quinta-feira, junho 30, 2022

Saab Naval

Imagem de satélite mostra provável localização do cruzador Moskva horas antes de afundar

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

Imagem de radar de abertura sintética mostra navio que pode ser o Moskva a cerca de 80 milhas náuticas do porto ucraniano de Odessa, no Mar Negro, na hora local de 18:52 de 13 de abril, dia em que o cruzador russo sofreu incêndio e explosão

O site Naval News publicou nesta noite de sexta-feira, 15 de abril, uma análise de imagem radar proveniente de satélite mostrando o que aparenta ser o cruzador russo Moskva, com outros navios próximos. A imagem foi obtida por radar de abertura sintética (SAR) de satélite, com capacidade de “ver” através das nuvens.

Foi possível perceber, analisando a imagem radar, um navio compatível com o tamanho do Moskva e a situação em que estava, no momento em que o satélite passou pela região (18h52 no horário local) em 13 de abril. Pela primeira vez, foi possível também estabelecer suas coordenadas:  45°10’43.39″N, 30°55’30.54″E, posição que está a leste da Ilha das Cobras, a 80 milhas náuticas de Odessa e a 50 da costa ucraniana (respectivamente, cerca de 145 e 90 quilômetros). O cruzador está cercado de outros navios menores, e provavelmente um deles está a contrabordo, em seu auxílio.

Apesar da natureza das imagens radar desse tipo serem de baixa resolução, o que torna a identificação difícil, o Naval News afirma ter confiança, baseado em análises de várias pessoas, de que ela mostra “as horas finais do navio”. Além disso, a localização é muito próxima à que o cruzador foi captado em 12 de abril, por imagem de satélite. As coordenadas também combinam com os padrões de suas navegações desde o início da invasão à Ucrânia, em março, na qual o Moskva tomou parte ativa.

O Naval News também publicou imagem de satélite de hoje (15 de abril) mostrando a movimentação da Marinha Russa no Mar Vermelho por volta de 18h30, hora local. Duas formaturas de belonaves russas, provavelmente incluindo navios de desembarque, aparecem navegando no rumo noroeste, sugerindo rota para a costa ucraniana. Veja abaixo:

Ainda segundo o site, levando em conta atividades crescentes na base naval russa de Sevastopol, depois reduzida, é possível dizer que os navios deixaram a base e que uma nova operação esteja em andamento.

Clique nos links abaixo para ler matérias anteriores sobre o caso, desde os primeiros informes de incêndio e explosão no navio, até a confirmação (ao menos por parte da inteligência dos Estados Unidos) de que o Moskva foi atingido por mísseis antinavio da Ucrânia, que desde antes da Rússia admitir danos ao cruzador, já alegava tê-lo atacado:

 

 

- Advertisement -

97 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
97 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Anderson Graça

“O cruzador russo Moskva ficará na história. O naufrágio será estudado e escrito, como um evento único e, provavelmente, um momento chave na Guerra”

FQaVBexWUAI6hed.jpg
Silvano

Os equipamentos militares foram feitos para lutarem em guerras, e, eventualmente destruídos em combate.

Imagine se os alemães até hoje estivessem fazendo conta de quantos B-17 derrubaram sobre a Alemanha, e particularmente Berlim? ou quantos M-4 Sherman sucumbiram ao fogo dos seus Panzer? isso não importa, eles perderam a guerra.

Os argentinos até hoje se vangloriam dos navios ingleses afundados na guerra das Malvinas. Isso não importa. Esses navios foram feitos para isso mesmo, lutar em guerras. A Armada Argentina não saiu do porto, não lutaram no mar, e os argentinos perderam a guerra, e isso importa.

Bateunafrentegol

Soldados treinam para matar, se possível não morrendo.

Ze das Couve

50m de profundidade? Dá até para fazer mergulho com cilindro.

Alex Barreto Cypriano

45,2° N; 30,9° L. Parecia estar bem pertinho mesmo.

PhysiographicBlackSea.png
Esteves

”Como o dispositivo SAR fica a bordo da aeronave ou nave espacial…”

A Ucrânia não tem nem um, nem outro.

