische Dampfschifffahrts Gesellschaft KG, Hamburg, Alemanha ( Rudolf A Oetker KG, Hamburg, Alemanha) e transferidos para afretamento a casco nu para a sua subsidiária, Aliança Navegação e Logística Ltda., Rio de Janeiro.

sebastiao-caboto-9602875-PPOK--3800teusml-17-03-13-13 copy

A embarcação de 52,065 dwt, 228 m de comprimento e 37,2 m de boca tem capacidade para transportar .800 teus, incluindo 500 unidades frigoríficas e desenvolve velocidade de cruzeiro de 20,50 nós.

Originalmente de bandeira liberiana, recebeu o pavilhão e guarnição nacional em março de 2013 em Manaus/AM.

Para ver mais imagens e  mais informações sobre o navio:

sebastiao-caboto-9602875-PPOK--3800teusml-17-03-13-19 copy

Fotos: Marcelo ‘MO’ LOpes – 17/03/2013

9 COMMENTS

  1. Lembram-se do Atlantico Sul (G 40), olha ele aqu navegando como “Maestra Atlântico”

    Legal MO.

    Realmente eu não saiba que destino ele tinha tomado.

    Agora e torcer para a MB ter um ApLog de verdade.

  2. Poggio e Ostra, qual é a história desse “Atlântico Sul”? Vi no NGB que foi incorporado à MB em 2001 e dado baixa em 2005… não prestava nem como quebra galho?

  3. Eu particularmente acho que com as quantidades de cargas transportadas pela MB ele seria superdimencionado, ainda mais pela pouca utilização de carga conteinerizada. Se a MB / pais operasse com maior frequencia e transporte de carga word wide ou mesmo haiti, africa, ai sim …, em resumo era muito navio para pouca coisa

    Extraoficialmente o navio foi adquirido pela MB em uma transação não muito ortodoxa (ou pelo menos é o que rola sobre – digo as condições, como, interesse e preço e por ai vai …) para que entao a estatal Lloyd Brasileiro nao perdesse o navio via arresto judicial devido a problemas trabalhistas, ficou cozinhando na MB até que foi adquirido pela Norsul, virando Norsul Atlantico, mas tbm não fizeram praticamente nada com o navio, so trocando o AMRJ pela Baia de Guanabara, quando foi adquirido pela NTL Navegacao e Logistica SA (Maestra) que finalmente recondicionou o navio para voltar a operação e hoje ele navega pela maerstra afretado pela NYK de Tokyo fazendo a cabotagem das cargas deles

  4. meu amigo, eu me impressionei e olha que full container é o porta buneca dos de carga, muito bonito mesmo, qdo vc ver ele ai nos merrrrmao vc irá se impressionar !!!

Deixe uma resposta