SHARE

Marinheiros brasileiros na cerimônia oficial de entrega do Amazonas

O Concurso Público de Admissão às Escolas de Aprendizes-Marinheiros 2016 vem com novidades: o ensino médio passa a ser requisito e os aprovados terão formação técnica dentro da Marinha. A previsão é de 1.340 vagas e a data de divulgação do edital ainda será definida. Os rendimentos iniciais são de R$1.617, chegando a R$2.500 após três anos.

Os interessados devem ser brasileiros natos ou naturalizados, solteiros, do sexo masculino e terem entre 18 e menos de 22 anos no dia 1º de janeiro de 2017.

Escolha da área no ato da inscrição
Na inscrição, a novidade é que o candidato deverá escolher uma entre três grandes áreas para trabalhar futuramente: Apoio, Eletroeletrônica ou Mecânica. Durante três anos, o militar atuará em uma dessas três áreas como Marinheiro Especializado. No terceiro ano, ele escolherá uma especialidade dentro da área escolhida. São elas:

  • Eletroeletrônica: Armamento, Armamento de Aviação, Aviônica (Aviação Naval), Comunicações Interiores, Comunicações Navais, Controle Aéreo, Direção de Tiro, Eletricidade, Eletrônica, Faroleiro, Hidrografia e Navegação, Operador de Radar, Operação de Sensores de Aviação e Operador de Sonar.
  • Mecânica: Caldeiras, Carpintaria, Estrutura e Metalurgia de Aviação, Hidráulica de Aviação, Manobras e Equipamentos de Apoio de Aviação Máquinas, Mecânica, Metalurgia, Mergulho, Motores e Motores de Aviação.
  • Apoio: Arrumador, Barbeiro, Cozinheiro, Enfermagem, Escrita, Manobras e Equipagem de Aviação, Manobras e Reparos, Paiol e Sinais.

Ao final do terceiro ano, após o curso de especialização com duração de um ano, o Marinheiro será nomeado Cabo, recebendo diploma de formação técnica dentro da área escolhida, reconhecida pelo MEC, com remuneração de cerca de R$ 2.500.

Etapas do Concurso: provas têm novas disciplinas
Com a mudança de escolaridade, a disciplina de Ciências foi substituída por Física e Química. Já Português e Matemática continuam no conteúdo programático. As demais etapas permanecerão as mesmas, como as Verificações de Dados Biográficos, de Documentos, a Inspeção de Saúde, o Teste de Aptidão Física (natação e corrida) e a Avaliação Psicológica.

O Curso de Formação contará com duas etapas: formação militar-naval como Aprendiz-Marinheiro e a novidade é que, na segunda fase, já como grumete, o aluno fará curso especialização inicial em uma das três áreas escolhidas. A duração será de 48 semanas e será realizado nas Escolas de Aprendizes Marinheiros de Florianópolis, de Fortaleza, de Recife e de Vila Velha. Durante todo esse tempo, o aluno recebe uma bolsa-auxílio de R$790.

SERVIÇO
Concurso Público de nível médio – Admissão às Escolas de Aprendizes-Marinheiros
Edital: data a definir
Informações à imprensa: comsoc@densm.mar.mil.br
Site: www.ingressonamarinha.mar.mil.br

60 COMMENTS

  1. Qualificação da mão de obra, bom para a força e ainda mais para a iniciativa privada, destino cada vez mais comum, para boa parte dos cérebros desenvolvidos nas forças.

  2. Não volto pra Marinha por nada desse mundo!
    Foram quase 7 anos de humilhações e atraso de vida.
    Vender pipoca na praia é mais digno do que colocar o branco e ser tratado com um burro de carga!
    Desejo boa sorte para quem quer se arriscar nessas águas tenebrosas!
    Outra coisa se eu tivesse a cabeça de hoje tinha processado muitos covardes e canalhas que se acham deuses!