Esteves

Dr. Fernando,

Esteves pesquisou esses radares…aplicados em VANTS, veículos aéreos tradicionais como aviões tripulados e satélites.

A Ucrânia não tem aviões de vigilância ou satélites para emprego desse radar. Ou Esteves engana-se?

Esteves

“Pela primeira vez, foi possível também estabelecer suas coordenadas: 45°10’43.39″N, 30°55’30.54″E, posição que está a leste da Ilha das Cobras, a 80 milhas náuticas de Odessa e a 50 da costa ucraniana (respectivamente, cerca de 145 e 90 quilômetros).” Antes ou depois, sabiam (OTAN) a localização exata do navio. Por satélite ou por meio aéreo. Compartilhar essa informação… Concordo com o Carcará. Se houvessem recursos à disposição dos ucranianos (como esse radar SAR embarcado em meios aéreos) não teria havido esse celeuma toda…embora tenham afirmado o uso dos mísseis. Bosco também afirmou, ainda em dúvida, que o navio poderia estar no… Read more »

Esteves

Sim. Da Agência Espacial. Para mostrar que o navio estava exposto. Que será impossível determinar quem localizou o navio.

Sera que foi a finada belíssima Grace Kelly?

03618F0B-5797-4D27-B32A-343632D6980E.jpeg
Leandro Costa

Caro Esteves. Adoro esse filme. Jimmy Stewart é um dos meus atores prediletos. Grande piloto de combate, inclusive.

Esteves

Confesso que quando assisti esse filme fiquei como Jesus…entre 2 ladroes…não sabia se admirava a beleza de Grace ou a atuação de Stewart.

No final…os 2 roubaram a atenção do Esteves.

Leandro Costa

A Grace… raramente uma pessoa tem um nome tão adequado 😉

Jacinto

Brigadeiro General, vou até B-52…

carcara_br

Não combina muito com as imagens de um sistema de saturação atirando em direção ao mar.

Bosco

Rsss
Acho que você foi tribuno romana na crucificação. rsss

carcara_br

“A Ucrânia teria diversas maneiras de localizar navio, que não fossem por satélite, para o ataque, se é isso que está querendo dizer.”
Não combina pra quem possui capacidade nativa de localizar e atacar o navio atirar em direção ao mar com sistemas de saturação.
Só estou dizendo que eram muito pobres a evidências de um ataque marítimo sofisticado por parte dos ucranianos, se não me engano tentaram um assalto rápido com lanchas também. Se tinham a disposição uma ferramenta semelhante ao Kh-35 desde o inicio já a teria usado.

Last edited 2 meses atrás by carcara_br
carcara_br

Mas ai fica difícil, as vezes é preciso integrar as informações das capacidades demonstradas pelas forças ucranianas em outras notícias. sei lá, está tarde chega de ginastica por hoje rsrsrs.

Agressor's

Por um outro lado, assumir que foram os ucranianos é menos vergonhoso do que dizer que foi pela própria culpa….Não é?

carcara_br

sim reconheço todas as dúvidas, inclusive aquelas que colocam a OTAN num papel central na realização do ataque.
Relaxe e abaixe mais a bola em relação aos exercícios cerebrais.

Esteves

Dr Fernando está a mil.

George

Mas o que uma coisa tem com a outra? A imagem é pós ataque (vou repetir) PÓS ATAQUE.

Jacinto

O Carcará quer disfarçar a incompetência russa atribuindo o ataque à OTAN por acreditar ser impossível à Ucrânia localizar um navio gigante, que opera um radar que despeja enorme potência nos 300km que separam a Criméia da Ucrânia…

Henrique

Sem dúvida os americanos estão fornecendo inteligência aos ucranianos. Aquele monte de órbitas feitas pelos P-8 no mar negro foram de graça? Não, eles passaram informação aos ucranianos, o vacilo foi dos russos em posicionar o navio ao alcance das armas do inimigo.

Last edited 2 meses atrás by Henrique
Jacinto

E o fato de um navio armado (literalmente) com centenas de mísseis antiaéreos não ter sido capaz de destruir 2 míseros mísseis de cruzeiro não é vacilo?

