Home Marinha do Brasil Mais um passo rumo às novas corvetas: contrato com Emgepron

Mais um passo rumo às novas corvetas: contrato com Emgepron

810
36

CV03-02

Abaixo, extrato de dispensa de licitação contratando a Emgepron para serviços no projeto de obtenção da nova classe de corvetas da Marinha. O extrato foi publicado na edição de terça-feira, 2 de setembro, do Diário Oficial da União.

EXTRATO DE DISPENSA DE LICITAÇÃO

TJDL N.º 04/2014; Objeto: Contratação de serviços técnicos especializados de assessoramento, vinculados ao projeto de obtenção de uma nova Classe de Corveta para a Marinha do Brasil (MB).

Empresa: EMPRESA GERENCIAL DE PROJETOS NAVAIS, CNPJ: 27.816.487/0001-31.

Valor: R$ 1.854.331,60 (um milhão, oitocentos e cinquenta e quatro mil, trezentos e trinta e um reais e sessenta centavos);

Enquadramento: Art. 24, VIII da Lei nº 8.666/1993. Processo nº 63007.002184/2014-14;

Aprovado por DAS-102-2 HERALDO MESSEDER DE SOUZA, Ordenador de Despesa;

Ratificado por: V.Alte (EN) FRANCISCO ROBERTO PORTELLA DEIANA em 27/08/2014, nos termos do art. 26 da Lei nº 8.666/1993

FONTE: Diário Oficial da União (clique no link para acessar a página de publicação no DOU)

IMAGEM em caráter meramente ilustrativo, via Alide

VEJA TAMBÉM:

36
Deixe um comentário

avatar
33 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
15 Comment authors
Israel E S MartinsRoberto BozzoLywci_pin_hajoseboscojr Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

e mais um prego no caixão do Prosuper….

They had a dream……..

Grande abraço

Carlos Soares
Visitante
Carlos Soares

É caro Juárez, o script se repete …. todos os dias.

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

Esse navio precisa de um regime, urgente!!!

wwolf22
Visitante
wwolf22

Por favor, preciso de ajuda !!!!!!
Vcs podem me confirmar se essa foto eh puramente ilustrativa ?!?!?!?!
Eh de muito mau gosto botar um” heli esquilo” no projeto de uma corveta…
Gezuiz….
e o projeto das novas “barroso ?? foi a pique ou eh essa licitação ai ?!?!

Adam Foerster
Visitante

Onde ficam os lançadores de torpedos nessa corveta?

Adam Foerster
Visitante

Hmmm, agora faz sentido aquela abertura kkkk.
Obrigado.

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezados, Conforme informado pelo Nunão, a Vard Niterói deve entregar o projeto detalhado das futuras corvetas até novembro. Estamos na terceira fase de obtenção deste programa, conforme já explicado pelo Poder Naval (http://www.naval.com.br/blog/2014/07/18/processo-de-obtencao-de-meios-na-marinha-do-brasil/) “3º – PROJETO BÁSICO DE ENGENHARIA: a) P. CONCEPÇÃO: Detalha-se a performance dos sistemas da Configuração de Meio selecionada pelo CM. Inicia-se o Apoio Logístico Integrado (ALI). Resulta nas Especificações de Alto Nível dos Sistemas (EANS). b) P. PRELIMINAR: São efetuados os ensaios de modelo no casco proposto (e hélice, se for o caso) e inicia-se a aquisição dos itens de impacto no projeto (longo prazo de… Read more »

marciomacedo
Visitante
marciomacedo

O projeto CV-3 pode ser, sim, um indício que o Prosuper foi para o saco. Se é assim, deveria apostar num navio de, pelo menos, do porte de nossas atuais fragatas. Vá entender! Para os amigos que acreditam que crise econômica é um limitador de programas navais: na década de 30 do século passado, no auge da grande recessão, a MB se lançou um programa naval que incluía, se não engano, pelo menos nove contratorpedeiros.