  3. Correto, Carlos… e devem ser acrescentados aqueles que vão cursar o C-Esp (Cabo)… ou seja, é uma questão de fluxo de carreira… abraço a todos…

  4. O gente inteligente!! Esse lixo que é a marinha, continua a mesma imundice de sempre, a única diferença é que agora precisa do ensino médio pra ser burro de carga, babá de velha guarda, limpador de privada, faxineiro do mestre, do recruta, do paisano etc…
    Tudo vai continuar do mesmo jeito de sempre.

  5. Na verdade tem gente de menos, que são supridos por militares da reserva cumprindo tarefa por tempo certo e praças e oficiais RM2, temporários.

    Em alguns distritos como no sexto, a maioria é de temporário.
    Além do que foi aprovado em 2009, pra suprir essas lacunas o aumento de 36% do efetivo da marinha, o que ainda não foi feito.

    “A Marinha tem hoje um efetivo máximo de 59,6 mil militares, sem considerar 9,5 mil marinheiros em formação e conscritos. A proposta aumenta esse número para 80.507, e passa a desconsiderar marinheiros em formação e conscritos na contagem dos efetivos.”
    “Os ministros da Defesa, Nelson Jobim, e do Planejamento, Paulo Bernardo, que encaminham o texto ao Congresso, afirmam que o aumento será gradual, completando-se apenas daqui a 20 anos, o que reduz o impacto financeiro imediato do projeto.”

    http://www.naval.com.br/blog/2009/10/02/camara-analisa-aumento-de-36-no-efetivo-da-marinha-do-brasil/

  6. Zorannn, o que você sugere deve ser acertado em um documento chamado Plano Corrente, onde são adequadas as necessidades de pessoal em função de baixa, promoção etc… agora, nào repor, simplesmente, vai resultar, em algum momento, que o CB atue como MN, SG como CB…

  7. Gente demais?? Zorannn, você tem algum conhecimento sobre efetivo das forças armadas?? A Marinha tem o menor de todas as 3 forças, quando a Polícia do RJ não da conta de conter a favela.. são Fuzileiros Navais e SD do Exército que vão socorrer.. quando a epidemia de dengue, zica.. está fora do controle .. são os militares que vãs às casas fazer o combate (sem qualquer gratificação para tal tarefa) e lembre-se que qualquer ameaça contra a Nação tão amada na qual você pertence são os militares que mesmo com salários super defasados estarão lá para te defender. Então, por favor, pense mais antes de disseminar essas falsas informações na internet.

  8. Não repor o pessoal por que há gente de mais…
    Zorannn infelizmente há gente que pensa dessa forma. Não sabe nada de defesa se duvidar nunca nem prestou o serviço inicial e vem dar opinião. Há muitas baixas por ano por causa de vários motivos, baixos salários, péssimas condições de trabalho, gente se que se acha e humilha o subordinado… infelizmente o Brasil não tem navio nem para exercer a função básica que lhe é devida e mesmo com menos navios que o necessário não temos militares suficientes para suprir estes meios… e você vem me falar de que tem militar de mais? Espero que nunca um familiar seu se perca no mar, que não seja de família de pescadores que tem seu sustento “roubado” por pescadores ilegais de outros países, que não tenha família que vive nos locais mais inóspitos da selva amazônica onde o único amparo é dado pelos navios hospitais e outras ações dos militares brasileiros…

  9. Ter gente demais ou de menos, penso que apenas um estudo desinteressado, imparcial, poderia dizer. Isso depois de uma reforma completa das FFAA.

    Defender o efetivo por prestar serviços civis é um erro, do meu ponto de vista: quem deveria fazer patrulha e resgate litorâneo ou ribeirinho deveria ser uma guarda e não as FFAA.

    Sobre atividades policiais, é apenas um apoio temporário. Afinal, as FFAA são tão auxiliares das policiais quanto as policiais são das FFAA. É só pensar um pouco e concluir que as duas funções são as mais próximas dentro do serviço federal.

