corveta classe Visby HMS Nykoping suspende de Karlskrona em 18-4-2016 - foto Forcas Armadas Suecas

Exercícios de guerra antissubmarino na região do Arquipélago de Estocolmo vão até 28 de abril

Em nota divulgada na terça-feira, 19 de abril, as Forças Armadas da Suécia informaram sobre o início de exercícios de guerra antissubmarino (ASW) na região do Arquipélago de Estocolmo, envolvendo corvetas, navios varredores e de vigilância do terceiro e do quarto esquadrões navais da Marinha Sueca. Na foto acima, divulgada juntamente com a nota, pode ser vista a corveta HMS Nyköping (classe “Visby”) suspendendo de sua base em Karlskrona na última segunda-feira, para se deslocar até a área dos exercícios. Também participa das operações a Flotilha de Submarinos.

Segundo a nota, é o segundo ano seguido em que se realiza exercício dessa magnitude, em que é explorada a necessidade de cooperação e colaboração mútua dos meios envolvidos, o que é típico de operações ASW. A nota destacou que a guerra antissubmarino é particularmente difícil no Mar Báltico, com suas consideráveis variações de salinidade, temperatura e profundidade, proporcionando boas condições para submarinos se esconderem.

O exercício prevê operações diurnas e noturnas, e o término é previsto para 28 de abril, com a volta dos navios a suas bases.

VEJA TAMBÉM:

Subscribe
Notify of
guest
45 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Iväny Junior
4 anos atrás

Essa Visby é uma senhora “lanchona armada”. Que belo navio.

MO
MO
Reply to  Iväny Junior
4 anos atrás

Essa Visby na verdade é uma senhora .. uma … uma …. umaa .. que coisa é esta saporra …. … feia para caraio, parece o Tavavares com azia, depois de comer cuscui ….

Se é eficiente são outros 500 (e deve ser), mas de aparencia de navio, passou longe … kkkkkkkkk

Em tempo:

N/M Log-in Amazônia / PPVA

Navios Mercantes Brasileiros

20 photos

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2016/04/nm-log-in-amazonia-ppva-turnaround.html

Aldo Ghisolfi
4 anos atrás

PAÍS pequeno, educado, indústria militar forte…

Ednardo Sombra So
4 anos atrás

Alguém poderia fazer uma comparação com os valores e capacidades dessa corveta com a classe tamandaré.

gengisdu
4 anos atrás

Só umas 12 dessa Visby por aqui na MB e já daria aquele grau, aquele up !!!!!

Ivan
Ivan
4 anos atrás

Ednardo, . A classe Tamandaré ainda não exite. Talvez vc pretenda uma comparação entre a sueca Visby e a brasileira Barroso. . Muito bem. As duas são classificadas como corvetas. As duas possuem convoo para helicóptero pequeno para médio. As duas usam Combined diesel or gas (CODOG) como arranjo para motorização, traduzindo, usam motores diesel OU turbinas a gás. . Pronto, acabou as semelhanças. Para começo de conversa a sueca foi projetada para o Mar Báltico, um marzinho fechado apertado ‘que só a peste’, enquanto a brasileira foi para o Oceano Atlantico, com distâncias imensas e relativamente poucas ilhas. As… Read more »

Bosco
4 anos atrás

Ednardo,
A Visby é como disse o Ivany é uma lanchona e teve muito de seus armamentos cancelados. Por exemplo, ela não tem os mísseis sup-ar Umkhonto ou o Bamse, como havia sido noticiado.
Já a Tamandaré não existe rsrsrss, mas se um dia vier a existir e for como se imagina será uma corveta de verdade, muito mais capaz que a lanchona futurista aí de cima, que claro, eu acho excelente para a Suécia mas não creio ser adequada para o Brasil já que ela é um mistura de barco de ataque (FAC) com corveta.

