No Credit Check Payday Loans

porto3

Lu Aiko Otta

BRASÍLIA

vinheta-clipping-navalOs novos investimentos em portos que o governo pretende anunciar ainda este ano para a região Norte dificilmente conseguirão evitar um estrangulamento nos embarques da próxima safra. E é bastante possível que as filas de caminhões que este ano se viram nos portos de Santos (SP) e Paranaguá (PR) acabem se transferindo parcialmente para lá.

“Portos levam de três a quatro anos para serem construídos”, afirmou o gerente executivo de Infraestrutura da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Wagner Cardoso. No entanto, a obtenção de licenças ambientais e de instalação costuma ser demorada. “A Odebrecht levou nove anos para conseguir uma licença para Santos”, exemplificou. Além disso, na região Norte o processo tende a ser complexo por envolver áreas de floresta e populações indígenas.

A CNI classifica de urgente a retomada dos investimentos em portos na região, para evitar um colapso: Estudo elaborado pela entidade informa que, na safra 2011/12, foram embarcados 10,8 milhões de toneladas por esses portos. Essa é também a atual capacidade instalada deles.

Segundo o estudo elaborado pela entidade, a saída de mercadorias pelos portos chegará a 50 milhões de toneladas em 2020. Mas, bem antes disso, já em 2014, o volume de carga destinada ao Norte pode dobrar.

Logística. Isso ocorrerá por causa da conclusão do asfaltamento da BR-163, We liga o Centro-Oeste à região Norte, o que fará com que parte da produção deixe de ser escoada por Santos e Paranaguá. A CNI estima que esse volume seja da ordem de 10,5 milhões de toneladas.

A rodovia, que na visão da CNI representa uma “quebra de paradigma” em termos de escoamento da exportação, é aguardada há décadas. “Mas agora ela já está toda contratada”, disse Cardoso, que esteve recentemente na região. “Em dezembro, o asfalto já chega a Miritituba (PA).” Trata-se de um porto no rio Tapajós, no qual os grãos podem ser embarcados em chatas e chegar aos portos do Pará. Gigantes do agronegócio estão instaladas nessa área. Com o asfaltamento, a previsão é que se intensifiquem os embarques a partir desse ponto.

Potencialmente, a região Norte pode ser o canal de escoamento para toda a produção de grãos que ocorre acima do paralelo 16 Sul, que na última safra chegou a 55,6 milhões de toneladas. A CNI estima que a consolidação de rotas para o Norte representará queda de 30% a 40% no custo de transporte dos grãos.

Além de mais barata no percurso interno no continente, a rota proporciona também economia de tempo para a chegada do produto à Europa e aos Estados Unidos, A viagem de Santarém (PA) para o porto de Roterdã leva 12,8 dias, ante 15,1 dias a partir de Santos e 15,4 dias de Paranaguá.

O governo sabe da importância dos portos da região Norte para o agronegócio e por isso corre contra o tempo. Dos 50 novos terminais portuários privados autorizados na semana passada, 27 são na região.

Além disso, a primeira leva de licitações para investimentos nas áreas pertencentes aos portos públicos será formada pelos portos do Pará e pelo porto de Santos. O edital deverá ir a consulta pública até o final deste mês.

FONTE: O Estado de S. Paulo via Resenha do Exército

Tags: , ,

Jornalista formada pela Universidade Federal do Paraná. Ganhou o Prêmio Sangue Novo do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná com uma monografia sobre o PROSUB. Feliz proprietária de um SSN classe Virginia.

One Response to “Novos portos devem demorar a reduzir ‘caos logístico’” Subscribe

  1. nunes neto 10 de julho de 2013 at 18:39 #

    Obrigado Nicholle, era isso que eu estava falando, temos as soluções, temos o dinheiro, mas nós falta ou vontade política ou o que eu acredito,existem interesses para que os portos tradicionais citados não “percam” em valor de embarque (pedágio, impostos, a economia das cidades gira em torno do porto; hotéis, restaurantes etc…) no melhor estilho:” quero que o custo Brasil se exploda,mas que o meu município lucre” é o individual com peso maior que o coletivo, farinha pouca ,meu pirão primeiro, isso aconteceu com Santarém, quando quiseram criar uma zona franca lá, o governador do amazonas teve chiliques.Abçs

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Terceiro dia de incêndio nas proximidades de Aramar mobiliza helicópteros da Marinha

Focos de incêndio mobilizaram três helicópteros da Marinha neste domingo (14), em área de vegetação pertencente ao Centro Experimental de […]

Programa de submarinos (Prosub) avança com seção de qualificação

ICN recebe a primeira Seção totalmente produzida no Brasil Mais um passo importante no Programa de Desenvolvimento de Submarinos (Prosub) […]

Amazul e FDTE assinam acordo para participar do programa do submarino nuclear brasileiro

A Amazul – Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. e a FDTE – Fundação para o Desenvolvimento Tecnológico da Engenharia […]

Revista Forças de Defesa número 11 em versão digital: para iPad, iPhone e Android

A revista Forças de Defesa também está disponível para download pelo aplicativo O Jornaleiro, disponível para iPad, iPhone e smartphones/tablets […]

Museu Aeroespacial incorpora helicóptero da Marinha ao acervo

Em solenidade, no mês de agosto, o Museu Aeroespacial incorporou ao acervo histórico a aeronave Sikorsky SH-3 Sea King, doado […]

Projetos em Segurança e Defesa Nacional são temas de chamada Pública

Trabalho pode se estender por até dois anos. Ideia é que investigações científicas sejam formadas por equipes interdisciplinares O ministro […]