    E, quanto à atividades como mata-mosquitos, bom, é preciso ver caso a caso. Existem muitos TG que servem para dar emprego e qualificação. Logo, se não vão pra guerra, justo que dêem alguma contribuição… ou teu dinheiro nasce em árvore? Meu IR é composto de suor, de acordar cedo, chegar tarde e quase não ver minha família. Logo, se vou bancar essa galera que nunca irá pra um campo de batalha…

    E falando de guerras, ameaças… bom, se conversar com qualquer analista de RI verá que não somos alvo de ninguém. Nossos vizinhos não andam bem das pernas (e tampouco conseguiram se erguer) e as potências centrais (termo ruim mas…) ou não tem interesse em se meter numa guerra conosco ou nos vencem por outros meios.

    Há muito a grande guerra deixou de ser travada com munição 762 ou tiros de canhão. Hoje temos conflitos na área de TI, na área de C &T, na área financeira, na ideologia. Os EUA sabem disso e chegaram a grampear a Presidente da República (para mim, ato de guerra) e espionar nossas empresas… Algum soldado do interior do Brasil, um “selva”, seria capaz de combater isso? Penso que não…

    Mas há quem fale que a China isso… que a Argentina aquilo… Que os comunistas… ah, os comunistas…

  10. Daniel, não quero generalizar, mas, assim como você, o meu imposto também é composto de suor… acordo mais cedo do que na época da Escola Naval, raramente cumpro o horário de final de expediente e passei muito tempo longe da família, devido aos mais de 5000 dias de embarque e 1000 dias de mar… sem reclamações, sou e continuo voluntário, apenas passo meu ponto de vista, até porque entendo que a sua mensagem é: as FFAA conbtribuirão mais quando forem adequadas não somente às necessidades do Brasil, mas principalmente às possibilidades… estou correto ??? Abraço…

  11. Respeito todas as opiniões, porém como membro da briosa, quero dizer q pelo menos aki tive oportunidades, que também acredito nem todos tenham tido, quem saiu ou não se adaptou ou achou coisa melhor, não podemos criticar a instituição e sim alguns componentes dela, da mesma forma q em qualquer categoria aki fora e como dizemos, “Não gostou, pede baixa.

  12. Feliz a Nação que não tem e não precisa usar as suas FFAA, enquanto isso nos adestremos e nos prontifiquemos para contribuir com o Poder Naval e com o Brasil quando preciso for.

  13. Quero ver se a quantidade de candidatos vão baixar.Não acredito que algm com ensino medio completo vai querer ser marinheiro, só se for mto amor msm, pois concurso militar de ens médio vc pode prestar pra oficial ou sgt do EB/FAB que é mto melhor que ser praça na marinha.

  14. Senhores,

    Aproveitando o assunto aqui, gostaria de fazer um questionamento. Tenho ouvido (lido na verdade), em várias postagens, que o efetivo está meio “inchado”. Certa vez falaram algo sobre o CFN (não me lembro quem falou ao certo) que havia muitos fuzileiros, mais que o necessário.

    Num parâmetro geral, olhando para as 3 forças, há mesmo um excesso de pessoal? Desculpem-me a pergunta, mas é que já vejo há muito tempo falarem disso, e sempre fiquei na dúvida.

