Maquete submarino nuclear no Espaço Cultural da Marinha no Rio de Janeiro - foto 2 Nunão - Poder Naval

vinheta-clipping-navalO corte nos gastos do Ministério da Defesa neste ano está levando os comandos militares a propor medidas inusitadas de economia. Por causa da redução de R$ 3,68 bilhões nas verbas orçamentárias das Forças Armadas anunciada em maio, o comando da Marinha chegou a determinar a redução da sua jornada de trabalho em um dia, às sextas-feiras, como forma de economizar os recursos orçamentários.

A decisão de reduzir a jornada, no entanto, foi considerada “precipitada” pelo ministro da Defesa, Celso Amorim, que pediu que ela fosse reconsiderada, segundo fonte da área militar. No início da noite de ontem, o centro de comunicação social da Marinha divulgou nota oficial dizendo que “após análise subsequente e consonante com as novas tratativas com o Ministério da Defesa, tal medida não será adotada”.

A situação se agravou na área militar com o novo corte de R$ 919,4 milhões nas dotações orçamentárias do Ministério da Defesa, definido em decreto publicado ontem pelo “Diário Oficial da União”. Oficialmente, o Ministério da Defesa informou que ainda irá discutir com os comandantes do Exército, da Aeronáutica e da Marinha as medidas que serão adotadas para que as Forças Armadas possam cumprir as novas metas de despesa.

Mas fonte da área militar informou que Amorim iniciará negociações imediatas com a área econômica com objetivo de reverter, pelo menos em parte, o novo corte. No total, a redução das dotações orçamentárias da Defesa já atinge R$ 4,59 bilhões, o que corresponde a 24,6% dos gastos com custeio e investimento do ministério previstos na lei orçamentária, sem considerar o pagamento de salários. “Se não houver uma recomposição (da despesa), a situação vai ficar muito difícil”, disse a fonte.

Maquete de reator nuclear no Centro Cultural da Marinha em São Paulo - foto Nunão - Poder NavalOs militares estão fazendo tudo para que os cortes não atinjam os investimentos estratégicos das três Forças, como o programa do submarino nuclear da Marinha, a produção do avião de transporte militar KC 390 e a família de blindados médios de rodas. Por isso, a Marinha considerou, como uma das medidas de economia a ser adotada, a redução da jornada de trabalho.

O comando da Aeronáutica também discute o que fazer para se ajustar aos cortes. A assessoria da Aeronáutica informou ontem que ainda não há decisão, mas que serão adotadas “as medidas que se fizerem necessárias”. Antes da nota oficial que suspendeu a redução da jornada de trabalho, o comando da Marinha advertira, em comunicado, a necessidade de mais medidas de economia para atender ao novo corte nos gastos.

A redução total no limite de empenho das dotações orçamentárias neste ano foi de R$ 4,3 bilhões, de acordo com o decreto 8.062 publicado ontem. O empenho é a primeira etapa da execução orçamentária e significa que o órgão público foi autorizado a fazer o gasto. Cada ministério possui um limite para empenho e para pagamentos. O limite de pagamentos foi reduzido em R$ 3,75 bilhões.

O maior corte ocorreu nas dotações do Ministério da Fazenda, que perdeu R$ 990 milhões. A redução das despesas nos ministérios da Fazenda e da Defesa representam 44,2% do total do corte no limite de empenho. Os cortes deverão atingir os gastos de custeio, exceto as despesas com o pagamento de pessoal, as despesas com viagens e diárias e os contratos de terceirização de serviços, de acordo com fontes da área econômica. A redução das despesas atingiu até mesmo o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Os Ministérios da Saúde e da Educação não sofreram cortes.

FONTE: Valor Econômico, via Notimp

VEJA TAMBÉM:

Tags: , , , ,

About Fernando "Nunão" De Martini

View all posts by Fernando "Nunão" De Martini

10 Responses to “Militares não sabem onde cortar gastos e propõem reduzir um dia de trabalho” Subscribe

  1. Vader 31 de julho de 2013 at 12:01 #

    Nada de novo, isso aí já era previsível.

  2. Edgar 31 de julho de 2013 at 13:53 #

    PROSUPER e SisGAAz já eram então.

    Resta saber se a “força” dos impliqués no PROSUB vai mantê-lo de pé.

  3. joseboscojr 31 de julho de 2013 at 16:46 #

    Está cada vez mais distante a possibilidade de eu vir a trocar meu nome para Nabuco.