Ivan
Ivan
4 anos atrás

Gengisdu,
.
Desculpe, tenho que discordar.
Visby não combina com as enormes distâncias do Oceano Atlântico, nem mesmo com infraestrutura de portos sulamericana e muito menos com o orçamento nacional.
;
Nossa necessidade é outra.
.
Sds.,
Ivan o Antigo.

fidalgo
4 anos atrás

navio bonito, só falta mesmo o helicóptero. está com certeza bem adaptado ao mar da Suécia

Ivan
Ivan
4 anos atrás

O foco da matéria parece ser a guerra ASW no Mar Báltico. Então nada melhor que um mapa com as profundidades daquele “lago salgado superdimensiondado” ou, por outro lado, “mazinho” fechado com uma só saída. . O Báltico tem apenas 377.000 km2 (o Oceâno Atlantico tem 106.400.000 km2), com profundidades médias em torno de 50 (cinequenta) metros, com áreas centrais e próximas a Suécia com 100 (cem) metros e uma profundidade máxima de pouco mais de 450 metros. É raso e salgado, cheio de canais submarinos e recortado por ilhas. . Esconder um submarino diesel elétrico (nem pensar em SSN… Read more »

Rommelqe
Rommelqe
4 anos atrás

As faces planas, dispostas em ângulo adequado, são concebidas para dificultar a detecção por radares inimigos. Abaixo da linha dágua haveria uma superficie que dificulte a detecção por sonar? Talvez pintura com coatings a base de borracha ou similares a alguns subs? Placas anecoicas? Por outro lado, a detecção de espectro nas frequencias de imageamento termico, comprometendo a discrição da nave em relação a misseis com seeker sensiveis a infravermelho, aparentemente é conseguida isolando a casa de máquinas por duas ou tres camadas de “blindagem termica” (no caso seriam de materiais compositos?). Da a impressão que seria isso ao analisarmos… Read more »

Ivan
Ivan
4 anos atrás

O mapa político do Mar Báltico, para quem não lembra.
comment image
.
Sds.,
Ivan, o ‘mapento’.

Bosco
4 anos atrás

Rom,
Como não é comum submarinos utilizarem sonar ativo não seria necessário uma cobertura anecoica abaixo da linha d’água. A redução da assinatura acústica deve ser só no sentido de reduzir a emissão de ruído.
Por outro lado, os torpedos podem utilizar sonares ativos, mas mesmo assim não creio que tenha sido utilizado nenhuma cobertura específica tendo em vista as contramedidas antitorpedos. Mas do jeito que os suecos são caprichosos não me surpreenderia se tivessem adotado alguma cobertura anecoica.
Um abraço.

Rommelqe
Rommelqe
4 anos atrás

Desculpe continuar o texto: nas frigidas aguas Suecas qualquer superficie ligeiramente mais quente do que um ou dois graus deve marcar indelevelmente telas sensoras de infravermelho. Por outro lado, os submarinos inimigos, que compoēm a principal ameaça aos amigos suecos, ainda contam com a ajuda das camadas de agua salgada com diferentes indices de refração, coisa que nestas “lanchonas” não ocorre pois o limiar na fronteira agua/atmosfera é muito marcante e serve como refrencia para detecção. Abs

Ednardo Sombra So
4 anos atrás

Muito obrigado Ivan e Bosco, mas e quanto aos valores?

Caio Romão
Caio Romão
4 anos atrás

Não acho que essa “lanchona” seja para o ideal para as necessidades brasileiras. Para o chile, talvez seja…

O Brasil precisa mesmo é de mais três ou quatro NPOs da classe Amazonas (mais bem armados, de preferência), para segurar as pontas até o país começar a voltar à sanidade.

Caio Romão
Caio Romão
4 anos atrás

Correção! Leia-se: “Seja o ideal”…
Aqueles momentos em que a gente iria escrever uma coisa, daí vem outra ideia na cabeça.. rs

seal
4 anos atrás

Eu acho essas Corvetas suecas da classe Visby , muito parecidas com as Corvetas -Catamarã de Taiwan. São navios com 60m de compr. e 14m de largura, deslocando 500ton. A autonomia das Catamarãs é de 3600Km,possui um hangar e pista de pouso para um helicóptero médio, com alguma capacidade ASW. O seu principal armamento são os mísseis anti-navio supersônicos Hsiung-Feng III, que com uma velocidade máxima de 2.300Km/h tem alcance de 130Km,bem como os mais antigos Hsiung Feng II,que sendo mais lentos,possuem alcance de 180Km.Cada Corveta transporta até 16 mísseis.Além dos mísseis, o navio está equipado com uma peça de… Read more »

Bosco
4 anos atrás

Seal,
Não tenho não meu amigo. É isso mesmo que eu sei.
Um abraço.