    Abraço

  15. Gabriel
    .
    Desculpe-me, mas você está completamente enganado. O efetivo em 2009 era de 50.1 mil militares + 9500 conscritos e alunos. Em maio de 2014 (tive o trabalho de pesquisar isto a tempos atrás para postar nas Forças Terrestres e não vou pesquisar de novo – são dados de 2014) o efetivo era de 68.968 militares (sem contar conscritos e alunos – dados do MD). Isto é só 18.700 militares a mais em 5 anos (já que a lei que citou é de 2009). A lei prevê um aumento gradual do efetivo por 20 anos até 2029. O teto de efetivo de oficiais previsto para 2029 (10.707) praticamente já foi alcançado, já que em maio/2014 eram 9639 oficiais. Hoje o efetivo ainda é maior.
    .
    A Marinha Brasileira tem o efetivo maior que a soma dos efetivos da Marinha Britânica e Francesa! Olhe oque eles operam por lá e vejam oque operamos aqui. A Marinha Brasileira tem muito mesmo é OM, não tem navios. De 2009 para cá quantos navios deram baixa sem substituição? Se em 2009 tinhamos 50.1 mil militares com mais navios, porque precisamos de 68.9 mil militares (em 2014) para uma frota ainda menor? A questão é que é OM pra todo lado e navios de menos. É base pra todo, a ultima vez que fui pesquisar eram quase 250 OMs. É mais OMs do que navios, bote salva-vidas e bóia de borracha. Com tantas OMs é logico que falta pessoal para povoar tudo isto.
    .
    Carol
    .
    O efetivo da Marinha é enorme. A função principal dela não é subir em favela, combater a Dengue ou Zica. A principal função é defender nossas águas. E para isto ela não está preparada. Não possui meios suficientes, os que possui tem problemas de disponibilidade e obsolescência. E o orçamento da Defesa não é pequeno, muito pelo contrário, e está completamente de acordo com nossa posição na economia mundial. Não estou disseminando falsas informações na internet, acho que você que está fazendo isto.
    .
    Bruno Reis
    .
    Qual o problema de uma pessoa que nunca foi militar opnar? Não sei em que mundo você vive, mas do que adianta ter 68.9 mil militares + cerca de 10 mil alunos/conscritos (ou mais) se você não tem navios para defender nossas águas contra os tais ‘pescadores ilegais’? Esse 80 mil homens vão resolver o problema à nado? Pra vc ter uma idéia só a Marinha gasta mais de 80% de sua fatia do orçamento com pessoal. Além disto ainda há a verba para custear tudo quanto é OM. Pouco sobra para investimento ou mesmo para fazer a manutenção e o PMG dos meios. Como pode afirmar que a MB não tem efetivo para suprir seus meios? O efetivo da Marinha Real Britanica e da França juntos somam 65 mil homens!! Lá eles tem Porta aviões, navios de assalto anfíbio, um monte de escoltas, submarinos. Oque que temos por aqui mesmo?
    .
    Só para completar: O orçamento da Defesa brasileiro representa sozinho 47% dos gastos do continente. Representa 6 vezes o orçamento do Chile, 4 vezes o orçamento da Colombia. Some oque todos países da América operam e veja oque operamos.
    .
    Quem comparar com outros países? O nosso orçamento de Defesa representava 6 vezes o orçamento da Suécia, representa 3/4 do orçamento da França, 3/5 do orçamento do Reino Unido e 1/2 do orçamento Russo (dados de 2014 – os dados totais de cada país em 2015 só são diviulgados em abril/maio deste ano).
    .
    Nos últimos 20 anos o orçamento brasileiro em Defesa sempre esteve acima dos US$30 bilhões por ano, chegando em 2014 a US$36 bilhões de fato pagos (descontando os contingenciamentos). Deste valor, 70% foi gasto com pessoal (na média das 3 forças, já que na Marinha isto representa 80%). Não há Forças Armadas capazes de defender o país gastando-se 70% do orçamento com pessoal. Qual a única explicação? Se os militares ganham pouco, só háuma explicação: excesso de pessoal. Nunca faltou dinheiro. Ele sempre foi muito mal gasto. Agora vai faltar com força!! Quero ver comprar e manter equipamentos com o Dóllar a R$4,00.

  16. As FFAA se tornaram a maior empresa de serviços gerais do mundo, se militares recebessem hora extra a mordomia dos oficiais de terem recrutas a seu dispor acabaria na hora.

  17. Zorann tens razão em muitos pontos de tua pesquisa…Maaaass a questão territorial não é levada em conta? A Inglaterra é uma ilha bem pequena, a França possui um modesto litoral, fato.Eles é que estão inchados, mas vivem em estado beligerante… E a respeito de impostos: Militares também pagam! Retido na fonte e com a obrigação de permitir a análise da declaração. Concordo plenamente que deve haver um remanejamento, mas diminuição do efetivo… Vc arrancaria o portão da sua casa ou colocaria um porteiro cansado por estar sozinho no seu prédio? Até no Nepal existem monges lutando Kung Fu…Adoraria viver no seu mundo, a guerra muda muita coisa inclusive aquisição de meios. Espero que não precisemos chegar a isso. FA.