Teropode 🇺🇦Slava Ucraina

Deveriam ter abatido o P-8 , onde já se viu suportar este fuxiqueiro !

Eduardo Angelo Pasin

Em todas as possibilidades do que causou o afundamento do navio a russia foi feita de trouxa de uma maneira brilhante.

Last edited 2 meses atrás by Eduardo Angelo Pasin
Jefferson Ferreira

Fato!

carcara_br

Bom a questão então é saber o tamanho do envolvimento da OTAN.

Esteves

Um tamanho enorme.

carcara_br

caso encerrado.

Agressor's

A vingança russa costuma ser sádica e violenta. De onde menos se espera a resposta virá! E Bismark, Yamato…É engraçado como na história todos navios grandes de guerra sempre afundam com uma facilidade com ataques como esse. A facilidade com que o cruzador russo foi afundado torna todos os porta-aviões obsoletos. Os drones de guerra e os mísseis modernos de hoje mudaram a guerra. Os navios dos eua são igualmente vulneráveis. Isso serve de lição em certas republiquetas onde a classe dirigente tenta incutir na sociedade que ninguém pode contra o domínio ou a força das potências hegemônicas e que… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Agressor's
Leandro Costa

Qualquer navio de guerra sempre esteve sujeito à ser atacado de um número exorbitante de formas diferentes ao longo dos séculos. Cada navio desses tem um propósito dentro de um ambiente de combate. Mísseis e drones não podem simplesmente substituir o que um porta-aviões faz em praticamente todos os cenários que se possa imaginar. De fato, um porta-aviões pode muito bem providenciar os drones e mísseis de qualquer determinado cenário. Cabe àqueles que estiverem usando o porta-aviões terem consciência situacional o suficiente para não exporem seu navio à fogo inimigo de forma desnecessária, da forma que os Russos expuseram o… Read more »

Esteves

Ele tinha uma boa cinta de blindagem para defendê-lo de canhões.

O primeiro torpedo atingiu o leme. Não se sabe porque o navio emborcou ficando exposto a mais 2 torpedos na linha d’água.

Qual o valor de um navio desse e…qual o valor de 3 torpedos?

https://pt.wikipedia.org/wiki/HMS_Prince_of_Wales_(53)

Leandro Costa

Nessas horas eu lembro do Hunley, que com um ‘torpedo arpão’ afundou um navio da União que fazia parte do bloqueio de Charleston. Sempre vão tentar bolar maneiras mais econômicas de enfrentar o inimigo. Um outro bom exemplo disso é o emprego de mísseis anticarro. São extremamente eficientes, mas não conseguem tirar o valor do carro de combate da equação.

Esteves
Leandro Costa

Sim, ele se perdeu nessa ação. Fizeram até filme. Acho que era com o Armand Assante. Vi uma vez, mas faz bastante tempo.

Esteves

Contam a história nesses canais de documentários.

José Marinho

A Nato não esta esta a interferir na missão de paz da Russia, só esta a fornecer armamento e informaçoes dos serviços de inteligencia aos Ucranianos para combater a guerra oculta que a Russia esta a fazer sem a declarar.

Heinz Guderian

Onde está o Moskva?

Agressor's

Minha opinião: isso nunca foi os ucranianos…

Marcos10

Mas Putin vai fingir que foi.

carcara_br

Pior que numa situação de guerra isso não é “fingimento”, eles literalmente podiam estar investigando sem saber exatamente o que os atingiu. Quem tentou disfarças mas deve estar envolvido até a pontinha do fio de cabelo são os EUA.
Só colocaram os panos quentes, fazendo questão de divulgar a “reação”, vai dar b*.

Não estou retrucando, apenas colocando meu ponto, eu vi as aspas ali.

Last edited 2 meses atrás by carcara_br
Esteves

Vai.

337A28B6-0387-402A-B985-3AE8344DC7D2.jpeg
Esteves

Dizem que fomos nós…que mostramos o navio.