Ivan
Ivan
4 anos atrás

Taiwan está em um pedaço do Pacífico chamado Mar da China.
Acima é e o Mar do Leste da China.
Abaixo é o Mar do Sul da China.
comment image
.
Neste ‘imprensado’ tem Coreia do Sul ao norte, Japão ao norte por nordeste (com Okinawa a nordeste), Flilipinas a sudeste e ao sul o intrincado da Indonésia cheia de estreitos.
.
Tudo é perigosamente perto, principalmente a costa da China continental.
.
Soluções necessárias para águas fechadas.
‘Corvetas’ apropriadas para o TO.
.
Sds.,
Ivan.

Dumont
4 anos atrás

A salinidade, um aspecto indicado nos comentários deve ser ponderada em termos das especificidades locais… o mar báltico é quase um lagão… é salgado mas é bem pouco salgado…

Sds,

Dumont

Seal
4 anos atrás

Não é a toa que a Indonésia estava investindo pesado nos sistemas de Artilharia de Costa, baseado nos Sistemas Astros MK-6 da Avibrás e na compra de aviões de ataque leve A-29. Apesar que não sei como anda as negociações destas compras militares, devido o estremecimento das relações diplomáticas de Dilma com o governo de Jacarta.

Iväny Junior
4 anos atrás

Caros Como o Ivan e o Bosco falaram e explicaram tudo, enfatizo que minha posição foi de elogiar o design do navio. Jamais pensei em empregá-la na MB. Ela tem um armamento mais poderoso, e em um confronto com a Barroso e Tamandaré provavelmente sairia facilmente vitoriosa (em que pese que o T.O. do conflito também pesaria bastante), justamente por ter mais opções de ataque e defesa, e, ao alcance maior. Não serve pro brasil porque é caríssimo, representa outra doutrina para outro T.O. (teria que desenvolver uma doutrina específica para operação no tórrido litoral brasileiro), tem menos alcance em… Read more »

Delmo Almeida
Delmo Almeida
4 anos atrás

Ivan,
Você deveria receber um salário pra comentar na trilogia! Escreve um artigo e manda pros editores publicarem! Ficaria extremamente rico.

gengisdu
4 anos atrás

Obrigado pelo esclarecimento Ivan ” The Lord of Maps” !!rs

boiler765
4 anos atrás

Acho o design deste vaso juito bonito…agora quem gosta de Bow Qualquer Coisa, não deve ficar feliz…Evolução, esta é a meta…
Forte abraço.

MO
MO
Reply to  boiler765
4 anos atrás

sim evoluindo do feio para o horrivel … kkkkkk

Quem gosta disto nunca gostou de navio, gostava de aviaozinhums e tem menos de 27 anos … kkkk so pode …. arrrrgh cois orriviul … kkkkkk

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Umas dúvidas: por que um navio desse sofre com mar bravo?
Por causa do deu deslocamento menor?
Calado menor?
Cumprimento menor?
Largura menor?
Tudo menor?
.
O navio fica impossibilitado de operar em mar classe 4 ou 5?
.
Muito obrigado.

MO
MO
Reply to  Rafael Oliveira
4 anos atrás

Em tempo

navio de bandeira estrangeira, que era brasileiro (de propriedade), agora é de bandeira e guarnição brasileira …

PSV Bravante VIII / PR9246

Agora com bandeira brasileira, suspendendo, após em sua Maiden Call Guarujá/SP (Terminal Saipem)

15 photos

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2016/04/psv-bravante-viii-pr9642-maiden-call.html

Iväny Junior
4 anos atrás

Rafael Oliveira

Não acredito que o barco seja inepto para operações em nenhum mar, até porque o T.O. de operações natural dele não é o que se pode dizer de calmo (apesar de raso).
O negócio é que uma corvetta tão leve termina sendo opção exclusiva de um litoral pequeno. A fuselagem stealth deve ter alguns compostos excessivamente caros também…

MO
MO
Reply to  Iväny Junior
4 anos atrás

Em tempo

N/T Castillo de Herrera / PPVN

Navios Mercantes Brasileiros

8 photos

http://santosshiplovers.blogspot.com.br/2013/08/nt-castillo-de-herrera-ppvn.html?m=1

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Ivany, mas se o problema é alcance, não seria uma questão de quantidade (mais corvetas distribuídas no litoral) em vez de qualidade?
.
Constantemente alguém diz que um navio “pequeno” (a Visby até que é comprida, como uma Baynunah, mas é bem mais leve em razão do material de construção) sofreria demais no Atlântico. Agora não sei se é só um problema da tripulação ou se é o navio mesmo que sofreria.

