Home Noticiário Internacional Suécia assina com Saab a encomenda de dois novos submarinos tipo A26

Suécia assina com Saab a encomenda de dois novos submarinos tipo A26

1262
22

Submarino A26 - imagem Saab

Empresa também modernizará dois exemplares da classe ‘Gotland’ em serviço na Marinha Sueca

Na última terça-feira, 30 de junho, a Saab divulgou nota informando sobre a assinatura de contratos com a administração sueca de material de defesa (FMV) para a construção de dois novos submarinos Tipo A26 e para a modernização de meia vida de duas unidades da classe “Gotland”, atualmente em serviço na Marinha Sueca. Essas encomendas são parte de uma carta de intenções de 9 de junho do ano passado, relacionada às capacidades subaquáticas das Forças Armadas Suecas.

Os contratos assinados em 30 de junho cobrem o período 2015-2024 e somam 8,6 bilhões de coroas suecas (pouco mais de 1 bilhão de dólares ou 3,2 bilhões de reais). A empresa também informou que outros pedidos, somando pouco mais de 1 bilhão de coroas, já haviam sido assinados desde o ano passado, e que a construção, entrega e testes dos dois novos submarinos A26 têm valor de aproximadamente 7,6 bilhões de coroas suecas.

Modernização de dois submarinos “Gotland” – Além desses números acima, a nota afirma que a modernização de meia vida de dois exemplares da classe “Gotland”, que inclui revisão e atualização do sistema de combate, tem valor de 2,1 bilhões de coroas. Um dos submarinos modernizados deverá ser entregue à FMV no final de 2018, e o outro no fim do ano seguinte. A modernização visa tornar as duas unidades aptas a atender requerimentos operacionais futuros, e a encomenda inclui aquisição de materiais, modificações da plataforma, atualização de sistemas e testes.

submarino sueco classe Gotland - foto Forças Armadas da Suécia
Submarino sueco classe Gotland – foto Forças Armadas da Suécia

 

Segundo a ficha técnica divulgada pelas Forças Armadas da Suécia sobre os submarinos da classe “Gotland” (três construídos no total), a incorporação das unidades deu-se em meados da década de 1990. Os submarinos da classe têm 60,4 metros de comprimento, 6,2m de boca e deslocam 1.600 toneladas em imersão. A propulsão é diesel-elétrica, acoplada a um eixo, que permite velocidade de cerca de 10 nós na superfície e 20 nós em imersão, e eles também são dotados de sistema de propulsão independente da atmosfera (AIP) Stirling, com 2 motores do tipo.

Em 29 de setembro do ano passado a Saab já havia informado que faria a revisão do submarino HMS Halland da Marinha Sueca, da classe “Gotland”, no período 2014-15, trabalho também vinculado à carta de intenções assinada em 9 de junho de 2014. A revisão, que é realizada a cada seis anos, teve seu valor divulgado em 130 milhões de coroas suecas.

Submarino A26 - imagem 2 Saab

Tipo A26 – Quanto aos novos A26, eles serão projetados e construídos nas instalações da Saab em Malmö, Karlskrona, Järfälla e Linköping, na Suécia. A propulsão será do tipo diesel-elétrica, incorporando também o sistema independente da atmosfera AIP Kockums Stirling, tornando os submarinos mais furtivos e difíceis de detectar.

Abaixo, as características dos novos submarinos, divulgadas pela Saab:

  • Comprimento – aprox. 62m
  • Calado na superfície – aprox. 6m
  • Deslocamento – aprox. 1800t na superfície
  • Profundidade máxima de mergulho – maior que 200 m
  • Tripulação padrão – 26 pessoas
  • Tubos de armamento – 4
  • Armas – torpedos de 53cm, 40cm e minas
  • Quantidade de armas pesadas – superior a 15
  • Portal Multimissão – comprimento de 6m, diâmetro de 1,5m, capaz de lançar e recolher veículos submarinos não tripulados e abrigar até 8 mergulhadores
  • Propulsão – diesel-elétrica e AIP (Stirling), em um eixo
  • Autonomia – maior que 45 dias
  • Velocidade máxima contínua com snorkel – 12 nós
  • Velocidade máxima submerso com AIP – 6 nós
  • Autonomia do AIP – superior a 18 dias em velocidade de patrulha

Kockums A26 - imagem 3 Saab

Kockums A26 - imagem Saab

Kockums A26 - imagem 2 Saab

IMAGENS E INFORMAÇÕES TÉCNICAS: Saab e Forças Armadas da Suécia

VEJA TAMBÉM:

22 COMMENTS

  1. wwolf

    As imagens mostram que sim, que é possível “estacionar” no leito do oceano, como você colocou. Corrobora o leme em X.