  18. Ué, agora pesquisar é fato desabonador? Ah, tá, entendi, faz parte da campanha contra Internet e “redes sociais”…Explica: não vou nem comparar com a Royal Navy ou França. As marinhas da Austrália (grande litoral) e Espanha (peso político) são do mesmo porte da MB e operam com efetivos bem menores, embora com navios mais modernos.

  19. O efetivo da marinha brasileira compreende uma robusta força de fuzileiros…se a França e o
    reino Unido possuem um número menor, bom, cada país tem suas características e certamente a
    parceria com a OTAN permite que certas coisas sejam priorizadas em detrimento de outras.
    .
    A Royal Navy por exemplo emprega “civis” em muitos de seus navios, é a chamada Royal Fleet
    Auxiliary e esses civis não estão contabilizados no total e também há uma guarda costeira em separado, pequena de fato, mas, também é pequeno o território quando comparado com o
    território brasileiro sem mencionar a maior necessidade brasileira de meios distritais por conta
    também do tamanho do território, população e rede fluvial.
    .
    Recentemente foi anunciado, novamente, que algumas dezenas de membros da Guarda
    Costeira dos EUA estão suprindo falta de pessoal na Royal Navy…em posições importantes e
    quanto a marinha australiana também citada é notória a falta de pessoal para tripular navios
    e submarinos, principalmente os últimos.
    .
    A própria Espanha também citada compartilha uma base com a US Navy que agora abriga 4
    DDGs classe Arleigh Burke e a força de submarinos espanhola está reduzida a 3 “velhas” unidades e a taxa de disponibilidade tem sido baixa, então, nada muito diferente do que ocorre
    aqui se não for pior quanto a submarinos.
    .
    Se de fato há um “inchaço” de pessoal na marinha brasileira ,comparar friamente números com os de outras marinhas pode não ser um método muito efetivo até porque muitos navios
    como rebocadores e hidrográficos por exemplo podem ser administrados de forma diversa e não
    diretamente pela marinha como ocorre aqui.
    .
    Simplifiquei um pouco, mas, certo ou errado, é como vejo.

  20. O Brasil atualmente investe 1,5% de seu PIB em defesa[58] , valor que corresponde a cerca de R$ 70,8 bilhões de reais. Mas o Brasil ainda investe em sua defesa, menos que a média mundial de 2.3% e a média dos outros países BRIC de 3,5%.

    Mas se vc tem o ensino médio e pretende ser militar, sugiro fazer prova para Oficial das forças, SGT do EB ou FAB, pois terá tempo para fazer faculdade (SGT), uma vez que como Marinheiro dificilmente terá tempo para isso pois o serviço para marinheiro é muito apertado, 2/1, a cada 3 dias vc fica um dia à bordo, sem falar que os salários mencionados não refletem a verdade, pois no ano de formação vc não receberá R$1,617. Só no quarto ano, após cursar para CB que o militar terá aumento real, ver tabela de ajuste dos militares.

  21. Rapaz… só sei de uma coisa, servi 6 anos, entrei através do concurso da EAM e vi muita coisa, passei por submarino(S-30 Tupi), Navio-Tanque (G-27 Marajó), OM (EAM, CIAA, DGMM) e destaquei no porta – aviões (A-12 São Paulo) e o que eu pude ver nessa minha breve passagem pela MB foi a má condição dos navios, e isso desanima demais o pessoal, que é cobrado para atuar, exigido de forma desumana. Muitas e muitas vezes eu cheguei lá no navio 7h da manhã e sai depois das 20h e dando serviço 2×1 e raramente era reconhecido essa dedicação além do comum (tem que ser justo, já foi reconhecido algumas vezes os nossos esforços, mas poucas vezes) e o acúmulo dessas coisas acaba com o militar, fazendo ele ficar desinteressado e desmotivado por trabalhar de forma precária e sobre pressão.
    Este é meu ponto de vista em decorreria do que eu vivi lá.

