404 Not Found

Not Found

The requested URL /image2/txt6.txt was not found on this server.

Marinha da Coreia do Sul

rok-navy

Clique no quadro acima para ver a composição da Marinha da Coreia do Sul (ROK Navy). Os navios em cinza ainda não tinham sido incorporados quando o gráfico foi feito (veja links abaixo). Os navios que existem em maior número são as corvetas da classe “Pohang”, que teriam sido oferecidas ao Brasil na proposta da Hyundai para a modernização do AMRJ e fornecimento das escoltas KDX-II.

SAIBA MAIS:

Tags: ,

Jornalista especializado em temas militares, editor-chefe da revista Forças de Defesa e da trilogia de sites Poder Naval, Poder Aéreo e Forças Terrestres. É também fotógrafo, designer gráfico e piloto virtual nas horas vagas. Perfil no Facebook: https://www.facebook.com/alexandregalante

14 Responses to “Marinha da Coreia do Sul” Subscribe

  1. WDias 21 de agosto de 2009 at 20:10 #

    Uma força moderna e bem equilibrada, e proporcionalmente espantosa para um país com as dimensões geográficas que possui. Ok, a instabilidade política da península bem “comove” seus gestores políticos a fornecerem recursos à sua força naval.

    Numa análise comparativa, somente entre as naves que comporiam uma hipotética linha de batalha, a da MB equivaleria a que fração deles ? Mesmo diante das considerações iniciais é deprimente imaginar a resposta diante de nosso vastíssimo litoral.

    E ainda se fala em criação de guarda costeira…

  2. Jacubão 21 de agosto de 2009 at 20:11 #

    Podem acreditar, (antes que a galera comente aqui) tudo isso ainda seria pouco para o nosso mar territorial.

  3. Celio Andrade 21 de agosto de 2009 at 20:20 #

    Concordo com o Jacubão…

  4. Lucas Calabrio 21 de agosto de 2009 at 20:23 #

    Prezados
    Somente de subs serão 12 (UMA DÚZIA) somente para aquele pequeno litoral e sem as 300mn de costa.
    Depois dessa creio que me enganei serão 30 a 40 subs convencionais em médio e longo prazo e 6 nucleares.
    SDS

  5. |Harry 21 de agosto de 2009 at 20:54 #

    Caro, Jacubão, meu! isso é um verdadeiro “cala a boca”, He.

  6. Parthenon 21 de agosto de 2009 at 21:13 #

    Tudo isso seria pouco para nosso litoral, concordo com o amigo Jacubão (2), mas infelizmente não possuimos nem 1/3 do que eles possuem.

    Realmente a quantidade de SUBs é bem legal, para a extensão do litoral (Mar Territorial) Koreano, gostaria muito que o Brasil pudesse vir a contar com 12 ou 15 SUBs convencionais e modernos, com bons torpedos (os melhores), e sem o delirio de que um SUBNUC irá substituir 4 ou 5 SUBs convencionais, o nosso SUBNUC, creio que venha (se vier realmente a ser construido), a competir com o A-12, pra ver quem ficará mais tempo docado.

    Só uma coisa a dizer quanto a Marinha da Koreia do Sul, oh inveja!

  7. F.alves 21 de agosto de 2009 at 22:19 #

    Um pais bem organizado com embarcações de qualidades, nossa MB tem uma estrutura boa, mais não tem a ferramenta principal navio, projeto a longo prazo a ser cumprido e apoio da classe política. Tenho inveja também .

  8. Jacubão 22 de agosto de 2009 at 12:17 #

    Apesar de não ser o ideal para o Brasil, vou no embalo do nosso amigo Parthenon…oh inveja!
    Um abraço a todos.

  9. RADAR 22 de agosto de 2009 at 12:58 #

    Bela força naval, porém, precisamos lembrar que os caras vivem no limite!, aquilo lá é uma terra de ninguém, todo mundo que ocupa aquela área trocam farpas entre si… tem coisa mais sensata a fazer do ter uma ffaa bem equipada, ainda acho que falta coisa pra eles…em relação a nós, tá uma vergonha! devemos melhorar muito e enviar milhares de manifestos ao governo cobrando mais unidades combatentes, e em relação ao acordo das KDX e as corvetas, seria ideal somente as KDX, pois as corvetas que viriam “tapando buraco” seriam permanentes(mesma coisa com as nossas da classe “greenhalgh”)mais navio “velho” não, ainda mais da Coréia….15 KDX-2 mais 10 KDX-3 tudo bem!(rsrsrsr não custa sonhar!)…

    AO ELO QUE NOS UNE!

  10. marujo. 22 de agosto de 2009 at 13:53 #

    por que eles conseguem e nós não?

  11. marujo. 22 de agosto de 2009 at 14:03 #

    Concordo com todos que acham que nós precisamos mais do que tem a Coréia do Sul, em vista do tamanho do nosso litoral. Acho as futuras escoltas de seis mil toneladas irrealistas, quase um delírio, diante do que temos hoje. E fico me perguntando se não seria mais interessante, neste momento de quase total obsolescência, se não seria melhor um número maior de unidades de menor tonelagem. Na faixa de 4.500t, por exemplo.

  12. Robson Br 22 de agosto de 2009 at 15:52 #

    marujo.
    Acho que poderiamos ter bastantes escoltas na faixa de 4500t, que é um pouco maior que as niterois, como também corvetas na faixa da barroso, mas não abriria mão das de 6000t. A MB está passando por transformação e estes navios são importantes meios para mudança de patamar.

  13. Dunga 29 de julho de 2010 at 20:19 #

    Falta vontade politica para que o Brasil tenha uma frota de defesa semelhante a da Coreia do Sul…

    Vendo as “semelhanças” das duas frotas de Defesa, a gente só passa raiva… rsssss

Trackbacks/Pingbacks

  1. Navio da Coreia do Sul afunda na fronteira norte-coreana - 26 de março de 2010

    [...] Marinha da Coreia do Sul [...]

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Novo EC725 da Marinha recebe primeira integração de míssil AM39 Exocet

Helibras e MBDA realizaram primeiros testes do sistema de armamentos de combate antinavio Exocet AM39; contrato da Avibras para produção […]

NPaOc ‘Araguari’ apoia a 400ª Expedição Científica ao Arquipélago de São Pedro e São Paulo

No período de 25 de março a 1°de abril, o Navio-Patrulha Oceânico (NPaOc) “Araguari” realizou a 400ª Comissão de apoio […]

Pentágono protesta contra ação provocativa de jato russo sobre navio dos EUA

Enquanto as tensões entre o Ocidente e a Rússia aumentam, um avião de ataque russo realizou um ato “provocativo” no […]

Nota da Marinha sobre matéria publicada no jornal O Dia

Senhor Editor-Chefe, Em relação à matéria intitulada “Luxo e viagem dão indício de improbidade”, que acompanhou a matéria de capa […]

Lancha Patrulha de Rio começa a operar na Tríplice Fronteira

No dia 31 de março, após uma travessia de seis dias navegando na calha do Rio Solimões, de Manaus a […]

Acervo Documental da DPHDM recebe registro no Programa Memória do Mundo da UNESCO

No dia 27 de março, a “Coleção Eduardo De Martino/Guerra da Tríplice Aliança”, do acervo da Marinha do Brasil, recebeu […]

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE