Home Logística BAE Systems dará suporte a 50% da frota de superfície da RN

BAE Systems dará suporte a 50% da frota de superfície da RN

254
4

HMS Daring em Portsmouth - foto via G&A

Empresa fechou contrato de 600 milhões de euros com governo britânico, com duração de 5 anos, que inclui a administração da Base Naval de Portsmouth

 –

O Ministério da Defesa do Reino Unido firmou um contrato de £600 milhões (cerca de 1,8 bilhão de reais) com a BAE Systems por um prazo de cinco anos. O acordo prevê o suporte da empresa à 50% da frota de superfície da Marinha Real, nas suas operações tanto no Reino Unido quanto no mundo, bem como a administração da Base Naval de Portsmouth.

O contrato MSDF (Maritime Support Delivery Framework), válido até 2019, prevê uma série de serviços de suporte aos navios ingleses, incluindo serviços técnicos, manutenção, reparos e atualizações, garantindo sua disponibilidade para atender todas as exigências operacionais. Além disso, prevê ainda a administração da Base Naval de Portsmouth, em nome da Marinha Real, fornecendo planejamento, engenharia, gestão das instalações físicas, gerência do programa e outros serviços como energia, suporte à orla e logística.

“Esta é uma excelente notícia para todos em Portsmouth. Vamos trabalhar juntos para preparar a base para a chegada dos porta-aviões da classe Queen Elizabeth e continuar usando nosso conhecimento em projetos e construção de navios para apoiar a frota em serviço e dar todo o suporte à Marinha Real”, disse John Hudson, diretor executivo da área Marítima da BAE Systems.

“Esse contrato garante mais de dois mil empregos diretos, reforça nosso compromisso com a Marinha Real e é o resultado de um histórico de 12 anos de serviços prestados em Portsmouth, durante os quais proporcionamos uma economia de £173 milhões para os contribuintes britânicos”, completou.

Portsmouth Naval Base - foto via G&A

A Base Naval de Portsmouth receberá investimentos significativos do governo em sua infraestrutura, atualizando e melhorando as instalações e os serviços. “O contrato vai manter a base funcionando segundo os mais altos padrões, além de garantir que nossos navios estejam nas melhores condições possíveis e operem à plana capacidade”, declarou o comodoro Jeremy Rigby, comandante da base.

O escopo do contrato cobre: suporte operacional à frota de superfície, logística & cadeia de suprimento; serviços de orla, administração da infraestrutura, gerência de projetos, varejo e lazer, gestão dos negócios e das informações. Os contratos MSDF são um mecanismo usado pelo Ministério da Defesa britânico para a gestão de três bases navais: Devonport, Clyde e Portsmouth. Eles têm o potencial de gerar grandes benefícios e economia para o MD por meio da incorporação de melhorias contratuais em custos e desempenho.

DIVULGAÇÃO: G&A Comunicação

VEJA TAMBÉM:

4
Deixe um comentário

avatar
4 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
4 Comment authors
OganzaCarlos SoaresaericzzNetuno Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Netuno
Visitante
Netuno

Isso não é novo para a BAES pois já vem provendo esse apoio a vários anos.
Essa notícia indica que conseguiram renovar o contrato, o que também sinaliza que esse tipo de “Joint Venture” está dando certo por lá!
A MB chegou a estudar esse tipo de contrato para avaliar sua aplicabilidade no Brasil, mas nada foi além dos relatórios.
Outra porção da RN é gerida pela Babcock, sendo a Base Naval de Plymouth administrada por essa empresa.

aericzz
Visitante
aericzz

Acho isso besteira, nós na MB temos o AMRJ, que faz tudo isso e muito mais… e por muito menos! (Um reparo de NDD durou só 7 anos e foi bem barato…) um órgão que tem mais de 3 fiscais pra cada um q trabalha… não pode perder pra uma empresinha dessas!

Carlos Soares
Visitante
Carlos Soares

aericzz

kkkk rsrsrsrs

Oganza
Visitante
Member
Oganza

Foi como eu disse em outro post:

A aposta é feita antes do páreo. NÃO existe aposta feita nas 10 yards finais.

É cultural… o brasileiro sempre espera pra ver…. e quando vê, JÁ FOI.

Sds.