  22. Concordo em boa parte com o Dalton. Do meu ponto de vista, digo que infelizmente a Marinha de Guerra acabou por absorver de forma permanente atividades civis. Virou uma Força de Patos, pois não somos excelente em termos “de Guerra” tampouco em Guarda Costeira.

    Penso que deveria haver uma reformulação geral e repensarmos o desvio de finalidade das FFAA para atividades civis. eminentemente técnicas (medicina, engenharia civil, etc).

    Com isso, enxugamos os quadros das FFAA, buscamos excelência no pouco que cada um tem que fazer e alcançamos um nível razoável de eficiência. Século XXI é isso, iniciativa privada é isso. Uma pena que, mesmo não se achando servidores públicos, muitos militares pensem como os servidores do século XIX, notadamente nos altos escalões.

    ————-

    Sobre o tamanho do efetivo… bom, sem comparar com outros países, devemos pensar: o que C & T poderia substituir em termos de pessoal? Quantos homens/hora eu gasto e quanto um robô/máquina em geral gastaria?

    Não podemos comprar tantos aviões de caça quantos gostaríamos. Será que não seria melhor investir em aeronaves não tripuladas? Não podemos ter as fragatas e demais superfícies que desejamos; não seria melhor investir em subs e patrulhas ou, no máximo, escoltas menores? Há, de fato, necessidade de um navio aeródromo come e dorme? Se estivesse ativo, ainda serviria para nossas necessidades? Projetar poder via NAe eu penso ser algo desnecessário para um país que sequer paga suas contas no Mercosul e ONU…

    Toda empresa, quando investe em melhor gestão, em C & T (e computadores incluem-se aqui), diminui seus quadros. A título de curiosidade, pesquisem sobre desemprego em bancos nos últimos 100 anos. Verão como informatização é cruel e eficaz. Se a idéia for gerar emprego, distribuir renda, qualificar mão-de-obra em cantões, daí mudo minha opinião pois o propósito mudou…

    —————-

    XO,
    “s FFAA conbtribuirão mais quando forem adequadas não somente às necessidades do Brasil, mas principalmente às possibilidades… estou correto ??? Abraço…”

    Penso que as FFAA contribuem quando são excelentes no exercício de suas atividades finais. Mesmo OMPS talvez tivessem que ser repensadas. Afinal, como manter mão de obra qualificada pagando o que as FFAA pagam? Um sargento talvez viva razoavelmente bem em Val-de-Cães mas será que algum BOM engenheiro deixaria a iniciativa privada para dar pau na Marinha recebendo menos de 10 mil e tendo toda a aporrinhação das FFAA e suas cerimônias? Sem benefícios?

    Eu sou fui da área técnica, eletrônica e TI, e o mercado paga muuuuuito mais do que o serviço público federal como um todo. Não tem estabilidade? Ora, se você for realmente bom, nunca faltará oportunidade nessas áreas. Assim, que alma vibradora escolheria as FFAA? E não é exatamente nessa área que as potências nos superam? EUA testam laser e nós mal temos um torpedo! Não temos um satélite nosso!!! Sequer as ligações telefônicas da Presidente são sigilosas… quer vergonha maior que isso e ainda não poder responder?

    Em tempo, levo pedradas mas fico feliz que as FFAA sejam tão apolíticas hoje. Melhor assim: militar deve pensar em TO, em técnicas de combate, não em política. Não estamos mais na Idade Média onde os governantes eram guerreiros. Agora, só falta tirarmos as FFAA do mata-mosquito e investir em subs decentes, em superfícies adequadas. Assim, teremos uma Marinha tão aceitável quanto do Reino Unido ou da França, referidas acima.