Rommelqe
Rommelqe
4 anos atrás

Prezado Dumont, aqui mesmo no Naval há varios posts abordando este aspecto da detecção mutua entre submarinos imersos e navios. Outra fonte muito importante para obter informações detalhadas é o site Sistema de Armas, o qual, por falar nisso, conta com a colaboração de varios dos que frequentam aqui a “Trilogia”. (Nome do qual não consigo me desligar…) . Realmente a salinidade do “lagão” chamado Baltico tem suas características. A salinidade é uma uma propriedade muito variável nos oceanos; por exemplo, a salinidade do Atlantico Sul é muito influenciada pelo rio Amazonas, sendo necessario navegar centenas de quilómetros no sentido… Read more »

Rommelqe
Rommelqe
4 anos atrás

Corrigindo, o navio sueco ao qual me referi acima chamava-se VASA (e não Wasa), e sua interessantissima historia pode ser vista em http://www.vasamuseet.se.
A industria naval sueca é importantíssima. Muitos consideram os barcos Vikings como sendo as mais perfeitas naves ja fabricadas pelo homem, considerando-se a sua eficacia em combate, sua fabricação impressionantemente fantastica; em toda a escandinávia há museus que expoem esses barcos. Quem ja viu pode atestar; quem não viu, se tiver a oportunidade va ver. É impressionante.abs

Iväny Junior
4 anos atrás

Rafael

Neste ponto também está um fator crítico: uma Visby custa o mesmo que uma fragata leve Incheon que tem mais que o dobro do seu peso, alcance e armamentos…

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
4 anos atrás

Ivany,
Sou bastante simpático a classe Incheon, mas os dados que encontrei apontam que ela seja um pouco mais cara que a Visby (US$ 240 mi x US$ 185 mi). De qualquer forma, preferiria a compra da Incheon para a MB.
Mas a MB prefere a Tamandaré, que, caso saia do papel, provavelmente custará muito mais que uma Incheon, talvez o dobro ou até o triplo da coreana.

Iväny Junior
4 anos atrás

Rafael

Os dados que encontrei são quase estes teus, sendo que no caso da Visby o preço estaria em Euros (já que a Kockums é parceira/subsidiária da TKMS), o que daria quase a mesma coisa. Somem-se os custos de operação e armamento, acredito que vai dar até um pouco mais caro pro navio sueco.
A tamandaré não tem como sair antes de 2030. O certo era o cancelamento do prosuper, prosub, e o que mais estiver em curso pra contratação direta de Incheon e U-209. A marinha é vítima da sua própria bad trip de maionese…

Rafael
Rafael
4 anos atrás
Rudinei Krolow
Rudinei Krolow
4 anos atrás

Acho que esta corveta? não aguentaria os mares aqui do Sul ! ( RS e SC )

Bardini
Bardini
4 anos atrás

Off topic…
.
http://en.dcnsgroup.com/news/australian-government-selects-dcns-for-the-sea-1000-future-submarine-program/
.
Uhh… lixospene… Brioche… Insubmergível… Os japoneses são imbatíveis… Ops!!!

Iväny Junior
4 anos atrás

Eita que torcida! Até parece que o que banânia comprou foi o barracuda shortfin e não o lixospene.
Vamos ver todo o caminho de negociações e se a coisa vai ser feita, e, quando feita, se irá prestar.

Iväny Junior
4 anos atrás

MO

Quanto ao design da embarcação e gostos, entenda a evolução dos mesmos. Para mim, o navio mais belo já feito foi o Bismarck, porem, ele duraria poucos segundos em combate contra essa lanchona. Qualquer corveta do mundo atual teria sérios problemas contra uma visby, e a isso se deve também o design stealth do modelo. E conseguir esse nível de excelência num design que parece uma lancha é digno de louvor, pois o LCS Independence pode ser impactante, mas é horroroso por este prisma estético… Com o tempo o conceito de navio também pode mudar, imagine o design…

comment image

MO
MO
Reply to  Iväny Junior
4 anos atrás

Oi Ivany

Acho que nao a Visby daria trabalho para os MR do Bismarck, mas nao daria muita coisa contra a blindagem dele nao, ao passo que um tirombasso da bateria secundaria de um bismarck da vida faria uma plastica ad eterenum nela, a transformando de orrivuul em feia … kkkkk

Iväny Junior
4 anos atrás

MO

Não sei quantos RBS-15 o Bismarck aguentaria antes de ter posição de tiro para a Visby… mas acho que ele não chegaria a ter essa posição…rsrsrsrs

Saudações.