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Complementando…

Com a entrega do projeto detalhado, entra-se na 4ª Fase do Processo.

daltonl
Membro
Member
daltonl

marcio… eram nove sim, os 3 “Ms” e os 6 “Acres”. Os “Ms” ainda ficaram prontos para servir em 1944 enquanto os “Acres” foram terminados muito depois do fim da guerra quando então já eram considerados obsoletos. Mas era uma situação diferente, pois os CTs que tinhamos eram antigos, pequenos,movidos a carvão com exceção de um e completamente inadequados para a guerra que se avizinhava e apenas cumpriam funções secundárias. Estvamos em situação muito pior que a de hoje mesmo com navios da IV Frota dos EUA já bem presentes por aqui no fim dos anos 30 e toda a… Read more »

Baschera
Visitante
Baschera

A V-34 levou 14 anos para ser lança ao mar….. e acabou sendo filha única.

Esta ai vai levar quanto tempo ??

Sds.

Baschera
Visitante
Baschera

Lançada e não “lança”….

Sds.

juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

Basca, na média vão levar 60 anos para construir a quatro.

Grande abraço

joseboscojr
Membro
Member
joseboscojr

Se o míssil sup-ar escolhido for o ESSM vai ser o segundo prego.rrssss

E pelo amor de Deus, mandem tirar esse Mk-8 daí.

Com exceção do Mk-8 ela está bem equilibrado.
Eu chuto:
1 canhão principal (tomara que seja o SR 76 mm)
1 CIWS (o Dardo ou similar com 2 40L70))
2 lançadores de torpedos (provavelmente, duplos)
4 lançadores de SSMs (seria bom se fosse os Exocets block 3)
12 células do VLS Mk-56 com 24 ESSM (chute puro)
2 canhões Mk-38/2 (outro chute, esse de trivela)
1 Lynx.

joseboscojr
Membro
Member
joseboscojr

O problema do meu chute é que esbarra na aparente falta de radares de iluminação para o ESSM.
Pelo modelo 3D tá mais pra um míssil autoguiado, sé é que terá um sistema de mísseis sup-ar.
Parece que pelo menos de um dos lados do hangar há uma área de lançadores verticais (???).
Mesmo não tendo um sistema de mísseis sup-ar, se tiver um SR na proa e um Dardo ou o Twin 40L70 Compact, voltado pra popa, já estará bem melhor que a proteção das atuais corvetas.

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Bosco,

É por aí mesmo. O caminho é esse.

Com a revisão no projeto do MAN-SUP, que alterou seus requisitos, a MB terá um SSM com as mesmas capacidades do Exocet Block 3.

joseboscojr
Membro
Member
joseboscojr

Nunão,
Dezesseis pra 24 não é uma diferença tão grande, mesmo porque os lançadores Mk-56 comportam cada um, dois ESSMs, o que precisaria só de 12 lançadores, enquanto o que se vê são 16, mas concordo que por esse novo ângulo parece que serão mísseis menores.

Quanto aos torpedos parece que serão mesmo lançadores Mk-32 triplos, agora, é pouco usual lançadores triplos montados internamente. Mais comum é serem duplos.
https://4.bp.blogspot.com/-XrFjdW8eJ1o/TVvezsaYQaI/AAAAAAAAIRs/74-BQ02ZwKQ/s400/Mk32Mod_Naval%2BHistory.jpg

Quanto aos Mk-38/2 eu acho que nem são úteis no nosso TO, mas me pareceu serem eles à vante dos SSMs.