0A0B4DF1-2B2F-41DD-8C56-37C97B176132.png
Bosco

Seja o tamanho que for se foi utilizado mísseis Neptune não exime os russos de não terem sido competentes em se defender de alguma maneira, em alguma fase do “evento”. Diferente de um ataque a um alvo fixo que não há como detectar prematuramente a “cadeia de eventos” , no caso de um ataque OTH contra um navio essa “cadeia” salta aos olhos. Essa cadeia de eventos (kill chain) tinha que ter sido interferida/bloqueada em algum ponto desde a tentativa de detecção do navio até momentos antes do impacto. Salvo maiores informações parece até que os russos foram pegos de… Read more »

Esteves

Pensei nisso. Um navio com tal capacidade sem ter apresentado defesa contra um ataque saturado? Não parece crível.

carcara_br

Só ficaram sabendo do ataque quando os mísseis explodiram (caso se confirme)?
não sei, acha o operador de radar se ele sobreviveu e pergunta.
Em tese sim Bosco, na prática o navio está no fundo do mar. Calma, podia ter sido um PA americano não existe arma infalível.

Bosco

Carcara, Um PA americano continuaria flutuando após o impacto de uns 10 Zircons. Em termos de torpedos provavelmente continua flutuando após a explosão de 2 ou 3 Type 65. *Flutuando não significa operando. – Sobre a tão incompreendida “kill chain” ela pode ser bem entendida pela descrição dos eventos que antecederam ao impacto de um Exocet na fragata Stark, lançado por um Mirage. Toda a kill chain foi detectada mas por uma série de fatores não foi possível implementar uma defesa à tempo. Um dos fatores principais era a localização do único CIWS Phalanx nas fragatas OHP. No caso foi… Read more »

carcara_br

Depois de ler umas 10 vezes não entendi se a primeira parte deste comentário foi sério ou uma brincadeira.

Reinaldo Deprera

Com certeza foi sério

carcara_br

ta serto.

Agressor's

Tendo em conta os muitos acidentes com explosões nos navios e até nos submarinos russos tanto pode ter sido uma explosão interna como por ter sido atingido por um míssil…

Bosco

É uma possibilidade, mas eu não acredito muito não. O Moskva era muito bonito e imponente mas já tava meio gagá. rssss

Agressor's

Os sistemas de mísseis ICBM’s e toda a espinha dorsal da força aérea estadunidense também andam meios, “gagá”. E o batismo de fogo do “abacaxi” só com açúcar e canela pra fazer no churrasco, né seu dotô Bosco! E olha, que o Pato Donald tenha cuidado daqui pra frente que a temporada de tiro ao pato foi aberta pelos russos agora, e o SU-57 voa por aí a espreita… 😀 😛

_RR_

Pouco importa se a força de ICBM é antiquada. Interessa que funcione… E considerando a virtual inexistência de defesas russas contra ICBM fora da zona de Moscou, importa menos ainda… Qualquer coisa vai chegar e fazer ‘bum’. Do jeito que aquele território é imenso, periga até de um B-52, usando bombas de queda livre, passar… O “abacaxi” foi testado em combate pela força aérea mais competente do planeta, atravessando as defesas aéreas mais fartamente abastecidas pelo melhor que os russos fornecem ali no Oriente Médio… e não há provas que qualquer radar, seja russo ou não, tenha localizado as tantas… Read more »

Anderson Graça

Parece que foi assim que o ataque do míssil Neptune aconteceu no Moskva. Observe que a distância é de cerca de 100 km (cerca de 60 milhas). Vários drones Bayraktar fabricados na Turquia voaram para o lado frontal / estibordo (direita) para distrair o radar, enquanto 2 mísseis Neptune atacaram o lado do porto (esquerdo) provavelmente por trás

FQbC6lPXoAMFvKY.png
Bosco

Anderson,
Não existe isso de “distrair” radar. Provavelmente os drones seriam detectados pelo radar de busca aérea mas os mísseis sea-skimming seria detectados pelo radar de busca de superfície e pelo radar de busca associado ao sistema de mísseis SA-N-4 (um de cada lado).
O engajamento pelos CIWS se dá pelos 3 radares MR-123 (1 radar para dois CIWS AK-630)

Esteves

Bosco,

Isso tá parecendo as Falklands. Míssil sea skimming chegando na linha do horizonte. Qual seria a resposta? Doutor Fernando afirmou que os 2 mísseis a 30 km de distância…não sei a velocidade…fatal. Também não sei a carga explosiva e se de fato dependeria de acertar o arsenal do navio. Tem defesa?