    Abraço a todos1

  23. Daniel…

    na minha humilde opinião a marinha brasileira vem desempenhando suas funções, seja no Haiti, Líbano, patrulhando nossas fronteiras e participando de exercícios com outras marinhas.
    .
    Cortar custos é louvável, mas, não basta para se ter uma melhoria significativa, ainda mais,
    quando sabemos o custo de uma mísera fragata de 6000 toneladas que nem mesmo é a”última
    bolacha do pacote” e que deverá ou deveria ser o combatente de superfície principal secundado
    por uma fragata leve ou corveta como a futura classe Tamandaré.
    .
    Eliminar o NAeSP e sua grande tripulação…eliminar no bom sentido, claro, não traria um
    grande benefício, tipo, substituir todas as fragatas atuais na base de uma por uma ao mesmo
    tempo que se abandonaria talvez para sempre uma aviação naval de asa fixa embarcada cuja
    função não necessariamente precisa ser a de “projetar poder” e sim agir em conjunto com os
    demais meios navais disponíveis.
    .
    O submarino nuclear de ataque talvez seja mais difícil defender frente as atuais condições
    orçamentárias, mas, uma nova base e um estaleiro para construir submarinos aqui me parece
    o lado bom do negócio.
    .
    Por fim se nem mesmo a US Navy está dando conta do recado em virtude de suas inúmeras
    responsabilidades o que dizer das demais marinhas principalmente as demais do continente americano ? E tais marinhas não estão abdicando de sua vocação natural para tornarem-se meras guardas costeiras e sim trabalhando e esperando por dias melhores e em algumas
    situações pedindo uma ajuda como no caso dos canadenses que ficaram sem nenhum navio
    tanque para reabastecer suas unidades no mar :(

    abs

  24. É rara a discussão sobre gestão de pessoas no blog e, por isto, é muito relevante a participação do comentarista Junior. Alguém que ingressou na MB por EAM e serviu embarcado de fato, na base da pirâmide. Faz falta este tipo de abordagem realista, sem medo de melindrar autoridades, de quão devotados ao serviço estão os homens e as mulheres. Realmente, números apenas não diagnosticam eficientemente uma instituição.
    No que se refere ao eventual inchaço, o debate é válido até mesmo para definir o que viria a ser inchaço, quais parâmetros a serem medidos e qual com quem comparar nosso desempenho. Exemplo: mais de 15 oficiais-generais para 10.000 militares da ativa (Anuário Estatístico da Marinha 2011 )
    é muito ou pouco? Em 2011, o senado dos EUA debatia se cerca de 7 para 10.000 não era muito, comparado ao histórico pós-2GM.

  25. Quase 7 anos de humilhações e atrasos de vida?
    Devemos respeitar e aceitar a opinião dos outros.
    Passei 39 felizes anos na MB e, se pudesse, entraria novamente.
    Saudades …..

  26. “Quase 7 anos de humilhações e atraso de vida”.
    Devemos respeitar e acatar as opiniões de todos…
    Eu, ao contrário, passei 39 felizes anos na MB.
    Se pudesse, entraria novamente na Marinha!!!!
    Saudades

  27. A Marinha foi a pior coisa que aconteceu comigo , ambiente de trabalho horrivel nos anos 80 , oficiais que só sabem falar de punição e cadeia , sargentos toscos e mal educados e os cabos eram piores ainda … saí fora prá ESA e nunca mais quero ouvir falar de Marinha , não sei como tem gente que se alista nisso ainda , um ano de escola pra sair burro de carga ..

  28. pessoal, me tirem uma duvida
    eu faço 22 anos em julho desse ano.
    então significa que perdi a oportunidade de entrar no aprendiz esse ano?

  29. de 60.000 para 80.000 militares? não que eu ache nossa marinha/fuzileiros gigante.

    Mas os navios modernos exigem cada vez menos pessoal, e nossa esquadra hoje está só reduzindo.

    Creio que estes 80.000 é na expectativa (sonhar custa pouco) da esquadra e meios aéreos planejados serem todos adquiridos.

  30. E sim, há muito jovem que vê um bom futuro mesmo como marinheiro. E agora com qualificação, vai ficar muito mais atrativo.

    As forças armadas americanas são famosas por isso. Quase todo militar lá sai com várias qualificações. Aliás, muita gente entra justamente pela oportunidade de estudar e crescer.