Luiz Monteiro
Visitante
Luiz Monteiro

Prezados Nunao e Bosco,

Se vocês me permitem, eu chutaria:

Canhão OTO Melara 76 mm;
VLS para mísseis Sea Ceptor/ ASTER 15;
4 Exocet / MAN-SUP,
2 triplos para torpedos Mk46;
40 mm sobre o hangar;
2 metralhadoras .50;
1 helicóptero orgânico Lynx

ci_pin_ha
Visitante
ci_pin_ha

Poder-se-ia colocar o RIM-116 RAM como defesa antiaérea, assim como ocorre na MEKO 130.

juarezmartinez
Visitante
juarezmartinez

Luiz Monteiro 5 de setembro de 2014 at 0:27 #

Prezados Nunao e Bosco,

Se vocês me permitem, eu chutaria:

Canhão OTO Melara 76 mm;
VLS para mísseis Sea Ceptor/ ASTER 15;
4 Exocet / MAN-SUP,
2 triplos para torpedos Mk46;
40 mm sobre o hangar;
2 metralhadoras .50;
1 helicóptero orgânico Lynx

Pedindo permissão ao comandante LM, eu diria que está a éí a configuração final de armamentos com o Sea Ceptor correndo com um cavalo a frente dos demais.

Evidentemente que tudo isto só acontecerá se tiver $$$$ no orçamento.

Grande abraço

marciomacedo
Visitante
marciomacedo

Comandante, quantos mísseis AA o senhor estima que a CV-3 terá?

wwolf22
Visitante
wwolf22

Bosco,
a MB nao tem um CIWS exposto como “estatua” ?!?! tiramos algum proveito desse unico CIWS que não chegou a ser utilizado ???
outra pergunta, a MB não tinha assinado um memorando ou algo do gênero com a Africa do Sul para compra/producao/desenvolvimento do unkonto ??? que fim deu essa parceria ??

joseboscojr
Membro
Member
joseboscojr

Wwolf,
A Marinha tem um Phalanx no Mattoso Maia, mas que não está funcionando, e até onde eu sei ele não serviu nem pra engenharia reversa. rsrssss
Quanto ao Umkhonto, não me lembro desse acordo não.
Quem sabe alguém se lembra?

wwolf22
Visitante
wwolf22

Bosco, vou procurar essa reportagem do Umkhonto…
achei… realmente, nao passou de uma hipótese…
quem sabe nao se torne viável…

http://www.naval.com.br/blog/2010/01/24/brasil-estuda-segundo-projeto-de-misseis-com-a-africa-do-sul/

joseboscojr
Membro
Member
joseboscojr

Realmente Wolf. Eu nem lembrava mais. Acho que foi mais especulação na época.
Um abraço.

Lyw
Visitante
Lyw

Boscão o Umkhonto já foi descartado… Tem matéria a respeito disto no site da Alide.

Roberto Bozzo
Visitante
Roberto Bozzo

Srs, pelo que esta na Alide a MB esta para se decidir entre o Sea Ceptor e o ESSM para as novas corvetas. Os demais modelos já foram descartados.

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

Tá pior que a classe das corvetas tortinhas, mto pior!!!
Deleta e faz de novo.

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

Ou paga p/ os chineses, ensinarem como copiar a Type 56.

joseboscojr
Membro
Member
joseboscojr

Lyw, Eu não coloquei o Umkhonto na “minha” configuração não. Luiz Monteiro, Me parece que o CIWS será um reparo duplo de 40 mm (????). Do jeito que está na imagem 3D ela sugere que tem potencial de resolver todas as deficiências da Barroso. Um radar 3D, um canhão multifuncional de 76 mm, uma configuração mais furtiva, um sistema de mísseis de defesa de ponto em estado da arte, um CIWS mais letal (se for o reparo duplo de 40 mm). O SSM ainda será, de acordo com o Luiz Monteiro, propulsado por motor foguete,o que não acrescenta muito em… Read more »

Israel E S Martins
Visitante
Israel E S Martins

Bosco,

Não teria como chamar o fabricante para reparar a Phalanx no Mattoso Maia? Você ou Wwolf ou o “Nunão” ou alguém por aqui não saberia de nenhum projeto para a construção de um Phalanx made in Brazil?