Especulações.

Bosco

Esteves, Em tese um míssil a 3 metros de altura poderia ser detectado por um navio com uma antena de radar a 20 metros de altura a uma distância de 25 km. Estando o míssil a 300 m/s e haveria um tempo de reação de 83 segundos. Na prática é diferente porque o míssil não é detectado logo que aparece no horizonte por 2 motivos: 1- depende do desempenho do radar do navio X o RCS do míssil 2- depende do desempenho do radar do navio X a altura do míssil devido ao “ruído” de fundo X o estado do… Read more »

Leandro Costa

Boscão, o quanto condições metereologicas adversas podem influenciar na detecção de mísseis sea skimming por parte de um radar, digamos ‘não tão moderno?’

Bosco

Leandro,
Vale salientar que com o estado do mar mais “grosso” o míssil voa mais alto, o que auxilia a defesa. Ele é capaz de perceber o estado do mar e regula a sua altitude.
Por outro lado o ruído de fundo aumenta, o que prejudica a detecção prematura. rss
Se eu fosse apostar eu apostaria que quanto pior o estado do mar a detecção do míssil fica prejudicada. Ou seja, melhor para o atacante.

Esteves

Bosco,

Vamos lá. Aproveitando a gentileza de quem entende e compartilha.

30 segundos. É uma reação humana ou automática? Nesses 30 segundos…há exercícios e aprestamento para esse momento…os sistemas do navio respondem com autonomia? Existe autonomia nesses momentos?

Bosco

Esteves,
Os sistemas de gerenciamento dos de navios de guerra (sistema de combate) atuais são bem automatizados.
Não sei o caso específico do Moskva.
Na época das Malvinas o nível de automação era menor.
Automático mesmo só o Phalanx quando colocado no modo “automático” e aí atirava em tudo que considerava ameaça, mas não era utilizado pelos britânicos.

Jacinto

O USS Mason, da Marinha dos EUA foi atacada por misseis em 2016 – Os EUA dispararam 2 SM2, 1 ESSM e ainda dispararam um “isca” Nulka para se livrarem do ataque.

Nick

Caro Bosco,

E se o Neptune tiver algum nível de furtividade que desconhecemos?? Também fiquei intrigado com a inoperância dos CIWS do Moskva. Por outro lado é bom lembrar que o cruzador é um navio dos anos 80, o quanto seus sistemas estavam atualizados???

Bosco

Pode ser. Só o que dificulta um pouco a furtividade do Neptune é o seeker radar ativo.
Se foi lançado na direção geral do alvo, designado por triangulação de sinais, aí ainda piora porque o radar do míssil tem que ser ativada mais prematuramente dando mais oportunidade dos sistemas MAGE do navio de detectarem o míssil passivamente.
Uma designação mais precisa faz com que o seeker seja ativado muito mais próximo do navio alvo dando menos tempo.

Leandro Costa

Eu suspeito que tenha ocorrido algo semelhante ao que aconteceu com a HMS Broadsword durante as Falklands, mas não tenho informações suficientes sobre os sistemas soviéticos para conseguir elaborar essa suspeita.

Romanian Tiger

É, agora não dá mais pra defender o S-300. Achei que estava muito mais perto e ao sul da ilha Zmiinyi, mas nessa posição e distância aí… mesmo que o ataque veio do leste se escondendo na sombra da ilha, ainda assim teriam tempo suficiente pra rastrear, fazer um miojo e interceptar os misseis. Mais sem pé nem cabeça ainda é a história que usaram um drone de 200km/h pra “distrair” os russos. Mas nessa posição é mais crível que da costa um radar ucraniano direcionou o ataque também. Se duvidar o S-300 nem tava funcionando, o navio estava ali… Read more »

Pablo Maroka

um verdadeiro coral flutuante.