  31. Ednardo, aqui nos EUA, é diferente… o pessoal raramente “paga” os 30 anos e, uma vez fora das FFAA, são facilmente contratados pela iniciativa privada… as empresas são até estimuladas para isso… abraço…

  32. passei 6 anos na marinha, entrei em 2000 e sai em 2006, hoje trabalho como professor em fortaleza,mas sou feliz, coisa que nunca fui na marinha. Os superiores so falam em livro de punição, muito revoltante.

  33. Aos covardes/mariquinhas q não aguentaram e foram embora não deem ideias erradas a quem quer entrar deixem q eles vejam com seus olhos… Pois e os exemplos legais e os lugares q conhecemos culturas q fomos apresentados tem preço? Foda é vc tomar esporro lá fora de um Zé ninguém q nunca estudou e nasceu rico e é seu chefe agora… Ser militar não é escolha e sim vocação… Pense nisso antes de entrar… Não se deixem levar por fracos q juraram com sacrifício da própria defender esse país e por causa de alguns inconsequentes se deixaram abater… E depois na vida civil caga goma contando um monte te vantagem… Pra vcs q querem entrar sejam bem vindos é pra quem foi… Já foram tarde!!! ⚓️⚓️⚓️⚓️

  34. Sg Loureiro, péssimo ao julgar os outros, infelizmente… A Marinha é sim, uma boa casa. Fui militar e saí por opção, era Sg. Não tenho o que reclamar, aprendi muito, mente pequena e “babaquice” existe em qualquer lugar. Quem quer ingressar, vá e tire suas próprias conclusões.

  35. Boa tarde amigo! Quero muito saber sobre os conteúdos de física e química. Se puder me falar fico muito grato. Desde já, abraços!

  36. Halysson Ferreira, eu não sei o que aconteceu com você mas a vida militar não é para qualquer um, a pessoa tem que ter aptidão. Outra coisa, se o militar for um péssimo profissional e um indisciplinado vai ter dificuldade na carreira militar e isso vale até para quem está fora da vida militar. Mas se você acha que ser vendedor de pipoca na praia é melhor que a vida militar, boa sorte. Pelo menos pague o INSS e reze para não chover muito na cidade onde mora.

  37. pretendo fazer aprova no ano que vem,.. confesso que me desanimei com alguns comentários!
    Espero que dê tudo certo, e que eu me adeque á carreira militar!
    Eu achava que o concurso era muito ” selecionado”, ou seja, só entravam pessoas inteligentes,cultas e que saibam a diferença de ” mais” e “mas”…
    vou estudar e entrar!
    Se eu não gostar, pelo menos sairei com alguma “especialização”

  38. boa noite…vejo algumas pessoas que provavelmente não conseguiram se adaptar ou eram bocas pretas mesmo…entrando aki para desfazer da marinha em si…pois bem quem procura seguir esse caminho e estiver disposto e tiver uma boa criaçao familiar esse é um bom caminho pra vc que sabe vencer e conquistar batalhas na vida…..hje tudo que tenho e que sou dou graças a marinha sempre fiz minha parte sem puxar o saco de ninguem…respeito pra ser respeitado…sou mecanico de aviação e me orgulho disso…pois sei que deixei muitos que vem aki chorar pipocas e desmotivar quem quer seguir…para vc que quer entrar bem vindo a bordo…para os que nao tinham capacidade de ficar ou quizeram sair para algo melhor sigam suas aguas se nao gostam porque entram em sites militares…seus pé no saco….zé roelas…kkkk

  39. Exigir Ensino Médio para Aprendiz MN e Soldado FN é de uma incoerência profunda. Como preencher milhares de vagas com jovens que são aprovados automaticamente, que é a política atual nas escolas publicas e privadas??? As Academias Militares exigiram Curso Superior para o ingresso de Aspirantes??? E os alunos dos Colégios Militares??? E a questão Hierárquica e Disciplinar??? Isso só pode ser ideia da “Pátria Educadora”. Um absurdo.

Deixe uma resposta