    Enquanto isso segue a construção dos poderosos submersíveis convencionais, sem AIP, da Imperial Marinha de Banárnia, reino encantado que tem ao Norte um grande inimigo: a Rainha Malvada.

  2. wwolf22, os nossos ‘Tupi’ pousam no leito do oceano…Já li relatos de uma operação, onde um deles deixou a Baía dA Guanabara na véspera, e passou a noite pousado próximo às Ilhas Cagarras…

  3. Isso ai é que é um projeto “independente” em se tratando de SubCon…

    E não a entubada Francesa… ainda vamos nos arrepender durante os próximos 30 anos.

    Ps.: o AIP Kockums Stirling é simplesmente a coisa mais genial em AIP já criada. É baseado em um conceito tecnológico que já tem mais de um século… sem frescura, é leve, cabe em uma van e não possui as “frescuras”/restrições/cuidados dos AIPs c/ nitrogênio.

    E a MB ainda quer que eu acredite que o sistema Alemão era muito caro e era o “único” disponível no mercado…

    Os Japas já usam os AIP Kockums a mais de uma década e estão mortos de felicidades… a Austrália já vem namorando o sistema a uns bons 4 anos…

    Mas e Banarnia? E a Marinha de Banarnia?

    – Vc’s merecem tudo o que de ruim vier dessa decisão pela entubada francesa… Só um chato Pretensioso e sem Imaginação como o Brasil para fazer negócios de cunho estratégico com esses caras.

    Boa sorte Brasil… vc vai precisar!!!

    E MB, treinem bastante, pois do jeito que a coisa está indo, vc’s irão se restringir a salvar banhista bêbado na Barra e continuar levando Aspirina para os Índios e ribeirinhos… Eles agradecem. – É melhor vc’s acordarem para a realidade e ficarem espertos.

    Grande Abraço.

  4. E alguém ai explique: como um país que tem um pib que é menos de um sexto do nosso, consegue desenvolver e manter submarinos, corvetas e caças????

  5. Marcos,

    me desculpe, mas PIB não quer dizer porcaria de nada…

    … quando entendermos que entre outras coisas, índices como renda per capita, IDH e principalmente o GENI são muuuito mais importantes que a ridícula simplicidade do PIB, estaremos no início de entender coisas como Suécia, Israel, etc…

    Mas para responder de forma rasteira: EDUCAÇÃO… muita dessa coisa ai e por muuuito tempo geram Nações com densidade de conteúdo e não essa coisa superficial chamada Brasil.

    PIB é pura propaganda e não contem nenhuma riqueza de fato. Pelo menos não a que importa.

    Grande Abraço.

  6. Ivany,

    Concordo, mas isso vai variar muuuito, dependendo do ponto de vista.

    Ps.: No meu comment de 2 de julho de 2015 at 21:49:

    – Onde se lê Nitrogênio é na verdade Hidrogênio. =/

    Grande Abraço.

  7. Marcos…

    só continuando…

    … Então nunca, mas nunca mesmo comece uma discussão citando o PIB de alguma coisa… ele diz muito pouco sobre qualquer coisa… na verdade, tal valor é superficial, rasteiro e provoca conclusões mais do que equivocadas.

    Grande Abraço.

  8. A localização da Suécia próxima à Rússia na minha opinião responde à pergunta do Marcos e quanto à neutralidade sueca durante a guerra fria existem fatos que mostram que havia um viés favorável à OTAN.

    O próprio Saab Viggen resultou de um acordo com os EUA permitindo à Suécia o acesso à tecnologia americana o que permitiu que essa “famosa” aeronave fosse construída muito mais rapidamente e com grande economia.

    Em uma época em que o míssil “polaris” não era tão preciso os suecos contribuíram com tecnologia para melhorar a precisão do mesmo.

