Home Operações Aeronavais FOTO: Ressuprimento vertical do destróier USS ‘Dewey’ (DDG 105) por helicópteros Seahawk

FOTO: Ressuprimento vertical do destróier USS ‘Dewey’ (DDG 105) por helicópteros Seahawk

215
15

140924-N-TP834-097

Na foto, o destróier de mísseis guiados USS Dewey (DDG 105), da classe “Arleigh Burke”, conduz uma faina de ressuprimento vertical (VERTREP) com helicópteros MH-60S Seahawk. O Dewey faz parte do Grupo de Ataque do navio-aeródromo USS Carl Vinson, que está desdobrado na área de responsabilidade da 7ª Frota, apoiando a segurança e a estabilidade na região Indo-Ásia-Pacífico.

FOTO: US Navy

15 COMMENTS

  1. Hummmm …. SH-60 Seahawk.

    Fosse uma Kombi.

    Esses uzamericanu marvado sabem mesmo fazer um MKT.

    FOTO: US Navy

    Quem tem …. tem …..

  2. Se você está falando da imagem do lado esquerdo da chamada “cabeça” da página do site, trata-se do NAe São Paulo, ilustrando a época em que realizava comissões com frequência na MB, mais ou menos há dez anos, antes do acidente de 2005 (pode-se ver até mesmo um contratorpedeiro classe Pará / Garcia na imagem, que ainda operava à época retratada).

  3. Fotos de Seahawk = Lamúrias sobre o EC-725

    Tadinha de nossas FAs…entubadas!

    300 mil militares e ninguem se opôs à compra!

    E olha…estão usando o heli!

    E olha..o problema do rotor está sendo resolvido!

    E olha..tudo isso veio a publico! ninguém escondeu pra debaixo do tapete!

    Conversinha cansativa!

  4. Não que faça muita diferença até porque muitas fotos que a US Navy publica possuem erros na legenda, mas, trata-se de um MH-60S e não SH-60.

    Provavelmente pertence ao esquadrão baseado em Guam
    onde exercicios foram realizados recentemente e com a conclusão dos mesmos dias atrás, o USS Carl Vinson
    continuará viagem até seu destino, Mar da Arábia onde substituirá o USS George Bush.

  5. phacsantos
    28 de setembro de 2014 at 9:29 #

    Muito obrigado!

    Já me sentia solitário demais no trilogia, por ter exatamente a mesma visão de todos os seus “E olha”. Até que enfim, um.

    Um abraço.

  6. Parabéns, continem pensando assim, a corrupção agradece com palmas a vocês dois.
    Realmente, cada povo tem os governantes que merece.
    No Btrasil isto está mais que comprovado.

    Grande abraço

  7. Prezado Juarez,

    Não quero sair do tópico e levar “pito”, mas vou fazer o último comentário off neste post:

    Não digo que o heli francês é melhor ou igual ao americano. Até acredito que não o seja.

    O fato é que há anos atrás ele foi comprado, com ToT e montagem de fábrica.
    Foi mal negociado? Acordos não passam por uma única canetada do presidente!
    Há o TCU, o Legislativo, Ongs, OABs, Militares, Comissões, etc
    Ninguém se opôs a ponto de interromper as negociações porque era um mau negócio!

    Outro fato é que hoje esses helis estão voando, transportando a própria presidente inclusive!

    Temos uma fábrica, estão nacionalizando (parafusos que seja) e não ouvi falar de qualquer acidente/incidente com o dito cujo.

    Agora, aparece notícia do Blackhawk (QUE EU, LEIGO, ACHO UM P… HELI) e o povo começa a choramingar..

    Cansa.

    E sim, o Brasil PRECISA de melhores governantes…independentemente do heli que os vai transportar!

    Abraços

  8. Phacsantos! Respeito teu ponto de vista, mas não concordo com algumas colocações.
    Este negócio é ruim ,muito ruim ,ma como tu bem colocaste, isto aqu,i neste tópico, é off topic.

    Grande abraço

    PS Se, por ventura quiseres saber um pouco mais sobre o assunto segue abaixo o meu contato:

    juarezmartinez@uol.com.br

  9. Oi juarez,

    Só mais um golinho no offtopic:

    Façamos então o exercício do contraditório: Estaria a fabricante do BH e o governo de seu país de origem de acordo com um projeto que prevê transferência de tecnologia e incorporação de capacidade local na engenharia e fabricação, com possibilidade de expansão para outros mercados regionais e exploração do mercado interno civil?

    No meu ponto de vista, o EC-725 é o único que cabe nessa configuração. Descontando as cópias baratas chinesas de qualquer coisa que voe… 🙂

    Agora, olhando pelo ponto de vista apenas do equipamento e da missão, que justifica a compra diretamente da fábrica, mantendo apenas unidades de manutenção básica local, o EC-725 é um crime.

    Mas nesse ponto de vista também é importante frisar que se abre mão do fato que pode-se tirar proveito social, industrial e intelectual através da compra de equipamentos militares. E eu acho esse crime maior que o do EC-725.

    Forte abraço.

  10. Leonardo! Seguinto o teu off topic….

    As empresas que então partiicpavam do processo seletivo da FAB para aqusição de até 12 helicópteros utilitários que substituiriam os veneraveis UH1H não foram sequer consultadas sobre a possibilidade de o governo federal adquirir até 50 células, muito pelo contrário, todas ficaram sabendo do negócio através da imprensa.
    Eu tenho certeza absoluta que em tempos de cortes no orçamento militar americano, a Sikorski viria com uma proposta muito interessante, talvez algo parecido com o que fez na Polônia, o mesmo aconteceria com a Augusta,pois as coisas não andam nada boas na Europa e estavam pior ainda naquele momento.
    Peredemos a chance de negociar melhor, de ter algo que realmente se encaixasse no ROs das três forças, até porque nem o EB e nem a MB tinham requisitos para uma aeronave de asas rotativas com estas características naquele momento.
    O EB mal consegue manter o que tem em condições operacionais e MB tinha prioridade na substituição dos Sea King que estavam indo para banha e precisavam de um novo vetor ASW, missão esta que o EC 725 não faz.
    então de repente e naão mais que de repente aparece o EC725 de paraquedas…..e jesuixxx viu tudo…..

    Grande abraço

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here