Adriano madureira

O ruim desse navio afundar é que a motorização dele é nuclear não é?

Além da perda material,ainda será uma ameaça ambiental,pois duvido muito que os russos façam algo quanto a tal problema,talvez tentem salvar seus mísseis,posso estar até enganado quanto a isso também.

Esteves

4 turbinas a gás COGOG
2 eixos de 121,000 SHP

Leandro Costa

Nucleares são os Kirov. Não se sabe se o Moskva carregava alguma ogiva nuclear, mas se carregava, estão à salvo no fundo do mar negro. Se tivesse ocorrido algum comprometimento de material nuclear, o aumento do nível de radiação já teria sido detectado.

Esteves

Somente no cinema.

https://youtu.be/o87ZC4mmbC8

MIGUEL

Dai a razão para a MB investir em Submarinos… A frota de superfície não tem furtividade.

Esteves

Furtivo é o meio no qual o submarino opera. Submerso. Oculto pelo mar.

Leandro Costa

O Moskva vinha fazendo um itinerário muito repetitivo dentro de uma área relativamente pequena, dentro do não-tão-grande Mar Negro e, salvo engano não parece que operava em EMCON, o que facilita ainda mais ser localizado.

Em alto mar a coisa muda de figura, e fica bem mais difícil detectar até um bom número de navios de superfície. Mas hoje em dia há concentração de satélites o suficiente para tornar a tarefa de não ser detectado mais difícil.

MIGUEL

A MB sempre esteve certa em apostar grande parte das suas verbas na dissuasão submarina, mas essa guerra esta mostrando a inutilidade de muitas Armas, agora é a era dos Drones, da Inteligência Artificial…

Esteves

Quais foram as armas inúteis que essa guerra mostrou? A grande parte das verbas da MB está apostada em outra coisa: gente.

Last edited 2 meses atrás by Esteves
Reinaldo Deprera

Ele deve ter ficado naquela camada venenosa que existe no Mar Negro onde os navios ficam muito bem conservados

jonas123

Durante decadas tivemos a discussao de quem afundou o Bismarck; se foi a tripulacao alema que abriu as valvulas de fundo ou os ingleses depois de lancarem um torpedo do Cruzador Dorsetshire. Agora fica a questao de quem afundou o Moskva. Se foram os Russos que tiveram um acidente a bordo ou os ucranianos com um missil

CVN76

Parece que o comandante do navio, o Capitão de Mar e Guerra, Anton Krupin faleceu no episódio.

Marcos10

O comandante do Moshkva mórreo!
Os russos vão ficar sem comandantes.

pronoia

Acabei de formar uma opinião, não foram misseis que destruiram o Moskva.

Numa explosão / incendio desse tipo, morrem tripulantes se não me engano eram uns 600, morreu algum ou não ?

Continua havendo muita coisa que não encaixa nesse caso. Algum dia a verdade sera divulgada.

Sigo me lembrando da afirmação norte americana que do seu satelite não se conseguiu ver nada devido ao mau tempo. O satelite europeu é melhor que o norte americano ?

Pronoia

Veja, eu ouvi essa noticia no youtube, tentei localizar o video com a informação agora e não achei, a informação provinha do governo americano, não sei de quem, desculpe.

Entretanto achei um video, com as imagens de satelite aqui do site (BIR Video), a primeira imagem com aparente impacto de missil me deixa confuso, quem fotografou, pois esta num video que deve ser europeu.

Last edited 2 meses atrás by Pronoia
Pronoia

A foto inicial parece o rastro de fogo deixado pelo lançamento (não um impacto) de um missil do Moskva, onde se fez uma foto para que não se observa-se o missil sendo lançado. A foto foi colocada lá para dar uma idéia do impacto de um missil. Estarei eu errado ?

Last edited 2 meses atrás by Pronoia
Publicidade
Parceiro

Últimas Notícias

Navios da Marinha serão abertos para visitação neste fim de semana em Vitória (ES)

Serão diversas embarcações e cerca de 1.700 militares atuando durante operação da Marinha do Brasil Quem tem vontade de conhecer...
- Advertisement -