Rússia e China discutem exercícios navais futuros.

Rússia e China discutem exercícios navais futuros.

199
5
SHARE

Russian_Battle_Cruiser_Pyotr_Velikiy

Após a participação do cruzador Pyotr Veliky, da Marinha russa, e da fragata Yancheng, da Marinha do Exército de Libertação Popular da China, na escolta do primeiro carregamento de armas químicas para fora da Síria, as Forças de ambos os países agora discutem a realização de futuros exercícios conjuntos.

Segundo informações do Ministério da Defesa russo, um grupo de oficiais da Marinha teria se reunido com com a contraparte chinesa à bordo da Yancheng ontem (19) para discutir a possibilidade de manobras táticas conjuntas na região do Mediterrâneo. “Esses exercícios podem ser realizados em um futuro próximo, como parte do esforço para aprimorar a capacidade operacional entre navios de guerra russos e chineses durante operações conjuntas no leste do Mediterrâneo”, afirma o ministro Sergei Lavrov em comunicado oficial. Ainda segundo o informe, seriam praticadas ações de contraterrorismo e resgate no mar.

No último dia 07, o cruzador Pyotr Veliky e a fragata Yancheng asseguraram a passagem segura do cargueiro dinamarquês que transportava armas químicas retiradas da Síria para serem destruídas. Foi a primeira interação direta entre as Marinhas russa e chinesa em uma missão. O Capitão-de-Mar-e-Guerra Pyshklov, responsável pela força naval russa no Mediterrâneo, elogiou o desempenho do navio chinês durante a operação. Os elogios foram correspondidos pelo comandante da Yancheng, Capitão-de-Mar-e-Guerra Li Pengcheng.

U436P4T426D170593F16470DT20130130142810

Em julho do ano passado, Rússia e China realizaram um exercício naval conjunto de três dias, o Naval Interaction-2013, nas águas próximas a Vladivostok. As manobras forma  as maiores realizadas pela Marinha do ELP em termos de efetivo enviado para além das águas territoriais do país. Participaram sete navios chineses, incluindo quatro contratorpedeiros, duas fragatas e um navio de reabastecimento. Foram realizadas manobras de defesa antiaérea, reabastecimento, guerra antissubmarina, e simulação de resgate de um navio sequestrado.

As Marinhas da Rússia e da China realizam exercícios regulares em parceria desde 2005, dentro jurisdição da Shanghai Cooperation Organization (SCO). O Naval Interaction-2013 foi o segundo evento fora da área que a SCO abrange. Nos últimos anos, a China participou de uma série de exercícios na região do Pacífico e do Oceano Índico, assim como operações terrestres na área gerenciada pela SCO.

FONTE: The Voice of Russia (tradução e adaptação do Poder Naval a partir de original em inglês)

5 COMMENTS

  1. Só complementando, o cargueiro dinamarquês transportando armas quimicas sirias irá entrega-las ao
    navio da Adm Maritima dos EUA, o “Cape Ray” que encontra-se na Itália, este sim devidamente equipado para neutralizar componentes usados em armas quimicas.

  2. A MB está preparando um grande exercício Naval também.

    Com o Uruguay e a Argentina.

    “Nunca antes na história desse país” !

Deixe uma resposta