    E, devido ao alcance “limitado” do “polaris” nada melhor
    que SSBNs da US Navy operando bem próximos da costa sueca ,sem preocuparem-se com a marinha sueca.

    São alguns exemplos que mostram a interação entre os
    suecos e a OTAN durante a guerra fria e que continua nos dias atuais e a preocupação com a URSS e a Rússia
    hoje.

  9. O PIB é importante quando o gasto não é diretamente relacionado à oferta de serviços a toda uma população como saúde, educação, etc.

  10. Embora eu entenda o Oganza, e ele tem razão em muita coisa, o fato é que eles tem um PIB igual 1/6 do nosso e fazem muito, mas muito mais mesmo, que nós.

  11. Oganza, sei la meu, mas acho que sua conclusão de post eh, baseado em fatos e feitos, meio dificil de contestar, infelizmente o dia a dia tem mostrado esta tendencia (claro que nao extamente, mas iteralmente) e isto é uma pena, pois nao parece que nestes proximos 4 anos, mais o eventualtempo de outro … isso se na hora H aparecer um invenção dos cara colocarem outros dos cara lá …

    em tempo =

    http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2015/07/ms-baltic-carrier-v2fh5-multipurpose.html

    10 photos

  12. Mestre MO,

    o pior é que não será invenção não… só vai mudar a coleira. O cachorro será o mesmo… e se, e apenas “se” mudarmos o cachorro, ele será da mesma raça.

    Se pensarmos bem e vasculhar jornais antigos veremos todas essas “lideranças políticas” de mãos dadas nos anos 70… todos eles são resultado da mesma cloaca… todos eles tem o mesmo objetivo… a diferença está apenas em suas agendas, mas o resultado será o mesmo.

    Hoje o problema do Brasil somos nós brasileiros. Mas para o bem ou para o mau, a solução somos nós Brasileiros.

    Grande Abraço.

    Ps.: Esse Elixir ficou lindão fletado… 🙂 Pena que o spot não era dos melhores para o registro. Parabéns… de novo. 🙂

  13. Oganza, infelizmente, parama pessoa como eu que comiacom farinha, assim como “nosso” corpo principal (eu, Ze e os cara, Paulo osso e BozoH0 estarmos demotivados ate pela falta de fatos, imagino muito ..

    Infelizmenteestamos na parte de baixo da tabela, e no momento imediato ou a medio prazo não vejo perpectivas …

    Concordo, o problema do Brasil é o Brasieiros e detalhe estamos criando um new Brzeleioro o modelo Acefalo (vide o perfiu deeducação eaprendizadoacadêmico0 e sei la cara … vai ficar pior … (e sem papo furado que saia daqui pq quem fala isso faz piciroca nenhuma tbm … )

    Bom, efim,

    As fotos do YM Elixir foram iniciativa de uma amiga, atirou sem olhar e acertou o que não viu, pois era a primeira viagem dele a SSZ e onicio de atividades da Yang Ming (como ela mesmo) por aqui … é o caso de valeu a iniciativa mesmo, mesmo sem saber o que estava fazendo e eu so posso agradecer

    em tempo = um dos nossos (dels) – novinho, mais BP que nos da Mara … (em sua maioria) …

    http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2015/07/rb-smit-caiapo-pp7203-meninos-in-action.html

    8 photos

  14. O PIB brasileiro só demonstra que precisamos de 4 x mais gente e 25 x mais território pra produzir o mesmo que os italianos.

  15. Não entendi a colocação do Wellington. Porque que não haveríamos de discutir uma tecnologia de vanguarda que torna submarinos convencionais bastante próximos operacionalmente de submarinos nucleares, que equipa 9 em 10 das mais modernas marinhas do mundo e que é buscada por quase todas as marinhas de guerra importantes do mundo?

    De resto, parabéns à Suécia.

  16. A tecnologia seria otima para as necessidades, seria… A capacidade de suporte a ser dada ao Sistema AIP limitaria a atuaçao a area litoranea de Santos-Vitoria. Para as demais areaa do litoral, haveria apenas uma operaçao no padrao convencional. Se o foco é a negaçao da area Santos-Vitoria do litoral, se justificaria, se a necessidade é toda costa brasileira não valeria pena pela necessidade de investimentos na infraestrutura de suporte ao longo da costa e sua ociosidade.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here