  4. Fernando "Nunão" De Martini 31 de julho de 2013 at 16:56 #

    Sim, Bosco, a gente não esqueceu da aposta. Está anotada sua promessa em relação ao submarino nuclear (o tio google não perdoa, encontra tudo…):

    “joseboscojr disse:
    8 de novembro de 2012 às 11:31
    Quanto ao nosso SubNuc eu duvido que vá ao mar antes de 2040. Falta só 28 anos, e lembrem-se, ainda não foi fabricado sequer um parafusinho dele.
    Se estiver errado mudo meu nome pra “Nabuco” com o maior prazer.rsrsss”

  5. joseboscojr 31 de julho de 2013 at 17:02 #

    Pô Nunão! Agora cê pegou pesado. Eu jurava que era 2030.
    rsrsss
    Mesmo porque eu tenho que estar vivo pra poder cumprir a promessa. rsrsss

  6. Fernando "Nunão" De Martini 31 de julho de 2013 at 17:03 #

    Se bem que eu achei essa outra aposta dos diálogos abaixo, no Poder Aéreo, que eu acho que vc já perdeu, meu caro José “Nabuco” Bosco:

    “joseboscojr disse:
    14 de abril de 2013 às 18:30
    Soyus,
    Tudo bem que o canhão pesa apenas 100 kg, mas quanto mais deve ser acrescentado à estrutura do caça para que ele possa suportar o canhão?
    (…)
    Mudo meu nome pra Nabuco se um canhão não somar pelo menos 1 tonelada ao peso do caça.”

    Duas horas e meia depois:

    “joseboscojr em 14/04/2013 as 21:00
    Posso ter exagerado no “uma tonelada”, mas não fica muito longe não.”

    Uma hora e quinze depois:

    “Fernando “Nunão” De Martini disse:
    14 de abril de 2013 às 22:15
    kkkkkkk!!! Essa ressalva duas horas e meia depois de seu outro comentário foi medo de que a gente começasse a te chamar de Nabuco???? rsrsrsrs
    Abs!!!!”


    No dia seguinte:


    “Ivan disse:
    15 de abril de 2013 às 10:38
    José Nabuco Bosco Jr., :)
    Estou recuperando a esperança que meu amigo e mestre um dia entenda a importância de uma segunda arma de curto alcance, mas apenas de forma teórica, obviamente.”

  7. joseboscojr 31 de julho de 2013 at 17:08 #

    Realmente no caso da “uma tonelada” eu exagerei mas é porque eu estava com o A-10/GAU-8 na cabeça. rsrsss
    Vou parar de apostar…

  8. Fernando "Nunão" De Martini 31 de julho de 2013 at 17:47 #

    Nabubosco, os militares não sabem onde cortar gastos e você não sabe que nome quer ter!

    Lamentável, lamentável…

  9. MO 31 de julho de 2013 at 18:26 #

    Para o Nabubosco and demais eventuais enteressados, com video and the iscambau, to ficando xique, um Kamsarmax de 81.601 dwt … and manobras entre 22 e 27/07

    http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2013/07/mv-oriental-wise-vrim4-embaruque-de.html

    http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2013/07/manobras-entre-22-e-2707.html

  10. ernaniborges 31 de julho de 2013 at 23:23 #

    Pobre Nação rica…

    Para ficar ruim teremos que melhorar muuuuito.

    Garantam apenas o sufuciente para comprar um cadeado e que o último a sair tranque a porta… PT saudações.

Leave a Reply

You must be logged in to post a comment.

Marinha Russa receberá novo míssil de cruzeiro ‘secreto’

Aleksêi Ramm, especial para Gazeta Russa O míssil de cruzeiro, cujas especificações técnicas estão sendo mantidas em segredo, passou nos […]

Saab fará revisão no submarino HMS ‘Halland’ da Marinha Sueca

Nesta segunda-feira, 29 de setembro, a empresa sueca Saab divulgou nota sobre informando que fará a revisão do submarino HMS […]

VÍDEO: Centro de Coordenação, Comunicações e Operações de Tráfego – C3OT da Praticagem do Porto de Santos-SP

Assista no vídeo o novo Centro de Coordenação, Comunicações e Operações de Tráfego – C3OT, da Praticagem do Porto de […]

Marinha do Brasil abre 738 vagas para nível técnico

Quem possui curso técnico de Nível Médio ou está em fase de conclusão, não pode perder a oportunidade de ingressar […]

Compre agora sua revista Forças de Defesa número 11

Outra revista igual a essa, só daqui a 100 anos! A Revista Forças de Defesa 11ª edição de 140 páginas na versão impressa […]

VÍDEO: As duas primeiras fragatas FREMM da Marinha Francesa operando juntas

No final de junho de 2014, as duas primeiras fragatas FREMM Aquitaine e Normandy, construídas para a Marine Nationale, conduziram […]